Página inicial

Arte em Circulação

 


junho 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Pesquise em
arte em circulação:

Arquivos:
junho 2021
maio 2021
abril 2021
fevereiro 2021
dezembro 2020
novembro 2020
outubro 2020
setembro 2020
julho 2020
junho 2020
abril 2020
março 2020
fevereiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
março 2012
fevereiro 2012
dezembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
julho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
setembro 2008
maio 2008
abril 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
novembro 2004
junho 2004
abril 2004
março 2004
fevereiro 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
setembro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

novembro 14, 2013

O Instinto Inibido por João Guarantani

O Instinto Inibido

JOÃO GUARANTANI

Alice Quaresma - Bichos, Mercedes Viegas Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, RJ - 20/11/2013 a 05/12/2013

A produção artística de Alice Quaresma tem explorado aspectos de suas memórias mais intimas e exposto sua identidade cultural e pessoal de maneira singela, e ao mesmo tempo reveladora. O dia-a-dia doméstico e objetos cotidianos são escrutinados pela artista, e compõem construções estéticas de intensa beleza. São exemplos desta produção séries como “Memórias” e “Raízes”, esta última resultado de sua recente residência artística no Barracão Maravilha. Em BICHOS, contudo, a artista se distancia deste ambiente familiar com o intuito de revelar novos significados e aprofundar sua investigação visual. Por sua complexidade técnica e temática, BICHOS representa uma nova etapa na obra da artista.

O conjunto de trabalhos aqui apresentados explora um ambiente de alta complexidade e carga simbólica, e traz à tona elementos da natureza humana em seu estado mais primordial: medo, fome, violência e ternura. Inerentes a todos, estas qualidades nos aproximam do mundo natural dos quais nos distanciamos ao longo das gerações. O cenário destas imagens é um ambiente selvagem, que abriga uma série de narrativas cujos agentes principais são animais da savana africana. Esses registros têm uma qualidade quase abstrata, e revelam agressividade e melancolia; são espelhos nos quais vemos refletidas nossas próprias características humanas.

Na sua superfície, os trabalhos parecem ser simplesmente constituídos de impressões fotográficas, normalmente caracterizadas por sua reprodutibilidade. Contudo, as interferências criadas pela artista – marcas precisas, realizadas diretamente nas impressões fotográficas – conferem aos trabalhos qualidade única. Como resultado, as obras transcendem a linguagem da fotografia, e adquirem qualidades da pintura. Alice Quaresma, cuja trajetória artística tem forte relação com a fotografia, tanto enquanto mídia como objeto de pesquisa acadêmica, faz uso de sua influência técnica de maneira admirável, e se utiliza de linguagens estéticas distintas para produzir, nesta série de trabalhos, imagens de intensa carga simbólica. As formas geométricas que se sobrepõem às imagens reveladas, bem como o próprio título da exposição, têm como referência as linhas orgânicas dos elementos fotografados por ela, e indicam o apreço da artista pelo movimento neoconcretista, dialogando com referências da história da arte no Brasil.

O contraste entre os elementos registrados através do processo fotográfico, todos eles de natureza orgânica, e as intervenções criadas diretamente pela artista na superfície dos trabalhos, ressaltam a ruptura entre o natural e o mecânico. As cores industriais utilizadas simplesmente não poderiam existir na natureza, e marcam visualmente a extrema ruptura entre estes dois mundos. Assim, a artista articula a relação entre o homem e o mundo natural, e o poder, muitas vezes destrutivo e antagônico, que a humanidade exerce sobre a natureza.

A violência presente na maioria dos trabalhos é contrastada pela ternura do conjunto “Família”, que retrata uma família de elefantes em cenas de ternura e carinho comoventes, características estas também da natureza humana. Seu formato e composição contrastam com o restante do grupo de trabalhos apresentados na mostra. Outro contraponto marcante é a dupla de trabalhos em grande escala compostos por impressões fotográficas coloridas: “Oceano” e “Vulcão”. Eles criam espaços focais no conjunto, e incrementam a composição estética da série.

Posted by Patricia Canetti at 5:11 PM