Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


julho 2015
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
Pesquise no blog:
Arquivos:
As últimas:
 

junho 26, 2015

Memórias inapagáveis – um olhar histórico no Acervo Videobrasil

Memorias imborrables - Una Mirada histórica sobre la Colección Videobrasil

Itinerância da primeira grande exposição concebida a partir do Acervo Videobrasil começa por Buenos Aires. Dezoito obras de forte conteúdo político serão exibidas no MALBA, na Embaixada do Brasil e na Universidad Torcuato Di Tella

[Leer en español en Malba]

Em junho, a primeira grande exposição concebida a partir do Acervo Videobrasil inicia sua itinerância pelo mundo, começando pela Argentina. Com curadoria de Agustín Pérez Rubio, diretor artístico do MALBA, Memórias inapagáveis – um olhar histórico no Acervo Videobrasil é apresentada em três espaços na cidade de Buenos Aires (clique para ver as agendas): no Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires, o MALBA, no Espaço Cultural da Embaixada do Brasil e na Universidad Torcuato Di Tella. A abertura oficial acontece no dia 25 de junho, às 19h, no MALBA. Antes, às 18h, a curadora e diretora do Videobrasil, Solange Farkas, participa de conversa aberta ao público ao lado de Pérez Rubio. Seguindo o projeto do Videobrasil, a itinerância da exposição na Argentina conta com encontros, cursos e conversas como parte de seus Programas Públicos.

O encontro entre a diretora do Videobrasil e o curador da exposição é focado na história recente da Associação, com ênfase sobre suas ações públicas, seu interesse pela produção artística do Sul geopolítico e a formação de sua coleção. A convite de Solange Farkas, Agustín Pérez Rubio explorou minuciosamente o acervo formado por mais de 1300 obras em vídeo e escolheu os dezoito trabalhos de forte conteúdo político e social que integram a exposição. Desde o “descobrimento" do Brasil pelos portugueses até o golpe militar no Chile, incluindo os atentados do 11 de setembro nos EUA, o massacre da Praça da Paz Celestial na China ou a guerra civil no Líbano, a mostra apresenta histórias que se mantêm vivas graças à sensibilidade e à obra de artistas destas regiões. “Os trabalhos estão ligados por temas, cronologias, territórios ou conflitos vividos por pessoas físicas e seus testemunhos que aqui se apresentam”, explica Pérez Rubio. “A violência, as guerras, as fronteiras, a raça, o sexo, o gênero, a escravidão continuam nos atormentando. Queremos que a arte nos devolva esta coleção de experiências vividas, tanto as belas quanto as mais cruéis e inumanas, para aprender constantemente com elas”, completa o curador.

A exposição foi apresentada pela primeira vez no Brasil, entre agosto e novembro de 2014 no Sesc Pompeia (São Paulo, Brasil). Durante o ano de 2015, Memórias inapagáveis — Um olhar histórico no Acervo Videobrasil terá itinerâncias pela Espanha e pela Alemanha. Até o final de 2016, a exposição passará ainda por países como Nigéria, Peru e Chile, entre outros.

Na capital argentina, Memórias inapagáveis é desdobrada em três espaços expositivos e se estende por diferentes períodos:

25 de junho a 20 de agosto, participam no MALBA: Dan Halter, Jonathas de Andrade, León Ferrari & Ricardo Pons, Liu Wei, Rosângela Rennó, Sebastian Diaz Morales e Vincent Carelli & Dominque Gallois.

2 de julho a 14 de agosto, participam no Espaço Cultural da Embaixada do Brasil: Aurélio Michiles, Ayrson Heráclito & Danillo Barata, Coco Fusco, Enio Staub, Luiz de Abreu, Mwangi Hutter e Walid Raad.

17 de julho e 14 de agosto, participam na sala de exposições da Universidad Torcuato Di Tella: Akram Zaatari, Bouchra Khalili, Carlos Motta e Rabih Mroué.

ARTISTAS E OBRAS

Acesse os links para ver as obras no Acervo Videobrasil.

Akram Zaatari - In this house, 2004
Aurélio Michiles - O Sangue da Terra, 1984
Ayrson Heráclito & Danillo Barata - Barrueco, 2004
Bouchra Khalili - Four Selected Videos From The Mapping Journey Project, 2010
Carlos Motta - Letter to My Father (Standing by the Fence), 2005
Coco Fusco - Bare Life Study #1, 2005
Dan Halter - Untitled — (Zimbabwean Queen ofRave), 2005
Enio Staub - Contestado, a Guerra Desconhecida, 1985
Jonathas de Andrade - Projeto Pacífico, 2010
León Ferrari & Ricardo Pons - Casa Blanca, 2005
Liu Wei - Unforgettable Memory, 2009
Luiz de Abreu - O Samba do Crioulo Doido, 2013
Mwangi Hutter - MyPossession, 2005
Rabih Mroué - Face A Face B, 2002
Rosângela Rennó - Veracruz, 2000
Sebastian Diaz Morales - Lucharemos hasta anular laley, 2004
Vincent Carelli & Dominque Gallois - A Arca dos Zo'e, 1993
Walid Raad - The Loudest Muttering is Over: Documents From The Atlas Group Archive, 2003

CURSO

Curso aborda as memórias da conquista na arte, na literatura, no cinema e na música do Brasil

Além da conversa com Solange Farkas e Agustín Pérez Rubio, a itinerância da exposição no MALBA vai contar com o curso Memórias da conquista: sua expressão na arte, na literatura, no cinema e na música do Brasil. Conduzido por Gonzalo Aguilar, professor da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidad de Buenos Aires, e acontece às sextas-feiras, de 26 de junho a 17 de julho.

As aulas propõem refletir sobre a “conquista” e suas reverberações: os “vencedores” e os “perdedores” a evocam da mesma forma? Que vestígios restam da violência e da dominação? Como construir um olhar diante da versão oficial? Como recuperar imagens e palavras dos que foram vencidos? Os trabalhos presentes na exposição são relacionados a textos literários, ensaios, vídeos, filmes e obras de artistas e autores brasileiros como Caetano Veloso, Clarice Lispector, Gilberto Gil, Machado de Assis e Tarsila do Amaral.

Posted by Patricia Canetti at 10:10 AM