Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


setembro 2016
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30  
Pesquise no blog:
Arquivos:
As últimas:
 

setembro 11, 2016

Rubem Valentim na Berenice Arvani, São Paulo

A Galeria Berenice Arvani realiza a partir de 13 de setembro, às 19h, a exposição Rubem Valentim: A Pintura Pulsa - segunda individual dedicada ao artista baiano Rubem Valentim (1922-1991) na galeria. Sob curadoria de Celso Fioravante, a mostra apresenta 32 obras realizadas entre os anos 1960 e 1980, entre pinturas, desenhos, guaches, esculturas e relevos, além de oito estudos de grandes dimensões.

Com uma uma arte comprometida com a transformação consciente do signo, a mostra prioriza a matriz construtiva do artista, que, aliada a seu intenso sincretismo religioso e seu apuro cromático, posicionou Rubem Valentim no panteão dos grandes artistas da segunda metade do século 20, e um dos mestres do construtivismo no Brasil.

Movido por questões ideológicas, Valentim buscou na cultura afro-brasileira e na cultura popular africana as características que norteariam seu trabalho até o final da vida.Ele sintetizou os elementos presentes nos cultos de candomblé, como os oxês de Xangô em objetos geométricos, em linearidade, como uma espécie de escrita para esses elementos, uma nova signografia, uma arte semiótica, que promove uma leitura profunda, sintética e habilidosamente cromatizada da identidade afro-brasileira.

Rubem Valentim é comparado a Alfredo Volpi e Tarsila do Amaral, no sentido em que os três criaram uma linguagem individual que os tornou facilmente reconhecíveis.

A intensidade artístico-sincrética de Rubem Valentim foi redescoberta recentemente pelo circuito internacional de arte e fez com que sua produção tenha sido adquirida por colecionadores particulares e instituições nos EUA, Europa e África, além de ter sido exposta em instituições de relevo, como a Tate Liverpool (Inglaterra) e o Centro Galego de Arte Contemporânea, em Santiago de Compostela, que realizaram conjuntamente em 2010 a exposição “Afro Modern: Journeys Through the Black Atlantic”. Nesta exposição, inspirada no seminal livro de Paul Gilroy “The Black Atlantic: Modernity and Double Consciousness” (1993), Rubem Valentim dividiu espaço com artistas modernos e conpemporâneos, como Pablo Picasso, Constantin Brancusi, Wifredo Lam, Kara Walker, Glenn Ligon, Wangechi Mutu, Uche Okede, Chris Ofili e outros. A mostra teve curadoria de Tanya Barson e Peter Gorschlüter.

Posted by Patricia Canetti at 3:24 PM