Página inicial

Como atiçar a brasa

 


fevereiro 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28        
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
dezembro 2011
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

fevereiro 14, 2017

Artista pernambucano Paulo Bruscky é convidado para a Bienal de Veneza por Isabelle Barros, Diário de Pernambuco

Artista pernambucano Paulo Bruscky é convidado para a Bienal de Veneza

Matéria de Isabelle Barros originalmente publicada no jornal Diário de Pernambuco em 7 de fevereiro de 2017.

Evento é um dos mais tradicionais do mundo no segmento e acontece entre os dias 13 de maio e 26 de novembro na Itália

O artista visual pernambucano Paulo Bruscky foi um dos quatro brasileiros escolhidos pela curadora da Bienal de Veneza, Christine Macel, para fazer parte do evento, um dos mais importantes do mundo. Os outros três brasileiros convidados são Ayrson Heráclito, Erika Versutti e Ernesto Neto, que já fez parte da Bienal em 2001. A mineira Cinthia Marcelle, que já expôs no Recife, vai ocupar sozinha o pavilhão brasileiro no evento. No total, 85 países terão suas representações nacionais e vão ocupar um outro pavilhão, o Giardini.

Paulo vai fazer parte da mostra Viva Arte Viva, que acontecerá entre 13 de maio e 26 de novembro deste ano. O artista pernambucano conta quase 50 anos de carreira e é um dos expoentes no Brasil nos mais diferentes suportes: xeroarte, arte-correio, performance, poesia visual, poesia sonora. A experimentação e a liberdade de criação sempre nortearam sua trajetória, que começou a ter reconhecimento nacional e internacional a partir dos anos 2000, quando ele participou da Bienal de São Paulo e tem obras no acervo de museus prestigiados no exterior, como o MoMA, em Nova Iorque, e a Tate Modern, em Londres.

Atualmente, o público pode ver o trabalho do artista na exposição Palarva - poesia visual e sonora de Paulo Bruscky em cartaz até o próximo domingo, 12 de fevereiro, na Caixa Cultural. Em entrevista ao Diario de Pernambuco na ocasião da abertura da mostra, Bruscky falou sobre o que move seu trabalho. “É mais importante saber ver do que fazer. A gente tem de ter os olhos livres e a vontade de ver o que não interessa aos olhos de uma sociedade. Quando as pessoas aprendem a ver, os artistas perdem a função. E, ainda bem, porque isso consome muito a gente. É uma coisa intensa e é a minha vida. A arte não precisa necessariamente existir de forma material, ela fica gravada em sua mente. Tudo é efêmero, por que a arte não pode vir a ser?”.

Posted by Patricia Canetti at 10:23 AM