Página inicial

Salões & Prêmios

 


julho 2016
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

julho 25, 2016

Casa B Residência Artística - Convocatória 2016 - Inscrições

O Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea (mBrac), no Rio de Janeiro (RJ) abre, pela primeira vez, uma convocatória para o Casa B, sua programação de residências artísticas. A ação é um dos projetos contemplados no Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 12ª Edição. Serão selecionados cinco artistas, cada qual oriundo de uma das regiões do país. Eles vão receber prêmios de R$ 6 mil cada um.

Inscrições até 31 de agosto de 2016

EDITAL

Ministério da Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Saúde e Funarte apresentam

Casa B Residência Artística
Convocatória 2016
CONEXÃO, IMERSÃO, OCUPAÇÃO

1. DO OBJETO

A Casa B Residência Artística é um programa de moradia de artistas visitantes que intencionam progredir no desdobramento de suas pesquisas através do diálogo com a comunidade e com os projetos e programas desenvolvidos pelo Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea. Serve como plataforma de trocas, encontros, discussões e debates, principalmente relacionados ao contexto histórico e as noções de gestão autônoma de um espaço de arte dentro de uma instituição psiquiátrica, a Colônia Juliano Moreira, onde Arthur Bispo do Rosário viveu intermitentemente por mais de 50 anos e construiu sua coleção artística.

Com dependências situada no espaço do Polo Experimental de Convivência, Educação e Cultura [1], a Casa B surgiu pela vocação artístico-cultural da Colônia, que registrou na sua história a passagem de importantes artistas como Arthur Bispo do Rosário, Ernesto Nazareth, Stela do Patrocínio, entre outros que nunca foram conhecidos ou nunca deflagraram o seu processo de criação. Desde 2014, com o início do programa, já residiram na Casa B artistas como Daniel Murgel, Claudia Del Rio, Aleta Valente, Luiza Só, Willyams Martins, Solon Ribeiro e Maurício Ianês.

Nesta convocatória, cinco artistas, um de cada região do país, serão selecionados e contemplados com um prêmio de R$ 6.000 para realizarem residência simultaneamente na Casa B.

A realização desta edição da Casa B, com a temática CONEXÃO, IMERSÃO, OCUPAÇÃO, acontece em função de recursos oriundos do Ministério da Cultura e da Funarte, pois este projeto foi contemplado pelo Programa Rede Nacional Artes Visuais 12ª edição.

2. DOS REQUISITOS

2.1) Ter 18 anos ou mais no momento da inscrição;
2.2) Residir no mínimo há um ano na região do Brasil pela qual pretende concorrer;
2.3) Realizar inscrição nos moldes e prazos estabelecido pela presente convocatória;
2.4) Apresentar proposta inédita de residência na Casa B alinhada à ampla temática CONEXÃO, IMERSÃO, OCUPAÇÃO, que orienta a realização desta edição do presente programa.

3. DA INSCRIÇÃO

3.1) Serão aceitas inscrições únicas e apenas para candidaturas individuais realizadas no período de 15/07/2016 a 31/08/2016 exclusivamente por e-mail
endereçadas para o correio eletrônico casab2016@museubispodorosario.com, seguindo os procedimentos descritos nos itens 3.2 e 3.3.

3.2) No assunto do e-mail, o candidato proponente deverá escrever seu nome artístico e a região pela qual está concorrendo (Centro-Oeste ou Nordeste ou Norte ou Sudeste ou Sul). Por exemplo: “Bispo do Rosário – Sudeste”.

3.3) No anexo da mensagem de e-mail da inscrição, deverá conter uma única pasta zipada com 6 (seis) arquivos com os seguintes itens:

a) ficha de inscrição disponível no site do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea (www.museubispodorosario.com) devidamente preenchida em todos os campos, datada e assinada em formato PDF;
b) carta de motivação do(a) artista para a residência;
c) currículo em formato de biografia de até 2.000 caracteres;
d) portfólio de artista com até 15 páginas;
e) projeto com até 5.000 caracteres contendo: proposta de desenvolvimento de pesquisa e/ou trabalho para o decorrer dos 30 dias de residência; proposta de workshop voltado para a comunidade de artistas do Polo e/ou usuários dos serviços de saúde mental do Instituto Municipal de Assistência à Saúde Juliano Moreira e/ou moradores da Colônia Juliano Moreira, incluindo lista de material necessário à sua realização;
f) imagem em alta resolução de uma obra autoral que será utilizada para a divulgação do resultado da seleção da Casa B à imprensa.

3.4) O proponente deverá conhecer os projetos e programas realizados no Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea e obter informações sobre o território da Colônia Juliano Moreira no site www.museubispodorosario.com para efeitos de subsídio de elaboração da sua proposta.

3.5) Os servidores de e-mail do domínio “museubispodorosario.com” suportam até 40MB de anexos por mensagem.

3.6) Vídeos, trabalhos digitais e/ou outras mídias e arquivos extras que os proponentes julgarem relevantes poderão ser disponibilizados por meio de links indicados na última página do portfólio.

3.7) A realização da inscrição implica na plena e irrestrita aceitação por parte do proponente dos termos apresentados na presente convocatória;

4. DA SELEÇÃO

4.1) As propostas serão analisadas por uma Comissão de Seleção, instituída pelo Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, que será composta por três (3) membros, sendo dois (2) profissionais do campo das artes visuais de notório saber e um (1) profissional da equipe do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, o qual também responsabilizar-se-á por presidir a Comissão de Seleção.

4.2) Os projetos serão avaliados a partir dos seguintes critérios:

a) relevância para a promoção de intercâmbio cultural inter-regional, essência do programa Rede Nacional Artes Visuais, considerando a obra de Arthur Bispo do Rosário e o território do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea e da Colônia Juliano Moreira como contexto e referência;
b) clareza quanto à definição da proposta de residência;
c) relevância para a Casa B Residência Artística do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea;
d) adequação em relação aos eixos propostos pela convocatória;
e) currículo e portfólio do(a) artista.

5. DO RESULTADO

5.1) O resultado será publicado em até 15 dias após o término da inscrição. Os artistas selecionados serão contatados e as passagens deverão ser emitidas para até um dos 15 (quinze) dias seguintes à notificação da contemplação dos artistas, considerando o menor valor cotado.

5.2) Em caso de desistência ou desclassificação, novos artistas serão convocados por ordem de classificação até que sejam preenchidas as cinco vagas, sendo uma para cada região do país.

5.3) Após a publicação dos resultados e antes do início da residência, os contemplados deverão ter disponibilidade para diálogos de aprofundamento por meio de videoconferência com a equipe de curadoria do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea.

6. DO PRÊMIO

6.1) Cada artista receberá uma quantia no valor único de R$ 6.000,00 a ser pago em parcela única em até 7 (sete) dias úteis após a chegada no Rio de Janeiro e emissão de nota fiscal pelo contemplado.

6.2) O prêmio recebido pela contemplação é o único recurso financeiro que será disponibilizado pelo Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea e deverá ser utilizado pelos contemplados para a execução dos respectivos projetos e para eventuais despesas durante os 30 dias em que permanecerão em residência artística no Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea.

7. DAS OBRIGAÇÕES

7.1) Do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea:

a) fornecer alimentação (quatro refeições diárias), estadia incluindo quarto, atelier, banheiro e cozinha coletivos durante os 30 dias (1/10/2016 a 31/10/2016) do período da residência;

b) fornecer aos contemplados não-residentes na cidade do Rio de Janeiro passagem aérea partindo da capital do estado de origem do contemplado para o Rio de Janeiro para o início da residência e do Rio de Janeiro retornando para a capital do estado de origem do contemplado ao fim da realização da residência, dentro do calendário de realização da residência;

c) disponibilizar atelier coletivo durante 24 horas;

d) realizar 2 (duas) atividades de apresentação dos artistas e das produções realizadas;

e) divulgar os eventos relacionados à Casa B;

f) produzir o material gráfico a ser distribuído ao final da residência na Casa B;

7.2) Dos artistas selecionados:

a) participar dos eventos organizados pelo Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea vinculados à Casa B no período da residência;

b) organizar e zelar pelo local de residência e de ateliê;

c) respeitar as normas de conduta, convívio e demais serviços prestados no local;

d) atentar pelo bom convívio com as demais pessoas frequentadoras e os usuários do local;

e) participar dos encontros coletivos semanais para discussão e orientação dos projetos e das pesquisas;

f) realizar o projeto e workshop conforme apresentado na proposta do projeto de residência no período de 1/10/2016 a 31/10/2016.

g) pesquisar, custear, produzir e administrar materiais, recursos e outras obrigações necessárias à execução do seu projeto de residência;

h) apresentar, ao final da residência, um texto, destinado ao catálogo sobre esta edição da Casa B, tratando do processo e da(s) obra(s) desenvolvidos.

8. DOS DIREITOS DE IMAGEM

Os selecionados autorizam desde já o Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea e a Funarte a registrarem e utilizarem suas imagens, áudio e currículos, para exibição em mídia impressa e eletrônica, em materiais institucionais e internet, exclusivamente para as finalidades de divulgação institucional educativa, sem fins lucrativos. A presente autorização não tem limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e exterior, sem que seja devida nenhuma remuneração a qualquer título.

9. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

9.1) A inobservância das normas estabelecidas pela presente convocatória, constatada a qualquer tempo, implicará no indeferimento da inscrição ou desclassificação.

9.2) As dúvidas sobre a presente convocatória deverão ser esclarecidas pelo e-mail casab2016@museubispodorosario.com.

9.3) Os casos omissos ou não previstos nesta convocatória serão analisados e decididos pela Comissão de Seleção instituída pelo Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea e, em segunda instância, pela direção do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea.

9.4) O artista deverá estar ciente do resultado e tomar as devidas providências para a mudança temporária para a residência artística nas dependências do Instituto Municipal de Assistência à Saúde Juliano Moreira.

9.5) Fica eleito o Foro do Rio de Janeiro para dirimir eventuais questões relativas a esta convocatória.

[1] Edificação de extensão do mBrac localizada em antigo pavilhão hospitalar que, inspirado nos modelos de Centro de Convivência advindos da Reforma Psiquiátrica, se apropria de experiências e práticas da saúde mental no campo da geração de renda e do lazer para criar um dispositivo de expressão e criação cultural capaz de promover a inclusão e a integração social.

FONTE: Casa B Residência Artística - Convocatória 2016

Publicado por Patricia Canetti às 11:08 AM


julho 24, 2016

Verbo 2016 - Programação

A Galeria Vermelho apresenta a 12ª edição da Mostra de Performance Arte VERBO

A Verbo 2016 retoma o formato original da mostra criada em 2005 pela Vermelho. Durante quatro dias consecutivos a galeria será ocupada por ações de artistas e de coletivos brasileiros e estrangeiros, selecionados a partir de mais de 180 projetos recebidos entre dezembro de 2015 e março de 2016, além de uma seleção de artistas convidados.

A programação conta ainda com a mostra de vídeos “Screening & Live Action: French Scene/VERBO 2016” organizada pela curadora francesa Agnès Violeau, a partir de dois importantes acervos franceses: o Centre National des Arts Plastiques – CNAP, e o Centre National de la Danse – CND. Além do programa de vídeos, Violeau é responsável também pela participação da obra “O artista sem obras: uma visita guiada no nada” (The artist without works: a guided tour around nothing), da artista Dora Garcia. O programa conta com o apoio do Consulado da França em São Paulo.

26 a 29 de julho de 2016

Galeria Vermelho
Rua Minas Gerais 350, Higienópolis, São Paulo, SP

PROGRAMAÇÃO

26 de julho, terça-feira

20h
Abertura da mostra “Screening & Live Action: French Scene/VERBO 2016”, com a curadora francesa Agnès Violeau, e o diretor artístico da VERBO Marcos Gallon.
Sala Antonio

20-23h

The Imbecil (2016), de Fabio Morais
Com Camila Valores e Tiago Luz.
Alguém lê um jornal totalmente em branco que tem apenas o título impresso na capa: The Imbecil. O performer lê durante todo o tempo, ora alheio ao entorno, ora interagindo com as pessoas, sempre com o jornal bastante visível para o público. The Imbecil poderá ser adquirido na Banca Tijuana como um resíduo da performance, criando um mecanismo de indução no qual a própria performance é a publicidade do jornal, reproduzindo assim uma das estruturas do capital.
Pátio

Rede (2002), de Lia Chaia
Com Joana Ferraz
Sala de vídeo

Centro de Pesquisa de Ideologia das Imagens (2015), de/com Maurício Ianês
Na entrada da galeria, Ianês recebe o visitante com quem desenvolve uma conversa. Após esta entrevista pessoal, o artista pedirá ao visitante que sugira alguma imagem que simbolize a sua visão da história, da política ou da sociedade contemporânea, local ou global. A partir de uma pesquisa feita na internet, artista e participante selecionarão imagens que serão impressas em formato A4. Posteriormente, as imagens serão distribuídas e ordenadas pelo artista de modo a criar uma narrativa da história atual.
Hall de entrada

Washed Words (2016), de/com Rose Akras
A ação surgiu a partir de uma visita a ilha de Vlieland, localizada no norte da Holanda onde poemas são escritos na areia por pneus de caminhões que transitam pelas praias, desenhando sobre a areia longas linhas. A ação será realizada sobre a fachada da Vermelho.
Fachada

20h30

Pictórica (2010-2013), de/com Marc Davi
A partir de alegorias oriundas do discurso simbólico da pintura, o performer articula uma série de narrativas que são bruscamente interrompidas pela própria natureza efêmera e coloidal dos materiais que utiliza. A saturação, a redundância e a efemeridade se aglutinam numa espécie de tableau vivant, em busca de uma experiência de corpo permeável que é o suporte da convergência de linguagens.
Sala 2

21h

Nada Quase Nada (2015), de/com Dias & Riedweg
Direção de Cena Juliana Franklin
Centenas de cartazes impressos em preto & branco, colados lado à lado como lambe-lambes, formam um só papel de parede com 80 frases repetidas cobrindo o fundo ou a totalidade do espaço da ação. Os cartazes reproduzem 80 citações de personalidades públicas, de políticos a jogadores de futebol, de socialites à artistas e filósofos, do contexto nacional e global nos últimos 80 anos. Na performance, Dias & Riedweg aparecem sobriamente vestidos e cobertos com máscaras de látex deles mesmos. Durante 40’, os artistas lêem, de forma encenada, 5 contos do escritor suíço Robert Walser (1878-1956), que viveu sob internações manicomiais entre 1907 e 1929. Ao longo da leitura, Dias & Riedweg mostram os cartazes como vírgulas críticas acerca da realidade atual. O potencial irônico, poético e político da performance reside na superposição dos dois textos: o louco Walser lido, e as citações impressas de nossa realidade, enquanto as máscaras ao mesmo tempo neutralizam essa contradição e reforçam o vazio existencial gerado entre os dois textos.
Sala 1

22h

Ratsrepus (2015), de Fabiano Rodrigues
Com Akira Shiroma, Camilla Bologna, Fabiano Rodrigues, Tathy Yazigi.
Na ação, Rodrigues convida três artistas para participarem com ele de um experimento de interferência no universo do skate, onde a identidade do skatista é apagada. Os performers desenvolvem ações utilizando um único skate, deslocando-o assim de sua função e criando padrões inusitados de movimento.
Pátio

27 de julho, quarta-feira

20-23h

The Imbecil (2016), de Fabio Morais
Com Camila Valores e Tiago Luz
Alguém lê um jornal totalmente em branco que tem apenas o título impresso na capa: The Imbecil. O performer lê durante todo o tempo, ora alheio ao entorno, ora interagindo com as pessoas, sempre com o jornal bastante visível para o público. The Imbecil poderá ser adquirido na Banca Tijuana como um resíduo da performance, criando um mecanismo de indução no qual a própria performance é a publicidade do jornal, reproduzindo assim uma das estruturas do capital.
Pátio

Rede (2002), de Lia Chaia
Com Joana Ferraz
Sala de vídeo

Centro de Pesquisa de Ideologia das Imagens (2015), de/com Maurício Ianês
Ianês se coloca instalado na entrada da galeria recebendo os visitantes com quem desenvolve uma conversa. Após esta entrevista pessoal, em que as visões subjetivas de cada participante serão levadas em conta, ele pedirá a este que sugira alguma imagem que simbolize a sua visão da história, da política ou da sociedade contemporânea, local ou global. A partir de uma pesquisa feita na internet, artista e participante selecionarão imagens que serão impressas em formato A4. Posteriormente, as imagens serão distribuídas e ordenadas pelo artista de modo a criar uma narrativa da história atual.
Hall de entrada

Washed Words (2016), de/com Rose Akras
A ação surgiu a partir de uma visita a ilha de Vlieland, localizada no norte da Holanda onde poemas são escritos na areia por pneus de caminhões que transitam pelas praias, desenhando sobre a areia longas linhas. A ação será realizada sobre a fachada da Vermelho.
Fachada

20h30

M (2012), de/com Michelle Rizzo
Ação criada por Michele Rizzo em 2012, M é um projeto em andamento que se transforma a cada nova apresentação. A ação emprega o poema “Eu não sou eu”, de Juan Ramon Jimenez que diz: eu sou esse que anda ao meu lado e que eu não enchergo, a quem às vezes eu consigo visitar, e quem em outras vezes eu esqueço; que permanece calmo e em silêncio quando eu falo, e perdoa gentilmente, quando eu odeio, que caminha onde eu não estou, que permanecerá de pé quando eu morrer.
Sala 1

21h

TACET (2016), de/com Ana Montenegro, Juliana Moraes e Wilson Sukorski
Seguindo uma partitura aural, uma coreógrafa e uma performer organizam movimentos gestuais e de deslocamento - via descrição pré-gravada e ouvida apenas por elas mesmas, enquanto um músico complementa as variações coreográficas trabalhando com sons no limite da percepção. Na ação, deslocamentos se dão na passagem de uma postura à outra, às vezes lentamente, outras com movimentos ágeis e repetitivos que acontecem entre os gestos – no intervalo: TACET – ponto de espera. Os percursos gestuais são cuidadosamente construídos, em combinações que aprofundam a distância emocional entre os corpos.
Sala 1

28 de julho, quinta-feira

20-23h

The Imbecil (2016), de Fabio Morais
Com Camila Valores e Tiago Luz
Alguém lê um jornal totalmente em branco que tem apenas o título impresso na capa: The Imbecil. O performer lê durante todo o tempo, ora alheio ao entorno, ora interagindo com as pessoas, sempre com o jornal bastante visível para o público. The Imbecil poderá ser adquirido na Banca Tijuana como um resíduo da performance, criando um mecanismo de indução no qual a própria performance é a publicidade do jornal, reproduzindo assim uma das estruturas do capital.
Pátio

Rede (2002), de Lia Chaia
Com Joana Ferraz
Sala de vídeo

Centro de Pesquisa de Ideologia das Imagens (2015), de/com Maurício Ianês
Ianês se coloca instalado na entrada da galeria recebendo os visitantes com quem desenvolve uma conversa. Após esta entrevista pessoal, em que as visões subjetivas de cada participante serão levadas em conta, ele pedirá a este que sugira alguma imagem que simbolize a sua visão da história, da política ou da sociedade contemporânea, local ou global. A partir de uma pesquisa feita na internet, artista e participante selecionarão imagens que serão impressas em formato A4. Posteriormente, as imagens serão distribuídas e ordenadas pelo artista de modo a criar uma narrativa da história atual.
Hall de entrada

Washed Words (2016), de/com Rose Akras
A ação surgiu a partir de uma visita a ilha de Vlieland, localizada no norte da Holanda onde poemas são escritos na areia por pneus de caminhões que transitam pelas praias, desenhando sobre a areia longas linhas. A ação será realizada sobre a fachada da Vermelho.
Fachada

20h30

Fuzilamento (2002), de/com Marcelo Cidade
O artista nu lê um texto com o nome de diversas revoluções (sociais, econômicas, políticas, culturais etc). Durante a leitura, Cidade é fuzilado por cimento úmido, pelos observadores da ação.
Sala 1

21h

Blind Dates with the History of Mankind (Performance Suite Sao Paulo), de Peter Baren
A ação emprega textos do livro “Ira e Tempo” de Peter Sloterdijk de forma a tecer um comentário acerca do pensamento do século XXI.
Sala 2

22h

Estudo para festival ao ser supremo: Ato I (Robespierre lecionando sobre a falência revolucionária) Ato II Homenagem a Charlotte Corday e a descarga dos Sans-Culottes), 2016, de Guilherme Peters
Com Cotinz Benhas, Katharina Cotrim, Andea Dip, Eduardo Correa Kissajikian, Nina Veloso, Dori Onnez, Guilherme Peters e Fabiano Rodrigues.
A ação empresta seu título do estudo realizado pelo pintor Jacques-Louis David, sobre um possível retorno do "Festival ao Ser Supremo", elaborado pelo pintor e por Robespierre, na primavera de 1794. O festival foi um desdobramento da religião deísta criada por Robespierre para a República, baseada nos sistemas de crenças e ideias racionalistas e ateias.
Pátio

29 de julho, sexta-feira

20-23h

The Imbecil (2016), de Fabio Morais
Com Camila Valores e Tiago Luz
Alguém lê um jornal totalmente em branco que tem apenas o título impresso na capa: The Imbecil. O performer lê durante todo o tempo, ora alheio ao entorno, ora interagindo com as pessoas, sempre com o jornal bastante visível para o público. The Imbecil poderá ser adquirido na Banca Tijuana como um resíduo da performance, criando um mecanismo de indução no qual a própria performance é a publicidade do jornal, reproduzindo assim uma das estruturas do capital.
Pátio

Rede (2002), de Lia Chaia
Com Joana Ferraz
Sala de vídeo

Centro de Pesquisa de Ideologia das Imagens (2015), de/com Maurício Ianês
Ianês se coloca instalado na entrada da galeria recebendo os visitantes com quem desenvolve uma conversa. Após esta entrevista pessoal, em que as visões subjetivas de cada participante serão levadas em conta, ele pedirá a este que sugira alguma imagem que simbolize a sua visão da história, da política ou da sociedade contemporânea, local ou global. A partir de uma pesquisa feita na internet, artista e participante selecionarão imagens que serão impressas em formato A4. Posteriormente, as imagens serão distribuídas e ordenadas pelo artista de modo a criar uma narrativa da história atual.
Hall de entrada

Washed Words (2016), de/com Rose Akras
A ação surgiu a partir de uma visita a ilha de Vlieland, localizada no norte da Holanda onde poemas são escritos na areia por pneus de caminhões que transitam pelas praias, desenhando sobre a areia longas linhas. A ação será realizada sobre a fachada da Vermelho.
Fachada

4o fracasso | metal (2016), de/com Coletivo Cartográfico (Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Lopes)
Montagem da Instalação: Pontogor
Produção Viviane Bezerra
Três placas de ferro de 200 X 100 cm cada apontam para uma estabilidade plástica inicial entre corpos e coisas. Esse equilíbrio, entretanto, se transforma por meio de ações exaustivas, embates inúteis que são puro desgaste formal e energético.
Sala 1

20h30

O artista sem obras: uma visita guiada no nada (2009), de Dora Garcia
Com Michelangelo Miccolis e Fernando Estrada Miranda
A ação “O artista sem obras: uma visita guiada no nada” consiste em uma visita guiada pela exposição de um artista que se recusa a produzir qualquer coisa. O guia da visita, fala sobre este artista sem fornecer aos visitantes qualquer informação. O público é deixado de mãos vazias, pois toda a materialidade dessa exposição parece ter sido esvaziada. O que acontece então, quando o elemento supostamente ativo dessa exposição, o trabalho do artista, é eliminado?
Todo o espaço

21h

Zona de Segurança Pessoal (2016), de/com Enrique Jezik
Na ação, o artista constrói uma zona pessoal de segurança, proteção e isolamento.
Sala 2

Screening & Live Action: French Scene/VERBO 2016, curadoria Agnès Violeau

26 a 29 de julho, 20-23h

Boris Charmatz
Une lente introduction, 2007

Centre national des arts plastiques (CNAP)

ABSALON
Solutions, 1992
n° inv. : FNAC 96563

ABSALON
Bataille, 1993
n° inv. : FNAC 96567

Marie-Ange Guilleminot
La démonstration du Chapeau-Vie à Brooklyn, 1995
n° inv. : FNAC 96580

Marcus Kreiss
Ice Skating in Central Park (Patineurs sur glace à Central Park), 1999
n° inv. : FNAC 99284

Christian Marclay
Mixed Reviews (American Sign Language), 1999 – 2001
n° inv. : FNAC 04-412

Gordon Matta-Clark
Tree Dance, Tree House (Danse de l'Arbre Maison Arbre), 1971
n° inv. : FNAC 01-017

Damir Očko
The Moon shall never take my Voice, 2010
n° inv. : FNAC 2013-0106

Naufus Ramirez-Figueroa
Incremental Architecture, 2015
n° inv. : AP16-1 (56)

Salla Tikkä
Power, 1999
n° inv. : AP12-2 (571)

Claudia Triozzi
Five Years, 2000
n° inv. : AP12-2 (571)

Nil Yalter
La femme sans tête, 1975 Une lente introduce, 1975
n° inv. : FNAC 07-475

Centre national de la danse (CND)

Lamentation, 1930
Coreografia Martha Graham

Waterproof, 1986
Coreografia Daniel Larrieu
Direção Jean François Lecaton

Nos solitudes, 2010
Coreografia Julie Nioche
Direção Laure Delamotte Legrand
(excerto)

Celui qui tombe, 2014
Coreografia Yoann Bourgeois
Direção Louise Narboni

Rapture, 2008
Coreografia e direção Noemie Lafrance

Parades and changes in expansion, 2011
Coreografia Anne Collod
Direção Jacques Hoepffner
(reinterpretação de Parades & Changes, Anna Halprin/1965)
(excerto)

Collection particulière, 2005
Coreografia Maria Donata d’Urso
(excerto)

Sweat ba sweat, 2011
Coreografia Jan Martens
(excerto)

Pindorama, 2014
Coreografia Lia Rodrigues
(excerto)

Publicado por Patricia Canetti às 5:59 PM


julho 17, 2016

Convocatória Novas Poéticas 2016 - Inscrições

O Novas Poéticas é um programa de exposição de arte contemporânea que surgiu na Escola de Belas Artes da UFRJ em 2014 e acontece anualmente através de convocatória aberta. É no sentido da experimentação e do desejo espontâneo do encontro e da troca em torno de suas proposições que o Novas Poéticas segue para a sua terceira edição em 2016, com os trabalhos selecionados apresentados na Fundação Museu do Futuro, em Curitiba.

Inscrições até 31 de julho de 2016

APRESENTAÇÃO

​Outros espaços e a produção de si

O Novas Poéticas é um programa de exposição de arte contemporânea que surgiu na Escola de Belas Artes da UFRJ em 2014 e acontece anualmente através de convocatória aberta. Quando surgiu, o projeto trouxe algumas questões essenciais que partiram da sua criação, preocupações de como poderíamos articular as diversas instâncias criativas da EBA-UFRJ, de como fomentaríamos a criação para além das metodologias e avaliações, de como, por extensão, exibiríamos estas produções de modo independente através dos próprios estudantes e também de como efetivaríamos uma troca eficaz que estendesse os limites da própria instituição através de estudantes-artistas-pesquisadores-curadores-educadores das diversas regiões do País.

Motivada por estas reflexões, a primeira edição do programa reuniu o trabalho de 19 artistas de 7 instituições de ensino diferentes. Em 2015, em meio a uma grande deflagração de crises políticas e financeiras no sistema educacional, o projeto deu seu segundo passo como ato de resistência, e com o desafio de efetivar sua proposta de alcançar diálogos expandidos, reafirmando sua importância diante de um cenário conturbado. Com um espaço mais heterogêneo, a segunda edição reuniu trabalhos de 24 artistas de 8 instituições de ensino de arte de 6 Estados do Brasil.

É no sentido da experimentação e do desejo espontâneo do encontro e da troca em torno de suas proposições que o Novas Poéticas segue para a sua terceira edição em 2016, e mais uma vez com novos desafios.

Deslocamentos e a criação de redes de diálogo entre estudantes-pesquisadores das diversas regiões do País são questões a serem expandidas, e nesta nova edição, para além do espaço da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com o desejo de romper com um possível confinamento, experimentando novas possibilidades de trocas entre criadores em contextos locais diversos – porém, estabelecendo conexões efetivas – o projeto busca alcançar mais uma vez a produção e a investigação da diferença por meio de cartografias nômades, integrando diferentes protagonistas que estabelecem colaborações em produções que convergem entre a prática artística, a pesquisa acadêmica e a produção autônoma em diferentes Estados.Especificamente em 2016 iremos investigar e produzir ações em um novo território: Curitiba, Paraná.

Sendo um projeto independente mas não totalmente desvinculado da universidade, o Novas Poéticas se vê com a capacidade de articular modos coletivos de ação e produção autônoma, pensando especificamente nos estudantes-pesquisadores que vivenciam o cotidiano acadêmico nas artes. Na plataforma que propomos todos têm a liberdade de construir as diversas condições para que seu trabalho como profissional seja apresentado [1], e o ponto que gostaríamos de tocar é: não apenas pensar nas estratégias que podem ser efetivadas por estes estudantes enquanto profissionais, mas também como estes estudantes ao longo da formação podem ser pensados também como profissionais, não sendo obrigatoriamente necessário a obtenção de um diploma que legitime suas produções, sendo eles potencialmente alguém que se ocupa de todas as condições de exibição do seu trabalho e que inventa seus próprios espaços .

Mais do que isso, a prática profissional parece ocorrer desvinculada do contexto acadêmico, e a valorização da produção teórica em detrimento da produção prática gera uma barreira de alienação na formação dos estudantes que em muitos casos não recebem as mínimas noções sobre mercado, direitos autorais, contratos e leis que fazem parte da atuação profissional, estando na universidade ou não. Estas questões abarcam a amplitude e a complexidade de atuação dos estudantes-profissionais das artes, não desvinculando a duas instâncias de atuação.

Com um novo formato, a terceira edição do Novas Poéticas trará novas abordagens para seu programa junto a exposição final:

– Exposição virtual 3D

Além da exposição com os artistas selecionados em convocatória – que desta vez será realizada na Fundação Museu do Futuro em Curitiba – uma exposição virtual online com as obras selecionadas será inaugurada na mesma data da exposição local e desta forma, será possível a participação de outros espectadores das diversas regiões do País.

– Publicação

O trânsito geopoético, a criação de redes de diálogos e a profissionalização do artista são questões presentes nesta terceira edição e que serão desdobradas em textos publicados por diversos pesquisadores em livro a ser lançado durante o período da exposição final em Curitiba.

– Limited Edition Art

Como mais um desdobramento das questões presentes nesta edição, a parceria com a Limited Edition Art trará um novo formato de exposição para o programa, no qual as obras selecionadas poderão ser adquiridas em evento oficial.

As inscrições para a terceira edição do programa de exposição poderão ser realizadas por meio da convocatória e ficha de inscrição disponíveis no site: https://novaspoeticas.wordpress.com/

Participem!

1 reflexão com origem na fala e texto de Pedro França para o Seminário Longitudes – projeto de grande importância para reflexões presentes no Novas Poéticas – organizado por Mariana Fernandes na Casa do Povo – São Paulo, 2014.

FICHA TÉCNICA

Direção Geral
Philipe F. Augusto

Comissão Curatorial
Germano Dushá
Guilherme Gutman
Pollyana Quintella

Coordenação de Produção
Malu Meyer

Coordenação do Educativo
Isabel Marinho

Design
Bruno Portella

Produção Executiva
Assemblage

Realização
Assemblage
Limited Edition Art
Fundação Museu do Futuro

CONVOCATÓRIA 2016

1. Inscrição

1.1 As inscrições serão gratuitas e estão habilitados a participar desta convocatória estudantes matriculados em Instituições de Ensino Brasileiras com curso correspondente a área de Artes e Humanidades no período de 30 de junho a 31 de julho de 2016. Haverá o direito de prorrogação do prazo pela equipe do projeto.

1.2 A inscrição será feita exclusivamente em ficha de inscrição disponível em http://novaspoeticas.wordpress.com junto ao currículo do artista e deverá ser enviada para o email: projetonovaspoeticas@gmail.com

1.3 Sabendo que as artes visuais constituem um amplo campo de manifestações, quem se inscrever nesta chamada terá ampla liberdade quanto às linguagens da arte contemporânea, sendo considerado que os trabalhos selecionados serão apresentados na Fundação Museu do Futuro, Curitiba - Brasil.

1.4 O Artista poderá inscrever até 3 trabalhos, podendo ser selecionado um ou mais pela comissão curatorial do programa.

1.5 Na inscrição de trabalhos de coletivos de artistas, apenas um membro deverá constar como responsável pela inscrição, sendo identificado como representante do grupo.

1.6 Os trabalhos deverão ser apresentados completos no ato da inscrição, não sendo permitido alterações ou complementações fora do período de inscrições.

1.7 Os artistas participantes do programa de exposição NOVAS POÉTICAS 2016 deverão concordar com a possibilidade de venda das obras selecionadas.

1.8 O valor das obras será negociado e definido caso a caso, levando em conta práticas de mercado, o estágio da carreira do artista, e a avaliação da obra pela comissão de seleção do programa de exposição NOVAS POÉTICAS 2016.

1.9 A venda das obras selecionadas para a exposição será feita sob acordo e contrato pré-estabelecido com valor de 50% para o artista e 50% para a Limited Edition Art, empresa especializada na venda de obras de arte.

1.9 Na inscrição dos trabalhos deverão conter:

a) ficha de inscrição devidamente preenchida;
b) breve texto introdutório sobre o trabalho e técnicas utilizadas;
c) memorial descritivo técnico sobre a montagem do trabalho;
d) no caso de trabalhos em vídeo ou performance, descrever os materiais necessários e utilizados na realização;
e) currículo resumido do artista.

2. Seleção

2.1 A seleção será realizada por uma comissão de seleção composta por até 5 membros convidados, jovens curadores, críticos e artistas.

2.2 A comissão de seleção do programa de exposição NOVAS POÉTICAS 2016 não irá aceitar as inscrições que não estejam de acordo com os termos e condições da presente convocatória.

2.3 Os critérios norteadores da seleção dos artistas contemplados para esta convocatória são:

a) qualidade e excelência dos trabalhos;
b) qualidade artística e poética, ineditismo da proposta e coerência conceitual;
c) clareza na descrição dos trabalhos inscritos;
d) viabilidade de montagem;

2.4 O resultado do processo seletivo será divulgado no site http://novaspoeticas.wordpress.com até 30 de agosto de 2016. Todos os artistas selecionados serão comunicados por e-mail ou telefone.

3. Montagem

3.1 Caberá exclusivamente à Comissão Curatorial as decisões de ordem conceitual, de expografia e montagem da exposição NOVAS POÉTICAS 2016.

3.2 As obras selecionadas serão montadas pela equipe de produção deste projeto, podendo ser acompanhada pelos artistas selecionados.

3.3 Equipamentos eletrônicos e demais materiais necessários à apresentação das obras, como molduras, ampliações, chassis e demais materiais serão fornecidos pelos artistas, sendo de sua total responsabilidade.

3.4 Todo e qualquer custo referente ao envio e devolução de obras é de responsabilidade do artista. A produção do evento irá auxiliar os participantes.

3.5 Projetores e aparelhos reprodutores de vídeo poderão ser fornecidos pela produção do projeto para trabalhos em vídeo.

3.6 Os objetos artísticos que utilizem instalações ou intervenções deverão vir acompanhados de desenhos esquemáticos, representações gráficas e explicações sobre montagem e manuseio.

4. A Exposição

4.1 A exposição do programa de exposição NOVAS POÉTICAS 2016 será realizada durante o mês de outubro de 2016 na Fundação Museu do Futuro em Curitiba, podendo ser alterado o local pela produção do evento em aviso oficial.

4.2 Trabalhos selecionados e expostos somente poderão ser comercializados e retirados do local após o término da exposição.

4.3 O programa de exposição NOVAS POÉTICAS 2016 não se responsabiliza por quaisquer danos causados às obras durante todo o período de exposição, sendo oferecida as condições minímas de preservação das obras e do local onde acontecerá a exposição.

5. Divulgação

5.1 A produção do material gráfico da exposição será realizada sem qualquer custo ao artista. O programa de exposição NOVAS POÉTICAS 2016 se responsabiliza pela divulgação da exposição através de material gráfico impresso e online.

5.2 O artista deverá deter os direitos de imagens das obras expostas ou fornecidas para divulgação.

5.3 Os artistas selecionados licenciam automaticamente seus direitos autorais à produção do evento para possível reprodução das obras com fins de divulgação em formato impresso, online e na imprensa.

6. Disposições Gerais

6.1 Esclarecimentos sobre esta convocatória serão prestados pelo email: projetonovaspoeticas@gmail.com

6.2 O ato de inscrição implica a automática a plena concordância com todos os termos desta convocatória.

6.3 As decisões da Comissão de Seleção/Curadoria serão definitivas e irrecorríveis.

Rio de Janeiro, 30 de junho de 2016

FONTE: convocatória 2016

Publicado por Patricia Canetti às 11:43 AM


julho 11, 2016

Transborda Brasília: Prêmio de Arte Contemporânea - Selecionados

A organização do Transborda Brasília – Prêmio de Arte Contemporânea divulga a lista dos artistas selecionados para a segunda edição da premiação. Foram escolhidos 20 trabalhos pelo júri de seleção que se reuniu em Brasília, entre os dias 21 e 22 de maio, para examinar os mais 400 trabalhos inscritos por artistas visuais de todo o Distrito Federal e das cidades que compõem o entorno de Brasília.

Os artistas selecionados receberão uma ajuda de custo no valor de R$500,00 (quinhentos reais) cada, receberão acompanhamento crítico com um dos membros da comissão de seleção e concorrerão a três prêmios de aquisição no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) cada e a uma bolsa de estudos para o curso Dynamic Encounters Brasil, com duração de 3 a 5 dias, cada.

De 12 de julho a 21 de agosto, a Caixa Cultural Brasília receberá uma mostra com os trabalhos dos 20 artistas selecionados. O anúncio dos três primeiros colocados acontecerá no dia 16 de agosto, quando também será lançado o catálogo da exposição. O Transborda Brasília – Prêmio de Arte Contemporânea é uma realização de Bruna Neiva e Virgínia Manfrinato, com patrocínio da CAIXA e apoio do Correio Braziliense e Tribo 12.

Júri de seleção: Agnaldo Farias (SP), Divino Sobral (GO), Fernanda Lopes (RJ), Marilia Panitz (DF) e Moacir dos Anjos (CE).

Artistas selecionados

Adriana Vignoli - Brasília – DF
André Vechi - Brasília – DF
Bárbara Mangueira - Brasília – DF
Cecilia Bona - Brasília – DF
Coletivo Desculpinha - Cainan Rodrigues, Danna Lua Irigaray, Diego Torres, Heron Prado, Jan Araújo, Kabe Rodríguez, Livia Viganó, Nana Bittencourt, Rodrigo Koshino, Taís Koshino, Thalita Perfeito, Yuri Thevenard - Brasília – DF
Coletivo Dueto – Ary Nunes Coelho e Luisa Günther - Brasília – DF
David Almeida - Brasília – DF
Diego Bresani - Brasília – DF
Humberto Araújo - Águas Claras – DF
Julio Lapagesse - Brasília – DF
Lucas Las-Casas - Brasília – DF
Luciana Paiva - Brasília – DF
Luiz Olivieri - Brasília – DF
Matias Mesquita - Brasília – DF
Obá - Vicente Pires – DF
Paul Setúbal - Águas Claras – DF
Sinclair Ferreira Maia - Brasília – DF
Taigo Meireles - Brazlândia – DF
Thales Noor - Brasília – DF
Virgílio Neto - Brasília – DF

Publicado por Patricia Canetti às 11:07 AM


maio 9, 2016

Itaú Cultural Rumos 2015-2016 - Selecionados

Foram divulgados na manhã desta segunda-feira, 9 de maio, em entrevista coletiva realizada na sede do Itaú Cultural, em São Paulo, os 117 selecionados no Rumos 2015-2016.

A comissão formada por 22 pessoas analisou projetos que antes já haviam sido pré-selecionados por um grupo de 30 avaliadores. Clique aqui para conhecer esse grupo. No total, foram seis meses de trabalho de seleção.

Seguindo o formato da edição 2013-2014, o Rumos manteve a possibilidade de os proponentes misturarem áreas de expressão artística nos seus projetos e continuou a apostar em liberdades antes impossíveis em editais tradicionais. Saiba mais aqui.

Conheça os selecionados abaixo, listados em ordem alfabética de acordo com o nome do projeto:

1. 20MINUTOS.MOV (Candida Santiago Monte) | Brasil/Paraná/Curitiba | região impactada: Paraná

Proposta de formação e apresentações para o incentivo à criação em dança. Selecionará por meio de curadoria quatro artistas da cidade, para trabalhar criações artísticas durante três meses, no espaço cultural La Bamba, com bolsa. Prevê a participação de artistas-residentes convidados para desenvolver projetos artísticos contínuos com os bolsistas e com a comunidade interessada.

2. 3 x 1: ImprovisA-ÇÃO – Boca de Forno – Falar Dança (Joyce de Matos Barbosa) | Brasil/Paraíba/João Pessoa | região impactada: Paraíba

União, por dois anos, de três projetos do grupo Paralelo Cia de Dança – ImprovisA-ÇÃO (iniciado em 2014); Boca de Forno (iniciado em 2013); e Falar Dança (iniciado em 2015). Fazendo-os acontecer em paralelo, o projeto reforça o desenvolvimento e a manutenção de ações artísticas em dança na Paraíba, com ações independentes que misturam conversa e prática.

3. A Cidade Inventada – Versão Expandida e Internacional (Tempo Porto Alegre) | Brasil/Rio Grande do Sul/Porto Alegre | região impactada: Web

Versão transmídia bilíngue do site acidadeinventada.com.br, que aborda o confinamento de ex-portadores de hanseníase numa cidade isolada, criada para esse fim. Propõe o aprimoramento da narrativa audiovisual transmidiática apresentada anteriormente em filme (A Cidade, 2012) e no site, além de outros desdobramentos e plataformas.

4. A Estrela (Natalia Cristina Costa Martino) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | região impactada: Minas Gerais

Curso profissionalizante na área cultural, durante o qual serão produzidos conteúdos para revistas e materiais digitais, batizados de A Estrela. O trabalho ocorrerá em unidades prisionais de Belo Horizonte e consiste em oficinas sobre linguagens e técnicas de comunicação profissional (vídeo, fotos e textos). Dando voz a homens privados de liberdade e, em geral, com histórico de difícil acesso a bens culturais e experiências de vida bem diferentes das que costumam ser contadas, A Estrela revelará realidades e visões de mundo alijadas das produções culturais.

5. A Macabra Biblioteca do Dr. Lucchetti (Vigos Mortis – Video, Stage & Words) | Brasil/Paraná/Curitiba | regiões impactadas: Paraná/São Paulo

Pesquisa e criação de quatro produtos em três mídias – audiovisual, teatro e HQ – construídas a partir do universo de terror “pulp” de Rubens Francisco Lucchetti.

6. A NAVE-gar Jucu, um Rio Capixaba (Fabíola Melca da Silva Araujo) | Brasil/Espírito Santo/Vila Velha | região impactada: Espírito Santo

A NAVE-gar Jucu é um desdobramento do projeto Cartografia Afetiva do Rio Jucu, que traça narrativas recolhidas em diversas incursões pelas cidades à margem do Rio Jucu. A continuação da proposta será a construção coletiva de um dispositivo móvel, uma caixa. Vinte dispositivos ficarão navegando pelos territórios do Rio Jucu, em uma troca de saberes –, pretexto de encontro para a gestação de laboratórios de experimentação em espaços públicos.

7. A Tríplice Fronteira la Triple Frontera/Yvy Maraey (Diego Angeli Sousa) | Argentina/Buenos Aires | regiões impactadas: Paraná/Argentina/Paraguai

Um dramaturgo brasileiro propõe uma interlocução com um historiador paraguaio, um crítico argentino e um mestre em língua e tradição oral guarani para escrever uma obra de literatura dramática que tem como cenário a região de fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai. O projeto é um processo de investigação, imersão, escritura e publicação de um texto teatral e de ensaios decorrentes desse diálogo.

8. Acervo Agudás – os “Brasileiros” do Benim: Documentos Visuais, Sonoros e Textuais (Milton Roberto Monteiro Ribeiro) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | região impactada: Web

Organização do Acervo Agudás – composto de documentos visuais, sonoros e textuais –, constituído pelo fotógrafo e antropólogo Milton Guran, a partir de pesquisa acadêmica. São conhecidos como agudás os descendentes de africanos escravizados no Brasil que ao longo do século XIX retornaram à África (região de Benim, Togo e Nigéria), levando uma cultura ocidental antes da colonização francesa e que, por isso, exerceram grande influência política, cultural e econômica na região. O conteúdo será disponibilizado ao público no site do Laboratório de História Oral e Imagem da Universidade Federal Fluminense.

9. Acervo Euvaldo Macedo Filho (Elson de Assis Rabelo) | Brasil/Pernambuco/Petrolina | região impactada: Pernambuco

Catalogação, preservação e disponibilização na internet do acervo do fotógrafo Euvaldo Macedo Filho. O acervo é formado por mais de 12 mil itens, entre negativos fotográficos e textos literários de autoria do artista. A produção documental captura práticas socioculturais do interior da Bahia e das margens do Rio São Francisco com olhar crítico-lírico sobre a natureza e sobre a sociedade.

10. Antinomies I ou a Partitura Perdida de Rogério Duprat (Itamar Vidal Junior) | Brasil/São Paulo/Vinhedo | região impactada: São Paulo

Primeira gravação e audição em concerto da obra Antinomies I, de Rogério Duprat. Escrita em 1962 e ainda inédita, foi criada na fase mais experimental do compositor em uma partitura gráfica formada por 32 circunferências, para ser tocada por uma orquestra de câmara (15 músicos). O resgate e o registro da partitura, que ficou um tempo desaparecida, documentam a história da composição erudita como uma das primeiras experiências de escrita grafista no Brasil. Está proposto o desenvolvimento, com ferramentas de informática, de uma programação visual sincrônica do áudio em representações gráficas. O concerto terá a performance dos músicos em tempo real interagindo com os áudios pré-gravados.

11. Biblioteca de Sons do Sertão (Trotoar) | Brasil/Distrito Federal/Brasília | regiões impactadas: Bahia/Distrito Federal/Pernambuco

Criação de um acervo para uma biblioteca de sons gravados pelo interior do país em três territórios do Nordeste onde há a presença de pequenos agricultores articulados em movimentos campesinos, mais especificamente o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), a partir de uma residência e oficinas junto a comunidades camponesas do sertão.

12. Bonecos, Dúvidas e Muitas Caixas: a Recuperação da História e do Acervo do Sobrevento em Seus Trinta Anos (Luiz Andre Brasil Cherubini) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Organização e catalogação da produção do grupo de teatro Sobrevento, que existe há 30 anos. O acervo é composto de peças gráficas (material de imprensa, programas, cartazes, filipetas, jornais etc.), registros audiovisuais (fotos, vídeos, trilhas sonoras etc.), figurinos, cenários, bonecos e documentos que guardam a memória do grupo.

13. Brasis (Erico Oliveira de Araujo Lima) | Brasil/Rio de Janeiro/Niterói | região impactada: Ceará

Realização de uma instalação com base na remontagem genealógica e ficcional dos percursos da primeira expedição de investigação científica ocorrida no Brasil, no período imperial. Percorrendo cidades do Ceará, uma comissão do Império, de 1859 a 1861, conheceu mistérios de um país em uma expedição organizada em cinco seções, com importantes cientistas e intelectuais nas áreas de botânica, zoologia, geologia, etnografia e astronomia. Tomando por base esse fato, Brasis propõe transformar em matéria sensível pesquisas de diferentes áreas do conhecimento e um processo de escavação de lugares e tempos. A experiência é concebida como um percurso ficcional de caráter fabulatório por um agregado de formas, forças e sensações que possam emergir do contato com os rastros dessa expedição.

14. Caliban – Apontamentos sobre o Teatro de Nuestra América (Terreira da Tribo Produções Artísticas) | Brasil/Rio Grande do Sul/Porto Alegre | regiões impactadas: Rio Grande do Sul/Cuba

Projeto que envolve pesquisa e criação sobre o teatro latino-americano, tendo a figura de Caliban (personagem da peça de teatro A Tempestade, de William Shakespeare) como símbolo de identidade.

15. Calins (Puksarfilmes) | Brasil/Distrito Federal/Brasília | região impactada: Santa Catarina

Calins é um projeto de documentário de 54 minutos sobre a única comunidade cigana no Brasil e no mundo liderada por mulheres. Um filme sobre o universo romani, a emancipação feminina e as questões de gênero e raça no Brasil.

16. Caminhos do Rio (Jessica Campos da Mota) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: Amazonas

Desenvolvimento de pesquisa e roteiro para documentário de longa-metragem que trata do cotidiano da juventude indígena em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, a partir de um jovem da etnia hupd’äh chamado Álvaro.

17. Cantos das Folias do Divino de Monte do Carmo (Associação dos Foliões) | Brasil/Tocantins/Monte do Carmo | região impactada: Tocantins

Registro de memória, por meio de gravação de CD e publicação de um caderno de partituras dos cantos sagrados das folias do Divino Espírito Santo e de músicas de suça e roda, cantadas nos pousos das folias em Monte do Carmo. Além das partituras, o caderno terá um texto com a apresentação do projeto, as letras dos cantos e a contextualização da simbologia desses cantos durante as folias.

18. Cantos Sagrados – Reinado de Congos de Mogi das Cruzes (Casa do Congado) | Brasil/São Paulo/Mogi das Cruzes | região impactada: São Paulo

História e registro fonográfico do Reinado de Congos de Mogi das Cruzes, formado por nove agremiações originais e em atividade: Congada de Santa Ifigênia, Congada Marujada de Nossa Senhora do Rosário, Congada Batalhão de Nossa Senhora Aparecida, Congada de São Benedito de César de Souza, Congada de São Benedito do Santo Ângelo, Congada do Divino Espírito Santo, Moçambique Capela Santa Cruz, São Gonçalo de Vila Natal e Moçambique de São Benedito e Nossa Senhora do Rosário. O projeto propõe a produção de nove discos com registros de cantos e orações dos grupos acima citados e a produção de documentário.

19. Capacete 7200: 20 Anos de Residência (Capacete) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | região impactada: Rio de Janeiro

Programa de elaboração coletiva de uma publicação bilíngue com o objetivo de celebrar 20 anos da residência Capacete. A mais antiga residência internacional da América Latina, colaborou com mais de 400 profissionais ao longo de seus 18 anos. Capacete 7200 ativará essa comunidade para discutir os principais desafios das instituições independentes de ensino de arte. O projeto também prevê a vinda de três parceiros/colaboradores de países da região para que participem do debate.

20. Carta à Rainha Louca (Maria Valeria Vasconcelos Rezende) | Brasil/Paraíba/João Pessoa | região impactada: Paraíba

Conclusão e publicação do romance Carta à Rainha Louca, ambientado no Nordeste, na segunda metade do século XVIII – fase final do período colonial. Resultado do processo, em parte realizado, de pesquisa histórica e elaboração ficcional, expõe o ponto de vista da mulher branca pobre, nem senhora nem escrava, para quem não havia lugar socialmente reconhecido na sociedade senhorial e escravista.

21. Catálogo de Perdas (João Anzanello Carrascoza) | Brasil/São Paulo/São Paulo
Região impactada: São Paulo

Elaboração de narrativas ficcionais, em primeira pessoa, protagonizadas por distintos personagens que experienciaram um episódio de perda e o associaram a um objeto que o representa. As narrativas resultarão em um livro de histórias com fotos dos objetos correspondentes, sendo os textos produzidos por João Anzanello Carrascoza, o proponente, e as imagens pela fotógrafa Juliana Monteiro.

22. CD Mestre Galo Preto – Histórias que Andei (Hugo Messia do Nascimento) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: Pernambuco

Gravação do primeiro CD do Mestre Galo Preto e registro em vídeo do processo de criação do músico, que é considerado patrimônio vivo de Pernambuco. Nascido no Quilombo Rainha Isabel, em 1935, herdou da família a tradição da cantoria de sambada do sertão e da embolada.

23. Cegueira e Rabeca: Instrumentos de uma Poética (Jorge Linemburg Junior) | Brasil/Santa Catarina/Florianópolis | regiões impactadas: Ceará/Rio de Janeiro/Santa Catarina/São Paulo

Pesquisa sobre o universo dos cegos cantadores rabequeiros nordestinos. O desenvolvimento inclui o levantamento de fontes bibliográficas e de documentos pessoais e audiovisuais e entrevistas para a produção de livro. A proposta inclui viagem ao Ceará – estado com maior registro de cegos cantadores rabequeiros – para consulta a arquivos documentais e a pessoas ligadas aos cantadores. Outras duas viagens serão realizadas para consulta a documentos: para São Paulo (Arquivo Mário de Andrade e Instituto de Estudos Brasileiros – IEB/USP) e para o Rio de Janeiro (Laboratório de Etnomusicologia da Escola de Música da UFRJ).

24. Cidade de Múltiplos Mapas (Quilrio Farias de Araujo) | Brasil/Acre/Rio Branco | região impactada: Acre

O projeto nasceu do diálogo entre dois grupos de artistas independentes de Rio Branco. Percebendo a convergência de necessidades e expectativas para a continuidade e o aperfeiçoamento de seus trabalhos, eles se uniram na busca de parceria para um processo de pesquisa e formação de seis meses, incluindo residências, oficinas e apresentações de espetáculos de repertório de cada grupo.

25. Cinema de Fronteira Itinerante no Rio Negro – Cine Alto Rio Negro (Danielle Nazareno Silva) | Brasil/Amazona/São Gabriel da Cachoeira | região impactada: Amazonas

O projeto tem o objetivo de promover entretenimento e cidadania com políticas públicas através da produção e da exibição de audiovisual para os jovens indígenas das comunidades; contribuir para a formação de um olhar diversificado na região, tornando-se um meio de educação, reflexão e intercâmbio cultural; e também fortalecer a integração e a coesão social, sobretudo, em regiões de fronteiras, onde a questão de identidades é tema de primeira importância.

26. Cinema e Sal – Rede Audiovisual (Tenda dos Milagres Produções Artísticas) | Brasil/Bahia/Salvador | região impactada: Bahia

Cinema e Sal é um projeto de cinema comunitário no arquipélago de Cairu (BA), composto de 26 ilhas, e consiste em oficinas de documentário para crianças, adolescentes e jovens monitores com intercâmbio entre as ilhas, mostras audiovisuais e formação de rede e bases audiovisuais nos arquipélagos.

27. Circodata – Dicionário do Circo Brasileiro (Cristina Band) | Brasil/Rio de Janeiro/Petrópolis | região impactada: Web

Propõe a expansão e a publicação de um dicionário virtual sobre o circo brasileiro e artistas circenses brasileiros e estrangeiros radicados no Brasil, utilizando material de pesquisa e verbetes já produzidos (cerca de 1.400) e armazenados em uma base de dados existente.

28. Cozinha Comum: Itinerâncias (Thiago Duarte Flores) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | região impactada: Minas Gerais

Proposta de ação em Belo Horizonte por meio da construção de um dispositivo itinerante que irá percorrer quatro territórios da cidade, atuando como ativador do espaço público. Ao longo de dois meses o grupo mediará as ações com diálogos, pensando formas de usar o veículo no contexto específico da vizinhança. Dessa forma, pretende-se estimular o engajamento público na construção de um território comum, na partilha de saberes, nos modos de fazer, nas receitas, nas ideias, na força de trabalho, nos utensílios e nas decorações.

29. Criação Cênica no Circo: um Espetáculo, um Encontro (Marta Luisa Rivera Allende) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | região impactada: Minas Gerais

Criação de espetáculo de circo contemporâneo a partir da cena curta Frágil – dirigida por Igor Godinho e interpretada por Maru Rivera ¬– e realização de um encontro centrado na criação circense e em seus processos para discussão, atualização e troca entre artistas.

30. Crioula Congado (Imagina Coletivo) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Maranhão/Minas Gerais

O projeto aproxima duas culturas tradicionais afro-brasileiras, o tambor de crioula e as congadas, por meio do encontro de mestres dessas tradições. Também documenta e comunica essa experiência. Os protagonistas são parte da comunidade quilombola Santa Rosa dos Pretos em Itapecuru-Mirim (MA) e das comunidades tradicionais em Raposos (MG). Um filme consolidará a experiência de pesquisa e o encontro entre esses saberes.

31. Dancidades (Ginga Cia de Dança) | Brasil/Mato Grosso do Sul/Campo Grande | região impactada: Mato Grosso do Sul

Projeto para formação de bailarinos e professores por meio da prática teórica dividida em metodologia de ensino, dramaturgia e gestão e sustentabilidade. Além das abordagens teóricas, serão propostos: seminário para discutir modos de gestão e sustentabilidade em dança, oficinas de práticas corporais, aulas de técnicas em dança contemporânea e modos de criação e composição e apresentações de espetáculos que tratem dos temas dos módulos, entre outros.

32. Depois da Primavera (Coevos Filmes) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | região impactada: Rio de Janeiro

Documentário de longa-metragem cujo tema é o processo de aculturação de dois jovens sírios no Brasil. O filme está interessado no choque cultural que gera mudanças, conflitos, encontros e desencontros. Um acontecimento será central: a visita de um pai que não se comunica com seus filhos há mais de dois anos.

33. Diálogos com Ruth de Souza (Juliana Vicente de Carvalho Farias Santos) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Rio de Janeiro/São Paulo

Documentário sobre a atriz Ruth de Souza por meio de filmes, arquivos pessoais, foto e entrevista.

34. Do Buraco ao Mundo: Percepções sobre o Patrimônio Cultural da Tiririca dos Crioulos (Nivaldo Aureliano Leo Neto) | Brasil/Paraíba/João Pessoa | regiões impactadas: Paraíba/Pernambuco

Desenvolvimento de ações conjuntas com o quilombo-indígena da Tiririca dos Crioulos (sertão de Pernambuco) relativas a seus bens patrimoniais: concepção de uma exposição, em João Pessoa (PB) e Recife (PE) e lançamento de um livro e de um CD duplo.

35. Dos Campos à Concentração (David Leitão Aguiar) | Brasil/Ceará/Fortaleza | região impactada: Ceará

Documentário sobre um período pouco conhecido da história do Ceará: o isolamento e o confinamento de famílias afetadas pela seca em 1932 em cinco campos de concentração no interior do estado. Foram mais de 75 mil cativos submetidos a trabalhos forçados. Com um longo trabalho de pesquisa, o filme falará desse momento sombrio de sobrevivência no Nordeste brasileiro.

36. Echo (Michelle Santos Costa) | Brasil/Goiás/Aparecida de Goiânia | região impactada: Web

Concepção e produção de video game 3D cujo objetivo é trazer reflexões sobre viagem no tempo, múltiplos universos, existência e identidade.

37. Editor por Editor (Juliana Kase Tanoo) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Projeto de criação e desenvolvimento que contempla uma ação de documentação com base em parte do acervo do artista Massao Ohno (30 caixas de documentos pessoais e materiais de trabalho – bonecos de livros, textos, reproduções, ilustrações etc.) e um documentário.

38. Editora Temporária (Clara de Souza Rocha Meliande) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | região impactada: Rio de Janeiro

Criação de uma editora temporária de livros de baixa tiragem com o intuito de editar e gerar, no período de três meses, três publicações, cujos temas envolvam as mudanças urbanísticas pelas quais a cidade do Rio de Janeiro vem passando nos últimos anos. Contemplará relações entre paisagem natural e paisagem construída, interferências urbanas, remoções, gentrificação, manifestações coletivas que gerem mudanças urbanas, circulação, lixos e vestígios, memória, transparência pública etc. Será feita uma chamada aberta para cineastas, artistas plásticos, programadores, dançarinos, arquitetos e outras pessoas da indústria criativa para que submetam propostas de pesquisas pessoais/coletivas.

39. Edna (Eryk Aruac Gaitan Rocha) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | regiões impactadas: Maranhão/Pará/Tocantins

Produção e desenvolvimento de longa-metragem documental ficcional sobre episódios da Ditadura Militar do Brasil a partir da vida de Edna, camponesa nascida no Maranhão que viveu a Guerrilha do Araguaia (1967-1974) e a Guerra dos Perdidos (1976).

40. Em Busca da Memória de uma Banda Centenária: Resgate da História Oral da Corporação Musical 13 de Maio (Marcos Botelho Lage) | Brasil/Goiás/Goiânia | região impactada: Goiás

Registro audiovisual da história dos integrantes da Corporação Musical 13 de Maio, que conta com 125 anos de existência. É uma das bandas mais antigas em atividade de Goiás, sendo uma das grandes representantes da tradição centenária de bandas do estado. O projeto resgata sua história por meio da tradição oral e de memórias da comunidade.

41. Escola Livre de Cinema Quilombola Zumbi dos Palmares (Rede Eparrei) | Brasil/Bahia/Cachoeira | região impactada: Bahia

A proposta tem como objetivo apoiar a estruturação, a consolidação e a ampliação da Escola Livre de Cinema Quilombola Zumbi dos Palmares, organizada nas comunidades quilombolas do vale do Iguape, por meio de uma formação continuada em audiovisual para crianças e adolescentes. A duração é de um ano e encerra a formação um Festival de Mostras Audiovisuais.

42. Essa Viola Dá Samba! (Milton José Primo da Cruz) | Brasil/Bahia/São Francisco do Conde | região impactada: Bahia

Curso de formação em luteria de viola machete para jovens da região do Recôncavo da Bahia com o objetivo de contribuir para a salvaguarda do samba chula na região, capacitando alunos para execução do instrumento.

43. Expedição Catástrofe: por uma Arqueologia da Ignorância (Carolina Ferreira da Fonseca) | Brasil/Goiás/Goiânia | regiões impactadas: Bahia/Goiás/Minas Gerais

Projeto de experimentação para confrontar um dado: o fechamento de 8 escolas públicas rurais por dia ou 32,5 mil escolas fechadas entre 2003 e 2013. A proposta é um projeto-expedição pelas ruínas de diversas escolas rurais dos três estados brasileiros em que ocorreram mais fechamentos: Bahia, Minas Gerais e Goiás. Esse conjunto de ruínas é admitido como um vasto parque arqueológico da educação e dos territórios rurais do Brasil. Como resultado da expedição, uma exposição e um livro serão realizados.

44. Fabiana (Brunna Laboissiere Ferreira) | Brasil/Goiás/Goiânia | regiões impactadas: Amapá/Espírito Santo/Goiás/Pará/Pernambuco/Rondônia

Pesquisa, produção e finalização de um documentário em que a diretora acompanhará a rotina de Fabiana, uma caminhoneira que se assume mulher transexual na adolescência e que está prestes a se aposentar. Acompanhando o que podem ser as últimas viagens de Fabiana, a diretora conversará sobre a vida, o amor, a solidão, os medos, a sorte e o futuro e indaga em que medida a transgressão – do gênero, da sexualidade, do corpo, do modo viver e de habitar – possibilita criar espaços de liberdade e a que custo.

45. Festival Volante (Confraria dos Ventos) | Brasil/São Paulo/Campinas | região impactada: São Paulo

Encontro entre sete grupos artísticos que se interessam pela relação entre arte, mobilidade e público. A ideia parte do encontro realizado em 2015, que teve como resultado a exposição coletiva Encontro de Ateliês Gráficos Itinerantes, com quatro ateliês móveis: Xilomóvel (Campinas/SP), Sericleta (São Paulo/SP), Ateliê Nômade (Leme/SP) e Grafatório (Londrina/PR). O Festival Volante ampliará as ações trazendo o coletivo Paraísos Íntimos (São Paulo/SP) e mais dois grupos que desenvolvem atividades com fotografia e que têm como base uma estrutura nômade: a Oficina do Olhar (Pirassununga/SP) e o Estúdio Lambe – Laboratório Ambulante (Campinas/SP).

46. Figuras Mágicas (Mundo da Mágica) | Brasil/Pernambuco/Recife | regiões impactadas: Pernambuco/São Paulo

Residência criativa que parte de uma pesquisa histórico-cultural em dois universos aparentemente distintos: os autômatos, figuras mecânicas criadas por ilusionistas, que tiveram seu apogeu na Europa e, principalmente, na França, nos séculos XVIII e XIX; e os bonecos de barro, criados por artesãos desde o final da década de 1940, no Alto do Moura (bairro de Caruaru, Pernambuco), considerado pela Unesco o maior centro de arte figurativa das Américas. Desenvolvendo uma linguagem que mescla a mágica, com elementos do teatro, e modalidades circenses, o jovem ilusionista pernambucano Rapha Santacruz convidou para o projeto Vik e Fabrini (São Paulo) – únicos brasileiros a ganhar o primeiro prêmio da competição mundial de mágica F.I.S.M. (Federação Internacional de Sociedades Mágicas), na Holanda. O resultado será apresentado como espetáculo.

47. Furna dos Negros (Wladimir Franklyn Lima de Almeida) | Brasil/Alagoas/Maceió | região impactada: Alagoas

Média-metragem sobre o Quilombo Tabacaria e sua ligação com o passado ancestral através do místico e do imaginário. Localizada em Palmeira dos Índios (AL), Tabacaria é a primeira e única comunidade quilombola do país a ter recebido a titulação das terras. Na região geográfica que um dia abrigou o Quilombo dos Palmares – o maior da história – a comunidade existe como resultado de uma vitória histórica da cultura negra. Os quilombolas resistiram ao processo de tomada das terras pelos fazendeiros e por meio da redescoberta de quatro locais de culto, registrados e catalogados como pontos arqueológicos e antropológicos, obtiveram o reconhecimento do governo. O filme registrará (pela primeira vez em meio audiovisual) esses locais.

48. Guriatã (Boi de Maracanã) | Brasil/Maranhão/São Luís | região impactada: Maranhão

Finalização do documentário de longa-metragem sobre o Bumba Boi de Maracanã, comunidade centenária da Ilha de São Luís (MA) e seu líder Mestre Humberto de Maracanã, o Guriatã. O Bumba Boi de Maracanã é uma comunidade centenária localizada na periferia de São Luís. Com mais de 1000 integrantes, entre rajados, índias, caboclos reais, músicos e organizadores, é um dos dois maiores e mais conhecidos conjuntos tradicionais do estado. A direção é de Renata Amaral e a produção de André Magalhães.

49. Gyuri (Pardieiro Cultural) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Rio de Janeiro/São Paulo

Filme constituído de uma única entrevista, editada sem cortes e realizada em húngaro com a artista Claudia Andujar (julho de 2015). O interlocutor é o filósofo Peter Pál Pelbart, também húngaro. Claudia chegou ao Brasil em 1955, refugiada da Segunda Guerra Mundial. Peter veio criança, em 1967. Os realizadores são Mariana Lacerda (argumento e direção) e Moacir dos Anjos (curadoria). Gyuri é um arquivo de um testemunho histórico. Claudia vivenciou dois genocídios – de judeus, na Hungria, onde viveu até os 13 anos de idade, quando perdeu a família paterna – e o indígena, no Brasil, onde se tornou fotógrafa e conviveu por mais de 30 anos com os ianomâmis. É ainda um registro da história de vida de uma das mais importantes fotógrafas contemporâneas – cuja obra abre uma fissura na história geopolítica do Brasil.

50. Híbridos – Telas Nômades (WTF Produções Artísticas Ltda.) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | região impactada: Web

O projeto propõe traçar um panorama audiovisual contemporâneo sobre a espiritualidade no Brasil. O material já captado será transformado em longa-metragem, exposição interativa, série para TV, livro, discos e site.

51. Histórias da Tradição – Mehinako (Ikore) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: Mato Grosso

O projeto propõe a criação e a publicação de um acervo audiovisual e literário sobre as histórias e a mitologia de povos indígenas constituído com base em registro e pesquisa realizada com o povo mehinaku, do Alto Xingu (MT). O resultado será disponibilizado ao público na internet e em uma publicação impressa com encarte de CD.

52. Itinerâncias de uma Jovem Caixeira pelas Cantigas, Lugares e Mulheres Cantadeiras Escondidas no Maranhão (Bartira Helena Reis de Menezes) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Maranhão/São Paulo

Pesquisa e documentário que visitará três ou quatro regiões referenciais na produção de cantigas das mulheres caixeiras da Festa do Divino, no interior do Maranhão. Correr os vilarejos, conversar, cozinhar, cantar e tocar com as cantadeiras são metodologias dessa pesquisa, pois é esse o processo da cultura oral. Será contada assim uma história de mulheres empoderadas por uma tradição secular. Bartira Menezes, a proponente, é dançarina e coreógrafa, nascida em São Luís, Maranhão. Sua formação teve início na Casa Fanti-Ashanti.

53. Jeguatá (Ana Carvalho) | Brasil/Pernambuco/Olinda | regiões impactadas: Rio Grande do Sul/Argentina

Projeto de criação em fotografia na forma de uma residência móvel em que os artistas Fernando Ancil e Ana Carvalho, em estreita colaboração com as lideranças mbya-guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, refazem a ancestral caminhada da Jeguatá: partindo da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões (RS), para Kunhã Piru, na Argentina. O trajeto remonta a história antiga e recente de desterro do povo guarani. Durante o percurso serão produzidos retratos e colhidas narrativas que alinham histórias pessoais, fatos históricos e observações sobre os lugares ocupados pelos mbya-guaranis na sociedade contemporânea, confrontando a paisagem e o tempo presente com a história dos antigos. Um caderno de viagem será publicado, com retratos e fragmentos das narrativas (edição bilíngue em guarani e português), e um blog abrigará os processos criativos da viagem e os resultados do projeto.

54. Kingston Kombi (Maurício Priess da Costa) | Brasil/Paraná/Curitiba | região impactada: Paraná

Kingston Kombi vai aparelhar uma Kombi com equipamentos para mixagem e reprodução de som, DJing, microfones e instrumentos de percussão, a fim de criar uma sound system itinerante, que percorrerá os bairros da região metropolitana de Curitiba com membros do hip-hop dançando, tocando e conversando com a comunidade local.

55. Laboratório de Estruturas Flexíveis (Casa do Povo) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Reestruturação do terceiro andar da Casa do Povo, em São Paulo, para receber oficinas abertas, realizadas ao longo de um ano e com dinâmicas práticas desenvolvidas especificamente, com troca de conhecimento de técnicas de gestão cultural.

56. Letras que Flutuam – Expedição Marajó (Mapinguari Design) | Brasil/Pará/Belém| região impactada: Pará

Projeto de mapeamento dos abridores de letras de barco da Ilha do Marajó que resultará em um videodocumentário. O ofício de abrir letras pode ser visto como um saber tradicional difuso existente entre os ribeirinhos da Amazônia, que identificam suas embarcações de forma particular. O filme terá como norte a divulgação do fazer dos mestres abridores – responsáveis por esse traço peculiar da visualidade amazônica – e das diferenças técnicas de cada município.

57. Livio Abramo Acervo 1: de Pioneiro a Mestre da Moderna Gravura Brasileira (Instituto Livio Abramo) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | regiões impactadas: Rio de Janeiro/Paraguai

O projeto tem como objetivo organizar, catalogar, preservar e difundir o acervo documental e iconográfico do artista plástico Livio Abramo. O acervo reúne um conjunto de obras, matrizes, textos inéditos e uma grande variedade de documentos produzidos e coletados durante sua vida.

58. Lotação Máxima: 39 Histórias de Coletivos (Constança Maria de Oliveira Guimarães) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | região impactada: Minas Gerais

Lotação Máxima propõe compreender a interação entre usuários de coletivos, que vivem nesse ambiente uma intimidade, ainda que temporária, através de histórias. Narrativas ouvidas diretamente de personagens. Depois, elas serão devolvidas ao ambiente de origem em formato de publicação, no total de 39 histórias.

59. Luma (Camele Lyra Queiroz) | Brasil/Bahia/Salvador | regiões impactadas: Bahia/São Paulo

Curta-metragem que se apoia na abordagem documental para mostrar a retomada do contato e da aproximação entre a realizadora, que vive em Salvador, e seu tio Roniel – agora Tia Luma –, que se tornou travesti e vive em São Paulo. A última vez que se viram foi há 27 anos. No conteúdo, o filme será marcado pelas tensões emocionais e, na sua forma, pelas tensões estéticas. A intenção é assumir a estética como meio de expressão associado ao conteúdo ético, posicionando-se de modo que o encontro opere, de fato, sensibilidades que movam a autora e que movam a tia, Luma, nesse reencontro imprevisto e imprevisível.

60. Macunaíma Gourmet (Pigmalião Escultura que Mexe) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | região impactada: Minas Gerais

Projeto que propõe a criação e a montagem do espetáculo Macunaíma Gourmet para a comemoração, em 2017, dos dez anos do Pigmalião Escultura que Mexe – grupo mineiro que explora a fronteira entre as artes visuais e as artes cênicas –, reconfigurando técnicas tradicionais do teatro de marionetes para produzir espetáculos que provoquem filosoficamente a sociedade contemporânea.

61. Mapa (de Homens) da História (Branca) da Arte (Eurocêntrica) (Bruno Moreschi) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

O projeto parte da constatação de que a história da arte estudada no Brasil (e na maioria dos países) é constituída majoritariamente de artistas homens, brancos, europeus e norte-americanos. Além de reconhecer esse cenário normativo e excludente, parece evidente a necessidade de estímulo à criação de materiais que reivindiquem a inserção de novos atores sociais. O artista criará um mapa/panfleto dobrável que revela, de maneira objetiva e embasada por dados empíricos, como se organiza e constitui essa maneira restrita de contar a história da criação artística humana. O mapa/panfleto conterá o trabalho de pesquisa em dez livros de história da arte e campos afins, comumente utilizados em espaços de debate, crítica e formação.

62. Marambiré – Corporalidade, Música e Fé (Andre dos Santos) | Brasil/Pará/Belém | regiões impactadas: Amazonas/Pará

Documentário que mostra como a dinâmica do Marambiré (dança de origem africana propagada pelos escravizados) ocorre na comunidade do Pacoval, com a participação de 120 famílias. Os depoimentos dos mestres populares do Marambiré e da comunidade retratam como a manifestação resiste há mais de um século, perpetuando raízes e memórias africanas na região amazônica e como essa dança se tornou símbolo da identidade da população quilombola do Baixo Amazonas. O diretor é quilombola, nascido na comunidade Boa Vista, na Amazônia, a primeira comunidade de remanescentes de quilombos a receber o título coletivo e definitivo de suas terras em 1995.

63. Meninas do Brasil (Solares Produções Culturais) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | regiões impactadas: Minas Gerais/Rio de Janeiro/São Paulo

Websérie com foco na produção musical feita por compositoras brasileiras da nova geração. Meninas do Brasil terá duração de um ano, recebendo duas compositoras convidadas por mês. Com cada compositora será filmada uma entrevista e uma música de sua autoria. As faixas serão disponibilizadas para download gratuito. Além dos vídeos produzidos oficialmente para o canal da websérie, serão publicados vídeos com participação dos internautas.

64. Mesmo Sol Outro (Tálisson Melo de Souza) | Brasil/Minas Gerais/Juiz de Fora | regiões impactadas: Bahia/Minas Gerais/Angola

Projeto de criação artística que parte da imersão em três contextos distintos: cidades da Bahia; Luanda, capital de Angola; e a comunidade quilombola Córrego do Meio, em Minas Gerais, e culmina na elaboração de uma compilação/assemblage/colagem de elementos da cultura visual e do patrimônio que conectam vivências negras entre Brasil e Angola, publicada em forma de livro digital. Carolina Cerqueira, artista visual, e Tálisson Melo, pesquisador da cultura, propõem-se a percorrer e explorar os três locais, interagir com seus habitantes, apreender mais de suas histórias e aprofundar o conhecimento sobre seus símbolos, costumes, visualidades e patrimônio, para compor uma narrativa visual aberta às conexões entre os dois países, as culturas negras e a condição pós-colonial.

65. Mídia Circus (Fluxo) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Mídia Circus é uma estação móvel, itinerante e autônoma de mídia para registrar, cobrir e transmitir ao vivo as novas manifestações socioculturais na retomada das ruas, das praças e do espaço público como território de criação coletiva. E, através dessa cobertura, explorar as possibilidades da própria mídia como modalidade cultural e artística. Trabalho criado e coordenado por Bruno Torturra, jornalista com experiência na criação e no desenvolvimento de projetos de mídia livre, redes de comunicação e streamings de rua.

66. Mikrology (Cyrille Emmanuel Dominique Brissot) | Brasil/Bahia/Salvador | região impactada: São Paulo

Instalação artística que gera música e vídeo em tempo real a partir do processamento de sinais de lupas sonoras e visuais posicionadas sobre pequenos objetos e insetos.

67. Narrativas em Movimento (Núcleo Zero) | Brasil/Alagoas/Maceió | região impactada: Alagoas

Versão contemporânea das caravanas circenses. Uma Kombi adaptada para abrigar um miniestúdio audiovisual, com projetores e equipamentos de som acoplados na parte externa, viaja e apresenta um espetáculo visual construído a partir de conceitos e tecnologias modernas, com recursos como holografia, projeção mapeada e técnicas de animação. As apresentações acontecerão em espaços públicos de seis cidades alagoanas: Penedo, Marechal Deodoro, Piranhas, Água Branca, Serra da Barriga e Porto Calvo. Ações semelhantes de intervenção urbana são comuns nas capitais brasileiras, porém pouco experimentadas em localidades do interior do Nordeste.

68. Negritos: Imprensa Negra no Recife e em Salvador (Martha Rosa Figueira Queiroz) | Brasil/Bahia/São Félix | regiões impactadas: Bahia/Pernambuco

O projeto propõe a digitalização do acervo de seis periódicos – cinco do Recife e um de Salvador –, reconhecidos como imprensa negra e verdadeiros caleidoscópios que auxiliam no exercício de observar e registrar a atuação do Movimento Negro (MN) no Recife e em Salvador.

69. No Gravador de Inezita (Sé Editorial) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

O projeto consiste na organização, na recuperação, na digitalização e na catalogação de 43 fitas de rolo com gravações caseiras realizadas nas décadas de 1950 e 1960, com raras e inéditas experiências sonoras de Inezita Barroso (1925-2015): fragmentos de encontros com Paulo Autran, Yma Sumac, Nelson Ferraz, Eduardo Moreira e outros, além de trechos de gravações que revelam o trabalho, as influências e gostos de Inezita e refletem a era de ouro da radiofusão nacional.

70. Nos Trilhos Abertos de um Leste Migrante (João Batista Ferreira Júnior) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Este projeto busca expandir a investigação do coletivo Estopô Balaio sobre o movimento (i)migratório que compõe o imaginário dos bairros à margem das outras linhas que partem do Brás e seguem até Guaianazes (linha 11-Coral) e Rio Grande da Serra (linha 10-Turquesa), bairros da zona leste da cidade de São Paulo e das cidades fronteiriças que abrigam migrantes nordestinos e atualmente imigrantes de países como Bolívia e Haiti.

71. O Coco-Rojão e as Violas Eletrodinâmicas: Pesquisa e Criação (Garganta Records) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Caçapa – compositor, arranjador, produtor e violeiro pernambucano radicado em São Paulo – propõe a realização de projeto que abrange o estudo de linguagens musicais tradicionais, a construção de instrumentos (duas violas eletrodinâmicas) e a composição contemporânea após a realização de uma pesquisa da linguagem musical de três gêneros tradicionais do Nordeste – a música instrumental para viola, a cantoria e o coco, na forma em que se encontravam na primeira metade do século XX. O estudo será desenvolvido a partir de pesquisa aos acervos gerados por três expedições pioneiras na coleta da música popular da região: a viagem etnográfica do escritor Mário de Andrade, entre 1928 e 1929; a Missão de Pesquisas Folclóricas de 1938; e a viagem do musicólogo e folclorista Luiz Heitor Corrêa de Azevedo ao Ceará, em 1943. Como resultado, serão elaborados três ensaios literários acompanhados de partituras e fotografias – um para cada gênero abordado.

72. O Golpe do Corte (José Francisco Ribeiro Solon) | Brasil/Ceará/Fortaleza | região impactada: Ceará

Propõe a preservação, a digitalização, a catalogação e a publicação do acervo da coleção de fotogramas do artista Solon Ribeiro (Crato, 1960). São cerca de 30 mil unidades, das quais 6 mil já estão em processo de catalogação. A publicação do material deve ser feita em um site em formato de videoteca que possibilitará a intervenção do público em um espaço virtual reservado para essa interação.

73. O Jardim (Pedro Carvalho Moreira) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | região impactada: Minas Gerais

Documentário de curta duração que abordará as memórias de Silas Carvalhaes, um velho fotógrafo belo-horizontino. Com base em um dom peculiar de narrar livremente seu passado, Silas cria continuamente um universo no qual forja sua relação com o mundo. Ele é também um amigo que escolheu passar a velhice entre o ócio e a reclusão em sua pequena casa às margens de uma mata em Nova Lima, Minas Gerais. Através do recurso de animação de fotografias, de filmagens em 16 mm e da gravação em áudio de depoimentos e de leituras de textos produzidos pelo próprio personagem, o documentário pretende ser um espaço que trabalhe as reflexões da velhice, a síntese das imagens de uma vida através de um acervo fotográfico.

74. O Mal Entendido: Criação Literária por Correspondência, Romance e DOC para Web (Sheyla Cristina Smanioto Macedo) | Brasil/São Paulo/Diadema | região impactada: São Paulo

O projeto consiste em finalizar a escrita do romance O Mal Entendido, livro que dará continuidade à tetralogia iniciada pela proponente com o livro Desesterro. A obra traz uma perspectiva sobre a história da Ditadura Militar no Brasil através de acontecimentos na periferia de São Paulo (SP).

75. O Rabequeiro Maneta e a Fúria da Natureza (Manuel de Oliveira Leite de Almeida, Manu Maltez) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Projeto multiartístico que conjuga diferentes linguagens: animação, música e HQ. Será criado um curta-metragem erótico/musical de animação com a história e será produzido um livro/disco em vinil. As composições fazem parte da jornada do rabequeiro e o livro será uma graphic novel no mesmo formato do vinil e terá contos das experiências do proárea de atuaçãoonista.

76. O Samba É Meu Dom – Vida e Obra de Wilson das Neves (Abuzza Filmes) | Brasil/Minas Gerais/Belo Horizonte | regiões impactadas: Minas Gerais/Rio de Janeiro

O longa-metragem O Samba É Meu Dom irá retratar a vida e a obra de Wilson das Neves, um dos maiores bateristas brasileiros de todos os tempos que tocou com músicos como Sarah Vaughan, Michel Legrand, Clara Nunes, Chico Buarque, Elizete Cardoso, Beth Carvalho, Roberto Carlos, Elis Regina, João Donato e Elza Soares.

77. O Traiçoeiro Contra-Filé (Pedro Lua Cortinhas Fontes) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Curta-metragem animado em stop motion escrito com base no encontro de três atores que, em meio a pedaços de carne e facas afiadas, improvisaram livremente. O filme narra os acontecimentos do que pode ser o último dia na vida de um homem. Do momento em que é acordado por um telefonema até o ápice da trama, ele vê seus planos de salvação ruir e mergulha numa situação cada vez mais estranha, desesperadora. Por esse motivo a direção narrativa, a direção de arte e a trilha sonora enfatizarão o estranhamento como linha principal de desenvolvimento.

78. Ogum Iê! (Grupo Bongar) | Brasil/Pernambuco/Olinda | regiões impactadas: Pernambuco/São Paulo

Gravação do CD Ogum Iê!, com canções dos jovens músicos da comunidade Quilombola de Olinda (PE) e com uma faixa contendo um canto tradicional ao orixá Ogum, no dialeto iorubá –que será gravado durante festividade a essa divindade no Terreiro Xambá. O projeto terá a direção musical do maestro baiano Letieres Leite e será lançado no Recife e em São Paulo.

79. Orquestra de Violinos Chiquitano – Temporada 2016 (Soilo Urupe Chue) | Brasil/Mato Grosso/Cuiabá | região impactada: Mato Grosso

Realização de concertos didáticos com a Orquestra de Violinos Chiquitano em Cuiabá, na Chapada dos Guimarães, em Primavera do Leste e em Porto Esperidião, todas em Mato Grosso, com presença de outros maestros e músicos que possam contribuir para a formação do grupo.

80. Orquestra Reggae de Cachoeira – Formação de Músicos (Flavio dos Santos e Santos) | Brasil/Bahia/Cachoeira | região impactada: Bahia

Cursos de teoria e percepção musical e técnica de instrumento (corda, sopro e percussão), com duração de oito meses, para adolescentes. O objetivo é formar uma nova geração de integrantes da Orquestra Reggae de Cachoeira.

81. Paisagem Sonora – Instalação Performática de O Grivo + Roberto Freitas (Arco) | Brasil/Santa Catarina/Florianópolis | região impactada: Minas Gerais

Criação e realização de uma composição musical que articulará o ambiente externo à sala de concertos, uma série de engrenagens, objetos musicais e músicos como dispositivos em cadeia. A proposta é que o ambiente externo seja mapeado com câmeras de vídeo e sensores e que toda uma pequena orquestra formada por engrenagens e objetos musicais reaja a suas alterações e movimentos (sonoros/térmicos/mecânicos/etc.) – incluindo aqui os músicos do grupo O Grivo durante a performance. É uma busca pela vida sonora do ambiente externo.

82. Pedro Osmar, Liberdade que se Conquista (Complô) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Paraíba/São Paulo

O projeto envolve três frentes sobre Pedro Osmar, ícone da cultura independente brasileira e paraibana, músico, poeta, artista plástico, cantor e produtor cultural. A primeira é audiovisual: com a finalização de um documentário de longa-metragem. A segunda é formação: com vivências criativas em arte (cinco oficinas). A terceira, por sua vez, é documentação: com a criação e a produção de um site com um acervo do artista, a discografia completa, desenhos, gravuras, pinturas, esculturas e poesias.

83. Peso Bruto (Jussara Belchior Santos) | Brasil/Santa Catarina/Florianópolis | regiões impactadas: Piauí/Santa Catarina

Montagem do solo da bailarina gorda Jussara Belchior cuja proposta pretende questionar o estranhamento do corpo gordo na dança, explorando aspectos de beleza e sensualidade como possibilidades dessa imagética.

84. Pesquisa e Roteiro sobre Eugênia Álvaro Moreira, uma Pioneira Desconhecida (Isabella Loureiro Khaled Poppe) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro| região impactada: São Paulo

O projeto propõe a pesquisa e o desenvolvimento de um roteiro de longa-metragem que contará a história de Eugênia Álvaro Moreira, uma poetisa, feminista, militante política e a primeira mulher a trabalhar como repórter no Brasil. O roteiro deve mesclar o caráter biográfico a elementos da ficção que potencializem a força criativa e narrativa.

85. Poesia Contra a Violência (Cooperifa) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Criado por Sergio Vaz em 2013, o projeto original promove bate-papos sobre poesia, incentivo à leitura e criação poética com alunos da rede pública de ensino de áreas periféricas de São Paulo. Este projeto amplia seu formato ao levar a cada escola que visitar dois convidados poetas, que se apresentarão para a escola inteira. Com duração de nove meses, visitará 36 escolas e alcançará cerca de 9 mil pessoas, entre alunos e corpo docente.

86. Pontes sobre Abismos (Aline de Souza Motta) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | regiões impactadas: Rio de Janeiro/São Paulo/Angola/Portugal

Este é um projeto sobre a vida. Se tudo que fazemos nela é atravessar abismos, este projeto é sobre pontes. Pontes de palavras e imagens, pontes de busca por entendimento. Pontes sobre o Atlântico. Um projeto de artes visuais que fala sobre relações familiares, história, memória e ancestralidade em seu diálogo com o contemporâneo. Com quatro etapas e quatro viagens, para residências artísticas, para pesquisa e fundamentação em lugares de nascimento de familiares. Vassouras (RJ) representando a Mãe, Itaperuna (RJ) representando o Pai, Lisboa representando o Outro, cidade/país da África representando a Origem. A cidade/país da África a ser visitado será definido a partir de um exame de DNA realizado pelo laboratório americano African Ancestry.

87. Povo de Cultura e Fé (Max Gabriel da Silva Penha) | Brasil/Amapá/Macapá | região impactada: Amapá

A vila de Mazagão Velho, no município de Mazagão – a 70 quilômetros de Macapá (AP) –, traz um capítulo pouco conhecido do período do Brasil colonial, quando uma colônia portuguesa no Marrocos foi desativada e transferida para a Amazônia brasileira no século XVIII. Com o nome de Nova Mazagão, a cidade foi fundada em 23 de janeiro de 1770 pelo rei de Portugal, Dom José I. Odisseia contada no livro Mazagão – a Cidade que Atravessou o Atlântico (Ed. Martins Fontes, 2006). Ainda hoje, 246 anos depois, Mazagão Velho apresenta um extenso calendário anual de festas religiosas, culturais e tradicionais, algumas preservadas desde a época da fundação. Com três ações conjuntas, o projeto pretende mostrar um retrato singular desse calendário com exposição fotográfica itinerante, edição, impressão e distribuição de uma revista-catálogo com informações sobre as festas, além de apresentações (minipalestras) em escolas públicas e particulares do Amapá.

88. Projecto Multiplo (Paula Borghi de Mendonça) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Colômbia/México/Uruguai

Uma exposição portátil que cresce a cada viagem e que tem como objetivo a construção de um acervo de publicações de artistas latinos. Trata-se de um recorte geográfico afetivo, alimentado de uma carência na troca cultural entre os países da América Latina. Com uma estrutura de exposição móvel, Multiplo apresenta publicações realizadas a partir da ideia de edição, como pôsteres, livros, jornais, revistas, cédulas, fanzines, selos e adesivos. O projeto nasceu em março de 2011, no Laboratório de Arte Espacio G, Valparaíso (Chile) – em colaboração com o artista e gestor cultural Mauricio Román – e viajou por Córdoba e Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Quito (Equador), São Paulo e Belo Horizonte (Brasil), Nova York (Estados Unidos) e Havana (Cuba). Para cada exibição ocorre um processo de pesquisa, que pode ser previsto por meio de uma convocatória aberta para agregar novos artistas. Para este programa, o projeto prevê levar a proposta para a Colômbia, o México e o Uruguai.

89. Projeto Minha Lavra (Luany Guilherme Ferreira) | Brasil/Pará/Belém | região impactada: Pará

O projeto consiste na gravação do CD do instrumentista e compositor paraense – nascido em Anajás, na Ilha de Marajó (PA) – Adamor do Bandolim (73 anos). Participa do projeto o conjunto Engole o Choro.

90. Raphael Rabello: uma Biografia (Lucas Nobile Costa Cardoso) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Distrito Federal/Rio de Janeiro/São Paulo

Primeira biografia em livro do violonista, compositor, arranjador e produtor Raphael Rabello (1962-1995). Visto pela crítica como um fenômeno, colecionou elogios de Tom Jobim, o maior violonista brasileiro, e do espanhol Paco de Lucia, o maior do mundo. Aos 13 anos montou o primeiro conjunto, Os Carioquinhas, despertando atenção do meio musical. Gravou 21 discos. Apesar de curta trajetória em vida, participou de mais de 700 gravações, em álbuns de artistas renomados, de Ney Matogrosso a Paul Simon.

91. Rapman, o Hip Hop Relevante (Leonardo Luiz da Silva) | Brasil/Espírito Santo/Serra | região impactada: Espírito Santo

Este projeto tem o objetivo de produzir uma história em quadrinhos que mostre a cultura hip-hop em todos os seus elementos, nos movimentos da dança, na arte, nos benefícios de movimentar o corpo, no falar da desigualdade racial, nos direitos iguais para todos –independentemente de cor, credo e etnia.

92. Reator Eterno (Fernando Augusto Lima de Queiroz) | Brasil/Pará/Belém | região impactada: Pará

O projeto une uma pesquisa baseada em fotos históricas da família Lima de Queiroz ao longo de cem anos e novas formas de expressar através da performance, do teatro e do vídeo, “mapeando” o significado da vida e da história dessas pessoas que vivem nesse local específico da cidade.

93. Rede Morrinho (Lucas Hungria Machado da Silveira) | Brasil/São Paulo/Campinas | regiões impactadas: Amazonas/Distrito Federal/São Paulo

O projeto repete a experiência de 1997, quando os meninos da comunidade do Pereirão resolveram brincar de fabular a própria vida, em três cidades: Brasília, Manaus e São Paulo. A ideia será a troca de experiências entre integrantes do Projeto Morrinho e garotas e garotos de outras comunidades para produzir a cada encontro uma nova maquete e curtas-metragens – conjuntamente, pois não se trata de uma espécie de oficina, mas de três microrresidências artísticas.

94. Residência Artística – Produção do Projeto Retrato de Cola (Murilo Henrique Jacintho) | Brasil/São Paulo/Leme | região impactada: Espanha

Residência artística de três meses na Aktuelle Architektur der Kultur (AADK) (Arquitetura Atual da Cultura na Espanha), no Centro Negra, em Múrcia, Espanha. O artista desenvolverá o projeto de foto-retratismo e foto-colagem que cria painéis hiperdimensionais construídos com páginas de recorte de revista e retratos reticulados.

95. Residência Artística e Produção de Obra em Belém do Pará (Juliana Notari Nascimento) | Brasil/Pernambuco/Olinda | regiões impactadas: Pará/Pernambuco

O projeto possibilita interligar os diferentes Nortes da produção visual contemporânea brasileira, expandindo e descentralizando a produção artística e dos demais profissionais envolvidos. A proposta não só atua no processo exterior (a exibição virá como decorrência), mas principalmente dentro, do interior do processo de concepção e produção da obra – lugar pleno de força e possibilidades, em que a diversidade cultural interna de um país continental como o Brasil potencializa o processo inerente à experiência de construção da obra.

96. Retrato Falado (Tatiana Macedo Altberg) | Brasil/Rio de Janeiro/Rio de Janeiro | região impactada: Rio de Janeiro

O projeto trata de uma série de ações articuladas, cujo ponto central será a discussão acerca da produção de imagens fotográficas, circunscrita ao universo de narrativas e autorretratos de jovens em conflito com a lei, internos em unidade do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) do Rio de Janeiro. As ações serão realizadas em três etapas: a aproximação dos jovens internos do Degase por meio de uma oficina de fotografia artesanal pinhole; em seguida, eles serão instigados a fotografar imagens de seus universos identitários, aquilo que identificam como representação de si, um conceito de autorretrato expandido. A segunda etapa, concomitante à oficina, será a gravação em áudio de narrativas sobre imagens/retratos de suas marcas e projeção. O material em áudio fará parte da última etapa: uma instalação em que serão exibidos publicamente esses retratos falados.

97. São Francisco Submerso – o Lago de Itaparica (Luiz Pereira Lins Netto) | Brasil/Pernambuco/Recife | regiões impactadas: Bahia/Pernambuco

Capitaneado pelo fotógrafo Luiz Netto, o programa está documentando e mapeando as ruínas de antigas cidades do Rio São Francisco inundadas durante a construção das diversas hidroelétricas construídas pela Chesf. Para a conclusão da documentação, restam apenas duas cidades: Itacuruba, no lado pernambucano, e Rodelas, no lado baiano. O apoio do Rumos irá para a pesquisa, a sondagem e o mapeamento dessas localidades. Algumas fotos serão impressas e inseridas entre as obras da exposição São Francisco Submerso – o Lago de Itaparica, que está em itinerância pelo país, e/ou incorporadas ao livro fotográfico que pretende ser publicado ao final do projeto.

98. Saravá, Jongueiro Velho! (Tais Ribeiro Lobo) | Brasil/Rio de Janeiro/Niterói | regiões impactadas: Minas Gerais/Rio de Janeiro/São Paulo

Série de webdocumentário voltada para o relato audiovisual de mestres e lideranças jongueiras do Sudeste. Será realizado pela Rede de Jovens Lideranças Jongueiras em parceria com o Pontão de Cultura do Jongo/Caxambu por meio de sucessivas oficinas e laboratórios de edição audiovisual, design e webdesign ao longo de um ano.

99. Sentirgrafia | a Fotografia como Recurso para Ampliar os Sentidos de Quem Enxerga – ou Não (Manoela Meyer Produções) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: Piauí

Projeto que se propõe a explorar os artifícios da fotografia para além da visão através de duas ações: oficinas de fotografia para pessoas com deficiência visual e cegas e um trabalho audiovisual sobre o processo criativo e sobre as obras dos fotógrafos cegos. Toda a ação estará concentrada em Aroeiras do Itaim, Jerumenha e Agricolândia, municípios do sertão do Piauí que concentram a maior taxa de pessoas com deficiência visual e cegas do país, 22%.

100. Série Postal (Ramon de Andrade Vitral) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Ao longo de 13 meses, 12 quadrinistas (novos talentos ou pouco conhecidos do grande público) serão convidados a conceber uma narrativa sequencial no espaço de um cartão- postal. As artes serão impressas e a cada mês um trabalho será distribuído (tiragens de 2.500 cada um) em diversas partes do país (pontos a ser determinados). No mesmo período, será produzido um blog/tumblr sobre a iniciativa.

101. siameses (Antonio Geraldo Figueiredo Ferreira) | Brasil/Minas Gerais/Arceburgo | região impactada: Minas Gerais

Escrita do romance siameses. A obra questiona o gênero romance, com uma infinidade de fragmentos, em diversos gêneros literários, compondo um painel bastante abrangente do Brasil. Deverá ser uma continuidade do romance anterior do autor As Visitas que Hoje Estamos.

102. Sistema Circulatório (Anaísa Franco Nascimento) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: São Paulo

Obra composta de uma esfera inflável com seis projeções de gráficos generativos. O software desenvolvido rastreará o tráfego aéreo do planeta, em tempo real, para convertê-lo em gráfico com linhas coloridas que demarcam as rotas dos aviões que voam naquele exato momento.

103. Sobrevoltas (Jan Leca) | Brasil/São Paulo/São Paulo | regiões impactadas: Minas Gerais/Paraná/Pernambuco/Santa Catarina/São Paulo

Pesquisa e criação de um espetáculo de circo contemporâneo e sua apresentação nas principais escolas de formação de artes circenses do Brasil.

104. Solo de Quintal (Junia Cristina Pereira) | Brasil/Mato Grosso do Sul/Dourados | regiões impactadas: Mato Grosso do Sul/Minas Gerais/Rio de Janeiro/São Paulo

Mostra Nacional de Solos a ser realizada no quintal de uma residência em Dourados (MS). Inspirada em formas alternativas de circulação, o evento pretende abrir um espaço alternativo na cidade para circulação de espetáculos solos de teatro, dança, circo ou performance, com baixo custo e para pequenos públicos.

105. Swingueira – Corpo e Inventividade nas Periferias do Nordeste (Nigéria Filmes) | Brasil/Ceará/Fortaleza | região impactada: Ceará

Produção de documentário sobre o movimento da swingueira no Nordeste, com base no registro de ensaios e competições de dança nas periferias das capitais da região e na gravação de entrevistas com jovens, organizadores dos eventos, coordenadores das equipes, produtores das bandas e outros sujeitos essenciais no processo.

106. Teleport City – a Arte como Veículo do Tempo (Gabriela Bila Bandeira Advícula) | Brasil/Distrito Federal/Brasília | região impactada: Distrito Federal/São Paulo

Instalação artística construída sobre uma premissa utópica: a existência de transporte de massa ilimitado e instantâneo. Imagens, painéis interativos, diagramas e simulação visual propõem a experiência do que seria a mobilidade instantânea e de como ela afetaria a estrutura e o funcionamento das cidades.

107. Terra Batida (Mangaba) | Brasil/Bahia/Salvador | região impactada: Bahia

Projeto cultural para a realização de um documentário seguido de exibição em festivas. É composto de três etapas: pesquisa, produção e exibição. Terra Batida pretende explorar a relação entre o samba, o candomblé e a capoeira com base no ponto de vista de uma sambista profissional, de um pai de santo e de um mestre de capoeira. A fase apoiada pelo Rumo é a da pesquisa.

108. Terra e Território: Cartografias Interativas e Narrativas da Ocupação dos Territórios Indígenas durante a Ditadura Militar no Brasil (VU) | Brasil/São Paulo/São Paulo | região impactada: Nacional

Projeto que trata de um dos episódios menos conhecidos da história recente do país, a ocupação territorial no interior do Brasil durante a ditadura militar e a resistência dos povos indígenas na preservação de suas culturas ao longo desse processo. O apoio é para a pesquisa da história e para a realização de um documentário de longa-metragem que abordará a política desenvolvimentista durante a ditadura e seu impacto nos desafios e lutas do movimento indígena no presente.

109. Territórios Corporais (Yuji Martins Kodato) | Brasil/Minas Gerais/Uberlândia | região impactada: Minas Gerais

Projeto que utiliza imagens de macrofotografia para investigar e experimentar os corpos do mundo – humanos, animais, vegetais e inanimados. Territórios Corporais envolve produção fotográfica e audiovisual, com duração total de 14 meses. O artista fotografará uma variedade de seres e objetos, investigando como os diferentes corpos se constituem e se expressam no mundo. O primeiro objetivo é pesquisar as possibilidades criativas da macrofotografia; portanto, seu questionamento inicial é “o que é um corpo?”. Em seguida, o artista comporá conjuntos de fotografias que expressem diferentes formas de relacionar os corpos ao mundo. As imagens deixam de ser pensadas individualmente e passam a constituir séries ou mosaicos sobre temas, personagens, cenas, açõe

Publicado por Patricia Canetti às 12:03 PM