Página inicial

Arte em Circulação

 


novembro 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
arte em circulação:

Arquivos:
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
março 2012
fevereiro 2012
dezembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
julho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
setembro 2008
maio 2008
abril 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
novembro 2004
junho 2004
abril 2004
março 2004
fevereiro 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
setembro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

novembro 14, 2019

V.E.R.V.E por Fausto Fawcett

ENTUSIASMOS FURIOSOS atiçam as sociedades terrestres nos dias que correm mais do que a nossa vã percepção pode alcançar. Todos parecem estar tomados por uma curiosa e arrebatadora

V. E . R. V. E

Acendendo a fogueira das precariedades nas MANCHAS URBANAS habitadas pela boa e velha mistura do SUPERNINGUEM COM TODOMUNDO, habitadas por batalhas incessantes pela sobrevivência via obtenção de alguma ração afetiva( de autoestima, familiar, profissional, sexual, religiosa,fetichista, de solidão regeneradora, etc) mesmo quando já se tem comida, moradia, alguma grana regular, alguma socialização cotidiana. Todas as precariedades atiçam uma furiosa

V. E . R. V. E

Daí que ansiedades muito antigas hoje estão incrivelmente aceleradas e ganham a denominação de
TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE APOCALIPTICA

codinome V.E.R.V.E

provocados não apenas pelas batalhas psicológicas, psíquicas, psiquiátricas, sociais, individuais pelas rações de afeto que são conquistadas e agarradas a todo custo ou ( a maioria) que se esvaem pelo ralo do dia a dia mas também pela avalanche contínua e diária de revelações sobre o comportamento da mente e do coração, dos hormônios afetivos e das inconsciências do ser humano escancarando o PESADELO DA TRANSPARENCIA
ABSOLUTA NA DIVULGAÇÃO DE TUDO.

Somos terrivelmente mitômanos, precisamos amar pra aliviar a autoconsciência da MORTE que é quem manda nessa porra toda como diz o povo . Amamos ilusões de todo tipo, somos religiosos ate com uma sobremesa, temos que acreditar que ela vai ser gostosa e aí.... Amamos acreditar, crer, ter fé até no ceticismo, ser ateu qualquer imbecil é, a merda é ter que acreditar em si mesmo como ultimo refugio e aí ...Somos MITÔMANOS DE RAIZ e agora, graças as redes sociais e a tecnologia digital onipresente, somos mais do que nunca acumuladores compulsivos de MIRAGENS MOTIVACIONAIS, fake news dos afetos, evasão de privacidade, seres humanos pré pagos precisando de recarga emocional e PAVLOVIANAMENTE CADASTRADOS.

Só a comoção midiática provoca solidariedade? ACUMULADORES COMPULSIVOS de

V. E . R. V. E

provocada por redes de anarquias tirânicas porque a democracia esqueceu de pagar o dizimo relativo a IGREJA DO SENTIMENTO POLITICO dentro das pessoas e as anarquias tirânicas chegaram junto na atualidade pagando direitinho esse dizimo . Elas são responsáveis por grande parte da

V. E . R. V. E

Contemporânea que também é provocada pela exigência alucinante de preparo profissional em mutação o tempo todo gerando novidades no assim chamado MUNDO DO TRABALHO em contraste com as hordas de fudidos que ficarão a deriva sub aproveitados ou nem isso vivendo em BECOS DE IRMANDADES, nacionalidades improvisadas à margem do cinturão de mercados, que vão incrementar a

V. E . R. V. E

provocada principalmente pela carência de grandeza espiritual que há muito não faz parte das nossas vidas (espiritualidade é uma coisa que dá e passa, qual a sua operadora? Jeová, Maomé, Jesus Cristo, Animista, Alan Kardec, Marx, Hitler, Sade, Pokemon, Blavatsky, Kali ?) cheias de improvisada e perturbada

V. E . R. V. E

Somos incapazes de qualquer elevação, no máximo uma, como é que se diz hoje em dia ?, ah! Empatiazinha aliviadora de alguma culpa ou afirmando algum egoísmo já que orgulho e vaidade também atravessam as boas ações e dizemos que a

V. E . R. V. E

ainda nos dá alguma honra trágica alertando-nos para o fato de que ainda somos primitivos e sentiremos sempre um mal estar com a civilização pois alguma coisa nunca se encaixa, porque eticamente, moralmente não existe evolução nem progresso e a tal honra trágica surge sangrenta e desesperada quando a tecnologia cutuca com vara digital curta a fera que uiva, ruge, se move no âmago do nosso chassis nervoso como ultima esperança de sentido pra vida. .Esperança de sentido amoroso pra vida é o truque mor da evolução pra manter acesos nossas mentes e corações enquanto a Morte manda sinais todos os dias da nossa insignificância.. Esse uivo, esse rugido é a veemência da intensidade que vem do básico instinto de realização de alguma coisa brilhante a qualquer custo. Sem motivo social ou econômico ou financeiro ou familiar ....Contrariando os tarados por justificativas a VERVE escancara que os atos extremos provocados por alguma pessoa não são provocados por alguma coisa que aconteceu com ela. A pessoa é que resolveu ACONTECER AO EXTREMO não interessa de que forma.

NADA JUSTIFICA O QUE ACONTECE PRA VALER
é um dos motes da

V. E . R. V. E

Que assola o planeta.
Vórtice
Extremo
Radical
Vírus
Entidade
Vórtice
Radical
Extremo
Vírus
Entidade
Vórtice
Radical
Extremo
Vírus

Essas são as palavras que compõem, dão sustentação, inspiração e direcionamento ao projeto V.E.R.V.E que chega a Galeria Artur Fidalgo nesse Novembro de 2019.

A dupla de artistas (e muito mais) Marcos Bonisson e Khalil Charif fizeram o curta Kopacabana a partir de uma colagem de registros antigos, verdadeiros tesouros de imagens do lugar mais icônico e carismático do país, misturados, mixados com imagens, registros atuais, registros feitos por eles mesmos. Montagem que faz uma rasante, contundente e divertida biópsia visual do bairro emoldurada pela certeira trilha sonora do musico Arnaldo Brandão e pela narração de tom épico empreendida pelo escritor e compositor Fausto Fawcett.

O projeto V.E.R.V.E consiste numa trilogia que começa com uma pequena mancha urbana famosa, síntese de tudo no Rio e vórtice de propagações, promiscuidades, contaminações, poluições, pornografias – Kopacabana-e vai continuar sua saga enveredando por outras duas entidades ( segredo de status ainda) celebradoras dos vórtices dessa era de extremos, de suculentas radicalidades que transformam pessoas e grupos em vetores de não se sabe o que, entidades viralizantes, catastróficas, aguçando nossa sensação térmica de aquecimento social global provocando transtornos de personalidade apocalíptica que se expressam com
V.E.R.V.E intensa.

Kopacabana sempre foi isso e Khalil e Bonisson transmitem no curta essa potencia de aglomerado urbano desafiado pela potencia da mais bela praia urbana do mundo.

Khalil, Fawcett & Bonisson apresentam na Galeria Artur Fidalgo KOPACABANA primeira parte do projeto
V.E.R.V.E

FF

V.E.R.V.E., Artur Fidalgo Galeria, Rio de Janeiro, RJ - 13/11/2019 a 29/11/2019

Posted by Patricia Canetti at 11:07 AM