Página inicial

Salões & Prêmios

 


agosto 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

novembro 18, 2008

47º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco - Resultado

47º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco - Resultado

O Salão, que este ano homenageia o pintor Jairo Arcoverde, concede um total de 21 bolsas, entre propostas para pesquisa e produção e 24 prêmios para diversas áreas de artes visuais, como projeto de Pesquisa em Artes Plásticas, projeto de Pesquisa e Produção em Fotografia, Pesquisa sobre Artes Visuais em Pernambuco e projeto para Vídeo-documentário em Artes Visuais. O 47º Salão também chega acrescido de uma novidade: novas bolsas de residência artística e prêmios direcionados para as áreas de intercâmbio em arte/educação, ensaios teóricos e em grafitagem.

Comissão julgadora: Breno Laprovítera, Lúcia Cardoso, Luciana Padilha, Luisa Duarte, Marco Polo Guimarães, Maria do Carmo Nino, Paulo Marcondes, Rejane Coutinho, Ricardo Basbaum e Rodrigo Braga

Total de projetos por estado: AL - 03, BA - 08, CE - 06, DF - 08, MA - 01, MG - 21, PA - 03, PB - 01, PE - 94, PI - 01, PR - 02, RJ - 37, RS - 14, SC - 05, SE - 01, SP - 53.

Total de projetos por categoria: documentário (04), fotografia (60), grafitagem (07), pesquisa e produção em artes plásticas (144), residência (28), ensaio teórico (02), projeto de pesquisa sobre artes visuais em pernambuco (09), arte educação (06).


SELECIONADOS

Pesquisa e Produção em Artes Plásticas (10 bolsas no valor de R$ 15 mil cada)

Amanda Melo: Sal é Mar (MG)
O projeto é o resultado do interesse da artista em ações performáticas e suas relações com outras linguagens das artes visuais. A pesquisa culmina na realização de uma viagem de doze semanas a nove praias da costa brasileira. Durante a viagem serão produzidos três vídeos e os nove livros de aquarelas mediante a ação performática de desenhar com lápis aquarelável dentro da água do mar, permitindo assim a colaboração do meio agitado das ondas no corpo do desenho de observação.

Deyson Gilbert Silva e Souza: dos conceitos e objetos (SP)
Este projeto tem por intento analisar e esmiuçar as relações entre conceito e objeto no interior de contextos sociais determinados, atentando para o modo como a cultura e linguagem operam nos processos de inter-definição destes dois termos. O artista procurará criar situações de tensão nas quais conceitos cuja separação nos aparece como natural e óbvia confundem-se e redefinem-se continuamente a ponto da fronteira entre eles tornar-se problemática e incerta. Desse modo pensa explicitar os processos de naturalização operados tanto pela cultura e quanto pela linguagem no encontro entre subjetividade e realidade.

Elisa Pessoa e Celina Portella: 6X (RJ)
O projeto de pesquisa consiste em investigar as interfaces possíveis entre corpo, espaço e luz e produzir múltiplas projeções registradas em vídeo resultando finalmente em um vídeo com seis camadas. Ou seja, Elisa e Celina filmarão um corpo diante de uma fachada. Esse primeiro registro é o que chamarão de 1a camada. Sua projeção no mesmo lugar criará uma 2a camada, onde o intérprete entra novamente interagindo com sua própria imagem projetada. O que veremos aí são dois corpos (um real e um virtual). Essa imagem é filmada novamente e projetada criando a 3a camada e projetando-a em seguida obteremos a 4a camada. O trabalho segue assim até a 6a camada, onde veremos finalmente um corpo e fundo real e 5 corpos e fundos virtuais se sobrepondo com texturas e luminosidade diferentes. A idéia é fazer o vídeo intervenção 1 vez por mês numa fachada a ser escolhida no centro da cidade do Rio de Janeiro. Essa intervenção/performance será aberta ao público. Ao final o vídeo será exposto em Recife.

Fabiano Gonper: Desenhos em Projeção / Reconfiguração do Sujeito (SP)
O projeto visa o desenvolvimento de uma série de desenhos para exibição em mídias de projeção (como projetor de vídeo, slides, retroprojetor, luz e tv), no intuito de explorar novas visualizações do desenho e investigar a idéia de reconfiguração do sujeito contemporâneo dentro da nossa sociedade. O campo de conhecimento dessa pesquisa refere-se à arte, filosofia e antropologia; no que se refere às relações estabelecidas entre linguagem e pensamento, a partir de experiências humanas na atualidade, como: as mutações, padronizações e sistematizações das relações sociais.

Graziela Kunsch: Revista Urbânia 4 (SP)
Desenvolvimento e impressão do quarto número da revista Urbania, editada por Graziela Kunsch. O ponto de partida do projeto editorial da revista Urbânia 4 será investigar projetos de construção de cidades (realizados ou que tenham existido apenas como projeto), que Graziela fez com o arquiteto Pedro Arantes. Entre os projetos da revista ela gostaria de apresentar, por exemplo, a pesquisa do Berlage Institute Brasilia Today: city as political form, na qual eles investigam a continuidade da construção de Brasília pelos seus moradores.

Jeims Duarte: Urbólides (PE)
Urbólides (ou bólides urbanos) serão objetos móveis, construidos a partir de materiais industriais e depositados em áreas específicas da cidade do Recife, objetivando a itinerância de tais objetos, acompanhada através de monitoramento por GPS. Baseados nos bólides de Hélio Oiticica, urbólides serão incrustações errantes, no tecido urbano, de refugos dos materiais que constroem nossa realidade aparente. Tais objetos serão construídos utilizando materiais como metal, plástico, vidro, concreto e madeira, acoplados numa estrutura metálica cúbica e dotados de rodas. Os urbúlibes farão um conjunto de 9 e o monitoramento dos mesmos via satélite subsidirá a elaboração de um mapa do percurso espaço-temporal dos urbúlides, bem como o posterior registro fotográfico de seu destino final.

Jonathas de Andrade: Condução à Deriva (PE)
Jonathas porpõe fazer uma viagem de reconhecimento de território e sentimento pela América Latina, buscando assimilar até que ponto uma idéia de unidade latinamericana faz sentido. O artista usará a fotografia como suporte de apoio para criar o que viria a ser uma coleção de memórias de um personagem localizado em um passado impreciso, latinamericano. Um personagem anônimo e desconhecido. Como se, durante esta viagem, ele encontrasse ao acaso uma sacola perdida em algum matagal ou casa abandonada, e dentro dela encontrasse memorabília pessoal diversa – fotografias e pequenos objetos – e coubesse ao artista voltar desta viagem com este material tratando seus fragmentos como documentos históricos. Regra de viagem: a cada mês, ao receber o pagamento da bolsa, Jonathas deve se mudar para algum país vizinho ao que está.

Marcos Costa e Carlos Mascarenhas: Ópera Crua (PE)
Este projeto consiste na elaboração de uma ópera instalação, na qual se conjugue um diálogo entre imagens e sons, colhidos e catalogados diretamente no cenário do cotidiano informal dos trabalhadores que circulam pelas ruas do Recife. Habitualmente, estes negociam suas mercadorias e serviços através de cantigas ou pregões musicais, entre os quais pode-se citar: o vendedor de japonês (doce “quebra-queixo”), o amolador de tesouras, o cavaco chinês, o vendedor e macaxeira, a kombi do ovo, o sorvete na vasilha, etc.

Maria Eduarda N. da F. Belém e Nicolás Robbio (Grupo “33”): A Arquitetura do Símbolo na Cidade do Recife (PE)
Este projeto trata-se de uma pesquisa sobre a origem e história dos símbolos presentes nas edificações da cidade do Recife que pretende não só desvendar a estrutura e significação, como também – de posse desse repertório simbólico – construir novos símbolos, através de desenhos, pinturas e objetos que venham a ressignificar essas imagens dentro de um contexto de arte contemporânea.

Matheus Rocha Pitta: Drive Thru # 2 (RJ)
Drive Thru é uma série de vídeos que investiga a interdição de objetos, sua retirada de circulação compulsória e a inserção de sua imagem no circuito de mídia. No mundo capitalista, onde a circulação global de bens, serviços e pessoas cresce rapidamente, essas apreensões indicam tanto uma negociação desse trânsito de mercadorias quanto uma subcirculação de bens perdidos. A circulação da imagem da apreensão estabelece uma disjunção radical entre imagem e objeto. Mesmo que a coisa apreendida seja destruída, sua imagem não é, como podemos ver nos displays cuidadosamente criados pela polícia nas coletivas de imprensa. Nessa contradição, o artista acredita haver uma alegoria de nosso tempo. Para ele uma amostra dessas apreensões formam tanto um totem quanto um tabu de nossa cultura.

Pesquisa e Produção em Fotografia (5 bolsas no valor de R$ 15 mil cada)

Cia de Foto (Fernando Simões Figueroa, Rafael Ignácio Jacinto, João Moraes Kehl): Caixa de Sapato (SP)
Ter no coletivo uma Caixa de Sapato faz com que o grupo fotografe o tempo todo. Momento a momento. Uma produção sistemática onde o instante mais corriqueiro, o mais ordinário, tem uma marca fotográfica. É comum ter coleção de fotos numa caixa de sapato. As caixas de sapato são um veículo de organização coletiva. A pesquisa é expor as imagens da intimidade do grupo para permitir que cada foto tenha um repertório de histórias públicas. Catalogar as utilizações Uma amostragem de como vêem as imagens. No decorrer dos 10 meses, formarão um catálogo das histórias públicas das fotos.

Dominique Berthé: Abecedário Nordestino, exercício de estilo (PE)
A artista fará uma pesquisa fotográfica sobre suas relações com quatro “elementos” brasileiros escolhidos: humano, animais, vegetais e aquáticos, sobre suas razões visuais e sentimentais de morar no Brasil e principalmente a escolha de ficar nesse país de cultura diferente da dela, mas tão rica e fascinante. Esta pesquisa vai seguir regras pré-determinadas a serem respeitadas. Dentre elas utilizar cada letra do alfabeto brasileiro para organizar um determinado itinerário Nordestino e escolher lugares que têm o nome que faz referência à água na sua composição,origem e significado, como Água Branca, Cachoeiras de Bonito,

Fabio Okamoto: Marcas (SP)
O projeto pretende discutir a representação dos espaços urbanos pela fotografia e as relações deste meio com o desenho e a pintura. O desenvolvimento ocorrerá em duas vertentes, a primeira com a pesquisa de fotógrafos, artistas gráficos e pintores modernos/contemporâneos que circulam por essas linguagens. A segunda com uma proposta de produção de um trabalho experimental fundamentado principalmente na fotografia

João Castilho: Confluências (MG)
O artista trabalhará dentro da idéia central de frestas/suturas e da idéia da fotografia no limite entre registro/documentário e obra acabada.Castilho fotografará intervenções efêmeras realizadas por ele mesmo na natureza, na arquitetura e em objetos. Essas interferências se norteiam pelas ações de rasgar e costurar, quebrar e colar, cortar e emendar. Num ato de desconstrução e reconstrução estas frestas e suturas se colocam em relação aos movimentos da vida. Cada etapa e cada processo vivido são passagens que sempre deixam marcas e perdas e são quase processos terapêuticos de descarga e recarga onde algo sempre se perde e se recupera.

Sofia Borges: O Variável (SP)
Em 2008, houve uma mudança significativa na construção das imagens. Na tentativa de aprofundar seus questionamentos em relação à natureza da imagem fotográfica, Sofia acresceu um novo elemento: o duplo; passou a multiplicar os objetos em cena, sobretudo os sujeitos. Dessa maneira a imagem passou a ter mais de um sujeito, que na realidade era o mesmo. Essa inserção colaborou para a ampliação de sua pesquisa, que será realizada no período da bolsa.

Projeto para Residência Artística no Estado de Pernambuco (duração de 4 a 10 meses, no valor de R$ 15 mil cada)

Bianca Bernardo: Viver para Desaparecer (RJ)
Macro Região: Fernando de Noronha
A artista pretende produzir e registrar uma série de ações e intervenções em colaboração com a comunidade noronhense. Bianca Bernardo idealiza os registros através de diários, cadernos de notas, mapas, desenhos, fotografias e vídeos. Ao final da residência, irá organizar uma exposição apresentando as obras e registros de ações/intervenções realizadas neste período.

Izidorio Cavaltanti: Alhures: A Informalidade na Arte (PE)
Macro Região: Sertão do Moxotó
Izidorio pretende, através da arte, se apropriar do cotidiano do comércio e cultura do sertão do moxotó se utilizando da prática de suas poéticas. Seria uma forma de “piratear” o universo simbólico dos personagens e objetos urbanos, numa tentativa de produzir uma arte distanciada da arte formal que se encontra nos museus. Como trabalho inicial propõe aprimorar-se, trazer símbolos de objetos dessa região como a informalidade da rua juntamente com toda sua estrutura logística para o interior do museu e, por sua vez, levar objetos artísticos para essa região, igualando-os a arte contemporânea. O artista pretente ainda realizar intervenções públicas, registrando-as através de vídeos e/ou fotografias, com a finalidade de ter um material de base para a montagem de uma instalação no espaço do museu.

Perdo David: Homem Pedra (MG)
Macro Região: Sertão
Criar um “documentário imaginário”, ensaio fotográfico conceitualmente orientado, que aborde o tema da relação do homem com a natureza de forma pessoal, onde haja lugar para a interpretação sobre a subjetividade das pessoas envolvidas, sua relação íntima com seu meio, suas idéias, mitos e angústias sobre a vida.

Tatiana Devos Gentile: Mire Veja (RJ)
Macro Região: Região Metropolitana (Recife e Olinda)
Mire Veja é uma video-dança-instalação onde dentro de uma pequena caixa, numa estrutura similar a de um lambe-lambe uma pessoa poderá olhar outra que dança pra ela. O que se passa entre? Entre eu e a pessoa filmada? Entre o espectador e os filmes? Entre vidente e o visível? Entre o visível e o invisível?

Projeto para um Vídeo-Documentário sobre Artes Visuais em Pernambuco (uma bolsa no valor de R$ 15 mil)

Jura: Panorama das Artes Plásticas em Pernambuco (PE)
Produzir um curta-documentário que enfoque obras e artistas que caracterizem a evolução das artes visuais em Pernambuco, a partir de 1836 (criação do Liceu de Artes e Ofícios/ visita de Pedro II a Pernambuco) até os dias de hoje.

Prêmio para Projeto de Grafitagem (4 prêmios de R$ 5 mil cada)

Elanie Bomfim e Derlon Almeida: Conversa de Pescador (PE)
Intervenção: Ilha de Deus (Recife)
Intervenções de graffiti em espaços públicos e privados que tenham legitimidade entre os moradores da Ilha de Deus. O mote da pintura serão as histórias dessa comunidade de pescadoras e pescadores, conversas que, pela localização da ilha, estão entre o fantástico e a urbanidade.

Elvis Almeida Oliveira: Graffiti Ativo (RJ)
Intervenção: Rio de Janeiro
Graffiti Ativo visa colocar a arte do graffiti, sua história, seu processo de produção e os fazedores dessa arte junto ao expectador, sem dar importância ao seu nível de conhecimento sobre essa forma de expressão, na tentativa de aproximar mais pessoas a essa nova arte, proporcionando um crescimento conjunto entre ela e o espectador.

Galo de Souza: Oferendas (PE)
Intervenção: 5 terreiros em Recife
Intervenção de graffiti nos terreiros de cinco comunidades tradicionais da cidade do Recife. Consiste numa troca: o artista se alimentará da história dos terreiros e vai oferendar a pintura como homenagem a agradecimento à uma história contada. A idéia é que estes cinco trabalhos sejam fotografados, e esses graffitis virem postais eletrônicos, divulgando os terreiros e suas histórias em outros espaços, nacional e internacionalmente, passando adiante a oferenda.

Wagner Porto Cruz: Timbó é a terra da lua (PE)
Intervenção: Comunidade quilombola do Timbó, a 20km do centro de Garanhuns
Durante uma celebração do Samba de Côco “Mestre Juarez do Timbó e a Terra da Lua” o artista executará uma intervenção pictórica nas paredes laterais do prédio que abriga a escola da comunidade.

Projeto de Pesquisa sobre Artes Visuais em Pernambuco (uma bolsa no valor de R$ 15 mil)

Joana D`arc de Souza Lima: Nomadismos e Estratégias Artísticas no Recife dos anos 80 – Entre a tradição e o novo (PE)
O projeto de pesquisa pretende analisar a configuração e a reconfiguração do meio artístico local, por meio do procedimento de mapear os lugares de formação e de produção das artes plásticas na década de 80, por meio de depoimentos de artistas (história de vida) e da pesquisa documental – periódicos, catálogos, cartas, diários, biografias, etc.

Posted by Patricia Canetti at 6:19 PM