Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2015
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        
Pesquise no blog:
Arquivos:
As últimas:
 

fevereiro 22, 2013

Lourival Cuquinha na Baró, São Paulo

Lourival Cuquinha - Territórios e capital: extinções, Baró Galeria, São Paulo, SP - 04/03/2013 a 06/04/2013

Baró Galeria inaugura instalação com 100 mil moedas do artista pernambucano Lourival Cuquinha

No dia 2 de março, a Baró Galeria inaugura a exposição, Territórios e capital: extinções, do artista Lourival Cuquinha.

A mostra é composta por uma grande instalação de um asterisco tridimensional feito com 100 mil moedas de R$ 0,05 que corta e reordena o espaço da galeria, e comporta bandeiras de 10 países produzidas com cédulas de diferentes moedas.

Também será apresentada a peça O trabalho gira em torno, composta por 3 rickshaws que quando manipulados produzem sons e projeções de imagens gravadas nas ruas de Londres e a obra “Parangolé”, onde o artista se apropriou do famoso Parangolé de Hélio Oiticica e expõe essa possível réplica envolta por um sistema de segurança e cerca elétrica.

"Ao longo de praticamente toda sua obra, Cuquinha vem revolvendo as entranhas dos costumes e das leis, em uma ampla investigação política e irónica através da arte contemporânea.

Nesta exposição as interrogações sobre a virtualidade dos valores, encenados e reencenados ao longo da História, são levadas ao extremo explorando um repertório conceitual de singular força política. A relação estabelecida entre imagens dos países, seus dois emblemas mais conhecidos (a imagem que é sua bandeira e a imagem que é seu dinheiro) embaralha a ideia de valor (nacional) e de bandeira (pela qual lutar): sua luta é econômica, seu símbolo é comercial, uma marca ou um emblema de uma empresa.

As obras vistas em conjunto podem ser tomadas como um comentário crítico sobre marcos da história econômica mundial: estão ali representadas, por exemplo, a crise de 2008 e as tensões entre Cuba e os EUA. Ao mesmo tempo, a presença de O trabalho gira em torno indica, como uma peça arqueológica, um lugar social onde o trabalho e o esforço físico ainda estão intimamente conectados à concretude do dinheiro e da remuneração.

Ao manipular cédulas, como nas obras Dinheiro com cara do dono e Price and Title US$101, objetos-fetiche por excelência do poder, Cuquinha dá prosseguimento à elaboração do seu pensamento político, explorando o universo da pura virtualidade do valor. Comentando os disparates da cultura, evidencia a reversibilidade da verdade que o hábito sustenta (a lei não é mais a última ou única palavra). Ele se torna assim um especialista em causar interferências sobre os hábitos das imagens, em provocar instabilidade; sua obra não é rompedora de limites – não é o lado de fora que a interessa, mas discutir as regras do lado de dentro, que é onde, depois das revoluções, sempre permanecemos”.

Gabriel Bogossian

Lourival Cuquinha - Visite o portfolio no Canal
Vive e trabalha em Olinda, PE, São Paulo, SP e Londres, Inglaterra.
Artista visual que trabalha com várias mídias. Tem um trabalho que atinge o campo político geralmente partindo de impressões estritas e pessoais.Exposições: Capital: destruction-construction PROGR – Zentrum für Kulturproduktion, Bern, Suíça. Topografia Suada de Londres: Jack Pound Financial Art Project - Centro Cultural Correios, Recife, Brasil.Costumes – minha mãe sustenta minha filha - Instituto Cultural Banco Real – Galeria Marcantônio Vilaça,Recife, Brasil. Transa-Atlântica, Fábrica ASA, Guimarães 2012 – Capital Européia da Cultura. Guimarães, Portugal. Mit Krimineller Energie, HALLE 14 e ACC Galerie Leipzig e Weimar, Alemanha. Caos e Efeito/Contra-pensamento Selvagem, Itaú Cultural/SP. Panorama da Arte Brasileira, MAM/SP. Jogos de Guerra, Centro Caixa Cultural/RJ. Festival Performance Arte Brasil, MAM/RJ (Museu de Arte Moderna). Night of Festivals, Nottingham, Inglaterra. Brazilian Summer, Art & the City, Het Domein Museum, Holanda. Exposições Conexão Contemporânea/Funarte/Petrobras (Brasil): 4territórios (RJ-PE), Fev, 2008; Dencidades. Projeto “Arte e Crime: Insubordinações” pelo Conexão Contemporânea / Funarte /Petrobras, Recife, Brasil.Territoires Transitoire, com a vídeo-instalação Désolé e a performance Artraffic no Palais de Port Doré, Paris.46º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco com a obra Mapa do Ácaro. Recife, PE, Brasil. 45º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco com a obra Sexo. Recife, PE, Brasil.

Posted by Patricia Canetti at 12:42 PM