Página inicial

Salões & Prêmios

 


maio 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

maio 19, 2019

Pivô Pesquisa 2019 - Chamada aberta para bolsas-residência

O Pivô tem o prazer de anunciar a chamada aberta para duas bolsas-residência durante o terceiro ciclo do programa Pivô Pesquisa 2019. A primeira bolsa-residência é destinada a artistas brasileiros que residam no Brasil, com exceção dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. A segunda é destinada a artistas não-brasileiros que sejam nascidos e residam em países da América Latina.

Inscrições até 3 de junho de 2019

As propostas devem ser enviadas para o email editais@pivo.org.br, indicando no campo de assunto PIVÔ PESQUISA – BOLSA-RESIDÊNCIA. Demais dúvidas, queira, por gentileza, entrar em contato por esse mesmo e-mail.


PROGRAMA 2019 DO PIVÔ PESQUISA (English version)

CHAMADA ABERTA PARA ARTISTAS BRASILEIROS, RESIDENTES NO BRASIL
(EXCETO ARTISTAS RESIDENTES NOS ESTADOS DE SÃO PAULO E DO RIO DE JANEIRO)

DATA LIMITE PARA INSCRIÇÃO: 3 DE JUNHO DE 2019
RESULTADOS: 27 DE JUNHO DE 2019
DATA DA RESIDÊNCIA: 27 DE AGOSTO A 18 DE NOVEMBRO DE 2019

CHAMADA ABERTA

Esta é uma chamada aberta para propostas de residência destinada a artistas brasileiros, domiciliados no Brasil, com exceção dos artistas domiciliados nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. Com base nos projetos enviados, o Pivô irá selecionar 1(um) artista para participar de uma residência de 12 semanas de duração, com início previsto para o dia 27 de agosto e término no dia 18 de novembro de 2019.

O artista selecionado irá receber uma bolsa-residência que inclui 1 (uma) passagem de ida e volta, despesas básicas de alimentação e transporte, acesso completo a um espaço individual de trabalho de 16 m2 no Pivô durante o horário de funcionamento da instituição, (de segunda a sexta-feira das 11h às 19h e de sábados das 13h às 19h), e participação em todas as atividades do programa Pivô Pesquisa, conforme descritas abaixo.

SOBRE O PIVÔ

O Pivô é uma associação cultural sem fins lucrativos que atua como plataforma de experimentação para artistas, curadores, pesquisadores, estudantes e público em geral.

Desde 2012, o espaço vem se consolidando com um dos principais espaços de exibição e produção de conteúdo em arte contemporânea da cidade.

Situado no icônico edifício Copan, projetado por Oscar Niemeyer, o espaço é totalmente aberto, acessível e tem visitação gratuita. No Copan, vivem e trabalham cerca de 5.000 pessoas. Além deste público em potencial, a região em que o edifício se encontra concentra uma grande diversidade de pessoas, que pode acessar o espaço facilmente através de variadas linhas de ônibus e metrô.

SOBRE O PROGRAMA PIVÔ PESQUISA

Pivô Pesquisa é o programa de residências da instituição. Focado principalmente na prática de ateliê e no acompanhamento de projetos, o programa tem como objetivo criar um ambiente de experimentação em que o tempo dedicado à pesquisa individual é privilegiado ao mesmo tempo em que o diálogo entre artistas, curadores e críticos é estimulado frequentemente.

A experiência de residência de cada artista é particular, desde o espaço físico escolhido até o projeto de trabalho durante o tempo de estadia. No entanto, o programa conta com uma série de atividades que proporcionam interlocuções em diversos níveis: de encontros pontuais ao acompanhamento contínuo, das trocas mais próximas e constantes com os outros residentes, à apresentação de trabalhos para o público em dias de ateliês abertos.

Entre as atividades da residência estão:

Acompanhamento curatorial com a equipe do Pivô

A equipe curatorial do Pivô realiza visitas individuais regulares, incentivando as pesquisas, propondo reflexões e indicando referências para os residentes, bem como propiciando momentos de trocas sobre o processo e o desenvolvimento dos trabalhos.

Conversas no ateliê

Conversas quinzenais em que os artistas residentes, acompanhados pela equipe curatorial apresentam e discutem seu trabalho uns com os outros.

Pivô Pesquisa convida

Artistas e curadores cujas áreas de pesquisa se alinham às da instituição são convidados para conhecer a produção dos residentes em encontros individuais.

Programas públicos

Atividades nas quais o público é convidado a participar, como conversas com convidados, workshops e dias de ateliê aberto.

Pivô Pesquisa visita

Os residentes do Pivô Pesquisa visitam ateliês de outros artistas ou exposições, acompanhados dos curadores do Pivô. Estas visitas são uma forma de se integrar ao circuito local e entrar em contato com os processos de outros artistas e profissionais.

Blog e Canal de Vídeo

Plataformas onde são publicados vídeos, entrevistas, textos, ensaios visuais e escritos produzidos pelos residentes e colaboradores convidados.

REQUISITOS E ELEGIBILIDADE

• Esta é uma chamada aberta para artistas brasileiros, domiciliados no Brasil, com exceção dos artistas domiciliados nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro;

• Ao se candidatar a esta chamada aberta, o artista confirma ser autor e portador exclusivo dos direitos autorais da sua proposta, assim como dos elementos que a constituem, e aceita todas as condições presentes neste documento.

• Não são elegíveis artistas que participaram do programa Pivô Pesquisa nos últimos 2 anos, ou artistas que já realizaram exposições no Pivô nos últimos 5 anos.

• Não são elegíveis coletivos de artistas em uma única inscrição – cada pessoa deve fazer sua inscrição separadamente como um artista individual.

INSCRIÇÃO, DOCUMENTOS E PRAZOS

Os artistas devem enviar sua proposta até o dia 3 de junho de 2019 para o email editais@pivo.org.br, indicando no campo de assunto “PIVÔ PESQUISA – BOLSA-RESIDÊNCIA, incluindo:

1. Formulário de inscrição preenchido (disponível no link http://bit.ly/pivobolsa2019);

2. Currículo atualizado, portfólio e qualquer material adicional que o artista julgue pertinente (e.g.: clippings de mídia, ensaios críticos, cartas de recomendação, release de exposição, publicações, etc) contendo não mais do que 25 páginas, em formato PDF, com até 10MB;

3. Uma cópia do RG e CPF.

Todos os itens acima são obrigatórios. A falta de 1(um) ou mais itens, assim como o preenchimento incompleto do formulário, implicará na desqualificação do proponente.

Os artistas são inteiramente responsáveis pelas informações e dados apresentados em sua inscrição, assim como pelas obrigações assumidas.

Todos os arquivos devem ser diretamente anexados ao e-mail. Não é permitido enviar arquivos por mecanismos de compartilhamento (Dropbox, WeTransfer, etc)

Cada artista deve enviar apenas uma proposta de residência.

O Pivô não se responsabilizará por possíveis falhas na transmissão de e-mails devido ao excesso de informação enviadas pelos proponentes.

O Pivô se compromete a enviar uma confirmação de inscrição através do e-mail informado no formulário, em até 72 (setenta e duas) horas.

SELEÇÃO

O processo de seleção será feito pelo Pivô, a seu livre e exclusivo critério, e será dividido em duas partes:

1. A equipe curatorial do Pivô irá pré-selecionar 3(três) artistas de acordo com a relevância e coerência do conjunto de sua obra e de acordo com a originalidade;

2. Os 3 artistas pré-selecionados serão submetidos a uma entrevista via chamada de vídeo com a equipe curatorial do Pivô, a qual irá analisar a viabilidade da proposta.

Caso algum dos pré-selecionados não responda ao convite de entrevista em até 2(dois) dias úteis após a primeira tentativa de contato por e-mail ou telefone, ele será automaticamente desqualificado.

NOTIFICAÇÃO DO RESULTADO

O resultado final da chamada aberta será anunciado no dia 27 de junho de 2019 no site do Pivô.

O artista selecionado será contactado via e-mail ou ligação telefônica, a partir das informações fornecidas no formulário de inscrição.

O artista selecionado autoriza ter seu nome anunciado nos canais de comunicação e no site do Pivô (www.pivo.org.br).

Caso o artista não responda ao contato do Pivô para confirmar sua participação no programa em até 3(três) dias úteis após a primeira tentativa de contato, ele será automaticamente desqualificado e substituído pelo primeiro candidato da lista de suplentes.

A BOLSA-RESIDÊNCIA

A bolsa-residência concedida pelo Pivô inclui:

1. 1 (uma) passagem de ida e volta, em horário e data a serem acordadas entre as partes;
2. Hospedagem em um quarto privativo dentro de um apartamento compartilhado, a uma distância curta do Pivô, a ser determinado por este;
3. R$ 3.6000,00 para cobrir custos com alimentação e transporte durante todo o período de residência;
4. Estúdio de 16 m2 no Pivô, com funcionamento das 11h às 19h, de segunda-feira a sexta-feira e sábados das 13h às 19h;
5. Acesso aos espaços do Pivô Pesquisa: biblioteca, marcenaria, cozinha e banheiro;
6. Participação em todas as atividades do Pivô Pesquisa;

A soma dos valores estabelecidos nos itens (1) e (2), como descritos acima, será administrada pela equipe do Pivô, e a ajuda de custo básico de vida, mencionada no item (3), será transferida ao artista selecionado após a assinatura do contrato, no primeiro dia da residência.

A bolsa-residência não inclui custo de materiais ou de produção do artista.

RESPONSABILIDADES DO ARTISTA

Os artistas declaram que, caso selecionados para a Bolsa-Residência – Pivô Pesquisa, estão cientes e de acordo com as obrigações abaixo:

1. Comparecer regularmente ao espaço de estúdio proporcionado pelo Pivô e se envolver nas atividades do programa durante o período de residência;

2. Assinar um contrato com o Pivô que estabeleça os termos e condições de uso do espaço e do programa de residência;

3. Respeitar o regulamento interno do Pivô Pesquisa;

4. Ao fim do período de residência, desocupar o espaço do estúdio utilizado no Pivô e remover todos os materiais e obras que podem eventualmente ter sido instalados no período da residência;

5. Ao fim do período de residência, desocupar o quarto de hospedagem em que estiver morando durante sua estadia, e entregá-lo nas mesmas condições em que foi recebido. O artista selecionado será responsável por quaisquer danos causados ao espaço;

6. Ceder ao Pivô os direitos de uso relacionados às imagens dos trabalhos, e à imagem e voz do artista, realizadas durante o período de residência. A cessão é total, definitiva e por tempo ilimitado;

ACEITE DOS TERMOS DA CHAMADA ABERTA

O envio do formulário de inscrição implica no total consentimento e acordo com os termos desta chamada aberta. Quaisquer casos de ocorrências não mencionadas, eventos não previstos, ou possíveis dúvidas e questões, serão analisados individualmente pelo Pivô.

Para mais informações, escreva para editais@pivo.org.br.

Posted by Patricia Canetti at 12:18 PM

maio 9, 2019

Palestra de Virgínia de Medeiros no Bolsa Pampulha, Belo Horizonte

O Bolsa Pampulha, programa realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e pelo JACA - Centro de Arte e Tecnologia, promove a palestra, seguida de bate-papo, da artista visitante Virgínia de Medeiros. A participação é gratuita e faz parte da programação do Bolsa Pampulha 2018/2019, que tem o propósito de estimular a produção e a pesquisa em artes visuais na capital mineira, contribuindo para o processo formativo da comunidade artística local e nacional.

12 de maio de 2019, domingo, das 15h às 17h

Museu de Arte da Pampulha
Avenida Otacílio Negrão de Lima 16.585, Belo Horizonte, MG

A partir da perspectiva prática vinculada à sua própria trajetória, Virgínia de Medeiros apresentará questões que permeiam a relação entre arte, empatia, afetos e política em seus trabalhos realizados entre 2003 e 2018. A artista atua na área de arte e tecnologia com ênfase em vídeo-instalação e audiovisual. Seu trabalho converge de estratégias documentais para ir além do testemunho, questionando os limites entre realidade e ficção. A artista lida com o deslocamento, a participação e a fabulação, adaptando imagens documentais para usos subjetivos, pessoais e conceituais, propiciando a revisão dos modos de leitura e representação da realidade e da alteridade.

Próxima palestra

No dia 9 de junho é a vez da curadora, pesquisadora e crítica de arte Júlia Rebouças participar da programação do Bolsa Pampulha em um encontro aberto ao público. Ela foi co-curadora da 32ª Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, nos 18º e 19º Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil. Em 2013, foi curadora adjunta da 9ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. A palestra, seguida de bate-papo, também ocorre no Museu de Arte da Pampulha e a entrada é gratuita.

Artistas selecionados pelo Bolsa Pampulha 2018/2019

Dez artistas foram selecionados para a 7ª edição do Bolsa Pampulha: Alex Oliveira (BA), Guerreiro do Divino Amor (RJ), David de Jesus do Nascimento (MG), Dayane Tropikaos (MG), Gê Viana (MA), Sallisa Rosa (GO), Sara Lana (MG), Simone Cortezão (MG), Ventura Profana (BA) e Desali (MG). Eles iniciaram, em março, a residência artística, no Museu de Arte da Pampulha.

Durante o período da residência artística, ao longo deste ano, serão realizados encontros regulares com o coletivo curador, composto pelos coordenadores do JA.CA, Francisca Caporali, Samantha Moreira e Mateus Mesquita. Também acontecerão encontros com a comissão de acompanhamento, formada pelas convidadas Beatriz Lemos, Júlia Rebouças e Mônica Hoff, além de representantes do JA.CA e do Museu de Arte da Pampulha.

Francisca Caporali, diretora do JA.CA, conta que foi proposto para esta edição do Bolsa Pampulha um processo no qual profissionais mulheres foram convidadas para compor a comissão de seleção e de acompanhamento e elas selecionaram um grupo que trata também de diferentes protagonismos e urgências de representatividade e identidade. “Desejamos que exista um convívio desses artistas com outros agentes da cidade e trabalharemos para a construção dessas redes. Estamos encantados com o grupo de artistas selecionados e agora iniciamos discussões importantes com as artistas convidadas e a comissão de seleção”, afirma Francisca.

"O programa é um dos projetos mais importantes da Fundação Municipal de Cultura. Realizado no Museu de Arte da Pampulha, é pioneiro em residências artísticas no Brasil. Trata-se de um programa de formação que propicia aos artistas um apoio financeiro para o desenvolvimento de pesquisas e trabalhos artísticos, com um acompanhamento de pesquisadores de trajetória reconhecida na área. De caráter experimental, o programa cria diálogos entre curadores e artistas, deslocando-os de seus contextos, trazendo para Minas Gerais discussões e reflexões sobre o que existe de mais atual em Arte Contemporânea brasileira”, afirma a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fabiola Moulin.

A Organização da Sociedade Civil JA.CA Centro de Arte e Tecnologia foi selecionada pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio de edital, lançado em julho de 2018, para atuar como parceira na produção do 33º Salão Nacional de Arte / 7º edição do Bolsa Pampulha, no Museu de Arte da Pampulha.

Posted by Patricia Canetti at 8:15 AM

maio 5, 2019

Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural - Inscrições

Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural - Inscrições

Com fundo de R$ 4 milhões, programa mistura aporte direto do banco com financiamento coletivo (crowdfunding) e vai triplicar a arrecadação de projetos que deixem legado para o patrimônio cultural brasileiro

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou um programa inovador de financiamento e capacitação para iniciativas voltadas para o Patrimônio Cultural Brasileiro, na manhã de 26 de março, durante evento com especialistas no tema, no Espaço Cultural BNDES, no centro do Rio.

Batizado de Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural, o programa é o primeiro do setor público a adotar um modelo de financiamento combinado, unindo o tradicional aporte direto do banco ao financiamento coletivo (crowdfunding), modelo que tem revolucionado a forma de financiar projetos pelo mundo. A cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados via edital, o BNDES aportará mais R$ 2, até que a meta mínima de arrecadação seja atingida.

Voltado para campanhas de pequeno e médio porte (entre R$30 mil e R$300 mil de meta mínima), o programa vai selecionar iniciativas que deixem legado para o Patrimônio Cultural Brasileiro, material ou imaterial. Entre 2019 e 2020, serão aplicados até R$ 4 milhões do Fundo Cultural – formado por parte do lucro do BNDES – em projetos apoiados pela sociedade por meio de crowdfunding. No total, os recursos mobilizados poderão ultrapassar R$ 6 milhões, considerando as colaborações do público e de terceiros que se interessem pelas iniciativas selecionadas pelo programa.

Pioneiro no Brasil, este é o maior matchfunding da história e foi coidealizado por três parceiros: a Benfeitoria, plataforma de crowdfunding e matchfunding com a maior taxa de sucesso do país; a SITAWI Finanças do Bem, organização da sociedade civil que atua com vasta experiência em finanças sociais; e o Museu Vivo, consultoria em rede de inovação e sustentabilidade em museus e cultura. O Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural conta, também, com apoio técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), uma vez que é responsável pela formalização de registro e tombamento dos patrimônios culturais brasileiros, na esfera federal.

“Essa iniciativa é disruptiva e inovadora de diversas maneiras: em termos de financiamento, um dos grandes gargalos para o setor da cultura - não só no Brasil, mas mundialmente - e também como forma de estruturar e testar um mecanismo em que a sociedade participa como parceira do banco, não só como cofinanciadora, mas também dando legitimidade, reconhecimento e capacidade de fiscalização aos projetos”, afirma Eduardo Bizzo, gerente no Departamento de Educação e Cultura do BNDES.

A expectativa é que a iniciativa apoie até 80 projetos selecionados ao longo dos dois anos, por meio de edital. No dia 2 de abril de 2019, serão abertas as inscrições para proposições de todo o país. Os critérios de seleção e outros detalhes da chamada serão divulgados no evento de lançamento, no dia 26, e disponibilizados no canal do projeto na plataforma da Benfeitoria, logo em seguida (www.benfeitoria.com/bndesmais). Durante a etapa de convocação, os interessados receberão treinamento online sobre financiamento coletivo.

A primeira onda de curadoria e seleção de projetos (serão quatro ondas mensais por ano, cada uma indicando até dez projetos) acontecerá entre 15 de maio e 15 de junho, quando serão anunciadas as primeiras iniciativas selecionadas. A partir daí, os contemplados receberão consultoria especial da Benfeitoria para preparar o lançamento das campanhas de arrecadação online, que terão início em julho de 2019. Além desta primeira, o edital prevê a realização de mais três ondas de curadoria e seleção, possibilitando que os beneficiários apresentem projetos, neste ano, até 15 de agosto.

Para efetivamente receber os recursos, as iniciativas deverão atingir suas metas mínimas de arrecadação, além de cumprir critérios mínimos de pulverização de recursos, de modo a garantir que o apoio represente interesse coletivo (sem estar concentrado em poucos doadores). Se a campanha alcançar a meta dentro do prazo estabelecido, o projeto será viabilizado e os colaboradores receberão recompensas. Caso contrário, o dinheiro será estornado. Projetos que baterem a meta mínima antes do prazo final poderão continuar captando, porém sem o aporte adicional (match) do BNDES.

Os projetos financiados serão implementados com acompanhamento da SITAWI e receberão, ainda, uma consultoria especializada em gestão cultural para sustentabilidade. Em 2020, o mesmo processo se repetirá, com mais quatro ondas de curadoria e seleção. Por ser uma iniciativa-piloto muito inovadora, o programa possibilita mudanças para o segundo ano da chamada, a partir dos aprendizados de 2019.

“Essa inovadora parceria popular-público-privada é um sistema alternativo de financiamento sem precedentes, que gera riquezas para o país ao investir em traços da nossa cultura que precisam ser cuidados formalmente pelo poder público e pela sociedade civil. Não se trata apenas de um financiamento coletivo, esse projeto revolucionário é sobre engajamento e construção identitária”, afirma a CEO da Benfeitoria, Tati Leite.

Tipos de legado que o programa contempla:

- Promoção e Inclusão: ações de promoção de um patrimônio e transmissão de conhecimentos tradicionais a um novo público; benfeitorias ou ações de inclusão que tornem o patrimônio mais acessível e democrático; ações de impacto perene voltadas à promoção do turismo ligado ao Patrimônio Cultural Brasileiro

- Inovação e Tecnologia: instalações, aplicativos e jogos digitais, novas tecnologias ou conteúdos que melhorem a experiência e o engajamento do público com o patrimônio ou que o torne ainda mais atraente, contemporâneo e/ou com mais valor turístico.

- Educação e Inspiração: cursos, oficinas e/ou eventos de formação (online ou presencial) de profissionais que trabalhem com patrimônio; ações e conteúdos educativos que promovam o engajamento do público com o patrimônio.

- Preservação e Memória: restauros, reformas, ações de conservação e cuidado do patrimônio; iniciativas de registro e reconhecimento que preservem a memória do patrimônio, como documentários, prêmios, cartografias.

Mais sobre matchfunding

O conceito consiste na combinação de aporte direto com financiamento coletivo, no qual um agente de fomento dobra ou triplica a arrecadação de um projeto em crowdfunding, fazendo o “match” a cada real investido pelo público. O “Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural” é a primeira iniciativa de matchfunding do setor público com a sociedade civil. A iniciativa sugere uma nova alternativa para financiamento de projetos de natureza cultural alinhada diretamente com interesses dos cidadãos.

Sobre o BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES é um empresa pública federal dotada de personalidade jurídica de direito privado que aposta na rica diversidade cultural brasileira para impulsionar o desenvolvimento do país. Suas variadas manifestações movimentam cadeias produtivas que geram trabalho, emprego e renda e promovem inclusão social. Para apoiar o setor, o Banco dispõe de diversos instrumentos, como financiamento, recursos não reembolsáveis e fundos de investimento. Maiores informações podem ser obtidas no endereço:
www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/onde-atuamos/cultura-e-economia-criativa/

Sobre os coidealizadores

SITAWI Finanças do Bem
A SITAWI é uma organização pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para impacto social. Em mais de 10 anos de história, mobilizou R$26 milhões, apoiando mais de 100 organizações e negócios de impacto que alcançaram mais de 650 mil pessoas. É o investidor de impacto mais ativo do Brasil, com 40 deals em forma de empréstimo, dívida conversível, empréstimo coletivo e equity. Entre seus parceiros estratégicos, encontram-se agências internacionais (como a USAID), grandes empresas nacionais e internacionais (Natura, Coca Cola, IBM), além de fundações/institutos (Fundação BMW, Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Fundação Lemann, Instituto EDP, Instituto Sabin, Oi Futuro).

Benfeitoria
Lançada em 2011, a Benfeitoria é a plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) mais inovadora e eficiente do Brasil. Com a maior taxa de sucesso do Brasil desde o lançamento, já mobilizou mais de R$36 milhões de 270 mil colaboradores para dar vida a mais de 2mil projetos. Foi a primeira plataforma do mundo a não cobrar comissão obrigatória de quem arrecada, a primeira do Brasil a lançar crowdfunding recorrente, e a única a trabalhar com editais de grande porte via Matchfunding. Entre seus principais parceiros de fomento, estão ONU Mulheres, Sebrae, Natura, Coca-Cola, Ambev, Youse e Itaú.

Museu Vivo
Museu Vivo é uma consultoria em rede para inovação e sustentabilidade econômica de museus e instituições culturais. Realiza planejamento e gestão sócio-cultural com Laboratórios de Inovação, curadoria de seminários, festivais, disseminação de conteúdos online e capacitação em projetos que integram cultura, museus, novas economias e regeneração. Cataliza inovação no setor cultural com estratégias de engajamento de públicos, sustentabilidade financeira e integração com causas sociais. Projetos recentes com Museu da Língua Portuguesa, Museu Villa Lobos, Oi Futuro, Museu do Amanhã, Museu das TeleComunicações, MAR e Festival ColaborAmerica.

Posted by Patricia Canetti at 5:02 PM

maio 2, 2019

Prêmio ABCA 2018 - Vencedores

Prêmio é dedicado aos artistas, críticos, curadores, exposições e instituições que mais contribuíram para a cultura nacional em 2018

A Associação Brasileira de Críticos de Arte anuncia os nomes dos artistas visuais, curadores, críticos, autores e instituições culturais vencedores do Prêmio ABCA, segundo avaliação de seus membros. A premiação anual contempla dez categorias que apontam os destaques do cenário das artes visuais que mais contribuíram para a cultura nacional em 2018.

Os prêmios foram atribuídos pelo resultado da votação de cerca de 150 associados, em escala nacional, feita por cédula rubricada, e apuração feita em Assembleia por uma comissão de associados, com a participação da diretoria ABCA.

O troféu criado pela artista Maria Bonomi, será entregue aos premiados no dia 28 de maio, terça-feira, às 20h, em cerimônia no Teatro do SESC Vila Mariana. A ABCA põe em evidência personalidades por meio de homenagens e aponta destaques no cenário das artes plásticas.

VENCEDORES – PRÊMIO ABCA

Prêmio Gonzaga Duque (crítico associado pela atuação durante o ano)
Mônica Zielinsky

Prêmio Sérgio Milliet (crítico por pesquisa publicada)
Percival Tirapeli, pela publicação Patrimônio Colonial Latino-Americano: urbanismo, arquitetura e arte sacra. São Paulo: SESC, 2018.

Prêmio Mario Pedrosa (artista de linguagem contemporânea)
Sandra Cinto

Prêmio Ciccillo Matarazzo (personalidade atuante no meio artístico)
Max Perlingeiro

Prêmio Mário de Andrade (crítico de arte pela trajetória – filiado ou não)
Angela Ancora da Luz

Prêmio Clarival do Prado Valladares (artista pela trajetória)
Claudia Andujar

Prêmio Maria Eugênia Franco (curadoria pela exposição)
Maria Luíza Távora, pela curadoria da mostra FAYGA - Entre Cores e Transparências, apresentada pelo Palácio Itamaraty, entre 19 de dezembro a 03 de março de 2019

Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade (instituição pela programação e atividade no campo da arte)
Museu de Arte de São Paulo - MASP

Prêmio Paulo Mendes de Almeida (melhor exposição)
Histórias Afro-Atlânticas, no Museu de Arte de São Paulo (MASP) e Instituto Tomie Ohtake

Prêmio Antônio Bento (difusão das artes visuais na mídia)
Revista seLecT

Destaques
Guilherme Wisnik
Mapa das Artes
Salão de Arte Contemporânea de Santo André

Homenagens
Daniel Santiago
Flavio Shiró
Márcio Sampaio

Posted by Patricia Canetti at 2:15 PM