Página inicial

Salões & Prêmios

 


agosto 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

janeiro 27, 2005

Projeto Artista sem Idéia, por Cezar Migliorin

CMigliorin.jpg

Migliorin / Meu nome é Paulo Leminski

Projeto Artista sem Idéia

Envio de material até 20 de março de 2005

Rua Nascimento Silva 137/302
Ipanema Rio de Janeiro
22421-020
Prêmio: US$ 1 mil

Maiores informações e ficha de inscrição: www.migliorin.org
cezarmig@visualnet.com.br


Projeto Artista sem idéia, por Cezar Migliorin

Oferece-se US$ 1 mil por filme/vídeo de qualquer duração, captado em qualquer formato. O projeto tem apenas três regras invioláveis: 1. a obra deve estar pronta e ser inédita; 2. uma vez vendida, os direitos sobre a obra serão integralmente cedidos ao idealizador do projeto, Cezar Migliorin; 3. a obra não será alterada, com exceção dos créditos, onde passará a constar: um filme/vídeo de Cezar Migliorin. Apenas um trabalho será escolhido.

Em novembro de 2004 recebi um prêmio de US$ 4 mil em um festival na Suíça (Viper Basel). Durante a premiação, a diretora do festival me dizia: "espero vê-lo aqui o ano que vem com novas idéias e projetos". Em duas entrevistas que se seguiram após a premiação, a mesma demanda clichê: "qual seu próximo projeto?".

Sem projetos, sem idéias e com US$ 4 mil, decido comprar um filme. Dois mil dólares para mim, pelo filme antigo (Ação e Dispersão) e dois mil para o filme novo (Um artista sem idéia). Mil para comprar o filme e mil para divulgação, produção de site, cópias, inscrição em festivais, etc.

O titulo é provisório, mais tarde dará lugar ao título do filme comprado; "Uma lágrima e uma flor", por exemplo.

Os textos abaixo surgiram em resposta aos quase 100 e-mails recebidos depois da divulgação do projeto e de uma conversa com Claudia Tavares e Dani Soter sobre o projeto Artista sem Idéia

A origem do projeto

Esse projeto só existe porque ganhei um prêmio com um outro trabalho - Ação e Dispersão - e é com o dinheiro do prêmio que eu estou realizando o Artista sem Idéia.
Na noite da premiação, em Basel, na Suíça, várias pessoas me perguntavam qual era o próximo projeto, eu mal conseguia digerir o prêmio e já me perguntavam pelo próximo. Não tinha idéia, mas tinha dinheiro.

O lugar do artista e os editais

É uma humilhação para o artista participar de tantos editais, com freqüência inevitáveis. Há um efeito estético que tendemos a desprezar nesta estratégia de poder. Neste projeto, eu deixo de ser um artista para ser uma empresa, uma organização. Sempre me interessou, nesse projeto, criar uma máquina que funcionasse de modo autônomo e imprevisível, que regula mas que não domina seus efeitos, nem social nem esteticamente.

Eu respondi a todos os mails que recebi, o que era muito interessante. Estou descobrindo que esse é o filme mais trabalhoso que eu já fiz. Algumas pessoas diziam assim: obrigado por ter respondido, como se eu fosse uma grande empresa, uma instituição e não um cara que faz vídeo.

O novo trabalho

Podes imaginar a excitação de saber que daqui há dois meses eu terei um filme novo e até agora não tenho a menor idéia do que ele será e, até o último momento eu posso oscilar entre coisas muito diferentes? Até o último momento o meu ato muda tudo. Posso escolher quem eu quero ser na hora da escolha. Nada mais terá valor em si, tudo será contaminado por essa escolha que não tem como ser medida e que pode ser adiada até o último momento.
Essa presença humana; minha, das pessoas que mandam filmes, dos 100 e-mails que recebi nos dois primeiros dias, etc, associada a esse radical descontrole, essa abertura em que a obra ainda se apresenta é um dos aspectos que mais me interessam nesse projeto.

Descontrole

O mais complicado hoje é criar uma situação no audiovisual onde apareça um imprevisto, onde o acaso assuma um papel relevante. Onde as pessoas precisem inventar algo na hora, criar fora do roteiro - dos vários roteiros - que já temos disponíveis para nós mesmos. O desafio é criar estratégias para esse descontrole. A maioria das imagens que interessam hoje estão contaminadas pela ação que as produz, seja esta ação um artifício, um dispositivo de aparecimento de imagens seja uma ação produtora de intervenção no real.

O filme

Queria fazer um filme onde você tivesse mesmo dúvidas se se trata de um filme, tal a força com que ele aponta para fora, a força com que ele aponta para um estado de coisas que o ultrapassam, queria que cada imagem remetesse o tempo todo para um fora radical, para algo que não está ali.

Acho que este projeto tem esse micro-efeito; o filme escolhido, normalmente fadado ao desaparecimento encontrou uma mídia que o reinventa. O filme comprado, ou, os potenciais filmes comprados já estão fazendo seu papel, já estão sendo esvaziados da sua corrente inutilidade.

As imagens são a nossa natureza, são o nosso mundo, habitam o mundo como naturais, como não mais criadas pelos homens. Tenham elas uma assinatura ou não. Esse projeto de alguma forma devolve a autoria para quem as fez, só que para que isso aconteça ele deve desaparecer. É tão absurdo que eu acho bonito.

Mau gosto

Algumas pessoas me escreveram dizendo que era um projeto de mau gosto, talvez elas tenham razão, o filme, que pode ser sublime, terá que carregar esta carga de ter sido comprado, uma carga que está no mundo. Não consigo me imaginar como artista sem ser forçando o limite do que acontece. Talvez a única forma de pensar um determinado estado de coisas seja explicitando a sua lógica, ai o mau gosto aparece. Mas, quanto tempo dura o mau gosto? Uma década, um dia? As questões de gosto na arte são tão desprovidas de robustez que eu tenderia a desprezá-las.

Indignação

Retirar o fetiche dos créditos. Fazer filmes, botar meu nome nos créditos é uma forma de aparecer. A obra não interessa. A obra é mero meio para tentar achar o valor absoluto/fetiche. - Um êxtase do valor. (Baudrillard).

Entenda, só me incluindo nessa lógica posso explicitar a perversão. Dou um valor ao fetiche e o rei aparece nu. Não estar nos créditos é um insulto porque o efeito Caras invadiu tudo; como ficar fora do único lugar que eu tenho para botar meu nome?

Para alguns artistas é mais gostoso viver nesse lugar separado do mundo, como se fossem enviados, possuidores de um olhar de originalidade absoluta sobre as coisas e que seus trabalhos não tem como ser trocados em valor - o que é feito o tempo todo. Eles ficam lá nas alturas, olhando para essa merdinha de dia-a-dia sem se sujar. Artistas platônicos; uma piada.

Cinema e artes plásticas

É lamentável que essa separação tenha se estabelecido de forma tão rígida, mas, no vídeo nós temos vários exemplos que rompem essa lógica; é o caso dos mineiros Éder Santos, Cao Guimarães, Lucas Bambozzi, Marcellvs L., Carlos Magno e do Arthur Omar. No maioria do cinema, infelizmente, cada filme parece feito para que o cara tenha a possibilidade de fazer outro. O filme só interessa como afirmação do sistema, como marca da possibilidade de estar inserido, curta-cartão de visita, como se dizia.

Colocar um logo da Petrobras antes do filme tudo bem, colocar 20 logos de padarias a bancos antes do filme, tudo bem, mas tirar o seu nome vira um insulto. A diferença aqui não é de natureza, mas de grau; é isso que o Artista sem Idéia explicita. O filme com os logos é importante, o cara prova que tem boas conexões, que ganhou dinheiro, que está inserido, que tem uma carreira pela frente etc. É sempre mais fácil ser um medíocre e pensar na carreira do que pensar a lógica dessas carreiras e das instituições.

Posted by João Domingues at 3:42 PM | Comentários(6)

janeiro 25, 2005

15º Videobrasil - Festival Internacional de Arte Eletrônica - Inscrições

Inscrições
15º Videobrasil - Festival Internacional de Arte Eletrônica

Comissão de seleção: André Brasil, Eduardo de Jesus, Christine Mello e Solange Farkas

Envio de material prorrogado até 29 de abril de 2004

Associação Cultural Videobrasil
Av. Imperatriz Leopoldina 1150
São Paulo
05305-002
Promoção: SESC-SP
Apoio: Prince Claus Fund

Inscrições on-line: www.videobrasil.org.br/15/inscricoes
Maiores Informações: 11-3645-0516

Serão bem-vindas obras de arte eletrônica produzidas a partir de junho de 2003 por artistas de língua portuguesa e todos aqueles oriundos dos países do chamado "circuito sul": América Latina, Caribe, África, Sudeste Asiático, Europa do Leste, Oriente Médio e Oceania. Cada participante poderá submeter somente 1 (uma) obra à seleção. Para efeito de inscrição, as obras em vídeo devem ser submetidas somente em fitas VHS ou DV (NTSC e/ou PAL), que não serão devolvidas. Se selecionadas, serão solicitadas para exibição nos seguintes formatos: vídeo (Beta SP, Mini-DV; PAL/ NTSC) e DVD. No caso de obras multimídia, o participante deverá especificar a plataforma e a configuração necessária. No caso de projetos de internet é imprescindível uma especificação técnica detalhada.


REGULAMENTO:

INSCRIÇÕES
Serão bem-vindas obras de arte eletrônica produzidas a partir de junho de 2003 por artistas de língua portuguesa e todos aqueles oriundos dos países do chamado "circuito sul": América Latina, Caribe, África, Sudeste Asiático, Europa do Leste, Oriente Médio e Oceania.

Cada participante poderá submeter somente 1 (uma) obra à seleção. As obras em vídeo não poderão ter duração superior a 30 (trinta) minutos. Conteúdos institucional, promocional e publicitário não serão aceitos. A inscrição é gratuita.

Para efeito de inscrição, as obras em vídeo devem ser submetidas somente em fitas VHS ou DV (NTSC e/ou PAL), que não serão devolvidas. Se selecionadas, serão solicitadas para exibição nos seguintes formatos: vídeo (Beta SP, Mini-DV; PAL / NTSC) e DVD. No caso de obras multimídia, o participante deverá especificar a plataforma e a configuração necessária. No caso de projetos de internet é imprescindível uma especificação técnica detalhada.

DATA-LIMITE
A data-limite para inscrições é 15 de abril de 2005. Somente serão aceitos os trabalhos cuja data de postagem não ultrapasse a data-limite. A organização do Festival não se responsabiliza por eventuais danos no transporte.

SELEÇÃO
As obras inscritas serão selecionadas para as seguintes mostras:
• Investigações contemporâneas: obras que se destacam pela inventividade e pela inovação do processo de pesquisa que desenvolvem (linguagem, temática e abordagem).
• Novos vetores: obras de realizadores ou coletivos artísticos emergentes das mais variadas regiões do circuito sul.
• Panoramas do sul: obras que ampliam o estado da arte da produção do sul.

PREMIAÇÃO
Um júri especializado premiará 1 (uma) obra de cada uma das mostras. Fica a critério do júri oferecer ainda menções especiais. O júri é soberano e sua decisão, final e irrevogável.

TRANSMISSÃO DE DIREITOS
A todos os selecionados será pedido que transfiram à Associação Cultural Videobrasil os direitos de transmissão, difusão, direitos de arquivo, direito de uso de trechos pela imprensa, para fins promocionais, e em serviços de mídia digital (como internet, CD-ROM, DVD etc.) incidentes sobre seus trabalhos.

As obras poderão ser exibidas em televisão somente em conexão com a competição, e todo uso adicional será feito mediante acordo. As cópias das obras selecionadas ficarão em propriedade da Associação Cultural Videobrasil, como parte do acervo histórico do Festival. Poderão ser acessadas gratuitamente pelo público na Videoteca da Associação, apresentadas em outros festivais, mostras e atividades culturais, sempre sendo feita menção à sua participação no Festival. No caso das obras premiadas, os organizadores terão o direito de exibi-las e reprisá-las em televisão pública e privada, sempre mencionando os prêmios a elas atribuídos.

DOCUMENTOS
Somente serão considerados inscritos no Festival trabalhos acompanhados do seguinte material:
• Protocolo de inscrição inteiramente preenchido e devidamente assinado.
• 3 (três) a 5 (cinco) fotos cor ou p&b da obra em formato 35 mm ou digital em CD.
• 1 (uma) foto cor ou p&b do(s) autor(es) em formato 35 mm ou digital em CD.
• CV do(s) autor(es) contendo endereço, telefone e/ou e-mail atualizado.

Caso as fotos enviadas estejam em formato digital, estas devem respeitar as seguintes especificações:
• Imagens em jpeg
• Formato 640x480 pixels
• Resolução 300 dpi

Para obras enviadas de fora do Brasil, deverá constar na embalagem, de forma visível, a seguinte informação: FITA DE VÍDEO PARA FESTIVAL DE CARÁTER CULTURAL, SEM FINS LUCRATIVOS. Para evitar problemas na alfândega, por favor não declare um valor maior do que 5 (cinco) dólares.


INSCRIÇÕES OFF-LINE

• A inscrição off-line somente terá validade se a obra estiver acompanhada do formulário de inscrição (impresso da internet ou fotocópia), inteiramente preenchido e devidamente assinado, enviado por correio.

• Caso queira receber o formulário de inscrição por correio, encaminhe o pedido para o e-mail 15festival@videobrasil.org.br, ou entre em contato conosco pelo telefone 11-3645-0516.

Posted by João Domingues at 1:16 PM | Comentários(1)

VII Salão e Colóquio Internacional de Arte Digital - Inscrições

Inscrições
VII Salão Internacional de Arte Digital

Envio de material até 15 de abril de 2005

Centro Cultural Pablo de la Torriente Brau
Calle de la Muralla 63
La Habana Vieja
Ciudad de Habana Cuba
537-866-6585 / 861-6251

Maiores informações: www.centropablo.cult.cu/form/formularioviisalon.htm
centropablo@centropablo.co.cu

Posted by João Domingues at 12:29 PM | Comentários(1)

janeiro 10, 2005

Seleção pública para diretor do Museu de Arte Contemporânea do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Seleção de Diretor-Gerente Museu de Arte Contemporânea

Inscrições até 31 de janeiro de 2005

Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Rua Dragão do Mar 81
Praia de Iracema Fortaleza CE
CEP: 60060-390
85-488-8600
dragao@dragaodomar.org.br


O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura - CDMAC, através do Instituto de Arte e Cultura do Ceará, organização social ligada à Secretaria de Cultura do Estado, inaugurada em abril de 1999, está selecionando profissional para o cargo de Diretor-Gerente do Museu de Arte Contemporânea - MAC.

O CDMAC tem como missão definida no Plano Estadual de Cultura 2003 - 2006 a "democratização do acesso a bens artísticos e culturais, capacitando pessoas e produzindo bens simbólicos, lugares de criação, memória e reflexão".

O MAC integra-se neste complexo como responsável por fortalecer a arte contemporânea e como espaço privilegiado de formação e informação para artistas e a população em geral, contribuindo para a afirmação das culturas cearense e brasileira dentro do nosso Estado e ainda nos planos nacional e internacional.

O museu possui uma área total de 700 m2, distribuídos em dois pisos onde funcionam 14 galerias, e conta com equipamentos que atendem às normas internacionais de museologia. Seu diretor-gerente trabalhará em consonância com um Conselho Curador e estará subordinado à Diretoria de Ação Cultural do CDMAC.

Os candidatos devem ter formação em curadoria além de experiência de três anos (não necessariamente em cargos de direção/gerência); e ainda experiência na gestão de pessoas e conhecimento das rotinas administrativas de um museu.

A seleção dar-se-á em duas etapas:

1. Análise de Curriculum Vitae.
2. Entrevista para os possíveis pré-selecionados.

Essas etapas estarão a cargo de uma comissão composta por 3 curadores de referência nacional e 2 membros da diretoria do Dragão do Mar. Os currículos devem ser enviados, com os comprovantes devidos, em envelope lacrado, com as seguintes indicações:

SELEÇÃO MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA
Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Rua Dragão do Mar, 81 - Praia de Iracema
Fortaleza - Ceará CEP 60060-390

Receberemos envelopes com o carimbo dos Correios até 31/01/2005

Posted by João Domingues at 2:51 PM