Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


novembro 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise no blog:
Arquivos:
novembro 2019
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

novembro 7, 2019

Hello.Again: Daniel Albuquerque no Pivô, São Paulo

Sobre o que falamos quando apresentamos tecidos como obras de arte? Há uma opção quanto à fatura destas obras: elas são feitas à mão. O tempo humano entra na equação por essa porta. Os tecidos estão no mundo, não são virtualidade. São simultaneamente matéria presente e resíduo processual.
Daniel Albuquerque

No dia 9 de novembro, às 15h, o Pivô inaugura a exposição Cômodo, de Daniel Albuquerque. A mostra integra o programa Hello.Again, em que projetos inéditos de artistas em início de carreira são apresentadas na recepção da instituição, uma vitrine de 70 m2 no térreo do edifício Copan. Albuquerque explora as potencialidades do espaço para dar continuidade à investigação sobre as implicações do uso do tecido como matéria de produção poética.

Cômodo reúne uma série de composições feitas em tricô sustentadas por correntes tensionadas por pesos pendendo do teto até o chão. As linhas verticais e horizontais que formam o quadro são distorcidas pela relação de forças criada pelos materiais distintos que compõem suas partes. Segundo Albuquerque, submetido às condições do espaço e da gravidade, o tricô pode ser entendido como um corpo presente, mas também como índice de seu processo de feitura.

Denominados Quartos, os trabalhos desta série enfrentam o problema da perspectiva espacial como construção cultural que orienta nossos modos de ver. Afinal, a maneira que enxergamos o mundo é intrínseca à visão ou aprendemos a enxergar dessa forma?

Albuquerque está interessado em explorar as diferentes percepções provocadas no espaço da recepção do Pivô: uma vitrine, lugar que se situa em posição intermediária entre exterior e interior. Além disso, a trama do tricô permite que se enxergue através dele, integrando os vazios à composição espacial. Para o artista, o positivo (a matéria) é entendido como continuidade do negativo do espaço vazado. Transparente e opaco se complementam.

Daniel Albuquerque (Rio de Janeiro, 1983) vive e trabalha no Rio de Janeiro. Mestrando em História Social da Cultura, na PUC-Rio, Rio de Janeiro, RJ. Foi residente no programa Pivô Pesquisa em 2015/2016. Exposições individuais recentes: “Oral”, BFA Boatos Fine Arts, São Paulo, SP, 2017 e “Good Day”, Projeto especial, Galeria Cavalo, Rio de Janeiro, RJ, “To Daddy”, curadoria Marina Coelho, Kunsthalle São Paulo, São Paulo, SP e “Bikini Projects #2”, curadoria Marina Coelho, Kubik Gallery, Porto, Portugal, 2016. Coletivas de destaque: “36º Panorama de Arte Brasileira: Sertão”, curadoria Julia Rebouças, MAM-SP, 2019; “Circularidade vã”, curadoria Guilherme Marcondes e João Paulo Quintella, Espaço Foz, Rio de Janeiro, RJ; “A terceira mão”, curadoria Erika Verzutti, Fortes D’Aloia & Gabriel, São Paulo, SP; “Daniel Albuquerque & Puppies Puppies”, BFA Boatos Fine Arts, Milão, Itália, 2017 e “Lastro em campo”, curadoria Beatriz Lemos, SESC Consolação, São Paulo, SP; “Permanências & Destruições”, curadoria João Paulo Quintella, Rio de Janeiro, RJ; e “Choro e lágrimas não têm sotaque” , curadoria Fernanda Brenner, Camden Arts Council, Swiss Cottage Library, Londres, Inglaterra, 2017.

O programa Hello.Again tem como objetivo receber o visitante com intervenções realizadas na recepção do Pivô, promovendo um diálogo entre a rua, o Edifício Copan, as exposições em cartaz e os programas de formação de artistas. Em Hello. Again, os artistas são convidados a desenvolver projetos que levem em consideração o ambiente físico onde serão realizados e a realidade observada no entorno do Copan.

Posted by Patricia Canetti at 7:23 AM