Página inicial

Salões & Prêmios

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
As últimas:
 

dezembro 18, 2008

Selecionados Temporada de Projetos 2009 Paço das Artes

Selecionados Temporada de Projetos 2009 Paço das Artes
Projetos Individuais
Claudio Matsuno - “Rakugaki”
Cristiano Lenhardt - “Diamante”
Grupo Hóspede - “Plano de Reconversão de Logradouros Culturais - Pineapple Luxury Complex”
Laerte Ramos - “re.van.che”
Luciana Ohira e Sergio Bonilha - “ Horizonte discreto”
Maurício Ianês - “Minha língua é a pena de um hábil”
Michel Groisman - “Vitrais de Coração”
PINO - Sem título
Regina Parra - “ Mise-em-scéne”

Curadoria:
Luiza Proença e Roberto Winter - “Temporada de Projetos na Temporada de Projetos”

Comissão de seleção: Daniela Bousso, Fernando Oliva, Marcio Harum, Paula Alzugaray, Paula Braga, Priscila Arantes, Tadeu Chiarelli

Paço das Artes
Av. da Universidade, nº 1. Cidade Universitária, São Paulo - SP
11-3814-4832
www.pacodasartes.org.br

Paço das Artes divulga selecionados da Temporada de Projetos 2009

Sexta edição do programa de incentivo à produção artística adquire caráter anual e passa a premiar em dinheiro os autores das propostas contempladas;

10 projetos foram selecionados entre mais de 300 inscritos

O Paço das Artes encerrou o processo de seleção dos trabalhos para a Temporada de Projetos 2009, programa pioneiro de incentivo e divulgação da produção atual de arte contemporânea. Do total de 323 inscritos de todo o país, foram selecionados nove projetos artísticos e um de curadoria, assinado em dupla.

Oito trabalhos são de São Paulo (Grupo Hóspede, Laerte Ramos, Luciana Ohira e Sérgio Bonilha, Regina Parra, Cláudio Matsuno, Maurício Ianês, PINO, além da curadoria de Luiza Proença e Walter Rogério Winter); um do Rio de Janeiro (Michel Groisman), e mais um de Recife (Cristiano Lenhardt). Todos serão expostos na instituição durante 2009. (veja a lista completa abaixo). Nesta sexta edição, o programa passa de bienal para anual e premia em dinheiro os autores das propostas contempladas.

Foram escolhidos projetos de pintura, desenho, escultura, instalação, fotografia, vídeoarte, vídeoinstalação, performance, multimídia e novas mídias (eletrônicas e digitais); além da proposta de curadoria.

O processo de seleção passou por um comissão composta de sete jurados: do Paço das Artes, a diretora executiva Daniela Bousso, a diretora técnica Priscila Arantes, e o gerente do núcleo de projetos Fernando Oliva. Além de Tadeu Chiarelli, curador e docente do departamento de artes plástica da ECA-USP; Paula Braga, pesquisadora e editora, Paula Alzugaray, curadora independente e crítica de arte, e Marcio Harum, curador independente.

Os artistas contemplados receberão o Prêmio de Participação para Exposição, no valor de R$ 1.300,00 (um mil e trezentos reais). Os autores do projeto de curadoria receberão o Prêmio de Participação para Curadoria, cujo valor é de R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais). Os selecionados que residem em outros Estados do país terão direito a um par de passagens aéreas para São Paulo (ida e volta), hospedagem, traslados e ajuda de custo.

Retrospectiva da Temporada

Criada há mais de 10 anos pela direção do Paço das Artes, a Temporada de Projetos se tornou um celeiro de artistas, críticos e curadores. Ao participarem dessa ação, os artistas têm a oportunidade de serem avaliados por crítica, público e classe artística. Desde seu surgimento, já recebeu cerca de 2.400 portfólios, lançou no mercado 90 artistas e 10 curadores, e contabilizou cinqüenta exposições. Os Estados com maior número de contribuições, nesses onze anos, foram São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais, Espírito Santo, Ceará e Rio Grande do Sul.

Entre os nomes de artistas que despontaram nesta trajetória estão Gisela Motta, Leandro Lima, Lia Chaia, Daniela Kutschat, Rejane Cantoni, Ricardo Carioba, Raquel Kogan, Cine Falcatrua, Ana Holck, Marcellvs L., Débora Bolsoni. No campo da curadoria, destacaram-se Christine Mello, Kiki Mazzucchelli e Érika Fraenkel. Sua realização também contribuiu para o fortalecimento da jovem critica, com contribuições de Fernando Oliva, Cauê Alves, Paula Alzugaray Van Steen, Juliana Monachesi, José Augusto Ribeiro, Daniela Maura, Guy Amado, Fernanda Albuquerque e Daniela Castro.

Paço das Artes

O Paço das Artes, órgão da Secretaria de Estado de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, foi criado em 1970 e atualmente é administrado pela Associação dos Amigos do Paço das Artes Francisco Matarazzo Sobrinho, Organização Social de Cultura. Centro cultural multidisciplinar, abrange todos os segmentos das artes visuais (pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia, vídeo, arte tecnológica, design e multimídia), num esforço de estimular a exibição e a reflexão sobre a arte contemporânea nacional e internacional.

Atualmente conta com a direção executiva da curadora e crítica de arte Daniela Bousso, direção técnica da pesquisadora Priscila Arantes e direção administrativa do engenheiro Selim Harari. A gerência do núcleo de projetos do Paço das Artes está a cargo do curador Fernando Oliva.

Selecionados
Projetos Individuais

Regina Parra – Artista plástica, nasceu em São Paulo. Participou das mostras “Grupo 2000E8”, no Museu Victor Meirelles, em Florianópolis, e “Do lado de lá”, no Museu de Arte Brasileira (MAB), em São Paulo, entre outras. Conquistou o prêmio de primeiro lugar na “38ª Anual de Artes da FAAP”.
Título do Projeto - “ Mise-em-scéne”
Pintura. Exposição individual, inédita e exclusiva, composta por duas séries de pinturas (cerca de 20 pinturas em óleo sobre papel), criadas a partir de imagens captadas por diversas câmeras de segurança.

Maurício Ianês – Artista plástico, nasceu em Santos, litoral paulista. Participou da 28ª Bienal de São Paulo (2008) com a performance "A Bondade de Estranhos", onde permaneceu, sem roupa e sem se alimentar durante os dias do evento. O artista também realizou exposições na Galeria Vermelho, em São Paulo, entre outras, e participou de diversas mostras internacionais.
Título do Projeto - “Minha língua é a pena de um hábil”
Instalação, objetos e vídeo -instalação. O trabalho resume os conceitos relacionados à linguagem e a ponte que ela faz entre o mundo e o indivíduo, mas também entre artista e público.

Claudio Matsuno – Arte educador e artista plástico, nasceu em São Paulo, capital. Entre individuais e coletivas, participou das exposições “Oriente/Ocidente -- Jovem Arte Contemporânea Brasil-Japão”, no Centro Cultural São Paulo; “ Dez a Mil – Criação Contemporânea, na Escola São Paulo”; “Instalação e Desenhos”, na Léo Bahia Arte Contemporânea, de Belo Horizonte, entre outras.
Título do Projeto -“Rakugaki”
Instalação. O desenho é a principal fonte de matéria para a execução do trabalho. Rakugaki tem como tradução em português “rasura”, “rascunho”, e tem o traço a linha e a forma livre da ação de um desenho. O projeto não tem a ambição de mudar o visual, mas de perceber que aquela linha, até então dita “errado”, torne-se algo digerível e mutável.

Cristiano Lenhardt – Artista plástico, é gaúcho residente em Recife. Estudou desenho e artes plásticas na Universidade Federal de Santa Maria. Foi um dos dez artistas selecionados na Bolsa Iberê Camargo 2007. Entre os trabalhos mais recentes estão a exposição individual na Galeria” Marcantonio Vilaça – Instituto Cultural Banco Real (Recife – 2008) e a participação na “III Mostra do Programa de exposições 2008”, no Centro Cultural São Paulo.
Título do Projeto - “Diamante”
Vídeo, vídeoinstalação e desenhos. Cristiano Lenhardt propõe uma antologia de trabalhos que discutem o lugar do fantástico, em suas diversas manifestações hoje, por meio da imagem. Ficção científica, romance histórico, aventura na selva, viagem ao fundo do mar são lugares explorados por ele em sua produção, que habita cada um destes lugares narrativos como se desconfiasse de sua capacidade de convencimento, propondo uma alternativa pela via da imagem, seu reposicionamento e ressignificação. No limite, uma incisiva ruptura em direção ao império da artificialidade.

Laerte Ramos – Gravador, pintor, vídeo-artista e ceramista, vive e trabalha em São Paulo. Estudou artes plásticas e fez licenciatura na Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP. Conquistou o prêmio de aquisição em diversas instituições latino-americanas; fez residência na Cité Internationale des Arts, Paris; e participou da coletiva no Museé des Beaux-Arts du Le Locle, Suíça, entre outras atividades. Em 2008, participou da XXXX Anual de Artes/10 anos de Cité des Arts/FAAP; e foi selecionado para o 1º Prêmio Projéteis de Arte Contemporânea – Funarte, entre outros.

Título do Projeto - “re.van.che”
Performance e instalação. Propõe uma exposição de esculturas em cerâmica. Trata-se da continuação da pesquisa em cerâmica da série “Acesso negado”, “Acesso negrado” e “Territorioland”, que apresenta a discussão da cerâmica como material, sua fragilidade, versus o desenho das esculturas, que é de combate. Em “re.van.che” o artista apresentará peças; equipamentos usados para a prática do boxe, elaboradas a fim de “enganar” o espectador com características próximas as das peças originais dos moldes.


Luciana Ohira e Sergio Bonilha – Graduados em Artes Visuais pela USP, nasceram e vivem em São Paulo. Juntos, apresentaram os seus trabalhos em exposições individuais e coletivas, como a “II Mostra do Programa Anual de Exposições do Centro Cultural São Paulo”; e o “Artist Book Internacional”, Lendroit Gallery (França), entre outras exposições.

Título do Projeto - “ Horizonte discreto”
Instalação. Formalmente, ‘Horizonte Discreto” configura-se como uma instalação que, sensível a temperatura e à umidade desenha, lentamente, a partir da variação desses dois elementos.


Grupo Hóspede – Constituído por cinco artistas formados em artes plásticas pela Universidade de São Paulo, está em atividade desde 2005. Seus integrantes participaram do “Cine Falcatrua”, no Paço das Artes; do “Salão Nacional de Artes de Goiás”, e do “PAC n 13”, Concurso de Apoio a Produção nas Áreas de Artes Visuais, Fotografia e Novas Mídias da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, entre outros.

Título do Projeto – “Plano de Reconversão de Logradouros Culturais – Pineapple Luxury Complex”
Instalação. Trazer questões, como a expansão das cidades, para a discussão pública mais ampla; gerar a reflexão. É um alerta da situação da “cultura” na qual vivemos. Os artistas propõem, a partir da experiência em São Paulo, um estudo de caso para outras cidades também.


Michel Groisman – Artista plástico, nasceu no Rio de Janeiro. Foi selecionado para o 15º Salão da Bahia, participou de mostras individuais no Museu de Arte Contemporânea de Niterói e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e das coletivas “Alegoria Barroca na Arte Contemporânea”, no Museu de Arte Contemporânea de Santiago, Chile, entre outras.

Título do Projeto – “Vitrais de Coração”
Performance.”Vitrais do Coração” deriva da pesquisa iniciada com “Porta das Mãos”, de 2004. Artista e visitantes experimentam a qualidade lúdica do trabalho, um brincar de construir e desconstruir com as próprias mãos, com a luz e as sombras.


PINO – Artista plástico, nasceu em Franca, São Paulo. Participou, entre outros, do Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo; do X Salão Victor Meirelles, no Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), em Florianópolis, e do 14º Salão da Bahia, no Museu de Arte Moderna (MAM) de Salvador.

Título do Projeto – Sem título
Instalação. O projeto consiste na apresentação de três objetos e dois pôsteres. As imagens contidas na superfície dos pôsteres são obtidas através de impressão em papel fotográfico, e são compostas por desenhos e informações técnicas referentes a trabalhos que integram um projeto maior, denominado PINO. Seus produtos mimetizam objetos e práticas cotidianas.


Curadoria:

Roberto Winter – Nasceu em São Paulo e estudou artes plásticas, com interesse geral em arte contemporânea. É um dos fundadores do Suwud.. Em 2008, iniciou o projeto de entrevistas com artistas, críticos e curadores brasileiros, com Luiza Proença.
Luiza Proença – Nasceu em São Paulo. Fez bacharelado e licenciatura em Artes Visuais pela Universidade de São Paulo (Unesp). Como artista, critica e educadora, desenvolve projetos nas áreas de artes. Em 2008, iniciou o projeto de entrevistas com artistas, críticos e curadores brasileiros, com Roberto Winter.

Título do Projeto – “Temporada de Projetos na Temporada de Projetos”
Curadoria. A proposta estabelece uma rede de reflexos sobre processos artísticos e curatoriais e oferece um espaço de debate por meio de plataformas de apoio formadas por worshops e palestras. A proposta se origina em uma prática artística dos autores que detectou profunda ressonância na afirmação de Groys*, isto é, uma prática que funciona e se origina na criação de projetos e que exemplifica o cenário atual da produção artística no Brasil.
* GROYS,Boris “The Mimesis of Thinking” in DE SALVO, Donna (Ed.) “Open Systems”, Tate, 2005.

Coração”

São Paulo (SP)
Grupo Hóspede (São Paulo)
Laerte Ramos
Luciana Ohira e Sérgio Bonilha
Regina Parra
Cláudio Matsuno
Maurício Ianês
PINO

SERVIÇO
Temporada de Projetos – Paço das Artes 2009
2 a 29 de março:
Individuais - Regina Parra / Cláudio Matsuno / Luciana Ohira e Sergio Bonilha

13/04 a 22/06:
Individuais: Laerte Ramos / Cristiano Lenhardt

13/07 a 13/09:
Individuais: Mauricio Ianês / Michel Groisman

5/10 a 6/12:
Individuais: Grupo Hóspede / Pino

5/10 a 6/12:
Curadoria “Temporada na Temporada” sob curadoria de Luiza Proença e Roberto Winter

Posted by João Domingues at 10:32 AM | Comentários(3)

dezembro 17, 2008

Inscrições e informações para o artista: Exposições Temporárias - Museu Victor Meirelles, Florianópolis

Exposições Temporárias - Museu Victor Meirelles

Inscrições até 15 de janeiro de 2009

Comissão de seleção: Fernando Lindote, Charles Narloch e Raquel Stolf

Museu Victor Meirelles
Edital de Exposições Temporárias - Rua Victor Meirelles, 59 Centro,88010- 440
Florianópolis/ SC
48-3222-0692
museu.victor.meirelles@iphan.gov.br
www.museuvictormeirelles.org.br

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

PRÊMIOS: nenhum

GANHO PARA SELECIONADOS: a exposição, sem pró-labore

CONTRAPARTIDA PARA SELECIONADOS: nenhuma

GANHO PARA INSCRITOS: nenhum

CUSTOS OPERACIONAIS:
INSCRIÇÃO:
Produção e envio de dossiê, no formato A4, contendo: projeto da exposição (concepção, descrição, características específicas), portfólio com documentação fotográfica ou fotocópia colorida dos trabalhos que serão expostos e identificação completa das obras (título, data, técnica, dimensões)

DEVOLUÇÃO DOS DOSSIÊS:
Os projetos não selecionados pela Comissão deverão ser retirados no Museu Victor Meirelles até 15 de março do próximo ano. Para que os projetos não selecionados sejam devolvidos pelo correio, deverá ser encaminhado um envelope subscrito e selado, no valor correspondente ao envio da inscrição. Os projetos selecionados serão incorporados ao acervo documental do MVM.

TRANSPORTE, SEGURO DAS OBRAS, EQUIPAMENTOS ESPECIAIS:
O artista deve providenciar e arcar com os custos de embalagem, seguro e transporte de envio e regresso das obras. O Museu não se responsabilizará por eventuais danos causados às obras, devido à embalagem incorreta e transporte até o MVM. Providenciar também os materiais e equipamentos específicos para montagem não disponíveis no Museu Victor Meirelles.

Prorrogadas as inscrições para as exposições temporárias até o dia 15 de janeiro de 2009

Edital Exposições Temporárias

O Museu Victor Meirelles, vinculado ao DEMU/IPHAN, lança anualmente o Edital Exposições Temporárias, com o intuito de promover a reflexão e a difusão da produção contemporânea de artes visuais.

O Museu Victor Meirelles possui um espaço dedicado à exposição de obras da sua coleção e uma sala para realização de exposições temporárias, que visa contribuir para a dinamização do Museu, consolidando seu papel como centro de debate, formação e referência sobre arte para a comunidade.

No cronograma anual de exposições temporárias, o Museu Victor Meirelles promove quatro exposições, selecionadas através deste Edital, e duas exposições contextualizadas com artistas convidados, tendo como objetivo refletir sobre momentos representativos da produção artística. Nestas exposições são desenvolvidas atividades educativas culturais, visando uma aproximação mais enriquecedora do público com a obra de arte.

Regulamento

1. Inscrições

As inscrições são abertas a todos os artistas e grupos de artistas brasileiros ou estrangeiros. Os interessados deverão enviar suas propostas para serem avaliadas por uma Comissão Consultiva, de reconhecida competência, obedecendo às seguintes exigências:

1.1 Apresentar dossiê, no formato A4, contendo: projeto da exposição (concepção, descrição, características específicas), portfólio com documentação fotográfica ou fotocópia colorida dos trabalhos que serão expostos e identificação completa das obras (título, data, técnica, dimensões). Não serão aceitos trabalhos originais para avaliação;

1.2 Incluir currículo e dados pessoais (endereço completo, telefone e e-mail para contato), além da documentação sobre sua trajetória artística (catálogos, convites, textos críticos ou impressos em geral);

1.3 Definir no projeto, plano e instruções de montagem da exposição, bem como os materiais e equipamentos necessários para a montagem, respeitando as normas museológicas e de conservação de obras de arte (exemplo: não utilização de fita adesiva para fixação das obras nos painéis). Não serão aceitos projetos que utilizem materiais que comprometam e/ou prejudiquem as instalações físicas dos espaços expositivos;

1.4 Encaminhar as inscrições, pessoalmente ou por correio, para o Museu Victor Meirelles, até o dia 15 de dezembro do ano corrente ou com data de postagem até esta data. O projeto deve estar contido em envelope ou embalagem apropriada, com o nome e endereço do artista, sendo dirigido a: Museu Victor Meirelles - Edital de Exposições Temporárias - Rua Victor Meirelles, 59 Centro, CEP 88010- 440 - Florianópolis/ SC;

1.5 Os projetos não selecionados pela Comissão deverão ser retirados no Museu Victor Meirelles até 15 de março do próximo ano. Para que os projetos não selecionados sejam devolvidos pelo correio, deverá ser encaminhado um envelope subscrito e selado, no valor correspondente ao envio da inscrição. Os projetos selecionados serão incorporados ao acervo documental do MVM.

2. Responsabilidades

2.1. Do Museu Victor Meirelles

2.1.1 Informar o resultado da seleção e do calendário de exposições através de comunicado individual via correio e publicação no site do MVM;

2.1.2 Coordenar as exposições, planejar o cronograma e definir o período da exposição, sendo que o artista poderá indicar o período de sua preferência;

2.1.3 Executar a montagem e desmontagem da exposição;

2.1.4 Conservar/preservar as obras durante o período da exposição;

2.1.5 Imprimir e postar convites, de acordo com as condições técnicas e orçamentárias do Museu;

2.1.6 Divulgar a exposição na imprensa e no site do Museu, mediante release e material fotográfico;

2.1.7 Disponibilizar o espaço físico, no mínimo cinco dias antes da abertura, para a realização da montagem.

2.1.8 Realizar Vernissage;

2.2. Do Artista

2.2.1 Assinar o Termo de Responsabilidade com o Museu Victor Meirelles para oficializar a exposição;

2.2.2 Entregar material fotográfico, currículo e texto de apresentação da exposição em meio digital (cd-rom ou e-mail) no prazo estipulado de quarenta e cinco dias antes da abertura da exposição. As imagens devem ser enviadas em arquivos de alta resolução e incluir os créditos devidos;

2.2.3 Providenciar e arcar com os custos de embalagem, seguro e transporte de envio e regresso das obras. O Museu não se responsabilizará por eventuais danos causados às obras, devido à embalagem incorreta e transporte até o MVM;

2.2.4 Encaminhar as obras acondicionadas em embalagens resistentes, que possibilitem sua reutilização e garantam sua devolução nas mesmas condições de recebimento;

2.2.5 Providenciar os materiais e equipamentos específicos para montagem não disponíveis no Museu Victor Meirelles;

2.2.6 Entregar o material a ser exposto no prazo de dez dias úteis antes da abertura da mostra com identificação completa das obras;

2.2.7 Conceder ao Museu o direito de uso de imagem das obras para fins de divulgação;

2.2.8 Participar do “Encontro com o Artista”, bate-papo informal com a comunidade, dentro das atividades de Ação Educativa Cultural do Museu;

2.2.9 Retirar o material exposto no prazo de cinco dias úteis após o término da mostra;

3. Disposições Gerais

3.1 A inscrição implica na aceitação deste Regulamento;

3.2 Casos omissos serão resolvidos pela diretoria desta instituição.

Ficha Técnica da Sala de Exposições Temporárias
Espaço físico com 46 m², pé direito com altura de 3,5 m.
Paredes e painéis pintados na cor branca, piso de madeira com três níveis.
7 (sete) painéis de mdf (fixos na parede) - total de 18,6 m lineares x 2,75 m de altura.
Molduras disponíveis: - alumínio + vidro + vidro: 22 (vinte e duas) de 50 x 70 cm; 11 (onze) de 70 x 100 cm; 01 (uma) de 100 x 100 cm; 02 (duas) de 110 x 80 cm; 01 (uma) de 80 x 60 cm. - madeira + vidro: 23 (vinte e três) de 45 x 60 cm. - madeira (baguete branca) + foan board + vidro: 26 (vinte e seis) de 35 x 25 cm; 07 (sete) de 30 x 40 cm; 01 (uma) 91 x 71.

Sistema de iluminação halógena por spots: dicróica e palito.

Sistema de segurança e central de alarme.

Posted by Gabriela Miranda at 1:52 PM | Comentários(1)