Página inicial

Cursos e Seminários

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
Cursos e Seminários:
Arquivos:
As últimas:
 

novembro 30, 2009

Circuito Vivo arte.mov, Porto Alegre

Participantes: Bruno Vianna e Marcus Bastos

Dando continuidade ao Vivo arte.mov, realizado em Belo Horizonte, entre 11 e 15 de novembro, o Circuito Vivo arte.mov compreende uma série de iniciativas descentralizadas em diversas capitais brasileiras que tem como objetivo difundir as novas perspectivas da produção audiovisual contemporânea e discutir as novas tendências das artes em mídias móveis

11 a 13 de dezembro de 2009

Inscrições para o workshop:
Alecrim Produções Culturais
51-3024-2789 ou fernanda@alecrimproducoes.com.br

Centro Cultural Usina do Gasômetro
Av. Presidente João Goulart 551, Centro, Porto Alegre - RS
51-3289-8100
Mostras e Palestras: Sala PF Gastal (3º andar)
Workshop: Centro de Capacitação Digital (4º andar)

Sobre o evento

Contando com o apoio da Prefeitura de Porto Alegre e da Procempa, em 2009, entre os dias 11 e 13 de dezembro, o Circuito retorna a Porto Alegre em novo formato composto de mostras audiovisuais, workshop e palestras sobre mídias locativas e realidade aumentada.

Programação:

11/12 – sexta-feira
14:00 - Workshop Invisíveis com Bruno Vianna (Módulo 1)
18:10 - Palestra: "Estilhaços: Linguagens | Fraturas: Geografias" com Marcus Bastos
19:10 - Mostra Competitiva Vivo arte.mov 1

12/12 – sábado
14:00 - Workshop Invisíveis com Bruno Vianna (Módulo 2)
18:10 - Palestra: "Descrenças suspensas, arquiteturas fixas: a cidade como meio para ficções flutuantes" com Bruno Vianna
19:10 - Mostra Competitiva Vivo arte.mov 2

13/12 – domingo
17:00 - Mostra Competitiva Vivo arte.mov 3
17:40 - Mostra Impakt (Holanda)


Posted by Cecília Bedê at 6:32 PM

Projeto Efeito Cinema - Workshop Vídeo e Corpo com Alexandre Veras no MIS, São Paulo

Os temas abordados são: o corpo como motor da obra (do pré-cinema ao primeiro cinema, uma pequena história a partir do corpo); o olhar sobre o movimento (perspectivas técnicas, estéticas e filosóficas na análise do movimento) e a dança, a performance, o corpo e a imagem (do primeiro cinema à videoarte).

Ministrante: Alexandre Veras

8 a 12 de dezembro, terça a sábado, 16-20h

Inscrições pelo site: www.mis-sp.org.br
12 vagas (não há pré-requisito).

Museu da Imagem e do Som - MIS
Av. Europa 158, Jardim Europa, São Paulo - SP
11-2117-4777 ou mis@mis-sp.org.br
www.mis-sp.org.br

Ingresso gratuito para a mostra de vídeo deve ser retirado a partir de 1h antes da exibição.

Sobre o evento

Projeto Efeito Cinema

Em sua última edição, o Projeto Efeito Cinema do MIS oferece workshop e mostra de vídeo cearense contemporâneo

O evento gratuito, que integra o projeto Efeito Cinema, exibe cinco vídeos de artistas contemporâneos do Ceará, além de trazer o artista, curador e pesquisador Alexandre Veras para ministrar workshop enfocando a relação entre vídeo e corpo

O workshop Vídeo e Corpo, ministrado pelo cearense Alexandre Veras, acontece de 08 a 12 de dezembro, das 16h às 20h, no MIS. Os temas abordados são: o corpo como motor da obra (do pré-cinema ao primeiro cinema, uma pequena história a partir do corpo); o olhar sobre o movimento (perspectivas técnicas, estéticas e filosóficas na análise do movimento) e a dança, a performance, o corpo e a imagem (do primeiro cinema à videoarte).

No último dia do workshop – 12 de dezembro, às 20h – serão exibidos cinco vídeos que trazem uma amostra da produção de vídeo contemporâneo do Ceará, em trabalhos que dialogam com a temática Vídeo e Corpo. Em Vertigem, de Milena Travassos (2007, 4 minutos), a auto-representação como performance é enfocada num vídeo que mostra o balanço de uma mulher sobre um poço, em movimentos repetitivos e vertiginosos; Acima do nível do mar, de Waléria Américo (2007, 13’), mostra a construção de um muro/mirante em busca de um horizonte particular; de Alexandre Veras, será exibido Aquário (2003, 7’), que mostra variações de um corpo entre água e luz; Espuma e Osso, de Guto Parente e Ticiano Monteiro (2007, 20’), tem como mote a solidão de um personagem que vagueia pela casa vigiado por grilos e baratas, explicitando a crueza da vida; O mundo bate do outro lado da minha porta (2006, 11’), de Ticiano Monteiro, trata-se de uma performance para vídeo que mostra uma situação absurda e onírica de um homem habitando um quarto situado no meio das águas de um rio.

Sobre Alexandre Veras
Diretor da Alpendre – Casa de Arte, Pesquisa e Produção, onde coordena o Núcleo de Vídeo, os projetos de formação e é corresponsável pela curadoria do núcleo de Artes Plásticas. Trabalha com vídeo desde 1989 e desde 2000 desenvolve trabalhos em videodança, dentre eles: AnaRosaLinda, O tempo da delicadeza, Aquário, Clautros, San Pedro, Partida, Marahope 14/07 e O Regresso de Ulisses. Também realiza trabalhos documentais: As Vilas Volantes - o verbo contra o vento, Máscara ou Pertença e Cidade Anônima. É diretor artístico e curador do encontro Terceira Margem (que trabalha a relação corpo/imagem), realizado pela Bienal Internacional de Dança do Ceará, além de professor da Escola Audiovisual de Fortaleza/CE.

Sobre o Efeito Cinema
Trata-se de uma série gratuita de programas mensais compostos por workshops, palestras, debates e mostras audiovisuais que contemplam a produção de videoarte e de filmes de artista, a produção experimental do cinema de animação e o cinema de arquivo contemporâneo. O projeto tem curadoria de Kátia Maciel e André Parente e pretende apresentar e discutir uma outra história do cinema, geralmente marginal àquela do modelo narrativo, representativo e industrial, na qual o cinema de invenção e de experimentação de outras formas cinematográficas é o personagem principal e para a qual a contribuição dos artistas é fundamental.

Vídeos exibidos e sinopses:

Vertigem, de Milena Travassos (2007, 4’)
Sinopse: originalmente integrante de uma videoinstalação, trabalha com a auto-representação como performance. O balançar de uma mulher sobre um poço, um flutuar, uma vertigem, em movimentos repetitivos que acabam desembocando na questão da variação.

Acima do nível do mar, de Waléria Américo (2007, 13’)
Sinopse: uma ação para vídeo realizada próximo ao mar, onde, a partir da sobreposição de tijolos, um muro – “lugar mirante” - é construído na busca de um horizonte próximo e particular.

Aquário, de Alexandre Veras (2003, 7’)
Sinopse: variações de um corpo entre água e luz.

Espuma e Osso, de Guto Parente e Ticiano Monteiro (2007, 20’)
Sinopse: A TV, o banheiro, a janela, a cozinha, a luz e a sombra. Um personagem que vagueia pela casa em movimentos rotineiros. O incomum encontrado sob a vigilância de grilos e baratas. A vida diante da crueza que ela representa, esse nosso intrigante calvário de impossibilidades.

O mundo bate do outro lado da minha porta, de Ticiano Monteiro (2006, 11’)
Sinopse: uma performance para vídeo que mostra uma situação absurda e onírica de um homem habitando um quarto situado no meio das águas de um rio

Posted by Cecília Bedê at 5:24 PM

Dynamic Encounters Vídeos com Charles Watson na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro

O curso tem como base a exibição de vídeos sobre a obra, vida e processo criativo de artistas e cientistas de notável contribuição para o pensamento humano. Estes filmes mostram a surpreendente semelhança entre os processos de conceitualização utilizados por criadores em diferentes disciplinas.

12 de janeiro a 2 de fevereiro de 2010, terças-feiras, 19h30-22h30

Inscrições pelo telefone: 21-3257-1823

Escola de Artes Visuais do Parque Lage RJ
21-2553-3748 / 9224
contato:wats352@attglobal.net

Sobre o curso

A mostra abrange o período a partir do início do século XX até nossos dias, enfatizando a contemporaneidade e a extensa diversidade de atitudes que a caracteriza. Para isto, contamos com uma coleção de mais de quatrocentos vídeos, em que personagens diversos, ligados à história da arte e da ciência, são entrevistados abordando temas como: pintura, escultura, instalação, animação, performance, além de física quântica, cosmologia, inteligência artificial e sistemas não lineares.

Alguns desses personagens são: Araki, Lucian Freud, Richard Serra, Dan Graham, Sam Taylor Wood, Sean Scully, Cristian Boltanski, John Baldessari, Cildo Meirelles, Mona Hatoum, Rebecca Horn, Robert Irwin, Pablo Picasso, Marina Abramovitch, James Turrel, Kiki Smith, Janine Antoni, Louise Bourgeois, Mark Rothko, Matisse, Barnett Newman, Robert Smithson, e, na área de ciência, Richard Feynman, Stephen Hawking, Paul Davies, Roger Penrose, David Bohm, Ilya Prigogine, Fritjoff Capra, entre outros.

Os vídeos serão exibidos com tradução simultânea e, após cada sessão, haverá discussão sobre o tema abordado.

Posted by Cecília Bedê at 5:03 PM

novembro 26, 2009

Seminário Nacional “Formação e Estatuto do Artista” na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro

Formação e Estatuto do Artista é o título do seminário nacional, organizado pela a curadora e crítica de arte, Glória Ferreira, que irá acontecer de 1º a 03 de dezembro, às 19h, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O encontro reflexivo reúne artistas de várias gerações, críticos e historiadores da arte, e se inscreve no atual contexto de mudança nas diretrizes da Escola de Artes Visuais do Parque Lage.


Escola de Artes Visuais do Parque Lage - Salão Nobre
Rua Jardim Botânico 414, Jardim Botânico
21-2538-1879 ou eav@eavparquelage.org.br
www.eavparquelage.org.br


1 de dezembro, terça- feira, 19-22h
2 e 3 dezembro, quarta e quinta-feira, 16-22h


Dependente das transformações de linguagens e da natureza da própria arte em sua relação com o mundo, não há, sabemos, modelos a priori para a formação de artistas. Possibilitar o cruzamento entre diferentes planos de conhecimentos, envolvendo a crítica da produção artística, o domínio e avaliação da história da arte e de suas narrativas, da teoria e condições socioculturais de inscrição da arte e do artista, revela-se, hoje, condição essencial da função social de uma escola de arte como centro de transmissão.

Apesar da relativa ampliação do sistema de arte brasileiro, dos cursos e de algumas bolsas de produção, a inacessibilidade a obras que compõem a história da arte e a acervos públicos capazes de apresentar, com coerência, trajetórias artísticas e períodos históricos da arte produzida no Brasil, alija os artistas não só do contato direto com essas experiências, como da possibilidade de um enfrentamento de outra ordem com a tradição da arte. Nesse contexto, acirra-se a necessidade da permanente atenção crítica aos sentidos e fins da arte, a sua articulação ao mundo e à realidade das coisas, enfim, à incorporação crítica da arte em um processo cultural abrangente.

Universo de questões que o atual seminário visa fomentar e partilhar, pela construção de um olhar estratégico não apenas sobre o papel das escolas de arte, como também acerca da inserção do artista na sociedade.


Programação


1º de dezembro (terça),19-22h


19h - Palestras

Paulo Sergio Duarte - RJ

Carmela Gross - SP

Mediação: Glória Ferreira

21h - Debate com o público

02 de dezembro (quarta), 16-22h
Temáticas

16h - Mesa redonda

Elaine Tedesco - RS

Malu Fatorelli - RJ

Milton Machado - RJ

Mediação: Claudia Saldanha - RJ

18h - Debate com o público

19h - Intervalo

19h30 - Palestra

Carlos Fajardo - SP

Mediação: Glória Ferreira

21h - Debate com o público


03 de dezembro – Temáticas – 16h às 22h


16h - Mesa redonda

Cristiana Tejo - PE

Fernando Cocchiarale - RJ

Matheus Rocha Pitta - RJ

Mediação: Izabela Pucu – RJ

17h30 - Debate com o público

18h30 - Intervalo

19h - Entrevista aberta com Carlos Zilio

Entrevistadores

Catherine Bompuis - RJ

Livia Flores - RJ

Ernesto Neto - RJ

21h - Debate com o público


Sobre a organizadora

Glória Ferreira

Crítica de arte e curadora. Doutora em História da Arte pela Sorbonne. Professora da EBA/UFRJ (1996-2007). Entre suas curadorias destacam-se “Arte como questão” (Tomie Ohtake, 2007), “Hélio Oiticica e a cena americana” (CAHO, 1998). Publicou inúmeros artigos em revistas e catálogos, organizou, entre outros, a coletânea Crítica de Arte no Brasil-Temáticas Contemporâneas (Funarte, 2006), foi co-organizadora de Clement Greenberg e o debate crítico (Jorge Zahar, 1997) e Escritos de artistas anos 60/70 (Jorge Zahar,2006). Co-editora da revista Arte & Ensai os (1997-2006).


Sobre os participantes

Carlos Fajardo

Artista. Em 1966, participou da criação do Grupo Rex. Foi co-editor, com Wesley Duke Lee, do jornal Rex Time. Em 1970, com Baravelli, Frederico Nasser e José Resende, fundou a Escola Brasil. Desde 1996, leciona no departamento de artes plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP. Em 2003, realizou a exposição retrospectiva Poética da Distância, que passou por várias cidades brasileiras, curada por Sonia Salzstein. Participou de diversas edições da Bienal Internacional de São Paulo, duas edições da Bienal de Veneza, em 1978 e 1993, entre outras.


Carlos Zilio

Artista e pesquisador. Doutor em Artes pela Universidade de Paris VIII.
Editor das revistas Malasartes (1975) e Gávea (1984-1996). Professor do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da EBA/UFRJ, onde criou a linha de pesquisa em Linguagens Visuais, o curso de especialização em Hi stória da Arte e História da Arquitetura no Brasil, e também no mestrado em História Social da Cultura, do Departamento de História da PUC/RJ. Publicou diversos artigos em revistas especializadas e o livro A Querela do Brasil: a questão de identidade na arte brasileira (1982).


Carmela Gross

Artista e professora. Leciona na Faculdade de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da USP. A partir da década de 1980, sua obra desenvolve-se entre a pintura e o desenho, e entre a pintura e o objeto. Obtém a Bolsa Vitae de Artes Plásticas, São Paulo, em 1991. Em 1994 recebe bolsa para pesquisar no European Ceramics Work Centre, na Holanda. A partir do fim da década de 1990, realiza os trabalhos Comedor de Luz (1999) e O Fotógrafo (2001), utilizando lâmpadas fluorescentes, fios e estruturas metálicas.


Catherine Bompuis

Historiadora da arte e curadora independente. Desempenhou diferentes funções no Ministério da Cultura da França, entre as quais a direção do Frac Champagne-Ardenne. Entre suas curadorias, em Paris, Barcelona, Porto e outras cidades, destacam-se as exposições de Klaus Rinke (1986), de Raymond Hains (1990) e, em São Paulo, a de Claudio Paiva (2002). Com colaborações para as edições do Centre Georges Pompidou e diversas outras publicações, vem traduzindo textos de críticos brasileiros como os de Mário Pedrosa e de Ferreira Gullar para a revista Luna Park.


Cristiana Tejo

Crítica de arte e curadora. Coordenadora e curadora de Artes Plásticas da Fundação Joaquim Nabuco, desde 2002. Possui especialização em Filosofia da Ciência (2000) e mestrado em Comunicação (2005), ambos pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora de História da Arte e Jornalismo Cultural da Faculdade Ensino Superior de Olinda. Publicou diversos artigos em revistas especializadas, e o livro Paulo Bruscky: Arte em todos os Sentidos.


Elaine Tedesco

Artista e professora. Doutora em Poéticas Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Destaca-se de suas exposições recentes a individual “Montagem S-3” (Galeria Leme, São Paulo, 2008), a coletiva “Lugares desdobrados”, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, 2008; sua participação na 52ª Bienal de Veneza, 2007 e na Bienal de Artes Visuais do Mercosul (Porto Alegre,1999 e 2005). Publicou o livro Sobreposições Imprecisas, Documento Areal 4 (Ed. Escrituras, 2003).

Ernesto Neto

Artista. Estudou na EAV-Parque Lage e no MAM-RJ. Realizou diversas exposições entre as quais se destacam as individuais na Tanya Bonakdar Gallery (Nova York, 2008) e no Macro Museo d’arte Contemporanea (Roma, 2008), e as coletivas “Life? Biomorphic Forms in Sculpture” (Kunsthauss Graz, Austria, 2008) e “When Lives Become From” (Mot, Museum of Modern Art, Tokyo, 2008). É consultor da Associação de Amigos da EAV-Parque Lage (AMEAV).


Fernando Cocchiarale

Crítico de arte e curador. Graduado em Filosofia pela PUC-Rio, onde atuou também como professor da graduação e pós-graduação em História da Arte e da Arquitetura no Brasil. Publicou diversos artigos e livros, entre os quais Abstracionismo geométrico e informal (Funarte, 1987), com Anna Bella Geiger. Foi curador do MAM-RJ (2000-2008) e do “Programa Rumos Itaú Cultural Artes Visuais” (1999-2003), entre outros.


Livia Flores

Artista e pesquisadora. Doutora em Artes Visuais pela EBA/UFRJ (2007). Professora adjunta da Escola de Comunicação ECO/UFRJ e do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da EBA/UFRJ. Realizou diversas exposições, entre as quais se destacam individuais na Galeria Progetti (2008) e no Centre d´Art Santa Mònica (2004), a participação na 26ª Bienal de São Paulo e no Prêmio Sergio Motta (2003).


Malu Fatorelli

Artista. Doutora em Linguagens Visuais pela EBA/UFRJ. Professora adjunta do Instituto de Artes e do programa de pós-graduação em Artes da UERJ. Esteve como artista visitante na Universidade de Oxford (Inglaterra) e no Headland Center for the Arts (Califórnia, EUA), entre outras instituições. Realizou exposições no Brasil e em países como França, Inglaterra, Itália, Cuba e China.


Matheus Rocha Pitta

Artista. Graduado em História pela UFF e em Filosofia pela UERJ. Em 2003, foi bolsista do Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte. Em 2007 ganhou a Bolsa Iberê Camargo, uma residência na Universidade do Texas, Austin, EUA. No mesmo ano ganhou o prêmio aquisição do 14º Salão da Bahia. Entre as principais exposições individuais destacam-se “DRIVE IN” (Novembro Arte Contemporânea, 2006) e “Jazida” (Galeria Millan, 2007).


Milton Machado

Artista e professor. Professor do Centro de Arquitetura e Artes da Universidade Santa Úrsula, entre 1979 e 1994, e da Escola de Artes Visuais do Parque Lage de 1983 a 1994. Obtém título de mestre em planejamento urbano e regional pela UFRJ em 1985. Doutor em artes visuais no Goldsmiths College University of London, 2000. Desde 2002, é professor de História e Teoria da Arte na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro.


Paulo Sergio Duarte

Historiador e crítico da arte. Professor do Centro de Estudos Sociais Aplicados / Cesap da Universidade Candido Mendes. Foi Assessor-Chefe do RIOARTE (1983-85) e primeiro diretor geral do Paço Imperial/Iphan, de 1986 a 1990, sendo responsável pela sua implantação como centro cultural. Publicou diversos livros, entre os quais se destacam Arte Brasileira Contemporânea: um prelúdio (Instituto Plajap / Silvia Roesler, 2009), Anos 60 – Transformações da Arte no Brasil (Campos Gerais, 19980), Waltercio Caldas (Cosac & Naify, 2001) e Carlos Vergara (Instituto Santander Cultural, 2003).





Posted by Marília Sales at 6:46 PM

Projeto “Entreouvidos no Parque: sobre rádio e plásticas sonoras” na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro

Curadoria de Lilian Zarembba
Participantes: Franz Manata, Janete el Haouli, Julio de Paula, Marssares, Marco Scarassatti, Rodolfo Caesar, Romano

O projeto “Entreouvidos no Parque” apresenta um recorte da produção de radioarte e artes sonoras no eixo Rio – São Paulo – Paraná, ampliando o acesso às reflexões e realizações dos importantes profissionais que estarão na EAV, por meio de aulas-palestras, oficinas e uma apresentação coletiva.

Escola de Artes Visuais do Parque Lage - Salão Nobre
Rua Jardim Botânico 414, Jardim Botânico
21-2538-1879 ou eav@eavparquelage.org.br
www.eavparquelage.org.br

10 e 11 de dezembro, quinta e sexta, 18-22h


Sendo difícil estabelecer uma data precisa e única para o nascimento do rádio, alguns modelos acabaram por descrever sua gênese repleta de ausências e até alguns equívocos. Condicionados ao modelo do entretenimento, quase nos esquecemos de perceber a diversidade e descontinuidade de sua história. Observado como fenômeno de comunicação cósmica via ondas eletromagnéticas, será possível apontar a presença precoce do rádio em situações aparentemente inusitadas.

R.Murray Shafer, compositor e radioasta canadense, sugere que o rádio existiu muito antes de ser inventado, estando presente nas transmissões religiosas da Antiguidade, quando vozes expressavam ordem diretamente dos Céus. Esta versão sacralizada do rádio bem anterior e diversa ao formato midiático, juntamente com expressões da música e artes plásticas, tem sido alimento para reflexões inovadoras.

Na virada do século 20 para o 21, a radiofonia oferece singular topografia eletromagnética digital, alimentando também a mídia rádio nesta esteira das novas tecnologias para transmissão, gravação e armazenamento de áudio, numa variedade de opções da radiotelefonia: celulares, tocadores de MP3, MP4, computadores, neste panorama “novo”, que agora brilha reacendendo idéias seminais de radiotransmissão. Grande parte delas está sintonizada em trabalhos de arte: plásticas sonoras, arte sonora, radioarte, e equaciona novas possibilidades para esta forma de comunicação centenária.


Programação

10 de dezembro (quinta - feira)

18h - Rodolfo Caesar
“Sussurro (arte eletroacústica)”

19h - Marco Scarassatti
“Plásticas sonoras de Walter Smetak a Sonax”

20h - Debate com o público

21h - Lançamento do livro “Walter Smetak, o alquimista dos sons”, de Marco Scarassatti


11 de dezembro (sexta-feira)

18h - Janete el Haouli
“Paisagem sonora / John Cage e Rádio”

19h - Julio de Paula
“Rádio documentário”

20h - Debate com o público

21h - Apresentação Coletiva

- Performances e trabalhos sonoros realizados pelos alunos da EAV nas oficinas “A máquina ao ar livre”, com Marssares, e “Rádio-lugar”, com Romano.

- “Dj Radiofônico” Intervenção sonora de Franz Manata e Saulo Laudares


Sobre a curadora

Lilian Zaremba

Artista e pesquisadora. Doutora em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000), onde desenvolve também pesquisa de Pós-Doutorado. Participou de diversas exposições entre as quais se destacam, a “7ª Bienal do Mercosul”, e "Arte e música” (Caixa Cultural). Atualmente é Produtora da Rádio MEC FM.


Sobre os participantes

Franz Manata

Artista, curador, professor e produtor. Mestre em Linguagens Visuais pela Escola de Belas Artes da UFRJ (2002). Professor na Escola Guignard UEMG (1997-98) e Professor de Economia no INPE/MG (1991-93). Desde 2004 é professor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Atuou no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro no Departamento de Curadoria (2001-08). Desde então, vem desenvolvendo projetos para diversas instituições. Como artista participou, desde 1994, de exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior.


Janete el Haouli

Professora do Departamento de Música e Teatro e diretora da Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina - UEL. Na Rádio Universidade FM da UEL, da qual foi diretora, produziu durante 14 anos o programa “Música nova - rádio para ouvidos pensantes”. Doutora pela ECA-USP, defendendo tese sobre arte acústica radiofônica, criou e dirigiu o Núcleo de Música Contemporânea (1993 / 2008). Realizou projetos de criação radiofônica para a WDR (Colonia), DeustchandRadio (Berlin), Radio Educación (Mexico), Rádio Cultura FM SP entre outras. É autora do livro Demetrio Stratos – em busca da voz-música (Itália, 1999; Brasil, 2003 e México, 2006).


Julio de Paula

Radiomaker e documentarista. Produtor da Cultura FM de São Paulo, produz “Veredas”, radio-documentários dedicados à cultura popular. Também na Cultura, é produtor do “Supertônica”, programa com Arrigo Barnabé, e do projeto “São Paulo Microkosmos”, em celebração aos 450 anos da metrópole. Atualmente, realiza, também ambientações sonoras para mostras de artes visuais.


Marssares

Artista. Participou de diversas exposições coletivas, entre as quais, a 15ª Bienal de São Paulo e a II Bienal de Liverpool em 2002. Realizou a individual “Tambor” na Galeria A Gentil Carioca. Ganhou prêmios, entre os quais se destaca a Bolsa de Residência na Gasworks, Londres (2004). Criou o programa “Caixa 2” na Rádio Comunitária Madame Satã, Rio de Janeiro (2005), dedicado a saturação de eco e delay na discotecagem de música dub. Como Dj se apresentou em diversos eventos, entre eles, os produzidos pela Rádio WPS1 em Miami, Basel (2006) e na Bienal de Veneza (2007).


Marco Scarassatti

Compositor. Mestre em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas-Unicamp, pesquisou o processo criativo do compositor Walter Smetak. Doutorando pela Faculdade de Educação da Unicamp. Publicou, entre outros, o livro Walter Smetak, o alquimista dos sons, (Editora Perspectiva, 2008). Curador da exposição “Paisagens Plásticas e Sonoras”, que reuniu trabalhos de compositores em torno de novas formas para os instrumentos musicais convencionais (Sesc Pinheiros, 2005) e do I Encontro de Música Improvisada (Unicamp, 2007).


Rodolfo Caesar

Compositor. Em seu doutorado pela University of East Anglia, foi orientado por Denis Smalley. Recebeu prêmios e bolsas de diversas instituições, entre as quais, Fundação Vitae, Arts Council of England/Sonic Arts Network, Arts Council of Great Britain, Groupe de Recherches Musicales, entre outras. Leciona na Escola de Música da UFRJ, onde fundou o Laboratório de Música e Tecnologia, LaMuT (www.sussurro.musica.ufrj.br/).


Romano

Mestre em Linguagens Visuais pela EBA/UFRJ (2004). Selecionado para a 7ª Bienal do Mercosul (2009). Participou de diversas exposições, entre as quais se destacam, em 2008, "Nova Arte Nova" (CCBB), "Arte e música” (Caixa Cultural) e "Trajetórias em Processo" (Galeria Anita Schwartz). Produziu o programa de rádio "O inusitado", na Rádio Madame Satã (2002-2004). Seus projetos de arte sonora já foram transmitidos em rádios como Rádio WKCR, Columbia, NY(2004), Rádio Student, Ljubljana, Eslovênia (2006), Rádio Ressonance FM, Londres (2008), Rádio Mec FM, RJ (2005-07).


Saulo Laudares

Artista, DJ e produtor. Em parceria com Franz Manata e individualmente, realiza trabalhos em diferentes mídias. Participou de diversas exposições, entre as quais se destacam, em 2008, “Prêmio Interferências Urbanas” (Parque do Flamengo, RJ), “Arte & Música” (Caixa Cultural); em 2007, “Vento Sul - Mostra Latino-Americana de Arte Contemporânea” (Curitiba) e “Heartbeat_DJsite - Universidarte XV” (Rio de Janeiro); em 2006, “SoundSystem” (Cavalariças- EAV Parque Lage, Rio de Janeiro); e em 2005, “ll Bienal Internacional de Praga” (República Tcheca) e “Ano do Brasil da França” (Centro de Arte Passerele, Brest, França).

Posted by Marília Sales at 6:14 PM | Comentários (1)

VI Colóquio Rumos Jornalismo Cultural / Convergência das Mídias no Itaú Cultural, São Paulo

Com o subtítulo Convergências, o VI Colóquio Rumos Jornalismo Cultural aborda a emergência de novos sites e coletivos de referência, as implicações da difusão da cultura twitter e a vida dupla dos que trabalham em redações tradicionais e precisam se adaptar nesse ambiente em mutação

Curadoria da jornalista Rachel Bertol

O evento conta com a participação dos seguintes nomes: Adauto Novaes (Artepensamento), Alberto Pucheu (UFRJ), Alcino Leite (Folha de S.Paulo e Trópico), Almir de Freitas (Bravo! e Bravo Online), Alex Primo (UFRGS) Alexandre Inagaki (Pensar Enlouquece, Pense Nisso), Antonio Prada (Portal Terra), Eugenio Bucci (USP), Fábio Malini (UFES), Franklin Leopoldo e Silva (USP), Guillermo González (Revista Número - Colômbia), José Castello (jornalista e escritor), José Eduardo Gonçalves (Rede Minas) José Marcelo Zacchi (Overmundo), Lucia Guimaraes (O Estado de S.Paulo e Rádio Eldorado), Luiz Antonio Giron (Revista Época), Marcia Menezes (G1), Matinas Suzuki (Revista Serrote), Patrícia Canetti (Canal Contemporâneo), Paulo Fehlauer (Coletivo Garapa), Pedro Markun (Jornal de Debates).

3 a 5 dezembro de 2009

Itaú Cultural - Sala Itaú Cultural
Avenida Paulista 149, São Paulo - SP
11-2168-1776/1777
www.itaucultural.org.br
Entrada gratuita, ingressos distribuídos com 30 min de antecedência.
Reservas individuais ou em grupo pelo email itaucultural@comunicacaodirigida.com.br. Mencione o seu nome completo e o nome da sua faculdade. Se não for estudante nem professor apenas mencione a atividade que exerce. Haverá retorno confirmando a reserva.
Lotação: 247 lugares.


Programação

3 de dezembro, quinta-feira

16h - Novas referências, a experiência dos coletivos
Novos sites vem se organizando de forma coletiva, com forte impacto no debate cultural. Criam-se redes informativas, que contribuem para modificar os canais de acesso à cultura.

Com:
- José Marcelo Zacchi, coordenador e fundador do site Overmundo
- Patrícia Canetti, artista visual, criadora e coordenadora do site Canal Contemporâneo
- Paulo Fehlauer, jornalista e fotógrafo, um dos três criadores do coletivo Garapa

Mediação:
- Pedro Markun, diretor do Jornal de Debates, blogueiro e consultor de social media.

18h - Convergência e cultura twitter
Imagens rápidas, textos curtos, ambiente multimídia. Como pensar a mediação cultural nesse contexto, diante das novas tecnologias? Que técnica se impõe? Qual o valor da nova cultura?

Com:
- Antonio Prada, diretor de Mídia do Portal Terra
- Eugenio Bucci, professor da Universidade de São Paulo (USP) e autor de livros sobre jornalismo e mídia
- José Eduardo Gonçalves, jornalista, editor, escritor e presidente da Rede Minas de Televisão

Mediação:
- Claudiney Ferreira, gerente do Núcleo de Diálogos do Itaú Cultural

20h - O tempo da informação
Na web, as informações se difundem em “tempo real”, de forma instantânea e até “viral”. Na chamada sociedade da informação, cria-se uma nova relação com o tempo. Filósofos discutem qual é esse novo tempo da informação.

Com:
- Alberto Pucheu, poeta e professor de teoria literária da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
- Franklin Leopoldo e Silva, professor do Departamento de Filosofia da USP

Mediação:
- Adauto Novaes, jornalista e professor é diretor da Artepensamento, realizadora de ciclos de conferência que resultam em livros de ensaios

4 de dezembro, sexta-feira

16h - Vida dupla: crítica, post e comentário
Hoje não existe mais jornal ou TV ou rádio ou revista sem sua versão para internet. Para os profissionais, é uma vida dupla, na hora de redigir, fotografar ou apurar e editar a matéria. Na área de cultura, quais são as mudanças?

Com:
- Alcino Leite, editor da revista cultural eletrônica Trópico e da seção de moda da Folha de S. Paulo,
- Almir de Freitas, editor sênior da revista cultural Bravo!, e autor do blog bravonline.abril.com.br/blogs/blog_almir.shtml
- Lucia Guimarães, colunista e colaboradora de O Estado de S. Paulo e da Rádio Eldorado

Mediação:
- Rachel Bertol, jornalista formada pela UFRJ; mestre em comunicação e cultura, também pela UFRJ e curadora do VI Colóquio Rumos Jornalismo Cultural

18h -Cultura na prática
Os assuntos que despertam mais interesse e a força dos ambientes interativos. Uma análise das relações entre a cultura na internet – com sites para download de músicas, livros e filmes, por exemplo – e o jornalismo cultural em rede.

Com:
- Alex Primo, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
- Alexandre Inagaki, jornalista, autor do blog Pensar Enlouquece, Pense Nisso
- Marcia Menezes, jornalista, editora do site de jornalismo G1, da globo.com

Mediação:
- Fábio Malini, professor de comunicação da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

20h - Proposta de revista – princípios
Qual a sua revista ideal seja em papel, na TV ou na internet, com a convergência das mídias? Os debatedores apresentam cinco princípios que consideram fundamentais para uma boa revista cultural.

Com:
- Guillermo González, diretor da revista colombiana Número
- Matinas Suzuki, editor da revista Serrote, do Instituto Moreira Salles
- Luiz Antonio Giron, jornalista e escritor. Edita a seção de livros da revista Época

Mediação:
- José Castello, jornalista, escritor e crítico literário, é colunista do suplemento de livros do jornal O Globo

5 de dezembro, sábado

15h - Bate-Papo com o jornalista e escritor Humberto Werneck


Sobre os participantes

Adauto Novaes
É jornalista e professor. Estudou filosofia na frança e dirigiu, por 20 anos, o centro de estudos e pesquisas da fundação nacional de artes (funarte). É diretor da artepensamento, realizadora de ciclos de conferência que resultam em livros de ensaios. O mais recente é a condição humana – as aventuras do homem em tempo de mutações. Vive no rio de janeiro.

Alberto Pucheu
É poeta e professor de teoria literária da universidade federal do rio de janeiro (ufrj). É autor, entre outros, de a fronteira desguarnecida (poesia reunida) e pelo colorido, para além do cinzento. É mestre em filosofia e doutor em letras pela ufrj. Vive no rio de janeiro.

Alcino Leite
É editor da revista cultural eletrônica trópico e da seção de moda da folha de s. Paulo, jornal onde exerceu as funções de editor do mais!, da ilustrada, de domingo e de correspondente em paris. Mineiro de lambari , formou-se jornalismo pela pontifícia universidade católica de minas gerais (puc-mg) e tem mestrado em comunicação e semiótica pela puc-sp. Vive em são paulo.

Alex Primo
É professor da universidade federal do rio grande do sul (ufrgs). Possui mestrado em jornalismo (ball state university) e doutorado em informática na educação (ufrgs), com tese premiada pela sociedade brasileira de estudos interdisciplinares da comunicação (intercom). Autor de interação mediada por computador. Vive em porto alegre.

Alexandre Inagaki
É jornalista, autor do blog pensar enlouquece, pense nisso (www.interney.net/blogs/inagaki/). É colunista da revista pix e do site yahoo! Posts e um dos curadores da área de blogs da campus party brasil. Ministra palestras e consultorias sobre blogs e mídias sociais para empresas e agências de publicidade. Mantém ainda o blog pop cabeça, no portal mtv. Vive em são paulo.

Almir de Freitas
É editor sênior da revista cultural bravo!, em cujo site mantém um blog (http://bravonline.abril.com.br/blogs/blog_almir.shtml). É editor das seções de livros, teatro e dança da revista. Estudou história na universidade de são paulo (usp). Vive em são paulo.

Antonio Prada
É diretor de mídia do portal terra, onde trabalha desde 1998 e é responsável pelo conteúdo no brasil, na américa latina e nos eua. Também é coordenador geral do terra tv, a plataforma de televisão via internet da empresa. Foi diretor de novas mídias e editor-chefe do diário do grande abc e colaborador de revistas como bravo! E república. Vive em são paulo.

Claudiney Ferreira
É jornalista e gestor do núcleo diálogos, do itaú cultural, responsável pelo programa rumos jornalismo cultural desde seu início, em 2004. Vive em são paulo.

Eugenio Bucci
É professor da usp e autor de livros sobre jornalismo e mídia, como em brasília, 19 horas e a imprensa e o dever da liberdade. Foi secretário editorial da editora abril e presidiu a radiobrás de 2003 a 2007. É colunista de o estado de s. Paulo e foi crítico de tv e cultura na folha de s. Paulo e na veja, entre outros veículos. Vive em são paulo.

Fabio Malini
É professor de comunicação da universidade federal do espírito santo (ufes) e pesquisador-associado do laboratório de estudos sobre território e comunicação e do ciberidea, ambos da ufrj. Membro da equipe do revista acadêmica lugar comum e do comitê editorial da revista global. Mantém o blog http://fabiomalini.wordpress.com. Vive em vitória.

Franklin Leopoldo e Silva
É professor do departamento de filosofia da usp. Publicou os livros descartes, metafísica da modernidade e bergson: intuição e discurso filosófico. Sua linha de pesquisa é a história da filosofia contemporânea. Tem ensaios editados em diferentes coletâneas. Vive em são paulo.

Guillermo González
É diretor da revista colombiana número desde sua criação, em 1993. Nos anos 80, editou a revista dominical do jornal el espectador. Ganhou diversos prêmios, como o planeta de jornalismo, por sua trajetória e pelo livro los niños de la guerra, e o media 2001, do latin american studies (eua), além de medalha de crítica cultural no festival internacional de arte de cali. É agente literário de william ospina. Vive em bogotá.

Humberto Werneck
É jornalista e escritor. Mineiro de belo horizonte, trabalhou em veja, istoé, playboy e jornal do brasil. Publicou o desatino da rapaziada (1992) e o song book chico buarque letra e música (1989) — este último revisto, ampliado e relançado em 2006 com o título tantas palavras. É autor, também, de santo sujo – a vida de jayme ovalle, e o pai dos burros – dicionário de lugares comuns e frases feitas, entre outros. Vive em são paulo.

José Castello
É jornalista, escritor e crítico literário. É colunista do suplemento de livros do jornal o globo e autor, entre outros, de inventário das sombras, vinicius de moraes – o poeta da paixão e joão cabral de melo neto – o homem sem alma & diário de tudo. Nasceu no rio de janeiro e atualmente vive em curitiba.

José Eduardo Gonçalves
É jornalista, editor, escritor e presidente da rede minas de televisão. Graduado pela puc-mg foi presidente da rádio inconfidência e da associaçãao brasileira de comunicação empresarial (aberje) e trabalhou no jornal o globo. Publicou os livros cartas do paraíso, vertigem e a cidade das memórias flutuantes e desenvolve projetos editoriais como as coleções bh. A cidade de cada um e perfis bh.
Vive em nova lima (mg).

José Marcelo Zacchi
É coordenador d o site overmundo, que ajudou a fundar. Baiano de ilhéus, estudou direito na usp. Fundou o fórum brasileiro de segurança pública e o instituto sou da paz. Participou do projeto modelos de negócios abertos, américa latina, da fundação getúlio vargas (fgv/rj) e fez curadoria do centro cultural waly salomão, do grupo afroreggae. Vive no rio de janeiro.

Lucia Guimarães
É colunista e colaboradora de o estado de s. Paulo e da rádio eldorado. Manteve o site www.luciaguimaraes.com até o primeiro semestre deste ano. Trabalhou para rede globo, tv cultura, globosat e participa, com reportagens, do saia justa, do gnt. Vive em nova york desde 1985.

Luís Antonio Giron
É jornalista e escritor. Edita a seção de livros da revista época. É autor, entre outros, da coletânea de contos até nunca mais por enquanto e organizador da antologia minoridade crítica, com textos de autores clássicos, como machado de assis. Na usp, fez doutorado em artes cênicas e mestrado em musicologia. Vive em são paulo.

Marcia Menezes
É jornalista, editora do site de jornalismo g1, da globo.com. Já foi editora do jornal nacional, da rede globo. Estudou jornalismo na puc-rj e vive no rio de janeiro.

Matinas Suzuki Júnior
É editor da revista serrote, do instituto moreira salles. Foi editor-executivo e membro do conselho editorial da folha de s. Paulo e diretor editorial-adjunto na editora abril. Apresentou o programa roda viva, da tv cultura, e presidiu o portal ig. Dirige a coleção jornalismo literário, da companhia das letras. Vive em são paulo.

Patricia Canetti
É artista visual, criadora e coordenadora do site canal contemporâneo, referência no debate e nas informações sobre arte contemporânea no brasil. Suas pesquisas atuais enfocam a netarte. Estudou fotografia no museu de arte moderna (mam-rj) em 1976 e em londres, na polytechnic of central london. Nasceu em 1960 no rio de janeiro e atualmente vive em são paulo.

Paulo Fehlauer
É jornalista e fotógrafo, um dos três criadores do coletivo garapa. Foi fotojornalista na folha de s. Paulo e morou dois anos em nova york, quando trabalhou no international center of photography. No garapa, realiza produção e pesquisa em narrativas multimídia. Nasceu em marechal cândido rondon (pr) e atualmente vive em são paulo.

Pedro Markun
É diretor do jornal de debates, blogueiro e consultor de social media. Dirige, na casa de cultura digital, as empresas esfera, focada em processos de comunicação, política e novas tecnologias, e nunklaki, que constrói aplicativos e ferramentas colaborativas para a web. Cursou comunicação digital na universidade do vale do rio dos sinos (unisinos, são leopoldo/rs). Nasceu e vive em são paulo.

Rachel Bertol
É jornalista formada pela ufrj, e mestre em comunicação e cultura, também pela ufrj. Trabalhou 15 anos no jornal o globo, dos quais nove no suplemento de livros. Já colaborou para o suplemento literário do jornal le monde. É curadora do vi colóquio rumos jornalismo cultural. Nasceu em porto alegre e vive no rio de janeiro.

Posted by Ana Elisa Carramaschi at 2:52 PM

novembro 19, 2009

No vazio do arquivo - Oficina teórica com Mabe Bethônico, Florianópolis

Módulo do Museu do sabão, trabalho de Mabe Bethonico na exposição do projeto Cinco + Sete na Pace Galeria

Nos dias 7 e 8 de dezembro, o Museu Victor Meirelles realizará "No vazio dos arquivos”, com a artista Mabe Bethônico, última oficina promovida pela Agenda Cultural 2009. A partir de pesquisas e trabalhos da artista em que a voz institucional se confunde com a ficção, a proposta será a construção, a partir do arquivo, de um ensaio multifacetado sobre diferentes momentos do Museu Victor Meirelles.

7 e 8 de dezembro de 2009, 14-18h
Pré-inscrição até 3 de dezembro de 2009.
Encaminhar pedido de inscrição para museu.victor.meirelles@iphan.gov.br. com as informações abaixo:

Título da oficina:

Nome completo:

Telefone:

E-mail:

Formação:

Área de atuação profissional:

Instituição:

É membro da Associação de Amigos do Museu Victor Meirelles?

Por que tem interesse em participar desta oficina?

Museu Victor Meirelles - Sala Multiuso
Rua Victor Meirelles 59, Centro, Florianópolis - SC
48-3222 0692 ou museu.victor.meirelles@iphan.gov.br
www.museuvictormeirelles.org.br
Certificados serão emitidos apenas para os inscritos que obtiverem 75% de freqüência na oficina.
Pedimos aos inscritos que tiverem seu pedido de inscrição deferido e não puderem comparecer à oficina que avisem o quanto antes para que possamos disponibilizar as vagas para outros interessados.

A oficina é gratuita e tem como público-alvo professores, artistas, historiadores, arquivistas, estudantes e profissionais atuantes em instituições culturais, entre outros interessados. Serão 40 vagas disponibilizadas. Interessados em participar devem encaminhar até o dia 3 de dezembro de 2009 seu pedido de inscrição com os dados abaixo para museu.victor.meirelles@iphan.gov.br. O resultado da seleção será divulgado por e-mail até o dia 4 de dezembro.

Mabe Bethônico desenvolve o projeto de pesquisa “Ficções institucionais” que busca tensionar a compreensão sobre as instituições museológicas por meio do desenvolvimento de um projeto artístico que explora sentidos poéticos e formatos plásticos/gráficos. O museu é abordado como espaço de memória e invenção, de esquecimento e interpretação, onde o documento pode ser referência de história, narrativa e ficção. A proposta é viabilizar uma rede de ações em diferentes formatos e suportes, em torno da museologia aplicada às artes visuais, tais quais: produção de intervenções/exposições, websites, objetos, publicações, explorando resultados em texto, multimídia e arte sonora.

Sobre a ministrante:
Artista plástica, doutora pelo Royal College of Art - Londres, professora adjunta da UFMG e pesquisadora. Principais exposições: 28ª Bienal de São Paulo, 2008; Encuentro Internacional de Medellin/ Práticas Artísticas Contemporâneas, 2007; 27ª Bienal de São Paulo, 2006; Subversiones Diarias - Malba, Buenos Aires, Panorama da Arte Brasileira - MAM, SP, Obra Colecionada - Museu de Arte da Pampulha, BH, 2005; Telling Histories - Kunstverein Muenchen, Munique, 2003. Desde o ano 2000 constrói o museumuseu - www.museumuseu.art.br.

Posted by Ana Elisa Carramaschi at 6:53 PM | Comentários (1)

novembro 13, 2009

IV Encontro arte&meios tecnológicos: debates contemporâneos na FASM, São Paulo

O IV Encontro arte&meios tecnológicos enfatiza conceitos e procedimentos problematizados hoje nas relações da arte com meios efêmeros, transitórios e impermanentes como os tecnológicos.

26 e 27 de novembro de 2009, quinta e sexta-feira - Inscrições gratuitas até 24 de novembro, na secretaria do Mestrado ou pelo email pos-graduacao@fasm.edu.br

Carga horária: 16hs (8 Mesas de 2hs)
Certificados serão emitidos aos que participarem de pelo menos 10hs (5 mesas de 2hs).

Faculdade Santa Marcelina - Salas 207, 131 e 302
Mestrado em Artes Visuais da Faculdade Santa Marcelina
Rua Dr. Emílio Ribas 89, Perdizes, São Paulo - SP
11-3824-5808 com Marina ou pos-graduacao@fasm.edu.br
www.fasm.edu.br

Sobre o encontro

A proposta do encontro é a apresentação, por parte dos participantes, de seus projetos em desenvolvimento, de modo a analisar, discutir e investigar questões relacionadas à espacialidade temporalizada, mobilidade, circuitos da imagem, concepção de corpo e processualidade.

Este IV Encontro é dirigido a artistas e estudiosos, interessados em explorar procedimentos como os da instalação, performance, intervenções em fluxos midiáticos e projetos urbanos.
O encontro é organizado pelo Grupo de Pesquisa arte&meios tecnológicos (CNPq/FASM), que foi formado em 2007 e integra o Mestrado em Artes Visuais da Faculdade Santa Marcelina. Os membros do grupo são: Christine Mello (coordenação), Ana Paula Lobo, Ananda Carvalho, Carolina Toledo, Claudio Bueno, Denise Agassi, Eduardo Salvino, Josy Panão, Lyara Oliveira, Lucas Bambozzi, Marcelo Salum, Mariana Shellard, Monique Allain, Nancy Betts e Paula Garcia.

Programação

26 de novembro de 2009 – quinta-feira
9h30 Recepção aos participantes

10h00 – 12h00 – Mesa 1 (Sala 207)
Abertura do IV Encontro – Mirtes Marins – Coordenadora do Mestrado em Artes Visuais da Faculdade Santa Marcelina
Experiências do Grupo de Pesquisa arte&meios tecnológicos (CNPq/FASM) - Christine Mello, Denise Agassi e Paula Garcia

14h00-16h00 – Mesa 2 (Sala 207)
Espaços móveis - Christine Mello
Efeitos Poltergeist na arte e mídia online – Claudio Bueno
Mediação: Denise Agassi
16h30-18h30 – Mesa 3 (Sala 207)
A paisagem na duração: dispositivos do tempo – Marcelo Salum
Esconderijos para o tempo – Ana Paula Lobo
Mediação: Christine Mello

19h00-21h00 – Mesa 4 (Sala 207)
A plasticidade da matéria sonora - Mariana Shellard
Peso e leveza: limalha de ferro e campo magnético – Paula Garcia
Mediação: Lyara Oliveira

27 de novembro de 2009 – sexta-feira
9h30 Recepção aos participantes

10h00-12h00 – Mesa 5 (Sala 131)
Tornar sensível o conceito: reflexão a partir da arte no campo tecnológico - Josy Panão
Entropia e arte: algumas considerações - Monique Allain
Mediação: Mariana Shellard

14h00-16h00 – Mesa 6 (Sala 131)
Linguagem narrativa audiovisual: do estabelecimento no cinema à ruptura nas artes plásticas - Lyara Oliveira
Paisagem diagonal: o espaço háptico de Gilles Deleuze e Felix Guattari na criação de audiovisuais a partir da interface online – Eduardo Salvino
Mediação: Ananda Carvalho

16h30-18h30 – Mesa 7 (Sala 302)
Subindo a Torre Eiffel ou Dans l'ascenseur de la Tour Eiffel – Denise Agassi
Entre criar e documentar: experiências com bancos de dados – Ananda Carvalho
Mediação: Josy Panão

19h00-21h00 – Mesa 8 (Sala 302)
Debate final e encerramento das atividades

Posted by Cecília Bedê at 3:22 PM

novembro 12, 2009

Seminário “Marginais-Heróis: 50 anos do Manifesto Neoconcreto” no CCBB, Rio de Janeiro

Seminário “Marginais-Heróis: 50 anos do Manifesto Neoconcreto”

O evento comemora os 50 anos do Neoconcretismo no Brasil a partir da publicação do Manifesto Neoconcreto, no Jornal do Brasil, e a abertura da 1ª Exposição de Arte Neoconcreta, no Museu de Arte Moderna (MAM/RJ), em 22 de março de 1959.

Passados 50 anos, artistas, pesquisadores, professores e críticos de arte se encontram para avaliar as contribuições e as repercussões do Neoconcretismo para o pensamento estético e as práticas artísticas atuais no Brasil.

Participantes: Luiz Sérgio de Oliveira, Mônica Almeida Kornis, Paulo Sérgio Duarte, Paulo Venâncio Filho, Roberto Conduru, Suely Rolnik, Sonia Salzstein, Sylvie Coëllier

2, 9 e 16 de dezembro de 2009

INSCRIÇÕES
O seminário é aberto ao público e haverá distribuição de senhas uma hora antes do início dos debates, que serão realizados no Teatro II do CCBB. A capacidade do teatro é de 155 lugares. Outras informações estão disponíveis no blog: http://marginaisherois.blogspot.com e no site: http://bb.com.br/cultura.

Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março 66, Centro, Rio de Janeiro - RJ
3808-2020
http://bb.com.br/cultura
http://marginaisherois.blogspot.com

PROGRAMAÇÃO

Dia 2
17h30m: Abertura
Projeção do vídeo “Neoconcretos” (2001), de Katia Maciel
Debate com Ferreira Gullar e Fernando Cocchiarale (MAM-RJ)

Dia 9
16h30m: Mesa 1 - História/ Contexto para a arte
Mônica Almeida Kornis (Pesquisadora CPDOC/FGV)
Paulo Sérgio Duarte (UCAM)

18h30m: Mesa 2 - Neoconcretismo: do conceito ao movimento
Luiz Sérgio de Oliveira (UFF)
Paulo Venâncio Filho (EBA/UFRJ)

Dia 16
16h30m: Mesa 1- Repercussões/Desdobramentos (Estética/Corpo/Subjetividade)
Suely Rolnik (PUC-SP)
Sonia Salzstein (USP)

18h30m: Mesa 2 - Repercussões/Desdobramentos II (Artes Visuais)
Roberto Conduru (UERJ)
Sylvie Coëllier (Université de Provence, França)

SOBRE O SEMINÁRIO

A história, a repercussão e os desdobramentos da arte contemporânea brasileira estarão em debate no seminário “Marginais-Heróis: 50 anos do Manifesto Neoconcreto”, que acontece nos dias 2, 9 e 16 de dezembro, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. O evento comemora os 50 anos do Neoconcretismo no Brasil a partir da publicação do Manifesto Neoconcreto, no Jornal do Brasil, e a abertura da 1ª Exposição de Arte Neoconcreta, no Museu de Arte Moderna (MAM/RJ), em 22 de março de 1959.

Passados 50 anos, artistas, pesquisadores, professores e críticos de arte se encontram para avaliar as contribuições e as repercussões do Neoconcretismo para o pensamento estético e as práticas artísticas atuais no Brasil. A abertura será no dia 2, às 17h30m, com a projeção do vídeo “Neoconcretos”, da artista Kátia Maciel, seguida de debate com o poeta Ferreira Gullar e Fernando Cocchiarale, curador do MAM.

O seminário prossegue no dia 9, com as participações dos pesquisadores Mônica Almeida Kornis (FGV) e Paulo Sérgio Duarte (UCAM) na mesa sobre história e contexto da arte. Em seguida, os professores e críticos Luiz Sérgio de Oliveira (UFF) e Paulo Venâncio Filho (UFRJ) continuam a discussão sobre o movimento. No dia 16, as repercussões e os desdobramentos da arte neoconcreta estarão em destaque em dois momentos, sendo o primeiro debate com as professoras Suely Rolnik (PUC-SP) e Sonia Salzstein (USP); seguido por Roberto Conduru (UERJ) e Sylvie Coëllier (Université de Provence, França).

“A comemoração pelos 50 anos do projeto Neoconcreto traz à atualidade um período único para as artes no Brasil. É necessário propor um encontro dessas experiências distantes no tempo. O que as liga? A atenção ao sensorial, à vivência, à experimentação? É preciso provocar encontros e trocas. Refletir sobre o passado é viver o presente”, explica a curadora Fabiana de Moraes.

O manifesto e a exposição representaram a ruptura diante dos preceitos técnico-científicos que guiavam o processo de criação dos artistas concretos do início da década de 50. Ferreira Gullar, acompanhado dos artistas plásticos Amilcar de Castro, Franz Weissmann, Lygia Clark, Lygia Pape, Theon Spanudis e pelo jornalista Reynaldo Jardim, coloca a primeira pedra de um marco decisivo para a arte brasileira. Ao movimento, aderiram também, os artistas Aluísio Carvão, Carlos Fernando Fortes de Almeida, Cláudio Melo e Souza, Décio Vieira, Hélio Oiticica, Hércules Barsotti, Osmar Dillon, Roberto Pontual e Willys de Castro.

“Ao se posicionar em defesa da liberdade de experimentação, valorizando a subjetividade, a intuição e as relações entre o observador e a obra de arte, o Neoconcretismo reuniu linhas de trabalho singulares e, ao mesmo tempo, diretrizes, formadoras de uma arte contemporânea brasileira”, destaca Fabiana de Moraes.

Posted by Cecília Bedê at 4:23 PM

novembro 11, 2009

Chamada para inscrições: Masters of Science in Visual Studies at MIT,

Masters of Science in Visual Studies at MIT

MIT Visual Arts Program / Program in Art, Culture and Technology

The MIT Visual Arts Program / Program in Art, Culture and Technology seeks committed, inquisitive and creative students for the 2010-2011 academic year. This selective two-year program grants successful participants a Master of Science in Visual Studies (SMVisS) degree. The program focuses on researched-based artistic practice, advanced visual studies and experimentation, and offers opportunities for transdisciplinary relationships with other programs and labs at MIT.

Inscrições até 15 de dezembro de 2009; Envio do material de apoio até 4 de janeiro de 2010

MIT- Massachusetts Institute of Technology
Phone: 001 617-253-5229
Contact: Edward J. Halligan
vap@mit.edu
visualarts.mit.edu

Sobre o programa

The Program

The MIT Visual Arts Program-which will be renamed the 'Program in Art, Culture and Technology (ACT)' in Spring 2010-operates as a critical production- and education-based laboratory focusing on artistic research, advanced visual studies, and transdisciplinary collaboration within the context of MIT's technological community. The program explores the role of art, culture, and technology in society and considers artistic practice to be knowledge production. The emphasis is on how cultural and artistic practices critically engage science and technology and envision their transformation. The curriculum includes courses in the 'Production of Space,' 'Interrogative Design,' 'Networked Cultures,' and 'Contemporary Curatorial Practice,' among others. Collaborative and individual investigations include performance, sound and video, photography, experimental media addressing context and display, and the interplay of old and new genres that intersect with technology. The exchange and collaboration with ACT faculty and research fellows is essential to the program, and is supplemented by encounters with external reviewers and critics, conferences, workshops, screenings and field trips. The program hosts a weekly lecture series of artists, urbanists, and scholars from a broad range of disciplines from the campus, the region and from around the world. The series is part of the vibrant exchange of ideas that is a hallmark of the program and the campus.

VAP Faculty

Instructors are world-renowned with active, international careers and a strong interest in cross-disciplinary debate, research, and modes of production. Program Director and Associate Professor Ute Meta Bauer directed SITAC VI 2008 in Mexico City and was Artistic Director of the 3rd berlin biennial for contemporary art. Professor Krzysztof Wodiczko is the Director of The Interrogative Design Group at MIT and represented his native Poland at the Venice Biennale in 2009 and currently is exhibiting at Boston's Institute of Contemporary Art. Professor Joan Jonas is a video and performance pioneer and recent recipient of the Guggenheim Lifetime Achievement Award for extraordinary contributions to contemporary art. Associate Professor Gediminas Urbonas, along with Nomeda Urbonas, was awarded Honorable Mention for the Lithuanian Pavilion at the Venice Biennale 2007. Visiting Professor Antoni Muntadas was the recipient of the 2009 Velázquez Prize from the Spanish Culture Ministry. Lecturers Andrea Frank (Photography), Amber Frid-Jimenez (Participatory Media), Joe Gibbons (Video), Wendy Jacob (Autism Studio), and Oliver Lutz (Multi-Media) are prominent practitioners in their fields.

Apply

Artists and cultural producers with diverse backgrounds and experience interested in innovative transdisciplinary artistic practice and collaborative and individual research projects at the intersection of art, culture, and technology are encouraged to apply. Applications are accepted through the Admissions Office of the MIT Department of Architecture. The application deadline is December 15, 2009. Portfolios should be submitted on CD or DVD (consult website for details) and will be accepted until January 4, 2010.

Applicants are encouraged to seek additional resources and funding. See sap.mit.edu/about/diversity/ or contact Robbin Chapman, Manager of Diversity Recruitment, at rchapman@mit.edu.

For more information:
About the program
Planning your visit
About the VAP lecture series
Admission information
Application form


Posted by Cecília Bedê at 3:09 PM

PIESP - Programa Independente da Escola São Paulo

PIESP - Programa Independente da Escola São Paulo

Desenvolvimento de linguagem e projetos para artistas

Direção: Adriano Pedrosa

Com: Adriano Pedrosa (interlocutor-diretor), Ana Paula Cohen, Beatriz Milhazes, Carla Zaccagnini, Ernesto Neto, Julieta Gonzáles, Ivo Mesquita, Leda Catunda, Marcos Moraes, Rivane Neunschwander, Rodrigo Moura e Rosângela Rennó.

Inscrições até 11 de janeiro de 2010; Realização de 2 de março a 30 de novembro de 2010
Terças-feiras, 19h-22h - Seminários críticos
Duas quintas-feiras por mês, 20-22h - Palestras
Encontros individuais serão agendados no decorrer do curso

- Matrícula de R$ 990
- Mensalidade de R$ 990

Escola São Paulo
Rua Augusta, 2239 - Metrô Consolação - São Paulo - SP
11-3060-3636 ou info@escolasaopaulo.org
http://www.escolasaopaulo.org/
Segunda a sexta, 9-20h;sábado, 9-18h

PROCESSO DE INSCRIÇÃO

Para efetivar a inscrição no processo seletivo você deve encaminhar à Escola São Paulo aos cuidados do Departamento Educativo (Rua Augusta, 2239 – CEP: 01413-000 / São Paulo – SP) um envelope contendo:

• Currículo resumido (1 página A4);

• Portfólio contendo registro fotográfico da obra do artista, apresentando, no mínimo 20 e, no máximo, 30 imagens (impressas ou em formato digital). Os trabalhos em vídeo deverão ser encaminhados em um DVD com até 15 minutos de duração;

obs: cada imagem ou DVD deve ser acompanhado de uma ficha técnica (autor, título da obra, data, dimensões e técnica).

Sobre o programa

Oferecido a partir de março de 2010, o curso com duração de 1 ano é voltado para o artista em inicio de carreira. Concebido e dirigido pelo curador Adriano Pedrosa (criador da Bolsa Pampulha, em Belo Horizonte), promoverá encontros entre os artistas participantes e destacados artistas e curadores, para discussão e desenvolvimento de linguagem e de projetos, em aulas em grupo e individuais, além de palestras e seminários.

As inscrições, com número limitado de vagas, serão realizadas por meio de análise de portfólio. O publico alvo é o artista em inicio de carreira que já tenha uma linguagem ou trabalho desenvolvido.

O PIESP é estruturado em aulas semanais, que se dividem em três categorias seminário, palestra e encontro individual e são ministradas por interlocutores residentes, que acompanham a turma durante todo ano (Adriano Pedrosa, Marcos Moraes, Rodrigo Moura, Julieta Gonzales e Ivo Mesquita).

O seminário tem a estrutura semelhante a uma crit class comum nos programas de formação de artistas nos Estados Unidos e na Europa, porém inexistente no Brasil. Crit class, ou "aula critica", consiste numa sessão de debate em torno da obra de um dos artistas participantes, onde cada semana um deles apresenta seu trabalho ao resto do grupo que por sua vez o discute em profundidade, questionando suas decisões estéticas, formais e conceituais.

Os artistas terão encontros individuais com todos os professores para discussão de seu trabalho e de seus projetos. Em cada encontro individual aluno deverá mostrar seu trabalho e seus projetos, e terá a oportunidade de estabelecer uma interlocução direta com os mais destacados artistas e curadores brasileiros. O número total de encontros individuais é de 16 por semestre.

Além das aulas individuais e seminários, palestras também ocorrerão no decorrer do curso, com os professores e também convidados especiais.

English Infos
Español Infos

Sobre os participantes

Rodrigo Moura

É curador, jornalista cultural, editor e crítico de arte, com publicações em catálogos, livros, revistas e jornais, como Folha de S. Paulo (São Paulo), Flash Art International (Milão, Itália), Arco Noticias (Madri, Espanha), Art Nexus (Bogotá, Colômbia) e Trópico (São Paulo). Desde o início de 2004, é curador adjunto de exposições e da coleção do Centro de Arte Contemporânea Inhotim (Minas Gerais, Brasil). Foi curador do Museu de Arte da Pampulha. Nesta instituição, desenvolve atividades relativas ao desenvolvimento da coleção, à Bolsa Pampulha - projeto do Museu de estímulo à produção emergente - e ao programa de exposições –, para o qual organizou mostras individuais de Ernesto Neto, Fernanda Gomes, Jarbas Lopes, José Bento e Damián Ortega, entre outras.

Ernesto Neto

É artista plástico, participou da 49a Bienal Internacional de Veneza (2001), da 24a Bienal Internacional de São Paulo (1998), da Bienal do Mercosul, Extreme Abstraction - Albright-Knox Art Gallery, Buffalo, Nova York, EUA, Galerie Yvon Lambert, Paris, França (solo) Koyanagi Gallery, Tókio, Japão (solo). Recentemente fez exposições individuais no 21st Century Museum of Contemporary Art, (Kanasawa, Japão), no Hirshhorn Museum and Sculpture Garden (Washington, EUA), no Kunsthalle Basel (Suíça) e no Centro Galego de Arte Contemporanea (Santiago de Compostela, Espanha). Tem obras nas seguintes coleções: Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, EUA, MoMA, The Museum of Modern Art, Nova York, EUA, Purchase Fund, Washington D.C., EUA, The Monsoon, Londres, Inglaterra, The American Fund for the Tate Gallery Collection, Londres, Inglaterra entre outras.

Carla Zaccagnini

É artista plástica, crítica e curadora. É membro do corpo editorial da revista Número e colaboradora da Flash Art. Seu trabalho é representado pelas galerias Vermelho (São Paulo) e Joan Prats (Barcelona). Até março de 2009 foi Diretora da Divisão de Curadoria e Programação e Curadora de Artes Visuais do Centro Cultural São Paulo. Participou recentemente da 28a Bienal de São Paulo, da Trienal Poligráfica de San Juan América Latina y el Caribe e das exposições MAM 60 anos e Cover, ambas no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 2008 realizou as mostras individuais Bifurcações e encruzilhadas (Galeria Vermelho) e no. it is opposition. (Art Galery of York University, Toronto).

Beatriz Milhazes

Pintora, gravadora, ilustradora, professora. Formada em comunicação social pela Faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro em 1981, iniciou-se em artes plásticas ao ingressar na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage em 1980, onde mais tarde lecionou e coordenou atividades culturais. Além da pintura, trabalha também com gravura e ilustração. Em 1995 cursou gravura em metal e linóleo no Atelier 78, com Solange Oliveira e Valério Rodrigues e em 1997 ilustrou o livro As Mil e Uma Noites à Luz do Dia: Sherazade Conta Histórias Árabes, de Katia Canton. Beatriz Milhazes fez parte das exposições que caracterizaram a Geração 80, grupo de artistas que buscou retomar a pintura em contraposição à vertente conceitual dos anos 1970, e tem por característica a pesquisa de novas técnicas e materiais. Sua obra faz referências ao barroco, à obra de Tarsila do Amaral (1886-1973) e Burle Marx (1909-1994), aos padrões ornamentais e à art deco, entre outras. Entre 1997 e 1998, é artista visitante em várias universidades dos Estados Unidos. A partir dos anos 1990, destaca-se em mostras internacionais nos Estados Unidos e Europa e integra acervos de museus como o MoMa, Guggenheim e Metropolitan em Nova York.

Ivo Mesquita

Curador da Pinacoteca do Estado de São Paulo e professor do Center for Curatorial Studies, do Bard College, em Annadale-on-Hudson, nos Estados Unidos. Foi curador da 28ª Bienal de São Paulo.

Ana Paula Cohen

Ana Paula Cohen (São Paulo, 1975) é curadora independente, editora e crítica de arte. Trabalhou como curadora adjunta da 28ª Bienal de São Paulo – “em vivo contato”, 2008, e como co-editora das publicações relacionadas ao projeto. Ana Paula foi co-curadora do projeto Encuentro Internacional de Medellín 07 (Jan-Jun 2007, Medellín, Colombia), para o qual criou, em colaboração com curadores e artistas, um novo centro de arte contemporânea – La Casa del Encuentro. Como parte do mesmo projeto, Cohen curou uma exposição do artista Cildo Meireles no Museu de Antioquia, em Medellín. Desde 2006, Ana Paula é co-fundadora e parte do grupo editorial do Newsletter do projeto museumuseu, da artista Mabe Bethonico. Em 2005, curou a exposição “Subversiones diarias”, convidada pelo Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires, MALBA. Desde 2004, Ana Paula é co-fundadora e curadora do projeto Istmo – Arquivo Flexível, em São Paulo, realizado em colaboração com artistas como Erick Beltrán, Mabe Bethônico, e Angela Detânico & Rafael Lain. Cohen contribui para revistas de arte internacionais, como Frieze, Art Nexus ou Exit Express, e escreveu para diferentes publicações sobre o trabalho de artistas como Goldin & Senneby, Javier Penãfiel, Rosangela Rennó e Oscar Muñoz, ou Cildo Meireles. Cohen organiza com frequência conferências e séries de conversas, dentre as quais a mais recente é “História como matéria flexivel: práticas artísticas e novos sistemas de leitura”. Atualmente, Ana Paula Cohen é curadora residente no Center for Curatorial Studies – Bard College, em New York, pelo período de um ano letivo (2009-2010).

Rosângela Rennó

É artista visual e é graduada em artes plásticas pela Escola Guignard e em arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais, é doutora em artes pela Escola de Comunicações da Universidade de São Paulo. Realizou diversas exposições individuais, entre elas: The Appel Foundation (Amsterdam, 1995), The Museum of Contemporary Art (Los Angeles, 1996), Australian Centre for Photography (Sydney, 1999), Museu de Arte da Pampulha (Belo Horizonte, 2002), Centro Cultural Banco do Brasil (Rio de Janeiro, 2003), Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Recife, 2006), Prefix Contemporary Art Institute (Toronto, 2008). Entre as exposições coletivas, destacam-se: Aperto93, 45ª Bienal Internacional de Veneza (1993), 2ª Bienal de Berlim (2001), Pavilhão Brasileiro, 50ª Bienal Internacional de Veneza (2003), Histoires des Amériques, Musée d’Art Contemporain de Montréal (2004), Panorama da Arte Brasileira, Museu de Arte Moderna (São Paulo, 2005), ArtesMundi 3, Museum of Art of Wales (Cardiff, 2008), Óscar Muñoz y Rosângela Rennó. Crónicas de la ausencia, Museo Rufino Tamayo (Cidade do México, 200).

Rivane Neuenschwander

Vive e trabalha em Belo Horizonte, Brasil.
Formada pela escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, obteve o título de mestre pelo Royal College of Arts em Londres. As obras criadas por Rivane utilizam uma ampla gama de materiais, como flores secas, papel arroz, insetos, poeira, sujeira, sal e pimenta, materiais orgânicos que têm uma vida efêmera. Cria assim uma espécie de memória da vida cotidiana que se funda justamente em tudo aquilo que é corriqueiro. Dentre as várias exposições que participou destaca-se em 2008 Florescendo: Brasil – Japão O seu lugar. Toyota Municipal Museum of Art, The Wizard of Oz. por Jens HOFFMANN São Francisco: CCA Wattis Institute for Contemporary Arts, em 2007 Comic Abstraction, Image-Breaking, Image-Making. MoMA – Museum of Modern Art, New York, em 2003 Rivane Neuenshwander. Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), Recife, entre outras.

Leda Catunda

Leda Catunda nasceu em São Paulo em 1961. Formou-se em 1984 em Artes Plásticas na FAAP. Expõe desde 1981 em museus e galerias no Brasil e em diversos países, tendo participado de três edições da Bienal de São Paulo. É Doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP (2003), lecionou pintura e desenho na graduação e na pós-graduação da Faculdade de Artes Plásticas Santa Marcelina até 2005. Vêm desenvolvendo recentemente trabalhos de pinturas e objetos moles, utilizando vários tipos de tecidos e materiais como base. Com procedimentos próximos aos da colagem, através da soma de materiais, recortes, sobreposições e entrelaçamentos, reestrutura a superfície das pinturas em busca de uma poética da maciez. O amolecimento de formas nos trabalhos decorre da soma de imagens não agressivas, aliada aos recortes orgânicos e da utilização da característica de moleza como propriedade dos materiais empregados. Assim as obras trazem uma influência zoomórfica, com partes que lembram corpos ou por outras vezes paisagens.

Posted by Cecília Bedê at 2:30 PM

novembro 3, 2009

Curso de pós-graduação em restauro de arquitetura no Templo da Arte, São Paulo

O curso propõe capacitar profissionais para a execução de projetos e condução de obras de restauração de arquitetura com bens artísticos integrados.

Inscrições estão abertas

Templo da Arte
Rua Costa Aguiar, 1013 Bairro Ipiranga São Paulo – SP
11-20637443 ou contato@templodaarte.com.br
www.templodaarte.com.br
coordenação - arquiteta restauradora Márcia Braga
www.marciabraga.arq.br

Início 28 de novembro de 2009
Aulas uma vez por mês – 10 horas no sábado e 10 horas no domingo
Exigência para a matrícula - ter graduação completa.
Obs. o programa pode sofrer alterações.


Ementa
Introdução Geral– novembro 2009

Apresentação do curso - 2 horas
Prof. Márcia Braga - Mestre

Dar uma visão global do curso com os objetivos a serem alcançados e a confecção da monografia a ser feita por cada participante.
Apresentação pessoal dos alunos e suas expectativas do curso.
Apresentar a metodologia das aulas expositivas, dos exercícios de simulação de situações reais e da demonstração de alguns métodos construtivos e de restauro.
Currículo mínimo dos professores convidados.

História da conservação e da restauração arquitetônica mundial-18 horas
Prof. Nivaldo Vieira de Andrade Junior – Mestre

Histórico antes das teorias de restauro do século XIX.
As práticas dominantes do século XIX contrapondo as ações de Violet-le-Duc e John Ruskin.
A evolução teórica na Itália com Camilo Boito e Gustavo Giovannoni resultando na Carta de Veneza de 1964.
A teoria de restauro de Cesare Brandi.
As cartas patrimoniais.
O pensamento de Roberto Pane, Paolo Marconi, Cláudio D’Amato e Salvador Muñoz Dias.

Autenticidade e memória
Discussão sobre os valores de autenticidade e suas acepções em diversas partes de mundo.
Discussão sobre a noção de memória e identidade cultural – os liames entre a matéria a ser preservada e suas transformações necessárias.
A restauração como um processo criativo.

Introdução no Brasil– janeiro 2010

Prof. Isabelle Cury – Doutora - 10 horas

Histórico e os órgãos de preservação
Breve histórico sobre arquitetura brasileira e a formação de nossa identidade com os intelectuais pertencentes à Semana de Arte Moderna de 1922.
A criação do Sphan e seu desenvolvimento.
A preocupação com a documentação e o inventário de bens móveis.
Legislação brasileira de proteção do patrimônio.

Exemplos de intervenções
O prédio do MEC no Rio de Janeiro e a integração da arquitetura moderna com a arquitetura colonial.
O repúdio ao Ecletismo.
O restauro arquitetônico no Rio de Janeiro a partir da década de 1960.

Prof. Helena David – Doutora - 10 horas

Formação profissional
Histórico das escolas atuantes em Minas Gerais, na Bahia e movimento atual.
O aprendizado diretamente nas obras e nos ateliês.
Entidades de classe e o reconhecimento da profissão ainda não existente.
Novas perspectivas.

Integração de diferentes áreas de conhecimento
Interdisciplinaridade com as seguintes áreas de conhecimento:
Arqueologia
Biologia e botânica
Geologia
História (social, arquitetônica e artística)
Química
Comunicação e marketing
Engenharias
Etc.

Arquitetura brasileira - fevereiro de 2010
Estilos arquitetônicos - Métodos construtivos - Especificidades regionais

Prof. Maria Isabel Monteiro Teixeira – 20 horas

O colonial laico e a influência indígena
Casas de câmara, cadeia e mercados
Casas Bandeirantes
Residências rurais e urbanas
A praça

Arquitetura religiosa
Os Jesuítas
As Missões no Rio Grande do Sul

Os Franciscanos, Beneditinos e Carmelitas

O Barroco em:
Minas Gerais
Bahia
Rio de Janeiro
Goiás
Pernambuco

O Maranhão e a influência francesa
A azulejaria

O Rococó

Arquitetura brasileira - março de 2010
Estilos arquitetônicos - Métodos construtivos - Especificidades regionais

Prof. Maria Odette Monteiro Teixeira - Mestre – 6 Horas

O Neoclássico e o Ecletismo
A estética da ornamentação
O início da produção industrial.
As ordens clássicas, suas adaptações e representações iconográficas nacionais.
Métodos construtivos e o racionalismo construtivo incipiente.
O confronto do repertório plástico com a arquitetura contemporânea.
A valorização do contraste.

Prof. Ceça Guimaraens – 14 horas

A arquitetura moderna
Ideais, nova identidade nacional.
O repertório plástico.
A mudança das técnicas construtivas.
O restauro da arquitetura modernista.
Levantamentos e caracterização de materiais através de exames de laboratório e in loco - abril 2010

Prof. Cristina Coelho – Mestre - 10 horas

Levantamento histórico e iconográfico
Cadastramento arquitetônico.
Levantamento histórico e iconográfico.
Consulta aos órgãos públicos e bibliotecas, investigando a cronologia da edificação, estudo comparativo das imagens, análise tipológica, avaliação das modificações ocorridas nos projetos aprovados e no próprio bem, pesquisa oral com depoimentos.
Levantamento arquitetônico – técnicas de medições, estereofotogrametria, desenhando ornamentos, mapeamento de danos e diagnóstico do estado de conservação.

Prof. Ubirajara Mello – Mestre - 9:30 horas

In loco VISITA À OBRA
Prospecções – tipos de alvenaria, estratigrafia de argamassa e pictórica.
Quantidade de argila presente na areia
Qualidade da cal
Som cavo

Análises de laboratório
Quando e porque analisar

Microscopia ótica e eletrônica de varredura
Análises microbiológicas
Caracterização de madeira
Caracterização de rocha
Resistência à tração e compressão de argamassas, rochas e outros materiais
Absorção de materiais porosos
Abrasão de rocha e de materiais de revestimento
Análise de traço de argamassa
Identificação de sais em materiais porosos
Condições climáticas para ambientes internos para coleções

Prof. Márcia Braga – Mestre – 30 Minutos

Para obras de arte:
Raios ultravioleta
Raios infravermelhos
Raios X
Luz rasante
Lupa

Patologias de Deterioração – Diagnóstico, mapeamento e processos de restauro - maio 2010

Prof. Alexandre Mascarenhas – Doutorando - 20 horas

Reconhecendo o entorno
Poluição atmosférica, trepidação no solo, presença de vegetação e pátina biológica, ações antrópicas.

Estrutura – recalque, rachadura, umidade, perda e queda

Fundações – umidade, recalque

Alvenaria – rachaduras, umidade ascendente e descendente, desagregação, perda, inserção de materiais não adequados

Telhado – falência do madeirame, corrosão metálica, acúmulo de detritos, ausência de visitação e manutenção, substituição de telhas, ausência de impermeabilização

Pisos – ação de térmitas, perda de partes, preenchimento do espaço de aeração do piso, desagregação superficial de peças cerâmicas e perda.

Esquadria – falta de manutenção, inserção inadequada de material.

Materiais porosos (pedra e argamassa) – esfoliação, rachadura, erosão, deformação, desplacamento, crosta, eflorescências salinas, perda, presença de vegetação, pátina biológica, pátina, etc.



O Restauro e sua inserção no tecido urbano
elementos artísticos integrados
conservação preventiva / manutenção
- junho 2010

Prof. Nivaldo Vieira de Andrade Junior – Doutor - 9 horas

Na urbe
Análise do entorno e possibilidades de mudanças.
Novo fluxo de visitantes.
Interação com a população local – apropriação da nova estrutura.
Possíveis processos de deterioração e de manutenção.
O risco da expulsão da população local de mais baixa renda.

Prof. Isabelle Cury – Doutora - 9 Horas

Bens artísticos integrados mais comuns
Pinturas, esculturas em pedra e argamassa, douramentos, metais, talhas, vitrais, etc.
A compreensão da unidade do imóvel e a compatibilização das intervenções necessárias.
Proteções provisórias.
Intervenções parciais.
Identificação dos usuários do imóvel e os participantes do restauro.
Adequando as necessidades de cada agente.
Durante a obra e depois:
Controle do fluxo de pessoas.
Treinamento de guias.
Convivendo com problemas.

Prof. Márcia Braga – Mestre - 2 horas

Conservar antes que restaurar
Higienização de: telhados, forros, pinturas murais, douramento, telas, metais.
Limpeza constante, troca de peças, inserção manta impermeabilizante em telhados.
Canaletas de drenagem ao redor do imóvel.
Aplicação de protetivos.
Produtos não recomendáveis.

Estudo de Materiais e seu restauro - julho 2010

Prof. Márcia Braga – Mestre - 6 horas

Conceitos De Reversibilidade E Compatibilidade
Noções Básicas De Química Orgânica.

Solventes
Propriedades físicas e químicas – migração, evaporação, dissolução.
Toxidade, diluições e misturas
Utilização de alguns solventes (álcoois, cetonas, aminas, derivados nitro - hidro carbonetos aromáticos e alifáticos).
Compostos reativos.

Prof. Yanara Chaas – Mestre - 14 horas

Pedra
Origem e classificação (ígneas, sedimentares, metamórficas)
Características e usos comuns
Como avaliar a evolução dos processos de deterioração endógenos e exógenos
Água e sais
O ataque biológico – bactérias, fungos, algas, liquens, musgos, plantas.
Processos de restauro (limpeza, consolidação e proteção).

Resinas para consolidação, impermeabilização, reforço estrutural, colagem de peças, vernizes, criação de moldes, vedação, etc.
Produtos comerciais (acrílicos, polivinílicos, silicatos de etila, epóxi, poliéster, compostos fluorados)

Estudo de materiais e seu restauro - Agosto 2010

Prof. Alexandre Mascarenhas – Doutorando - 20 horas

Retomando Conceitos Sobre Autenticidade.

Argamassa
Componentes básicos – argila, gesso, cal (aérea e hidráulica), cimento, areia, outros inertes e agregados reativos. Aditivos.
Propriedades físicas e mecânicas das diversas composições.
Questões a serem postas antes do restauro.
Processos de restauro (complementação, consolidação e proteção).

Estuque
Breve histórico e composição básica.
Danos comuns e cuidados antes do restauro.
Os materiais (a cal, a areia, a água) e a mão de obra.
Restauração de forros.
Higienização e descupinização.
Consolidação e pré-consolidação da argamassa.
Recomposição das lacunas.
Restauração de sancas.
Demolições, remoções e reprodução de peças grandes (moldagem e modelagem).
Métodos de limpeza e de consolidação.
Execução de novas peças.
Fixação de peças e partes soltas.
Tratamento de fissuras e rachaduras.
Recuperando o finus e acabamento final.

Estudo de materiais e seu restauro - setembro 2010

Prof. Helena David – Doutora - 20 horas

Madeira
Seu uso na arquitetura brasileira.
Classificação (botânica, crescimento, trabalhabilidade, composição química, métodos de identificação, produção, propriedades físicas e mecânicas, defeitos, levantamento e diagnóstico, principais causas de degradação, no canteiro de obra – armazenamento, escoramento, limpeza e remoção, substituição, reforços, eliminação dos agentes, desinfestação, imunização, tratamentos finais.

Pintura sobre madeira
História das técnicas e no Brasil.
Imaginária religiosa.
Estabilização dos suportes (desempenamento e consolidação).
Faceamento e impregnação.
Processos de deterioração da pintura
Procedimentos de restauro: limpeza, remoção de vernizes oxidados, remoção de repinturas com alteração cromática, nivelamento, reintegração pictórica e aplicação de verniz.

Douramento
Breve histórico.
A folha de ouro e outras aplicações metálicas.
Diferenças de douramento a óleo e a água.
As diversas características do bolo e sua aplicação.
Bolo com ovo e bolo com cola.
Douramento sobre diferentes suportes (madeira, pedra e metal).
Polimento ou brunimento.
Ferramentas.
Conservação

Estudo de materiais e seu restauro - outubro 2010

Prof. Márcia Braga - Mestre – 20 Horas

Pintura mural
Breve histórico das técnicas.
Cor e pigmento.
Limpeza e desinfestação
Consolidação
Tratamento estético

Pintura de fachadas
Diversos tipos de tinta, suas características e indicações (acrílica, polivinílica, a base de cal e de base mineral)
Velaturas e argamassas pigmentadas.

Argamassas especiais - estuque marmorizado e esgrafito
Breve histórico, composição dos materiais, método construtivo e processos de restauração.

Tipos de Reintegração Pictórica
Imitativo, imitativo num tom mais claro, velatura, velatura sobre abrasão, abstração cromática, seleção cromática, seleção pictórica, tracejado, tom neutro, água suja.

Estudo de Materiais e seu restauro - novembro 2010

Prof. Zeila Machado – Mestranda - 10 horas

Azulejo artístico
Histórico no mundo e no Brasil.
Diferentes técnicas – alicatado, de aresta, corda-seca, majólica, caixilho, padronagem de tapete, grandes painéis.
A produção semi-industrial do estampilhado.
A manufatura do azulejo e seus componentes (pasta cerâmica, a preparação da chacota, o vidrado, a transferência do desenho, a pintura).
Processos de deterioração.
Procedimentos de restauro:
Documentação, mapeamento de danos, limpeza, faceamento, tratamento das juntas.
Avaliação sobre a remoção total ou parcial.
Higienização, dessalinização, descolagem e colagem de fraturas.
Preenchimento de lacunas, assentamento, rejuntamento.
Reintegração.

Prof. Guadalupe Campos – Doutora - 10 horas

Metal
Caracterização do material
Processos de deterioração
Pátinas
Restauro
Estudo de casos

O Projeto – janeiro 2011

Prof. Cristina Coelho – Mestre - 10 horas

Definições:
Conservação e restauro, patrimônio cultural, diagnóstico, documentação, manutenção, conservação preventiva e corretiva.

Projetando
Restauração
Anastilose
Adaptação a novo uso (retrofit)
Reconstrução
Réplica (termo mais usado para obras de arte que são removidas de seu local original)

Prof. Rosana Najjar – Doutora - 10 horas

O projeto e a obra
Cadastramento
Levantamento fotográfico
Prospecções arquitetônicas e arqueológicas
O projeto arqueológico
Avaliação do potencial arqueológico
A pesquisa arqueológica
A utilização dos vestígios

O Projeto – fevereiro 2011

Prof. Jorge Astorga – Mestrando - 10 horas

Diretrizes do projeto
Definição de uso e do programa de necessidades
Intervenções somente para adaptações de infraestrutura.
Se o programa exige novas instalações e novos usos.

O partido arquitetônico
Complementando a estrutura original sem criar um contraste estético.
Evocar o contraste para valorização de ambas as partes.
As infinitas possibilidades entre as duas proposições.
Mantendo a casca (as fachadas) e reformando somente o interior.

Prof. Ubirajara Mello – Mestre - 10 Horas

A obra e suas surpresas
Os relatórios de atualização e o as built.
A implementação do uso.
A conservação preventiva.

Projetos complementares – março 2011

Prof. Alexandre Vidal – Mestre – 20 horas

Acesso a deficientes

Isolamentos acústico e térmico

Instalações elétricas, hidráulicas, inserção de novas mídias, etc.

Integração com novas mídias para apresentação do imóvel.

Aprovação de projetos perante as instituições governamentais de proteção do patrimônio (federal, estadual, municipal, urbanismo, meio ambiente, corpo de bombeiros, CET, etc.)

Segurança de trabalho
EPI

Planejamento – abril 2011

Prof. Alexandre Vidal – Mestre - 6 horas

Cronograma
Atualizações.
Controle de qualidade.
Representando os órgãos de preservação e o cliente.
Estruturando um projeto.
Estruturando uma obra.

Dimensionando uma equipe
Estudo dos prazos.
Definindo líderes e responsabilidades.
Equilibrando temperamentos.

Prof. Ubirajara Mello – Mestre - 14 horas

Gerenciamento
Integrando ações.
Planejamento.
Análise de custos.
Organizando uma concorrência.

Canteiro de obras
Infra estrutura de barracão.
Instalações elétricas e hidráulicas.
Vestiários e armários.
Almoxarifado.
Horários.
Proteções.

Estudos de casos – maio 2011

Prof. Cristina Coelho - Mestre – 10 horas

Prof. Ubirajara Melo – Mestre - 10 horas

Em São Paulo:
Catedral da Sé
Igreja da Boa Morte
Teatro Municipal
Estádio do Pacaembu
Museu do Futebol
Estação da Luz

Catedral de Florianópolis

No Rio de Janeiro:
Mosteiro de São Bento
Museu do Meio Ambiente
Casa França Brasil
Instituto de Resseguros do Brasil

Estudos de casos - junho 2011

Prof. Márcia Braga – Mestre - 10 Horas

O Teatro Municipal do Rio de Janeiro
O Corcovado
O antigo prédio do Banco Central
A igreja da Sé do Rio de Janeiro
Calçada da Cultura de São José do vale do Rio Preto
Hotel Glória
Cine Rio Carioca
Palácio Anchieta
4 esculturas em Carrara
Tela retrátil do altar mor da Sé
Teatro Municipal de Niterói
Edifício Flamengo
Painel de Burle Marx
Oratório dos 40 mártires
Rocaille de Glaziou
Anjos

Prof. Jorge Astorga – Mestrando – 10 horas

Igreja da Candelária.
Mosteiro de São Bento.
Gerenciamento do Restauro do Convento de Santa Teresa (1º PRONAC )
Fazenda Santa Monica em Valença da EMBRAPA.
Projeto de Restauro da Igreja da Saúde MITRA.
Gerenciamento do Restauro da Igreja da Saúde (PRONAC )
Igreja do Bom Jesus da Coluna (Exercito Brasileiro).
Igreja Mãe dos Homens.
Projeto de Morro da Conceição.
Projeto da Igreja de Santa Luzia.
Igreja da Ribeira (Angra dos Reis).
HESFA (coberturas e restauro arquitetônico).
Casa do Padre Correias.
Palácio de Ferro em Luanda

Posted by Marília Sales at 3:06 PM