março 2012
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
Pesquise no blog:
Arquivos:
As últimas:









patrocínio_

    





apoio_











Powered by
Movable Type 4.01

 

agosto 20, 2006

Comunidade -empyre- discute tópico do documenta 12 magazines

Lista de discussão promovida pela comunidade digital australiana -empyre- aborda a questão lançada por Roger Buergel para o projeto documenta 12 magazines

"Quem checar tanto uma enciclopédia canônica como a Wikipédia encontrará uma confusa (e por vezes contraditória) matriz de classificações para aspectos da Modernidade, tais como: burocracia, desencantamento do mundo, racionalização, secularização, alienação, acomodação, descontextualização, individualismo, subjetivismo, progressão linear, objetivismo, universalismo, reducionismo, caos, sociedade de massas, sociedade industrial, homogeneização, unificação, hibridização, diversificação, democratização, centralização, organização hierárquica, mecanização, totalitarismo e muitas outras.

Algumas dessas classificações são ainda utilizadas para definir a cultura contemporânea, mesmo que seus sentidos tenham sido alterados (acomodação, hibridização, diversificação, etc.); outras parecem ser menos pertinentes (centralização, organização hierárquica, etc.) ou, no mínimo, precisamos reconhecer que se estabeleceu uma tensão entre centralização / descentralização, organização hierárquica / sociedade em rede na era das tecnologias da informação.

Então, qual a relação entre a modernidade e as sociedades atuais? Ainda vivemos numa modernidade tardia, numa variante dela (hiper-modernidade) ou numa subcategoria (pós-modernidade)?

Estamos observando um intenso movimento de bens, capitais, pessoas e informações. Ao mesmo tempo, algumas partes do mundo testemunham uma fase de retorno a um estágio pré-iluminista, irracional e de-secularizado. De que forma essas tensões e rupturas podem ainda ser adequados e entendidos sob os pólos da Modernidade e da Antigüidade?"

CHRISTINA MCPHEE, curadora e professora norte-americana, em resposta ao tópico "É a Modernidade nossa Antigüidade?"

Leia a íntegra da discussão, em inglês, no sítio da -empyre-