Página inicial

Quebra de Padrão

 


julho 2020
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
Pesquise em
Quebra de Padrão:
Arquivos:
As últimas:
 

julho 27, 2020

SOLIDARIEDADE Projeto Proteja Vidas

O Projeto Proteja Vidas, Preserve Arte reúne um grupo de voluntários profissionais brasileiros das artes visuais com o objetivo de levantar recursos para apoiar, inicialmente, 20 artistas visuais do Ceará e mais outra cota a ser revertida a uma organização civil de ações socio-culturais com foco em pessoas transvestigêneres do Estado do Ceará.

A ação se dá por meio de doações que terão como recompensa máscaras de proteção facial com impressões de desenhos de artistas apoiadores e beneficiados pelo Projeto, em edição limitada. Os dados sobre o Projeto estão no site, onde a campanha criada para financiamento coletivo via Cartase, pode ser acessada, e ao clicar em “doe agora” se é direcionado às opções de valores a contribuir e às respectivas recompensas, a serem entregues em agosto.

Entre os envolvidos no PROTEJA VIDAS, PRESERVE ARTE estão a pesquisadora e curadora de artes visuais Jacqueline Medeiros, os artistas Efrain Almeida, Junior Pimenta (co-editor da Revista Reticências), Laura Villarosa (RJ) com a colaboração da crítica, curadora independente e também editora da revista Reticências Ana Cecilia Soares, como ainda a artista Cleo do Vale do coletivo Wà e do sobralense Anderson Medeiros.

Assim, os artistas a serem beneficiados pelo Projeto Proteja Vidas, Preserve Arte, selecionados a partir de indicação de artistas locais das regiões do Cariri, Norte do Estado e de Fortaleza, não contemplados pelos editais lançados a nível estadual ou nacional, receberão o valor líquido arrecadado de forma igualitária.

Além dos beneficiados pelo Projeto, vários artistas em diversos estágios de carreira e de diferentes estados do Brasil e de Portugal foram convidados a doar uma imagem de um trabalho, inédito ou não, para compor a variedade das recompensas aos doadores. Entre os artistas que até o momento já doaram trabalhos artísticos para impressão nas máscaras de recompensas estão: Alex Cerveny (SP), Aline Albuquerque (CE), Anderson Morais (CE), Diego de Santos (CE), Efrain Almeida (CE/RJ), Elvis Almeida (RJ), Erika Verzutti (SP), Laura Villarosa (Itália /RJ), Leda Catunda (SP), James Kudo (SP), Jonas Sampaio (CE), Junior Pimenta (CE), Maria Fernanda Lucena (RJ), Rian Fontenele (CE), Rute Rosas (Porto-PT), Wà Coletivo (Cleo do Vale, Rose Severo, Shayna Moura, Élida Gomes), Zenon Barreto (CE). Outras novidades virão em breve!

“Neste momento de estagnação da atividade artística de forma presencial, e considerando o grau elevado de informalidade dos trabalhadores das artes, particularmente no estado do Ceará, é que buscamos amenizar os impactos socioeconômicos das restrições estabelecidas pela pandemia da COVID-19. Sabemos que alguns editais emergenciais importantes foram realizados, no entanto são incapazes de darem conta de um universo tão grande”, expõe Jacqueline Medeiros.

Posted by Patricia Canetti at 10:17 AM

julho 3, 2020

Live com Fernanda Pitta + Raquel Garbelotti no @galeriamariliarazuk

A curadora Fernanda Pitta bate papo com a artista Raquel Garbelotti sobre sua produção no sábado, dia 4 de junho de 2020, às 16h, no Instagram @galeriamariliarazuk.

RaquelGarbelotti_MariliaRazuk.jpg

Raquel Garbelotti, Wind Fence, 2017 - Maquete de acrílico e minério de ferro, 13 x 50 x 70 cm, edição: 1/3 (foto Edouard Fraipont)

No projeto intitulado Wind Fence, há uma maquete da casa onde a artista reside tomada pelo minério de ferro, material bruto extraído no estado do Espírito Santo. Um video mostra esse processo de invasão do pó de minério na maquete. Ambos, filme e maquete dão a ver o perigo das invasões da modernidade, sua herança desenvolvimentista e os impactos na paisagem e na vida das pessoas. No filme, a arquitetura da casa toda branca vai se revelando aos poucos à medida que o minério vai adentrando o espaço e tomando os cômodos. Wind Fence refere-se, portanto, a uma cerca que não barra o vento, mas que faz o minério adentrar ou invadir todas as casas e edifícios em Vitória, no Espírito Santo.

Fernanda Pitta é historiadora da arte, curadora sênior na Pinacoteca de São Paulo. Atualmente, além de colaborar com a curadora Naine Terena na exposição "Véxoa: nós sabemos", com abertura em fins de agosto na Pinacoteca, prepara com o pesquisador Laurens Dhaenens a curadoria da mostra "No one would have believed" a ser inaugurada em novembro, no Kunstwerk Aalst, em Aalst, na Bélgica.

Raquel Garbelotti é artista e pesquisadora. Faz Pós-Doutorado em Cinema na ECA/USP. Doutora pela EDCA/USP em 2011. Docente na UFES desde 2004. Sua pesquisa relaciona-se com vídeo-instalações e o cinema de exposição. Trabalha com a questão fílmica e a arquitetura, e apresentou os desdobramentos de suas pesquisas em exposições no Brasil e exterior.

Posted by Patricia Canetti at 11:58 AM