Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            
Pesquise no blog:
Arquivos:
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

junho 26, 2019

Néle Azevedo em frente ao Theatro Municipal, São Paulo

Artista visual Néle Azevedo celebra a condição humana na instalação/performance "Estado de Suspensão", em frente ao Theatro Municipal de SP

A artista visual mineira Néle Azevedo apresenta a instalação/performance Estado de Suspensão na próxima sexta-feira, dia 28 de junho de 2019, às 18h,em frente ao Theatro Municipal de São Paulo, na Praça Ramos de Azevedo, região central.

"Estado de Suspensão" é uma instalação efêmera, que leva o público a uma jornada imersiva. Mais de 1000 figuras de gelo serão suspensas em diferentes alturas em uma estrutura metálica. Durante cerca de uma hora, elas irão lentamente e dramaticamente desaparecer. A performance faz parte do websérie Great Big Story, comissionada pela empresa norte-americana Courageous Studio, que tem trabalhos de artistas como o britânico Reuben Wu, produtor e membro da banda Ladytron.

As figuras são antropomórficas e alongadas [feminina e masculina]. As esculturas serão dramaticamente iluminadas, acentuando o gotejamento, rachaduras e quebra do gelo. Elas se fundem suspensas por fios e o som do derretimento é amplificado por microfones instalados em alguns vasilhames, como panelas, baldes e vasilhas de metal. O desenho de luz fica a cargo de Mirella Bandi e o som, de Dino Vicente.

Celebração do efêmero

A instalação/performance alude a um estado provisório, a uma suspensão do corpo em relação ao chão, a um estado de estar em algum lugar sem realmente estar lá. Enquanto derretem, evidenciam não apenas a fragilidade e o efêmero, mas também um estado provisório de passagem, de transição, do intermediário. A temporalidade das figuras de gelo suspensas recorda nossa condição humana tanto do ponto de vista da subjetividade quanto do coletivo. Pelo derretimento dos corpos e pela expansão do som, a obra traz à tona os conflitos entre a temporalidade humana e a temporalidade expressa pelo ritmo da vida contemporânea: questões do corpo, da existência, da subjetividade e do espaço.

Sobre a artista

Néle Azevedo nasceu em 1950, em Santos Dumont-MG. Vive e trabalha em São Paulo/SP. É mestre em Artes visuais pela UNESP, em 2003, e Bacharel em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina, em 1997. Interessada em investigar as relações entre o corpo humano e a cidade, Néle Azevedo iniciou, em 2005, uma série de ações no espaço urbano com a obra "Monumento Mínimo", esculturas em gelo postas a derreter no espaço público. Sempre contextualizando a ação efêmera ao local, a artista percorreu dezenas de cidades no Brasil e no exterior, como a França, Portugal, Alemanha, Itália, Alemanha, Noruega, Peru, Chile, Inglaterra, Dinamarca e Estados Unidos, entre outras. www.neleazevedo.com.br/monumento-minimo

As imagens da intervenção urbana criada por Néle Azevedo foram registradas por TVs, jornais e pelo público em geral e tornaram-se mundialmente conhecidas. Desse modo, o "Monumento Mínimo" alcançou um papel importante na história da arte urbana contemporânea, sendo incluído em diversas publicações internacionais. www.neleazevedo.com.br/publicacoes-publications

Posted by Patricia Canetti at 1:50 PM