Página inicial

Livraria do Canal

 

A Livraria on line:

- como comprar

- como vender

Arquivos:
As últimas:
 

junho 5, 2008

CONCINNITAS N. 9

capa9.jpg

CONCINNITAS N. 9 - Revista do Instituto de Artes da UERJ

Preço: R$ 25 + correio

Como comprar: clique aqui para se informar

Formato fechado: 19,2 x 23,1 cm
Nº páginas: 208
Impressão: capa 2 cores / miolo 1 cor (pb).
Peso: 441 g

Autores: Antonio Vargas, Carlos Eduardo Comas , Carlos Nóbrega, Collin Rowe, Daniela Vicentini, Danrlei de Freitas Azevedo , Ernst Bloch, Fabiola Silva Tasca, Felipe Ferreira, Felipe Scovino, Guilherme Wisnik, José Da Costa, Kátia Maciel, Leila Danziger, Luis Andrade, Luiz Cláudio da Costa, Malu Fatorelli, Marcelo Campos, Marco Aurélio Brandt, Paulo Mendes da Rocha, Ricardo Basbaum, Rogerio luz, Tom Vanderbilt, Yve-Alain Bois
Organização: Sheila Cabo Geraldo
Editora: Sheila Cabo Geraldo


Sumário
Dossiê arte e arquitetura
Carlos Eduardo Comas O céu brasileiro de Siza
Yve-Alain Bois Cubístico, cúbico e cubista
Malu Fatorelli O espaço entre as imagens: ensino de arte/obra de arte
CoUin Rowe Da arquitetura conceitual
Guilherme Wisnik O 'informe' a partir de Matta-Clark e Rem Koolhaas
Tom Vanderbilt Cidade circuito

Ensaio de artista
Paulo Mendes da Rocha MNBA

Dossiê desdobramentos, redes e Labirintos
Luiz Cláudio da Costa Arte como tecnologia: do fazer ao pensar
Carlos Nóbrega Arte como um campo de interações
Ricardo Basbaum O artista como pesquisador
Luis Andrade Póslítico_artecnologia
José Da Costa A cena de Os Sertões: imagens em rede e recepção corporal
Rogerio Luz Arte da rede e arte do labiri nto
Kátia Maciel Cinema e presença - notas sobre a exposição Mantenha distância

Artigos
Felipe Scovino As multiplicidades de uma (re)existência na recente produção artística brasileira: o corpo entre o jogo e a guerrilha
Daniela Vicentini Waltercio Caldas: pensar arte, acordar lugares
Danrlei de Freitas Azevedo Aparência pop - uma leitura a partir da Teoria Estética de Adorno
Marco Aurélio Brandt Fotografia: como funciona?
Antonio Vargas A influência do mito do herói na aceitação das práticas artísticas
Fabiola Silva Tasca A intervenção como meio - considerações sobre certas práticas artísticas contemporâneas

Tradução
Ernst Bloch Educação formativa, manejo da forma, ornamento

Resenhas
Marcelo Campos Olho d'água: gestualidade e autoficções na arte de Efrain Almeida
Leila Danziger Séculos de melancolia
Felipe Ferreira A cidade do samba


Apresentação

SHEILA CABO GERALDO

Para abrir este número de Condnnitas, a editoria organizou um dossiê sobre arte e arquitetura. Como escreve Paul Vi riLi o, 1 ao analisar o processo de constituição da modernidade, Walter Benjamin2 entendera que, como a fotografia e o cinema, a arquitetura fornecia a matéria essencial para a forma coletiva, nova e revolucionária da arte. Enquanto espaço construído e habitado, o espaço arquitetõnico moderno não seria apenas o espaço do material e da aparência, mas aquele que se constituiria enquanto imagem simultânea, que se abre a todos os níveis de experiência, desde a visual e a tátil até a que envolve o processo de rememoração e despertar, implícitos no ser da arte, como o pensador identificara ao estudar as Passagens de Paris, construídas no século XIX.

Para constituir o dossiê, então, foram selecionados artigos que, em seus diversos aspectos, debatem a arte e a arquitetura como relações e sintomas do moderno e do contemporâneo. Publicamos, então, os textos dos arquitetos, críticos e historiadores da arquitetura Carlos Eduardo Comas, Collin Rowe e Guilherme Wisnik, assim como os dos críticos e teóricos da arte e da arquitetura YveAlain Bois e Tom VanderbiLt. Ainda integrando o dossiê, publicamos o texto da artista e arquiteta Malu Fatorelli, que trata a arquitetura como espaço implícito no pensamento artístico.

Apresentamos, como ensaio de artista, o projeto que o arquiteto Paulo Mendes da Rocha desenvolveu para a readequação do Museu Nacional de Belas Artes, em 2005, projeto que, apesar de não executado, é um exemplo das relações que o tema do dossiê aborda.

Enquanto colaboração para o debate em torno da arquitetura, publicamos, ainda, o artigo "Educação formativa, manejo da forma, ornamento", do filósofo e teórico da arte Ernst Bloch, uma referência no debate sobre a arte e a arquitetura enquanto utopia moderna e, por que não, contemporânea.

Este número conta também com o dossiê "Desdobramentos, redes e labirintos", cujos textos foram apresentados no evento Rio Cena Contemporânea pelos artistas e pesquisadores luiz Cláudio da Costa, Carlos Nóbrega, Ricardo Basbaum, luis Andrade, José Da Costa, Rogerio luz e Kátia MacieL.

Completam a publicação os artigos que recebemos dos ensaístas

Felipe Scovino, Daniela Vicentini, Danrlei de Freitas Azevedo, Marco Aurélio Brandt, Antonio Vargas e Fabíola Silva Tasca, assim como as resenhas dos pesquisadores e professores Marcelo Campos, leiLa Danziger e Felipe Ferreira, cujo a colaboração agradecemos.

Posted by João Domingues at 12:17 PM