Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2015
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        
Pesquise no blog:
Arquivos:
As últimas:
 

novembro 29, 2014

Mais Pintura na EAV Parque Lage, Rio de Janeiro

A Escola de Artes Visuais do Parque Lage apresenta a partir do dia 5 de dezembro de 2014 a exposição “Mais Pintura”, com curadoria de Luiz Ernesto e Bruno Miguel que selecionaram trabalhos de vinte e um artistas que integram seu curso Questões prático-teóricas da pintura na contemporaneidade, na instituição. Os artistas são: André Andrade, Angela Od, Benjamin Rothstein, Bruno Belo, Caio Pacela, Cláudia Porto, Claudio Gabriel,Eduardo Borges, Fabiano Devide, Fernanda Leme, Gabriel Secchin, Henrique Aragão, Kakati de Paiva, Maia Bueloni, Marcos Dias Corrêa, Mariana Corrêa, Makh Yosizawa, Paloma Ariston, Stella Margarita, Victor Mattina, Vitória Marini.

Os curadores explicam que o projeto "Mais Pintura" surgiu em 2013 como “desdobramento do curso”, e a ideia é “apresentar pinturas de novos artistas que se encontram semanalmente para discussão e análise crítica de seus trabalhos com os orientadores”. “Não se pretende com esta mostra buscar afinidades técnicas ou temáticas. Ao contrário, procurou-se selecionar os artistas que pudessem evidenciar em seus trabalhos o vigor, a disciplina e a diversidade da pintura de um grupo de novos artistas no Rio de Janeiro”, afirmam.

Luiz Ernesto e Bruno Miguel observam que nos últimos anos, acompanham o “desenvolvimento vertiginoso das tecnologias digitais”. “As mais corriqueiras experiências do dia-a-dia se transformam, pelos mais variados dispositivos, em imagens que, instantaneamente são postadas nas redes sociais e distribuídas por todos os lugares. Com vida curta, são vistas por segundos apenas, dando lugar a outras e outras que as sucederão em um fluxo sem fim. A experiência do tempo é o instante e a onipresença deixa de ser um atributo apenas divino”. Eles ressaltam, porém, que “longe de se opor a este mundo da tecnologia, a pintura fertiliza-se com ele”. “Experimenta novos materiais, apropria-se de suas imagens e as ‘encarna’ em substância, dando-lhes assim, um corpo material de cores e marcas únicas — literalmente, dá-lhes uma espessura”.

“Esta presença física cria um atrito com este fluxo veloz da excitação tecnológica, reagindo assim à premência do instante e afirmando uma outra temporalidade: a temporalidade própria do objeto de arte. Um outro ritmo que permite a emersão de novos sentidos e reflexões”, escrevem no texto que acompanha a exposição.

“Mais Pintura” pretende “alimentar o debate”. “Neste mundo, a pintura torna-se uma prática aparentemente paradoxal: demorada para se aprender, demorada para se fazer, demorada para se fruir e principalmente, difícil de se definir. E ainda assim, ela persiste”.

SOBRE ARTISTAS

André Andrade nasceu no Rio de Janeiro onde vive e trabalha. Frequentou cursos livres na EAV Parque Lage. Participou de diversas exposições, como “Pincelada”, na Galeria Baró, em SP, “Mais Pintura“ – Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio, “Porque não me contou sobre você”, na Galeria Athena, Rio, em 2012, e de feiras como SP – Arte e ArtRio. Em 2011 foi selecionado para o “Arte Pará” e teve seu trabalho em 2014 adquirido pelo Museu MAR. Aborda em seu trabalho questões relacionadas à tecnologia.

Bruno Belo nasceu no Rio de Janeiro, em 1983. Artista graduado em Arquitetura e Urbanismo, atuou como professor na Universidade Santa Úrsula. Selecionado para os programas de arte Aprofundamento, 2011, e Projeto de Pesquisa 2012 (EAV, RJ); Principais exposições: Bienal do Recôncavo (BA); “Declaring Independence” (Eric Fischl Gallery, USA); “Black Tie” (BNDES, RJ);” Novíssimos” (Ibeu, RJ); 45º Salão De Arte Contemporânea (Piracicaba, SP); “Mais Pintura” (ECCO, Brasília); 13º Salão Nacional De Arte (Jataí, GO).

Cláudia Porto nasceu em Belém do Pará, e vive no Rio. Fez o projeto de pesquisa A Imagem em questão, em 2012, com coordenação Glória Ferreira; e recentemente Teorias da arte, com Fernando Cocchiarale, na EAV Parque Lage, em 2014, Prêmio Individual Galeria Belvedere Paraty (RJ); participou das coletivas “Mais Pintura”, ECCO Brasília; 19º Salão UNAMA (PA); 2013, “Mais Pintura”, no CCJF; “A imagem em questão”, EAV.

Eduardo Borges nasceu no Rio de Janeiro, vive na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. É um artista memorialista. Formado pelo Instituto de Artes e Design, na Universidade Federal de Juiz de Fora, em 2008. Seu trabalho traz um diálogo constante entre memória, desejo de permanência e esquecimento.

Fabiano Devide nasceu em Florianópolis, mantém ateliê no Rio, com formação artística na EAV Parque Lage desde 2009. Fez a individual “Híbridos”, na Galeria Café, no Rio. Entre coletivas e salões, participou do 18º Salão Unama de Pequenos Formatos, Galeria Graça Landeira, Belém do Pará; 42º Novíssimos 2012, Galeria IBEU/RJ; 12º Salão Nacional de Arte de Jataí, MAC-Jataí/GO; “Afinidades: a escolha do artista”, Caza Arte Contemporânea, no Rio; “Experiência Pintura”, EAV Parque Lage; “Opening”, Galeria OL/MG; “Como refazer o mundo”, Galeria LFL/BA.

Fernanda Leme nasceu no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Santa Úrsula, frequenta a EAV Parque Lage desde 2009, onde participou de vários cursos. Faz parte do Grupo “Mais Pintura” desde 2013. Entre as exposições, destacam-se a coletiva “Mais Pintura”, 2013, no Centro Cultural da Justiça Federal, Rio de Janeiro e Espaço ECCO, Grupo “Mais Pintura”, 2014, em Brasília.

Kakati de Paiva nasceu no Rio de Janeiro em 1957, onde vive e trabalha. Formou-se em arquitetura na Universidade Santa Ursula , RJ. Em 2012 realizou uma exposição individual em Paris ,”Tangences” na Galerie R Fernandes e participou da mostra “Novas Aquisições – Coleção Gilberto Chateaubriand”, no MAM Rio. Seu trabalho permeia momentos sempre ligados a limites, espaços que dialogam entre si e que de alguma forma disputam em conflitos a temporalidade, o ritmo e descanso de suas ligações.

Mariana Corrêa nasceu em 1988 no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. Sua pesquisa atual parte de uma relação amorosa desfeita. Como se estivessem presas em um conto de fadas melancólico, mulheres em um estado meio de sonho, suspensas no limbo, flutuam em lençóis carregados de lembranças, estampas e padrões reinventados. Como quem mostra as páginas do próprio diário, como quem conta um segredo em voz baixa, traz situações a principio pessoais, para dialogar com uma realidade inerente à condição humana.

Paloma Ariston começa a frequentar o Parque Lage em 2000. Cursa "Construção, Conceito e Narrativa na Figura Pintada", com Chico Cunha e Daniel Lannes, e "Questões Prático-teóricas da Pintura na Contemporaneidade", com Luiz Ernesto e Bruno Miguel. Em 2011, faz exposição individual no Espaço Cultural Sérgio Porto, com curadoria de Ducha; em 2013 participa da exposição coletiva “Mais Pintura”, com curadoria de Luiz Ernesto e Bruno Miguel, no Centro Cultural Justiça Federal.

Stella Margarita é artista visual. Entra em contato com a pintura em 2006 na cidade de Caracas, Venezuela, sendo aluna do artista plástico Enrique Etievan. Em 2008 ingressa na Escola de Artes Visuais, Parque Lage no Rio de Janeiro, participando desde então de diversos cursos de pintura e teorias da arte. Sua pintura toma como ponto de partida imagens de pessoas em estado contemplativo e introspectivo, atmosferas psicológicas que falam de memória em um clima nostálgico e silencioso.

Vitória Marini nasceu no Rio de Janeiro em 1951. Formada em pintura pela Escola de Belas Artes da UFRJ, com pós-graduação em Arte e Filosofia pela PUC-Rio. Frequentou cursos livres na kunsthochschule Berlin, New York Academy of Art e Parque Lage. Sua pintura explora as possibilidades que a temática do corpo humano oferece.

Posted by Patricia Canetti at 10:15 AM