Página inicial

Quebra de Padrão

 


junho 2020
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        
Pesquise em
Quebra de Padrão:

Arquivos:
As últimas:
 

junho 18, 2020

Instituto Tomie Ohtake realiza a 4º edição do projeto Experiências Negras

O Núcleo de Cultura e Participação do Instituto Tomie Ohtake realiza a 4ª edição do projeto Experiências Negras | Artistas: Produzindo em tempos de confinamento. Os artistas convidados Keila Serruya (Brasil), 18 de junho, Nu Barreto (Guiné-Bissau), 25 de junho, e Rubén H. Bermudéz (Espanha), 2 de julho, apesentam as suas pesquisas e poéticas, investigações atuais e a relação de suas produções com o período de isolamento social.

18, 25 de junho e 2 de julho, quintas-feiras, às 16h

Os dois primeiros encontros são ao vivo e em português, enquanto a conversa com o artista espanhol foi gravada e será disponibilizada com legendas. Cada um dos artistas também está desenvolvendo um trabalho, comissionado pelo Instituto Tomie Ohtake, em diálogo com a experiência de confinamento.

Com mediação da educadora Jordana Braz, os encontros virtuais acontecem sempre às quintas-feiras, às 16h, no Instagram do Instituto Tomie Ohtake. No dia 18 de junho haverá o lançamento da terceira publicação digital Experiências Negras | Novas Curadorias Femininas: possibilidades e transgressões. Essa publicação, vídeos e publicações anteriores do projeto estão online.

Keila Serruya (Brasil) é artista amazonense que evoca a arte e os conhecimentos ancestrais para se manter viva e resistente. Mãe, artista visual, realizadora audiovisual, fotógrafa e produtora cultural. Analisa constantemente os prováveis diálogos a serem praticados e desenvolvidos com a cidade e quais são as urgências. Compreende que os diálogos tecnológicos, periféricos, audiovisuais e de ocupação trazem uma proposta que modifica o existir de todos que consomem essas narrativas para RUA. Vive em Manaus, Amazonas.

Nu Barreto (Guiné-Bissau) é artista plástico Guineense radicado em França, onde vive e trabalha. Formado em fotografia pela 4AEP e o Gobelins (Ecole de métiers ’images/Paris-1996), retoma o desenho e a pintura em 1997. Participou de diversas exposições individuais e colectivas de destaques e está presente em distinguidas coleções privadas (PLMJ, Coleção do rei de Marrocos...) e públicas (National Museum of African American History and Culture/Smithsonian DC Washington/USA, Museu de Mucane/Vitória/Brasil...). Vive em Paris, França.

Rubén H. Bermúdez (Espanha) é fotógrafo e docente. Autor do livro “Y tu, ¿por qué eres negro?”, também co-fundador do Colectivo Afroconciencia e colaborador da Revista Clavo-Ardiendo Magazine e desenvolve trabalhos pontuais como curador de arte. Vive em Madrid, Espanha.

Posted by Patricia Canetti at 12:29 PM