Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


outubro 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise no blog:
Arquivos:
outubro 2019
setembro 2019
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

outubro 3, 2019

Rafael Vogt Maia Rosa na São Paulo Flutuante, São Paulo

Rafael Vogt Maia Rosa apresenta sua primeira exposição autoral, a partir de 10 de outubro, na Galeria São Paulo Flutuante

Em “Senhor das Nuvens”, o crítico de arte e curador reúne 70 aquarelas e vídeos, que abordam a relação entre natureza e cultura na arte contemporânea

Suas paisagens imaginárias são inspiradas no que ele chama “restauro da beleza natural”

O crítico de arte e curador Rafael Vogt Maia Rosa apresenta sua primeira exposição autoral, Senhor das Nuvens, entre os dias 10 de outubro e 14 de novembro de 2019, na Galeria São Paulo Flutuante. A mostra reúne um conjunto de 70 aquarelas e vídeos, realizado nos últimos quatro anos, abordando as relações entre natureza e cultura na arte contemporânea.

As aquarelas de Vogt Maia Rosa foram descobertas pela galerista Regina Boni recentemente. São, na maioria, paisagens imaginárias e inspiradas no que o artista chama “restauro da beleza natural”, em um momento especialmente crítico para política ambiental brasileira. Elas apresentam também figuras humanas nuas e pássaros, elementos pesquisados por Rafael desde seu estágio como artista convidado na Yale School of Drama, nos EUA.

“A técnica da aquarela, tipicamente das que se apreende e não se ensina, me foi transmitida por meus pais, junto à Pedagogia Waldorf. Acredito que a hipótese do artista alemão Joseph Beuys esteja certa, na medida em que cada homem é um artista e que todos, portanto, o sejamos”, diz o curador e artista. Para ele, a aquarela se distingue da pintura a óleo por uma relação mais direta com a natureza líquida da água. “Ela permite ao artista lançar a sua sorte e pensar seu percurso a partir do automatismo e do acaso, tal como em oráculos mais tradicionais como o I Ching”.

Além das aquarelas, a exposição traz experiências sonoras e vídeos sobre o carácter oracular do fazer artístico. “Acredito que uma das principais funções da arte seja nem tanto a de afirmar identidades artísticas, mas de lançar perguntas a respeito de quem nós somos ”, explica Vogt Maia Rosa.

SOBRE O ARTISTA

Rafael Vogt Maia Rosa (São Paulo, 1974) é crítico de arte, curador, dramaturgo e músico. Graduado em Linguística, mestre e doutor em literatura comparada pela USP, foi, por duas vezes, pesquisador e artista convidado na Yale University, nos EUA, entre 2010 e 2015. Trabalhou na Bienal de São Paulo e no jornal Folha de S. Paulo e integrou o Círculo de Dramaturgia do CPT de Antunes Filho. Foi também professor de teoria da arte na Faculdade Santa Marcelina e ministrou cursos livres de arte em museus e instituições como Museu de Arte Moderna de São Paulo, Sesc, Instituto Tomie Ohtake, entre outros.

Atualmente assina a curadoria “Abertura 1980” em cartaz no Instituto Figueiredo Ferraz, em Ribeirão Preto e já publicou ensaios e entrevistas com escritores e artistas como Alan Pauls, Robert Storr, Nelson Leirner e Tunga.

SOBRE A GALERIA

Regina Boni, figurinista da Tropicália e uma das principais galeristas de São Paulo nos anos 1980 e 1990 – ajudou a alavancar carreira de artistas como Luiz Paulo Baravelli, Wesley Duke Lee, José Resende –, resolveu voltar à cena no final de 2018.

Ela alugou temporariamente um imóvel na Rua Estados Unidos, nos Jardins – mesma rua onde ficava sua antiga galeria São Paulo, fechada em 2002— e inaugurou a São Paulo Flutuante.

No novo espaço, apresenta nomes pouco conhecidos e trabalha com preços de até R$ 12 mil reais. “Sinto-me desafiada pelos rumos desse mercado, em suas vertigens de valores abusivos e curadores estelares, distanciados dos caminhos mais soberanos da criação”, afirma Regina.

Já foram apresentadas exposições de Ucho Carvalho, Fernando Barata, Rodrigo Sombra e Manu Maltez, além de uma mostra em homenagem aos 80 anos de Sergio Mamberti.

Posted by Patricia Canetti at 12:30 PM