Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Arquivos:
junho 2021
maio 2021
abril 2021
março 2021
fevereiro 2021
janeiro 2021
dezembro 2020
novembro 2020
outubro 2020
setembro 2020
agosto 2020
julho 2020
junho 2020
maio 2020
abril 2020
março 2020
fevereiro 2020
janeiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

setembro 15, 2013

José Paulo e Mana Bernardes na Amparo 60, Recife

Amparo 60 Galeria de Arte, Recife, PE - 20/09/2013 a 10/11/2013:
José Paulo - Grafites
Mana Bernardes - Ocos

A Galeria Amparo 60 já está pronta para receber, no próximo dia 19 de setembro, duas novas individuais. A artista carioca Mana Bernardes, que acaba de entrar no casting, vai trazer pela primeira vez ao Recife suas peças na exposição Ocos. Ocupando o salão superior da galeria, o artista pernambucano José Paulo, veterano na casa, apresenta a mostra Grafites.

A jovem Mana Bernardes vai apresentar, em Ocos, seus mais recentes experimentos no campo das artes visuais. Nos trabalhos exibidos será possível perceber uma importante intersecção com sua atuação como designer de joias. Mana fez uso de várias garrafas pet dispensadas (corpo, bico, base) para criar um jogo de transparências e brilhos, joias gigantes, que possuem uma dimensão corporal. “Se a gente pensar numa garrafa dispensada, ela é o vazio, receptáculo de algo que já foi. A garrafa agora ocupa, constrói vazios, ocos, e ninhos no espaço da galeria”, resume. O processo de produção das obras foi árduo, em alguns casos levando cerca de seis meses, entre catar as garrafas, lavar, secar, tirar os rótulos, cortar, lixar para chegar à forma pretendida.

A artista afirma que dentro desses trabalhos pode exercer sua palavra manuscrita, utilizando um material ordinário carente de cuidados, que encontrou no fim das feiras livres. “Deparei-me com um chão de cascas de alho, como papéis que não são retos, cada forma daquela me sugeria uma palavra. Uma delas era um mar, outra um transe absoluto, outra pérolas, fui vendo meu vocabulário ser deixado, palavra por palavra, nas cascas de alho. Entendi que tinha um jogo, e cada pessoa poderia tirar com delicadeza cinco palavras, para achar sua poesia, no meu oráculo, um OrácuAlho”, descreve Mana Bernardes. A artista projetou duas lentes de cristal ocas, uma contra a outra, para receber as palavras escritas sobre as cascas de alho.

Já José Paulo traz ao público seis séries que somam 81 desenhos em grafite sobre papel. Trata-se de uma pesquisa particular dentro da produção do artista, que há alguns anos tem se dedicado com mais afinco a uma produção tridimensional. Os trabalhos vêm sendo desenvolvidos desde 2011, impulsionados pela necessidade de complementar uma linha de ação e realização na mostra Retratos e Auto-retratos, realizada em Salvador naquele mesmo ano.

Os trabalhos exibidos na Bahia vão estar presentes na série 44 Retratos - formada por 44 desenhos de copos de variados tamanhos e formatos, que representam cada um o retrato de uma pessoa. “Nele exercito a representação/sugestão da individualidade através da retratação de objetos”, revela o artista.

Desenvolvido exclusivamente para a mostra na Amparo 60, Kiss Me é formada por 12 desenhos que representam objetos do uso pessoal do artista (relógio de pulso, óculos de grau, chaves, cinto, carteira de identidade, etc.) todos eles queimados e destruídos. Segundo José Paulo, a série é uma referência/homenagem às 242 vítimas do incêndio ocorrido na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria no Rio Grande do Sul, em janeiro deste ano.

Os 16 desenhos que compõem a série Maciel Pinheiro representam várias embalagens de garrafa pet utilizadas por alguns moradores de rua, da Praça Maciel Pinheiro, no bairro da Boa Vista, para cheirar cola. Há ainda Tempo, o único desenho em grande formato (125 x 180 cm), retratando um vaso de porcelana quebrado.

“Todos os desenhos apresentados trazem a ideia de indivíduos singulares, vulgarizados e diluídos pela nossa sociedade. Na mostra, são representados através desses objetos cotidianos e usuais. Uma distante retratação, onde as características pessoais e singulares por traz desses simples objetos podem sugerir uma humanidade complexa e rica”, explica o artista.

Biografia e mais informações dos artistas nos sites:
http://manabernardes.com
www.josepaulo.org

Posted by Patricia Canetti at 6:09 PM