Página inicial

Como atiçar a brasa

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
As últimas:
 

julho 12, 2010

Recortes do século por Júlia Lopes, O Povo

Matéria de Júlia Lopes originalmente publicada no caderno Vida&Arte do jornal O Povo em 12 de julho de 2010.

Trazendo obras de diversos artistas conceituados do século XX, a exposição De Picasso a Gary Hill tem início hoje no Museu de Arte Contemporânea do Dragão.

Num dos endereços mais importantes para as artes visuais na cidade, aportam obras de artistas midiáticos, como Picasso, Henri Matisse, Salvador Dali e Paul Klee, e de outros nem tão conhecidos assim do grande público, como José Sanleón, Magdalena Abakanowicz e Bruce Nauman. Com 13 dias de atraso (a exposição foi inicialmente anunciada para dia 30 de junho) abre hoje, às 20 horas, a mostra De Picasso a Gary Hill, no Museu de Arte Contemporânea do Centro Dragão do Mar. Ao todo são 33 artistas, três deles cearenses. A exposição conta com curadoria de José Guedes e Roberto Galvão.

“O contato com as obras que estão na exposição se deu ao longo de muitos anos. São obras e artistas relevantes, que indiscutivelmente fazem parte do repertório dos curadores”, conta Guedes sobre o processo curatorial. Entre pinturas, desenhos, esculturas, gravuras, vídeos e instalações, as 112 obras procuram ser um apurado geral do que consistiu o projeto moderno e como ele caminhou para a dita arte contemporânea. “Eu diria que o público vai se deparar com obras relevantes, de artistas relevantes”, continua o curador.

A maior parte dessas peças veio do Instituto Valenciano de Arte Moderna (Ivam), dirigido por Consuelo Císcar – que estará na vernissage para convidados hoje. Guedes havia conhecido Consuelo anteriormente, quando a exposição começava a ser formatada, em janeiro deste ano. Na ocasião, ele abria uma individual, e solicitou à diretora “o empréstimo de algumas obras no que fui prontamente atendido. Importante que se diga que o Ivam não cobrou nada”. Por isso o custo de toda a mostra ficou em R$ 440 mil, oriundos do Governo – que não mudaram em virtude do atraso.

Posted by Fábio Tremonte at 4:40 PM