Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Pesquise no blog:
Arquivos:
junho 2021
maio 2021
abril 2021
março 2021
fevereiro 2021
janeiro 2021
dezembro 2020
novembro 2020
outubro 2020
setembro 2020
agosto 2020
julho 2020
junho 2020
maio 2020
abril 2020
março 2020
fevereiro 2020
janeiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

maio 18, 2015

Lia do Rio lança 'Sobre a Natureza do Tempo' na Livraria da Vila, São Paulo

Livro reúne 30 anos de trajetória da artista na arte contemporânea brasileira

Lia do Rio, conceituada artista contemporânea brasileira, em atividade desde a década de 80, terá pela primeira vez sua obra publicada em livro. “Sobre a Natureza do Tempo” faz um resgate da trajetória da artista paulista, cuja produção faz uso de linguagens diversas, inclusive vídeos e fotografias, e acontece, em sua maioria, na natureza. O trabalho de Lia se destaca pelo uso de materiais não convencionais (como folhas secas, janelas, tijolos, troncos etc.), numa linguagem limite entre a instalação, a apropriação e a intervenção. Em obras tridimensionais e perecíveis, a artista questiona nossa relação com o tempo.

O registro das obras de Lia do Rio em livro permite que seu trabalho permaneça visualmente, já que a artista trabalha com elementos efêmeros e em constante mutação. Suas obras questionam a maneira pela qual construímos, no presente, as memórias de passado e de futuro. “Não uso as folhas para representar a natureza, trabalho com as questões que ela contém. Lidando com folhas passei a sentir o tempo como um aqui-agora atemporal, que engloba todo o universo: a cada novo aqui-agora o anterior se apaga”, explica a artista.

Fotos e croquis ao lado de textos informativos permitem ao leitor a apreensão do conteúdo de cada obra, com a visualização do seu desdobramento. Por terem essa característica mutante, alguns trabalhos são apresentados ao longo de várias páginas, de forma que possam ser gradativamente percebidos. A apresentação do livro é assinada por Sônia Salcedo e os textos são, em sua maioria, reflexões espontâneas sobre a obra de Lia, aliadas a seu próprio pensamento sobre a arte e o artista.

O lançamento em São Paulo será na Livraria da Vila – Jardim Paulista, no dia 19 de maio, às 18h30. Impresso com capa dura e 216 páginas, o livro tem o selo da editora F10, editora carioca especializada em livros de arte, comandada por Nelson Martins.

FICHA TÉCNICA

Título: Sobre a Natureza do Temp - Lia do Rio
Editora: F10
Concepção: Lia do Rio
Design: Mônica Grandchamp
Revisão: Laura Serta
Produção gráfica: Mônica Grandchamp
Páginas: 216
Ano de edição: 2014
Preço de capa: R$ 80

SOBRE A ARTISTA

Lia do Rio Cardoso Costa nasceu em São Paulo e mora no Rio de Janeiro. Em 1958, inscreveu-se na cadeira de Pintura da Escola Nacional de Belas Artes, da UFRJ, onde se formou em 1963. Em 1982, ingressou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, onde permaneceu até 1985. Suas pinturas adquirem tridimensionalidade e passam a se assemelhar com janelas, que logo são assumidas como material principal de suas obras. Ao recolher janelas jogadas na rua, sente-se atraída por outros materiais descartados, passando a trabalhar no próprio espaço em que eram encontrados, organizando-os em formas ditadas pelo local, fazendo a escala aumentar consideravelmente.

Em 1988, retorna à EAV do Parque Lage, agora no núcleo de escultura. Passa a intervir diretamente na paisagem, usando folhas secas. Lia do Rio utiliza-se de uma linguagem limite entre a instalação, a intervenção e a apropriação, em uma indagação sobre a natureza do tempo, questão essa que percebeu estar contida em toda a sua trajetória. A diversidade de materiais e linguagens utilizados está relacionada a esses questionamentos.

Paralelamente a exposições individuais e coletivas, no Brasil e exterior, atua como professora de escultura da Escola de Artes Visuais do Parque Lage e do Centro de Arte Calouste Gulbenkian. De 1999 a 2000, ajuda a criar a galeria de arte contemporânea da UNIRIO. Promove os Encontros Com o Artista, no Salão da Reitoria. Em 1995, concebe, juntamente com Monica Mansur, o projeto Dialeto, que resulta no livro de artistas Dialeto (1995/96) e no livro Dialeto volume II (1996/2001). Em 2002, passa a lecionar na Universidade Estácio de Sá. Nesse ano co-participa da criação dos projetos itinerantes Em Matéria de Natureza (Rio/Paris/Berlim) e Acessoremoto (Rio/Linz: Áustria).

Em 2003 transfere-se, com sua turma da EAV, para o Atelier Rio Comprido, onde passa a participar, junto com os artistas Valéria Rodrigues, Mônica Mansur e Pedro Paulo Domingues, do grupo APARTE/Interações. Em 2004, ministra oficina no Instituto de Arte, na UERJ, e na Galeria Lana Botelho. Em 2005, concluiu a pós-graduação em Arte e Filosofia e a pós-graduação em Filosofia Antiga, ambas pela PUC-Rio. Ministra a oficina O Processo Artístico, no projeto Arte no Ventilador, no Museu Imperial de Petrópolis, RJ. Desde 2006 é curadora do Projeto Borgeanas, da Rede Sirius de Bibliotecas, na UERJ.

Posted by Patricia Canetti at 3:08 PM