Página inicial

Como atiçar a brasa

 


julho 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
dezembro 2011
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

julho 21, 2019

À Nordeste no Sesc 24 de maio propõe outra História da Arte por Giselle Beiguelman, Rádio USP

À Nordeste no Sesc 24 de maio propõe outra História da Arte

Coluna Ouvir Imagens de Giselle Beiguelman originalmente publicada na Rádio USP em 15 de julho de 2019.

Visitei À Nordeste, no Sesc 24 de maio e recomendo. Com curadoria de Bitu Cassundé, Clarissa Diniz e Marcelo Campos, a exposição traz no seu próprio título uma ambiguidade. Grafado com crase, À Nordeste pode ser lido como “à moda do Nordeste”. No falar, pode ser entendido como nordeste no feminino, indicando questões sobre diversidade e mais obviamente, aquilo que fica na direção nordeste. Essa ambiguidade não é casual.

A exposição parte de uma provocação do artista cearense Yuri Firmeza “A nordeste de quê?”para discutir as relações entre centralidades e periferias no Brasil e no mundo.

Uma das motivações do projeto dos curadores foi a eleição de de 2018, que acirrou um debate sobre a região, pela contraposição política que expressou configurando-se nitidamente como um foco de resistência às plataformas do então candidato Bolsonaro.

Não foram poucos os preconceitos e clichês que tomaram as redes nessa época, associando o nordeste e os nordestinos com atraso cultural atávico e terra amaldiçoada pela seca por ser território do pecado e da insurreição.

Uma outra história da arte
É uma exposição política, mas não partidária. É política no sentido de nos fazer pensar o Brasil, outras matrizes culturais e a violência da produção social de nossa história.

Para além do estopim das últimas eleições, a mostra evidencia a riqueza do Nordeste como centro irradiador de linguagens e espaço de produção simbólica e crítica, que se expressa na obra de mestres artesãos e de artistas que operam no circuito do mercado, seja no das artes visuais, seja o da música ou do cinema.

São pontos altos, para mim, os cruzamentos feitos entre obras dos mais variados repertórios, como incríveis carrancas de madeira e sua releitura em fibra de vidro por Tadeu dos Bonecos, como capacete e adereço de motocicleta.

Isso lado a lado com obras como as de Ayrson Heráclito, Tiago Sant’ana (no destaque) e Caetano Dias, e ao som do Mangue Beat de Recife, nos faz pensar que é mais que urgente pensar em uma outra História da Arte, capaz de dar conta dessa diversidade cultural, superando as oposições tradicionais entre artesanato/artefato e arte, cultura popular e cultura erudita, alta e baixa cultura e reelaborando as constelações estéticas que constituem a arte brasileira nas suas intersecções e particularidades em relação ao mundo.

Eu fico por aqui e deixo vocês com o Maracatu Atômico de Jorge Mautner e Nelson Jacobina na versão de Chico Science e Nação Zumbi.

A exposição fica em cartaz até 25 de agosto no Sesc 24, de 3a a Domingo.

Transcrição da coluna Ouvir Imagens, de Giselle Beiguelman, veiculada toda segunda-feira, às 8:00, pela Rádio USP (93,7).

Acesse a playlist com todos os áudios da coluna Ouvir Imagens na Rádio USP | Leia todas as transcrições e posts.

Esta coluna tem playlist no YouTube! Acesse e divulgue.


Também leia, assista e ouça
Mostras atacam estereótipo do Nordeste como terra preguiçosa por Clara Balbi, Folha de S. Paulo
Uma Curadoria por Aracy Amaral, Arte!Brasileiros
Uma Crítica por Bitu Cassundé, Clarissa Diniz e Marcelo Campos, Arte!Brasileiros
Um Nordeste para além de registros identitários por Bárbara Buril, Continente
Apesar de montagem confusa, “À Nordeste” aponta para questões urgentes por Tadeu Chiarelli, Arte!Brasileiros
Muvuca por Yuri Firmeza, Arte!Brasileiros
À Nordeste traz as diferenças entre posição e identidade | Exposição, Metrópolis

Posted by Patricia Canetti at 5:36 PM