Página inicial

Salões & Prêmios

 


agosto 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

janeiro 26, 2010

MIS divulga os artistas selecionados para a Residência LABMIS 2010

O Laboratório de Novas Mídias do MIS (LABMIS) divulga os selecionados pelo edital Residência LABMIS 2010. O júri composto por Priscila Arantes, Christine Mello e Daniela Kutschat selecionou projetos que trabalham com vídeo, fotografia e instalação, com foco em arte e tecnologia

O edital Residência LABMIS 2010, segunda edição do programa, recebeu 119 projetos, dos quais quatro foram selecionados: a instalação sonora interativa Ambiente sensível, do grupo Al Revés; Feel, uma escultura em forma de vestido revestido por ventoinhas, de Ricardo Nascimento; a série de videoinstalações Movimento², de Celina Portella; e o trabalho de realidade aumentada Vista On Vista Off, de Denise Agassi.

Além de receber mais projetos (em 2009, houve cerca de 90 inscritos), a nova edição também obteve maior abrangência nacional. Os 119 projetos-candidatos à residência eram oriundos de 14 estados, distribuídos por todas as regiões do país: capital de SP (55), interior de SP (14), RJ (13), RS (12), MG (7), BA (5), PA (2), DF (2), RN (2), PR (2), MT (1), SC (1), CE (1), AM (1) e PE (1).

O programa de residência artística fomenta projetos que envolvem arte e tecnologia a serem desenvolvidos durante três meses no LABMIS. A divulgação dos ganhadores aconteceu em evento no Museu, dia 25 de janeiro de 2010; as inscrições aconteceram entre 15 de outubro e 02 de dezembro de 2009. A pré-seleção ficou a cargo de Marcelo Bressanin, Nancy Betts e Sérgio Basbaum, que indicaram 33 projetos. A comissão de seleção final foi composta por Priscila Arantes, Christine Mello e Daniela Kutschat.

Os selecionados:
1 – Ambiente sensível, do grupo Al Revés
2 – Feel, de Ricardo Nascimento
3 - Movimento², de Celina Portella
4 – Vista On Vista Off, de Denise Agassi

1 – Ambiente sensível, do grupo Al Revés
Trata-se de uma instalação sonora interativa que reproduz uma malha sonora autogerativa baseada no entorno físico da obra (temperatura, intensidade e espectros sonoros, luminosidade, umidade etc). Dessa forma, rompe com a unicidade e a previsibilidade da obra de arte a partir da introdução da lógica da interatividade e do acaso, conseguidas a partir da criação de um ambiente plurifônico (surround), no qual sensores captam a movimentação do público, além de criar uma dinâmica que traduz as relações de convivência do indivíduo com o local onde vive.

Grupo Al Revés:
- Alexandre Marino Fernandez (nome artístico: eue) nasceu em São Paulo em 07/10/1981. Graduado em Comunicação Audiovisual (2004) e pós-graduado em Composição Musical e Tecnologias Contemporâneas pela Universidad Pompeu Fabra (Barcelona, 2008). Recebeu o prêmio Beca Phonos para composição de peça sonora (Barcelona, 2008). Participou do Festival TSONAMI e do DCMT’08 en Concierto (ambos em Barcelona, 2008). Já apresentou trabalhos no Can Xalant (Barcelona, 2008), no Espaço Eureka (São Paulo, 2008), no Centro Cultural São Paulo e no SESC-SP (2007), além do FILE/Hipersônica (São Paulo, 2006).
- Bruno Hissatugu (nome artístico: Bruno Hiss) nasceu em São Paulo em 25/11/1978. Graduado (2004) e pós-graduando em Letras pela FFLCH-USP. Já realizou apresentações no Can Xalant (Barcelona, 2008), no Espaço Eureka (São Paulo, 2008), no Centro Cultural São Paulo e no SESC-SP (2007), além do FILE/Hipersônica (São Paulo, 2006), na Galeria Virgilio (São Paulo, 2004, exposição Discordâncias) e centro Maria Antonia (São Paulo, 1999, exposição Corpos Sutis).
- Rafael De Marchi Gherini Molla (nome artístico: Uessels, loop maschine) nasceu em São Paulo em 07/04/1981. Graduado em Design Digital pela Universidade Anhembi Morumbi (2004), já realizou diversos cursos, principalmente nas áreas de áudio e vídeo, em espaços como Festival Sónar (Barcelona, 2003), MACBA - Museu d’Art Contemporani de Barcelona (2002) e MAM-SP (2001). Apresentou trabalhos no Espaço Eureka (São Paulo, 2008), no Estúdio EPPA (Salvador, 2008), no Centro Cultural São Paulo e no SESC-SP (2007) e no FILE/Hipersônica (São Paulo, 2006).

2 – Feel, de Ricardo Nascimento
A obra que será desenvolvida consiste em uma escultura em forma de vestido revestido por 115 ventoinhas de diversos tamanhos, que sofrem uma mutação temporária em sua coloração quando detectam a presença de ondas eletromagnéticas. Feel busca materializar a poluição eletrônica gerada pela presença massiva de ondas eletromagnéticas emanadas de aparelhos eletrônicos.

Ricardo Nascimento nasceu em São Paulo, em 30/07/1977. Trabalha como artista, produtor e desenvolvedor multimídia no Rio de Janeiro. Investiga as relações entre corpo e ambiente com foco no desenvolvimento de interfaces interativas e ambientes híbridos. Participou em 2008 do Social fabriss ART+MEDIA+INTERCONNECTIVITY (Dalas, EUA), Bangkok Experimental Film Festival – BEFF (Tailândia), do Optical Festival (Paris, Madrid e Gijón), além do Festival Hollywould, em Los Angeles, entre outros. Em 2009, participou de festivais e exposições nos Estados Unidos, Europa e América Latina, como o II Festival de Arte Digital (Belo Horizonte), Speculum Artium 2009 (Trbovlie, Eslovênia), WRO 09 Expanded City, na 13ª Bienal de Arte de Wroclaw (Polônia), New Media Meeting (Nooköping, Suécia) etc. Em 2010, já participou da Campus Party (São Paulo) e do Japan Media Arts Festival (Tóquio, Japão). Mais informações em www.popkalab.com.

3 - Movimento², de Celina Portella
O projeto consiste na construção de duas séries de três vídeos-objetos . Na primeira série, haverá três telas de igual tamanho fixas na parede. A imagem em cada uma das telas é sempre a de um corpo. Na primeira, vídeo-objeto 1, trata-se um corpo pequeno, que anda pela parte inferior da tela. No vídeo-objeto 2, haverá um corpo de tamanho médio, que toca os quatro limites da tela. No terceiro – vídeo-objeto2 -, um corpo de dimensão grande estará comprimido no espaço da tela.

Na segunda série, assim como as imagens dos corpos, as telas das TVs que as exibem também se movimentam, criando uma relação dinâmica entre imagem e suporte. No vídeo-objeto 4, a tela fica presa sobre um trilho horizontal, deslocando-se de uma extremidade a outra, de acordo com o impulso dado pelo corpo. O mesmo princípio é seguido pelo vídeo-objeto 5, mas na vertical: o corpo pula e se agarra ao limite superior do quatro, que começa a descer; chegando ao chão, cai e começa a agarrar o limite inferior, puxando-o para que a tela suba. O vídeo-objeto 6 é uma tela que gira ao redor de um eixo fixo: o corpo fica com a cabeça no centro e o pé nas bordas; à medida que a tela gira para um lado, o corpo mexe-se para o outro. Os limites da tela funcionam como limites físicos de um corpo nela contido, que parece causar e controlar o movimento de todo o mecanismo.

Celina Portella nasceu em 06/06/1977 no Rio de Janeiro, local onde vive e trabalha. Estudou design na PUC-RJ e se formou em Artes Plásticas na Université Paris VIII. Desde 2000, investiga questões sobre a representação do corpo a partir do vídeo e da foto, realizando instalações, projeções, performances e intervenções urbanas. Durante 5 anos, integrou a Lia Rodrigues Cia de Dança como bailarina e cocriadora. Em 2008, participou do Centro de Residência de Artistas Contemporâneos CRAC Valparaiso (Chile), do 15º Salão da Bahia e foi premiada no II Concurso de Videoarte da Fundação Joaquim Nabuco (Recife). Foi contemplada, com Elisa Pessoa, pela Bolsa de Resdiência Recollets 2009, em Paris, pela bolsa de pesquisa e produção do 47º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco e pelo Rumos Itaú Cultural 2006. Já realizou exposições em galerias no Brasil e no exterior, como a Pablo’s Birthday Gallery, em NY, além de ter participado da ARCO 08, em Madrid. Atualmente, está em residência na Galeria Kiosko (Bolívia).

4 – Vista On Vista Off, de Denise Agassi
A obra trabalha com os chamados database movies (filmes de banco de dados) e consiste em um dispositivo rotativo sustentado por um tripé que exibe vídeos e fotografias. Conforme o público gira o objeto, são cruzadas informações de uma bússola digital com um banco de dados offline composto por vídeos e fotografias, criando, assim, uma narrativa de vídeo e aproximações improváveis de paisagens de lugares distintos. A obra visa à criação de um espaço híbrido, que relaciona o espaço interno da obra àquele trazido pelas imagens de fora. Ao se repensar desta forma o espaço físico, emerge a noção de realidade aumentada.

Denise Agassi nasceu em São Paulo em 11/11/1975. Artista multimídia e educadora, atua no campo da fotografia, videoarte e net art. Mestre em Artes Visuais pela Faculdade Santa Marcelina (2009) e bacharel em Artes Plásticas pela FAAP (2001). Participa do grupo de pesquisa arte&meios tecnológicos desde 2007 (CNPq/FASM). Integrante do grupo de remapeamento urbano e criação coletiva LAT-23 desde 2008.

Posted by Ana Elisa Carramaschi at 3:26 PM