Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Arquivos:
junho 2021
maio 2021
abril 2021
março 2021
fevereiro 2021
janeiro 2021
dezembro 2020
novembro 2020
outubro 2020
setembro 2020
agosto 2020
julho 2020
junho 2020
maio 2020
abril 2020
março 2020
fevereiro 2020
janeiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

junho 6, 2021

Toby Christian na Casanova @ Espaço C.A.M.A., São Paulo

O Espaço C.A.M.A apresenta as exposições: 'The Artworld Will Never End' de Alvaro Seixas e 'Lazy Bones' de Toby Christian.

A Casanova tem o prazer de apresentar “Lazy Bones”, a segunda exposição individual do artista britânico Toby Christian no Brasil. Composta por uma série de esculturas inéditas em mármore e uma intervenção pública de textos instalados no entorno da galeria, a exposição amplia a natureza dinâmica e recíproca entre a escrita e a escultura na produção do artista.

O título da exposição, “Lazy Bones”, é inspirado no nome do primeiro controle remoto de televisão com sucesso comercial lançado na Inglaterra. Fabricado em 1950 pela Zenith Radio Corporation, foi projetado para silenciar propagandas ou mudar os canais. Com ele, era possível controlar a 'Byron' TV, cuja tela, de acordo com a publicidade, além de estar instalada dentro de um 'gabinete do século XVIII revestido de ricas folhas de mogno' era 'à prova de reflexo' e 'mais larga do que uma página de jornal'. O dispositivo em si, semelhante a uma granada dourada, era conectado ao aparelho de TV através de um longo cabo, o que acabou por iniciar o pensamento para uma solução sem fios.

Toby Christian, nesse novo grupo de obras, considera o caráter formalista e ergonômico dos controles remotos produzidos em escala industrial. Em 2015, começou uma série de trabalhos escultóricos em pequena escala que abordam objetos projetados para caber nas nossas mãos e corpos. Nestas esculturas silenciosas, suas funções originais são removidas, dando espaço para a criação de novas transmissões e coreografias para a mão. Com precisão e nuance, estas obras ecoam para a série anterior “Apêndices”, (2008-), onde dedos de mármore surgem separados de seu corpo.

Partindo de um lugar onde a ergonomia do controle remoto é assertiva em relação ao trabalho do corpo, aqui a figura deste dispositivo remoto caminha para um espaço de adiamento, descontentamento, incerteza, esperança, extração, mudança, tédio, cansaço. Na narrativa de Christian estas três esculturas de mármore, montadas na parede sobre folhas coloridas de papel A3, sugerem que cada uma sintoniza em seu próprio canal.

A obra Zeta Reticulans expõe uma face oculta, extraterrestre, onde no compartimento feito para colocar as pilhas revela-se o mármore bruto de Carrara. Em contraste, a obra Selling Sunset (Old Sky), remodela um controle remoto da Sky TV como um esboço conceitual para uma peça de roupa.

Um conjunto de nove cartazes destacáveis são distribuídos e expostos no quarteirão ao redor da galeria. Em locais distintos, cada cartaz apresenta um trecho retirado de textos publicados e inéditos do artista da última década, colados em paredes, postes de luz e qualquer espaço disponível. Estes extratos curtos, potentes e abstratos vendem fragmentos de descrições e vislumbres de objetos, a serem retirados pelo público, rasgando o rodapé de cada página. Ao serem levados para casa, escondidos em carteiras, ou caídos no chão como confetes, estes papéis rasgados e gastos lembram também a contribuição de Christian para a exposição colectiva Stick Stamp Fly, Gasworks, Londres (2007) onde um único cartaz amarelo rasgado no canto da sala deixou uma mensagem à imaginação.

Toby Christian (nascido em 1983, Boston, Lincolnshire) vive e trabalha em Londres. É professor de Belas Artes na Central Saint Martins, Universidade do Arts, Londres. Suas exposições e performances individuais recentes incluem Repeller with Good Gear, para StudioAudio, uma comissão da AICA-UK e PEER, estreando em Resonance FM (2020), Londres; Burners, Alessandro Albanese, Milão (2019); Old School New Body, Celine, Glasgow (2019); Trippy Scroller, PEER, Londres, (2018); The News, Swimming Pool, Sofia, comissariado por David Dale, Glasgow (2017); e Railing, Whitechapel Gallery, Londres (2017). O seu próximo livro “Commuters” será publicado por Koenig Books em 2021, e traz uma introdução de Chris Fite-Wassilak. Os seus livros Medidas (2013) e Colarinho (2017) também foram publicados pela Koenig Books.

Posted by Patricia Canetti at 2:16 PM