Página inicial

Cursos e Seminários

 


maio 2018
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise em
Cursos e Seminários:

Arquivos:
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
dezembro 2011
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
As últimas:
 

maio 15, 2018

A Queermuseu e a judicialização da arte no Brasil na EAV Parque Lage, Rio de Janeiro

A Escola de Artes Visuais do Parque Lage reunirá, nesta sexta-feira, cinco sumidades da área jurídica para debater a questão da censura, a partir da discussão gerada pelo cancelamento precoce da exposição Queermuseu. Uma ampla conversa sobre direitos constitucionais, arte e cultura.

18 de maio de 2018, sexta-feira, 18h30

Escola de Artes Visuais do Parque Lage - Salão Nobre
Rua Jardim Botânico 414, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, RJ

O sucesso do financiamento coletivo, promovido pela EAV no início deste ano, animou forças reacionárias com interações de órgãos públicos, entidades religiosas e membros do Legislativo. A desinformação tem gerado alegações vazias de que a Queermuseu conteria ofensas a ícones religiosos, além de promover a pedofilia ou zoofilia - o que definitivamente não ocorre. Mas essas articulações reverberam: no momento, tramita na ALERJ um projeto de lei para proibir determinadas expressões artísticas em equipamentos públicos do Estado. Por tudo isso, antes da abertura da mostra, a EAV – em parceria com Palma Guedes Advogados – promoverá um debate público entre as comunidades artística e jurídica do país. As interações entre a liberdade de expressão artística e outros direitos consagrados, tais como liberdade religiosa, proteção da criança e proibição da apologia ao crime, serão o centro da discussão.

Abertura

Fabio Szwarcwald: diretor-presidente da Escola de Artes Visuais EAV Parque Lage

Marcelo Viveiros de Moura: presidente do Conselho da AMEAV. Advogado. Mestre em direito (Cambridge). Autor de artigos em diversas matérias de direito empresarial e regulatório.

Mesa de debate

Daniel Sarmento: advogado e professor titular de direito constitucional da UERJ. Foi membro do Ministério Público Federal. Doutor em direito pela UERJ. É autor de diversos livros e artigos sobre direito constitucional e liberdades fundamentais.

Deborah Duprat: Procuradora Federal dos Direitos do Cidadão (PGR/MPF). Mestre em direito pela UnB. Foi vice procuradora-geral da República. Autora de artigos sobre direito constitucional e proteção a minorias.

Joaquim Falcão: advogado e membro da Academia Brasileira de Letras. Ex-diretor e professor da FGV-Rio. Doutor em educação (Un. of Genève) e mestre em direito (Harvard). Foi membro do Conselho Nacional de Justiça. Autor de inúmeros livros e artigos.

Nélio Machado: advogado. Doutor em direito pela UFRJ. Foi defensor público da justiça penal militar e professor de diversos programas de pós-graduação. Autor de livros e artigos em direito criminal.

Demian Guedes (mediador): advogado e professor em programas de pós-graduação. Doutor em direito pela UERJ. Visiting Scholar no Max Planck Institute for Public Law. Autor de livros e artigos sobre direito público e combate ao autoritarismo.

Publicado por Patricia Canetti às 11:03 AM


maio 9, 2018

Curso Especialização em Gestão Cultural Contemporânea no Itaú Cultural, São Paulo

Especialização em Gestão Cultural Contemporânea: da Ampliação do Repertório Poético à Construção de Equipes Colaborativas

São 30 vagas ofertadas – sendo 7 para cotas afirmativas –, preenchidas por processo seletivo. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pelo site itaucultural.org.br, acessando-se o link que será disponibilizado nesta página a partir da 00h01 do dia 15 de maio de 2018. O prazo para realizá-las termina às 23h59 do dia 29 deste mesmo mês, horário de Brasília – Brasil.

Visando complementar a formação do gestor a partir da ampliação de seu próprio repertório, o Itaú Cultural, em parceria com o Instituto Singularidades, oferece, pela primeira vez, a Especialização em Gestão Cultural Contemporânea: da Ampliação do Repertório Poético à Construção de Equipes Colaborativas – o primeiro curso 100% presencial, com foco em diversidade e representatividade.

Composto de nove módulos, o curso abarca cinco linhas de pesquisa: políticas públicas e direitos culturais, mediação cultural, crítica e curadoria, artes comparadas e modelos de liderança contemporânea. A carga horária é de 360 horas e, como forma de sistematizar o conhecimento adquirido sobre um objeto de estudo pertinente à temática proposta, os alunos e alunas deverão realizar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

As aulas, previstas para começar na primeira semana de agosto deste ano, serão ministradas por educadores/artistas notórios – como o artista visual Jorge Menna Barreto, a nutricionista Neide Rigo, a doutora em educação Naine Terena, que falará sobre a cosmologia indígena, e o cantor e compositor Tiganá Santana –, e ocorrerão em quatro lugares: no Itaú Cultural (São Paulo/SP), no Teatro de Contêiner Mungunzá (São Paulo/SP), no Condomínio Cultural (São Paulo/SP) e na Fundação Casa Grande (Nova Olinda/CE), onde será realizado um estudo de caso.

Gratuito e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), o curso é direcionado a profissionais com experiência comprovada de, pelo menos, três anos em atividades de gestão cultural – profissionais esses que não precisam, necessariamente, estar ligados a uma instituição cultural pública ou privada.

Inscrições, processo seletivo e resultado

São 30 vagas ofertadas – sendo 7 para cotas afirmativas –, preenchidas por processo seletivo. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pelo site itaucultural.org.br, acessando-se o link que será disponibilizado nesta página a partir da 00h01 do dia 15 deste mês. O prazo para realizá-las termina às 23h59 do dia 29 deste mesmo mês, horário de Brasília – Brasil.

No ato da inscrição, além de preencher todas as informações solicitadas, o candidato deverá anexar o currículo e/ou carta institu­cional comprovando sua experiência de, no mínimo, três anos como gestor cultural e fazer upload de um vídeo de no máximo um minuto falando de sua experiência e rotina como gestor.

Todas as inscrições válidas serão analisadas pela coordenação do curso, que avaliará o formulário de inscrição, o currículos e/ou carta institucional e o vídeo. A lista de aprovados será divulgada neste site no dia 12 de julho.

O edital completo será disponibilizado nesta página também no dia 15 de maio. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail atendimento@itaucultural.org.br.

Publicado por Patricia Canetti às 11:28 AM


maio 4, 2018

O MAC encontra os artistas 2018

O MAC USP retoma o programa O MAC Encontra os Artistas, agora sob orientação dos docentes curadores da Divisão de Pesquisa em Arte, Teoria e Crítica do Museu, que atuam na mediação de cada encontro. Em seu novo formato, selecionamos os artistas participantes para que abordem sua trajetória e, dentro dela, tratem em especial de suas obras pertencentes ao acervo do MAC USP. Com isso, além de contribuir para a ampliação do debate em torno da produção artística contemporânea brasileira, pretendemos aprofundar o conhecimento sobre a história do Museu e seu papel na história da arte no Brasil.

Sempre às terças-feiras, às 19h

MAC USP
Avenida Pedro Álvares Cabral 1301, Ibirapuera, São Paulo, SP
Entrada franca. Não é necessário fazer inscrição.

PROGRAMAÇÃO

8 de maio – Giselle Beiguelman (Ana Magalhães)
5 de junho – Regina Silveira (Katia Canton)
7 de agosto – Gilberto Prado (Ana Magalhães)
4 de setembro – Evandro Carlos Jardim (Cristina Freire)
2 de outubro – Celina Yamauchi (Helouise Costa)
6 de novembro – Caciporé Torres (Edson Leite)

Publicado por Patricia Canetti às 9:26 AM


maio 2, 2018

Inscrições abertas para o Art Weekend São Paulo 2018

A Associação Brasileira de Arte Contemporânea – ABACT recebe inscrições de galerias de arte de todo Brasil, de 2 de maio a 15 de julho de 2018, para o evento que promove um final-de-semana de atividades culturais em São Paulo no mês de novembro. A programação do Art Weekend São Paulo divide a cidade em diferentes circuitos com roteiros gratuitos que vão desde aberturas de exposição, palestras a conversas com artistas, performances e muito mais

A 3ª edição do Art Weekend São Paulo acontecerá no final-de-semana dos dias 9, 10 e 11 de novembro de 2018. O evento é uma realização da Associação Brasileira de Arte Contemporânea – ABACT, que congrega 50 galerias de arte em 6 estados brasileiros e no Distrito Federal. As galerias interessadas em participar deverão inscrever-se de 2 de maio a 15 de julho.

O Art Weekend São Paulo - AWSP é um evento idealizado e realizado pela ABACT desde 2016 que reúne diferentes galerias de arte na capital paulista, organizando um circuito com programação especial que inclui aberturas de exposições, visitas-guiadas, performances, conversas com artistas e curadores, entre outras atividades num mesmo final de semana.

A realização do AWSP busca ampliar o público e o alcance das galerias, promover e divulgar suas programações artísticas e culturais gratuitas, além de promover novos formatos de parcerias e negócios para as galerias de arte.

Na edição de 2017, com o lançamento da ação “Galerias Recebem Galerias”, em que uma galeria paulistana recebe em seu espaço expositivo uma galeria de fora da cidade, o Art Weekend São Paulo contou com a participação de 54 galerias locais, das quais 13 eram de outras cidades, somando mais de 110 mostras e eventos. Neste ano, a organização do evento pretende ampliar o alcance dessa ação com a realização de novas parcerias entre as galerias brasileiras.

O evento acontecerá no mesmo formato dos anos anteriores: as galerias associadas à ABACT não pagam para estarem no evento, mas galerias não associadas devem contribuir com uma taxa de participação.

Para inscreverem-se, os representantes das galerias devem enviar até 15 de julho de 2018 um e-mail para o endereço info@artweekend.com.br com o assunto: Art Weekend 2018 + NOME DA GALERIA.

A ABACT está em busca de parcerias e patrocínios para a realização do evento. Para mais informações, os interessados devem escrever para info@artweekend.com.br ou telefonar para a ABACT no telefone (11) 2365 0481.

Nas redes sociais e na internet: #artweekendsãopaulo, @artweekendsp
https://pt-br.facebook.com/artweekendsp/
https://www.instagram.com/artweekendsp/

Publicado por Patricia Canetti às 11:38 AM


abril 26, 2018

Moda, Filosofia e Arte: diálogos contemporâneos, com Brunno Almeida Maia, na Adelina, São Paulo

Brunno Almeida Maia, pesquisador em filosofia pela Unifesp, e residente do NEC MIS (Núcleo de Estudos Contemporâneos do Museu da Imagem e do Som), ministra curso sobre relações contemporâneas e históricas entre a Moda, a Filosofia e Arte, na Adelina Galeria, em SP.

10 de maio a 21 de junho de 2018, quintas-feiras, das 19h às 22h

Adelina Galeria
Rua Cardoso de Almeida 1285, Perdizes, São Paulo, SP
Inscrições online

APRESENTAÇÃO

O que a coleção de Inverno 2007 da Balenciaga por Nicolas Ghesquière, tem a ver com revolução política? Qual o diálogo entre o pensador alemão Walter Benjamin, e a coleção Mondrian de 1965 de Yves Saint Laurent? Como é possível relacionar a estreia da Comme des Garçons na Paris da década de 80 com a Queda do Muro de Berlim?A atual tendência Agender (moda sem gêneros), encontra consonâncias nas ideias de Judith Butler, Friedrich Nietzsche e do poeta francês Charles Baudelaire? Com Elsa Schiaparelli e Salvador Dali, os futuristas e Giacomo Balla, Moda pode ser Arte, e a Arte pode iluminar o cotidiano?

A partir destas, e outras inquietações, o pesquisador em filosofia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) e pesquisador residente do NEC (Núcleo de Estudos Contemporâneos) do MIS (Museu da Imagem e do Som), Brunno Almeida Maia, ministra o curso Moda, Filosofia e Arte: Diálogos Contemporâneos, que acontece entre os dias 10 de maio a 21 de junho, sempre às quintas-feiras, das 19h às 22h, na Adelina Galeria, no bairro das Perdizes em São Paulo. Com apenas 30 (trinta) vagas, as inscrições podem ser feitas pelo Sympla, no formato curso total (08 encontros), ou aulas avulsas por tema: www.sympla.com.br/moda-filosofia-e-arte-dialogos-contemporaneos-com-brunno-almeida-maia__249959

Partindo dos escritos do filósofo, ensaísta e crítico alemão Walter Benjamin (1892-1940), sobre a Moda e as roupas, no contexto do capitalismo cultural do século XIX, “Moda, Filosofia e Arte” propõe uma leitura do momento atual, a partir da relação entre Moda e Filosofia. Num trabalho de abertura do pensamento – por meio da filosofia, da história, da história da arte, da fotografia, do cinema e da literatura - o principal objetivo dos encontros é transformar o olhar – muitas vezes intuitivo e sem apuro metodológico – para a relação entre a Moda e a História, entendendo o passado como uma potência para a prospecção – futuro – na criação. Neste sentido, o curso é uma passagem pelas pesquisas de Almeida Maia, sobre as relações entre Moda, Filosofia, Arte e Literatura, desenvolvidas desde 2012, parte de temas, como a Moda e a Arte, a Moda e o Corpo, a Moda e a História, a Moda e a Narrativa, a Moda e a Imagem e a Moda e a Memória.

O projeto “A Literatura e a Moda”, com quatro anos de existência, começou ao lado do estilista brasileiro Walter Rodrigues e, hoje, segue com Almeida Maia e o chapeleiro Eduardo Laurino. Em 2016, a dupla convidou a escritora brasileira Anita Deak, uma das finalistas do Prêmio Sesc de Literatura, para participar da oficina “Assimetrias do Tempo: a construção e a desconstrução na Moda, na Literatura e na Filosofia”, que integrou o projeto #ForadeModa, com co-curadoria do estilista brasileiro Fause Haten no Sesc Ipiranga. A pesquisa rendeu, ainda, convite a Almeida Maia para integrar o quadro de docentes do Senac Lapa Faustolo e realizasse cursos de extensão no Departamento de Pós-Graduação, Extensão e Cursos Livres da FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado, e no Centro Universitário Belas Artes, em SP. Ao longo destes anos, ele participou dos projetos Pano pra Manga, que reuniu, numa programação mensal, os principais nomes da moda brasileira num evento no Sesc Pompeia, e da coletânea “Moda Vestimenta Corpo” (Ed. Estação das Letras e Cores, 2015), no qual assina um capítulo sobre a relação entre literatura e moda, no contexto do Brasil do Segundo Império, a partir do romance “Lucíola” (1862), de José de Alencar.

PROGRAMA

10/5 — Moda e História: Os primeiros estudos sobre Moda; Breves conceituações; O que é o contemporâneo?; Moda e capitalismo cultural em Walter Benjamin; Duas metodologias – a arqueologia e a cartografia (YSL, Balenciaga e Alexandre Herchcovitch).

17/5 — Moda e Memória: “O casaco de Marx” – roupas e memória; A moda e o processo revolucionário; Primo Levi e Christian Boltanski – roupa e testemunho a partir de Auschwitz; As roupas sob o ponto de vista da crítica literária feminista da década de 80/90; Narrar e Tecer – De Marina Colasanti a Penélope da “Odisséia” de Homero.

24/5 — Moda e Imagem: O estatuto ontológico da imagem no ocidente; Breve história da percepção no ocidente; A fotografia no século XIX; Conceituações sobre fotografia de moda; Imagem e Imaginário na fotografia de Moda; Alguns mestres da fotografia de moda: Virginia Oldoini, a Condessa Castiglione, De Meyer, Steichen, Hoyningen-Huene, Horts, Man Ray, Blumenfeld, Cecil Beaton, Munkasci, Penn e Avedon, David Bailey, Hiro, William Klein, Bob Richardson, Diane Arbus, Helmut Newton, Bruce Weber, Herb Ritts, Oliviero Toscani, LaChapelle, Steven Meisel, Juergen Teller, entre outros.

07/6 — Moda e Narrativa: O que é narração?; Moda e Linguagem; Relação entre Literatura e Moda; Um passeio por autores como Virginia Woolf, Marcel Proust, Honoré de Balzac, Émile Zola, Gustave Flaubert, Machado de Assis e José de Alencar; O trabalho da artista plástica belga Isabelle de Borchgrave e um diálogo com a coleção “A Costura do Invisível” de Jum Nakao.

14/6 — Moda e Arte: Aproximações e distanciamentos entre Moda e Arte; Diálogos entre a Moda e Arte – Do Impressionismo do séc. XIX às vanguardas artísticas do séc. XX; Moda e Surrealismo; Moda e Futurismo; A Moda como estética da existência (Gilda de Mello e Souza, Gilles Lipovetsky e Michel Foucault); Passeio pelas obras de Hélio Oiticica, Issey Miyake e Arthur Bispo do Rosário.

21/6 — Moda e Corpo: A moda e o corpo como linguagens; Introdução à História do Belo no Ocidente – Três fases: Antiguidade Clássica Greco-romana (Madeleine Vionnet); Idade Média (Christian Lacroix); Idade Moderna (Christian Dior); Modernidade (Japonismo e Belgas); Reinvenção das formas do corpo nos artistas modernistas, e o diálogo com o trabalho da Escola da Antuérpia e dos estilistas japoneses; 1990 – A década de Opostos; Sobre o Agender – Nietzsche, Charles Baudelaire, Simone de Beauvoir, Judith Butler; Estilistas e marcas contemporâneas que abordam o Agender (Moda sem gêneros).

INVESTIMENTO

R$ 660,00 à vista – curso total com 08 (oito) aulas
R$ 130,00 – aula avulsa

INSCRIÇÃO

30 vagas
Classificação: a partir de 16 anos
Inscrições online
O evento no Facebook

SOBRE O MINISTRANTE

BRUNNO ALMEIDA MAIA: Pesquisador em Filosofia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), pesquisador residente do NECMIS (Núcleo de Estudos Contemporâneos do MIS – Museu da Imagem e Som), docente da cadeira “Expressões Artísticas Contemporâneas”, no Técnico de Produção de Moda do SENAC Lapa, professor convidado do Departamento de Pós-Graduação, Extensão e Cursos Livres da FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado e do Centro Universitário Belas Artes, ministrou aulas sobre a relação entre a literatura e a moda ao lado do estilista brasileiro Walter Rodrigues e do chapeleiro Eduardo Laurino, em espaços como Oficinas Culturais Oswald de Andrade, Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, Sesc Consolação, Sesc Pompéia, Sesc Ipiranga, CPF – Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, Sesc Jundiaí, Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André (SP), Oficina Cultural Hilda Hilst, em Campinas (SP), Galera AMDO, em Belo Horizonte (MG), Biblioteca Mário de Andrade, Fábricas de Cultura, Biblioteca Pública Pedro Nava, Escola São Paulo. É autor do livro “O Teatro de Brunno Almeida Maia” (Editora Giostri, 2014), assina capítulo sobre a relação entre a literatura e a moda no romance Lucíola (1862) de José de Alencar no livro “Moda Vestimenta Corpo” (Editora Estação das Letras e Cores, 2015), e é um dos autores da antologia “São Paulo em Palavras” (Editora Aquarela Brasileira, 2017). Foi facilitador pedagógico do módulo I de formação em Cidadania e Direitos Humanos do Programa “Transcidadania”, uma iniciativa da Prefeitura Municipal de São Paulo, com a CADS (Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual) e Centro de Cidadania LGBT SP.

Publicado por Patricia Canetti às 11:24 AM