Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


março 2018
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
Pesquise no blog:
Arquivos:
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

janeiro 31, 2018

Federico Herrero na Luisa Strina, São Paulo

‘Nascido em San José (Costa Rica), o trabalho de Herrero em tela e suas intervenções urbanas são organicamente coerentes, produzindo uma fantasia do dispositivo lugar/não-lugar (Robert Smithson) de um ponto de vista diferente. O dilema é familiar: como o estúdio pode ser re-imaginado na selva contemporânea, em diálogo com o brutalismo de edifícios de concreto, poluição e trânsito? Qual tipo de mensagem um pintor pode transmitir para uma metrópole sem se tornar diluído nas entranhas de seu caos insustentável?’ (Lisette Lagnado, 2017)

Em sua terceira individual - Pinacoteca Carnívora - na Galeria Luisa Strina, Herrero apresenta trabalhos inéditos: uma série de monotipias sobre papel e um grupo de pinturas monocromáticas; além das suas pinturas em grande formato.

As monotipias apresentam esquemas espaciais que não cumprem uma função representativa; para o artista o papel serve de espaço arquitetônico que informa as telas monocromáticas; expandido a linguagem do artista e criando novas possibilidades de leitura do trabalho. Sete telas pretas enquadram vazios, como se tivessem engolido quem contempla, fazendo-o olhar de dentro para fora.

Exposições individuais recentes incluem: ‘Language Melody’, Sies + Höke Galerie, Düsseldorf (2017); ‘Desordem Alfabético’, Galeria Luisa Strina, São Paulo (2015); Sies + Höke, Düsseldorf (2014); ‘Letras y Volúmenes’, Proyectos Monclova, Cidade do México (2014); ‘El espacio se construye’, Diablo Rosso, Cidade do Panamá (2013); ‘La terraza de Hanzel y Gretel’, La casa encendida, Madri (2013); ‘Aloha Amigo’, 21st Century Art Museum, Kanazawa, Japan (2012); ‘Catarata’, Proyectos Ultravioleta, Cidade da Guatemala (2011); Kunstverein Freiburg, Alemanha (2008) e CCA Wattis Institute for Contemporary Arts, São Francisco (2008).

Exposições coletivas recentes incluem: ‘Under the Same Sun: Art from Latin America Today’ – instalação site specific, South London Gallery, Londres (2016); ‘United States of Latin America’, MOCAD Museum of Contemporary Art, Detroit (2015); ‘Under the Same Sun: Art from Latin America Today’, Solomon R. Guggenheim Museum, New York (2014); ‘P33 Panorama da Arte Brasileira’, MAM-SP Museu de Arte Moderna, São Paulo (2013); Concepción41, Antigua, Guatemala (2013); ‘Una posibilidad de escape’, EACC de Castellón, Espanha (2013); Para/site, Hong Kong (2011) e Art Parcours, Basiléia (2011).

Seu trabalho é parte de coleções institucionais tais como the Solomon R. Guggenheim Collection, USA; Tate Collection, England; Philadelphia Museum of Art, USA; MUAC Museo Universitario de Arte Contemporáneo, Mexico City; CCA Wattis Institute for Contemporary Art, USA; Hara Museum of Contemporary Art, Japan; Museo Reina Sofía, Espanha; MAM-SP Museu de Arte Moderna de São Paulo, Brazil; Ella Fontanels-Cisneros Collection, USA.

Posted by Patricia Canetti at 6:47 PM