Página inicial

Salões & Prêmios

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
As últimas:
 

março 26, 2009

Edital para credenciamento de oficineiros para prestação de serviços ao CCSP

Estão abertas as inscrições para a seleção de oficineiros interessados em apresentar projetos para o programa de Oficinas livres promovidas pela Divisão de Ação Cultural e Educativa do CCSP. Serão selecionados trabalhos nas áreas de linguagens visuais, teoria, crítica e história das linguagens artísticas, atividades artísticas em família, história em quadrinhos, escrita criativa, práticas corporais, dança de salão, canto coral, laboratório pedagógico e cultura e vestibular.

Inscrições até 17 de abril de 2009

Centro Cultural São Paulo
A/C. Divisão de Ação Cultural e Educativa
Rua Vergueiro 1000, Paraíso, São Paulo - SP
CEP: 01504-000
segunda a sexta, 10-13h e 14-17h

Acesse aqui, o formulário de inscrição

Edital

A Secretaria Municipal da Cultura FAZ SABER que durante o período de 16 de março a 17 de abril de 2009, das 10h às 13h e das 14h às 17h na sede do Centro Cultural São Paulo, localizado à R. Vergueiro, 1000, CEP:01504-000 Paraíso, São Paulo/SP, estarão abertas inscrições para a seleção de interessados em apresentar projetos de oficinas e prestar serviços como OFICINEIROS para o programa de Oficinas Livres promovidas pela Divisão de Ação Cultural e Educativa (DACE) do Centro Cultural São Paulo, visando o estímulo e desenvolvimento de ações de difusão e formação cultural e práticas corporais com fundamento na atribuição prevista no art.15, V do Decreto Municipal nº 49492/08, nas seguintes condições:

1. DO OBJETO
1.1. O presente edital visa o credenciamento de profissionais interessados em apresentar projetos de oficinas e prestar serviços para a Municipalidade de São Paulo como OFICINEIROS para o programa de Oficinas Livres, desenvolvido pela Divisão de Ação Cultural e Educativa do Centro Cultural São Paulo, com acesso gratuito à população de todas as faixas etárias (crianças, jovens, adultos e idosos).

1.2. Serão selecionados para cadastro OFICINEIROS nas seguintes áreas: Linguagens Visuais; Teoria, Crítica e História das Linguagens Artísticas; Atividades Artísticas em Família; História em Quadrinhos; Escrita Criativa; Práticas Corporais; Dança de Salão; Canto Coral; Laboratório Pedagógico; Cultura e Vestibular.

1.3. Os OFICINEIROS devem apresentar projetos e comprovar conhecimento e experiência na respectiva área, observados os critérios de aceitabilidade dos projetos e de classificação descritos nos itens seguintes deste Edital.

1.4. O Cadastramento previsto neste edital é específico para o programa de Oficinas Livres da Divisão de Ação Cultural e Educativa do Centro Cultural São Paulo e não interfere na contratação de OFICINEIROS para atividades e programas específicos realizados pelo CCSP e demais departamentos da Secretaria Municipal de Cultura.

2. DAS ESPECIFICAÇÕES DAS OFICINAS LIVRES

2.1 Oficina Livre é uma modalidade de educação não-formal de duração variada.

2.2 As propostas de Oficinas Livres deverão ser de atividades práticas como teóricas que exercitem a experimentação e/ou a reflexão acerca dos seus conteúdos que preferencialmente devem ter relação com a programação e acervos do CCSP.

2.3 As propostas de Oficinas Livres poderão ser tanto de introdução quanto de aprofundamento dos fundamentos das áreas de atuação estabelecidas no item 1.2. (e descritas no item 3) proporcionando gratuitamente ao usuário do CCSP qualificar-se, atualizar-se, enriquecer sua experiência de vida e formação nas diversas linguagens artísticas, participar de atividades de lazer, fruição e socialização.

2.4 As Oficinas Livres deverão ocorrer no período compreendido entre 10:00 e 22:00 hrs no CCSP.

2.5. Os projetos poderão ter duração de uma a oito semanas, com carga horária máxima total de 24 horas e as oficinas serão divididas em tantas sessões semanais quantas convenientes à Administração (salvo nos casos das propostas para oficinas de dança de salão e canto coral que ocorrerão obrigatoriamente às quartas-feiras das 12:00 as 14:00 hrs e terças-feiras das 19:00 às 22:00 hrs, respectivamente) e poderão ter duração de até 16 semanas e carga horária total de até 48 horas.

2.6. O público alvo das Oficinas Livres são jovens a partir de 14 anos e adultos, inclusive com deficiência e/ou mobilidade reduzida.

2.6.1. Para as oficinas nas áreas de Atividades Artísticas em Família e Laboratório Pedagógico o público alvo são, respectivamente, crianças a partir dos 4 anos acompanhadas dos pais ou responsáveis e educadores do ensino formal e não formal e estudantes de pedagogia ou licenciatura.

2.7. A DACE oferecerá Declaração de Participação, para os alunos que tiverem o mínimo de 75% de presença, que deverá ser assinada pelo Oficineiro e pelo Diretor da DACE.

2.8. No prazo de 07 dias contados do último dia da oficina, o Oficineiro deverá apresentar relatório avaliativo conforme modelo a ser fornecido pela DACE.

3. DOS OBJETIVOS DE CADA ÁREA DE ATUAÇÃO:

3.1 Linguagens Visuais: Estimular a percepção e leitura do mundo através compreensão dos procedimentos básicos das linguagens visuais, possibilitando a criação, a comunicação e o desenvolvimento de formas de expressar idéias bidimensionais e tridimensionais tais como: Desenho, pintura, gravura, colagem, escultura, modelagem, instalação, design de objetos, design de moda e etc...

3.2 Teoria, Crítica e História das Linguagens Artísticas: Exercitar a experiência da reflexão teórica e historiográfica da arte, e estimular as práticas discursivas presentes no debate das linguagens artísticas, tais como as artes visuais, cinema, dança, fotografia, música e teatro.

3.3 Atividades Artísticas em Família: Proporcionar atividades de curta duração, sem necessidade de inscrição, em que crianças e adultos (pais ou responsáveis) vivenciem juntos, de forma lúdica as várias linguagens artísticas presentes na sua programação do CCSP. Estas atividades podem contar com o suporte do mobiliário educativo chamado tatu-bola. Para maiores informações acesse o site na internet do programa em:
(http://www.centrocultural.sp.gov.br/tatu_bola/)

3.4 Escrita Criativa: Oferecer atividades de estudo, experimentação e exercício prático dos gêneros, espécies e formas literárias, diversidades estilísticas e de conteúdo (poesia, romance, crônica, texto jornalístico, cadernos de viagem, diários etc...), promovendo o exercício da escrita como ferramenta de expressão individual ou colaborativa.

3.5 Práticas Corporais: Oferecer atividades físicas de baixo impacto, que contribuam para o bem estar, a saúde em sua totalidade, entendendo o sujeito em suas dimensões cognitivas, motoras, sócio-históricas e antropológicas numa abordagem que focalize a cultura corporal do movimento.

3.6 Dança de Salão: Proporcionar o desenvolvimento da musicalidade, do ritmo, da coordenação motora e da consciência corporal através dos movimentos da dança; estimulando a memória e socialização dos participantes.

3.7 Canto Coral: Proporcionar contato com a Música, através do canto em conjunto. Desenvolver noções básicas de linguagem musical, uso correto da voz e respiração. Estimular a sensibilidade e capacidade auditiva através do trabalho com repertório variado: obras originais para coro e arranjos, música popular, etc... Participar de apresentações.

3.8 Histórias em Quadrinhos: Proporcionar o contato com a linguagem dos quadrinhos em seus diferentes estilos desde suas origens até a produção atual. Introduzir conhecimentos das diferentes etapas de produção de uma história em quadrinhos: roteiro, narrativa, criação de personagens, técnicas de desenho e composição.

3.9 Laboratório Pedagógico: Atualizar e instrumentalizar educadores abordando, de forma crítica e criativa, questões relevantes ao ensino das diferentes linguagens artísticas, nos diferentes níveis de ensino formal e ensino não formal. Espera-se contribuir na formação continuada de educadores não apenas de arte, mas também das áreas humanas.

3.10 Cultura e Vestibular: Visa proporcionar aos estudantes que se preparam para o vestibular um contato aprofundado com o mundo da cultura e das diferentes linguagens artísticas, através de abordagens que enfatizem as relações entre as artes e os conteúdos e disciplinas curriculares do ensino médio.

4 INFRA-ESTRUTURA E RECURSOS MATERIAIS:

4.1 O Centro Cultural São Paulo dispõe de 2 salas de oficina e 1 espaço de ateliê. Propostas para espaços alternativos do edifício são bem-vindas e serão avaliadas atentando para as normas de segurança e programação do CCSP. Os proponentes podem visitar o CCSP e conhecer os espaços para melhor elaboração de seus projetos.

4.2 Computador, data-show, aparelho de som e dvd podem ser disponibilizados. Demais equipamentos, materiais de consumo e outras demandas serão tratados caso a caso durante o processo de produção das Oficinas.

5. DAS EXIGÊNCIAS GERAIS PARA PARTICIPAÇÃO

5.1 Serão admitidos a participar da presente seleção todos os profissionais das áreas artísticas, culturais, de práticas corporais que apresentarem perfis compatíveis com os objetivos e natureza das Oficinas Livres, e que manifestem interesse em fazê-lo, nos termos deste Edital.

5.2 Não poderão se inscrever servidores pertencentes aos quadros de funcionários da Prefeitura do Município de São Paulo, conforme vedação estabelecida no Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de São Paulo (Lei 8989/79 art.179, inciso XV)

6. DAS INSCRIÇÕES

6.1 As inscrições serão realizadas no período, horário e local descritos no preâmbulo do Edital, mediante a entrega de duas vias da ficha de inscrição totalmente preenchida e assinada (Anexo I – formulário disponível para download no site www. centrocultural.sp.gov.br) e de duas fotocópias da Carteira de Identidade e do Cadastro de Pessoa Física (CPF) que deverão ser colocadas dentro de um envelope lacrado com os seguintes dizeres na sua face externa:
A/C. Divisão de Ação Cultural e Educativa
Centro Cultural São Paulo
Oficinas 2009 (Área de atuação:......................................)

6.2 Também serão aceitas inscrições pelos Correios. A postagem do envelope contendo os documentos necessários para a inscrição (item 6.1) deverá ser ocorrer até o dia 17 de abril de 2009.

6.3 O Centro Cultural São Paulo não se responsabiliza por eventuais envelopes extraviados pelos Correios e, no caso de greve, os envelopes deverão ser entregues pessoalmente.

6.4. A mesma documentação estabelecida no item 6.1 deve ser apresentada para cada um dos proponentes de oficinas em dupla, esclarecendo-se que toda ela deve estar no mesmo envelope.

6.5.Não serão aceitas inscrições de projetos que não cumpram rigorosamente todas as exigências previstas neste Edital e a ausência de qualquer documento implicará na desclassificação do(s) proponente(s)

6.6.Cada proponente (ou cada dupla) poderá se inscrever para até 2 áreas de atuação distintas, sendo vedada a apresentação de dois projetos para uma mesma área.

7. DA COMISSÃO JULGADORA

7.1 À Comissão de Seleção caberá a análise e a seleção dos projetos.

7.2 A Comissão de Seleção será composta por sete membros indicados pela Diretoria do Centro Cultural São Paulo, sendo três do quadro de funcionários da Comissão de Curadoria do CCSP e quatro membros contratados especialmente para tal finalidade, com notória experiência na área cultural. A Comissão de Seleção é soberana quanto aos méritos das decisões.

7.3 Nenhum membro da Comissão de Seleção poderá participar de forma alguma de projeto concorrente ou ter quaisquer vínculos profissionais ou empresariais com as propostas apresentadas ou de parentesco com os proponentes.

8. DA SELEÇÃO E DOS CRITÉRIOS

8.1 A Comissão de Seleção avaliará e classificará os projetos inscritos por área, considerando as exigências especificadas neste Edital

8.1.2. Serão selecionados para cadastro até 68 projetos

8.1.1. Serão utilizados os seguintes critérios para seleção das Oficinas:

8.1.1.1. clareza e qualidade do projeto;

8.1.1.2. a adequação do Plano de Trabalho da Oficina Livre às especificações previstas no item 2;

8.1.1.3. a comprovação de conhecimento e experiência na área escolhida através da análise curricular;

8.1.1.4. a viabilidade da implementação do projeto;

8.1.1.5. pertinência dos métodos de trabalho escolhidos em relação ao público alvo;

8.1.1.6. interesse sócio-cultural da proposta.

8.2 Os projetos inscritos não selecionados poderão ser retirados junto à Divisão de Ação Educativa, mediante apresentação de RG do proponente, no prazo de 15 dias corridos a partir da publicação do resultado de seleção. Passado este prazo, o Centro Cultural encaminhará os projetos para reciclagem

8.3 A Comissão de Seleção decidirá sobre casos omissos.

8.4 A Comissão de Seleção encaminhará o resultado para homologação pelo Diretor do Centro Cultural São Paulo e publicação da lista de todos os selecionados divididos por área no Diário Oficial da Cidade a partir do dia 16 de junho. A lista dos selecionados será divulgada também através do endereço eletrônico www.centrocultural.sp.gov.br

9. DOS RECURSOS

9.1. Do resultado caberá recurso, no prazo de 05 dias úteis da publicação da ata no Diário Oficial, dirigido ao Sr. Diretor do Centro Cultural São Paulo, que deverá ser devidamente protocolado no endereço constante no preâmbulo deste Edital, nos termos da legislação regente.

9.2. Não serão conhecidos recursos enviados pelo correio, fac-símile, correio eletrônico, ou qualquer outro meio de comunicação.

10. DAS CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO

10.1. Os projetos selecionados integrarão um banco de dados específico que terá prazo de validade de um ano da data da publicação dos resultados.

10.2. A Divisão de Ação Cultural e Educativa do Centro Cultural São Paulo, segundo as necessidades do programa de Oficinas Livres e disponibilidade orçamentária, convocará os selecionados para contratação.

10.3. Cada oficina poderá, a critério da Administração, ser realizada por até 03 vezes consecutivas respeitado o período de validade deste credenciamento indicado no item 10.1.

10.4. Quando da contratação, os oficineiros selecionados serão convocados através do envio de correspondência (que poderá ser eletrônica, com inequívoca ciência) e terão o prazo de até 10 dias após o recebimento do comunicado para apresentar os documentos relacionados a seguir:

10.4.1.Cópia reprográfica do PIS/PASEP/NIT;

10.4.2. FDC (ficha de dados cadastrais) e Certidão negativa de Tributos Mobiliários Municipais de São Paulo. Caso o proponente não seja cadastrado no CCM apresentar uma declaração, sob as penas da lei, de que nada deve à Fazenda do Município de São Paulo e que está ciente de que o ISS incidente sobre a operação será retido.

10.4.3 Não poderão ser contratados aqueles que tiverem pendências no Cadastro Informativo Municipal –CADIN aprovado pela Lei nº. 14.094 de 06 de dezembro de 2005, e regulamentado pelo Decreto nº. 47.096 de 21 de março de 2006;

10.5. Na falta de documentação ou na hipótese de desistência do interessado no prazo estabelecido no item 10.5., o Centro Cultural São Paulo convocará outro selecionado.

10.6. As contratações serão de responsabilidade do Centro Cultural São Paulo, no uso das atribuições delegadas por meio da Portaria 19/SMC-G/2006, e realizadas nos termos do artigo 25, caput da Lei Federal nº8666/93 e demais normas estabelecidas por esse diploma, de acordo com as condições a seguir descritas, observadas as linhas gerais traçadas pelos pareceres da Procuradoria Geral do Município ementados sob os números 10.178 e 11.169.


11. DA REMUNERAÇÃO

11.1 Os Oficineiros contratados receberão como contrapartida financeira pelos serviços prestados o pagamento de R$ 70,00 (setenta reais) pela hora-aula por projeto. Para oficinas em duplas este valor será dividido.

11.2 Este valor abrange todos os custos e despesas direta ou indiretamente envolvidas, não sendo devido nenhum outro valor, seja a que título for.

11.3 Os valores devidos aos Oficineiros serão apurados mensalmente e pagos em até trinta dias da comprovação da execução dos serviços, mediante confirmação pela unidade responsável pela fiscalização.

11.4 A Divisão de Ação Cultural e Educativa do Centro Cultural São Paulo será responsável pela fiscalização da efetiva execução dos projetos, através de responsável designado em cada contrato, nos termos do artigo 67 e § 1° da Lei Federal n° 8.666/93.

11.5 Os Oficineiros contratados deverão abrir conta bancária própria e única, no Banco Bradesco, para movimentação dos aportes recebidos da Secretaria Municipal de Cultura informando-a e autorizando desde já, e a qualquer tempo, o acesso à movimentação financeira.

11.6 As responsabilidades civis, penais, comerciais, e outras advindas de utilização de direitos autorais e/ou patrimoniais anteriores, contemporâneas ou posteriores à formalização do Contrato cabem exclusivamente ao contratado.

11.7 A Secretaria Municipal de Cultura não se responsabilizará em hipótese alguma pelos atos, contratos ou compromissos assumidos de natureza comercial, financeira, trabalhista ou outra, realizados pelo contratado para fins do cumprimento do Contrato com a Prefeitura do Município de São Paulo (Secretaria Municipal de Cultura).

12. DAS PENALIDADES

12.1. A inexecução parcial ou total do contrato acarretará a aplicação, nos termos do disposto na Lei Federal n°8.666/93 e no artigo 56 do Decreto Municipal n° 44.279/05 e § 1° do artigo 15 do Decreto Municipal n° 45.695/05, das seguintes penalidades:
I - Advertência;
II - pela inexecução parcial: multa de 20% do valor da parcela não executada do contrato;
III - pela inexecução total: multa de 30% do valor total do contrato;
IV - Para cada falta injustificada: multa de 5% sobre o valor total, além do desconto da hora aula não trabalhada. O limite é de 25% de faltas injustificadas durante todo o período da contratação sob pena de rescisão contratual por inexecução parcial e incidência na multa prevista no item II.
V- Por descumprimento das determinações da unidade responsável pela fiscalização da execução do projeto: 5% do valor total do contrato

12.2. As penalidades previstas neste item serão aplicadas sem prejuízo das demais sanções previstas na legislação que rege a matéria, são independentes e a aplicação de uma não exclui as outras.

12.3. Aplicam-se a este capítulo, no que couber, as disposições dos artigos 54 e 55 do Decreto Municipal nº44.279/03, combinados com o §1º do artigo 15 do Decreto Municipal nº 46.888/06.

13. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

13.1. O Centro Cultural São Paulo compromete-se a não utilizar os projetos inscritos sob hipótese alguma sem a prévia autorização de seu(s) autor(es).
13.2. Os casos omissos relativos ao presente Edital serão resolvidos pela Diretoria do Centro Cultural São Paulo, ouvidas as áreas competentes.

14. DOS RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS
Os recursos relativos às contratações que poderão advir deste credenciamento deverão onerar a dotação nº 25.60.13.392.0227.6.415.3.3.90.36.00.00.6.7

São Paulo, 12 de março de 2009
MARTIN GROSSMANN
DIRETOR

Posted by Ananda Carvalho at 12:18 AM | Comentários(2)

março 20, 2009

Projeto Amplificadores de Artes Visuais 2009 - Inscrições e informações para profissionais

Seleção de 3 projetos de curadoria de exposições coletivas para a sala de exposições temporárias do Museu Murillo La Greca

Inscrições de 19 de março a 03 de maio de 2009 - exposições entre junho e outubro de 2009

Museu Murillo La Greca
Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti 366, Parnamirim, Recife - PE
CEP: 52060-030
81-3232-4276/4467 ou murillolagreca@gmail.com
www.recife.pe.gov.br
Segunda a sexta, 9-12h e 14-17h


Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA PREMIADOS:
Prêmio de R$ 4.000 pago em duas parcelas de R$ 2.000, sendo a primeira 15 dias antes de cada abertura de exposição e a segunda parcela na abertura.

GANHO PARA INSCRITOS: NENHUM

CUSTOS OPERACIONAIS - INSCRIÇÃO:
Envio postal ou físico de dossiê para proposta de curadoria dentro das seguintes especificações:
a) Terormato máximo de 21 x 49 cm A4;
b) Estar em envelope com nome completo do proponente e "Projeto Amplificadores - 2009";
c) Conter fotos com nome do autor, título da obra, data, técnica ou materiais utilizados, dimensões e outros dados necessários;
d) Apresentar uma proposta de curadoria em até três laudas;
e) No caso de instalações ou obras não convencionais, o dossiê deve permitir o entendimento claro das propostas apresentadas, através de texto do curador ou artista, com especificações de manuseio e montagem;
f) Conter um resumo curricular de cada artista participante;
g) Conter dados curriculares, identificação e dados pessoais com endereço completo, telefone, fax e e-mail;
h) Conter ficha de inscrição preenchida e assinada.

- MONTAGEM
Transporte, seguro de obras, aluguel de equipamentos especiais, hospedagem e alimentação, caso necessário.

CONTRAPARTIDA PARA SELECIONADOS:
Texto crítico para cada exposição através do Projeto Jovem Crítica; auxílio para montagem e desmontagem das obras e projeto de Mediação Cultural, de origem educativa, realizada durante toda a mostra.

DEVOLUÇÃO:
Os dossiês não classificados serão devolvidos apenas se fornecido envelope pré-selado com o mesmo valor da encomenda enviada. Os dossiês dos proponentes selecionados não serão devolvidos e ficarão arquivados no Museu Murillo La Greca.


Edital e ficha de inscrição

Art. 1º O Projeto Amplificadores de Artes Visuais se destina a selecionar Projetos de Curadoria (Artistas Visuais e/ou Curadores) para mostras coletivas a serem realizadas nas salas de exposições temporárias e áreas externas ao museu.

Art. 2º Podem inscrever-se artistas e curadores brasileiros e estrangeiros, desde que residentes no Brasil.

Art. 3º As inscrições poderão ser feitas a partir de 19 de março de 2009 de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 12h e das 14h às 17h, no Museu Murillo La Greca, (rua. Leonardo Bezerra Cavalcanti, 366 – Parnamirim. CEP 52060-030, Recife-PE. Tel (81) 3232-4276 fax: 3232-1409 ou pelo correio, com data de postagem até 03 de maio de 2009.

Art. 4º O curador ou artista deverá conceber e organizar uma exposição coletiva, desde que o proponente assuma o compromisso de envolver critérios de concepção, significação e relação entre os trabalhos escolhidos, especificando o conceito ou abordagem da exposição coletiva da sua proposta apresentada. Fica franqueada a participação do curador como um dos artistas participantes da mostra coletiva, se assim o desejar.

Art. 5º Os artistas e/ou curadores poderão inscrever 01 (um) projeto de exposição coletiva adequado aos espaços oferecidos pelo museu.

Art. 6º A inscrição implica na automática e plena concordância das normas estabelecidas neste regulamento.

SELEÇÃO

Art. 7º A seleção dos trabalhos será feita pelo exame de dossiê, por comissão composta por 03 membros, designados pela Gerência do Museu Murillo La Greca, também, sendo soberanas as suas decisões.

PROPOSTA DE CURADORIA

Art. 8º O dossiê para PROPOSTA DE CURADORIA deve seguir as seguintes especificações:

I – ter formato máximo de 21 x 29 cm A4;

II – enviar todo material em envelope com o nome completo do proponente (Projeto Amplificadores - 2009);

III – conter fotos, coloridas ou P/B, indicando o nome do autor, título da obra (quando houver), data, técnica ou materiais utilizados, dimensões e outros dados considerados necessários pelo proponente;

IV – apresentar uma proposta de curadoria em até três laudas;

V – no caso de instalações ou obras não convencionais, o dossiê deve permitir o entendimento claro das propostas apresentada, através de texto do curador ou artista, com especificações de manuseio e montagem;

VII – conter um resumo curricular de cada artista participante;

VIII – conter dados curriculares, identificação e dados pessoais com endereço completo, telefone, fax e e-mail;

IVX – ficha de inscrição preenchida e assinada.

Art. 9º A seleção será feita através das fotos e projetos. Não serão aceitas obras no ato da inscrição.

Art. 10º Os proponentes selecionados serão comunicados por correspondência, e-mail ou telefone em até 3 (três dias) após a seleção.

Art.11º As curadorias selecionadas receberão o prêmio no valor de R$ 4.000,00 (quatro mil e reais), pagas em duas parcelas de R$ 2.000,00 (dois mil reais), sendo a primeira 15 dias antes de cada abertura de exposição e a segunda parcela na sua abertura.

Art.12º O Museu Murillo La Greca fornece texto crítico para cada exposição através do Projeto Jovem Crítica.

MMLG oferece auxílio na montagem e desmontagem das obras e um trabalho de Mediação Cultural, de origem educativa, realizada durante toda a mostra.

Parágrafo único: Todos os custos aqui não especificados ficam como regra geral, a cargo do artista e/ou grupos expositor.

Art. 13º Os dossiês não classificados serão devolvidos apenas se fornecido envelope pré-selado com o mesmo valor da encomenda enviada. Os dossiês dos proponentes selecionados não serão devolvidos e ficarão arquivados no Museu Murillo La Greca.

EXPOSIÇÕES

Art. 14º As exposições serão realizadas no período de junho a outubro de 2009 com datas a serem definidas juntamente com os selecionados, após a divulgação da seleção.

Caberá à Coordenação do Museu Murillo La Greca – MMLG, de comum acordo com os proponentes selecionados, o plano de execução e montagem das exposições.

TRANSPORTE

Art. 15º Os trabalhos deverão chegar ao Museu Murillo La Greca com uma antecedência mínima de 03 (três) dias para residentes em Recife e 07 (sete) dias para os selecionados de outros estados, antes da abertura da exposição.

Art. 16º Os curadores ou artistas selecionados deverão retirar seus trabalhos em até 07 (sete) dias após o término da exposição. A não observância deste prazo permitirá ao Museu Murillo La Greca, adotar as providências que melhor lhe aprouver.

Parágrafo único: O Museu Murillo La Greca não assumirá custos com o transporte, hospedagem e alimentação, devendo estes ficar a cargo do selecionado, quando e se necessário.

Art. 17º O Museu Murillo La Greca não se responsabiliza por eventuais danos causados às obras durante o percurso do transporte, cabendo ao curador providenciar o seguro, se for de seu interesse.

Art. 18º Cabe ao Museu Murillo La Greca zelar pelas obras expostas, adotando cuidados na montagem e medidas de segurança que garantam a integridade da mesma nas dependências do museu. No entanto, não se responsabilizará por eventuais danos causados por terceiros.

MONTAGEM EXPOSIÇÃO COLETIVA – CURADORIA

Art. 19º A montagem será feita pela equipe do Museu Murillo La Greca. Será permitida, porém, a participação dos curadores e/ou artistas selecionados no processo de montagem, se assim o desejarem. Trabalhos que exijam salas, instalações e montagens especiais só serão exibidos de acordo com a disponibilidade técnica e física do museu. Os projetos selecionados serão montados de acordo com os projetos enviados pelos mesmos.

Art. 20º Equipamentos especiais necessários à apresentação deverão ser fornecidos pelos curadores, sendo de sua total responsabilidade a operacionalização e manutenção dos mesmos.

OBRIGAÇÕES DOS CURADORES

Art. 21º Cabe aos curadores ou artistas selecionados:

I - assinar o Termo de Compromisso da exposição da qual é responsável;

II - comunicar, por escrito, eventuais mudanças de endereço à Coordenação do Museu Murillo La Greca, em Recife;

III - entregar, nos prazos estipulados pelo MMLG, logo após a seleção, o material destinado à produção das peças gráficas (banner e folder) de divulgação, como fotos coloridas ou P/B já digitalizadas em alta resolução, que garantam melhor reprodutibilidade. Especificar as fotos que serão destinadas ao material para divulgação, acompanhadas de ficha técnica completa (nome, título, técnica, dimensões, ano), currículo resumido de cada artista, e texto sobre o conjunto de trabalho que serão apresentados;

IV - autorizar por escrito (cada artista envolvido na exposição) a reprodução do material destinado à produção das peças gráficas para divulgação e promoção do projeto em todo e qualquer veículo de comunicação, bem como autorizar as imagens das obras expostas e textos via Internet;

V - enviar, para as exposições, os trabalhos apresentados no dossiê que foram indicados pela Comissão de Seleção, não sendo permitido substituí-los por obras com características diferentes;

VI - pagar as despesas de moldura, embalagem e transporte das obras (ida e volta) e fornecer equipamentos especiais, permanecendo o curador e/ou grupo responsável pelos mesmos;

VII - cumprir os prazos estipulados para a entrega das obras;

VIII – os curadores e artistas selecionados não poderão retirar os trabalhos antes do encerramento do evento;

OBRIGAÇÕES DO MUSEU MURILLO LA GRECA – MMLG

Art. 22º Cabe ao Museu Murillo La Greca – MMLG

I – fornecer texto crítico para cada exposição (Projeto Jovem Crítica);

II – fornecer material gráfico de divulgação (folder e banner);

III – fornecer coquetel de abertura (exclusivo para a abertura da mostra coletiva);

IV – fornecer trabalho de Mediação Cultural durante toda a mostra;

V – disponibilizar o espaço físico para as mostras selecionadas fornecendo planta baixa das s alas de exposições temporárias;

VI – disponibilizar: 1 (uma) TV com DVD; 01 projetor; 01 computador, caso seja necessário;

VII – promover a divulgação da programação na imprensa local, na Internet (convite virtual), na Agenda Cultural da Cidade do Recife bem como através de outras estratégias de divulgação ao alcance da PCR.

Art. 23º As decisões finais da Comissão de Seleção são irretratáveis e irrevogáveis.

Art. 24º Os casos omissos e controversos serão resolvidos pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife e Museu Murillo La Greca.


Luciana Maria Felix de Queiroz
Presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife

CRONOGRAMA

Inscrições: 19 de março de 2009 a 03 de maio de 2009
Seleção dos projetos: 11 de maio de 2009
Divulgação do resultado: 13 de maio de 2009


FICHA DE INSCRIÇÃO

Número de inscrição (preenchimento pelo MMLG):

Nome completo (responsável pelo Projeto):

Rua/Avenida:

No.: Apto.: Bairro:

Cidade: UF: CEP


Fone(s): e-mail:

CPF: RG:

Data e local de nascimento:

Estou ciente e de acordo com os termos estabelecidos neste edital

EDITAL – PROJETO AMPLIFICADORES – 2009 - MMLG

Assinatura do curador ou artista

Recebemos a proposta

Recife,______de _______________de 2009

Responsável pelo recebimento/instituição:

Assinatura

Posted by Ana Maria Maia at 5:34 PM

Concurso para professores do Departamento de Artes Visuais da UnB

Seleção para seis professores assistentes 1 (nível mestrado)
Áreas: Arte Educação: Supervisão de Ensino de Artes Visuais, Fundamentos teóricos e metodológicos do Ensino de Artes, Arte Educação: Tecnologias do Ensino de Arte, História da Arte no Brasil

Inscrições de 9 de março a 12 de abril de 2009 (exceto para área de História da Arte, com inscrições de 16 de março a 19 de abril de 2009)

Inscrições pelo sítio da UnB
http://www.cespe.unb.br/concursos/docentesunb

Provas no Departamento de Artes Visuais
Prédio SG01, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília - DF
CEP 70910-900
www.unb.br

Veja os editais aqui


INFORMAÇÕES SOBRE OS CONCURSOS

Edital de Abertura N. 282/2009
Área: Arte Educação: Supervisão de Ensino de Artes Visuais
Inscrições: 09/03/2009 a 12/04/2009
2 Vagas

Edital de Abertura N. 281/2009
Área: Arte Educação: Fundamentos teóricos e metodológicos do Ensino de Artes
Visuais
Inscrições: 09/03/2009 a 12/04/2009
2 Vagas

Edital de Abertura N. 280/2009
Área: Arte Educação: Tecnologias do Ensino de Arte
Inscrições: 09/03/2009 a 12/04/2009
1 Vaga

Edital de Abertura N. 283/2009
Área: História da Arte no Brasil
Inscrições: 16/03/2009 a 19/04/2009
1 Vaga

Posted by Ana Maria Maia at 5:06 PM

Selecionados 2009 dos Clubes de Colecionadores de Gravura e Fotografia - MAM-SP

Comissão de seleção
Cauê Alves (gravura) e Eder Chiodetto (fotografia)

Selecionados do Clube da Gravura
Albano Afonso (São Paulo - SP)
Arthur Luiz Piza (Paris - FR)
Ernesto Neto (Rio de Janeiro - RJ)
Fernando Lindote (Florianópolis - PR)
Nilo (Juazeiro do Norte – Cariri - CE)

Selecionados do Clube da Fotografia
Adriana Varejão (Rio de Janeiro - RJ)
Felipe Cama (São Paulo - SP)
João Castilho (Belo Horizonte - BH)
Tony Camargo (Curitiba - PR)
Rosângela Rennó (Belo Horizonte - BH)


O Museu de Arte Moderna de São Paulo promove anualmente seus Clubes de Colecionadores de Gravura e da Fotografia, hoje sob a coordenação de Fátima Pinheiro. A idéia da criação e do funcionamento dos clubes, comum em museus norte-americanos e europeus, é simples. Os interessados se associam a um dos clubes e passam a receber anualmente cinco gravuras ou cinco fotografias. A edição é de até 112 obras: 100 são distribuídas aos associados, 10 obras ficam com os artistas e 2 são doadas ao acervo do MAM, tanto das gravuras quanto das fotografias. A curadoria da área de gravura fica a cargo de Cauê Alves e, na área de fotografia, de Eder Chiodetto.

Entre 1986 e 2007, com a criação do Clube de Colecionadores de Gravura, pela artista Maria Perez Sola (o Clube de Colecionadores de Fotografia surgiu em 2000), entraram para o acervo do MAM 89 gravuras e 35 fotografias. Várias dessas obras já estiveram em exposições do acervo e em mostras externas.

Clube de Colecionadores de Gravura
Segundo o diretor do MAM, Tadeu Chiarelli, o clube “acolheu alguns dos principais artistas gravadores do Brasil -entre eles Maria Bonomi, Fayga Ostrower, Emanoel Araújo, Evandro Carlos Jardim, Anna Bella Geiger, Cláudio Mubarac e Laurita Salles-, ao mesmo tempo em que permitiu aos sócios do clube adquirir obras de artistas que comumente se expressam através de outros meios, como Tomie Ohtake, Arcangelo Ianelli, Luis Paulo Baravelli e Leda Catunda, entre outros”.

Chiarelli salienta ainda, em texto sobre história do clube, que “desde o início, o Museu sempre convidou artistas reconhecidos pela adoção de procedimentos gráficos como meio de expressão e, concomitantemente, artistas que nunca _ou raramente_ se utilizaram desses procedimentos. A idéia de propiciar ao sócio do clube obras de grandes nomes da gravura brasileira, e ao mesmo tempo, obras daqueles que, por se manifestarem sobretudo por meio da pintura, atingissem uma cotação mercadológica acima das possibilidades e/ou interesses do associado”.

O clube nasceu em 1986 dentro das atividades do extinto Departamento de Artes Gráficas do MAM. A partir de 1996, os critérios de escolha dos artistas para a participação no clube começaram a passar por algumas modificações. A primeira razão para essas mudanças deveu-se sobretudo à própria situação da gravura contemporânea em São Paulo, em meados dos anos 90.

Há exemplos que deixam clara a afirmação do diretor do museu: a obra “Faça você mesmo” (2000), de Paulo Climachauska, constituída de um kit democrático e interativo, leva o associado a grafar na parede um perfil figurativo, afixar um prego e colocar uma pedra sobre sua fina base. Outro exemplo é “Principia” (1997/2002), obra de Vik Muniz. A gravura se apresenta como um aparelho de madeira e couro com visor estereoscópico. Pelo aparelho pode-se visualizar organismos vivos falsos.

O interessado em se associar ao Clube de Colecionadores de Gravura paga à vista R$ 3.200 ou até 10 mensalidades de R$ 320. No decorrer do ano, bimestralmente, o sócio recebe a sua gravura.

Clube de Colecionadores de Fotografia
Criado em 2000 sob os mesmos moldes e inspiração do Clube de Colecionadores de Gravura, o Clube de Colecionadores de Fotografia propôs-se desde o início a divulgar os nomes mais importantes dessa arte. Apresentada em museus e galerias, a fotografia ainda hoje continua pouco colecionada no âmbito privado. O MAM atua no sentido de incentivar o colecionismo fotográfico.

Nos três primeiros anos do clube, a curadoria do museu propôs fotos em preto-e-branco e no formato 40 x 50 centímetros. Em 2003, os dois parâmetros não foram mais uma exigência. Trinta artistas já produziram fotografias para o clube, que foi iniciado por Tuca Reinés, Vicente de Mello, Rochelle Costi, Rômulo Fialdini e João Musa.

A adesão ao Clube de Colecionadores de Fotografia é feita através do pagamento anual de R$ 2.600 ou mediante o parcelamento em até 10 vezes de R$ 260. No decorrer do ano, bimestralmente, o sócio recebe a sua fotografia.

Posted by Ana Maria Maia at 2:50 PM

março 19, 2009

22ª Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade - Inscrições e informações para organismos e profissionais

Categorias: Apoio Institucional e/ou Financeiro, Divulgação, Educação Patrimonial, Pesquisa e Inventário de Acervos, Preservação de Bens Móveis e Imóveis, Proteção do Patrimônio Natural e Arqueológico e Salvaguarda de Bens de Natureza Imaterial.

Comissão julgadora: Afonso Luz, Ana Costa, Aroldo Braga, Carlos Alberto Xavier, Carlos Kessel, Carolina Campos, Cláudia Nardon, Cleo Carvalho, Euler Barros, Jeferson Navolar, Maria Ângela Cunico, Mariza Veloso, Nilceia Matos Patricia Reis, Renato Balbim, Robson Almeida

Inscrições até 11 de maio de 2009

Superintendências Regionais do Iphan
www.iphan.gov.br
www.comprasnet.gov.br

Leia aqui o edital completo
Baixe aqui a ficha de inscrição

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA PREMIADOS:
- Prêmio de R$20.000 brutos (a serem descontadas as obrigações tributárias para pessoa física ou pessoa jurídica) para cada categoria. Admite-se a hipótese de haver categoria sem vencedor, não sendo permitido o empate.

GANHO PARA INSCRITOS: NENHUM

CUSTOS OPERACIONAIS - INSCRIÇÃO:
Envio postal de:
a) Ficha de inscrição completa;
b) Dossiê de apresentação da ação com elementos iconográficos, audiovisuais ou qualquer outra espécie de material ilustrativo ou produto, que possibilitem a plena caracterização da atividade, tais como desenhos, fotografias, slides, mapas, cartazes, folhetos, revistas, livros, fitas cassete e de vídeo, CD ROMs, CDs etc. 5.3.1;
c) Resumo da ação, de no máximo duas páginas de 30 linhas, com o objetivo de facilitar a divulgação das ações junto à imprensa.

CONTRAPARTIDA PARA SELECIONADOS:
Além do prêmio, os selecionados ganham troféu e certificado, a serem entregues em cerimônia de premiação em julho de 2009.

Posted by Ana Maria Maia at 6:15 PM

Chamada para trabalhos: Mobilefest 2009 - Festival Internacional de Arte e Criatividade Móvel

Pôsters, papers, projetos, protótipos e produtos.

Inscrições até 15 de junho de 2009 através do www.mobilefest.org
Resultado até 15 de julho de 2009

Festival de 17 a 28 de setembro de 2009

Mobilefest 2009
Museu da Imagem e do Som (MIS)
Avenida Europa 158, Jardim Europa, São Paulo - SP
www.mis-sp.org.br
www.mobilefest.org


SOBRE A CHAMADA

TEMA
Como a tecnologia móvel pode contribuir para a democracia, cultura, arte,
ecologia, paz, educação, saúde, e o terceiro setor?

PALAVRAS CHAVES
3g, aplicativos móveis, arquitetura interativa, arte eletrônica, arte, ativismo
móvel, bluetooth, cibercultura, cinema ao vivo, mociologia, cultura, democracia,
design de inclusão, ecologia, educação móvel, faça você mesmo, gprs, gps, LBS,
inovação, jogos móveis e wireless, lbs, locative, mms, geotagging, música
eletrônica, música móvel, m-health, m-payment, m-gov, narrativa móvel, paz,
performances interativas em rede com dispositivos móveis e wireless,
intercâmbio, produção e distribuição de vídeo, realidade aumentada, redes
abertas, redes mesh, redes sociais, rfid, sala de aula expandida, saúde,
sensores, sms, streaming móvel, tecnologias vestíveis, tendências, terceiro
setor, vídeo cidadão, vídeo chamada, TV no celular, wi-fi, wi-max, zigbee, etc.

SOBRE O FESTIVAL

O Mobilefest - Festival Internacional de Arte e Criatividade Móvel é um evento
que busca questionar e discutir o advento das novas tecnologias móveis em suas
relações com os mais diversos âmbitos da sociedade, constituindo-se no primeiro
festival internacional do gênero. O objetivo principal é proporcionar um
ambiente multifacetado e heterogêneo de discussões, ações e criações que visem,
através das virtualidades das novas tecnologias móveis, soluções inteligentes
para a resolução ou mesmo discussão das questões que afligem as sociedades
contemporâneas.

O empenho do evento sobre as novas tecnologias de comunicação é baseado na
percepção de seu crescimento exponencial - são mais de 4 bilhões de celulares
ativos no mundo atualmente - e de sua crescente utilização não só para a
comunicação entre as pessoas, mas em atividades de educação, inclusão social,
produções artísticas variadas, entretenimento, segurança, produção e
distribuição de conteúdos, conformação de redes de sociabilidade, ações
ativistas, saúde, comércio, publicidade, etc.

HISTÓRICO
O I Mobilefest foi lançado em novembro de 2006, a partir do seminário
internacional, realizado em São Paulo, no Sesc Paulista, com transmissão ao vivo
e gratuita pela Internet. O Seminário contou com a participação de 16 artistas e
pesquisadores estrangeiros e 20 artistas e especialistas brasileiros.
O II Mobilefest (2007) reuniu 26 artistas e pesquisadores extrangeiros e 28
artistas e pesquisadores brasileiros. Foram 5 dias de seminários, 2 de boot camp
- MobileActive no Mobilefest - e 30 dias de mostra expositiva na Galeria do Sesc
Paulista.

Com o crescimento de sua programação, a grande novidade foi a realização de
eventos simultâneos na Inglaterra (University of Westminster), na Holanda (The
Waag Society)e no Estados Unidos (New York University - ITP e California - USC)
através de videoconferências e encontros presenciais nestes países.

No setor de audiovisual, o Mobilefest consolidou o desejo de criar uma rede
internacional de festivais sobre produção de conteúdo móvel. O evento contou
também com o lançamento da premiação de reconhecimento dos melhores trabalhos e
aplicações móveis, o I Prêmio Mobilefest, que premiou os melhores trabalhos nas
categorias Foto Jornalismo, Escrita SMS (Poesia e Micro conto), Vídeos e Moblogs
e Videologs. Ainda em 2007 o Festival Mobilefest se tornou parte oficial do
calendário para a cidade de São Paulo.

A Terceira edição do Mobilefest aconteceu no MIS - Museu da Imagem e do Som e
ampliou suas atividades incluindo performances artísticas em locais de grande
circulação de publico de São Paulo como o Metro, por onde passam mais de
2.000.000 de pessoas por dia. A Mostra e o Seminário contaram com a participação
de 14 artistas e pesquisadores de estrangeiros e 27 palestrantes brasileiros
criando um excelente cenário de troca e intercâmbio com o público do evento.

Através do fundo e inovação estratégica do governo do Canadá, conquistado em
competição mundial, o Mobilefest iniciou seu programa Mobilefest Labs,
plataforma de projetos binacionais, iniciando assim uma nova frente de trabalhos
internacionais.

OBJETIVOS
- Popularizar a tecnologia móvel de maneira a contribuir com a inclusão digital,
através da generalização do conhecimento, de suas formas de utilização e das
possibilidades de interação abertas por esses novos meios de comunicação.
- Oferecer ao público a primeira premiação especializada no reconhecimento de
trabalhos que utilizam a tecnologia móvel.
- Promover intercâmbios culturais entre os pesquisadores e produtores nacionais
e internacionais deste meio.
- Incentivar o pensamento e a produção criativa acerca das novas tecnologias
visando expandir as funções de hardware e software possíveis no âmbito da
tecnologia móvel.
- Estimular a produção de conteúdo no setor de tecnologia móvel no Brasil tanto
em termos das produções de âmbito industrial, quanto do ponto de vista do
criador independente.
- Possibilitar a participação de todos que se interessem em produzir e
distribuir conteúdos através das redes móveis de comunicação.

DATA DE ENTREGA
A data limite para as inscrições na chamada de trabalhos é 15 de junho de 2009.
Os selecionados serão comunicados ate 15 de julho de 2009.

INSCRIÇÃO
As inscrições devem ser enviadas até 15 de junho de 2009 via email para
2009(at)mobilefest.org com a informação abaixo:

Nome completo:
Organização/Empresa:
Biografia curta:
Idade:
Resumo/Abstrato:
Incluí um demo? SIM/NÃO
Uma nova ferramenta ou versão será inaugurada durante o evento? SIM/NÃO
Formato: Conferência / Workshop / Demonstração
Necessita de conexão de Internet? SIM/NÃO
País:
Cidade:
Telefone Fixo:
Telefone Móvel:
Universidade (opcional):
Categoria proposta (democracia, cultura, arte, ecologia, paz, educação,
saúde, terceiro setor ou `todos' **)

**O MOBILEFEST é um evento transdisciplinar, quanto mais interconexão entre os
conhecimentos, melhor.

ATENÇÃO:
- Abstratcts precisam ter no mínimo 300 palavras
- Papers precisam ter no mínimo 1000 palavras
- Os papers enviados podem ser escritos em português, espanhol, inglês ou
italiano.
- As apresentações deverão ser feitas em Inglês ou Português
- Os trabalhos enviados estarão limitados à 45 minutos de apresentação
- O paper deve estar em anexo no email em arquivo nos formato .txt, .rtf, .doc
ou .pdf.
- Rider técnico: planta da instalação, fotos, vídeo e descritivo completo.
- Envie quantos projetos quiser, limitado a um por e-mail enviado.
- Workshop/Demonstração -
Formato: 30 minutos até 2 horas de demonstração / workshop

QUEM JÁ PARTICIPOU
Adriene Jenik, Alan Kay, Alberto Magno,Alberto Tognazzi, Alexandre Matias, Ami
Dar, Amyris Fernandez, Analivia Cordeiro, André Lemos, Andreas Blazoudakis,
Angela Bardin, Anilton Salles, Antoni Abad, Armin Medosch, Becky Faith, Brenda
Burrell, Bruno Bresani, Camille Baker, Carmen Maia, Carol Mafra, Cesar
Jartorelli, Christian Wiener, Chun-Chi Wang, Clóvis Borges, Cory Ramey, Cyrus
Frisch, Daniel Araújo, Daniel Florêncio, Daniel Oelsner Lopes, David Barnard,
David Cavallo, Douglas Nadalini da Silva, Duncan Kennedy, Eduardo Bicudo,
Eduardo Henrique Marcondes, Eliezer Muniz, Eve Arpo, Eugenio Tissello, Eva
Weber, Evamaria Trischak, Evandri Ferreira, Evgeny Morozov, Fabio Fon, Fabio
Josgrilberg, Jared Hawkey, Felipe Albuquerque Pereira, Fernando Teco Sodré, Gabe
Sawhney, Geandre Tomazoni, Geert Lovink, Geoffrey Shea, Georgina Malagarriga,
Gilson Schwartz, Giselle Beiguelman, Graham Brown-Martin, Graziela Tanaka,
Gustavo Mansur, Gustavo Syllos, Heather A. Horst, Hermes Renato Hildebrand,
Hernani Dimantas, Howard Rheingold, Hyejin Choi, Iatã Cannabrava, Irene
Karaguilla Ficheman, Jackson Filho, Jane Placca, Jason Lewis, Javier Rodrigo,
Jean-Noël Montagné, Jinwoo Chung, Jonah Brucker-Cohen, Jorge Lopes Ramos, Juan
Carlos Zuñiga Torres, Juca Varella, Julien Ottavi, Karinna Bidermann, Kate
Bauer, Kati Hartman, Kati London, Katrin Verclas, Liana Brazil, Lisa Roberts,
Lucas Bambozzi, Lucas Longo, Lucie Bélanger , Lucio Agra, Mara Gabrilli,
Marcello Dantas, Marcelo Nunes de Carvalho, Marcelo Rubens Paiva, Marcelo Tas,
Marcia Tiburi, Marco Chiaretti, Mariana Di Stella Piazzolla, Mario Lynch,
Maroussia LÈvesque, Martin Owen, MaurÌcio Hirata, Mauro Rubens, Max Leite, Max
Schleser, Mieke Gerritzen, Mimi Ito, Norene Leddy, Oleksandr Demchenko, Otakar
Svacina, Paula Carolei, Paulo Henrique Ferreira, Pedro Paranaguá, Rachel Jacobs,
Rachel Payne, Renato Cruz, Renato Rollemberg, Riin Kranna-Rõõs, Rob King, Rob
van Kranenburg, Robson Lisboa, Rogério da Costa, Ronaldo Simão da Costa, Rosana
Herman, Roseli de Deus Lopes, Russ Rive, Sandra Rubia da Silva, Sergio Amadeu da
Silveira, Shawn Van Every, Sheila Kinkade, Silvia Regina Guadagnini, Simone
Freitas, Sofia Oliveira, Soraya Braz, Suely Rolnik, Tadeu Jungle, Tamaryn
Nelson, Tarcísio Bannwart, Toni Eliasz, Victor Rebouças, Volker Grassmut, Wagner
Martins, Yara Guasque, Zico Góes

PAÍSES PARTICIPANTES
Alemanha, Argentina, Áustria, Bangladesh, Bélgica, Brasil, Canadá, China,
Colômbia, Coréia do Sul, Escócia, Espanha, EUA, Finlândia, Estônia, Finlândia,
França, Holanda, Índia, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, México, Peru, Portugal,
Servia, Suécia, Uruguai, Zimbábue.

REDE MOBILEFEST DE FESTIVAIS
Se você faz parte de um Festival Mobile e deseja participar dessa rede, por
favor, entre em contato conosco via e-mail no videos2009(at)mobilefest.org.

PARCERIAS NODES + MOBILEFEST LABS
O Mobilefest criou uma rede de Mobilefest "Nodes" em Universidades, Centros de
Mídia, e Institutos de Pesquisa ao redor do mundo. Se você quer que sua
instituição seja ligada ao Mobilefest, por favor, entre em contato conosco pelo
videos2009(at)mobilefest.org.

Posted by Ana Maria Maia at 4:56 PM

março 10, 2009

Selecionados para o Programa de Exposições do MARP - Museu de Arte de Ribeirão Preto

Comissão de Seleção: Carmen Aranha (São Paulo-SP), Mário Ramiro (São Paulo-SP), Nilton Campos (Ribeirão Preto-SP)

Artistas selecionados:

Adriana Amaral (Ribeirão Preto-SP)
Alex dos Santos (Jaboticabal-SP)
André Favilla (São Paulo-SP)
André Ricardo (São Paulo-SP)
Célia Macedo (São Paulo-SP)
Cristina Suzuki (Santo André-SP)
Daniel N. de Lima (São Paulo-SP)
Daré (Ribeirão Preto-SP)
Fábio Passos (Ribeirão Preto-SP)
Flora Leite (São Paulo-SP)
Ibraim Leão (Ribeirão Preto-SP)
Jimson Vilela (Rio de Janeiro-RJ)
Juliana Cassab (Ribeirão Preto-SP)
Juliano G. dos Santos (São Paulo-SP)
Júlio Sannazzaro (São Paulo-SP)
Laura Bunier (Rio de Janeiro-RJ)
Laura Gorski (São Paulo-SP)
Leandro Pereira (Rio de Janeiro-RJ)
Leda Braga (Ribeirão Preto-SP)
Lucas Arantes (Ribeirão Preto-SP)
Luciano Deszo (Guarulhos-SP)
Luiz Martins (São Paulo-SP)
M. Luisa Lobo Editore (São Paulo-SP)
Madu Almeida (São Paulo-SP)
Manuela Pires (São Paulo-SP)
Marcelo Maimoni (Ribeirão Preto-SP)
Marcelo Vitorino (São Paulo-SP)
Márcia de Moraes (São Paulo-SP)
Maria Antônia Brigato (Ribeirão Preto-SP)
Mariana Galender (São Paulo-SP)
Mariana Longo (São Paulo-SP)
Marina Freire (São Paulo-SP)
Marina Rheingantz (São Paulo-SP)
Mateus Záccaro (Ribeirão Preto-SP)
Maura C. Grimaldi (São Paulo-SP)
Maurício F. Froldi (Ribeirão Preto-SP)
Raphael Franco (São Paulo-SP)
Regina Parra (São Paulo-SP)
Renato Andrade (Ribeirão Preto-SP)
Rodrigo Freitas (Belo Horizonte-MG)
Rogério Nagaoka (São Paulo-SP)
Thales Leite (Rio de Janeiro-RJ)
Vera Barbieri (Ribeirão Preto-SP)

Curadores selecionados:

Sergio Bonilha e Evandro Nicolau (São Paulo-SP)

Artistas – Andrei Thomaz, Carlos Delfino, Fernando Velazquez, Paulo Lanrentiz, PINO (Antônio Ewbank e Chico Togni), Renzo Assano, Rodolfo Leão e Yukie Hori

Posted by Ananda Carvalho at 5:01 PM

março 9, 2009

Prêmio Marcantonio Vilaça - Entrevista com o artista premiado Yuri Firmeza

Entrevista por emeio feita por Ananda Carvalho especialmente para o Canal Contemporâneo.

Ao acompanhar a premiação do Prêmio Marcantonio Vilaça, nos questionamos sobre o papel dos prêmios e o estado da arte contemporânea. O Júri de seleção do Prêmio não escolhe um projeto a ser desenvolvido, e sim, avalia os portfolios. Cada artista recebe uma bolsa de R$30 mil para dar continuidade ao seu processo ou para aventurar-se em novas pesquisas. Esse processo será acompanhado por um crítico escolhido a partir de três sugestões do próprio artista. Convidamos os artistas premiados e os membros do júri a exporem suas idéias.

yurifirmeza_a.jpg
Yuri Firmeza, Ação 04, vídeo



Yuri Firmeza, Ação 04, vídeo


yurifirmeza_c.jpg

Yuri Firmeza, Ação 04, vídeo

Canal / Ananda Carvalho - Na sua opinião, quais características do seu trabalho foram premiadas?

Yuri Firmeza - Acredito que tenha sido o posicionamento político-crítico-ético, que permeia minha produção, seja no exercício da escrita – onde penso a teoria enquanto prática – seja nos “trabalhos/obras”, seja nas oficinas, falas, aulas...

Acho que essa dimensão política, que instaura possíveis – ou tenta – seja um fio condutor presente em toda minha pesquisa.

Canal / Ananda Carvalho - Quais temas, projetos ou características pretende desenvolver ao longo deste ano?

Yuri Firmeza - Difícil pré-estabelecer um tema. Normalmente trabalho com e a partir daquilo que me trespassa. Nesse momento tenho desenvolvido uma pesquisa com vídeo-escultura-pintura e tenho escrito bastante e pensado esses textos como parte integrante e indissociável de toda minha produção plástica. Tenho pensado sobre a vida, sobre os modos de existência, sobre o controle, sobre os espaços, sobre o poder, sobre os corpos, sobre nós... tenho vivido e pensado a partir disso.

Coisa que derrete, a liquidez das coisas, dos lugares, por mais clichê que possa soar essa febre de Bauman.

A experiência do deslocamento, do sistema da arte, do mercado, da condição de estrangeiro em seu próprio lugar, de São Paulo... tenho pensado em explodir coisas.

Canal / Ananda Carvalho - Quais foram os orientadores que indicou para acompanhar o seu trabalho?

Yuri Firmeza - Paulo Herkenhoff, Suely Rolnik, Ricardo Basbaum e Lisette Lagnado

Leia também a entrevista com o artista premiado Eduardo Berliner

Leia também a entrevista com o artista premiado Henrique Oliveira

Posted by Ananda Carvalho at 7:12 PM | Comentários(1)

Difusão encerra o programa Rumos Artes Visuais 2008-2009 e inclui seminário e seleção de bolsas

Exposição Rumos Artes Visuais – Trilhas do Desejo é resultado do mapeamento e processo seletivo desta quarta edição do programa desenvolvido por uma equipe curatorial com quatro curadores e oito assistentes curatoriais coordenados por Paulo Sergio Duarte. Em paralelo, seminário fechado ao público, mas transmitido online, debate a produção brasileira contemporânea. Esta etapa também dá continuidade ao projeto de concessão de bolsas de estudos para artistas selecionados pela comissão julgadora

Seminário e Bolsa

Entre 11 e 14 de março, o instituto realiza do Seminário Rumos Artes Visuais 2008/2009, do qual somente participarão os artistas selecionados, comissão curatorial, comissão das bolsas de residência e articuladores convidados. O debate pretende refletir sobre temas que permeiam a produção brasileira contemporânea e o público poderá acompanhá-lo online pelo site da instituição (www.itaucultural.org.br), que também o disponibilizará posteriormente.

Os temas das mesas são Arte e Filosofia, O Jogo e o Acaso, Em Torno da Memória, Poéticas do Inventário, O Estatuto da Imagem, Crítica e Curadoria. Para encerrar o evento, Aracy Amaral, coordenadora geral da comissão curatorial da edição anterior do Rumos, Paulo Sérgio Duarte, atual coordenador, e o curador Fernando Cocchiarale debatem a sua experiência na participação deste programa. A mediação é de Marília Panitz, membro da equipe curatorial desta etapa (veja a programação completa no site).

Entre os demais convidados estão o psicanalista Tales Ab'Saber, o curador e crítico de arte Paulo Herkenhoff, o antropólogo Hermano Vianna, o artista multimídia, documentarista e curador Lucas Bambozzi, o filósofo e poeta Antonio Cícero, e a psicanalista, crítica de arte e de cultura e curadora Suely Rolnik.

Ainda no Itaú Cultural, também em março, o instituto promove a Seleção das Bolsas Residência Rumos 2008/2009, dando continuidade ao projeto de concessão de bolsas de estudos para artistas selecionados pela comissão julgadora do projeto. Para isso, o instituto estabeleceu parceria com diversas instituições da Alemanha, Argentina, Chile e Brasil onde os artistas selecionados permanecerão em um período que varia de 2 a 6 meses ao longo de 2009 e 2010.

Para a seleção, estarão presentes: Fernando Otávio Fuentes Lindote, da instituição cultural Arquipélago, de Florianópolis; Paulina Eugenia Varas, do CRAC de Valparaíso (Chile), Esteban Ariel Alvarez, da instituição argentina El Basilisco (Buenos Aires) e Christoph Tannert, do Künstlerhaus Bethanien, de Berlim.

O programa

O Rumos deste ano reuniu a experiência acumulada nas edições anteriores, contando com uma comissão curatorial maior, sob a coordenação do curador carioca Paulo Sergio Duarte. Quatro outros curadores foram responsáveis por regiões diferentes daquelas onde estão acostumados a atuar e contaram com o apoio de oito assistentes curatoriais das diferentes regiões, que ajudaram na pesquisa e na pré-seleção dos projetos. Alexandre Sequeira (PA) cuidou das regiões Sul e algumas cidades do Sudeste; Christine Mello (SP) foi para as regiões Norte e Nordeste; Marília Panitz (DF), foi responsável por parte do Nordeste e algumas cidades do Sudeste; e Paulo Reis (PR) seguiu para a região Centro-Oeste e parte do Sudeste.

Entre março e maio de 2008, a equipe curatorial fez palestras e debates, com mediação do crítico e pesquisador Guy Amado em 19 cidades. O grupo discutiu com o público temas relacionados à arte contemporânea, como indústria cultural, consumo, globalização, mercado e produção, formação do artista, espaços de exibição, história da arte, e, sobretudo, realizou a difusão do programa Rumos para os artistas locais.

O número de projetos inscritos nesta edição – 1617 – bateu recorde em relação às anteriores. A primeira (1999/2000) recebeu 1.576 portfólios. Na edição seguinte (2001/2003), o programa recebeu 1.495 inscrições; e 1342 na terceira edição (2005/2006). Os 45 selecionados neste ano, 25 respondem pela região sudeste (16 de São Paulo, seis do Rio de Janeiro e três de Minas Gerais); oito são do sul (quatro do Rio Grande do Sul, dois de Santa Catarina e dois do Paraná). Da região norte foram selecionados cinco trabalhos, todos do Pará. Do nordeste foram mais cinco: três de Pernambuco e dois do Ceará. Mais dois trabalhos (um do Distrito Federal, outro de Goiás) vieram do Centro-Oeste

Posted by Ananda Carvalho at 4:28 PM

Rumos Artes Visuais 2008 / 2009 – Trilhas do Desejo por Paulo Sergio Duarte

O programa na edição 2008 / 2009

Trata-se de um programa de prospecção da arte brasileira contemporânea sem privilegiar locais ou linguagens e focalizado naqueles artistas que ainda não emergiram e se afirmaram. O norte orientador das escolhas finais é o da busca da excelência, da investigação pelo trabalho exemplar. É também um projeto de debate de idéias e formação por meio de palestras, cursos, oficinas (workshops) e contribuições para acervos de bibliotecas, portanto tem um forte viés educativo. No momento em que visitamos uma exposição ou temos à mão o catálogo do programa Rumos Itaú Cultural Artes Visuais estamos diante de momentos privilegiados, mas apenas momentos, de um longo e complexo processo de trabalho. Complexidade exigida pela consciência do próprio caráter da cultura brasileira extremamente diversificada sobre um imenso território.

Essa 4ª edição do programa é privilegiada pela experiência acumulada pelo Instituto Itaú Cultural nas edições anteriores. Persistência e permanência são palavras chaves desse trabalho numa época muito dada ao furor reformista, à avidez de mudanças, à velocidade para ir do nada a lugar nenhum, na qual continuidade e permanência são características raras. Isto não significa absolutamente a cristalização de métodos e a conseqüente estagnação. O Rumos é submetido a sucessivas correções de rumo no sentido de aperfeiçoar o processo de trabalho.

Reflete esse desenvolvimento do programa a própria composição da equipe de colaboradores. Nessa edição – além do curador / coordenador geral – foi composta por quatro curadores de diferentes regiões do país: Alexandre Sequeira, de Belém; Marília Panitz, de Brasília; Christine Melo, de São Paulo; e Paulo Reis, de Curitiba. Cada um dos curadores foi responsável pela supervisão do trabalho de uma região diferente da sua. Oito assistentes de curadoria ficaram com a tarefa de difusão e prospecção em suas respectivas regiões: Armando Queiroz, de Belém, com a Região Norte; Bitu Cassundé, de Fortaleza, com Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba; Clarissa Diniz, de Recife, com Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia; Janaína Melo, de Belo Horizonte, com Minas Gerais e Espírito Santo; Guilherme Bueno, do Rio de Janeiro, com Rio de Janeiro; Marcio Harum, de São Paulo, com São Paulo; Gabriela Mota, de Porto Alegre, com Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul; last but not least Veronica Moreira Neto, de Brasília, com o Centro-Oeste. Acrescente-se, ainda, Guy Amado que coordenou todas as mesas redondas de apresentação do projeto – o único membro da equipe a percorrer de norte a sul, de leste a oeste, toda a atividade de difusão do programa em 2008.

A esses colaboradores se soma a estreita e rica colaboração da equipe interna do Itaú Cultural que me surpreendeu não apenas pela elevada competência técnica e discernimento como por manifestar um humor que favorece um ótimo clima de trabalho. Ao longo de décadas de experiência nesse campo raramente encontrei reunido numa mesma instituição um espírito profissional e harmonioso como este. Um termômetro da importância deste programa é dado pelo número de inscrições: 1617 artistas e coletivos inscritos em 2008. O longo e nada fácil processo de seleção durou várias jornadas de trabalho em duas etapas. Na primeira fase, envolvendo toda a equipe de curadores e assistentes, foram selecionados cerca de 300 dossiês. Na segunda etapa, com a participação somente dos curadores, chegou-se ao número final de 45 artistas e coletivos.

A importância estratégica dos programas de artes visuais no contexto cultural brasileiro

A sociedade em geral e os estratos do poder público e privado em particular não se dão conta da importância estratégica dos programas de artes visuais na construção de uma nação com as dimensões e a complexidade do Brasil. Querem um exemplo? Passados quase cinqüenta anos da inauguração da nova capital do país, treze presidentes da república entre democratas e ditadores, onde se encontra seu museu de arte? Em lugar ermo, agora povoado por um conjunto hoteleiro de arquitetura pífia, no prédio que sediou o antigo Clube das Forças Armadas na época da construção da cidade. E não me venham com essa de que a música é a marca de nossa identidade e que a arte não ocupa o mesmo lugar no imaginário popular. Poucas músicas de origem popular influenciaram mais o universo sonoro do século 20 que o blues, o jazz e o rock, e nem por isso os americanos deixaram de investir na formação do olhar de seus cidadãos com a constituição de poderosas coleções de arte sediadas em museus de dezenas de cidades.

Não falemos de Washington, Nova York, Filadélfia ou Chicago. Visite-se o Museu de Arte de Cleveland, uma cidade com menos de 500.000 habitantes, no centro de uma região metropolitana com a população de cerca de 2.250.000 pessoas. Com seu acervo, um professor pode ensinar a história da arte dos etruscos ao contemporâneo Kiefer. Apesar de Hollywood, da Broadway, das grandes redes de televisão, das milionárias estrelas pop, os americanos não confundem arte com entertainment, show business e indústria cultural. Ao contrário, ganham muito dinheiro com essa indústria e investem em arte.

Aqui, dirigentes de museus de arte passam anos negociando com autoridades pela conquista de espaços que permitam melhor equipar suas instituições e apresentar suas coleções. Colecionadores generosos assistem à precariedade com que são acolhidas e guardadas suas obras quando cedidas em comodato em instituições públicas. É hora de reverter esse quadro em políticas públicas permanentes e suprapartidárias.

O programa Rumos Itaú Cultural Artes Visuais, um exemplo bem sucedido de parceria entre o público e o privado, se inscreve dentro do que deve vir a se constituir numa estratégia maior de nossas políticas públicas de reversão do estatuto da arte no campo da cultura brasileira. Não somente deve receber apoio como deve ser complementado, por políticas específicas que fortaleçam as infra-estruturas dos museus existentes, a formação e remuneração de profissionais com salários dignos e, acima de tudo, programas de apoio ao artista com bolsas de trabalho e políticas de aquisição de obras de arte para a constituição de acervos locais e nacionais.

Desde os anos 50 do século passado, a arte brasileira vem dando evidentes aportes à história da arte. O reconhecimento internacional das contribuições de diversos artistas e movimentos se faz sentir não somente na bibliografia estrangeira como em exposições e significativas aquisições. Agora mesmo, no momento em que se realizam as exposições do Rumos 2008 / 2009, uma grande exposição de Cildo Meireles, percorre importantes instituições: depois de magistralmente montada na Tate Modern, em Londres, onde gozou de espaço e destaque idêntico a uma grande e simultânea exposição de Mark Rothko, segue para Barcelona, Houston, Los Angeles e Ontário.

Essa edição do Rumos 2008 / 2009 testemunha a vitalidade da arte contemporânea brasileira que se encontra diante dos mesmos desafios e impasses que toda a arte de nossa época. É necessário que os estratos do poder tenham consciência disso: não existe grande nação sem uma grande demonstração de sua própria arte. E fica a pergunta: algum presidente da república já levou algum visitante estrangeiro para visitar o Museu de Arte de Brasília.

A notável diversidade dos meios

Fala-se muito na diversidade cultural brasileira. No campo das artes visuais o que mais chama a atenção, é a notável diversidade dos meios utilizados como veículos e material de expressão que não discrimina lugar ou região, não importa o local que se percorra, as diferenças geográficas e climáticas, os diversos sotaques, as variações gastronômicas, os diferentes ritmos musicais, sempre a mesma preocupação com a busca de diferentes meios de expressão que escapa à rigidez acadêmica.

Se os meios tradicionais, principalmente a pintura e a gravura, pode-se sentir mais presentes, nunca são hegemônicos e sempre estão acompanhados de certa preocupação com o que os italianos chamam de aggiornamento e que a palavra atualização não traduz todo o sentido. Estar em dia com o que se identifica como o “contemporâneo” às vezes traz surpresas agradáveis, outras nem tanto. Se é notório o uso inteligente e criativo da fotografia por artistas de Belém do Pará, a febre da instalação raramente traz bons resultados em qualquer região.

Clarissa Diniz, com sua sagacidade, denominou a essas manifestações desajeitadas de artistas ávidos por se manifestarem por meios que ainda não dominam de “efeitos colaterais da arte contemporânea”. E Clarissa, no seu trabalho de prospecção em visitas a ateliês pode testemunhar os pequenos desastres causados pelo remédio da “arte nova”. Um artista lhe apresenta um projeto de instalação sem pé nem cabeça, depois de alguma discussão e em contato com o percurso do artista descobre que o “instalador” tem um excelente trabalho em xilogravura, mas que não enviou para o concurso porque pensa que aquilo não é “contemporâneo”.

O melhor da arte hoje é não privilegiar nenhum meio e tratá-los, todos, horizontalmente, procurando a potência poética dos trabalhos, por isso a quase milenar xilogravura pode conviver lado a lado com vídeos que fazem uso de avançados recursos de computação gráfica. Isto seria a maior conquista daquilo que vem sendo chamado – a partir de Rosalind Krauss – de “arte na era pós-medium”. Nenhum meio seja pintura, gravura, escultura, instalação, fotografia ou vídeo, nunca foi nem vai ser garantia de talento poético e qualidade artística. A dificuldade do meio não impede que artistas jovens o dominem quando a sensibilidade do autor está afinada com a linguagem que vai fazer uso para materializar suas preocupações poéticas. E a mostra traz testemunhos de domínio tanto na ocupação do espaço e apropriação de lugares em instalações, como no uso da imagem fixa ou em movimento, em fotografias e vídeos, quanto em pinturas e gravuras.

Se a mesma Rosalind Krauss sublinhou, desde a década de 1970, a dilatação do campo da escultura, é preciso, igualmente, notar a expansão das experiências pictóricas. A persistência da pintura, para além das técnicas tradicionais que fazem uso do pincel e das telas é uma das contribuições que chama a atenção nessa edição do Rumos. A inteligência das oposições cromáticas não se encontra apenas virtualmente dentro dos tubos de tintas, mas no uso de diferentes materiais, desde objetos tridimensionais até nas instalações. Uma tradição recente, bem assentada nas obras de Alfredo Volpi e Eduardo Sued, tem continuidade. Dessas novas relações cromáticas e da ampliação do campo pictórico participa menos uma investigação das teorias da cor ou a simples experiência empírica da tentativa e erro que o mundo pós-industrial da publicidade e do medium eletrônico.

Durante o exame de dossiês, pude observar, mesmo em artistas que fazem uso dos recursos técnicos tradicionais como a tela e o pincel com temas locais em regiões remotas do Noroeste, a influência da percepção cotidiana da cor produzida pelo tubo de raio catodo da televisão e dos monitores de computadores.

Se para a minha geração, aquela que nasceu logo no início do segundo pós-guerra, a primeira página dos jornais era a “paisagem” a ser contemplada ao amanhecer todos os dias, a nova “natureza” mais experimentada pelas gerações mais recentes é a imagem eletrônica e o outdoor publicitário. À nova percepção corresponde uma paleta diferente de cores que não vacila e que se impõe mais decidida, com a contrapartida da perda de nuances e sutilezas nas relações cromáticas.

Gramáticas urbanas em rupturas e continuidades
Algo que se pode notar, não somente nessa edição do Rumos, mas em diferentes mostras de arte contemporânea no Brasil, é o amplo predomínio do mundo urbano sobre o mundo rural. Este, quando aparece, e é raro, é tratado por linguagens urbanas e as preocupações estão mais voltadas por uma perspectiva influenciada pela ecologia e as questões ambientais que aquelas propriamente rurais. A arte responde ao deslocamento brutal provocado pelo processo anárquico da urbanização no país. De 45% da população residente em áreas urbanas em 1960, passamos a 81% no ano 2000.

É importante notar que parte da produção apresentada não mantém contato com uma memória, mesmo do passado recente. É um traço de parte da arte contemporânea no Oriente e no Ocidente, no Norte e no Sul, e de uma porção significativa da arte brasileira atual. A história pareceria terra arrasada se esse processo, já datado de cinco décadas não tivesse sua própria história; a insistência na disjunção sobre a conjunção com o passado, foi uma marca das vanguardas modernas do início do século 20 e um dos traços marcantes do alvorecer do que chamamos de arte contemporânea nos anos 60. Essa pulsão pelo esquecimento para buscar a inovação às vezes funciona, às vezes não, não é uma fórmula que possa garantir, a priori, bons resultados. Entretanto estão presentes obras que mantém laços estreitos com o passado moderno, principalmente com a tradição construtivista, muito viva na história recente da arte brasileira. Essas preservam um evidente rigor formal nas suas poéticas no espaço e na superfície. Às vezes resultam em bem sucedidas simbioses de recursos híbridos típicos da arte mais recente com o esforço de formalização que se traduzem em belas surpresas.

A ausência de temáticas sociais mais fortes é outro traço que chama a atenção, não apenas entre os artistas selecionados, mas entre todos os inscritos. Não vi nenhum trabalho que fizesse mesmo referência indireta ao Movimento dos Sem Terra ou à favelização do país, por exemplo. Os temas, quando presentes, com freqüência estão ligados à existência mais imediata e individual outro traço comum à arte contemporânea nessa época globalizada, já um capítulo na história e que vem sendo designado como “arte & vida”. Mas esta não é exclusividade da arte, me parece ser também uma característica da música, da poesia, da ficção e do teatro contemporâneos. De forma indireta, e a certo nível de abstração, o elemento comum que se pode constatar é uma exploração libertária das linguagens artísticas para dar conta da vida nas metástases urbanas em que se tornaram as grandes cidades. São as trilhas do desejo.

Seriam as questões existenciais no seu tratamento quase coloquial da vida e muito voltado a questões cotidianas uma nova forma de realismo no complexo e confuso mundo do fim das utopias e das macro-explicações da história? Um realismo necessariamente confuso porque estão ausentes as falsas certezas que permitiam a certas vertentes da arte do passado tomar perspectivas críticas tendo como horizonte as grandes miragens de transformação da vida e do mundo? Essas perguntas latejam por baixo da epiderme de muitos trabalhos que vemos nessa edição do Rumos Artes Visuais.

É mais pelas perguntas do que pelas respostas, perguntas que se manifestam de modo poético de norte a sul, de leste a oeste, que a arte contemporânea traduz, de modo às vezes precário, outras potente, mas quase sempre com vitalidade, a época que vivemos.

Posted by Ananda Carvalho at 4:23 PM | Comentários(1)

março 6, 2009

Chamada para trabalhos: Prix Ars Electronica 2009 - International Competition for Cyberarts, Áustria

Computeranimation / Film / VFX, Digital Communities, Interactive Art, Digital Musics, u19 - freestyle computing, Hybrid Art, Media.Art.Research Award, [the next idea] Art and technology grant

Inscrições prorrogadas até 18 de março de 2009

Ars Electronica Linz GmbH
Hauptstraße 2
A - 4040 Linz, Austria
Code: Prix
43-732-7272-674
info@prixars.aec.at

Mais detalhes sobre as categorias do Prêmio e inscrições online: http://prixars.aec.at

Posted by Ananda Carvalho at 4:22 PM

março 5, 2009

Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010 - Inscrições e Informações para o profissional

O programa selecionará matérias de estudantes (em mídia impressa, sonora, audiovisual e web-reportagem) e textos de professores de graduação e pós-graduação que abordem o aperfeiçoamento do profissional na disciplina de jornalismo cultural e/ou a formação do aluno na área.

Inscrições até 31 de julho de 2009. Prorrogado até 14 de agosto de 2009

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010
Av. Paulista 149, 6º andar, Bela Vista - São Paulo - SP
CEP 01311-000
rumosjornalismo@itaucultural.org.br
www.itaucultural.org.br

Leia aqui o edital completo

Informações para o profissional sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA SELECIONADOS:
Os contemplados na carteira Estudante receberão:

Pagamento de apoio financeiro mensal, pelo período de março a novembro de 2010, no valor bruto de R$ 700,00 (setecentos reais) – mediante o cumprimento do índice mínimo de 75% de frequência mensal e participação nas atividades gerais do Laboratório On-line de Jornalismo Cultural.

Apoio adicional no valor bruto de R$ 700,00 (setecentos reais) – a ser pago em parcela única – para auxiliar nos custos de produção da reportagem, por ocasião da definição da pauta discutida e aprovada no Laboratório On-Line de Jornalismo Cultural (aproximadamente em maio de 2010);

Pagamento do valor bruto de R$ 1.000,00 (mil reais), a título de direitos autorais, quando da entrega da reportagem desenvolvida e finalizada no Laboratório e aprovada pela instituição, para sua utilização em produto a ser lançado pelo Itaú Cultural em dezembro de 2010 contendo todas as reportagens realizadas.

Os contemplados na carteira Professor receberão:

Pagamento do valor bruto de R$ 700,00 (setecentos reais), a título de direitos autorais, pelo licenciamento do trabalho selecionado para exibição no site do Itaú Cultural;

Pagamento de uma bolsa no valor bruto de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), a ser paga em quatro parcelas, pela efetiva participação no Fórum;

Pagamento do valor bruto de R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos reais), a título de direitos autorais, pelo conjunto de textos e imagens a serem publicados no livro acima citado, lançado pelo Itaú Cultural em dezembro de 2010 e amplamente distribuído para parceiros no Brasil e exterior.

GANHO PARA INSCRITOS: NENHUM

CUSTOS OPERACIONAIS - INSCRIÇÃO:

CARTEIRA ESTUDANTE

Reportagem para Mídia Impressa, Reportagem para Mídia Audiovisual, Reportagem para Mídia Sonora, Web-Reportagem. Para participar da seleção do programa, o candidato deverá produzir uma reportagem referente à editoria de cultura, com pelo menos dois entrevistados, em língua portuguesa, de autoria própria e individual.Eventuais custos de produção da reportagem são de total e exclusiva responsabilidade do participante. Em caso de matérias já veiculadas, serão aceitas apenas aquelas que foram produzidas para jornais-laboratório.

CARTEIRA PROFESSOR

Para participar da seleção do programa, o candidato deverá redigir um texto em língua portuguesa, de autoria própria e individual, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) abaixo descritas sobre Aperfeiçoamento do Professor na Disciplina de Jornalismo Cultural e/ou Formação do Estudante em Jornalismo Cultural, seja um trabalho reflexivo, uma proposta ou uma experiência (consolidada ou não), desde que tenha fundamentação pedagógica.Eventuais custos de produção do texto são de total e exclusiva responsabilidade do participante.

Todos os materiais solicitados neste regulamento devem ser remetidos pelo correio - como correspondência registrada (ou Sedex) e Aviso de Recebimento (AR).

DEVOLUÇÃO:
Os materiais enviados para inscrição não serão em nenhuma hipótese devolvidos.

Edital - Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010

1. OBJETIVOS

Professores e estudantes de comunicação social e/ou jornalismo são os públicos-alvo da terceira edição (2009-2010) do Rumos Jornalismo Cultural. O programa reitera a importância de identificar um caminho possível para a melhor compreensão dos papéis e das funções da mídia, da academia e das instituições culturais na construção do que se convencionou chamar de editoria de cultura no jornalismo.

A realização do programa também se justifica pela relevância que universidades, professores, veículos de comunicação e jornalistas têm como atores essenciais na construção do diálogo entre a sociedade e agentes culturais diversos – artistas, curadores, pesquisadores, gestores, produtores, técnicos etc.

Podem se inscrever na carteira Estudante alunos de graduação em comunicação social e/ou jornalismo que cumpram do terceiro ao quinto períodos no primeiro semestre de 2009, com a realização de reportagens culturais em quatro categorias: Mídia Impressa, Mídia Audiovisual, Mídia Sonora e Web.

Podem se inscrever na carteira Professor docentes de graduação e pós-graduação em comunicação social e/ou jornalismo por meio de textos que tratem da formação do aluno ou do aperfeiçoamento do professor de jornalismo cultural, sejam eles sobre reflexões, propostas ou relatos de casos, consolidados ou em andamento.

O biênio 2009-2010 do Rumos Jornalismo Cultural traz duas mudanças significativas em relação ao anterior: na carteira Estudante, a categoria Web acompanha as tendências do jornalismo digital mundial ao propor que o inscrito crie um blog de cultura e o mantenha com pelo menos 5 (cinco) posts para que a Comissão de Seleção tenha meios de avaliar o exercício de desdobramento da pauta, talento que um bom profissional deve desenvolver no jornalismo on-line. Já na carteira Professor, o programa passa a reconhecer, também, a contribuição do docente de pós-graduação na investigação, na formação de pesquisadores e profissionais especializados e na consolidação do campo do jornalismo cultural no Brasil.

2. INSCRIÇÕES

As inscrições são gratuitas, restritas a pessoas físicas maiores de 18 anos, que sejam brasileiras – natas ou naturalizadas – residentes no Brasil.

O período de inscrições irá de 4 de março a 31 de julho de 2009.

Não serão aceitas inscrições fora do prazo estabelecido.

As inscrições são individuais e o material inscrito para seleção deverá ser de autoria exclusiva do inscrito.

Inscrições que não atendam às exigências acima serão automaticamente invalidadas.

O programa abrange as seguintes carteiras:

CARTEIRA ESTUDANTE – dividida nas seguintes categorias:

a) Reportagem para Mídia Impressa;

b) Reportagem para Mídia Audiovisual;

c) Reportagem para Mídia Sonora;

d) Web-Reportagem.

Poderão se inscrever nesta carteira somente estudantes que, no primeiro semestre de 2009, estejam comprovadamente matriculados e cursando o terceiro, o quarto ou o quinto períodos de comunicação social e/ou jornalismo em qualquer estabelecimento brasileiro de ensino superior.

Não há limites de inscrição. É permitida mais de uma inscrição pelo mesmo candidato, em quaisquer das categorias, porém a Comissão de Seleção poderá vir a contemplá-lo em somente uma categoria e com uma única reportagem.

CARTEIRA PROFESSOR

Poderão se inscrever nesta carteira somente docentes de graduação e pós-graduação do curso de comunicação social e/ou jornalismo que tenham pelo menos dois anos de experiência comprovada como professor em estabelecimentos brasileiros de ensino superior, independentemente da(s) disciplina(s) que lecione.

2.1. Formas de inscrição

Concluído o preenchimento do formulário, a inscrição será automaticamente confirmada na tela e será gerado um código alfanumérico de inscrição que será enviado ao e-mail fornecido pelo interessado. O formulário de inscrição deverá ser impresso e enviado junto com os demais materiais solicitados neste regulamento.

Um mesmo código de inscrição não poderá ser utilizado mais de uma vez. Para cada trabalho que o candidato pretenda enviar, deverá ser efetuado um novo procedimento de inscrição.

A título de pesquisa para o Observatório Cultural desenvolvido pela instituição, ao se inscrever, o interessado deverá preencher um questionário – independente da ficha de inscrição – que não será apresentado às Comissões de Seleção e, portanto, seu conteúdo não será quesito para seleção.

As respostas serão totalmente confidenciais e de uso exclusivo dos profissionais do Observatório Itaú Cultural para a elaboração de pesquisas quantitativas sobre o perfil dos inscritos no programa Rumos.

Os candidatos poderão se inscrever em outras seleções do programa Rumos que estejam em período de inscrições, desde que com trabalho(s) diferente(s) do inscrito em Rumos Jornalismo Cultural.

3. PARTICIPAÇÃO

CARTEIRA ESTUDANTE

Para participar da seleção do programa, o candidato deverá produzir uma reportagem referente à editoria de cultura, com pelo menos dois entrevistados, em língua portuguesa, de autoria própria e individual.

A pauta é livre, com exceção de temas relacionados ao Instituto Itaú Cultural ou seus produtos, atividades e ações. A título de exemplo, seguem relacionadas algumas possibilidades de enfoques:

· Perfil de determinado artista, grupo ou manifestação cultural de sua região;

· Crítica sobre a programação artística de sua cidade ou estado;

· Políticas públicas de incentivo cultural;

· Movimentos culturais e artísticos;

· Atuação da mídia na cobertura cultural;

· Economia da cultura;

· Identidade cultural;

· Direitos culturais;

· As novas tecnologias digitais e a produção artística.

A reportagem inscrita deverá atender às seguintes orientações:

a) Categoria Reportagem para Mídia Impressa

· Título;

· Lead de matéria com aproximadamente 180 toques (com espaços);

· Texto de, no máximo, 10 mil toques (com espaços);

· Retrancas e subtítulos opcionais.

b) Categoria Reportagem para Mídia Audiovisual

· Duração de 3 (três) a 4 (quatro) minutos;

· Apresentação ou narração (nesse caso, o estudante tem a opção de não aparecer na matéria) realizada pelo inscrito;

· Edição de imagens realizada pelo inscrito;

· Trilhas sonoras e vinhetas opcionais.

c) Categoria Reportagem para Mídia Sonora

· Duração de 4 (quatro) a 5 (cinco) minutos;

· Locução e edição realizadas pelo próprio inscrito;

· Trilhas sonoras e vinhetas opcionais.

d) Categoria Web-Reportagem

Por meio de uma parceria entre o Itaú Cultural e o Portal Terra (www.terra.com.br), o inscrito receberá um blog Terra (URL + login + senha) no qual deverá postar seu conteúdo (texto, fotos, vídeos, áudio, infográficos, a seu critério e sem restrição de espaço, tamanho e duração).

Logo após o ato da inscrição nessa categoria, o usuário receberá na tela de confirmação e por e-mail o endereço, login e senha de acesso ao blog.

O blog pode ser titulado, mas não será aceito nenhum tipo de identificação do autor. Durante todo o período de inscrição o estudante deverá trabalhar o aprofundamento e/ou reverberação de sua pauta com a inserção de 5 (cinco) a 10 (dez) posts.

Em qualquer uma das quatro categorias desta carteira a reportagem deverá ser produzida com a linguagem e as ferramentas adequadas à mídia na qual o candidato está inscrito.

Eventuais custos de produção da reportagem são de total e exclusiva responsabilidade do participante.

Em caso de matérias já veiculadas, serão aceitas apenas aquelas que foram produzidas para jornais-laboratório.

CARTEIRA PROFESSOR

Para participar da seleção do programa, o candidato deverá redigir um texto em língua portuguesa, de autoria própria e individual, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) abaixo descritas sobre Aperfeiçoamento do Professor na Disciplina de Jornalismo Cultural e/ou Formação do Estudante em Jornalismo Cultural, seja um trabalho reflexivo, uma proposta ou uma experiência (consolidada ou não), desde que tenha fundamentação pedagógica.

O texto do trabalho deve apresentar:

· Título;

· Resumo com até 500 toques (com espaços);

· Apresentação de até 5 (cinco) palavras-chave;

· Texto de no mínimo 15 mil e no máximo 30 mil toques, com espaços, em páginas numeradas na margem superior direita, sem identificação do autor;

· Bibliografia;

· Notas de rodapé opcionais.

Eventuais custos de produção do texto são de total e exclusiva responsabilidade do participante.

3.1. Remessa dos materiais

Para participar da seleção é obrigatório que o candidato envie pelos Correios toda a documentação indicada abaixo – de acordo com a categoria em que estiver participando –, com o código de inscrição recebido pela internet identificando todos os materiais (inclusive o envelope), de forma legível e destacada.

Em quaisquer das carteiras – Estudante ou Professor –, os materiais devem ser enviados em envelope registrado e com Aviso de Recebimento – AR, ou por Sedex, para o seguinte endereço:

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010
Av. Paulista, 149 – 6º andar
Bela Vista – São Paulo – SP
CEP 01311-000

O envelope deverá estar identificado – de modo visível e destacado – com o nome do inscrito, o código de inscrição e a carteira (e categoria, se for o caso) em que o candidato está participando.

A data-limite de postagem é 31 de julho de 2009. Não serão aceitas correspondências postadas após essa data. Também não serão admitidos documentos enviados pela internet ou entregues diretamente na sede do Itaú Cultural.

A ausência de qualquer documentação solicitada neste regulamento desclassifica automaticamente o trabalho.

Os materiais enviados para inscrição não serão devolvidos em nenhuma hipótese.

3.1.1. Materiais solicitados

CARTEIRA ESTUDANTE

a) Categoria Reportagem para Mídia Impressa

· Ficha de inscrição impressa;

· Cópia impressa do texto completo da reportagem – sem identificação de autor;

· Cópia impressa do currículo do inscrito, com seus contatos;

· CD com o arquivo do texto no formato Word – sem identificação de autor;

· Atestado original de matrícula fornecido pela faculdade comprovando que o aluno está cursando o terceiro, quarto ou quinto período de comunicação social ou jornalismo no primeiro semestre de 2009.

b) Categoria Reportagem para Mídia Audiovisual

· Ficha de inscrição impressa;

· CD ou DVD com a reportagem – sem assinatura;

· Roteiro impresso da reportagem – sem identificação de autor;

· Cópia impressa do currículo do inscrito e seus contatos;

· Atestado original de matrícula fornecido pela faculdade comprovando que o aluno está cursando o terceiro, quarto ou quinto período de comunicação social ou jornalismo no primeiro semestre de 2009.

c) Categoria Reportagem para Mídia Sonora

· Ficha de inscrição impressa;

· CD com a reportagem – sem assinatura;

· Roteiro impresso da reportagem – sem identificação de autor;

· Cópia impressa do currículo do inscrito e seus contatos;

· Atestado original de matrícula fornecido pela faculdade comprovando que o aluno está cursando o terceiro, quarto ou quinto período de comunicação social ou jornalismo no primeiro semestre de 2009.

d) Categoria Web-Reportagem

· Ficha de inscrição impressa;

· Cópia impressa do currículo do inscrito e seus contatos;

· Atestado original de matrícula fornecido pela faculdade comprovando que o aluno está cursando o terceiro, quarto ou quinto período de comunicação social ou jornalismo no primeiro semestre de 2009.


CARTEIRA PROFESSOR

· Ficha de inscrição impressa;

· CD com o arquivo do trabalho completo, sem identificação do autor e, em arquivo separado, currículo completo e currículo resumido (até 450 toques, com espaços) e contatos;

· Impressão do trabalho completo, sem identificação do autor;

· Impressão do currículo resumido e contatos;

· Declaração original emitida pela(s) faculdade(s) que comprove(m) experiência de dois anos de magistério como professor de graduação e/ou pós-graduação em comunicação social e/ou jornalismo.

Em todos os casos, o professor deve desenvolver sua análise sob o ponto de vista pedagógico.

Não podem ser inscritos trabalhos já apresentados em encontros de professores e profissionais de comunicação social e/ou jornalismo ou revistas acadêmicas, sob pena de desclassificação.

4. IMPEDIMENTOS

É vedada a participação de:

· Funcionários e estagiários do Itaú Cultural e seus parentes ( cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes). Para a categoria Web-Reportagem da carteira Estudante, essa restrição também atinge funcionários e estagiários do portal Terra, bem como de seus cônjuges, companheiros, filhos, parentes até segundo grau e dependentes;

· Ex-funcionários e ex-estagiários com menos de 1 (um) ano de desligamento da instituição, a contar da data de publicação deste regulamento: 4 de março de 2009. O mesmo vale para ex-colaboradores do portal Terra, na categoria Web;

· Funcionários e estagiários do Banco Itaú S.A.;

· Terceirizados do Itaú Cultural com contratos vigentes durante o período de inscrições;

· Integrantes da Comissão de Seleção e seus parentes ( cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes).

Ficam, ainda, impedidos de se inscrever quaisquer selecionados em edições anteriores do Rumos Jornalismo Cultural (edições 2004-2005 e 2007-2008).

Inscrições de pessoas impedidas serão invalidadas em qualquer fase da seleção.

5. COMISSÃO DE SELEÇÃO

Serão constituídas duas Comissões de Seleção autônomas – uma para cada carteira do programa Rumos Jornalismo Cultural.

A Comissão de Seleção da carteira Estudante será composta de 4 (quatro) profissionais de reconhecida atuação nas áreas jornalística e/ou acadêmica e de 1 (um) representante do Itaú Cultural.

A Comissão de Seleção da carteira Professor será composta de 2 (dois) profissionais de reconhecida atuação na área acadêmica e de 1 (um) representante do Itaú Cultural, que poderá vir a ser o mesmo representante que integra a comissão para a carteira Estudante.

As comissões selecionarão os trabalhos a seu exclusivo critério, observando, em especial, os seguintes requisitos:

Carteira Estudante: clareza e objetividade do texto, criatividade, adequação da mídia escolhida, desenvolvimento da pauta, correta utilização da língua, nível de informação e outros aspectos que a comissão entender aplicáveis a cada uma das categorias.

Carteira Professor: motivo e relevância do tema, clareza de exposição, argumentação, fundamentação pedagógica, correta utilização da língua, qualidade do texto e outros aspectos que a comissão entender aplicáveis.

As decisões da Comissão de Seleção serão soberanas e independentes, não sendo passíveis de questionamentos ou recursos, e tomadas considerando todos os requisitos deste regulamento e em especial os critérios enunciados acima.

6. SELECIONADOS

A seleção dos projetos – em ambas as carteiras – será realizada durante o período de setembro a outubro de 2009.

As listas dos selecionados serão divulgadas até novembro de 2009, pela imprensa e no site do Itaú Cultural: www.itaucultural.org.br/rumos.

Serão contemplados:

CARTEIRA ESTUDANTE

a) Categoria Reportagem para Mídia Impressa: até 6 (seis) contemplados;

b) Categoria Reportagem para Mídia Audiovisual: até 2 (dois) contemplados;

c) Categoria Reportagem para Mídia Sonora: até 2 (dois) contemplados;

d) Categoria Web-Reportagem: até 2 (dois) contemplados.

CARTEIRA PROFESSOR: até 8 (oito) contemplados.

Os contemplados na carteira Estudante receberão:

· Divulgação do currículo com contatos no site do Itaú Cultural, bem como crédito da sua faculdade;

· Credencial para o VI Colóquio Rumos Jornalismo Cultural, a ser realizado pelo Itaú Cultural em São Paulo/SP, em dezembro de 2009, com passagens e estadias custeadas pelo Itaú Cultural para os contemplados que não residirem em São Paulo/SP;

· Participação em Laboratório On-Line de Jornalismo Cultural, de março a novembro de 2010, que oferecerá:

o Orientação de editor especializado na área, indicado pelo Itaú Cultural;

o Desenvolvimento de uma reportagem especial relativa à editoria de cultura, na categoria em que o candidato foi contemplado, com a orientação do editor e, eventualmente, de consultores especializados, a partir de pauta estabelecida durante o laboratório, a ser finalizada até a última semana de agosto de 2010;

o Participação semanal em exclusivo Grupo Virtual de Discussão, com orientação do editor sobre a produção da referida reportagem e também discussões teóricas diversas, em datas a serem agendadas de comum acordo entre todos os participantes e o editor, com anuência do Itaú Cultural;

· Pagamento de apoio financeiro mensal, pelo período de março a novembro de 2010, no valor bruto de R$ 700,00 (setecentos reais) – mediante o cumprimento do índice mínimo de 75% de frequência mensal e participação nas atividades gerais do Laboratório On-line de Jornalismo Cultural.

· Apoio adicional no valor bruto de R$ 700,00 (setecentos reais) – a ser pago em parcela única – para auxiliar nos custos de produção da reportagem, por ocasião da definição da pauta discutida e aprovada no Laboratório On-Line de Jornalismo Cultural (aproximadamente em maio de 2010);

· Emissão de Certificado de Participação no Laboratório On-Line de Jornalismo Cultural, concedido mediante as condições estabelecidas no Termo de Participação, a ser assinado por ocasião de seu início e cumprimento do índice mínimo de 75% de frequência mensal e participação geral nas atividades do Laboratório;

· 20 (vinte) títulos sobre jornalismo e cultura – entre livros, CDs e DVDs – escolhidos pela Comissão de Seleção, em conjunto com o Itaú Cultural, e entregues até fevereiro de 2010;

· Doação à biblioteca da faculdade do selecionado de 20 (vinte) títulos iguais aos concedidos aos seus alunos selecionados até abril de 2010;

· Disponibilização da matéria produzida no Laboratório para análise dos veículos de comunicação e eventual publicação, mediante negociação independente entre editor e autor;

· Pagamento do valor bruto de R$ 1.000,00 (mil reais), a título de direitos autorais, quando da entrega da reportagem desenvolvida e finalizada no Laboratório e aprovada pela instituição, para sua utilização em produto a ser lançado pelo Itaú Cultural em dezembro de 2010 contendo todas as reportagens realizadas;

· Dez unidades do produto mencionado acima;

· Distribuição do produto supracitado para jornalistas e editorias da área de jornalismo cultural, acadêmicos, pesquisadores, profissionais da cultura e demais formadores de opinião;

· Possibilidade de participação em eventos em locais e datas a serem determinados pelo Brasil durante o ano de 2010;

· Credencial para o III Seminário Internacional Rumos Jornalismo Cultural, a ser realizado pelo Itaú Cultural em São Paulo/SP, em dezembro de 2010, com passagens e estadias para o contemplado que não residir em São Paulo/SP;

Os contemplados na carteira Professor receberão:

· Divulgação do trabalho e do currículo no site do Itaú Cultural;

· Pagamento do valor bruto de R$ 700,00 (setecentos reais), a título de direitos autorais, pelo licenciamento do trabalho selecionado para exibição no site do Itaú Cultural;

· Credencial para o VI Colóquio Rumos Jornalismo Cultural, a ser realizado pelo Itaú Cultural em São Paulo/SP, em dezembro de 2009, com passagens e estadias para os contemplados que não residirem em São Paulo/SP;

· 30 (trinta) títulos sobre cultura e jornalismo – entre livros, CDs e DVDs – a serem escolhidos pelo professor selecionado numa lista de 100 (cem) títulos elaborada pela Comissão de Seleção, em conjunto com o Itaú Cultural, e entregues até março de 2010;

· Assinatura de duas publicações nacionais mensais sobre cultura, escolhidas pelo selecionado a partir de uma lista de sugestões elaborada pela Comissão de Seleção em conjunto com o Itaú Cultural, pelo período de um ano (aproximadamente de janeiro a dezembro de 2010);

· Participação quinzenal exclusiva em Fórum Virtual de Discussão sobre jornalismo cultural, de março a agosto de 2010, com apoio técnico e produção do Itaú Cultural, que eventualmente pode contar com um mediador ou consultor, para discussão acerca de uma pesquisa conjunta sobre O Mapeamento Nacional do Ensino do Jornalismo Digital, realizada durante o período, publicada em livro;

· Pagamento de uma bolsa no valor bruto de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), a ser paga em quatro parcelas, pela efetiva participação no Fórum;

· Emissão de Certificado de Participação no Fórum, mediante a frequência mínima total comprovada de 75% de participação nas atividades;

· Pagamento do valor bruto de R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos reais), a título de direitos autorais, pelo conjunto de textos e imagens a serem publicados no livro acima citado, lançado pelo Itaú Cultural em dezembro de 2010 e amplamente distribuído para parceiros no Brasil e exterior;

· Dez exemplares do livro acima mencionado;

· Distribuição do livro supracitado para jornalistas e editorias da área de jornalismo cultural, profissionais de cultura, acadêmicos, pesquisadores e demais formadores de opinião;

· Credencial para o III Seminário Internacional Rumos Jornalismo Cultural, a ser realizado pelo Itaú Cultural, em São Paulo/SP, em dezembro de 2010, com passagens e estadias para o contemplado que não residir em São Paulo/SP.

Em ambas as carteiras, os prêmios são intransferíveis e serão outorgados unicamente aos selecionados. Não será permitida a troca dos prêmios por dinheiro ou por premiação diversa da estabelecida neste regulamento.

Com relação aos valores estipulados neste regulamento, eles poderão sofrer eventual tributação conforme legislação vigente quando da época do pagamento do apoio financeiro aos contemplados. Inexistindo tributação incidente, os valores pagos serão líquidos.

Por ocasião da divulgação dos resultados, os premiados serão informados das condições para recebimento de seus prêmios.

7. DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM

7.1. Divulgação do programa

Caso selecionados, os participantes desde já autorizam o Itaú Cultural a registrar e utilizar suas imagens e currículos, para exibição em mídia impressa e eletrônica, em materiais institucionais e internet, exclusivamente para a divulgação do programa Rumos.

A utilização ora prevista não tem limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e exterior, sem que seja devida nenhuma remuneração, a qualquer título.

O Itaú Cultural poderá divulgar todas as etapas deste programa através de qualquer mídia, inclusive internet.

7.2. Contrato

Para viabilizar a participação no Laboratório On-Line de Jornalismo Cultural e o recebimento do aporte financeiro referido no item 6 os selecionados na carteira Estudante deverão assinar um Termo de Participação com o Itaú Cultural, em que serão estipuladas as tarefas e condições de realização do trabalho. O Termo de Participação também incluirá a autorização formal de uso de imagem e voz do contemplado pelo Itaú Cultural.

Para viabilizar a participação no Fórum Virtual de Jornalismo Cultural e o recebimento do aporte financeiro referido no item 6 os selecionados na carteira Professor deverão assinar um Termo de Participação com o Itaú Cultural, em que serão estipuladas as tarefas e condições de realização do trabalho. O Termo de Participação também incluirá a autorização formal de uso de imagem e voz do contemplado pelo Itaú Cultural.

Para viabilizar a realização dos produtos a serem lançados pelo Itaú Cultural e relacionados a este regulamento e ao programa Rumos Jornalismo Cultural, os contemplados em ambas as carteiras também deverão assinar com o Itaú Cultual um Contrato de Licenciamento para Uso de Obra Intelectual, por meio do qual o Itaú Cultural assegurará para si direitos de utilização, divulgação, edição, distribuição, difusão e comercialização (com eventual editora parceira) dos trabalhos (em seus formatos finalizados), de forma ampla e não exclusiva, no Brasil e no exterior.

A assinatura desses documentos exigirá, para os selecionados em ambas as carteiras, a apresentação prévia dos seguintes documentos (cópias simples): RG, CPF, comprovante de residência e inscrição no INSS ou PIS/Pasep.

7.3. Obras de terceiros

Os selecionados serão responsáveis pela obtenção de toda e qualquer autorização, licenciamento ou cessão de direitos que se verifiquem necessários (a exemplo de textos, músicas, fotografias – dentre outras obras – e imagens de terceiros) para que as reportagens (carteira Estudante) e trabalhos (carteira Professor), quando em seus formatos finalizados, possam ser utilizados pelo Itaú Cultural, na extensão e modalidades previstas no contrato referido no item 7.2, de modo a assegurar o pleno atendimento de toda a legislação incidente sobre essas obras, em especial a legislação autoral e as referentes ao uso de registros de imagem e voz.

O Itaú Cultural verificará a regularidade de todos os direitos autorais, conexos e de imagem presentes ou incidentes na versão final das reportagens e trabalhos, ficando a seu exclusivo critério decidir a sanção ao projeto que desatender essas exigências.

Para tanto, o Itaú Cultural fornecerá orientação jurídica e modelos contratuais.

O Itaú Cultural se reserva o direito de solicitar, a qualquer tempo, documentos que comprovem as declarações dos participantes.

7.3.1. O contemplado responderá, de forma exclusiva e integral, por eventuais reclamações, questionamentos, acusações ou alegações de plágio ou violação a direitos autorais, conexos, patrimoniais, de propriedade industrial, de titularidade de terceiros, dentre outros, inclusive pela omissão de informações, assegurando ao Itaú Cultural o pleno ressarcimento por possíveis prejuízos sofridos pelo Instituto a ess e título.

8. OUTRAS INFORMAÇÕES

O Itaú Cultural não se responsabiliza pelo recebimento de materiais originais ou exemplares únicos.

Questões não-previstas no presente regulamento serão avaliadas e decididas sob exclusivo critério das Comissões de Seleção do Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010.

O ato de inscrição implica automática e plena concordância com os termos deste regulamento

Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail rumosjornalismo@itaucultural.org.br

Posted by Ananda Carvalho at 4:05 PM

Rumos Itaú Cultural Dança 2009-2010 - Inscrições e Informações para o artista

Em sua quarta edição, o programa tem duas categorias. Desenvolvimento de Pesquisa Coreográfica em Dança Contemporânea, que avaliará o caráter investigativo e de experimentação do projeto; e Apoio à Pesquisa e Produção de Videodança, que compreenderá trabalhos que utilizem o vídeo como instrumento de exploração do corpo, do movimento, da dança etc.

Inscrições até 29 de maio de 2009 5 de junho de 2009

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Dança 2009-2010
Av. Paulista 149, 6º andar, Bela Vista - São Paulo - SP
CEP 01311-000
rumosdanca@itaucultural.org.br
www.itaucultural.org.br

Leia aqui o edital completo

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA SELECIONADOS:

Apoio financeiro para até 20 (vinte) projetos de pesquisa coreográfica em dança contemporânea:

a) Para projetos de solos: apoio financeiro no valor de R$ 20.000,00 (vinte mil reais);

b) Para projetos de duos e trios: apoio financeiro no valor de R$ 30.000,00 (trinta mil reais);

c) Para projetos de grupo (pesquisa com quatro ou mais criadores): apoio financeiro no valor de R$ 39.500,00 (trinta e nove mil e quinhentos reais).

Ainda como apoio à qualificação artística e à difusão, os contemplados participarão da Mostra de Processos Rumos Dança, em São Paulo, no 1º trimestre de 2010. Trata-se da demonstração do processo de pesquisa e criação ao público. Essa apresentação não deve ter caráter de espetáculo.

Pesquisa e Produção de videodança

Serão pré-selecionados até 10 (dez) projetos de videodança de caráter investigativo.Os realizadores dos projetos pré-selecionados participarão de uma oficina intensiva.

Ao fim da oficina os 10 (dez) projetos serão apresentados por seus proponentes. Essa apresentação, somada ao roteiro da videodança, compõe os requisitos para seleção dos 5 (cinco) projetos que receberão o apoio financeiro.

GANHO PARA PREMIADOS

Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea - Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea: Dentre as 20 (vinte) pesquisas contempladas, serão escolhidas no máximo 4 (quatro) que receberão apoio, em 2010, para montagem do espetáculo.

Pesquisa e Produção de videodança - Os 5 contemplados receberão R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para o desenvolvimento e a produção. Ainda como apoio à difusão, as 5 (cinco) videodanças contempladas serão exibidas na Mostra de Processos Rumos Dança, no 1º trimestre de 2010.

GANHO PARA INSCRITOS: NENHUM

CUSTOS OPERACIONAIS - INSCRIÇÃO:
Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea

a) Ficha de inscrição completa (dados do proponente e dados da pesquisa: a concepção do projeto, a questão principal que mobiliza o processo de criação e como a pesquisa será desenvolvida);

b) DVD de não menos que 3 (três) minutos e não mais que 10 (dez) minutos da versão preliminar da pesquisa.

Pesquisa e Produção de videodança

a) Ficha de inscrição completa (dados do proponente e dados da pesquisa)

b) DVD com duração de até 30 (trinta) minutos de uma obra ou um conjunto de obras anteriormente realizadas pelo videomaker ou diretor.

Todos os materiais solicitados neste regulamento devem ser remetidos pelo correio - como correspondência registrada (ou Sedex) e Aviso de Recebimento (AR).

CUSTOS OPERACIONAIS - DESENVOLVIMENTO

Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea

Diário da pesquisa - Durante 6 (seis) meses os contemplados manterão um blog com o objetivo de mostrar o desenvolvimento da pesquisa, apresentando ideias, questões, métodos, material levantado, material estudado, treinos corporais etc.

DEVOLUÇÃO:
Os materiais enviados para inscrição não serão em nenhuma hipótese devolvidos.

CONTRAPARTIDA PARA SELECIONADOS:

Após a divulgação dos selecionados, os artistas contemplados participarão de uma reunião, em São Paulo, com a coordenação do programa Rumos Dança e integrantes da Comissão de Seleção para discutir os projetos. Nessa ocasião também receberão um workshop sobre criação e manutenção de blog. O Itaú Cultural disponibilizará hospedagem e passagens para os artistas residentes fora de São Paulo.

Pesquisa e Produção de videodança

Para a participação da oficina o Itaú Cultural disponibilizará hospedagem e passagens para os artistas residentes fora de São Paulo Essas despesas não serão subtraídas do valor do apoio.

Edital Rumos Dança 2009-2010

O Itaú Cultural abre inscrições para apoio a pesquisa e desenvolvimento de obras de dança contemporânea e de videodança.

O período de inscrições irá de 4 de março a 29 de maio de 2009 e elas deverão ser feitas exclusivamente pelo site www.itaucultural.org.br/rumos.

Os materiais solicitados deverão ser enviados pelos Correios para o Itaú Cultural.

1. OBJETIVOS

O programa Rumos Dança 2009-2010, em sua quarta edição, tem por objetivos:

Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea

Apoiar o processo de pesquisa e criação, e fomentar e difundir criadores, intérpretes e obras de dança contemporânea brasileira.

Apoio à Pesquisa e Produção de Videodança

Contribuir para a especialização, estimular a produção e difundir artistas e obras brasileiras de videodança.

2. INSCRIÇÕES

2.1. As inscrições para a seleção do programa Rumos Dança 2009-2010 são gratuitas e podem ser efetuadas no período de 4 de março até 29 de maio de 2009.

2.2. As inscrições poderão ser efetuadas somente pela internet, exclusivamente no site do Itaú Cultural, no endereço www.itaucultural.org.br/rumos.

2.3. Ao acessar o site, o interessado encontrará um formulário de inscrição que deverá ser integralmente preenchido.

2.4. Concluído o preenchimento do formulário, a inscrição será automaticamente confirmada e será enviado ao e-mail fornecido um número de cadastro que deverá ser utilizado, de modo visível, em todo material enviado. A ficha de inscrição deverá ser impressa e enviada junto com os demais materiais solicitados neste regulamento.

A título de pesquisa para o Observatório Cultural desenvolvido pela instituição, ao se inscrever, o interessado deverá necessariamente preencher um questionário – independente da ficha de inscrição – que não será apresentado às Comissões de Seleção e, portanto, seu conteúdo não será quesito para seleção.

As respostas serão totalmente confidenciais e de uso exclusivo dos profissionais do Observatório Itaú Cultural para a elaboração de pesquisas quantitativas sobre o perfil dos inscritos no programa Rumos.

3. Participação

3.1. Poderão participar criadores brasileiros – natos ou naturalizados – e estrangeiros cuja carreira artística tenha se desenvolvido no Brasil, habilitados a formalizar contratos com o Itaú Cultural e com residência fixa no país há mais de 2 (dois) anos.

3.2. Cada criador poderá inscrever apenas um projeto, seja na carteira de desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea, seja na de produção de videodança. Mas é permitido inscrever-se em ambas as carteiras.

3.4. Estão vetadas as inscrições para menores de 18 anos.

3.5. Não há limite quanto ao número de pessoas participantes na pesquisa ou projeto, contudo, uma delas deverá constar como responsável pela inscrição e será identificada como proponente.

3.6. Na carteira de desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea, poderão ser realizadas inscrições de projetos de solos (um realizador da pesquisa), projetos de duos e trios (dois ou três realizadores da pesquisa) e projetos de grupo (quatro ou mais realizadores da pesquisa).

3.7. Os candidatos poderão se inscrever em outras seleções relacionadas ao programa Rumos Itaú Cultural que estejam em período de inscrições, desde que com trabalho(s) diferente(s) do inscrito em Rumos Dança.

4. Impedimentos

4.1. É vedada a participação de:

· Funcionários e estagiários do Itaú Cultural e seus parentes (cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes);

· Ex-funcionários e ex-estagiários com menos de 1 (um) ano de desligamento da instituição, a contar da data de publicação deste regulamento: 4 de março de 2009;

· Funcionários e estagiários do Banco Itaú S.A.;

· Terceirizados do Itaú Cultural com contratos vigentes durante o período de inscrições;

· Integrantes da Comissão Julgadora e seus parentes (cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes);

· Pessoas contratadas (físicas ou jurídicas) para a realização do programa Rumos Dança.

4.2. Os contemplados em desenvolvimento de obras coreográficas e em videodança na terceira edição do programa Rumos Dança (2006-2007) não poderão inscrever-se, na mesma carteira, na quarta edição do programa.

5. MATERIAIS E SELEÇÃO

Remessa

5.1. Todos os materiais solicitados abaixo deverão ser remetidos pelos Correios – identificados com o nome do proponente e o número de credenciamento da inscrição – e endereçados para o endereço abaixo:

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Dança 2009-2010
Av. Paulista, 149 – 6º andar
Bela Vista – São Paulo – SP
CEP 01311-000

O envelope deverá ser registrado e com Aviso de Recebimento – AR, ou Sedex, com data de postagem até 29 de maio de 2009.

Não serão aceitas correspondências postadas após essa data. Também não serão admitidos materiais ou correspondências enviados pela internet ou entregues diretamente na sede do Itaú Cultural.

A inobservância de algum dos critérios estabelecidos ou a falta dos materiais solicitados implicará na invalidação automática da inscrição efetuada.

Os materiais enviados para inscrição não serão devolvidos.

Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea

É obrigatória a remessa da seguinte documentação para análise da Comissão de Seleção:

a) Ficha de inscrição completa (dados do proponente e dados da pesquisa);

b) DVD de não menos que 3 (três) minutos e não mais que 10 (dez) minutos da versão preliminar da pesquisa.

Na ficha de inscrição a descrição da pesquisa deverá conter: a concepção do projeto, a questão principal que mobiliza o processo de criação e como a pesquisa será desenvolvida.

Caso seja resultante de um processo de pesquisa já em andamento, a obra inscrita será aceita desde que corresponda a um novo estágio da pesquisa.

O registro em DVD deverá ser dessa nova fase. A filmagem deverá ser realizada utilizando-se câmera aberta e fixa e a iluminação deverá ser apenas a necessária para a filmagem e gravação – sem edição.

Uma comissão mista e independente de seleção será composta por cinco membros, de diferentes regiões brasileiras, especialmente para esse processo de seleção.

Pesquisa e Produção de videodança

É obrigatória a remessa da seguinte documentação para análise da Comissão de Seleção:

a) Ficha de inscrição completa (dados do proponente e dados da pesquisa)

b) DVD com duração de até 30 (trinta) minutos de uma obra ou um conjunto de obras anteriormente realizadas pelo videomaker ou diretor.

Uma comissão mista e independente de seleção será composta por dois membros, de diferentes regiões, especialmente para esse processo.

6. APOIO AOS SELECIONADOS

A seleção dos projetos é de responsabilidade exclusiva da Comissão de Seleção, coordenada pela equipe organizadora do programa Rumos Dança 2009-2010.

Os responsáveis pela seleção são independentes e suas decisões serão soberanas, não sendo passíveis de recursos.

Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea

Serão contemplados até 20 (vinte) projetos de pesquisa coreográfica em dança contemporânea que evidenciem seu caráter investigativo e de experimentação.

Apoio financeiro

a) Para projetos de solos: apoio financeiro no valor de R$ 20.000,00 (vinte mil reais);

b) Para projetos de duos e trios: apoio financeiro no valor de R$ 30.000,00 (trinta mil reais);

c) Para projetos de grupo (pesquisa com quatro ou mais criadores): apoio financeiro no valor de R$ 39.500,00 (trinta e nove mil e quinhentos reais).

6.1. Ainda como apoio à qualificação artística e à difusão, os contemplados participarão da Mostra de Processos Rumos Dança, em São Paulo, no 1º trimestre de 2010.

Trata-se da demonstração do processo de pesquisa e criação ao público. Essa apresentação não deve ter caráter de espetáculo.

Não há limite quanto à duração da pesquisa e sua apresentação.

A partir da questão central que mobilizou a pesquisa, o(s) artista(s) deverá(ao) expor, da maneira que achar(em) conveniente, o caminho percorrido e os resultados até então alcançados, explicitando os procedimentos e a fase em que o processo se encontra.

Nessa ocasião as apresentações serão registradas e os artistas receberão cópia do registro.

Dentre as 20 (vinte) pesquisas contempladas, serão escolhidas no máximo 4 (quatro) que receberão apoio, em 2010, para montagem do espetáculo.

6.2. Diário da pesquisa

Durante 6 (seis) meses os contemplados manterão um blog com o objetivo de mostrar o desenvolvimento da pesquisa, apresentando ideias, questões, métodos, material levantado, material estudado, treinos corporais etc.

Para tanto, após a divulgação dos selecionados, os artistas contemplados participarão de uma reunião, em São Paulo, com a coordenação do programa Rumos Dança e integrantes da Comissão de Seleção para discutir os projetos.

Nessa ocasião também receberão um workshop sobre criação e manutenção de blog.

O Itaú Cultural disponibilizará hospedagem e passagens para os artistas residentes fora de São Paulo. Essas despesas não serão subtraídas do valor do apoio.

Pesquisa e Produção de videodança

Serão pré-selecionados até 10 (dez) projetos de videodança de caráter investigativo.

Não se trata de registro de espetáculo ou de uma adaptação para vídeo de uma obra originalmente criada para cena, mas de um trabalho de dança criado para câmera que tenha o vídeo como instrumento de exploração, seja do corpo, do movimento, da dança e das relações de espaço e tempo etc.

Não há limite quanto à duração da obra ou quanto ao suporte (analógico ou digital).

Os realizadores dos projetos pré-selecionados participarão de uma oficina intensiva.

Ao fim da oficina os 10 (dez) projetos serão apresentados por seus proponentes. Essa apresentação, somada ao roteiro da videodança, compõe os requisitos para seleção dos 5 (cinco) projetos que receberão o apoio financeiro.

6.3. Oficina

Os artistas pré-selecionados farão uma oficina intensiva (no segundo semestre de 2009), com um profissional notório da área, com o objetivo de discutir e se especializar na linguagem da videodança, na qual receberão orientação do ponto de vista conceitual e da estrutura logística de produção.

O Itaú Cultural disponibilizará hospedagem e passagens para os artistas residentes fora de São Paulo Essas despesas não serão subtraídas do valor do apoio.

6.4. Apoio financeiro

A Comissão de Seleção, após avaliar as apresentações mais os roteiros das videodanças, contemplará 5 (cinco) videodanças.

Os contemplados receberão R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para o desenvolvimento e a produção.

6.5. Ainda como apoio à difusão, as 5 (cinco) videodanças contempladas serão exibidas na Mostra de Processos Rumos Dança, no 1º trimestre de 2010. Para tanto, deverão ser entregues para o Itaú Cultural em sua versão final em cópia DVCam NTSC para o evento, em data a ser estabelecida pelo programa Rumos.

Observações importantes

Fica desde já estabelecido que os valores de apoio financeiro previstos neste edital serão recebidos pelos proponentes dos projetos contemplados, que ficarão responsáveis – na hipótese de existirem outros participantes – por acordar eventual repasse de valores entre os demais envolvidos no projeto.

Os valores indicados acima representam a integralidade do aporte financeiro.

Os prêmios são intransferíveis e não poderão ser substituídos por qualquer outra modalidade de contemplação.

Com relação aos valores estipulados neste regulamento, eles poderão sofrer eventual tributação conforme legislação vigente quando da época do pagamento do apoio financeiro aos contemplados. Inexistindo tributação incidente, os valores pagos serão líquidos.

7. Cronograma

Desenvolvimento de pesquisas coreográficas em dança contemporânea

a) Inscrição via internet e postagem dos materiais: 4 de março a 29 de maio de 2009;

b) Seleção e divulgação do projetos selecionados: prevista para julho de 2009;

c) Assinatura de contrato: prevista para setembro de 2009.

Pesquisa e Produção de videodança

a) Inscrição via internet e postagem dos materiais: 4 de março a 29 de maio de 2009;

b) Seleção e divulgação dos pré-selecionados: prevista para julho de 2009;

c) Oficina: entre agosto e início de outubro de 2009;

d) Assinatura de contrato: prevista para novembro de 2009.

8. DIREITOS AUTORAIS

8.1. Divulgação do programa

Caso sejam selecionados, os participantes das pesquisas contempladas desde já autorizam o Itaú Cultural a utilizar suas imagens e currículos para exibição em mídia impressa, eletrônica e internet, exclusivamente para a divulgação do programa Rumos.

A utilização ora prevista não tem limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e o exterior, sem que seja devida nenhuma remuneração, a qualquer título.

O Itaú Cultural poderá divulgar todas as etapas deste programa através de qualquer mídia, inclusive internet.

8.2. Caso selecionado(s), o(s) participante(s) fica(m) ciente(s) da obrigatoriedade em firmar com o Itaú Cultural um Contrato de Apoio Financeiro e Licenciamento de Obra Intelectual (não exclusivo), sob pena de desclassificação.

Por nenhuma outra forma – que não o contrato acima referido – o contemplado poderá receber o apoio financeiro, sob pena de desclassificação.

Por meio do referido contrato, o Itaú Cultural assegurará para si direitos – não exclusivos – de utilização, distribuição e difusão das pesquisas (em seus formatos finalizados) em mídias, meios, suportes e modalidades diversos, sem fins comerciais.

8.3. Obras de terceiros

Os selecionados serão responsáveis pela obtenção de toda e qualquer autorização, licenciamento ou cessão de direitos que se verifiquem necessários (a exemplo de textos, músicas, fotografias – dentre outras obras – e imagens de terceiros) para que as obras resultantes das pesquisas (a saber, videodanças e desenvolvimento de pesquisa coreográficas em seus formatos finalizados) possam ser utilizadas pelo Itaú Cultural, na extensão e modalidades previstas no contrato referido no item 8.2, de modo a assegurar o pleno atendimento de toda a legislação incidente sobre essas obras, em especial a legislação autoral e as referentes ao uso de registros de imagem e voz.

O Itaú Cultural verificará a regularidade de todos os direitos autorais, conexos e de imagem presentes ou incidentes na versão final das pesquisas, ficando a seu exclusivo critério decidir a sanção às obras que estiverem irregulares.

Para tanto, o Itaú Cultural fornecerá orientação jurídica e modelos contratuais.

O Itaú Cultural se reserva o direito de solicitar, a qualquer tempo, documentos que comprovem as declarações dos participantes.

8.4. O contemplado responderá, de forma exclusiva e integral, por eventuais reclamações, questionamentos, acusações ou alegações de plágio ou violação a direitos autorais, conexos, patrimoniais, de propriedade industrial, de titularidade de terceiros, dentre outros, inclusive pela omissão de informações, assegurando ao Itaú Cultural o pleno ressarcimento por possíveis prejuízos sofridos pelo Instituto a ess e título.

9. OUTRAS INFORMAÇÕES

Ao longo de todo o processo seletivo, os resultados serão notificados diretamente aos proponentes das pesquisas, por comunicado oficial do Itaú Cultural, em que serão detalhadas as instruções de procedimento e as condições contratuais relativas a cada etapa do processo.

Questões não-previstas no presente regulamento serão avaliadas e decididas sob exclusivo critério da Comissão Rumos Dança.

O ato de inscrição implica automática e plena concordância com os termos deste regulamento.

Dúvidas poderão ser esclarecidas pelo e-mail rumosdanca@itaucultural.org.br.

Posted by Ananda Carvalho at 2:33 PM

Rumos Itaú Cultural Cinema e Vídeo 2009-2011 - Linguagens Expandidas - Inscrições e Informações para o artista

A partir de uma percepção de que o audiovisual na contemporaneidade se apresenta em suportes, meios e formatos diversos cada vez com mais intensidade, três categorias de fomento foram criadas, a saber: Filmes e Vídeos Experimentais (Filmes e vídeos que proponham, obrigatoriamente, experimentações de linguagem. Serão aceitos trabalhos de ficção, ensaios, animação, videoarte, documentários experimentais, motion design, entre outros), Eventos Multimídia (VJing (live Images), performances audiovisuais, cineinstalações, videoinstalações, obras e espetáculos cênicos que utilizem em seus processos criativos, preponderantemente, os meios audiovisuais), Documentário para Web

Inscrições até 29 de maio de 2009 5 de junho de 2009

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011
Av. Paulista 149, 6º andar, Bela Vista - São Paulo - SP
CEP 01311-000
rumoscinemaevideo@itaucultural.org.br
www.itaucultural.org.br

Leia aqui o edital completo

Informações para o profissional sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA SELECIONADOS:
Cada categoria prevê modalidades diversas de formato de duração, orçamentos, aporte financeiro e tipo de seleção, a saber:

Filmes e Vídeos Experimentais

Os projetos podem ter três formatos de duração:

até 15 minutos: orçamento de até R$ 30.000,00

26 minutos: orçamento de até R$50.000,00

54 minutos: orçamento de até R$ 80.000,00

O orçamento deve contemplar a realização integral do projeto.

Eventos Multimídia

Os projetos deverão ter orçamento com valor máximo de até R$ 80.000,00, observando os seguintes parâmetros:

Os custos de produção não devem exceder o valor de até R$ 40.000,00. Essas despesas incluem itens como equipe técnica, direitos autorais e de imagem e voz, pré-produção, captação e edição de imagens e de áudio, composição de trilha sonora, mixagem etc. Esse valor será repassado aos responsáveis pelo projeto selecionado, mediante assinatura de contrato com o Itaú Cultural.

Os custos de montagem não devem exceder o valor de até R$ 40.000,00. Essas despesas incluem itens como locação de projetores ou equipamentos similares, despesas aéreas e hospedagem, confecção de peças cenográficas etc. Esse valor será administrado unicamente pelo Itaú Cultural, que tomará as devidas providências para a execução das demandas, de acordo com os projetos selecionados, desde que o limite orçamentário aqui estabelecido não seja ultrapassado.

Os orçamentos devem contemplar a execução integral do projeto.

Documentário para Web

Os projetos deverão ter a duração máxima de 8 (oito) minutos e apresentar orçamento com valor máximo de até R$25.000,00.

O orçamento deve contemplar a execução integral do projeto.

GANHO PARA INSCRITOS: NENHUM

CUSTOS OPERACIONAIS - INSCRIÇÃO:
Formulário de inscrição impresso;

Cópia simples e legível do contrato social, ata de constituição ou estatuto social da pessoa jurídica;

Cópia simples, legível e recente do cartão CNPJ;

Ata de assembléia, ata de posse ou ata das alterações estatutárias indicando quem é ou quem são os atuais representantes legais da pessoa jurídica;

Cópia simples e legível da Cédula de Identidade (ou RNE, tratando-se de estrangeiros) e do CPF de todos os representantes legais da pessoa jurídica;

Carta-compromisso dos membros da equipe responsável pelo projeto.

A carta-compromisso é um termo de declaração (individual) a ser impresso e assinado por cada membro que colaborou na concepção do projeto da obra audiovisual, de acordo com modelo anexo. Nesse documento, quem o assina declara que participou do projeto e assume o compromisso de permanecer na equipe e acompanhar o desenvolvimento do trabalho, caso ele seja selecionado.

Portfólio do(a) diretor(a) ou diretores(as) do projeto.

O portfólio deverá ser apresentado em DVD formato vídeo NTSC (Zona ALL) e conter no máximo 2 (dois) trabalhos já realizados pelo(a) diretor(a) ou diretores(as).

Currículos do(a) diretor(a) ou diretores(as) e produtor(a) responsáveis pelo projeto.

Projeto: o projeto a ser enviado consiste na proposta que a pessoa jurídica inscrita se propõe a realizar, caso seja contemplada. O projeto deverá conter:

Descrição do conteúdo e concepção da proposta;

Argumento e roteiro (se for o caso);

Plano de realização da proposta com o respectivo cronograma de atividades/produção;

Orçamento detalhado para sua realização – cujos custos totais estimados não poderão ultrapassar o valor do apoio à produção previsto no item 6 (Requisitos de Seleção) deste regulamento.

Todos os materiais solicitados neste regulamento devem ser remetidos pelo correio - como correspondência registrada (ou Sedex) e Aviso de Recebimento (AR).

DEVOLUÇÃO:
Os materiais enviados para inscrição não serão em nenhuma hipótese devolvidos.

CONTRAPARTIDA PARA PREMIADOS:
Os projetos contemplados também farão jus a um Plano de Exibição e Distribuição

Edital - Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011 - Linguagens Expandidas

1. APRESENTAÇÃO

O programa Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011 tem o objetivo de fomentar e difundir a produção do audiovisual contemporâneo.

Nesta sexta edição, o programa muda de foco e expande sua área de ação para além do campo do documentário, como tradicionalmente ocorria nas edições anteriores.

A partir de uma percepção de que o audiovisual na contemporaneidade se apresenta em suportes, meios e formatos diversos cada vez com mais intensidade, três categorias de fomento foram criadas, a saber:

Categorias

Filmes e Vídeos Experimentais

Filmes e vídeos que proponham, obrigatoriamente, experimentações de linguagem.

O foco dessa categoria recai sobre trabalhos que extrapolem a estrutura clássica, em busca de novos modos de construção da narrativa, a partir da não-linearidade ou de formas originais de montagem, da hibridização de suportes e linguagens, da subversão de características dos meios de captação e finalização, entre outros aspectos que possam ser explorados como elementos de experimentação.

Serão aceitos trabalhos de ficção, ensaios, animação, videoarte, documentários experimentais, motion design, entre outros.

Não serão aceitos projetos específicos de videodança, pois esta é uma categoria contemplada no Regulamento do Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009-2011 (confira em www.itaucultural.org.br/rumos).

EVENTOs Multimídia

VJing (live Images), performances audiovisuais, cineinstalações, videoinstalações, obras e espetáculos cênicos que utilizem em seus processos criativos, preponderantemente, os meios audiovisuais.

Os eventos multimídia poderão explorar a presença de uma situação audiovisual em espaços distintos ao da sala de cinema e de sua ocorrência na televisão e na internet, rompendo-se com a obrigatoriedade de uma tela única e frontal.

Não serão aceitos projetos que utilizem processos e sistemas interativos, pois esta é uma categoria contemplada no Regulamento do Programa Rumos Itaú Cultural Arte Cibernética 2009-2011 (confira em www.itaucultural.org.br/rumos).

Documentário para Web

A concepção do projeto deverá levar em conta a exibição em janela de web 480x360 e tela cheia.

Os documentários devem ser desenvolvidos a partir de uma das seguintes temáticas: ruído ou velocidade.

Em cada uma dessas categorias, a apropriação dos meios audiovisuais e suportes variados se dá de diferentes formas, mas sempre com o intuito de trabalhar a experimentação e a expansão das linguagens, permitindo a criação de experiências audiovisuais particulares e intensificadas.

2. INSCRIÇÕES

2.1. As inscrições para a seleção do programa Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011 são gratuitas e podem ser efetuadas no período de 4 de março a 29 de maio de 2009.

2.2. As inscrições poderão ser efetuadas somente pela internet, exclusivamente no site do Itaú Cultural, no endereço www.itaucultural.org.br/rumos.

2.3. Ao acessar o site, o interessado encontrará um formulário de inscrição que deverá ser integralmente preenchido.

2.4. Concluído o preenchimento do formulário, a inscrição será automaticamente confirmada e será gerado um número de inscrição que será enviado ao e-mail fornecido pelo interessado.

2.5. O número de inscrição será de uso obrigatório, de modo visível e destacado, para remessa pelo correio dos materiais exigidos neste regulamento.

2.6. O formulário de inscrição deverá ser impresso e enviado junto com os demais materiais solicitados neste regulamento.

2.7. Não há limites de inscrição. É permitida mais de uma inscrição pelo mesmo candidato, desde que o faça categorias diferentes.

2.8. Um mesmo número de inscrição não poderá ser utilizado mais de uma vez. Para cada categoria em que o candidato queira participar deverá ser efetuada uma nova inscrição.

A título de pesquisa para o Observatório Cultural desenvolvido pela instituição, ao se inscrever, o interessado deverá necessariamente preencher um questionário – independente da ficha de inscrição – que não será apresentado às Comissões de Seleção e, portanto, seu conteúdo não será quesito para seleção.

As respostas serão totalmente confidenciais e de uso exclusivo dos profissionais do Observatório Itaú Cultural para a elaboração de pesquisas quantitativas sobre o perfil dos inscritos no programa Rumos.

3. Participação

3.1. Serão aceitas inscrições somente de pessoas jurídicas de direito privado, assim consideradas aquelas que estiverem com situação cadastral ativa no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), tais como microempresas e sociedades limitadas, assim reconhecidas pela legislação brasileira.

3.1.1. A pessoa jurídica deverá atentar para os seguintes requisitos:

a) Ter sede no Brasil;

b) Ter como representante legal (ou representantes legais) brasileiro(s) nato(s) ou naturalizado(s) e/ou estrangeiro com residência fixa no Brasil há pelo menos dois anos;

c) Prever em seu objeto social a criação e/ou produção e/ou prestação de serviços na área audiovisual.

Inscrições que desatendam prazos, condições ou requisitos acima estabelecidos serão invalidadas.

4. Impedimentos

4.1. É vedada a participação de:

· Funcionários e estagiários do Itaú Cultural e seus parentes (cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes);

· Ex-funcionários e ex-estagiários com menos de 1 (um) ano de desligamento do Itaú Cultural, a contar da data de publicação deste regulamento, 4 de março de 2009;

· Funcionários e estagiários do Banco Itaú S.A.;

· Terceirizados do Itaú Cultural com contratos vigentes durante o período de inscrições;

· Integrantes da Comissão Julgadora e seus parentes (cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes);

· Pessoas contratadas (físicas ou jurídicas) para a realização do programa Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011.

4.2. Artistas contemplados na última edição do programa Rumos Cinema e Vídeo (realizada em 2006) estão impedidos de participar desta sexta edição do programa.

4.3. Inscrições de pessoas impedidas serão invalidadas em qualquer fase da seleção.

5. MATERIAIS A SEREM ENVIADOS

Remessa

5.1. Todos os materiais solicitados abaixo são obrigatórios e deverão ser remetidos pelos Correios – identificados com a razão social da pessoa jurídica inscrita, a categoria em que está participando e o número de inscrição, endereçados para:

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011
Av. Paulista, 149 – 6º andar
Bela Vista – São Paulo – SP

CEP 01311-000

Os materiais devem ser enviados em envelope registrado e com Aviso de Recebimento – AR, ou por Sedex, com data de postagem até 29 de maio de 2009.

Não serão aceitas correspondências postadas após essa data. Também não serão admitidos documentos enviados pela internet ou entregues diretamente na sede do Itaú Cultural.

A inobservância de algum dos critérios estabelecidos ou a falta dos materiais solicitados implicará na invalidação automática da inscrição efetuada.

Os materiais enviados para seleção no programa não serão devolvidos em nenhuma hipótese.

Materiais

5.2. Para todas as categorias do programa Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011 é obrigatória a remessa dos seguintes materiais:

· Formulário de inscrição impresso;

· Cópia simples e legível do contrato social, ata de constituição ou estatuto social da pessoa jurídica;

· Cópia simples, legível e recente do cartão CNPJ;

· Ata de assembléia, ata de posse ou ata das alterações estatutárias indicando quem é ou quem são os atuais representantes legais da pessoa jurídica;

· Cópia simples e legível da Cédula de Identidade (ou RNE, tratando-se de estrangeiros) e do CPF de todos os representantes legais da pessoa jurídica;

· Carta-compromisso dos membros da equipe responsável pelo projeto.

o A carta-compromisso é um termo de declaração (individual) a ser impresso e assinado por cada membro que colaborou na concepção do projeto da obra audiovisual, de acordo com modelo anexo. Nesse documento, quem o assina declara que participou do projeto e assume o compromisso de permanecer na equipe e acompanhar o desenvolvimento do trabalho, caso ele seja selecionado.

· Portfólio do(a) diretor(a) ou diretores(as) do projeto.

o O portfólio deverá ser apresentado em DVD formato vídeo NTSC (Zona ALL) e conter no máximo 2 (dois) trabalhos já realizados pelo(a) diretor(a) ou diretores(as).

· Currículos do(a) diretor(a) ou diretores(as) e produtor(a) responsáveis pelo projeto.

· Projeto: o projeto a ser enviado consiste na proposta que a pessoa jurídica inscrita se propõe a realizar, caso seja contemplada. O projeto deverá conter:

o Descrição do conteúdo e concepção da proposta;

o Argumento e roteiro (se for o caso);

o Plano de realização da proposta com o respectivo cronograma de atividades/produção;

o Orçamento detalhado para sua realização – cujos custos totais estimados não poderão ultrapassar o valor do apoio à produção previsto no item 6 (Requisitos de Seleção) deste regulamento.

Os orçamentos enviados serão analisados tendo em vista a adequação ao projeto, de modo que garanta sua viabilização total, ou seja, esses projetos não poderão ser coproduzidos ou contar com outros aportes para sua realização.

O Itaú Cultural não se responsabiliza por documentos originais recebidos.

6. REQUISITOS DE SELEÇÃO: DURAÇÃO – ORÇAMENTOS x APOIO FINANCEIRO

6.1. Cada categoria prevê modalidades diversas de formato de duração, orçamentos, aporte financeiro e tipo de seleção, a saber:

Filmes e Vídeos Experimentais

Os projetos podem ter três formatos de duração:

· até 15 minutos: orçamento de até R$ 30.000,00

· 26 minutos: orçamento de até R$50.000,00

· 54 minutos: orçamento de até R$ 80.000,00

O orçamento deve contemplar a realização integral do projeto.

Eventos Multimídia

Os projetos deverão ter orçamento com valor máximo de até R$ 80.000,00, observando os seguintes parâmetros:

· Os custos de produção não devem exceder o valor de até R$ 40.000,00. Essas despesas incluem itens como equipe técnica, direitos autorais e de imagem e voz, pré-produção, captação e edição de imagens e de áudio, composição de trilha sonora, mixagem etc. Esse valor será repassado aos responsáveis pelo projeto selecionado, mediante assinatura de contrato com o Itaú Cultural.

· Os custos de montagem não devem exceder o valor de até R$ 40.000,00. Essas despesas incluem itens como locação de projetores ou equipamentos similares, despesas aéreas e hospedagem, confecção de peças cenográficas etc. Esse valor será administrado unicamente pelo Itaú Cultural, que tomará as devidas providências para a execução das demandas, de acordo com os projetos selecionados, desde que o limite orçamentário aqui estabelecido não seja ultrapassado.

Os orçamentos devem contemplar a execução integral do projeto.

Documentário para Web

Os projetos deverão ter a duração máxima de 8 (oito) minutos e apresentar orçamento com valor máximo de até R$25.000,00.

O orçamento deve contemplar a execução integral do projeto.

7. SELEÇÃO

Etapas de seleção

7.1. Pré-seleção

Não há número previamente determinado de pré-selecionados.

Os resultados da pré-seleção serão divulgados até 30 de julho de 2009.

Esses projetos participarão das etapas seguintes de seleção do programa Rumos Cinema e Vídeo.

7.2. Apresentação dos projetos

Os representantes dos projetos pré-selecionados nas categorias Filmes e Vídeos Experimentais e Eventos Multimídia participarão de uma entrevista com a Comissão de Seleção, nas dependências do Itaú Cultural, em São Paulo, prevista para o mês de agosto de 2009 (data a ser confirmada pela instituição).

Somente um representante por projeto comparecerá ao Itaú Cultural nessa etapa da seleção.

Durante a entrevista, o representante do projeto pré-selecionado apresentará suas respectivas propostas à Comissão de Seleção.

A apresentação terá o tempo máximo de 50 minutos, sendo:

· 15 minutos para a apresentação do projeto;

· 25 minutos para os comentários e dúvidas da Comissão de Seleção;

· 10 minutos para a conclusão do proponente.

Para essa etapa, cada um dos representantes dos projetos pré-selecionados receberá uma bolsa de participação no valor bruto de R$ 500,00 (quinhentos reais).

O Instituto Itaú Cultural também fornecerá transporte aéreo e hospedagem aos que residirem fora da cidade de São Paulo.

Os projetos pré-selecionados na categoria Documentário para Web serão avaliados sem a realização de entrevista com a comissão.

7.3. Seleção final

Após a etapa das entrevistas (apresentação dos projetos), as propostas serão analisadas e avaliadas pela comissão julgadora.

Serão contemplados os projetos com as melhores avaliações, de acordo com os critérios estabelecidos pela comissão julgadora.

Nas categorias Filmes e Vídeos Experimentais e Eventos Multimídia o número de projetos selecionados/contemplados será definido pela Comissão de Seleção.

Na categoria Documentário para Web serão contemplados 7 (sete) projetos de 8 (oito) minutos cada.

8. RESULTADOS

Divulgação de resultados

8.1. O resultado da seleção será comunicado aos contemplados por telefone e/ou e-mail até o dia 8 de setembro de 2009. Também serão divulgados pela imprensa e pela internet, no site www.itaucultural.org.br/rumos.

Nessa ocasião, os premiados serão informados das condições para o recebimento dos prêmios.

9. COMISSÃO DE SELEÇÃO

Composição

9.1. Cada uma das categorias terá uma Comissão de Seleção específica, coordenada pelo Núcleo de Audiovisual do Itaú Cultural.

A seleção dos projetos é de responsabilidade exclusiva dessas comissões, que serão independentes, formadas por profissionais da área de reconhecida atuação e notório saber.

Critérios

9.2. As decisões da Comissão de Seleção serão soberanas, não sendo passíveis de questionamentos ou recursos, e tomadas considerando todos os requisitos deste regulamento e em especial os seguintes critérios:

· Originalidade do tratamento;

· Viabilidade técnica de execução;

· Viabilidade orçamentária;

· Qualidade da pesquisa já realizada;

· Adequação ao tema (para a categoria Documentários para Web).

A análise dos projetos inscritos será realizada de acordo com as etapas previstas neste regulamento.

10. CONTEMPLADOS

10.1. Os contemplados nas categorias Filmes e Vídeos Experimentais e Documentários para Web ficam cientes de sua responsabilidade em entregar ao Itaú Cultural, quando da conclusão dos projetos selecionados, um arquivo digital e 2 (duas) fitas DVCam contendo sua versão final, de acordo com as especificações do contrato a ser celebrado entre as partes.

10.2. Aporte financeiro: o aporte financeiro previsto para a produção/realização do projeto selecionado será efetivado mediante a formalização de um Contrato de Prestação de Serviços e Licenciamento de Obra Intelectual, no valor integral do projeto aprovado pela Comissão de Seleção, tendo como partes contratantes o Instituto Itaú Cultural e a pessoa jurídica contemplada.

Por nenhuma outra forma, que não o referido contrato, o contemplado poderá receber o apoio financeiro em dinheiro.

As condições do Contrato de Prestação de Serviços serão apresentadas pelo Itaú Cultural por ocasião de sua formalização. O recebimento do apoio financeiro ficará condicionado ao atendimento dessas condições, estipulando-se que os pagamentos serão feitos em 3 (três) parcelas atreladas às etapas de desenvolvimento do projeto.

Para todas as categorias, fica consignado que o valor constante em contrato terá como titular único e exclusivo a pessoa jurídica contemplada e representará a integralidade do aporte financeiro disponível ao selecionado para a concretização de seu projeto.

Não serão admitidas, em nenhuma hipótese, coproduções ou outros aportes financeiros para consecução da proposta, que, se constatados, mesmo após a divulgação dos resultados, autorizarão o Itaú Cultural a desclassificar quem incorrer nessa prática.

Os prêmios são intransferíveis e não poderão ser substituídos por qualquer outra modalidade de contemplação.

Com relação aos valores estipulados neste regulamento, eles poderão sofrer eventual tributação conforme legislação vigente quando da época do pagamento do apoio financeiro aos contemplados. Inexistindo tributação incidente, os valores pagos serão líquidos.

10.3. Os projetos contemplados também farão jus a um Plano de Exibição e Distribuição que prevê:

Filmes e Vídeos Experimentais

· Possibilidade de participação do projeto contemplado (já em formato finalizado) em série audiovisual, em DVD, contendo todos ou parte dos projetos selecionados, a ser produzida pelo Itaú Cultural, com lançamento em evento na sede da instituição, previsto para 2010. A inclusão dos projetos contemplados na referida série será definida única e exclusivamente pelo Itaú Cultural.

· Possibilidade de exibição do projeto selecionado, como parte integrante de série audiovisual a ser produzida pelo Itaú Cultural, em instituições parceiras, TVs da rede pública, mídias diversas, canais a cabo e internet, de acordo com definições da instituição.

· Possibilidade de distribuição da série audiovisual para instituições parceiras, a critério do Itaú Cultural.

· Incorporação do projeto (em seu formato final) ao Centro de Documentação e Referência do Itaú Cultural para distribuição gratuita a instituições culturais e educativas do Brasil e do exterior.

Eventos Multimídia

· Possibilidade de participação do projeto contemplado (já em formato finalizado) em circuito de exibição, na sede do Itaú Cultural (em São Paulo), em instituições parceiras e em outras capitais do país. A itinerância dos projetos contemplados será definida pelo Itaú Cultural.

· Registro audiovisual da exibição dos projetos na sede da instituição, para possível inserção em DVD a ser distribuído em instituições parceiras e veiculação em meios e mídias diversas, de acordo com deliberação do Itaú Cultural.

Documentários para Web

· Possibilidade de exibição dos projetos selecionados (já em formato finalizado) no site da instituição, de acordo com deliberação do Itaú Cultural.

· Possibilidade de participação do projeto contemplado (já em formato finalizado) em série audiovisual, em DVD contendo todos ou parte dos projetos selecionados, a ser produzida pelo Itaú Cultural, com lançamento em evento na sede da instituição, previsto para 2010. A inclusão dos projetos contemplados na referida série será definida única e exclusivamente pelo Itaú Cultural.

· Possibilidade de exibição do projeto selecionado, como parte integrante de série audiovisual produzida pelo Itaú Cultural, em instituições parceiras, TVs da rede pública, mídias diversas, canais a cabo e internet, de acordo com definições da instituição.

· Incorporação do documentário ao Centro de Documentação e Referência do Itaú Cultural para distribuição gratuita a instituições culturais e educativas do Brasil e do exterior.

11. CRONOGRAMA

11.1. O programa Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011 observará o seguinte cronograma:

· Inscrição via internet e postagem dos materiais: de 4 de março de 2009 a 29 de maio de 2009.

· Divulgação dos projetos pré-selecionados (categorias Filmes e Vídeos Experimentais e Eventos Multimídia) para a etapa Apresentação dos projetos: até 30 de julho de 2009.

· Realização das entrevistas e apresentações, com a Comissão de Seleção, dos projetos pré-selecionados: agosto de 2009 (datas a definir).

· Divulgação dos projetos contemplados: até 8 de setembro de 2009.

· Assinatura de contratos: entre 8 e 23 de outubro de 2009.

· Período de produção dos projetos: de novembro de 2009 até 30 de julho de 2010.

· Prazo previsto para lançamento dos projetos: primeira quinzena de setembro de 2010.

12. DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM

12.1. Divulgação do programa

Caso sejam selecionados, os participantes dos projetos contemplados, desde já, autorizam o Itaú Cultural a utilizar suas imagens e currículos para exibição em mídia impressa, eletrônica e internet, exclusivamente para a divulgação do programa Rumos.

A utilização ora prevista não tem limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e o exterior, sem que seja devida nenhuma remuneração, a qualquer título.

O Itaú Cultural poderá divulgar todas as etapas deste programa através de qualquer mídia, inclusive internet.

12.2. Contrato

Caso seja selecionada, a pessoa jurídica fica ciente da obrigatoriedade em firmar com o Itaú Cultural um Contrato de Prestação de Serviços e Licenciamento de Obra Intelectual (não exclusivo), sob pena de desclassificação.

Por meio do referido contrato, o Itaú Cultural assegurará para si direitos de utilização, distribuição e difusão dos projetos (em seus formatos finalizados) em mídias, meios, suportes e modalidades diversos, com ou sem fins comerciais.

Todos os direitos licenciados pelos contemplados serão não exclusivos, ficando-lhes assegurado o uso irrestrito dos projetos/obras após um prazo de:

· 18 meses (a contar da data de assinatura dos contratos) para as categorias Filmes e Vídeos Experimentais e Documentários para Web;

· 24 meses (a contar da data de assinatura dos contratos) para a categoria Eventos Multimídia.

No contrato também constarão as condições de prestação de serviços para a realização do projeto selecionado.

12.3. Obras de Terceiros

Os selecionados serão responsáveis pela obtenção de toda e qualquer autorização, licenciamento ou cessão de direitos, relativos a obras (textos, músicas, fotografias etc.) ou imagens de terceiros – necessários para o pleno atendimento de toda a legislação incidente sobre o projeto/obra, em especial, a legislação autoral e as referentes ao uso de registros de imagem e voz.

O Itaú Cultural verificará a regularidade de todos os direitos autorais, conexos e de imagem presentes ou incidentes na versão final do projeto, ficando a seu exclusivo critério decidir a sanção ao projeto que desatender essas exigências.

Para tanto, o Itaú Cultural fornecerá orientação jurídica e modelos contratuais.

O Itaú Cultural se reserva o direito de solicitar, a qualquer tempo, documentos que comprovem as declarações dos participantes.

12.4. O contemplado responderá, de forma exclusiva e integral, por eventuais reclamações, questionamentos, acusações ou alegações de plágio ou violação a direitos autorais, conexos, patrimoniais, de propriedade industrial, de titularidade de terceiros, dentre outros, inclusive pela omissão de informações, assegurando ao Itaú Cultural o pleno ressarcimento por possíveis prejuízos sofridos pelo Instituto a ess e título.

13. OUTRAS INFORMAÇÕES

Questões não-previstas no presente regulamento serão avaliadas e decididas sob exclusivo critério da Comissão Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011.

O ato de inscrição implica automática e plena concordância com os termos deste regulamento.

Dúvidas poderão ser esclarecidas pelo e-mail rumoscinemaevideo@itaucultural.org.br.

Posted by Ananda Carvalho at 11:51 AM

março 4, 2009

Rumos Itaú Cultural Arte Cibernética 2009-2011 - Inscrições e Informações para o artista

Em sua quarta edição, traz duas carteiras para participação: Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia e Apoio à Pesquisa Acadêmica

Inscrições até 29 de maio de 2009 5 de junho de 2009

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Arte Cibernética 2009
Av. Paulista 149, 6º andar, Bela Vista - São Paulo - SP
CEP 01311-000
rumosartesvisuais@itaucultural.org.br
www.itaucultural.org.br

Leia aqui o edital completo

Informações para o profissional sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA SELECIONADOS:

Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia: Até 8 (oito) projetos na carteira de Apoio à Produção de Obras em Arte e Tecnologia – sendo até 5 (cinco) projetos no valor de R$ 25.000,00 e até 3 (três) projetos no valor de R$ 50.000,00;

Apoio à Pesquisa Acadêmica: R$ 12.500,00 (doze mil e quinhentos reais) para cada pesquisa contemplada.

GANHO PARA INSCRITOS: NENHUM

CUSTOS OPERACIONAIS - INSCRIÇÃO:

Categoria de apoio até R$ 25.000,00:

Descritivo da obra inscrita, que contenha: título e conceito; esboço/croqui; especificações técnicas; detalhamento dos materiais e/ou equipamentos; Previsão orçamentária: os custos de produção da obra não devem exceder o limite de até R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais); Cronograma de execução, que deverá observar a duração máxima de 12 (doze) meses. Opcionalmente o candidato poderá enviar juntamente com o descritivo da obra um demonstrativo (“demo”), em suporte de mídia digital (DVD/CD-ROM).

Categoria de apoio até R$ 50.000,00:

Demonstrativo (“demo”) da obra inscrita, em suporte de mídia digital (DVD/CD-ROM), tal como animação digital em 3D, vídeo digital ou ambiente virtual; Previsão orçamentária: os custos de produção da obra não devem exceder o limite de até R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais); Cronograma de execução, que deverá observar a duração máxima de 12 (doze) meses.

Apoio à pesquisa acadêmica

O candidato deverá enviar um resumo do projeto de pesquisa, que contenha os seguintes tópicos: título, objeto, justificativa, quadro teórico de referência, metodologia, sumário de pesquisa e referências bibliográficas.

Todos os materiais solicitados neste regulamento devem ser remetidos pelo correio - como correspondência registrada (ou Sedex) e Aviso de Recebimento (AR).

DEVOLUÇÃO:
Os materiais enviados para inscrição não serão em nenhuma hipótese devolvidos.

Edital - Rumos Arte Cibernética 2009

1. APRESENTAÇÃO

O Rumos Arte Cibernética 2009 é a nova edição do programa permanente da instituição relacionado a arte e tecnologia. Tem por objetivo o mapeamento e o apoio à produção de arte cibernética no Brasil.

A seleção de projetos será realizada por uma comissão autônoma de especialistas em duas carteiras: a) Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia, e b) Apoio à Pesquisa Acadêmica.

Como nas edições anteriores – Rumos Mídias Interativas, em 1999; Rumos Transmídia, em 2002; Rumos Pesquisa, em 2002; e Rumos Arte Cibernética 2006, o programa é um importante instrumento de incentivo à produção e à pesquisa em arte e tecnologia no Brasil.

2. CARTEIRAS

Arte e tecnologia é um termo genérico usado para descrever a arte relacionada com tecnologias surgidas a partir da segunda metade do século XX. Entretanto, o conceito de arte cibernética é significativamente mais restrito, pois exige a interação constante entre o observador e a obra – e/ou entre os subsistemas da obra – num processo de causalidade circular que pode acarretar mudança de objetivos tanto para o espectador como para a obra. Portanto, o foco do programa são obras que contemplem a interação contínua, cibernética, entre o observador e a obra – e/ou entre os subsistemas da obra –, bem como projetos de pesquisa que discorram sobre ou desenvolvam conceitos relacionados.

Rumos Arte Cibernética 2009 contemplará duas carteiras:

Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia

Exemplos para a carteira de Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia (não excludentes):

· Arte computacional

· Instalações interativas

· Arte em rede

· Arte robótica

· Arte com videogames

· Instalações de música interativa

Apoio à Pesquisa Acadêmica

A carteira Apoio à Pesquisa Acadêmica contemplará dissertações ou teses acadêmicas em produção e vinculadas a uma universidade.

A carteira de Apoio à Pesquisa Acadêmica considerará projetos relacionados à conceituação acima. Os seguintes temas são exemplos (não excludentes):

· Linguagem interativa

· Metodologias

· Poética de sistemas interativos

· Estética de sistemas interativos

· Ferramentas de desenvolvimento

3. PARTICIPAÇÃO

3.1. A participação é restrita a pessoas físicas, brasileiros natos ou naturalizados, ou estrangeiros com residência fixa no Brasil há mais de 2 (dois) anos.

3.2. Não há limitação etária para a participação.

3.2.1. Na eventualidade de o inscrito ser menor de 16 anos, a inscrição e os demais termos contratuais deverão ser assinados por seu(s) representante(s) legal(is). Os maiores de 16 anos e menores de 18 anos poderão assinar os termos contratuais individualmente somente quando emancipados – caso contrário, deverão assinar em conjunto com seu(s) representante(s) legal(is).

4. INSCRIÇÕES

4.1. As inscrições para a seleção do programa Rumos Arte Cibernética são gratuitas e podem ser efetuadas no período de 4 de março a 29 de maio de 2009.

4.2. As inscrições poderão ser efetuadas somente pela internet, exclusivamente no site do Itaú Cultural, no endereço www.itaucultural.org.br/rumos.

4.3. Ao acessar o site o interessado encontrará um formulário de inscrição que deverá ser integralmente preenchido.

4.4. Concluído o preenchimento do formulário, a inscrição será automaticamente confirmada na tela e será gerado um número de inscrição que será enviado ao e-mail fornecido pelo interessado.

4.5 O número de inscrição será de uso obrigatório, de modo visível e destacado, para remessa pelos Correios dos materiais exigidos neste regulamento.

4.6. O candidato poderá inscrever-se em ambas as carteiras, observado o item 4.6.2.

4.6.1. Na hipótese de inscrição de trabalhos realizados em grupo, apenas um membro deverá constar como responsável pela inscrição do projeto, e para efeito de inscrição o mesmo será identificado como proponente. Os demais integrantes do grupo serão indicados no formulário de inscrição sob a designação de participantes.

4.6.2. Na condição de proponente só será permitida uma única inscrição em cada carteira por candidato, sendo impugnadas todas as inscrições efetuadas pelo candidato na hipótese do não-atendimento desse requisito. O candidato poderá, no entanto, figurar, em trabalhos realizados em grupo, como participante (não proponente).

4.7. Um mesmo número de inscrição não poderá ser utilizado mais de uma vez. Para cada carteira em que o candidato pretenda participar deverá ser efetuada uma nova inscrição.

A título de pesquisa para o Observatório Cultural desenvolvido pela instituição, ao se inscrever, o interessado deverá necessariamente preencher um questionário – independente da ficha de inscrição – que não será apresentado às Comissões de Seleção e, portanto, seu conteúdo não será quesito para seleção.

As respostas serão totalmente confidenciais e de uso exclusivo dos profissionais do Observatório Itaú Cultural para a elaboração de pesquisas quantitativas sobre o perfil dos inscritos no programa Rumos.

Inscrições que desatendam prazos, condições ou requisitos acima estabelecidos serão invalidadas.

5. IMPEDIMENTOS

5.1. É vedada a participação de:

· Funcionários e estagiários do Itaú Cultural e seus parentes (cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes);

· Ex-funcionários e ex-estagiários com menos de 1 (um) ano de desligamento do Itaú Cultural, a contar da data de publicação deste regulamento: 4 de março de 2009;

· Funcionários e estagiários do Banco Itaú S.A.;

· Terceirizados do Itaú Cultural com contratos vigentes durante o período de inscrições;

· Integrantes da Comissão de Seleção e seus parentes ( cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, afins e dependentes);

· Pessoas contratadas (físicas ou jurídicas) para a realização do programa Rumos Arte Cibernética 2009.

5.1.1. Artistas contemplados na última edição do programa Rumos Arte Cibernética (2006) estão impedidos de participar desta edição do programa. Artistas de edições anteriores à de 2006 não poderão se inscrever com obras ou projetos que já tenham sido premiadas pelo Rumos.

5.2. Inscrições de pessoas impedidas serão invalidadas em qualquer fase da seleção.

6. MATERIAIS A SEREM ENVIADOS

6.1. Todos os materiais solicitados abaixo são obrigatórios e deverão ser remetidos pelos Correios ou por Sedex – identificados unicamente com o número de inscrição e a carteira em que o candidato está participando. Não deverão apresentar quaisquer dados pessoais (inclusive na parte exterior da correspondência) e serem endereçados para:

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL
A/C Rumos Arte Cibernética 2009
Av. Paulista, 149 – 6º andar
Bela Vista – São Paulo – SP
CEP 01311-000

Os materiais devem ser enviados em envelope registrado e com Aviso de Recebimento – AR, ou por Sedex, com data de postagem até 29 de maio de 2009.

Não serão aceitas correspondências postadas após essa data. Também não serão admitidos documentos enviados pela internet ou entregues diretamente na sede do Itaú Cultural.

A inobservância de algum dos critérios estabelecidos, a presença de dados que identifiquem o candidato ou a falta dos materiais solicitados implicarão na invalidação automática da inscrição efetuada.

Os materiais enviados para seleção no programa não serão devolvidos em nenhuma hipótese.

APOIO À PRODUÇÃO DE OBRA EM ARTE E TECNOLOGIA

6.2. Categoria de apoio até R$ 25.000,00

O candidato deverá obrigatoriamente enviar:

· Número de inscrição;

· Descritivo da obra inscrita, que contenha: título e conceito; esboço/croqui; especificações técnicas; detalhamento dos materiais e/ou equipamentos;

· Previsão orçamentária: os custos de produção da obra não devem exceder o limite de até R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais);

· Cronograma de execução, que deverá observar a duração máxima de 12 (doze) meses.

6.2.1. Opcionalmente o candidato poderá enviar juntamente com o descritivo da obra um demonstrativo (“demo”), em suporte de mídia digital (DVD/CD-ROM).

6.3. Categoria de apoio até R$ 50.000,00

O candidato deverá obrigatoriamente enviar:

· Número de inscrição;

· Demonstrativo (“demo”) da obra inscrita, em suporte de mídia digital (DVD/CD-ROM), tal como animação digital em 3D, vídeo digital ou ambiente virtual;

· Previsão orçamentária: os custos de produção da obra não devem exceder o limite de até R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais);

· Cronograma de execução, que deverá observar a duração máxima de 12 (doze) meses.

APOIO À PESQUISA ACADÊMICA

O candidato deverá enviar um resumo do projeto de pesquisa, que contenha os seguintes tópicos: título, objeto, justificativa, quadro teórico de referência, metodologia, sumário de pesquisa e referências bibliográficas.

7. SELEÇÃO

A escolha dos projetos a serem contemplados é de responsabilidade exclusiva da Comissão de Seleção, coordenada pela equipe organizadora do programa Rumos Arte Cibernética.

A Comissão de Seleção será autônoma, formada por 4 (quatro) profissionais da área, de reconhecida atuação e notório saber, e 1 (um) representante do Itaú Cultural.

As decisões da Comissão de Seleção serão tomadas considerando-se todos os requisitos deste regulamento e, em especial, os critérios a seguir, e serão soberanas, não passíveis de questionamentos ou recursos.

Os projetos serão avaliados especialmente quanto aos critérios:

Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia

a) Nível de interatividade (cibernética);

b) Uso criativo do meio;

c) Inovação;

d) Viabilidade técnica e orçamentária.

Apoio à Pesquisa Acadêmica

a) Pertinência ao tema;

b) Metodologia da proposta;

c) Inovação.

A seleção dos projetos – em ambas as carteiras – será realizada até 5 de setembro de 2009.

Serão contemplados:

· Até 8 (oito) projetos na carteira de Apoio à Produção de Obras em Arte e Tecnologia – sendo até 5 (cinco) projetos no valor de R$ 25.000,00 e até 3 (três) projetos no valor de R$ 50.000,00;

· Até 5 (cinco) projetos na carteira de Apoio à Pesquisa Acadêmica.

O resultado da seleção será comunicado aos contemplados por telefone e/ou e-mail até o dia 5 de setembro de 2009. Também serão divulgados pela imprensa e pela internet, no site www.itaucultural.org.br/rumos.

Nessa ocasião os premiados serão informados das condições para o recebimento dos prêmios.

8. CONTEMPLADOS

Os contemplados receberão:

Apoio à Produção de Obra em Arte e Tecnologia

· Apoio financeiro no valor integral bruto de até R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para cada projeto contemplado – destinado a projetos que tenham sido orçados até esse limite;

· Apoio no valor integral bruto de até R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) para cada projeto contemplado – destinado a projetos que tenham sido orçados até esse limite.

O pagamento do valor previsto em apoio ficará condicionado ao cumprimento do cronograma de execução da obra, a ser definido contratualmente entre as partes, e que terá prazo máximo de 12 (doze) meses para conclusão.

Apoio à Pesquisa Acadêmica

· Apoio no valor integral bruto de até R$ 12.500,00 (doze mil e quinhentos reais) para cada pesquisa contemplada.

O pagamento do valor previsto em apoio ficará condicionado ao atendimento das etapas de realização da pesquisa, a serem estabelecidas contratualmente entre as partes, e que terão prazo máximo de 2 (dois) anos para conclusão.

Observações importantes

Fica desde já estabelecido que os valores de apoio financeiro previstos neste edital serão recebidos pelos proponentes dos projetos contemplados, que ficarão responsáveis – na hipótese de existirem outros participantes – por acordar eventual repasse de valores entre os demais envolvidos no projeto.

Os valores indicados acima representam a integralidade do aporte financeiro.

Os prêmios são intransferíveis e não poderão ser substituídos por qualquer outra modalidade de contemplação.

Com relação aos valores estipulados neste regulamento, eles poderão sofrer eventual tributação conforme legislação vigente quando da época do pagamento do apoio financeiro aos contemplados. Inexistindo tributação incidente, os valores pagos serão líquidos.

9. CRONOGRAMA

O programa Rumos Arte Cibernética observará o seguinte cronograma:

a) Inscrição via internet e postagem dos materiais: de 4 de março de 2009 a 29 de maio de 2009.

b) Seleção: até 5 de setembro de 2009.

c) Divulgação dos projetos contemplados: 5 de setembro de 2009.

10. DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM

10.1. Divulgação do programa

Caso sejam selecionados, os participantes dos projetos contemplados, desde já, autorizam o Itaú Cultural a utilizar suas imagens e currículos para exibição em mídia impressa, eletrônica e internet, exclusivamente para a divulgação do programa Rumos.

A utilização ora prevista não tem limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e o exterior, sem que seja devida nenhuma remuneração, a qualquer título.

O Itaú Cultural poderá divulgar todas as etapas deste programa através de qualquer mídia, inclusive internet.

10.2. Contrato

Caso selecionado(s), o(s) participante(s) fica(m) ciente(s) da obrigatoriedade em firmar com o Itaú Cultural um Contrato de Apoio Financeiro e Licenciamento de Obra Intelectual (não exclusivo), sob pena de desclassificação.

Por nenhuma outra forma – que não o contrato acima referido – o contemplado poderá receber o apoio financeiro, sob pena de desclassificação.

Por meio do referido contrato, o Itaú Cultural assegurará para si direitos – não exclusivos – de utilização, distribuição e difusão das obras ou pesquisa contemplada (em seus formatos finalizados) em mídias, meios, suportes e modalidades diversos, bem como autorização para uso de registros de imagem, de forma gratuita e por tempo ilimitado, sem fins comerciais.

Todos os direitos licenciados pelos contemplados serão não exclusivos, ficando-lhes assegurado o uso irrestrito das obras/pesquisas após um prazo de 2 ( dois) anos.

A assinatura desses documentos exigirá, para os selecionados em ambas as carteiras, a apresentação prévia dos seguintes documentos (cópias simples): RG, CPF, comprovante de residência e inscrição no INSS ou PIS/Pasep.

10.3. Obras de terceiros

Os selecionados serão responsáveis pela obtenção de toda e qualquer autorização, licenciamento ou cessão de direitos que se verifiquem necessárias (a exemplo de textos, músicas, fotografias – dentre outras obras – e imagens de terceiros) para que as obras resultantes possam ser utilizadas pelo Itaú Cultural, na extensão e modalidades previstas no contrato referido no item 10.2, de modo a assegurar o pleno atendimento de toda a legislação incidente sobre essas obras, em especial a legislação autoral e as referentes ao uso de registros de imagem e voz.

O Itaú Cultural verificará a regularidade de todos os direitos autorais, conexos e de imagem presentes ou incidentes na versão final das obras, ficando a seu exclusivo critério decidir a sanção às obras que estiverem irregulares.

Para tanto o Itaú Cultural fornecerá orientação jurídica e modelos contratuais.

O Itaú Cultural se reserva o direito de solicitar, a qualquer tempo, documentos que comprovem as declarações dos participantes.

10.4. O contemplado responderá, de forma exclusiva e integral, por eventuais reclamações, questionamentos, acusações ou alegações de plágio ou violação a direitos autorais, conexos, patrimoniais, de propriedade industrial, de titularidade de terceiros, dentre outros, inclusive pela omissão de informações, assegurando ao Itaú Cultural o pleno ressarcimento por possíveis prejuízos sofridos pelo Instituto a ess e título.

11. OUTRAS INFORMAÇÕES

Ao longo de todo o processo seletivo, os resultados serão notificados diretamente aos proponentes das pesquisas, por comunicado oficial do Itaú Cultural; em que serão detalhadas as instruções de procedimento e condições contratuais relativas a cada etapa do processo.

Questões não-previstas no presente regulamento serão avaliadas e decididas sob exclusivo critério da Comissão Rumos Arte Cibernética.

O ato de inscrição implica automática e plena concordância com os termos deste regulamento.

Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail rumositaulab@itaucultural.org.br.

Posted by Ananda Carvalho at 5:59 PM