Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


fevereiro 2020
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
Pesquise no blog:
Arquivos:
fevereiro 2020
janeiro 2020
dezembro 2019
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

fevereiro 3, 2020

Danielle Fonseca na Casa das Artes, Belém

A artista visual Danielle Fonseca abre exposição individual dia 5 de fevereiro, na Casa das Artes em Belém. A exposição faz parte do Prêmio de Produção e Difusão Artística 2019 da Fundação Cultural do Pará.

Inspirada no texto do dramaturgo Henrik Ibsen, a artista visual Danielle Fonseca escreveu em 2016 o texto A Dama do mar não sente ciúmes que hoje apresenta ao público através de esculturas, fotografias e uma instalação sonora, que conta com a leitura especial da cantora e atriz paulista Cida Moreira. “A voz de Cida Moreira veio como uma luva, um brinde a este texto, ela fez uma leitura brilhante, como tudo que faz. O canto mágico da sereia.” conta a artista. “Neste trabalho falo um pouco de memórias, minha relação com a água, o mar e o teatro”, complementa Danielle.

As obras apresentadas nessa exposição têm relação com a artista, mas também pretendem trazer um pouco de poesia e delicadeza ao visitante, expectador. “As duas esculturas que representam os blocos de saída do nadador na piscina contêm os números zero e dez, números onde geralmente nenhum nadador se posiciona nas competições, pois são nas bordas que se formam ondulações, e é nessas ondas-metáforas que a arte está. Nós artistas não nadamos sem ondulações” afirma a artista. Haverá uma obra homenagem ao artista John Baldesari, referência para arte contemporânea mundial.

Para escrever o texto crítico da exposição, Danielle convidou a artista visual Keyla Sobral. A revisão do texto“ A dama do mar não sente ciúmes” de Danielle contou com a escritora Ivana Arruda Leite. Danielle cercou-se de mulheres que são suas referências e completa “venho de uma família onde as mulheres são maioria e mais que isso, são as fortalezas nas quais me inspiro também”. Atualmente Danielle está expondo na exposição VaiVém no Centro Cultural Banco do Brasil; na Exposição Nazanza, na Galeria Aymoré, ambas no Rio de Janeiro e também na exposição “Triangular: arte deste século” na Casa Niemeyer em Brasília.

Danielle Fonseca vive e trabalha em Belém (1975) - Indicada ao Prêmio Pipa 2016; Exposição "VAIVÉM", Centro Cultural Banco do Brasil (SP; Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte), 2019; Exposição “Triangular: arte deste século”, Casa Niemeyer (Brasília-DF); Salão Anapolino de Artes 2019 (Anápolis-GO); Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia 2019 (Belém-PA); Arte Pará 2019 "Malhas afetivas" - Museu do Estado do Pará e Museu da Universidade Federal do Pará, 2019; Exposição “Entre Acervos. Arte Contemporáneo brasileño” no Centro Cultural Rector Ricardo Rojas (Buenos Aires, Argentina, 2018); Exposição Entre Acervos, Palácio das Artes (Belo Horizonte, MG, 2018) "Do Ponto ao Pixel", Galeria de Artes do MABEU (Belém,PA,2018); "Posseidon é cabra, abelha e o movimento dos barcos",(Casa das 11 Janelas e Galeria Kamara Kó, Belém, 2016/2017); participou do Amazonian Video Art no Centre for Contemporary Arts (Glasgow; Escócia, 2016); “Brasil: Ficciones” Espaço Tangente (Burgos,Espanha,2016); “Film and video programme SET TO GO”no Contemporary Art Centre (Vilnius, Lituânia,2015/2016); “Film and video programme SET TO GO” no SINNE (Helsinki, Finlândia, 2015); participou do MIMPI Festival de Filmes (Parque Lage-Rio de Janeiro); “Nossos passos fazem jorrar a sede” selecionado na II Mostra do Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo 2015 (São Paulo, de agosto a outubro de 2015); Exposição coletiva “Outra Natureza” na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (Portugal/2015); Exposição de Videoarte “Brasil: Ficções” no Armazém do Chá (Porto-Portugal); Exposição “Pororoca: A Amazônia no MAR” no Museu de Arte do Rio (MAR/RJ) (2014); Exposição “Triangulações” (CCBEU/PA, Pinacoteca de Alagoas/AL, MAM-BA) (2014); Exposição “Com Licença Poética” no MUFPA (2014); Exposição “Deslize” no Museu de Arte do Rio (MAR/RJ) (2013); Exposição “Amazônia Lugar da Experiência” no Museu da UFPA (2012/13); Exposição “Outra Natureza” no Espaço Cultural do Banco da Amazônia (2013); Exposição “Cromomuseu” no Museu de Artes do Rio Grande do Sul (2012); Exposição “O Triunfo do Contemporâneo" - Santander Cultural (Porto Alegre/2012); "Corpo Incógnito - Água Viva" - Galeria Amarelonegro Arte Contemporânea (RJ/2012); "Coletivo/Individual Kamara Kó" - Galeria de Artes do CCBEU (Belém/2012); “Sobre Ilhas e Pontes” – Galeria Cândido Portinari (RJ/2010); Salão Arte Pará da Fundação Rômulo Maiorana; X Salão de Pequenos Formatos da Unama (2004);Abril Pra Arte, Museu de Arte de Belém (2001); exposição Onze Reflexos de Max Martins no CCBEU (2003); Exposição Faxinal das Artes, com curadoria de Agnaldo Farias - MAC - PR. (2002). 9º Salão de Artes de Itajaí - SC.(2003). 12º Salão da Bahia – BA (2005).Galeria Henfil "Diálogos"- São Bernardo do Campo –SP (2003).Participou do projeto de intercâmbio entre artistas brasileiros e Ingleses denominado ‘Fluxo de Arte Belém Contemporâneo’. Além da exposição "8 solos s/ superfície", na Galeria Theodoro Braga(2005).Realizou a individual "O Tao Caminho", no Laboratório das Artes - Casa das Onze Janelas -PA (2005/2006). Resultado de uma Bolsa de Pesquisa e Experimentação do IAP(Instituto de Artes do Pará).Salão Pequenos Formatos UNAMA-PA (2006).Realizou o vídeo “Rumo ao Farol” (2007), resultado de uma Bolsa de Pesquisa em Artes Visuais pela Fundação Ipiranga (PA).Artista convidada para exposição “Abre- Alas” – (Galeria A Gentil Carioca) (2008) RJ. Exposição “Swimming Pool: Mergulho de olhos abertos” – Galeria Graça Landeira (PA)-(2008). Participação na exposição FOTOINCENA - FOTORIO 2009 - Espaço Oi Futuro-(RJ) 2009; Participou da exposição coletiva “Aluga-se” Galeria Laura Marsiaj (RJ); 2009- Selecionada no Salão de Artes de Jataí (GO); 2009 - Exposição “FOTOATIVA Pará – Cartografias Contemporâneas” (SESC- SP); Participa do Museu Virtual de Artes Plásticas – MUVI. Possui artigos e textos nos seguintes sites e publicações: Revista de Filosofia Lampejo (Fortaleza-CE); Portal Literal (www.portalliteral.com.br); no Livro “Amazônia Lugar da Experiência”; no Catálogo “Pororoca: A Amazônia no MAR” (Museu de Arte do Rio – MAR-RJ); Revista Surfari (http://www.surfari.me/); Revista GOTAZ (Belém-PA); Revista Zunai de Literatura.

Posted by Patricia Canetti at 4:21 PM