Página inicial

Salões & Prêmios

 


agosto 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

junho 21, 2015

Concurso C.LAB para curadoria na Blau Projects - Selecionados

Promovido pela Blau Projects, o C.LAB, edital voltado à curadoria, chega a sua segunda edição, desta vez aumentando seu espectro de atuação e abrindo as inscrições para projetos da América Latina - recebeu 26 inscrições de projetos de curadores de países como Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Peru, México e Uruguai.

Comissão de seleção: Alfons Hug, Marta Mestre e Rafael Fonseca

Os dois projetos selecionados

Território, Povoação, de Juliana Gontijo e Gabriel Bogossian;
Na Eminência, de Carolina Soares.

Blau Projects divulga selecionados do edital C.LAB: Galeria promove segunda edição de edital voltado à curadoria. Seleção foi feita por comissão de curadores

Promovido pela Blau Projects, o C.LAB, edital voltado à curadoria, chega a sua segunda edição, desta vez aumentando seu espectro de atuação e abrindo as inscrições para projetos da América Latina. Após receber 26 inscrições de projetos de curadores de países como Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Peru, México e Uruguai, a comissão seleção, formada por curadores de diversos países - um alemão, uma portuguesa e um brasileiro-, escolheu os dois projetos: Território, Povoação, de Juliana Gontijo e Gabriel Bogossian e Na Eminência, de Carolina Soares.

A escolha dos projetos foi feita pela comissão de seleção formada por Alfons Hug, diretor do Goethe Institut e curador do Pavilhão Latino Americano na Bienal de Veneza 2015; Marta Mestre, curadora adjunta do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e Rafael Fonseca, curador adjunto da Bienal do Mercosul 2015. Os critérios de seleção incluem relevância no panorama da produção artística contemporânea, conexões e intercâmbios entre artistas que vivem e/ou trabalham na América Latina, objetividade, viabilidade, originalidade e ineditismo.

A iniciativa independente tem o objetivo de promover conexões entre curadores e artistas de toda a América latina, garantindo apoio financeiro de R$ 15 mil para cada projeto coletivo a ser exposto no espaço da galeria. A primeira exposição, do projeto Na Eminência, de Carolina Soares, tem abertura marcada para dia 27 de junho, e a segunda, do projeto Território, Povoação, de Juliana Gontijo e Gabriel Bogossian, acontecerá entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2016.

Projetos
Em Território, Povoação, a dupla de curadores Gabriel Bogossian e Juliana Gontijo apresenta cinco artistas latino-americanos que tratam de um tema comum a todo o continente, que é o território e suas questões de ocupação, colonização, disputas em torno da terra nos contextos agrários, ambientais ou étnicos. O nome do projeto é uma referência ao título de um conjunto de aulas que o francês Michel Foucault ministrou na França, nos anos 1970, investigando a relação entre as transformações das formas de governo e as mudanças na compreensão do território.

Os artistas escolhidos são a peruana Ximena Garrido-Lecca, com o vídeo Contornos, de 2014; o argentino Julián D´Angiolillo, com a instalação Antropolis, de 2011; o colombiano Carlos Guzmán, com o vídeo Colheita, de 2015, o boliviano Andrés Bedoya com os vídeos Rio Adentro (2014) e Rio Negro (2014) e o brasileiro Vítor Leguy com obras da série Uma reflexão sobre ciclos irregulares.

Em Na Eminência, da curadora Carolina Soares, foram selecionados seis artistas, dentre os quais, três colombianos: Ana Karina Moreno, com a fotografia digital Clausurado (da série Bolivar Bolos Club), de 2010; Camila Echeverría Martínez, com a fotografia Bogotá Fragmentada, de 2014 e Camilo Ordóñez Robayo, com a instalação Memoria Colonial, de 2010. Dentre os brasileiros, pode se destacar a escolha pela instalação em todos os trabalhos dos artistas; Haroldo Saboia, com Como Construir um Diagrama, de 2014; Jaime Lauriano, com A História se Encerra em Mim, de 2013 e Reginaldo Pereira, com o trabalho Sem Título, de 2015.

Neste projeto curatorial, a busca é pela falha como condição necessária para novas tentativas e recomeços. O objetivo do projeto é reunir artistas brasileiros e colombianos para pensar de que modo os trabalhos refletem sobre a contemporaneidade.

Sobre o C.LAB
Concebido como projeto independente do programa regular de exposições da Blau Projects, o concurso anual C.LAB seleciona e apóia projetos de curadores e artistas independentes para exposição no espaço da galeria, reforçando seu papel de incubadora e difusora da arte contemporânea. A primeira edição, realizada em 2014, resultou na produção e exibição do projeto individual Ampulheta, do curador Douglas Negrisolli, que contemplou a obra do artista Andrei Thomaz, e do projeto coletivo (...) pegaríamos as coisas onde elas crescem, pelo meio (...), da curadora Galciani Neves, com trabalhos de Ana Dias Batista, Fabio Morais, Laura Gorski, Jimson Vilela, Jorge Menna Barreto e Thiago Honório.

Sobre a Blau Projects
Com foco nas diversas linguagens como pintura, fotografia, vídeo, desenho, performance e o tridimensional, a galeria está situada no bairro da Vila Madalena (São Paulo). Desde a sua fundação em agosto de 2013, vem se estabelecendo como um espaço de convivência e trocas entre artistas, colecionadores, estudiosos da arte e afins. A galeria tem como missão apoiar e estimular artistas emergentes, bem como explorar e promover múltiplas formas de expressão artística, e representa os artistas Andrey Zignnatto, Marcone Moreira, Renata Cruz, Vitor Mizael, Éder Oliveira e Bruno Drolshagen.

Posted by Patricia Canetti at 8:34 PM

junho 16, 2015

Verbo 2015 - Programação Semana 1

AGENDA SP Hoje 16/06 às 14-23h @ Vermelho: Verbo 2015 - 11ª edição da Mostra de Performance Arte http://bit.ly/1R5QIdA >...

Posted by Canal Contemporâneo on Terça, 16 de junho de 2015

A 11ª edição da Mostra de Performance Arte VERBO, da Galeria Vermelho, apresenta o trabalho de 39 artistas, entre convidados e selecionados na convocatória.

16 de junho a 11 de julho de 2015

Galeria Vermelho
Rua Minas Gerais, 350, Higienópolis, São Paulo

PROGRAMAÇÃO

Conheça a programação de performances da estreia da Verbo e das duas primeiras semanas logo abaixo.

16/06 - terça-feira

14 – 22h
Karime Nivoloni, Mariana Molinos, Maryah Monteiro e Valeska Figueiredo [Brasil]
Exposição da Pessoa
Performance
Uma performer dá início ao seu trabalho, cola a etiqueta descritiva da obra, bate o cartão de ponto, e entra no espaço destinado especificamente para a obra. Uma vez em seu espaço, o artista deve, durante uma hora, mover-se e falar ininterruptamente até que sua jornada de trabalho finde e entre em seu lugar um outro artista que dará seguimento a ação. No aprisionamento dado pela obra, a regra é atuar na falta ou no excesso de sentido, esmagado pela necessidade da criatividade, restrito a um tempo, a um espaço e a uma condição: de peça substituível. Em uma ação que transcorre por 8 horas, “Exposição da Pessoa” trata da coisificação do ser humano, especialmente do artista, e questiona o valor e desvalorização de seu trabalho.

20 - 23h
Maurício Ianês [Brasil]
Estância
Performance
Na ação “Estância”, Ianês permanecerá deitado, no escuro, por quatro horas diárias dentro de uma cabine pintada de preto por dentro e por fora, especialmente desenhada e construída para a obra. Ianês estará vestindo calças e uma camiseta preta, com os pés descobertos. Os visitantes poderão habitar pelo período que quiserem, durante o tempo da ação, esta cabine, junto com ele. Dadas as dimensões da cabine, os corpos de Ianês e das/dos participantes serão colocados em proximidade, em uma situação física e emocional desconfortável. Uma vez que um(a) visitante se acomode dentro da cabine, será iniciado entre os dois um diálogo bastante informal e cotidiano, explorando assim as mudanças de comportamento social que a situação impõe sobre as duas pessoas. Os gestos e movimentos de ambos serão limitados pelas dimensões estreitas da cabine e pela proximidade de seus corpos.

14 - 23h
Pipa [Brasil]
Comidas da Rua
Performance
A partir de ingredientes encontrados nas ruas da cidade de São Paulo, Pipa criará um cardápio diferente composto por pratos e drinks que serão vendidos durante as noites da Verbo 2015.

20:30
Rose Akras [Brasil - Holanda]
Efêmero, Constante, Início, Fim
Questões como presença, duração e materialização do movimento são recorrentes na obra da bailarina e coreógrafa brasileira radicada em Amsterdam Rose Akras. O texto, escrito ou falado, materializa certas reflexões da artista, acerca da relação entre certos estados do corpo e conceitos geométricos de representação espacial. A intenção é de que todos os elementos se transformem em ações. O material uitilizado, no caso o texto, faz parte de uma composição total. Uma coreografia visual e sensorial. O que torna um corpo presente? foi a questão usada por Akras durante o processo de criação de “Efêmero, Constante, Início, Fim” (2015), que integra a programa da Verbo 2015, nos dias 16 e 18 de junho. Na ação, Akras cobrirá as paredes da sala de video da Vermelho com textos que remetem a passagem do tempo entre nascimento e morte e o papel do ar que anima a matéria do corpo.

20 - 23h
Olyvia Victorya Bynum [Brasil]
O mito da diversidade étnica: Verbo 2015, Galeria Vermelho.
Performance
A performer chega ao local da ação vestindo uma camiseta e uma calça, uma mochila, tênis. Em seguida ela abre a mochila e tira vários lenços e colares coloridos que dispõe ao seu redor de forma circular. Após esvaziar a mochila, a artista tira suas roupas e amarra os lenços de diferentes maneiras no seu corpo, pinta seu corpo todo, cria um turbante com uma sobreposição de lenços, coloca colares, um por um, seguindo a ordem do círculo. Por fim, coloca o tênis e a mochila e como um visitante regular, percorre a exposição.

20 - 23h
Alex Cassimiro, Andrez Lean Ghizze, Caio, Eidglas Xavier, Mavi Veloso, Teresa Moura Neves [Brasil]
preta
Performance
preta pretende criar dentro do espaço da VERBO 2015 um ambiente de experimentação, a partir da visualidade que aparece nas burcas criadas pelo artista Alex Cassimiro. A partir dessa indumentária, preta propõe uma ocupação espacial que investiga estados performativos e tensões entre performer e os visitantes da mostra.

21 - 23h
Rodolpho Parigi [Brasil]
Fancy Violence: Levitacíon | Uma performance escultórica
Performance Fancy Violence
Num truque de ilusionismo, Fancy Violence “levita” como uma escultura suspensa, somente seu cabelo toca a superfície que está sob seu corpo.

18/06 - quinta-feira

20 - 23h
Pipa [Brasil]
Comidas da Rua
Performance
A partir de ingredientes encontrados nas ruas da cidade de São Paulo, Pipa criará um cardápio diferente composto por pratos e drinks que serão vendidos durante as noites da Verbo 2015.

20h
Lia Chaia [Brasil]
Palestra
Performance
Na performance-palestra, Lia Chaia reencena trabalhos anteriores, agregando a eles novos contornos.

20:30h
Rose Akras [Brasil - Holanda]
Efêmero, Constante, Início, Fim
Performance
Questões como presença, duração e materialização do movimento são recorrentes na obra da bailarina e coreógrafa brasileira radicada em Amsterdam Rose Akras. O texto, escrito ou falado, materializa certas reflexões da artista, acerca da relação entre certos estados do corpo e conceitos geométricos de representação espacial. A intenção é de que todos os elementos se transformem em ações. O material uitilizado, no caso o texto, faz parte de uma composição total. Uma coreografia visual e sensorial. O que torna um corpo presente? foi a questão usada por Akras durante o processo de criação de “Efêmero, Constante, Início, Fim” (2015), que integra a programa da Verbo 2015, nos dias 16 e 18 de junho. Na ação, Akras cobrirá as paredes da sala de video da Vermelho com textos que remetem a passagem do tempo entre nascimento e morte e o papel do ar que anima a matéria do corpo.

21h
Clara Saito [Suíça]
The Title is a Drawing. The Drawing is an Undefined Network.
Performance
Como estabelecer conceitos teóricos para uma prática que pretende evitar regras? Como manter prática e conceitos anárquicos no âmbito da criação? Como fugir de sistemas já estabelecidos? Como permitir que uma teoria preserve em si a possibilidade de auto sabotagem? Essas são algumas das questões que permearam o processo de criação de “The Title is a Drawing. The Drawing is an Undefined Network”.

20 - 23h
Alex Cassimiro, Andrez Lean Ghizze, Caio, Eidglas Xavier, Mavi Veloso, Teresa Moura Neves [Brasil]
preta
Performance
preta pretende criar dentro do espaço da VERBO 2015 um ambiente de experimentação, a partir da visualidade que aparece nas burcas criadas pelo artista Alex Cassimiro. A partir dessa indumentária, preta propõe uma ocupação espacial que investiga estados performativos e tensões entre performer e os visitantes da mostra.

23/06 - terça-feira

20 - 23h
Pipa [Brasil]
Comidas da Rua
Performance
A partir de ingredientes encontrados nas ruas da cidade de São Paulo, Pipa criará um cardápio diferente composto por pratos e drinks que serão vendidos durante as noites da Verbo 2015.

20h
Doina Kraal (Holanda)
Touche-à-Tout
Instalação multimedia portátil e performance
Touche-à-Tout é uma instalação multimídia portátil com a qual o artista Doina Kraal tem viajado da Ásia à Oceania, da América do Norte à América do Sul e da África de volta para Amsterdã. Traços dessas viagens tornam-se visíveis no trabalho que conta ainda com uma performance da artista.

20h40
Liv Schulman [Argentina]
El Método Covensky
Performance
A linguagem e a escrita constituem as principais ferramentas no trabalho da artista argentina Liv Schulman. Em sua obra, Schulman emprega diferentes formas de consciência coletiva, submissão e sociabilidade. No projeto El Método Covensky, Schulman emprega a técnica desenvolvida por Mr Covensky, um personagem controverso que, nos anos 90 criou um método motivacional para empresas que emprega o corpo dos empregados para gerar uma forma particular de consciência. O projeto reconstrói sessões míticas de Covensky no qual o corpo do observador se transforma em escultura viva.

21h30
Goeun Bae [Coréia do Sul]
Solitary Dance
Performance
Solitary Dance constitui um comentário acerca do papel da mulher na sociedade contemporânea.

20 - 23h
Alex Cassimiro, Andrez Lean Ghizze, Caio, Eidglas Xavier, Mavi Veloso, Teresa Moura Neves [Brasil]
preta
Performance
preta pretende criar dentro do espaço da VERBO 2015 um ambiente de experimentação, a partir da visualidade que aparece nas burcas criadas pelo artista Alex Cassimiro. A partir dessa indumentária, preta propõe uma ocupação espacial que investiga estados performativos e tensões entre performer e os visitantes da mostra.

30/06 - Terça-feira

20 - 23h
Pipa [Brasil]
Comidas da Rua
Performance
A partir de ingredientes encontrados nas ruas da cidade de São Paulo, Pipa criará um cardápio diferente composto por pratos e drinks que serão vendidos durante as noites da Verbo 2015.

20h30
Jorge Soledar [Brasil]
Roda
Performance

21h
Renan Marcondes [Brasil]
Formulações ao Insuporte
Performance
Formulações ao Insuporte discute os limites de uma objetivação dominadora da natureza. Simulando um experimento a partir de ações muito corriqueiras com objetos, a performance vai gradualmente evidenciando os limites entre a forma de determinados objetos e a forma do corpo. Os limites surgem pelas diferentes resistências dos corpos (do performer e dos objetos) e pela recusa constante da informação que cada ação realizada pressupõe. Ao criar uma série de desacordos a partir da imagem que temos do corpo humano, Formulações ao Insuporte acaba por apontar para os objetos que compõem a performance, pois talvez eles também tenham suas imagens mediadas pela cultura. Esvaziados de seus significados prévios, os objetos ganham novas possibilidades de significação e relação.

20 - 23h
Alex Cassimiro, Andrez Lean Ghizze, Caio, Eidglas Xavier, Mavi Veloso, Teresa Moura Neves [Brasil]
preta
Performance
preta pretende criar dentro do espaço da VERBO 2015 um ambiente de experimentação, a partir da visualidade que aparece nas burcas criadas pelo artista Alex Cassimiro. A partir dessa indumentária, preta propõe uma ocupação espacial que investiga estados performativos e tensões entre performer e os visitantes da mostra.

Posted by Patricia Canetti at 4:16 PM

Verbo 2015 - Artistas convidados e selecionados

VERBO anuncia artistas e performances de sua edição 2015

A 11ª. edição da Verbo (Galeria Vermelho) anuncia os artistas e performances que participam de sua edição que acontece entre os dias 16 de junho e 11 de julho. A Verbo 2015 contará com artistas de 11 países, como Alemanha, Holanda, Argentina, Suíca, Coréia do Sul, Holanda, Espanha, Itália, Portugal, Dinamarca e Brasil. Além dos artistas selecionados na convocatória (isso é, que enviaram seus projetos para a Verbo), a mostra apresentará também projetos de artistas convidados.

A convocatória de projetos para a 11ª edição da mostra de Performance Arte VERBO, que ocorrerá de 16 de junho a 11 de julho de 2015, na galeria Vermelho, recebeu durante os meses de fevereiro e março mais de 270 projetos que incluem não apenas performances, mas também vídeos, fotografias, instalações e publicações de artistas brasileiros e estrangeiros.

A seleção dos projetos ficou a cargo de Marcos Gallon, diretor artístico da mostra, e da doutora em Dança e professora do Centro Universitário Belas Artes em São Paulo, Juliana Moraes. Foram selecionados 25 projetos (lista completa abaixo).

Neste ano, a Galeria Vermelho lançará o livro “Verbo” que resgata os 10 anos da mostra homônima e traz textos críticos sobre a arte da performance assim como imagens das ações apresentadas nas 10 primeiras edições.

Como já é de praxe na VERBO, o recorte curatorial da 11ª edição é dado a partir dos projetos recebidos para a seleção, e não a priori, como ocorre com a maior parte de exposições de arte.

Artistas convidados

1. Ana Montenegro e Marco Paulo Rolla [Brasil]
2. Caetano Dias [Brasil]
3. Enrique Ježik [Argentina]
4. Florentina Holzinger [Holanda]
5. Goeun Bae [Coréia do Sul]
6. Jacopo Miliani [Itália]
7. Julio Falagán [Espanha]
8. Lia Chaia [Brasil]
9. Lilibeth Cuenca Rasmussen [Dinamarca]
10. Maurício Ianês [Brasil]
11. Pipa [Brasil]
12. Rose Akras [Brasil]

Artistas e projetos selecionados

1. Alex Winter [Holanda] (projeto a definir)
2. Camila Cañeque [Argentina] - “An Invitation for Violence”
3. Caio César [Brasil] - ‘Nega”
4. César Menegetti [Brasil] - “There is a future in our past”
5. Clara Saito [Suíça] - “The title is a drawing. The drawing is an undefined network.”
6. Cristina Elias [Brasil-Alemanha] -“One Minute Diary”
7. Daniel Beerstecher [Alemanha] - “Wie meinem vogel die Welt erkläre” e “The Conquest of Useless”
8. ERRO Grupo [Brasil] (projeto a definir)
9. Estela Lapponi [Brasil] - “Antimusa”
10. Felipe Norkus [Brasil] - “Despeço”
11. Felipe Salem [Brasil] - “Dominação do mundo em um processo muito lento”
12. Fernando Audmouc [Brasil] - “Subexisto”
13. Francesca Leoni [Brasil-Itália] (projeto a definir)
14. Jorge Soledar [Brasil] - “Roda”
15. Liv Schulman [Argentina] - “El Método Covensky
16. Luiz Fernando Bueno [Brasil] - “Cruzeiro”
17. Márcia Beatriz [Brasil] - “Mundum” e “TRIP Paulista”
18. Maryah Monteiro [Brasil - “Exposição da Pessoa”
19. Manoela Medeiros [Brasil] - “Lugar do Ar”
20. Marc Davi [Brasil] (projeto a definir)
21. Márcio Carvalho [Portugal] - “Now - an impossible presence #2 ou Há Quanto Tempo foi”
22. No barraco da Constância tem! [Brasil] - “Piragem Etnográfica do Complexo”
23. Olyvia Victorya Bynum [Brasil] -“O Mito da Diversidade Étnica”
24. Renan Marcondes [Brasil] - “Formulações ao Insuporte”
25. Rodolfo Parigi [Brasil] -“Levitacíon - Uma Performance Escultórica”

Posted by Patricia Canetti at 4:07 PM

junho 12, 2015

Programa de Ocupação dos Espaços da Caixa Cultural - Inscrições

O Programa de Ocupação dos Espaços da Caixa Cultural vai selecionar projetos para compor a programação em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, no período compreendido entre os meses de março de 2016 e fevereiro de 2017, podendo ser estendido até fevereiro de 2018, em caso de projetos itinerantes (realizados em mais de uma Unidade). O valor máximo de patrocínio, por cidade solicitada, é de R$ 300 mil. Cada proponente pode apresentar até dez projetos, podendo cada um ser realizado em uma ou mais cidades com Caixa Cultural.

Inscrições até 21 de julho de 2015

REGULAMENTO

O presente regulamento tem por objeto a seleção de projetos culturais para ocupação dos espaços da CAIXA Cultural localizados em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, para formação da pauta no período de março de 2016 a fevereiro de 2017, podendo ser estendido até fevereiro de 2018, em caso de projetos itinerentes (aqueles realizados em mais de uma Unidade).

A CAIXA receberá inscrições de projetos no período de 08 de junho às 17h00min do dia 21 de julho de 2015, por meio de formulário eletrônico disponível no endereço www.programasculturaiscaixa.com.br.

A composição da pauta dos espaços da CAIXA Cultural se dará por meio da modalidade Patrocínio.

MODALIDADE PATROCÍNIO

4.1 DO OBJETO

4.1.1 Na modalidade “Patrocínio” os projetos serão selecionados para o período de 01 de março de 2016 a 28 de fevereiro de 2017.

4.1.1.1 Em caso de itinerância, os projetos poderão ser pautados até 28 de fevereiro de 2018, a critério da CAIXA.

4.1.2 Os projetos deverão ser apresentados exclusivamente por Pessoa Jurídica cuja natureza/objeto social seja de finalidade cultural.

4.1.2.1 Não serão aceitas inscrições de entes da administração pública direta e indireta, tais como presidência, ministérios e órgãos de assessoramento federal; governos, secretarias estaduais e órgãos de assessoramento estadual; prefeituras, secretarias municipais e órgãos de assessoramento municipal, dentre outros.

4.1.3 O orçamento que fará frente a esse processo é dotação própria da CAIXA, sem a utilização de benefícios de leis de incentivo fiscal.

4.1.3.1 Ainda que o patrocínio seja proveniente de dotação própria da CAIXA, caso o projeto esteja aprovado no Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), o proponente deverá ser o mesmo inscrito no Ministério da Cultura.

4.1.4 A linha curatorial que embasará o processo de seleção na atual edição do Programa de Ocupação dos Espaços da CAIXA privilegiará a perspectiva de contribuição dos projetos ao enriquecimento sociocultural da população, e sua afinidade com a missão e os valores da CAIXA, os quais se pautam na promoção da cidadania, na ética, na sustentabilidade, no respeito à diversidade de ideias, opções e diferenças de toda a sociedade.

4.1.4.1 A CAIXA valoriza os seguintes aspectos:

4.1.4.1.1 Inclusão social: existência de contrapartidas sociais em consonância com a missão da Empresa;

4.1.4.1.2 Desenvolvimento humano: estímulo ao enriquecimento cultural da população, à reflexão e à formação de pensamento;

4.1.4.1.3 Valores nacionais: valorização, resgate e manutenção de riquezas culturais brasileiras;

4.1.4.1.4 Democratização: oportunidade de realização de projetos oriundos de distintas regiões do território nacional; oportunidade tanto a artistas consagrados quanto a artistas em início de carreira; e fomento à formação de novas plateias por meio do acesso de jovens e crianças em idade escolar à programação cultural dos seus espaços e de outros projetos culturais que patrocina em todo o país.

4.1.4.1.5 Pluralidade: valorização da diversidade de expressões culturais e de propostas que contemplem transversalidade de linguagens, mídias, suportes;

4.1.4.1.6 Inovação: valorização de novas ideias, formatos, olhares e propostas criativas.

4.1.4.1.7 Interatividade: estímulo à participação do público de forma ativa.

4.1.4.1.8 Intercâmbio: promoção do intercâmbio de expressões culturais das diversas regiões do país; itinerância de projetos nos sete atuais espaços culturais da CAIXA; promoção do acesso do público a projetos internacionais que estejam de acordo com as premissas aqui estabelecidas.

4.1.5 Serão analisados projetos apresentados nos seguintes segmentos:

4.1.5.1 Artes Visuais (fotografia, escultura, pintura, gravura, desenho, instalação, videoinstalação, intervenção e novas tecnologias ou performances);

4.1.5.2 Teatro (teatro contemporâneo, teatro físico, circo-teatro, performance de palco, leitura dramática etc);

4.1.5.3 Dança (dança contemporânea, dança clássica, dança-teatro, etc);

4.1.5.4 Música;

4.1.5.5 Cinema (exibição de mostras e festivais);

4.1.5.6 Vivências (palestras, encontros, cursos, oficinas e lançamento de livros).

4.1.6 Os projetos que possuam palestras, encontros, cursos, oficinas ou lançamentos de livros como atividades complementares à atividade principal deverão ser inscritos no segmento artístico a que se dedicam.

4.1.7 A CAIXA não arcará com custos referentes ao período de pesquisa e concepção do projeto, montagem de espetáculo, tais como remuneração de profissionais nesta fase, custos de ensaios, concepção de cenários e de iluminação, confecção de adereços e figurinos, bem como custos com a produção de CD e DVD, produção de filmes e de livros (edição, publicação e distribuição).

4.1.8 A CAIXA analisará, com base no orçamento a ser preenchido pelo proponente, a possibilidade de patrocínio dos itens orçamentários previstos no projeto, admitindo-se a concessão de um valor máximo de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) por cidade solicitada.

4.1.8.1 O valor concedido, definido com base na referida análise, limita-se à disponibilidade financeira da CAIXA.

4.1.9 A avaliação dos projetos se dará de acordo com os critérios constantes nos itens 6 e 7 deste Regulamento.

4.1.10 Não serão analisados projetos para realização de festivais de teatro e dança, por se tratar de objeto de regulamento específico – Programa CAIXA de Apoio a Festivais de Teatro e Dança.

5 DA INSCRIÇÃO DO PROJETO

5.1 A inscrição será feita única e exclusivamente via internet, por meio do site www.programasculturaiscaixa.com.br até 21 de julho de 2015, às 17h00min do horário de Brasília, sendo que projetos enviados por qualquer outro meio serão desconsiderados.

5.1.1 Serão consideradas somente as inscrições realizadas por meio do preenchimento completo do formulário eletrônico disponibilizado, finalizadas e enviadas dentro do período de inscrição.

5.1.2 Cada projeto inscrito poderá ser realizado em uma ou mais cidades onde estão localizadas as unidades da CAIXA Cultural.

5.1.3 Os projetos que prevejam itinerância (realizados em mais de uma cidade com unidade da CAIXA Cultural) deverão ser inscritos uma única vez e, para este caso, a planilha orçamentária deverá ser preenchida com os custos individualizados para cada cidade pleiteada.

5.1.3.1 Se houver interesse, a CAIXA poderá oferecer itinerância para unidades da CAIXA Cultural não solicitadas pelo proponente.

5.1.4 O proponente deverá indicar no formulário eletrônico o(s) espaço(s) da CAIXA Cultural e o(s) período(s), compreendido(s) entre 01/03/2016 a 28/02/2017 (para projetos não itinerantes) ou entre 01/03/2016 a 28/02/2018 (para projetos itinerantes), que deseja para a realização do projeto.

5.1.4.1 Caberá à comissão de avaliação deliberar sobre o(s) espaço(s) e período(s) pleiteados pelo proponente, conforme a disponibilidade da grade de programação.

5.1.4.2 Os projetos selecionados estarão aptos a serem contratados pelo período de dois anos, prorrogáveis por mais um ano, a critério da CAIXA.

5.1.5 Se o projeto contemplar proposta de atividades didáticas paralelas, será obrigatório o detalhamento dos seguintes itens: carga horária, público alvo, conteúdo programático, metodologia, material pedagógico e equipamentos a serem utilizados.

5.1.6 O orçamento a ser preenchido pelo proponente deverá contemplar, obrigatoriamente, além dos itens específicos do tipo de projeto inscrito, os seguintes itens: registro fotográfico do evento, assessoria de imprensa, clipagem e valoração de mídia espontânea, material promocional e mídia paga adequada ao projeto (convite, folder, catálogo, postal, painel externo/banner, painel interno/banner, anúncios em jornais, chamadas em rádios, etc).

5.1.6.1 Considerando a identidade visual dos espaços que compõem a CAIXA Cultural, algumas especificações de material promocional são obrigatórias e constam relacionadas no formulário eletrônico.

5.1.6.2 Correrão por conta exclusiva do proponente todas as taxas e impostos devidos sobre as obrigações decorrentes do projeto inscrito, bem como as despesas administrativas envolvidas na produção do evento (como cópias, autenticações e postagens de documentos, gastos com telefone, materiais de escritório, pagamento de contador, advogado, etc).

5.1.7 Será admitida a apresentação de até 10 (dez) projetos por proponente, sendo uma inscrição por projeto, independentemente do segmento a que pertençam ou de haver itinerância para cada um deles.

5.1.8 A especificação de cada espaço e suas características técnicas estão disponíveis no site www.programasculturaiscaixa.com.br – Unidades da CAIXA Cultural.

5.1.9 É obrigatório anexar ao formulário eletrônico documentos e materiais ilustrativos relevantes para a análise do projeto e forneçam referência e/ou amostra do trabalho do(s) artista(s) ou grupo(s) participante(s) do projeto (músicas, imagens, textos e vídeos).

5.1.9.1 Somente serão aceitos arquivos nos formatos eletrônicos: PDF, RTF, ODT, DOC (versão Office 2003), XLS (versão Office 2003), JPG, GIF, MPG, WMV, AVI, MP3 e WMA.

5.1.9.1.1 O formulário eletrônico não permitirá o anexo de arquivos com extensões diferentes das citadas.

5.1.9.1.2 Serão aceitos no máximo 06 (seis) arquivos referentes a cada projeto. O limite de peso por anexo é de 10 MB (megabytes) e a soma dos arquivos enviados não poderá exceder o limite de 42 MB (megabytes), não se aceitando arquivos com qualquer tipo de compactação.

5.1.9.1.3 Os proponentes serão os únicos responsáveis pela qualidade visual, pelo conteúdo dos arquivos e pelas informações enviadas e devem estar cientes de que disso dependerá a avaliação de seus respectivos projetos.

5.1.9.1.4 Os projetos deverão apresentar os seguintes anexos, de acordo com o segmento:

5.1.9.1.4.1 Música – áudio / trechos de ao menos 03 (três) músicas.

5.1.9.1.4.2 Teatro – concepção cênica e dramatúrgica e vídeo/trecho do espetáculo.

5.1.9.1.4.3 Dança – vídeo/trechos de ao menos uma apresentação

5.1.9.1.4.4 Cinema – filmografia

5.1.9.1.4.5 Artes visuais – imagem de ao menos 06 (seis) obras.

5.1.10 A CAIXA não se responsabiliza pelas inscrições que não forem completadas por falta de energia elétrica ou devido a falhas tecnológicas, tais como problemas no computador do usuário, na transmissão de dados, em provedores de acesso dos usuários ou por lentidão causada pelo excesso de acessos simultâneos.

5.1.10.1 A CAIXA sugere aos interessados que concluam suas inscrições com antecedência para evitar eventuais dificuldades na transmissão dos dados que podem ocorrer nos últimos dias do prazo de inscrição.

5.1.11 A CAIXA garante o sigilo das informações registradas no formulário eletrônico.

5.1.12 A inscrição deverá obrigatoriamente ser realizada na língua portuguesa.

5.1.13 O envio da inscrição do projeto implica em assumir, por parte do proponente, o Termo de Responsabilidade constante no formulário eletrônico.

6. DA AVALIAÇÃO

6.1.Os projetos recebidos pela CAIXA passarão por duas etapas de avaliação: habilitação e análise.

6.2.A etapa de habilitação, com caráter eliminatório, consistirá na verificação do cumprimento de todas as exigências constantes no regulamento.

6.3.Os projetos habilitados serão avaliados por equipe técnica da CAIXA e/ou por representantes da sociedade civil com notório reconhecimento no meio cultural.

DOS CRITÉRIOS DE ANÁLISE
7.1 Perspectiva de contribuição ao enriquecimento sociocultural da população brasileira.

7.2 Qualificação do projeto, de acordo com cada segmento:

7.2.1 Teatro: concepção geral do espetáculo (dramaturgia, figurino, cenário, etc.) e currículo dos integrantes;

7.2.2 Dança: concepção geral do espetáculo (figurino, cenário, iluminação, repertório, etc.) e currículo dos integrantes;

7.2.3 Música: concepção geral do espetáculo (repertório, portfólio, produção musical, etc.) e currículo dos integrantes;

7.2.4 Artes Visuais: linguagem e coerência do projeto e conceito curatorial, imagem de obras ou projeto de obras, currículo dos artistas e do curador;

7.2.5 Cinema (mostras e festivais): temática, programação, currículo do curador;

7.2.6 Vivências:

7.2.6.1 Lançamento de livro: temática e currículo do escritor;

7.2.6.2 Palestras, encontros, cursos e oficinas: temática, conteúdo programático, carga horária e currículo dos profissionais envolvidos.

7.3 Contrapartidas ao patrocínio, que deverão ser apresentadas obrigatoriamente pelo proponente:

7.3.1 Contrapartida Negocial: cotas de ingressos definidas pela CAIXA, movimentação do valor do patrocínio recebido em conta bancária da CAIXA, dentre outros;

7.3.2 Contrapartida Social: formação de público e estímulo de acesso a eventos culturais (palestras, oficinas, ingressos a preços acessíveis, coleta para distribuição de alimentos, entre outros);

7.3.3 Contrapartida Ambiental: coleta e destinação de resíduos eletrônicos, plantio de árvores, uso de papel de fontes certificadas, distribuição de sementes, entre outros;

7.3.4 Contrapartida de Imagem: produção de material promocional e veiculação em mídia paga; inserção da marca da CAIXA e do Governo Federal em todo material promocional e de divulgação, entre outros.

7.4 Expectativa de interesse do público.

7.5 Adequação orçamentária.

7.6 Racionalização da ocupação dos espaços em função de períodos previstos para montagens e demais programações.

7.7 Adequação do projeto aos espaços físicos disponíveis.

7.8 Adequação à identidade institucional: afinidade com os valores da CAIXA.

DA DIVULGAÇÃO DO RESULTADO
8.1 A relação dos projetos selecionados será divulgada até o mês de dezembro de 2015, pela internet, no endereço www.programasculturaiscaixa.com.br.

8.2 DOS PROJETOS SELECIONADOS

8.2.1 Os proponentes cujos projetos forem selecionados receberão comunicação via email com instruções para a formalização da concordância quanto às condições de efetivação do patrocínio.

8.2.1.1 A garantia de enquadramento na qualidade de projeto selecionado se dará somente a partir da formalização de que trata o item anterior e da entrega de todos os documentos solicitados, ambos no prazo máximo de 20 (vinte) dias úteis a partir do envio da comunicação citada.

9. DISPOSIÇÕES GERAIS
9.1 Somente serão acatados projetos que estejam em acordo com os critérios estabelecidos no presente regulamento.
9.1.1 É de responsabilidade do proponente avaliar se seu projeto ou se suas condições de proponência estão de acordo com as disposições do regulamento.
9.2 Não será permitida alteração do título e conteúdo (inclui-se os artistas e ficha técnica apresentada) do projeto selecionado, bem como do proponente, salvo com expressa autorização da CAIXA.
9.3 É facultada ao proponente a captação de complementação dos recursos necessários à viabilização do projeto.

9.3.1 Não serão patrocinados projetos que tenham ou venham a ter como organizadores, realizadores, promotores, co-patrocinadores ou apoiadores, instituições financeiras e securitárias, entidades políticas ou religiosas, salvo com expressa autorização da CAIXA.

9.3.2 No caso de eventos cuja montagem / pré-produção tenha sido patrocinada por instituições financeiras e securitárias, entidades políticas ou religiosas, o proponente deve informar à CAIXA, no momento da concordância com o patrocínio e a qualquer momento posterior até a assinatura do contrato, eventuais obrigações contratuais de imagem com tais instituições, estando o patrocínio sujeito a cancelamento.

9.4 A CAIXA tem como prioridade proporcionar ao público espetáculos com ingressos a preços acessíveis, cujos valores serão definidos pela CAIXA.

9.5 Do total de ingressos de cada apresentação a CAIXA se reserva o direito de retirar cotas de convites para ações de relacionamento.

9.5.1 No teatro da CAIXA Cultural de Curitiba, o valor arrecadado com a bilheteria será destinado, a título de doação, a instituições beneficentes locais.

9.5.2 Todos os eventos realizados nas unidades da CAIXA Cultural São Paulo e Salvador são gratuitos.

9.6 Em se tratando de espetáculos, será considerado público com direito a pagar 50% do valor do ingresso:

9.6.1 Clientes da CAIXA, com apresentação do cartão de débito ou crédito;

9.6.2 Empregados da CAIXA, com apresentação de crachá ou carteira funcional;

9.6.3 Demais beneficiados conforme legislação específica;

9.6.4 Ações beneficentes específicas de cada CAIXA Cultural.

9.7 O Teatro Nelson Rodrigues, pertencente à CAIXA Cultural Rio de Janeiro não será pautado ao longo do ano de 2016/2017 devido a reforma em andamento naquele espaço.

9.8 As galerias Picolla I e II pertencentes à CAIXA Cultural Brasília, bem como as galerias I e II pertencentes à CAIXA Cultural Fortaleza, são pautadas conjuntamente.

9.9 A CAIXA se reserva o direito de pautar eventos que não tenham participado deste processo de seleção.

9.10 Informações e esclarecimentos adicionais deverão ser encaminhados exclusivamente na Seção “Fale Conosco” do site www.programasculturaiscaixa.com.br.

9.11 Deverão ser observadas as orientações contidas no formulário eletrônico antes de iniciar o seu preenchimento.

9.12 O processo de seleção objeto deste Regulamento poderá ser suspenso ou cancelado, no todo ou em parte, no caso de superveniência de fatores conjunturais e econômicos, por decisão judicial, por determinação de órgão de controle ou por decisão motivado da CAIXA.

9.13 O ato da inscrição implica em plena concordância com os termos aqui estabelecidos.

9.14 Os casos omissos serão avaliados pela comissão de avaliação.

Posted by Patricia Canetti at 12:13 PM

junho 2, 2015

Tautográfica – a escrita de Detanico Lain para o 19º Festival Sesc_Videobrasil

DetanicoLain_VideoBrasil-port.gif

Concebidas pela dupla de artistas Detanico Lain, a direção de arte e a identidade visual do 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil | Panoramas do Sul exploram conceitos curatoriais desta edição e remetem à filosofia grega e a sistemas de escrita originários da África

Os artistas brasileiros radicados na França, Angela Detanico e Rafael Lain trabalham juntos desde meados da década de 90, período de tempo quase tão antigo e profícuo quanto o da parceria que estabeleceram com o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil. A dupla, que já apresentou trabalhos na Bienal de Veneza (2007), na Bienal de São Paulo (2004, 2006 e 2008) e na Bienal de Havana (2009),foi responsável pela identidade visual de cinco edições do Festival: do 13º ao 17º (de 2001 a 2011).Agora,os artistas voltam a assinar a direção de arte na 19ª edição. Partindo de questões relacionadas à produção artística do Sul global exploradas pela curadoria, como identidade, memória e iconografia, eles conceberam uma proposta visual para o Festival que remete a alfabetos originários da África e ao mito sobre o nascimento da escrita.

Para Solange Farkas, curadora geral do Festival, Detanico e Lain criam um novo universo criativo e poético resultante da sua investigação e produção em arte contemporânea. Ancorado em extensas pesquisas e na reflexão sobre o sentido e sua representação gráfica, o trabalho da dupla explora as relações entre arte e design. “Eles se apropriam da linguagem verbal a partir de proposições visuais, provocando exercícios de codificação e decodificação da linguagem, de construção de novos códigos, organizados em uma nova ‘escrita’, numa proposta que se relaciona a questões provocadas por esta edição do Festival”, afirma a diretora da Associação Cultural Videobrasil.

A partir da nomeação do primeiro convidado do 19º Festival, um dos mais reverenciados artistas contemporâneos da África,o malinês Abdoulaye Konaté, Detanico e Lain iniciaram uma pesquisa que se voltou aos inúmeros sistemas de escrita originados no continente africano – de alfabetos e silabários ancestrais às mais recentes proposições de preservação da tradição oral.Uma das referências iniciais dessa pesquisa foi a obra de Frédéric Bruly Bouabré (1923-2014), artista da Costa do Marfim que integrou a 55ª Bienal de Veneza (2013), a 30ª Bienal de São Paulo (2012) e a Documenta 11 (2002).Na década de 1950, Bruly Bouabré criou um extenso silabário pictográfico com mais de 400 caracteres na intenção de que a história de seu povo, transmitida oralmente na língua bété, pudesse ser registrada. “A partir desse trabalho, iniciamos uma pesquisa sobre sistemas de escrita na África que nos levou a outros alfabetos criados recentemente para línguas de tradição oral, como o kikakui, na Serra Leoa, e o mandombe, no Congo”, afirmam Detanico e Lain. Para além dos jovens alfabetos africanos, os antiquíssimos sistemas de escrita concebidos no norte da África também estão presentes na pesquisa da dupla, como o alfabeto tifinagh, utilizado para escrever as línguas berberes do norte, e o ge’ez, que sobreviveu à língua falada na Etiópia e na Eritreia.

O diálogo Fedro, de Platão, também serviu de base para a pesquisa de Detanico Lain. O filósofo grego aborda o mito da origem da escrita e afirma que os caracteres gráficos foram inventados pelo deus egípcio Tauthos, pai dos números, do cálculo, da geometria e da astronomia. Sobre a escrita, Tauthos teria afirmado: “Eis uma arte que tornará os egípcios mais sábios e os ajudará a fortalecer a memória, pois com a escrita descobri o remédio para a memória”.

Com essas referências, a dupla criou a tipografia Tautográfica a partir de elementos gráficos comuns aos alfabetos estudados.“A ideia é que os caracteres funcionem ao mesmo tempo como imagem e texto, criando uma espécie de estranhamento com a linguagem”, explicam os artistas. Desta forma, é oferecida aos leitores a possibilidade de redescoberta dos desenhos das letras – num primeiro momento ilegível, a leitura se desvela para quem dedicar o tempo necessário a decifrá-la. Tautográfica será aplicada junto à fonte Fedra, criada em 2001 pelo designer Peter Bilak.Desenvolvida também para os alfabetos árabe, devanágari e armênio, o desenho dessa fonte tipográfica pretende humanizar a mensagem e proporcionar uma boa leitura tanto em meio impresso quanto no computador. Com uma paleta em tons terrosos, que variam a partirdas obras dos demais artistas convidados do 19º Festival, a identidade visual criada pela dupla Detanico Lain será desdobrada na sinalização do espaço expositivo, nas publicações, peças gráficas e no site do 19º Festival, aplicadas pelas designers Carla Castilho e Lia Assumpção (Janela Estúdio) e Lila Botter (Videobrasil), e pelo artista Deco Farkas.

Com ampla programação formada por quatro exposições, performances, mostra de filmes, programas públicos, ações educativas e lançamento de publicações, o 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil | Panoramas do Sulacontece no Sesc Pompeia e em outros espaços da cidade, de 6 de outubro a 6 de dezembro de 2015. Acompanhe as notícias do Festival, clicando aqui.

Angela Detanico e Rafael Lain são, respectivamente, linguista e tipógrafo de formação. Trabalhando em colaboração desde 1996, os dois começaram a desenvolver ideias de escrita, leitura e tradução, seja de um meio para outro, seja de um código para outro, interessados nos limites da representação do tempo e do espaço. A dupla desenvolve trabalhos que cruzam poesia, som e imagem, atuando tanto em design, quanto no cenário da arte contemporânea. Tipografia, design gráfico, vídeo, arquitetura, internet e CD-ROM são alguns dos formatos já contemplados pela dupla, que foi objeto do primeiro FF>>Dossier publicado pelo Videobrasil, com entrevistas e ensaios feitos pelos pesquisadores Giselle Beiguelman e Eduardo de Jesus.

Além de terem sido responsáveis pela identidade visual do Festival de 2001 a 2011, também foram membros do conselho de programação de duas edições (2001 e 2003).Eles ainda realizaram performances que hoje têm registros no Acervo Videobrasil (Entre, Dobra24.9.2003, Sound Waves for Selected Landscapes). Angela Detanico e Rafael Lain foram convidados especiais dos Programas Públicos do 18º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil (2013), que comemorou os 30 anos do Festival com uma série de encontros ao longo da programação. Ao lado de outros artistas e designers que contribuíram com a identidade do Festival, como Kiko Farkas, Bill Martinez, Daniel Trench e Celso Longo, a dupla abordou, no encontro “Design, Conceito e Espaço”, o perfil diferenciado do Festival em relação à criação de suas propostas gráficas, fruto da aproximação entre os designers e a curadoria – a identidade visual do Festival reflete e reforça as questões que surgem a cada edição (assista ao encontro no Canal VB).

A dupla vencedora do Nam June Paik Award de 2004 – uma das mais importantes premiações de arte eletrônica do mundo –já apresentou trabalhos na 52ª Bienal de Veneza (Itália, 2007), em três edições da Bienal de São Paulo (2004, 2006 e 2008) e na 10ª Bienal de Havana (Cuba, 2009).Detanico e Lain participaram da Media City Seoul(Coreia do Sul, 2004) e daTrienal de Echigo Tsumari(Japão, 2006). Exposições individuais recentes aconteceram na Fundação Iberê Camargo (Porto Alegre, Brasil, 2013), com curadoria de Solange Farkas, fundadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil,no Museu Coleção Berardo (Lisboa, Portugal, 2013) e no Kyoto Art Center (Quioto, Japão, 2013). Seus trabalhos foram apresentados recentemente no Musée d'Art Contemporain de Lyon (Lyon, França); no Wexner Center for the Arts (Columbus, EUA); no Astrup Fearnley Museet (Oslo, Noruega).

Posted by Patricia Canetti at 12:11 PM

19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil - Artistas Convidados

Conheça os artistas convidados para o 19º Festival: Abdoulaye Konaté (Mali), Gabriel Abrantes (Portugal), Kcho (Cuba), Rodrigo Matheus (Brasil), Sonia Gomes (Brasil) e Yto Barrada (Marrocos/França)

Ver também: Artistas Selecionados

ABDOULAYE KONATÉ
(Mali, 1953. Vive e trabalha em Bamako, Mali)

Abdoulaye Konaté estudou pintura em Bamako (Mali) e Havana (Cuba). É fundador e diretor geral do Conservatoire des Arts et Métiers Multimédia em Bamako, Mali. Em 2009, recebeu o prêmio Passeport – Créateurs sans Frontiéres –do governo francês. Em 2008, foi um dos nomeados ao Artes Mundi, prêmio europeu destinado a artistas envolvidos com a realidade social e a condição humana. Em 2015, teve grande mostra retrospectiva na Blain|Southern, em Berlim, sob curadoria de Koyo Kouoh, membro do Júri de Premiação do 18º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil (2013). Em 2002, foi condecorado Cavaleiro da Ordem Nacional do Mali e Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras da França. Participou de exposições como a Documenta 12 (2007) e a icônica Africa Remix: Contemporary Art of a Continent (Museum Kunstpalast, Dusseldorf, Alemanha, 2004; Hayward Gallery, Londres, Reino Unido, 2005; Centre Pompidou, Paris, França, 2005; Mori Art Museum, Tóquio, Japão, 2006; Moderna Museet, Estocolmo, Suécia, 2006; Johannesburg Art Gallery, Johanesburgo, África do Sul, 2007). No Brasil, participou da 24ª Bienal de São Paulo (1998) e da exposição Transit, que circulou pelo Museu de Arte Moderna da Bahia (2012), Caixa Cultural Brasília (2012), Oca São Paulo (2013).

GABRIEL ABRANTES
(EUA, 1984. Vive e trabalha em Lisboa, Portugal)

Gabriel Abrantes é cineasta, artista visual e professor, atuante entre o cinema, a instalação e a pintura. Estudou na Cooper Union (Nova York, EUA), no Le Fresnoy (Tourcoing, França) e na École Nationale des Beaux Arts (Paris, França). Seu trabalho foi exibido em exposições no MIT List Visual Arts Center (Cambridge, EUA), no Palais de Tokyo (Paris, França), no Astrup Fearnley Museet (Oslo, Noruega), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Brasil) e no Centre Pompidou (Paris, França), entre outros. Seus filmes competiram em festivais como o da Bienal de Veneza e a Berlinale. Atualmente, leciona na Haute École d'Art et Design em Genebra, Suíça. Gabriel Abrantes foi apontado, em 2009, como uma das jovens revelações da arte contemporânea portuguesa pelo respeitado prêmio da Fundação EDP, e foi premiado, em 2011, no tradicional Locarno Film Festival (Suíça).

KCHO
(Alexis Leiva Machado, Cuba, 1970. Vive e trabalha em Havana, Cuba)

Kcho estudou pintura e desenho na Escuela Nacional de Arte, em Cuba, e trabalha essencialmente em instalação, escultura, desenho e gravura. Recebeu o Prêmio UNESCO para Promoção das Artes em 1995. Participou da 54ª Bienal de Veneza (2011) e de diversas edições da Bienal de Havana. Teve exposições individuais no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Madri, 2000), no Museo de Arte Contemporáneo de Panamá (Cidade do Panamá, 2007) e no Museu Nacional (Brasília, 2012). O trabalho de Kcho encontra-se em coleções de instituições públicas como Museum of Modern Art (Nova York, EUA), Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía (Madri, Espanha), Walker Art Center (Minneapolis, EUA), Museum Ludwig (Colônia, Alemanha) e Museum of Contemporary Art (Los Angeles, EUA).

RODRIGO MATHEUS
(Brasil, 1974. Vive e trabalha em Paris, França)

Rodrigo Matheus é bacharel em artes, formado pela Universidade de São Paulo (São Paulo, Brasil), e mestre em escultura pela Royal College of Art (Londres, Reino Unido). Teve mostras individuais na Fundação Manuel António da Mota (Porto, Portugal, 2013), no Museu de Arte da Pampulha (Belo Horizonte, Brasil, 2004) e no Centro Cultural São Paulo (São Paulo, Brasil, 2004), entre outros. Participou da 3ª Bienal da Bahia (Salvador, Brasil, 2014) e da Vancouver Biennale (Vancouver, Canadá, 2014), e exibiu seu trabalho em mostras coletivas no Musée d’Art Contemporain de Lyon (Lyon, França, 2015), no Palais de Tokyo (Paris, França, 2013), no Astrup Fearnley Museet (na emblemática exposição itinerante Imagine Brazil, Oslo, Noruega, 2013), no Museu de Arte Moderna de São Paulo (São Paulo, Brasil, 2013 e 2011) e no New Museum (Nova York, EUA, 2010).

SONIA GOMES
(Brasil, 1948. Vive e trabalha em Belo Horizonte, Brasil)

Sonia Gomes é bacharel em Direito pela Universidade de Sete Lagoas, Minas Gerais, e estudou na Escola Guignard de 1995 a 1997. É artista convidada da mostra All the World’s Futures, na 56ª Bienal de Veneza, curada por Okwui Enwezor (2015). Teve exposições individuais em espaços institucionais no estado de Minas Gerais como a Galeria de Arte da CEMIG (2009) e o BDMG Cultural (2008). Sua obra foi exibida na Staatsgalerie Stuttgart (Stuttgart, Alemanha, 2014), no Museu Afro Brasil (São Paulo, 2013), no Kunsten-Museum of Modern Art Aalborg (Aalborg, Dinamarca, 2013) e no Kunstmuseum Wolfsburg (Wolfsburg, Alemanha, 2013). Em 2014, participou da mostra Made By... Feito por Brasileiros (Cidade Matarazzo, São Paulo, Brasil).

YTO BARRADA
(França, 1971. Vive e trabalha entre Tânger e Nova York)

Yto Barrada estudou história e ciências políticas na Sorbonne (Paris, França) e fotografia no International Center of Photography (Nova York, EUA). Foi contemplada com o The Abraaj Group Art Prize 2015, que comissionou a obra que a artista apresentou este ano na Art Dubai. Teve trabalhos exibidos na Tate Modern (Londres, Reino Unido), no Witte de With (Roterdã, Holanda), na Haus der Kunst (Munique, Alemanha), no Museum of Modern Art (Nova York, EUA), no Centre Pompidou (Paris, França), e em duas edições da Bienal de Veneza (2007 e 2011). Foi artista do ano pelo Deutsche Bank (2011) e recebeu a bolsa Robert Gardner (2013-2014, Peabody Museum, Harvard University).

Posted by Patricia Canetti at 12:07 PM