Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Arquivos:
junho 2021
maio 2021
abril 2021
março 2021
fevereiro 2021
janeiro 2021
dezembro 2020
novembro 2020
outubro 2020
setembro 2020
agosto 2020
julho 2020
junho 2020
maio 2020
abril 2020
março 2020
fevereiro 2020
janeiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

maio 5, 2021

Obra-Arquivo MAB: residência artística, mostra e mesas-redondas online

Catálogo com trabalhos de 18 artistas que participaram de residência artística realizada durante a reforma do Museu de Arte de Brasília com curadoria de Cinara Barbosa será lançado no aniversário da cidade. Os trabalhos serão apresentados em uma mostra virtual no Instagram do projeto com curadoria de Gisel Carriconde Azevedo e Mariana Destro

No dia 21 de abril de 2021, quarta-feira, às 11h, quando Brasília completa 61 anos, acontece o lançamento do catálogo impresso e a abertura da mostra Obra-Arquivo MAB, resultado da residência artística realizada em 2019, com a participação de 18 artistas visuais que moram e produzem em Brasília. Devido às medidas restritivas para o combate à pandemia, tanto o lançamento do catálogo como a inauguração da mostra coletiva dos trabalhos serão realizadas online pelo canal do projeto no Instagram @obraarquivomab. A mostra coletiva segue até 20 de maio, e como parte da programação serão realizadas mesas-redondas com os artistas, com transmissão pelo canal do Youtube do projeto. Os encontros ficarão gravados e poderão ser acessados após o fim das transmissões. O projeto Obra-Arquivo MAB tem patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura - FAC/ Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal.

A residência artística do projeto Obra-Arquivo MAB propôs aos artistas o registro da obra de reforma do MAB, com o objetivo de criar um arquivo de memórias poéticas da transformação das ruínas em um espaço que seria entregue à população. Em 2019, durante o período das obras, os artistas foram divididos em três grupos para acompanhar por algumas semanas todo o processo de revitalização do espaço. Idealizado por Gisel Carriconde Azevedo, o projeto tem curadoria e acompanhamento crítico de Cinara Barbosa. Participaram da residência artística os artistas visuais Adriana Vignoli, Cintia Falkenbach, Gisel Carriconde Azevedo, Hilan Bensusan, Igu Krieger, Krishna Passos, Leci Augusto, Lino Valente, Lis Marina Oliveira, Luciana Ferreira, Mário Jardim, Matias Mesquita, Maurício Chades, Nivalda Assunção, Raísa Curty, Suyan de Mattos, Valéria Pena-Costa e Yana Tamayo.

De acordo com Cinara Barbosa, a curadoria do projeto assumiu novos parâmetros para criar um “livro-exposição”, que registra e preserva a memória por meio das linhas de pesquisa dos artistas em 2019. “A residência teve um caráter especial, uma vez que os artistas moram na cidade e experimentaram a vivência no espaço de reforma e construção do canteiro de obra no museu”, ressalta a curadora. O acompanhamento crítico buscou preservar a especificidade das linhas de pesquisa de um e de outro, uma vez que ao longo da residência os artistas se encontraram e produziram no mesmo espaço ao mesmo tempo. “No canteiro de obras, eles mergulharam na possibilidade do estranhamento com o espaço e do espaço com a cidade. Foi um processo de ativação de memórias de forma ampla”, diz a curadora.

Essa percepção é variada, uma vez que o grupo reúne artistas que já se relacionavam com o MAB a partir da sua abertura, os que conheceram durante o funcionamento, mas mais próximo ao período de fechamento, os que participaram da ocupação em 2017 e os que nunca estiveram no espaço. Para o catálogo, a curadora estabeleceu quatro blocos norteadores conceituais, aos quais chamou de Planos. Neles estão reunidos os artistas que compartilham alguma relação dinâmica arquivista entre suas produções.

O Plano Acesso abriga os trabalhos de Suyan de Mattos, Gisel Carriconde Azevedo, Hilan Bensusan, Luciana Ferreira e Lis Marina Oliveira. No Plano Guarda Provisória, estão as obras de Cintia Falkenbach, Nivalda Assunção, Raísa Curty e Igu Krieger. O Plano Amostragem reúne as obras de Leci Augusto, Adriana Vignoli, Valéria Pena-Costa, Krishna Passos. E o Plano Documento Público estão Lino Valente, Maurício Chades, Mário Jardim, Matias Mesquita e Yana Tamayo.

O catálogo impresso será lançado no dia 21 de abril, quarta-feira, às 11h, junto com a abertura da exposição virtual pelo Instagram @obraarquivomab. Vídeos da curadora geral Cinara Barbosa e da idealizadora do projeto e curadora da mostra virtual Gisel Carriconde Azevedo apresentarão o projeto de residência, o catálogo e a mostra virtual. A participação é gratuita e livre para todos os públicos. O vídeo ficará no IGTV do projeto e poderá ser acessado a qualquer momento.

Mostra coletiva, mesas-redondas virtuais

Com curadoria de Gisel Carriconde Azevedo e co-curadoria de Mariana Destro, a mostra coletiva virtual Obra-Arquivo MAB apresenta os trabalhos realizados ao longo das residências artísticas e os processos de produção das obras presentes no catálogo. A mostra virtual acontece no Instagram @obraarquivomab e poderá ser vista até o dia 20 de maio. Como parte da programação da mostra, serão realizadas três mesas-redondas onde os artistas apresentarão seus projetos e, com a mediação da curadora do projeto, Cinara Barbosa, farão uma avaliação dos seus processos artísticos e das residências. Com duração média de 1h30, as transmissões acontecem pelo canal do projeto no Youtube shorturl.at/pvxDH e terão tradução simultânea em libras

No dia 29 de abril, quinta-feira, às 19h30, acontece a mesa-redonda 1 com a participação dos artistas Adriana Vignoli, Igu Krieger, Krishna Passos, Lis Marina, Matias Mesquita e Hilan Bensusan. A mesa-redonda 2, no dia 6 de maio, quinta-feira, às 19h30, traz os artistas Luciana Ferreira, Mário Jardim, Maurício Chades, Valéria Pena-Costa, Lino Valente e Yana Tamayo. Na quinta-feira, 13 maio, às 19h30, Suyan de Mattos, Leci Augusta, Cintia Falkenbach, Nivalda Assunção, Gisel Carriconde Azevedo e Raísa Curty participam da mesa-redonda 3.

Sobre a curadora geral e coordenadora editorial

Cinara Barbosa é Professora Adjunta do Departamento de Artes Visuais (VIS) da Universidade de Brasília (UnB). É curadora e pesquisadora de arte contemporânea brasileira. Idealizadora e coordenadora do Plano das Artes, projeto voltado para o desenvolvimento e fortalecimento do sistema das artes envolvendo: circuitos por espaços autônomos de arte do Distrito Federal, formação de arte-educadores e produção artística. Foi diretora e curadora do Elefante Centro Cultural (DF). Homenageada pelo Prêmio Vera Brandt 2019. Membro do comitê de indicação do Prêmio Pipa 2019. Em suas pesquisas, interessa-se por produções artísticas de revisitação crítica à história da arte, poéticas arquivísticas, de coleção e memória. Entre as pesquisas mais recentes decorrentes de estudos curatoriais estão a mediação educativa em espaços expositivos associados às práticas institucionais.

Sobre a idealizadora e curadora da mostra virtual

Gisel Carriconde Azevedo trabalha com instalação, objetos e pintura e tem sua produção artística associada à curadoria. Formada em artes pela Universidade de Brasília (1992), com mestrado e doutorado na Universidade de Brighton (1997) e na Universidade do Leste de Londres (2012), respectivamente. Entre 2000 e 2016, trabalhou com design de exposição no Museu de Valores, onde o contato próximo com a museologia despertou sua atenção para as relações entre espaço, objeto e público. A partir de 2003 passou a trabalhar com instalação e a pensar o espaço expositivo como uma poética em si. Desde 2014 está à frente do deCurators, espaço de arte independente e não comercial dedicado a explorar novas maneiras de exibir, apreciar e discutir arte contemporânea.

Posted by Patricia Canetti at 11:00 AM