Página inicial

Como atiçar a brasa

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
As últimas:
 

agosto 29, 2012

Artistas entregam documento ao governador por André Bloc, O Povo

Artistas entregam documento ao governador

Matéria de André Bloc originalmente publicada no caderno Vida & Arte do jornal O Povo em 29 de agosto de 2012.

Assinado por 80 entidades, documento do Movimento Arte e Resistência será entregue hoje ao governador com 38 demandas

O Movimento Arte e Resistência (MAR) entregará ao governador, na manhã de hoje, um documento reivindicando mudanças na gestão cultural. O dossiê será protocolado na Casa Civil do Estado, endereçado pessoalmente ao governador Cid Gomes. O Documento MAR, como está sendo chamado, junta reivindicações da classe artística cearense e é o mais recente movimento de questionamento da gestão cultural estadual protagonizado pelo grupo de artistas. Até a manhã de ontem, cerca de 80 entidades haviam assinado o documento, representando as diferentes linguagens artísticas.

“Começou com a insatisfação (com a gestão cultural do Ceará) e decidimos então redigir uma carta de repúdio, que virou petição pública”, lembra Silvia Moura, membro do Fórum das Linguagens e “uma das ondas do MAR”, como se define. “Então, surgiu a obrigação de pautar as necessidades de cada grupo, começando pelas diferentes linguagens”. A partir daí, segundo Silvia, foram feitas cartas para cada área de atuação – que também serão entregues na manhã de hoje no Palácio da Abolição, sede do governo estadual. O objetivo principal, além das propostas do documento, é agendar uma audiência com Cid Gomes, demanda requerida através de um ofício, também a ser entregue hoje.

O caráter do documento é totalmente propositivo. “São propostas concretas, quase um plano de cultura”, diz Silvia. Ao todo, são sete eixos temáticos (Gestão, Autonomia, Formação, Equipamentos Culturais, Editais, Produção e Circulação, Recurso/Orçamento) e um total de 38 propostas. Entre as propostas, estão desde demandas anteriores à gestão Cid, como a realização de concursos públicos para contratação de funcionários efetivos para a Secretaria da Cultura do Estado (Secult), até pedidos mais específicos como a retomada da proposta de ter o Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC) para formação.

“A gente reclama, mas está disponível para ‘arregaçar as mangas’ para trabalhar junto. Nós não queremos rompimento, não é (movimento) eleitoreiro, não é chuva passageira. São anos de construção”, avisa Silvia.

Depois da entrega do documento, o desejo do MAR é uma resposta definitiva – não só através de vozes, mas de ações. O Movimento Arte e Resistência foi criado há dois meses. Apesar de recente, Silvia Moura garante que alguns pontos são observados desde o primeiro mandato do governador, de 2007 a 2010, mas a situação piorou a partir do segundo. O ponto crítico, porém, parece recente. “As coisas estão muito ruins e do lançamento do movimento para cá, só piorou”, lamenta. “O Giro Cultural - realizado no último dia 18 no Centro de Eventos - não é significativo, empobrece nossa cultura – a gente não compactua com aquilo. Não é transformador investir tanto em apenas um evento que não deixa nada para a cidade”.

Histórico
O Movimento Arte e Resistência foi criado oficialmente no dia 25 de junho de 2012, a partir do Fórum das Linguagens. Desde então, vem realizando ações e manifestações públicas pelo direito ao acesso à cultura e em defesa dos agentes culturais.

O POVO acompanhou as manifestações do MAR em 28 de junho, quando o grupo fez vigília em frente à sede da Secult. A vigília aconteceu ainda nos dias 3 e 5 de julho, sem respostas do governo. Já no dia 11 do mesmo mês, o Vida & Arte trouxe material sobre a preparação de um ato-show na praça do Ferreira, organizado pelo MAR.

No documento MAR, as entidades defendem conviver com ”incômodos gerados pela atuação da pasta da Cultura “e , sem notar avanços, solicitam “a abertura de um espaço de diálogo direto” com o governador, rompendo “com a indesejável distância estabelecida” entre um e outro. As propostas sugeridas passam pela gestão de recursos, como o aumento nos valores de editais.

Outras sugestões são a garantia de responsabilidade da Secult “sobre a manutenção, reforma e bom funcionamento, dos equipamentos culturais” e maior autonomia da pasta de Cultura, com a descentralização do Monitoramento das Ações e Programas Prioritários (MAPP) e o retorno da administração do Fundo Estadual de Cultura (FEC) para a Secult, com acompanhamento do Conselho Estadual de Cultura (CEC).

Multimídia
O site do MAR (movimentoarteeresistencia.wordpress.com) conta com uma versão eletrônica do Documento MAR

Posted by Cecília Bedê at 10:12 AM