Página inicial

Cursos e Seminários

 


setembro 2015
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Pesquise em
Cursos e Seminários:
Arquivos:
As últimas:
 

agosto 27, 2015

Bagagem: caminhada como prática poética com Edith Derdyk na Fazenda Serrinha, Bragança Paulista

Bagagem é uma plataforma que visa agrupar distintas experiências que investiguem o enunciado “caminhar como prática estética” proposto inicialmente no livro Walkscapes de Francesco Careri e, aqui, derivando para um território aberto em busca de mapeamentos – seja através de cursos imersivos – fora ou dentro do ambiente urbano -, seja através de encontros teóricos, grupos de estudo.

Público alvo: artistas, educadores, estudantes em formação e interessados em geral

4 a 7 de setembro de 2015, sexta a segunda-feira - Inscrições até 31 agosto

Fazenda Serrinha
Informações sobre o curso e valores

APRESENTAÇÃO

Imersão de 3 dias na Fazenda Serrinha, situada perto de Bragança Paulista, Estado de SP, espaço geográfico que proporciona distintas situações das relações entre o corpo e o espaço natural: caminhadas por entre a mata, explorações em espaços abertos e fechados, vista para a represa do Jaguari-Jacareí e para a serra da Mantiqueira.

O entorno, a paisagem, a topografia, a fisicalidade do espaço, as geometrias espaciais, a expressão gráfica dos fenômenos naturais, a observação , a memória e a imaginação bem como a compreensão dos elementos geradores da linguagem poética- duração, extensão, ritmo, tensão, forma, construção, direção, matéria - serão alguns de nossos pressupostos e procedimentos para a formalização de enunciados que visem gerar experiências amparadas por material iconográfico, dinamizando e ampliando o repertório sensível e conceitual.

Adotando o enunciado "caminhar como prática estética", prática esta que serviu como fundamento para a produção de muitos artistas, projetos e coletivos desde idos de 60, iremos investigar os modos de captar, registrar, se apropriar, interpretar e ressignificar poeticamente a relação entre o corpo, o olhar, o tempo e o espaço, através do desenho, fotografia, vídeo, escrita, performance, livro de artista, intervenção.....

Referências iconográficas, textos, vídeos, enfatizando as conexões entre mapa X território, medidas do corpo x tempo X espaço, site specific X non-site, intervenção na paisagem, registro X imagem, ação X caderno de viagem: Land Art, Land Walk, Arte Conceitual, Richard Long, Hamish Fulton, James Turrell, Robert Smithson, Dennis Oppenheim, Michael Heizer, Situacionismo,Robert Morris; as experiências brasileiras do Arte_Cidade, Fronteiras, Nelson Felix, Artur Barrio, Paulo Brucski, Helio Oiticica, 3x3, Marcelo Moscheta e outros artistas e coletivos, objetivando proporcionar repertório para a pesquisa de uma poética pessoal.

Posted by Patricia Canetti at 2:46 PM

As artes no Brasil contemporâneo com Maria Hirszman no Maria Antônia, São Paulo

As artes no Brasil contemporâneo: global e provinciano

Uma análise do circuito artístico brasileiro atual, tendo em vista a busca por uma identidade nacional e principalmente seu caráter complexo, marcado pela expansão e a internacionalização do mercado de artes, pela diversificação de meios e linguagens, pela dificuldade em criar e consolidar instituições de reflexão e apoio, em paralelo a uma profunda crise da crítica.

Professora: Maria Hirszman

3, 10, 17 e 24 de setembro, quintas-feiras, 16h às 18h

Centro Universitário Maria Antônia
Rua Maria Antônia 294, Vila Buarque, São Paulo

PROGRAMA

3 de setembro
Dentro e fora: a longa busca por uma identidade nacional

10 de setembro
A fragilidade institucional e os caminhos alternativos

17 de setembro
A crise do pensamento crítico

24 de setembro
A ilusão do mercado global

INVESTIMENTO

R$200
Descontos: 20% para estudantes e professores e 40% para terceira idade

Maria Hirszman é mestre em História da Arte pela ECA-USP, jornalista e crítica de arte, além de colaborar com diversas publicações, como o Caderno 2 do Estado de S. Paulo, a Enciclopédia Itaú de artes visuais e a Revista pesquisa Fapesp.

Posted by Patricia Canetti at 2:29 PM

Dynamic Encounters - New York 2015

Em 2015, ano em que o Dynamic Encounters comemora seu 23º aniversário, faremos uma programação especial em New York, que consideramos um dos melhores destinos para realização do workshop. Durante os 7 dias na cidade, o projeto conduzirá palestras e discussões sobre arte nos principais museus, galerias e ateliês de artistas. A programação conta com coleções históricas, contemporâneas e algumas das principais exposições temporárias. Nas visitas aos ateliês, os artistas abrem as portas de seus locais de trabalho e oferecem aos alunos uma oportunidade especial para conhecer melhor os bastidores de sua criação, se disponibilizando a responder dúvidas e questões.

Professores: Charles Watson, Fernando Cocchiarale, Jailton Moreira, Moacir dos Anjos

15 a 24 de novembro de 2015

Dynamic Encounters
Informações: 21-2553-3748 / 9224 ou por email

INSTITUIÇÕES

Dia Beacon
Guggenheim
Judd Foundation
Metropolitan museum
Moma
The Drawing Center
Whitney Museum

PROGRAMAÇÃO

16 NOV //

CHEGADA em New York
Dia livre

19:00
Reunião do Grupo

20:00
Jantar do grupo

17 NOV //

08:00
Café da manhã

09:00
Saída do hotel

10:00
METROPOLITAN MUSEUM
_na coleção
Alberto Giacometti, Auguste Rodin, Botticelli, Jacques-Louis David, Nicolas Poussin, Henri Matisse, Édouard Manet, Pablo Picasso, Paul Cézanne, George Braque, George Seraut, Eugène Atget, Joan Miró, Anselm Kiefer, Andy Warhol, entre outros.

12:00
Almoço

13:30
METROPOLITAN MUSEUM

17:00
VISITA A ATELIÊ

20:30
Jantar livre

18 NOV //

08:00
Café da manhã

10:00
Saída do hotel

11:00
NEW MUSEUM

_ Barbara Rossi: Poor Traits
_ Jim Shaw: The End is Here

13:30
Almoço

14:30
JUDD FOUNDATION (SOHO)

101 Spring Street serviu como residência e studio de Donald Judd em NY. Desde 1968, quando a propriedade foi adquirida, Judd desenvolveu uma intensa relação com sua arquitetura e pelo entorno da vizinhança no SoHo. Esse é considerado o local de nascimento da ideia de instalação permanente, conceito desenvido por Judd para pensar a importância da colocação de uma obra no espaço como tão significativa quanto a obra em si. Recentemente restaurado, a Judd Foundation (NY) abre suas portas para aqueles que desejam entender melhor a atenção que Donald Judd dedicava às relações espaciais.

17:00
VISITA A ATELIÊ

20:30
Jantar livre

19 NOV //

08:00
Café da manhã

09:00
Saída do hotel

10:00
GALERIAS CHELSEA

Alexander & Bonin Gallery
David Zwirner Gallery
Anton Kern Gallery
Tanya Bonakdar Gallery
Pace Gallery
Marian Goodman Gallery
303 Gallery

12:30
Almoço

13:30
GALERIAS CHELSEA

Mary Boone Gallery
Metro Pictures Gallery
Matthew Marks Gallery
Gladstone Gallery
Cheim & Read Gallery

21:00
Jantar livre

20 NOV //

08:00
Café da manhã

09:00
Saída do hotel

10:00
VISITA A ATELIÊ

12:00
Almoço

13:00
THE DRAWING CENTER

_Richard Poussette-Dart: 1930s
_Rashid Johnson: Anxious Men
_Open Sessions 5

16:00
WALTER DE MARIA
Broken Kilometer / The New York Earth Room

21:00
Jantar livre

21 NOV //

08:00
Café da manhã

09:00
Saída do hotel

10:00
GUGGENHEIM
_na coleção
Marina Abramovic, Vito Acconci, Ai Weiwei, Francis Alÿs, Carl Andre, Janine Antoni, Francis Bacon, Mathew Barney, Georg Baselitz, Bernd and Hilla Becher, Joseph Beuys, Louise Bourgeois, Constantin Brancusi, George Braque, Alexander Calder, Sophie Calle, James Casebere, Paul Cézanne, Chuck Close, Walter De Maria, Willem de Kooning, Tacita Dean, entre outros.

12:00
Almoço

13:30
GUGGENHEIM
_ Alberto Burri: The Trauma of Painting
_ Photo-Poetics: An Anthology
_ A Long-Awaited Tribute: Frank Lloyde Wright’s Usonian House and Pavilion
_ Kandisky Gallery

16:00
INTERVALO

18:00
WHITNEY MUSEUM

_Frank Stella

21:00
Jantar livre

22 NOV //

08:00
Café da manhã

09:00
Saída do hotel

10:00
DIA BEACON

_na coleção
Joseph Beuys, Dan Flavin, Michael Heizer, Robert Irwin, On Kawara, Bernd and Hilla Becher, Donald Judd, Agnes Martin, Gerhard Richter, Sol LeWitt, Bruce Nauman, Lawrence Weiner, Richard Serra, Robert Smithson, Robert Ryman, entre outros.

12:00
Almoço

13:00
DIA BEACON
_ Excursus: Homage to the Square3

21:00
Jantar livre

23 NOV //

08:00
Café da manhã

09:00
Saída do hotel

10:00
MOMA

_na coleção
Alberto Giacometti, Aleksandr Rodchenko, Alfredo Jaar, Anselm Kiefer, Barnett Newman, Bruce Nauman, Donald Judd, Frank Stella, Gerhard Richter, Henri Matisse, Jackson Pollock, Jake & Dino Chapman, James Turrell, Jasper Johns, Joseph Beuys, Marlene Dumas, Richard Serra, Robert Rauschenberg, Roy Lichtenstein, Sigmar Polke, Sol LeWitt, Willem de Kooning, William Kentridge, entre outros.

12:00
Almoço

13:00
MOMA
_ Transmissions: Art in Eastern Europe and Latin America, 1960-1980
_ Walid Raad
_ Ocean of Images: New Photography 2015
_ Picasso Sculpture
_Joaquín Torres-García: The Arcadian Modern

21:00
Jantar livre

24 NOV //

09:00
Café da manhã

10:00
Dia livre
VOLTA AO BRASIL

PROFESSORES / EQUIPE

Charles Watson: professor da EAV Parque Lage – RJ
Fernando Cocchiarale: curador independente e professor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage – RJ
Jailton Moreira: artista plástico e professor – RS
Moacir dos Anjos: pesquisador e curador da Fundação Joaquim Nabuco – PE / Curador da 29ª Bienal-SP

Posted by Patricia Canetti at 1:05 PM

agosto 23, 2015

MAR na Academia: Seminário Internacional Por uma Estética do Século XXI, Rio de Janeiro

No debate tradicional da modernidade, o pensamento disciplinar sobre a estética se orientava a partir de dois paradigmas principais: ela poderia ser compreendida como teoria da aisthesis (sensibilidade) - noção ampliada e difundida por Alexander Baumgarten - ou como reflexão sobre as artes e a poiesis (produção, criação), em que se pressupõe o juízo sobre o belo e o sublime - sistematizado pela filosofia das artes de Hegel. No contexto da cultura contemporânea, o debate em torno da estética se complexifica, já não podendo mais se limitar às polaridades dos paradigmas da tradição. Diante da proliferação de imagens, da expansão da comunicação e das trocas culturais transnacionais, os desafios do século XXI nos mobilizam a pensar novas categorias estéticas, que possam servir de análise para pensar a experiência contemporânea. De que modo podemos compreender o sensível hoje? Quais desdobramentos e implicações nos levam a considerar a estética no século XXI?

Participantes: Alex Martoni, André Antônio, Angela Prysthon, César Guimarães, Denilson Lopes, Erick Felinto, Gabriela Lírio, Hans Ulrich Gumbrecht, José Sanchez, Julio Bezerra, Nicole Brenez, Rosalind Galt

25, 26 e 27 de agosto de 2015

Museu de Arte do Rio
Praça Mauá 5, Centro, Rio de Janeiro

PROGRAMAÇÃO

25 de agosto (terça-feira)

Às 18h
Abertura
A experiência estética perdeu a sua “autonomia”? Uma dupla reflexão genealógica
Hans Ulrich Gumbrecht (Universidade Stanford)
Mediação: Denilson Lopes (UFRJ)

Existem várias razões para acreditar que a vida cotidiana global no início do século XXI é penetrada por momentos de experiência estética. Em sua acumulação, esses efeitos parecem ter minado o status de "autonomia" ao qual Kant [entre outros filósofos do Iluminismo] estava se referindo com o conceito de "desinteresse" da experiência estética. Esta observação desencadeia uma reflexão genealógica apontando, com a ajuda de duas perguntas diferentes, duas dimensões temporais opostas. Em que condições o fenômeno histórico e a noção de "experiência estética" emergiram na modernidade ocidental? Devemos compreender a dissolução da "autonomia estética" como um sintoma para o desaparecimento iminente de "experiência estética" como um potencial individual e social da existência humana?

A conferência será proferida em português.

26 de agosto (quarta-feira)

Às 15h
Mesa 1 – Atmosfera e Desaparecimento
José Sanchez (Universidade de Castilla La Mancha) – Presença e desaparecimento (A conferência será proferida espanhol.)
Erick Felinto (UERJ) – As Imagens Inconstantes: sobre as Ambiências no Cinema
Mediação: Alex Martoni (UFF)

Às 18h
Mesa 2 – Sensível
Nicole Brenez (Universidade de Paris III – Panthéon-Sorbonne) – O conceito de arte à luz do documentário (A conferência será proferida em francês.)
César Guimarães (UFMG) – A estética por vir
Mediação: Julio Bezerra (UFRJ)

27 de agosto (quinta-feira)

Às 15h
Mesa 3 – Artifício
Angela Prysthon (UFPE) – Furiosas frivolidades: artifício, heterotopias e temporalidades estranhas no cinema brasileiro contemporâneo
Denilson Lopes (UFRJ) – Afetos e Artifício na América Latina
Mediação: André Antônio (UFRJ)

Às 18h
Encerramento
Rosalind Galt (King’s College/Universidade de Londres) – Artifício, estilo e frivolidades na estética do cinema contemporâneo (A conferência será proferida em inglês.)
Mediação: Gabriela Lírio (UFRJ)

OUTRAS INFORMAÇÕES

Haverá tradução simultânea para todas as conferências.

O seminário é gratuito e sem inscrições prévias. Sujeito a lotação do auditório (100 vagas). Haverá 25 vagas destinadas a palestrantes, mediadores e outros convidados. Caso essas não sejam ocupadas, serão liberadas dez minutos antes de cada sessão começar.

Certificado será emitido para 75% de participação.

O seminário é uma parceria do MAR, por meio do Programa MAR na Academia, com docentes e discentes da ECO-UFRJ: Denilson Lopes, Gabriela Lírio, Júlio Bezerra, Camila Vieira e Lucas Murari.

Apoio
CAPES
Cinemateca do MAM
Consulado da Espanha
Consulado da França
FAPERJ

Posted by Patricia Canetti at 8:28 PM

Seminário Álbum de família no Hélio Oiticica, Rio de Janeiro

A partir dos temas presentes nas obras da exposição Álbum de Família, a curadora Daniella Géo organizou um seminário com dezoito profissionais de diversas áreas que discutirão ao longo de três dias, em painéis e mesas-redondas, este universo sob vários pontos de vista. Serão debatidos desde a condição de moradores de rua; envelhecimento e perda de memória; situações de violência, tanto domiciliar como externa, e o impacto que causam; diásporas e identidade cultural; às questões de rearranjos de gênero na contemporaneidade, a sexualidade e as paternidades.

Participantes: Ana Paula Conde, Bárbara Copque, Daniel Groisman, Daniella Géo, Dayse Miranda, Débora Seger, Dias & Riedweg, Eder Fernandes, Eduardo Souza Lima, Guilherme Gutman, Izabela Pucu, Jeanne Lima, Leila Linhares Barsted, Marcelo Campos, Marcos Nascimento, Nathan Gomes, Ricardo Basbaum, Teresa Bastos

25, 26 e 27 de agosto de 2015

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
Rua Luís de Camões, 68, Centro, Rio de Janeiro
21-2232-4213 ou 2241-1012

PROGRAMAÇÃO

25 de agosto de 2015, terça-feira | Família, conceitos e novos papéis

14h – Daniella Géo – Introdução

14h15 – Izabela Pucu – Circulando e fazendo circular
Diretora e curadora do Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
Uma reflexão sobre o trabalho realizados pela equipe do Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, junto ao Projeto Circulando, projeto da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, com objetivo de vincular os equipamentos culturais da cidade no processo de reinserção social dos clientes dos abrigos municipais. Tomaremos como ponto de partida o laboratório para troca de experiência e invenção de novas metodologias desenvolvido junto com a equipe multidisciplinar da Unidade de Acolhimento Raúl Seixas. A partir dessa experiência, discutiremos as práticas artística como possibilidade de atuação no processo de reconstrução dos vínculos afetivos e familiares dessas pessoas, e as maneiras pelas quais esse tipo de ação nos coloca diante de outro sentido para aquilo que entendemos como arte.

14h45 – Bárbara Copque – Família é bom pra passar o final de semana
Antropóloga, professora doutora em Ciências Sociais
O envolvimento e o entusiasmo de meninos em situação de rua na produção e interpretação das imagens permitiu-nos desvendar a forma como se constroem como sujeitos no espaço da rua e suas relações familiares.

15h15 – Jeanne Lima – A potencialidade do profissional de Saúde para mediar conflitos intra familiares
Doutora em Ciências na área de Violência e Saúde, assistente social da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e professora de Serviço Social da Universidade Cândido Mendes.
Introdução sobre a atuação dos profissionais de saúde na atenção primária diante das diferentes configurações familiares, e quando deparam com situações de conflito e/ou violência intrafamiliar. Finalizo refletindo sobre as atitudes, ações/práticas, condições e obstáculos segundo a ótica de profissionais atuantes nesse processo.

16h – Marcos Nascimento – Homens, Sexualidades e Paternidades: rearranjos de gênero na contemporaneidade?
Psicólogo, doutor em Saúde Coletiva, pesquisador do Instituto Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz
Partindo dos debates contemporâneos sobre gênero e masculinidades, propomos uma reflexão sobre o tema da paternidade. Em que medida discutimos as diferentes formas de expressão da sexualidade e da masculinidade quando falamos sobre paternidade? De que forma os rearranjos de gênero e da sexualidade têm influenciado as discussões sobre paternidade? Estas são algumas das perguntas que pretendemos levantar durante a nossa apresentação.

16h30 – Eder Fernandes – O Direito e a Família: mecanismos de controle e descontrole e os pânicos morais
Professor da Faculdade de Direito e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito da Universidade Federal Fluminense
Entendendo o Direito como meio linguístico de operacionalização da vivência política da sociedade, parte-se da pressuposição de que os instrumentos normativos controlam sentidos e possibilidades de entendimento do conceito de família, bem como operam mecanismos de controle da moralidade dominante por meio de argumentos de defesa de um sentido normalizado de família, segundo padrões dados pelos sistemas religiosos, econômicos, políticos e sociais.

17h – Mesa-redonda com os palestrantes, e mediação de Eduardo Souza Lima

26 de agosto de 2015, quarta-feira | Parte 1: Família, envelhecimento e memória

15h30 - Daniel Groisman - Envelhecimento, cuidados e transformações na família
Psicólogo, mestre em Saúde Coletiva e doutor em Serviço Social, professor-pesquisador da EPSJV-Fiocruz.
Uma breve discussão sobre o 'problema' dos cuidados na sociedade contemporânea, os desafios representados pelo processo de envelhecimento e as transformações na família.

16h - Teresa Bastos - Por parte de mãe: reflexões (auto)biográficas
Professora doutora da Escola de Comunicação da UFRJ
Uma carta de natureza autobiográfica, contendo 317 páginas, escrita por meu avô materno no final de sua vida e algumas fotografias de família são o ponto de partida para se refletir sobre memória, imagem e arquivo no contexto das escritas de si. Esse texto epistolar e os retratos são analisados dentro da perspectiva contemporânea dos estudos biográficos legitimadora dos discursos situados à margem dos cânones literários.

16h30 – Mesa-redonda com os palestrantes, e mediação de Eduardo Souza Lima

Parte 2: Família e violência

17h30 - Leila Linhares Barsted - Família e Violência
Coordenadora Executiva da CEPIA
A proposta dessa apresentação é permitir uma reflexão sobre a magnitude da violência contra as mulheres no âmbito das relações domésticas e familiares. Esse fenômeno, que aparece nos dados estatísticos disponíveis e no noticiário da grande imprensa, tem merecido atenção do Estado através de politicas públicas e, desde 2006, essa forma de violência é tratada especificamente pela Lei Maria da Penha, voltada para prevenir e coibir a violência doméstica contra as mulheres.

18h - Dayse Miranda - Quem são as Vítimas Ocultas na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro?
Socióloga e pesquisadora do Laboratório de Análise da Violência (LAV/UERJ)
A palestra “Quem são as Vítimas Ocultas na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro” propõe apresentar as vítimas secundárias da violência na Polícia Militar do Rio de Janeiro. Um estudo recente (2007) revelou que pessoas que perderam familiares e amigos por suicídio, acidentes e homicídios, na cidade do Rio de Janeiro, sofrem muito e sozinhas.
E na Polícia Militar Carioca? Quem são os parentes e amigos de policiais mortos de forma violenta? Em números, quantos são? O que eles pensam? O que fazem para superar as suas dores? Não sabemos quem são e, muito menos, como reagem e sentem a perda de seus entes queridos.
Sem essas informações, nada podemos sugerir e, por isso, pouco pode ser feito ou cobrado aos nossos governantes. A reflexão proposta pela professora e pesquisadora Dayse Miranda visa mostrar a gravidade desse problema.

18h30h - Bárbara Copque - Inscrições corporais da violência
Antropóloga, professora doutora em Ciências Sociais
O presente estudo se concentra, fotograficamente, no ato de exame de corpo de delito, que diante da denúncia de violência doméstica - aqui compreendida como uma reação e uma recusa à condição de passividade -, os sujeitos vivenciam a condição de vítimas e protagonistas.

19h – Mesa-redonda com os palestrantes, e mediação de Eduardo Souza Lima

27 de agosto de 2015, quarta-feira | Família, deslocamentos e identidade cultural

14h15 - Ana Paula Conde - Diásporas: famílias expandidas ou outra forma de dizer nós
Professora de teoria política da PUC-Rio
O conceito de família se transforma no contexto daqueles que se sentem como parte de uma diáspora. O que une as pessoas são os laços formados a partir do pertencimento, reforçado no exterior, a uma cultura, a uma mesma língua e a festas comuns. Relações marcadas ainda por um ideal de retorno, real ou imaginário, a um outro espaço físico. Além do conforto espiritual, esses laços fortalecem o grupo, em geral marcado por estigmas, tornando-o mais visível e, quem sabe, o fortalecendo politicamente.

14h45 - Marcelo Campos - Fora do lugar: agregações e desagregações identitárias
Professor adjunto do Departamento de Teoria e História da arte, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Artes da UERJ.
O lugar identitário e as relações familiares não se configuram em sintonia naturalizada. O álbum de família servira, também, para marcar tradições coloniais impositivas, poderes autoritários. Em muitos exemplos, retratados necessitaram estabelecer relações extemporâneas.

15h15 - Dias & Riedweg - Família como decorrência entre pertencimento e exclusão
Artistas
A partir da exibição de seu vídeo "Água de chuva no mar" © 2012, ainda inédito no Rio de Janeiro, Dias & Riedweg propõem uma leitura do conceito de Família, como a criação e continuação de um encontro, não necessariamente por efeitos biológicos, mas como uma consequência direta derivada dos processos de pertencimento e exclusão que podemos, todos, criar no convívio cotidiano. Vídeo 18 minutos e fala de 7 minutos.

16h - Guilherme Gutman - Viver Junto
Psicanalista, professor da PUC-Rio, curador independente e crítico de arte.
A proposta é a de investigarmos e discutirmos juntos (com o auxílio luxuoso de Platão, Freud e Barthes) os amores e as condições e modalidades de um "viver junto" - não necessariamente numa conjugalidade mais convencional, mas tanto em experimentos afetivos quanto no viver junto em uma mesma família, em uma mesma cidade, em uma mesma comunidade, em uma mesma instituição, espaço e tempo.

16h30 - Conversa-coletiva (além do famliar)
Ricardo Basbaum - Artista
Débora Seger - Psicóloga, estudante de História da Arte
Nathan Gomes - Estudante de História da Arte
As conversas-coletivas como método de trabalho para o desenvolvimento de peças sonoras e orquestração de vozes: o caso Álbum de Família – movendo-se para além da família e do familiar.

17h – Mesa-redonda com os palestrantes, e mediação de Eduardo Souza Lima

Posted by Patricia Canetti at 2:39 PM