Página inicial

Arte em Circulação

 


abril 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        
Pesquise em
arte em circulação:

Arquivos:
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
março 2012
fevereiro 2012
dezembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
julho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
setembro 2008
maio 2008
abril 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
novembro 2004
junho 2004
abril 2004
março 2004
fevereiro 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
setembro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

março 31, 2019

Ramonn Vieitez - Um lugar calmo para minhas certezas por Ton Martins

Um lugar calmo para minhas certezas

TON MARTINS

À primeira vista os trabalhos de Ramonn Vieitez indicam uma atmosfera enigmática. Suas obras mais conhecidas mascaram identidades e intenções, e mesmo que em algumas composições haja algum indício de violência, são cenas de origem e desfecho desconhecidos. Um lugar calmo para minhas certezas apresenta um grupo de trabalhos que representam uma fase de descobertas e transformações em sua produção. Através de pinturas e experimentos em diferentes mídias, o artista idealiza associações a necessidade de mudança e adaptação a que somos constantemente submetidos.

Na tentativa de criar condições ideais de sobrevivência de espécies botânicas em ambientes diversos, Nathanael Ward criou no final do século XIX um recipiente que ficou conhecido como Caixa de Ward - antecedente do que hoje é conhecido como terrário. Em Uma flor especial a ser cultivada cactos cultivados no jardim de Ramonn invadem o espaço expositivo revestidos por tinta preta e abrigados por um objeto suspenso, em uma espécie de culto ao desejo pelo proibido. Esta tentativa insistente e falha de eternizar o efêmero também é apresentada em sua nova série de gravuras. O artista as concebeu utilizando como matriz impressões a jato de tinta sobre papel alumínio, um suporte incapaz de absorver a matéria, sendo necessário transferi-la para outro corpo.

As pinturas de Vieitez revelam sua natureza introspectiva e melancólica. Há nelas, quase sempre, a presença de jovens rapazes solitários estáticos em ambientes indistintos, num espaço ocupado pela impressão de que algo acabou de acontecer ou que há muito é preenchido apenas por memórias, em contextos que permeiam entre realidade e fantasia. Obras silenciosas que provocam nossos desejos implícitos de sermos distraídos ao observá-las. Assim como o misto de adoração e desejo das fotografias homoeróticas de Alair Gomes, as obras de Ramonn demonstram o seu fascínio pela beleza e juventude. Em alguns dos seus trabalhos o artista retrata garotos do seu convívio pessoal ou que acompanha através das redes sociais, que em uma expressão comum podem ser considerados seus "crushes", num ímpeto de aproximação e/ou contemplação afetiva.

Um lugar calmo para minhas certezas vem de um lugar íntimo/confessional, onde práticas cotidianas do artista se unem criando simbolismos para ajudar a entender e lidar com momentos transitórios. Partes de um amplo universo traduzidos para o entorno de um cotidiano familiar.

Posted by Patricia Canetti at 11:37 AM