Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Pesquise no blog:
Arquivos:
junho 2021
maio 2021
abril 2021
março 2021
fevereiro 2021
janeiro 2021
dezembro 2020
novembro 2020
outubro 2020
setembro 2020
agosto 2020
julho 2020
junho 2020
maio 2020
abril 2020
março 2020
fevereiro 2020
janeiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

junho 7, 2021

Reestreia de Acervo em movimento no MARGS, Porto Alegre

MARGS reestreia exposição de longa duração “Acervo em movimento”

Programa expositivo voltado a exibir o acervo do Museu destaca aquisições recentes, trazendo a público obras que tiveram entrada desde 2019, em diálogo com outras já pertencentes à coleção

Exposição que marcou a estreia da atual gestão opera com um modelo de rotatividade das obras expostas, com o objetivo de manter uma renovação frequente e constante do conjunto em exibição

Com o retorno de “Acervo em movimento”, o MARGS volta a ter uma mostra de longa duração dedicada à exibição do seu acervo, e de modo permanente nos espaços e na programação do Museu

Reaberto desde 11 de maio de 2021 com 2 exposições inéditas, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura do RS (SEDAC), traz a público a partir desta terça-feira, 08.06, o retorno da exposição de longa duração “Acervo em movimento”, que reestreia totalmente renovada e também em versão inédita.

Em sua nova configuração, são destacadas aquisições recentes para o Acervo Artístico do MARGS, trazendo a público obras que tiveram entrada desde 2019 ao longo da atual gestão, em diálogo com outras que já integravam anteriormente a coleção.

São apresentadas mais de 50 obras, de 26 artistas, compondo um conjunto diverso em pintura, gravura, desenho, fotografia, vídeo, filme, escultura e objeto, que datam desde o século 19 até a atualidade.

Depois do retorno parcial e gradual em razão de coordenar com a atual reforma em andamento, o Museu passa agora a ter todos os seus espaços expositivos abertos ao público, que ainda poderá conferir até agosto as atuais mostras individuais em exibição desde a reabertura: “Lia Menna Barreto: A boneca sou eu — Trabalhos 1985-2021” e “Bruno Gularte Barreto: 5 CASAS”.

“Acervo em movimento” é um programa expositivo voltado ao acervo do Museu e suas mais de 5 mil obras de arte. O projeto, que marcou a estreia da atual gestão em 2019, opera com um modelo expositivo de rotatividade das obras expostas, mediante um processo curatorial transversal e compartilhado entre as equipes.

Com o retorno, o MARGS volta a ter uma exposição de longa duração dedicada à exibição pública do acervo do Museu, ocupando agora 3 espaços expositivos de modo permanente no 2º andar: a galeria João Fahrion e as salas Pedro Weingärtner e Angelo Guido.

Em “Acervo em movimento”, obras entram e saem da exposição com o objetivo de manter uma renovação frequente e constante do conjunto em exibição. As alterações se dão segundo escolhas propostas pela curadoria do Museu e em colaboração com as equipes, que exercitam de modo compartilhado e transversal um mesmo método de organização de uma mostra dedicada a exibir o acervo.

Nas palavras do diretor-curador do MARGS, Francisco Dalcol:

“Com a estratégia de rotatividade das obras expostas, as substituições geram recombinações que procuram propor novos diálogos e chaves de compreensão, oferecendo ao público uma exposição sempre viva e dinâmica, que aposta na experiência mais do que nos discursos, e na descoberta mais do que nas verdades.

Assim, ‘Acervo em movimento’ pergunta ao visitante: quais relações podem ser feitas entre objetos de diferentes origens, períodos e linguagens? O convite é que o público constitua os seus caminhos interpretativos, estabelecendo os seus próprios encontros, relações e conexões.

Como um dos programas expositivos implementados pela atual gestão já em seu início em 2019, ‘Acervo em movimento’ é um projeto de caráter permanente que integra uma política institucional de exibição do acervo do MARGS instituída com o objetivo de explorar estratégias de sua abordagem por meio de processos curatoriais voltados à experimentação de modelos expositivos.” (ler texto curatorial)

Posted by Patricia Canetti at 8:43 AM