Página inicial

Salões & Prêmios

 


agosto 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

outubro 29, 2010

Prêmio Registros - vídeos sobre arte: As Menções Honrosas

Beam Drop Inhotim (2008) de Pablo Lobato
Conjunto K + Concerto Artificial - Lucia Koch + Kassin de Registro de Arte
Ensino da arte: Um espaço poético de Greice Cohn
Procura-se de Grima Grimaldi
#07 Piratão Gentil de Coletivo Filé de Peixe
Premiados
Selecionados
Regulamento
Patrocinadores


Beam Drop Inhotim (2008), 0:05:37
Pablo Lobato

Verbete biográfico
Bom Despacho, 1976. Vive e trabalha em Belo Horizonte. Formado na Faculdade de Comunicação e Artes-PUC Minas. Especializou-se em cinema-PUC Minas/UFMG. Estudou fotografia na escola Guignard–UEMG. Um dos criadores da Teia-Centro de pesquisa audiovisual. Co-diretor do filme Acidente, premiado como melhor Doc Ibero-Americano em Guadalajara, México, 2007. Em 2008 foi contemplado pelo 29º Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte – Bolsa Pampulha e passou a se dedicar continuamente a outras linguagens que não o cinema. Foi bolsista da John Simon Guggenheim Foundation, NY, 2008-09 e contemplado pelo Prêmio Marcantonio Vilaça, Funarte, 2009-2010. Em 2010 realizou sua primeira exposição individual, O Que Pode a Expiração, no Museu Inimá de Paula, BH.

Ficha técnica
Realização da Obra do artista Chris Burden: Instituto Inhotim
Produtora do vídeo: Teia
Direção: Pablo Lobato
Produção: Luana Melgaço
Câmera: Clarissa Campolina, Helvécio Marins Jr., Pablo Lobato, Roberto Bellini, Sérgio Borges
Montagem: Pablo Lobato
Finalização: Fabiano Waewell
Som direto: Osvaldo Gomes Ferreira
Edição de som: O Grivo

Memorial da obra
O vídeo documenta a performance realizada pelo artista Chris Burden em Inhotim, que resultou na obra Beam Drop Inhotim (2008). Dirigido por Pablo Lobato, o vídeo foi produzido pela Teia.

Beam Drop Inhotim (2008) é uma escultura em grande formato, localizada no alto de uma montanha, feita de 71 vigas de construção jogadas por um guindaste de uma altura de 45 metros, dentro de uma vala cheia de cimento fresco, durante um período de 12 horas. O padrão aleatório das vigas caídas formou a obra, numa interpretação da gestualidade do expressionismo abstrato, ao mesmo tempo propondo uma desconstrução da escultura moderna. Esta peça é a recriação, em formato maior, de um trabalho originalmente instalado em 1984, no Art Park, no Estado de Nova York, e destruído em 1987.

Para a realização do vídeo foram utilizadas 3 câmeras, sendo que uma delas, em alguns momentos, ficou instalada no guindaste usado para içar as vigas. O caráter sonoro da performance conduziu de modo especial a captação do áudio para que este pudesse ser devidamente incorporado ao vídeo.

volta ao topo


Conjunto K + Concerto Artificial - Lucia Koch + Kassin, 0:07:59
Leticia de Azambuja Ramos/Registro de Arte

Verbete biográfico
"Registro de Arte" é um selo audiovisual criado e dirigido pela artista Letícia Ramos.
O objetivo do selo é extrapolar o mero aspecto documental do registro de arte e apostar na experimentação e desenvolvimento de uma linguagem própria para cada obra e artista.

Letícia Ramos é artista e montadora cinematográfica Seu foco de investigação artística é a criação de aparatos fotográficos próprios para a captação e reconstrução do movimento e sua apresentação em vídeo. Seus trabalhos já foram expostos em importantes mostras e galerias, como a Tate Modern em Londres, 16º Videobrasil em São Paulo, Laboratório de Arte Alameda, México. Em 2009 Foi selecionada pelo prêmio RUMOS de Artes visuais do Instituto Itaú Cultural realizando uma intenerância de exposições pelo Brasil entre elas no Museu de Arte Moderna em Salvador, Itau Cultural, SP e Paço Imperial , Rio de Janeiro . Em 2090/2010 Realizou a exposição individual ERBF ‐ estação radiobasefotográfica , dentro do programa de exposições do Centro Cultural São Paulo. Recetemente foi selecionada para a residência “ The Artic Circle” para desenvolver o projeto Bitácora a bordo de um veleiro no Polo Norte. Também ganhadora do Premio Marc Ferrez 2010 - FUNARTE para criação fotografica. Es te ano, cria o selo Registro de Arte a fim de organizar e direcionar suas produções a pesquisa de linguagem do registro de arte e suporte tecnico para artistas que desenvolve desde 2007.

Ficha técnica
Direção e Montagem _ Leticia Ramos
Direção de Fotografia - Gabriel Barros
Direcão de Produção - Aline Rizzoto
Musica : Kassin
Mixagem - FLU

Memorial da obra
Video Registro da Performace Artificial,de Kassin e do Trabalho Conjunto K da artista Lucia Koch durante \"De Rasgos Arabes\" promovido pelo Centro Cultural da Espanha.
Midia de captação - HD
Midia Final HD

volta ao topo


Ensino da arte: Um espaço poético, 0:26:35
Greice Cohn

Verbete biográfico
Greice Cohn é graduada em Licenciatura em Ed. Artística – Artes Plásticas – EBA/UFRJ (1985), Especialista e Mestra em Tecnologia Educacional – NUTES/UFRJ (2004), cuja pesquisa buscou novas abordagens de materiais educativos em vídeo para o ensino da Arte. Tem formação profissional também na área de Artes Cênicas, na Casa das Artes de Laranjeiras (1987).

Leciona Arte desde 1984, na rede privada e pública, e é professora de Artes Visuais do Colégio Pedro II desde 1994.

É, desde 2007, Coordenadora Pedagógica do Pólo Arte na Escola/UFRJ, onde coordena grupos de estudos e ministra cursos de Extensão. Tem artigos publicados em diversas revistas e Anais de Encontros de Arte-Educação nos quais tem participado.

Ficha técnica
cinegrafia: antonio gonzalez
edição: daniel terra, greice cohn
Direção: greice cohn

depoimentos
martha pagy • curadora e dir. largo das artes
miguel sayad • dir. largo das artes
flávio colker • artista
jaqueline vojta • artista
alunos: gabriel soares, daniel bressan, guilherme de carvalho, caio varela, carolina Saldanha, daniele Ximenes, juliana de Paula, lina neves

Memorial da obra
Este vídeo descreve um método de trabalho desenvolvido no ensino da arte e se apresenta como um arquivo audiovisual do conjunto de práticas vividas numa escola pública do Rio de Janeiro, onde o encontro com a arte contemporânea, permeado pelo desenvolvimento de parcerias entre escola, artistas e galeria, nos permite apresentar o ensino da arte como um espaço poético.

Iniciamos, em 2008, uma parceria entre o Colégio Pedro II e a Galeria Largo das Artes, que têm possibilitado experiências significativas para alunos, artistas, curadores, galeristas e professores. Esse vídeo se apresenta como uma memória deste processo que envolve a interação entre diferentes contextos do sistema da arte (produção, formação, difusão), cuja mais recente realização foi a visita dos alunos à Exposição Jaqueline Vojta e os desdobramentos desta experiência.

Poesia e memória são questões presentes no trabalho de Jaqueline, então estabelecemos a história familiar como elemento de ligação entre sua obra e a produção dos alunos. Os alunos iniciaram um processo de investigação e evocação de memórias, histórias, tradições e hábitos familiares para, em seguida, elaborarem formas poéticas que traduzissem e/ou problematizassem essas imagens resgatadas. O resultado foi a Exposição “Famílias, Memórias, Poéticas”, e o vídeo apresenta depoimentos dos alunos e dos profissionais que visitaram a exposição, as obras expostas e outras realizações anteriores no âmbito da parceria mencionada.

Escolhemos o vídeo como linguagem para arquivar uma poética em construção pelas afinidades que as imagens em movimento têm com o pensamento construtivo e processual. Uma obra videográfica que traz no seu corpo o desenvolvimento de uma poética visual é uma imagem que aborda outra imagem, e não um veículo reprodutor transparente, mas uma linguagem visual à parte, que exerce seu potencial representativo.


volta ao topo


procura-se, 0:04:24
Grima Grimaldi

Verbete biográfico
09/12/1955 Salvador-Bahia
Residindo em São Paulo desde 1978 tendo iniciado a carreira em 1984.
Vídeomaker, artista gráfico, diretor de arte, vem realizando documentários de arte e programas para TV, vídeos para instalações e performances desde 1984, em parceria com vários artistas, como Procuro-me, (Des)Encorpa – o corpo não mente, Retrovisão Pussyclip (com Lenora de Barros) Portinari Leitor, Xilo VT ou Elogio a Xilo, sobre a artista Maria Bonomi (com Walter Silveira) e Street Wall (com Daniela Thomas e poetas como Décio Pignatari. Augusto e Haroldo de Campos, Walter Silveira, Arnaldo Antunes, Lenora de Barros, Ronaldo Azeredo e Cid Campos). Realizou a concepção geral do vídeo-cenário para o espetáculo Galáxia Haroldo (São Paulo, 2003), Participou entre outros projetos para TV de Arte Cidade 3 (canal 21), Profissão Perigo (TV Cultura SP), No Caminho da Escola (TV Cultura SP) Rumos Dança Contemporânea ( TV Cultura SP) Nova Vera Cruz (TV Cultura SP).

Diretor, Diretor de Fotografia, Editor de Avid Express HD e After Efects 7 Pro.

Ficha técnica
direção: Grima Grimaldi e Walter Silveira
cameras Grima Grimaldi e Walter Silveira
Edição Grima Grimaldi
musica Cid Campos
artista Lenora de Barros

Memorial da obra
Vídeo arte da performance da artista Lenora de Barros no Centro Cultural Maria Antonia onde seu trabalho sofreu uma intervenção de um grupo auto intitulado Art Atack. Participou da feira de Artes Arco em Madri, Espanha.
Walter Silveira/Grima Grimaldi

volta ao topo




#07 Piratão Gentil, Alex Topini - Filé de Peixe, 0:08:34
Alex Topini

Verbete biográfico
Formado por Alex Topini, Felipe Cataldo e Fernanda Antoun, o coletivo Filé de Peixe desde 2006 realiza ações de intervenção urbana com base no audiovisual e projetos de ocupação artística em espaços não convencionais.

Desde 2009 desenvolve o projeto "Piratão" , que ao modo e preços praticados pelos camelôs piratas dos grandes centros urbanos, comercializou mais de 2800 vídeos de autores clássicos e recentes, da produção videoartística nacional e internacional.


Ficha técnica
Video digital, Cor / Sonoro, 2010

A cada realização do projeto "Piratão" um registro em vídeo é gerado, como forma de introduzir e documentar, dentro do campo das artes plásticas, no atual estágio da arte contemporânea, um amplo debate sobre direitos autorais, pirataria, flexibilidade e democratização de acesso a bens artísticos, entendidos em sua dimensão imaterial/informacional.

Em 15 meses, foram realizadas 9 edições do projeto, que já percorreu 5 estados, em 4 regiões brasileiras, comercializando mais de 1300 Encartados, num total de 2800 vídeos difundidos.

Foram realizadas 21 Sessões Piratas ( mostras de videoartes e filmes de artista), num total de 42 horas de projeção, com 489 vídeos exibidos, dos quais 278 diferentes, de 169 autores distintos.

Até agora, foram gerados aproximadamente 30 horas de material bruto em vídeo registrando as 9 ações, e 4 video-registros já foram editados e publicados no site e youtube do coletivo Filé de Peixe.

Memorial da obra
Registro da performance "Piratão #07", realizada na exposição Abre Alas, na galeria A Gentil Carioca, em 06 de fevereiro de 2010.

"Piratão" é uma prática artística que investiga e simula a economia informal e pirata como situação para inserção, visibilidade, acesso e circulação a trabalhos de videoarte. A ação desdobra-se a partir da comercialização de um objeto do coletivo Filé de Peixe denominado "Encartado".

Francamente inspirados nos dvds piratas comercializados informalmente, os "Encartados" consistem numa mídia dvd print table + capa xerocada + embalagem plástica + carimbo manual + vídeos apropriados.

Os "Encartados" reproduzem infinitamente os vídeos do acervo do coletivo Filé de Peixe, mantendo-se, contudo, únicos enquanto objetos, já que são manualmente carimbados, com número de série que não se repete, portando marcas e intervenções do processo caseiro e não industrial de produção. Os "Encartados" são objetos performáticos, elementos constitutivos da ação, comercializados somente no momento do "Piratão", aos moldes e preços praticados pelos camelôs: “1 é 5(reais), 3 é 10”.
Em 15 meses, foram realizadas 9 edições do projeto, que já percorreu 5 estados, em 4 regiões brasileiras, comercializando mais de 1300 "Encartados", num total de 2800 vídeos difundidos.

Ao se deslocar, "Piratão" difunde/exibe por outros lugares o acervo de vídeos aglutinado no local de origem do coletivo, na mesma medida em que gera condições para que novos trabalhos de artistas locais sejam incorporados ao projeto, difundindo-se em seqüência, num movimento polinizador que opera constantemente aglutinação – deslocamento – difusão. Com isso, "Piratão" ativa redes de troca em torno da produção audivisual voltada para o campo das artes plásticas, evidenciando a novíssima e vasta produção no campo da videoarte, facilitando o acesso/contato com trabalhos clássicos, propiciando um ponto aglutinação e difusão desse trabalhos a partir de um modelo que faz referência ao comércio popular, informal e pirata.

volta ao topo


logosOK_1000.jpg

volta ao topo

Posted by Marília Sales at 3:27 PM

outubro 28, 2010

Prêmio Registros - vídeos sobre arte: Os Selecionados

Apagador - Carlito Carvalhosa de Registro de Arte
Arteacesso-BR de Coletivo Arteacesso-br
Baba na Ladeira de Coletivo GIA
Bicho de Luiz Roque
Bienal de Havana acontece na Ocupação Prestes Maia de Túlio Tavares
Ensaio sobre o Sujeito na Arte Contemporânea Brasileira de Tania Rivera
Entrevista a Marcelo Cidade de Tiago de Abreu Pinto
Exposição Per gli ucelli da Vera Chaves Barcellos de Flow Filmes
Gilete Azul de Sequência 1
H.O. Supra-Sensorial: A Obra de Hélio Oiticica de Katia Maciel
Lucia Laguna, o mais-ou-menos e o não-sei-que de Simone Cupello
O desenho não tem fim de Renata Ursaia
Obranome II - Parque Lage, RJ de Alexandre Rangel
Poetrica de Giselle Beiguelman e Helga Stein
Poro – intervenções urbanas e ações efêmeras de Grupo Poro
Tinta fresca de Paula Alzugaray e Ricardo van Steen
Transit de Andre Costa
Premiados
Menções Honrosas
Regulamento
Patrocinadores


Apagador - Carlito Carvalhosa, 2008, 01:37
Registro de Arte

Verbete biográfico
Registro de Arte é um selo audiovisual criado e dirigido pela artista Letícia Ramos.
O objetivo do selo é extrapolar o mero aspecto documental do registro de arte e apostar na experimentação e desenvolvimento de uma linguagem própria para cada obra e artista.

Letícia Ramos é artista e montadora cinematográfica Seu foco de investigação artística é a criação de aparatos fotográficos próprios para a captação e reconstrução do movimento e sua apresentação em vídeo. Seus trabalhos já foram expostos em importantes mostras e galerias, como a Tate Modern em Londres, 16º Videobrasil em São Paulo, Laboratório de Arte Alameda, México. Em 2009 Foi selecionada pelo prêmio RUMOS de Artes visuais do Instituto Itaú Cultural realizando uma intenerância de exposições pelo Brasil entre elas no Museu de Arte Moderna em Salvador, Itau Cultural, SP e Paço Imperial , Rio de Janeiro . Em 2090/2010 Realizou a exposição individual ERBF ‐ estação radiobasefotográfica , dentro do programa de exposições do Centro Cultural São Paulo. Recetemente foi selecionada para a residência “ The Artic Circle” para desenvolver o projeto Bitácora a bordo de um veleiro no Polo Norte. Também ganhadora do Premio Marc Ferrez 2010 - FUNARTE para criação fotografica. Este ano, cria o selo Registro de Arte a fim de organizar e direcionar suas produções a pesquisa de linguagem do registro de arte e suporte tecnico para artistas que desenvolve desde 2007.

Ficha técnica
Sounddesign: Flu
Fotografias: Carlito Carvalhosa .
Animação: André Farkas
Direção e Montagem: Letícia Ramos

Memorial da obra
Registro Audiovisual da Obra Apagadores realizada por Carlito Carvalhosa.
Animação a partir de fotografias tiradas pelo artista de sua própria instalação.
Mídia de captação:fotografia, minidv
Mídia final: SD

volta ao topo


Arteacesso-BR, 2009, 29:11
Roberta Macedo

Verbete biográfico
Uma das idealizadoras do Projeto Subsolo (www.projetosubsolo.com), e responsável pela Unidade Multimídia. O Projeto Subsolo – produtora de arte – tem como objetivo promover a circulação da produção artística contemporânea.

Elaboração e desenvolvimento de projetos em ensino de fotografia com câmeras artesanais, projetos culturais, ciclos de palestras, grupos de estudo, publicações, pesquisas e exposições em Arte Contemporânea, são algumas das atividades desenvolvidas pela produtora. (desde 2001)

Ficha técnica
Produtores Executivos: Ana Carolina Borges Torrealba Affonso, Luiz Guilherme Magaldi Affonso, Marisa Brito
Idealização e direção: Raphaela Leite, Roberta Macedo
Pesquisa: Mario Marques, Roberta Macedo / Projeto Subsolo, Raphaela Leite
Entrevistas: Eva Netto
Direção de Fotografia: Thiago Lima (Rio de Janeiro), Bernardo Krivochein (São Paulo)
Edição e Montagem: Bernardo Jucá (Rio de Janeiro), André Tavares (São Paulo)
Tradução e Legendas: Marcello Lino

Memorial da obra
Considerando a diversidade de linguagens da arte contemporânea, o projeto Arteacesso-BR se apresenta como uma pesquisa de apontamento, que facilita o contato com o trabalho de diversos artistas, sejam eles emergentes ou estabelecidos.

Iniciado em 2008, o Arteacesso-BR prevê apontamentos e não resultados. Nesse sentido, o projeto indica aos interessados em arte os nomes contemporâneos cujos trabalhos despontam.

Dentre os critérios utilizados para a pesquisa, os mais importantes foram: selecionar artistas com até vinte anos de produção; que sejam ativos e que já tenham realizado pelo menos uma exposição individual em circuito artístico reconhecido. O Arteacesso-BR considera que tais critérios são indicadores de seriedade e comprometimento do artista com o seu trabalho.

No final de 2008, em duas semanas, foram filmadas 20 entrevistas com artistas da nova safra nacional. O material foi feito levando em conta o universo de cada um, e por isso apresenta uma diversidade de locações que vão dos ateliês às galerias e instituições, passando pelos lugares onde eles se inspiram para produzir.

O projeto Arteacesso-BR é uma pesquisa contínua em arte brasileira contemporânea, que privilegia a diversidade de suportes que os artistas usam. Com lançamento em DVD, desdobra-se em outras mídias, como a internet. Ao lançarmos na rede um banco de dados com os vídeos dos artistas selecionados, buscamos maior alcance junto ao público interessado.

volta ao topo


Baba na Ladeira, 2009, 03:50
GIA

Verbete biográfico
Aleatoriedade, humor e reflexões a respeito da vida cotidiana e suas singularidades: talvez esses sejam pontos chaves do Grupo de Interferência Ambiental - GIA, coletivo artístico que foge a qualquer tentativa de definição.

O grupo é formado por artistas visuais, designers, arte-educadores e (às vezes) músicos que têm em comum, além da amizade, uma admiração pelas linguagens artísticas contemporâneas e sua pluralidade, mais especificamente àquelas relacionadas à arte e ao espaço público. Pode-se dizer que as práticas do GIA beberam na fonte da arte conceitual, em que o estatuto da obra de arte é negado, em favor do processo e, muitas vezes, da ação efêmera, buscando uma reconfiguração da relação entre o artista e o público.

Memorial da obra
Israel x Palestina Livre,o jogo aconteceu no bairro de Mangabeiras em Belo Horizonte, em frente a Kaza Vazia8, participaram da pelada (baba) os integrantes da Kaza, do GOM(Oficccina Multimédia) e outros amigos que pintaram por lá. O resultado ficou um tanto duvidoso, de acordo com o AljaaziraNews os Palestinos jogaram com mais bravura e ganharam com louvor, já o NewYorkTimes publicou que Israel venceu os terroristas com folga...

volta ao topo


Bicho, 2001-2010, 04:06
Luiz Roque

Verbete biográfico
Luiz Roque nasceu em Cachoeira do Sul (RS) em 1979. Conclue seus estudos em Artes Visuais pela UFRGS em 2007 com um projeto de graduação na área de História, Teoria e Crítica de Arte intitulado "Ficções em Videoarte". Frequentou também em Porto Alegre o Torreão (sob orientação de Jailton Moreira) de 2002 a 2005. Desde a virada do milênio trabalha com filme e vídeo dando preferências às bitolas Super8 e 16mm na realização de seus projetos audiovisuais.

Paralelo à sua atividade como realizador, atua também como diretor de arte trabalhando em parceria com diretores como Beto Brant, Marco Ricca e Gustavo Spolidoro. Recebeu por duas vezes a bolsa “Talent Campus” (Universidad del Cine, Buenos Aires, 2005 e Berlinale, Berlim, 2007).

Ficha técnica
Roteiro, direção, produção: Luiz Roque
Câmera: Cristiano Trein & Gustavo Jahn
Música: Márcio Biriato

Memorial da obra
"Bicho" foi rodado em Super8 em 2001. Primeiramente tendo o cinema como principal referência, meu trabalho começou a se interessar pelas artes visuais (e pelo vasto campo experimental que o cinema como instituição parecia não alcançar) mais ou menos por esta época. Algumas posturas radicais de artistas brasileiros dos anos 60 e 70 me pareciam bastante instigantes. A possibilidade de entrar em contato participativamente com uma proposta artística era algo muito atraente para jovens de 20 e poucos anos. A série de esculturas “Bichos” de Lygia Clark foi um foco de estudo para eu e mais alguns amigos nessa época. Coinscidentemente, o Museu de Arte do Rio Grande abriu uma exposição em 2001 sobre uma importante coleção privada gaúcha que possue trabalhos chaves de artistas como Antonio Dias, Leonilson, Daniel Senise, Tunga, Waltércio Caldas e Lygia Clark.

Um exemplar da série “Bicho” estava exposta ali sem no entanto haver a possibilidade da participação que é o que faz este trabalho existir. Um misto de ingenuidade e curiosidade nos levou a arquitetar um plano cujo objetivo final era “fazer com que a escultura existisse”, afinal de contas, imóvel a peça se torna um “bicho empalhado”. Apesar do caráter supostamtente “subversivo” de nossa proposição (que teve o fim mais previsível de todos, a censura), a ideia também era registrar um passeio pela boa coleção.

A música composta para “Bicho” reforça esse caráter de diversão, de prazer ao entrar em contato com peças tão estimulantes.“Bicho” fala dos desejos e expectativas dos visitantes em relação à arte e das promessas (de prazer e satisfação) das instituições responsáveis pela distribuição da mesma.

volta ao topo


Bienal de Havana acontece na Ocupação Prestes, 2007-2010, 18:00
Túlio Tavares

Verbete biográfico
Intervenções urbanas, performances, manipulações da mídia, projetos curatoriais e mostras de arte somam-se a desenhos, pinturas, vídeos e fotografias. Os trabalhos transitam por espaços públicos e privados da cidade, muitas vezes aplicados sobre a vida cotidiana, acompanhando as inquietações, desafios e contradições da vida na grande metrópole. Simultaneamente o autor produz trabalhos que exploram liberdades temáticas, discussões técnicas e estéticas, assuntos unicamente referentes à arte. O trabalho acontece entre museus, galerias, equipamentos públicos, publicações, ruas e ocupações.

Ficha técnica
Vídeo: Túlio Tavares
Imagens: Flávia Samarone
Participaram deste processo: Nova Pasta, Catadores de História , BijaRi, Esqueleto Coletivo, Coringa, Elefante, ARNST, Contra Filé, Menossões, EIA, CMI, Cobaia, Frente 3 de Fevereiro, Cia. Cachorra, Artbr, TrancaRUa, Eliot e Sica, Movimento Sem Teto do Centro, Frente de Luta por Moradia, Comunas Urbanas, Bigodistas, Integração sem Posse.

Memorial da obra
Sala Especial da Bienal de Havana acontece na Ocupação Prestes Maia

Uma experiência em São Paulo / uma sala em Havana: o registro de um acontecimento Território São Paulo se apresenta como um evento que acontece entre São Paulo e Havana, um conceito ampliado do espaço expositivo da Bienal.

Convidados para se apresentar em sala especial da IX Bienal de Havana, 13 coletivos de São Paulo criaram o Território São Paulo – um projeto em resposta ao desafio de transpor as ações que normalmente realizam para dentro do espaço expositivo da Bienal. Tentando evitar que a colocação de ações tipicamente de rua dentro do espaço da bienal diminuísse a urgência e especificidade das ações e intervenções, o projeto Território São Paulo quis fixar firmemente a Sala Especial nesta cidade, de modo que ela estivesse plenamente presente em Havana. Assim, o universo de ações desenvolvidas pelos artistas organizados em coletivos – que incluem uma diversidade de intervenções urbanas, ações diretas, manifestações e apropriações poéticas do espaço da rua – poderá florescer em pleno vigor.

A ocupação Prestes Maia – a maior ocupação vertical da América Latina - foi escolhida como espaço expositivo por sua potência política e simbólica. Ocupado pelo Movimento dos Sem- Teto do Centro (MSTC) e na iminência de reintegração de posse, o Prestes Maia tem sido palco de uma importante parceria entre artistas e movimento social nos últimos três anos.

A Bienal de Havana funcionou como uma espécie de lente de aumento sobre este importante movimento social e seu diálogo com os coletivos. Na sala especial em Havana, um aparelho de fax em cima de uma mesa receberá, durante todo o período da mostra de arte, material dos 13 coletivos brasileiros. Assim, o Território São Paulo acontece também como situação viva em Havana, dando continuidade à participação brasileira nesta e em todas as bienais da capital cubana, para onde o Brasil tem levado a maior delegação nacional da mostra.

volta ao topo


Ensaio sobre o Sujeito na Arte Contemporânea Brasileira, 2009-2010, 29:31
Tania Rivera

Verbete biográfico
Psicanalista, ensaísta e professora universitária. É professora da UnB desde 1997, e atualmente encontra-se em transição para o Departamento de Arte da UFF, fixando-se no Rio de Janeiro.
Autora de diversos livros, ensaios, artigos e textos críticos.

Dirigiu, além do vídeo aqui inscrito, dois outros vídeo-ensaios: Who Drives ou o Olhar Outro (2008) e Imagem se faz com Imagens (2010).

Em suas experiências com vídeo, busca mesclar texto e imagem, teoria e produção artística de modo assumidamente fragmentário, apropriando-se de materiais diversos e propondo que a atividade crítica consista na manipulação de seu objeto de modo a explorar a potência reflexiva que já se encontra nos próprios trabalhos e abri-la em versões múltiplas e polifônicas.

Ficha técnica
Concepção e direção: Tania Rivera
Câmera: Evandro Salles e Tania Rivera
Edição: Sergio Azevedo
Finalização: Bernardo Pimenta
Entrevistados: Cildo Meireles, Ernesto Neto, Frederico Morais, Glória Ferreira, Marília Panitz, Paulo Herkenhoff, Ricardo Basbaum e Vladimir Safatle.

Memorial da obra
Entremeando trechos de entrevistas com artistas e críticos, textos e imagens, este vídeo-ensaio visa mostrar que a arte contemporânea brasileira é marcada por uma sofisticada reflexão sobre o sujeito em sua relação com o outro. Explorando a herança do neoconcretismo, especialmente com Hélio Oiticica e Lygia Clark, apresenta-se uma releitura plural e polifônica da noção de participação do espectador, da presença do corpo e da incidência da arte no social. Pondo em ato um múltiplo e complexo diálogo entre os artistas Cildo Meireles, Ernesto Neto e Ricardo Basbaum e os teóricos e críticos Glória Ferreira, Paulo Herkenhoff, Vladimir Safatle, Marília Panitz e Frederico Morais, este trabalho visa ainda defender a compreensão da atividade crítica como realização de tensas e fragmentadas aproximações entre os domínios do fazer poético e da elaboração teórica, da imagem e do texto, buscando performar a alteridade fundamental à própria arte.

Este vídeo foi realizado graças ao apoio da Funarte (MinC), sob forma de Bolsa de Apoio à Produção Crítica em Artes Visuais (Edital de 2008).

volta ao topo


Entrevista a Marcelo Cidade, 2010, 08:39
Tiago de Abreu Pinto - Revista Claves de Arte

Verbete biográfico
A Revista Claves de Arte surgiu em Setembro de 2009 e consiste na única publicação focada em galerías de arte contemporanea e outros eventos que tenham uma relação indireta com esse ámbito. Foi criada por Tiago de Abreu Pinto e Sara García Fernández, atuais diretores. A parte de vídeos é de autoria da Revista Claves de Arte e conta com a maioria dos únicos registros de Galeristas de Arte contemporánea espanhol. Entre eles estão Soledad Lorenzo, Juana de Aizpuru, Elba Benítez, Alberto de Juan, Oliva Arauna, Efraín Bernal entre outros. Além dos vídeos com profissionais espanhois contamos também com vídeos de profissionais do ámbito artistico brasileiro, como Bernardo Paz, Ivo Mesquita, Eduardo Leme, Luisa Strina, Beth Moysés entre outros.

Ficha técnica
Video Digital HD
Colaboradores: Marcelo Cidade, Galería Vermelho, Bernardo Carón (O2 Filmes), Levision

Memorial da obra
A entrevista em vídeo realizada com Marcelo Cidade (São Paulo, 1979) foi lançada juntamente com a exposição coletiva Para Ser Construidos exposta no Laboratorio 987 do MUSAC até o dia 12 de outubro 2010.

Marcelo Cidade, um dos 10 artistas internacionais eleitos pela revista francesa Beaux Arts como promessa do mundo da arte contemporánea, juntamente com nomes como Wilfredo Prieto, Wu Xiaohai, Benedikt Hipp ou Mai-Thu Perret.

No vídeo Marcelo conta de maneira resumida sua trajetória e entra em detalhe sobre alguns dos trabalhos que o tornaram reconhecido e sobre o projeto que está expondo no MUSAC.

A entrevista em vídeo é um apoio para a entrevista completa publicada na Revista Claves de Arte.

volta ao topo


Exposição Per gli ucelli da Vera Chaves Barcellos, 0:06:11
Hopi Chapman - Flow Filmes

Verbete biográfico
Hopi Chapman, filho do artista plástico inglês Michael Chapman e holandesa Heleen Holscher, é inglês, mas nasceu em Amsterdã e viveu lá até seus 28 anos. Fez mestrado na Universidade de Amsterdã em Cinema e Televisão. Em 1999 decidiu morar em Porto Alegre no Rio Grande do Sul. Trabalha desde 1994 como professor, editor, cinegrafista e diretor de mais de cem filmes publicitários, programas de TV, documentários e vídeo-arte na Holanda e no Brasil.

Vera Chaves Barcellos, uma artista multimídia, que desde o início dos anos 70 vem utilizando a fotografia e meios de reprodução da imagem. Como bolsista do British Council, estudou no Croydon College of Design and Technology, em Londres, 1975.

Ficha técnica
Direção: Hopi Chapman e Vera Chaves Barcellos
Câmera: Vera Chaves Barcellos, Patrício Farias e Marcela Tokiwa
Montagem Hopi Chapman
Trilhas Sonoras 'red light means go' e 'sweet is good' de Massive Attack

Memorial da obra
Vera Chaves Barcellos (Porto Alegre, RS, em 1938) expõe novo trabalho no Octógono da Pinacoteca do Estado - SP. Inaugurou no sábado, dia 8 de maio de 2010 e terminou em 5 de julho de 2010, no Octógono da Pinacoteca do Estado, em São Paulo, uma intervenção de Vera Chaves Barcellos chamada Per gli ucelli, (Para os Pássaros), título inspirado no nome de um livro de entrevistas de John Cage a Daniel Charles, e que consiste em uma grande plataforma de vidro jateado com iluminação cambiante, através de um mecanismo mecatrônico, com programação criada especificamente para isso, sobre a qual estão 2450 taças de vidro industriais manipuladas uma a uma. Esse trabalho foi feito a partir de desenhos meus que inspiraram ao vidreiro de Canela, Adriano Gloeden a manipular as taças com grande liberdade, trabalho que levou mais de três meses. O resultado é surpreendente: uma grande mandala octogonal de luz pulsante de 6 metros de diâmetro. Acompanha uma gravação com som de cantos de pássaros.

Ivo Mesquita, curador chefe da Pinacoteca, afirma que Vera Chaves Barcellos tem uma trajetória importante na história da arte, desde as pesquisas realizadas nos anos 1970, quando começa a utilizar a fotografia, combinando-a com serigrafia, passando pela pintura e instalação. É importante observar, ainda, que Vera é uma artista do Rio Grande Sul e que o Projeto octógono procura incorporar experiências e projetos de diversos artistas brasileiros.

volta ao topo


Gilete Azul, 0:16:05
Reinaldo Pinheiro/ Sequência 1 Ltda

Verbete biográfico
Miriam Chnaiderman é psicanalista, ensaísta e cineasta. Dirigiu documentários importantes e premiados, como 'Dizem que sou Louco', sobre loucos de rua; 'Passeios no Recanto Silvestre', sobre o escritor e cineasta José Agrippino de Paula. Foi premiada na última edição do 'Femina - Festival de Cinema Feminino' com o prêmio de Melhor Documentário para o filme 'Procura-se Janaína'.

Ficha técnica
Produção: Reinaldo Pinheiro
Fotografia :Rinaldo Martinucci
Roteiro: Miriam Chnaiderman
Som Direto: Kika Pereira
Empresa produtora Sequencia 1 Ltda
Produção Executiva: Reinaldo Pinheiro
Montagem: Tatiana Nohman
Música: Wilson Sukorski

Memorial da obra
Sem título, 1990. Composição: borracha; dimensão: 82 x 40 x 8 cm.
Sem título, 1993. Composição: foto, texto e chumbo (lbio); dimensão: 27 x 33,5 x 8cm.
Sem título, 1993. Composição: foto de radiografia, relatrio e chumbo (mo); dimensão: 44 x 56 x 8 cm.
Sem título, 1993. Composição: arcada dental, dente, foto e chumbo (boca); dimensão: 28,5 x 23,5 x 8 cm.
Sem título, 1993. Composição: impresso do p, grampo, foto e chumbo (p); dimensão: 34,5 x 34,5 x 8 cm.
Sem título, 1993. Composição: documentos, fotos e chumbo (olhos); dimensão: 55 x 70 x 8 cm.
Sem título, 1997. Composição: cristal e gilete; dimensão: 200 x 18 x 4 cm.
Sem título, 1998. Composição: cristal e gilete; dimensão: 128 x 35 cm.
Sem título, 1998. Composição: cristal e agulha; dimensão: 32 x 12 x 6 cm.
Sem título, 1998. Composição: cristal, miçanga e agulhas de sutura; dimensão: 3 x 25 x 25cm.
Sem título, 1999. Composição: cristal e lâmina de bisturi; dimensão: 34 x 25 cm.
Sem título, 1999. Composição: cristal e lâmina de bisturi; dimensão: 42 x 55 cm.
Sem título, 1999. Composição: acrílico e agulha; dimensão: 46 x 160 x 40 cm.
Sem título, 1999: Composição: acrílico, ao e cristal; dimensão: 40 x 70 x 6 cm.

volta ao topo


H.O. Supra-Sensorial: A Obra de Hélio Oiticica, 0:26:57
Katia Maciel

Verbete biográfico
É artista, cineasta, pesquisadora do CNPq e professora da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro onde coordena o Núcleo de Tecnologia da Imagem. Realizou o pós-doutorado em artes interativas na Universidade de Walles. Publicou os livros Transcinemas (Contracapa 2009), Cinema Sim (Itaú cultural 2008), Redes sensoriais ( contracapa 2003) e O pensamento de cinema no Brasil (2000). Dirigiu filmes, vídeos, instalações e participou de exposições no Brasil, na Colômbia, na Inglaterra, na França, no México, na Alemanha, na Lituânia, na Suécia e na China. Dirigiu vídeos documentais das obras de Hélio Oiticica, Artur Barrio, Cildo Meireles, Anna Maria Maiolino, Sérvulo Esmeraldo e o vídeo Neoconcretos.

Ficha técnica
Direção: Katia Maciel
Fotografia: Felipe Sá
Edição: Leonardo Domingues
Consultoria para acervo e arquivos: Luciano Figueiredo
Trilha sonora: Dos escritos de Helio Oiticica
Música original: Fernando Moura
Produção: Elianne Ivo Barroso
Letreiros: Mariana Hermeto

Memorial da obra
O vídeo H. O Supra-sensorial: A obra de Hélio Oiticica registrou a única retrospectiva da obra do artista plástico carioca realizada no Brasil no Centro de Artes Hélio Oiticica em 1996. Concluído em 1997 o vídeo foi lançado na FUNARTE no Rio de Janeiro em 1998 e desde então, foi exibido inúmeras vezes em instituições de arte e ensino no Brasil e no exterior.

O vídeo apresenta, obra a obra, uma série de fragmentos rítmicos inspirados nas músicas comentadas pelo artista em seus cadernos nas suas relações com os conceitos de cor, movimento e participação, propostos ao longo de todo o processo de desenvolvimento da sua obra.

Após o incêndio que destruiu em 16 de outubro de 2009 o acervo do artista, o vídeo H.O Supra-sensorial tem sido incorporado às exposições como forma de mostrar obras que hoje apenas existem como imagens.

Lista selecionada de exibições do vídeo H.O Supra-sensorial: A obra de Helio Oiticica:
1998: Poéticas da cor no Centro Cultural da Light
1999: Bienal de Londres, 291 Galery,
Pavilhão da Bienal do Ibirapuera em São Paulo em Mostra Organizada por Martin Grossman
Institute of Intenational Visual Arts em Londres em lançamento organizado por Michael Asbury
Universidade Nova de Lisboa
Mostra de Vídeo do Itaú Cultural, Belo Horizonte
Culter-Gestt, Lisboa
2001: Whitechapel Galery
2005: Reina Sophia em exposição Bólides concebida por Helio Oiticica
2007: Exposição Hélio Oiticica: the Body of Color, MFAH, Houston, 2007
2010: Itaucultural de São Paulo
Akademie der Kuenste Berlim

volta ao topo


Lucia Laguna, o mais-ou-menos e o não-sei-que, 0:16:24
Simone Cupello

Verbete biográfico
Artista visual e editora de vídeos.
Formada em arquitetura, viveu 8 anos na Europa onde estudou no Centre Cinematografic de Catalunya, no Centro di Formazione Cinetelevisiva di Milano e em Ipotesi Cinema, produtora-escola de documentários coordenada pelo cineasta Ermanno Olmi. No Rio de Janeiro, frequentou os cursos e o grupo estudos em arte contemporânea de Charles Watson.

Participou do 14° Salão da Bahia. Foi editora do “Recorte Cultural” (TV Brasil), programa idealizado pelo ator e poeta Michel Melamed. Atualmente, realiza o vídeo “História do Futuro” do artista plástico Milton Machado que será exibido na 29ª Bienal de São Paulo.

Ficha técnica
vídeo original: NTSC / 720x480
ano 2007 / duração: 16\'28”
realização: Simone Cupello
câmera (Centro Helio Oiticica, Paço Imperial): Maurizio D'atri
música: Neder Nassaro

Memorial da obra
Quem visita o atelier de Lucia Laguna na Zona Norte do Rio de Janeiro pode encontrar fixado em um dos murais um elenco de nomes, sua “família artística”, afirma Lucia: artistas estrangeiros, brasileiros, contemporâneos ou não, pintores ou não. Nas bancadas, uma grande quantidade de livros de arte (alguns encapados) são consultados regularmente pela pintora, inclusive durante a feitura da pintura. Lucia, enquanto fala de seu trabalho, cita constantemente outros artistas e não esconde usar algumas de suas técnicas em seus quadros, que aliás, já nascem pelas mãos de outros: pintados por assistentes e posteriormente modificados por ela. Neste sentido, a pintura de Lucia Laguna, segundo o que vi, além de traçar um tipo de roteiro pela história da arte, põe em questão conceitos como “apropriação” e “autoria”; conceitos que, como artista visual, me interessam.

“Orquestradora do Caos”, como tomo a liberdade de brincar com a pintora, Lucia trabalha com o “excesso”. Isto é evidente em seus quadros, mas também na infinidade de referências iconográficas usadas por ela. Este vídeo, uma colagem de gravações realizadas ao longo de 2006, inicia-se como uma investigação pessoal, sem direcionamento prévio. Foi finalizado por ocasião da mostra individual da pintora no Paço Imperial do Rio em 2007. Longe de pretender abordar a totalidade da pintura de Lucia Laguna, inspirando-se em seus excessos e fragmentações na forma em que foi estruturado, o vídeo almeja aproximar o público das questões que norteiam o processo criativo de uma pintora contemporânea que, como tal, encontra-se entre um todo já feito na história da arte e o ainda “pintável”.

“Lucia Laguna é uma das grandes revelações da pintura no Brasil neste início do século XXI” - Paulo Herkenhoff (texto “Lucia Laguna: a economia da pintura” / Prêmio CNI-Sesi Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas 2006-2008)

volta ao topo


O desenho não tem fim, 0:04:02
Renata Ursaia

Verbete biográfico
Formou-se em arquitetura na fauusp em 1999. Trabalha profissionalmente com fotografia desde 1995, e vídeo documentário desde 2002. Atualmente utiliza ambas as mídias como suporte para trabalhos em artes plásticas.

Ficha técnica
Roteiro, Direção e Edição: Renata Ursaia
Música: Julia Tygel e João Taubkin
Créditos: Rafael Terpins

Memorial da obra
A partir da desmontagem de uma instalação da artista Sandra Cinto, o ensaio - documentário fala sobre questões que movem seu trabalho. A temporalidade de projetos contemporâneos inspira uma discussão poética sobre início e fim das coisas. A origem da expressão do artista e o valor do que vai ser necessariamente apagado.

volta ao topo


Obranome II - Parque Lage, RJ, 2009,11:08
Alexandre Rangel

Verbete biográfico
Alexandre Rangel (1974), brasileiro, Bacharel em Artes Plásticas pela UnB. Cria arte digital desde 1994.

Em 2004 apresenta o projeto Brasília 3D em Amsterdam - Holanda. Em 2006 trabalha no Zukunftszentrum Tirol, Innsbruck - Áustria. Em 2008 expõe a animação generativa Floresta e a escultura virtual interativa Bichos Impossíveis. Colabora na oficina AVlab - Medialab Prado, Madri - Espanha.

Apresenta vídeoarte como VJ Xorume. Desenvolve o software livre de edição de vídeo Quase-Cinema.

Ficha técnica
Direção, câmera e edição: Alexandre Rangel

Memorial da obra
Exposição de poesia visual realizada em novembro de 2009 na Escola de Artes Visuais do Parque Page, RJ.

volta ao topo


Poetrica, 0:11:18
Giselle Beiguelman e Helga Stein

Verbete biográfico
Giselle Beiguelman é midiartista e professora da pós-graduação em Comunicação e Semiótica da PUC-SP. Editora da seção novo mundo da revistaTrópico, foi curadora do Nokia Trends (2007 e 2008) e é Diretora Artística do Instituto Sergio Motta, Desenvolve projetos para web desde 1994 e envolvendo dispositivos de comunicação móvel desde 2001. Site: www.desvirtual.com.

Helga Stein é fotógrafa, designer gráfica e trabalha com o desenvolvimento de interfacee trabalha com o desenvolvimento de interfaces gráficas para web desde 1995. Desenvolve projetos artísticos que discutem as mudanças nos paradigmas estéticos, simbólicos e representativos propiciados pela cultura digital.

Helga Stein concluiu a especialização em design de hipermídia pelo instituto superior de comunicação publicitária em 2002. é mestre em comunicação e semiótica pela PUC-SP . Foi professora da faculdade Anhembi Morumbi. Atua na área de comunicação, com ênfase em comunicação visual.
Currículo Completo: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4737164A6

Ficha técnica
Direção: Giselle Beiguelman e Helga Stein
Câmera e Edição: Paulo Fratino
Computação Gráfica: Giselle Beiguelman e Helga Stein
Trilha: Helga Stein

Memorial da obra
Poétrica é um projeto de Giselle Beiguelman que deu continuidade a uma série de intervenções em painéis eletrônicos mediados por celular e internet, como esgoscópio, Leste o Leste? e esc for escape. Trata-se de uma investigação sobre leitura e recepção em situações entrópicas e contextos cíbridos, bem como uma prática de apropriação do sistema publicitário como espaço público. Teleintervenção urbana, começou na Galeria Vermelho, em São Paulo, 2003, e terminou em P0es1s, no Kulturforum, Berlim (2004). O projeto envolveu uma série de poemas visuais concebidas por Beiguelman com fontes não-fonéticas (dings e fontes do sistema), DVD, impressões, trailers de filmes e uma teleintervenção que permitia, em São Paulo, a qualquer pessoa enviar mensagens, pela Web ou por SMS, a três painéis eletrônicos localizados no centro de São Paulo, utilizando o mesmo repertório tipográfico que Beiguelman usou em seus “poemas nômades”. As mensagens eram transmitidas das 16 às 20h, por 10", a cada 3 minutos, entre os anúncios transmitidos nos mesmos painéis. Todos os participantes eram notificados, por e-mail ou SMS, da transmissão de sua mensagem nos painéis. No site de Poétrica eram arquivadas todas as mensagens com as legendas que identificavam o texto original escrito antes de sua conversão em uma família de fontes icônicas, revelando, de certa forma, uma comunidade poética de hackers do sistema de telecomunicações em espaços públicos. Uma projeção na Galeria Vermelho retransmitia para os visitantes a ação nos painéis eletrônicos e imagens de rua. Em Berlim, Poétrica foi apresentada na exposição P0es1s realizada no Kulturforum. Para esta exposição foram produzidos uma série de poemas não-fonéticos plotados em grande formato, um documentário sobre a teleintervenção em São Paulo e uma série de "ad_oetries" (ads + poetry) que anunciavam Poétrica e a exposição em um painel eletrônico publicitário localizado na Ku'damm e em vários cinemas de Berlim, com o trailers, antes dos filmes em cartaz.

volta ao topo


Poro – intervenções urbanas e ações efêmeras, 0:19:46
Brígida Campbell - Poro

Verbete biográfico
O Poro é uma dupla de artistas formada por Brígida Campbell e Marcelo Terça-Nada! que atua desde 2002 realizando ações poéticas, irônicas e/ou de cunho político. Através da realização de intervenções urbanas e ações efêmeras, o Poro procura levantar questões sobre os problemas das cidades e busca uma ocupação poética dos espaços.

O Poro realizou intervenções e participou de eventos, exposições e debates em diversas cidades de 11 estados do Brasil (MG, RJ, SP, BA, PR, SC, RS, CE, ES, MT e PE) e em países como: Brasil, Argentina, Índia, Espanha, Holanda, Eslovênia e Áustria.

Ficha técnica
Concepção e Produção: Rede Jovem de Cidadania em parceria com o Poro.
Realização: Associação Imagem Comunitária.
Contatos:
Poro: www.poro.redezero.org
AIC: www.aic.org.br
Rede Jovem de Cidadania: www.rede.aic.org.br
Página oficial do documentário: www.poro.redezero.org/video/documentario

Memorial da obra
Este documentário aborda as principais intervenções urbanas realizadas entre 2002 e 2009 pelo Poro, dupla formada por Brígida Campbell e Marcelo Terça-Nada. Além das imagens e registros, boa conversa sobre arte no espaço público e questões tangentes.

O Poro atua desde 2002 com trabalhos que buscam apontar sutilezas, criar imagens poéticas, trazer à tona aspectos da cidade que se tornam invisíveis pela vida acelerada nos grandes centros urbanos, estabelecer discussões sobre os problemas das cidades, refletir sobre as possibilidades de relação entre os trabalhos em espaço público e os espaços "institucionais", lançar mão de meios de comunicação popular para realizar trabalhos, reivindicar a cidade como espaço para a arte.

Através da realização de intervenções urbanas e ações efêmeras, o Poro procura levantar questões sobre os problemas das cidades através de uma ocupação poética dos espaços.

O documentário foi produzido durante o ano de 2009 e finalizado em fevereiro de 2010.

volta ao topo


tinta fresca, 0:26:36
Paula Alzugaray e Ricardo van Steen

Verbete biográfico
Paula Alzugaray é curadora independente, critica de arte e jornalista especializada em artes visuais. Desde junho de 2008, edita a sessão de artes visuais da revista Istoé. Doutoranda de Comunicação e Semiótica na PUC-SP. Entre seus projetos curatoriais incluem-se as exposições “Videometria: o video como dispositivo de medição na arte contemporânea brasileira”, no Loop Festival, em Barcelona, em 2006; “Situ/ação: Vídeo de viagem, no Paço das Artes, em São Paulo, em 2007 e a mostra “Observatórios”, no Itaú Cultural, em Belo Horizonte e Vitória, em 2009. É autora do documentário “Tinta Fresca” (2004), prêmio de Melhor Media Metragem na 29ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Ficha técnica
Roteiro Paula Alzugaray
Camera Ricardo Van Steen
Edição Ricardo Miranda
Assistente de direção Silvia Hayashi
Produtor Executivo Paulo Dantas

Memorial da obra
Observar as variações entre as camadas de tinta que cobrem muros, paredes e fachadas de espaços públicos é o foco do documentário Tinta Fresca, uma pesquisa sobre a iconografia urbana brasileira. O popular e o erudito; o figurativo e o abstrato; o orgânico e o geométrico, cruzam-se em linhas telefônicas, festas e mesas de bar.

Nessa investigação acerca da estética espontânea das ruas de cidades de São Paulo, Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, debatem e dialogam pintores populares e artistas contemporâneos. Como boa conversa de botequim, um assunto puxa outro: fala-se de samba, culinária e política.

volta ao topo


Transit, 0:08:25
Andre Costa

Verbete biográfico
Formado em Cinema, Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP, professor universitário de Cinema e de Televisão na FAAP. Professor da Pós-Graduação em Criação Visual e Multimídia da USJT. Educador e pesquisador em linguagens audiovisuais. Cineasta e documentarista, É sócio da Olhar Periférico Filmes, Foi membro do Comitê de Seleção e Programação do 16º Festival Internacional de Arte Eletrônica Videobrasil - 2007 e membro da Comissão Especial de Seleção de projetos cinematográficos da SAV/Ministério da Cultura - 2009. Recentemente, tem atuado como curador de mostras e festivais de cinema e vídeo, como a Mostravídeo do Itaú Cultural.

Ficha técnica
Direção: Andre Costa
Câmera: Andre Costa, Danilo Concílio
Som direto: Silvio Cordeiro
Edição: Matias Lancetti
Produção: Claudio Opazo e Danilo Concílio
Trilha sonora: Eduardo Verderame e Hermes Jacchieri

Memorial da obra
O vídeo retrata uma intervenção urbana da artista plástica Regina Silveira: uma mosca luminosa e gigante passeia pela paisagem da cidade de São Paulo, resignificando os lugares e transformando a noite da cidade. As intervenções efêmeras na paisagem da cidade ganham no suporte videográfico um registro que lhes permitiu circular em festivais de cinema pelo país.

volta ao topo


logosOK_1000.jpg

volta ao topo

Posted by Marília Sales at 5:22 PM

outubro 26, 2010

III Mostra Live Cinema 2010 na Oi Futuro Ipanema: selecionados

É com grande satisfação que informamos as performances selecionadas para participar da III Mostra Live Cinema, que acontecerá entre os dias 2 e 5 de dezembro de 2010, no Oi Futuro em Ipanema.

O processo de seleção analisou cuidadosamente as 71 propostas recebidas de diversos países e os critérios na escolha seguiram: o conceito e a técnica de realização, as dimensões do espaço de exibição e adequações a produção do evento.

São eles:

NACIONAIS_

Pixel Pixo: Afactory Transmídia
(Pedro Paulo Rocha, Caleb Mascarenhas, Fernando "TRZ" Falcoski)

Maquinomem: Arquipélago
(Chico de Paula, Fabiano Fonseca e Tatu Guerra)

Paisagem Digital: Zilch
(Karina Montenegro, Mirella Brandi e Muepetmo)

2 para seqüenciador e mesas: Abel Duarte e Pontogor

Ada 2.0b: Jeraman

IntranspoRníveis: Aécio de Souza, Lucas Gervilla, Paloma Oliveira,

Paulo Gallian, Thais de Almeida Prado

Thelesmi: Kaue Costa

5x 4x 3x: Lea van Steen & Raquel Kogan

Caos Sem Teoria: Léon Louis Vega (Lionel Combecau)

Reações Visuais: Lise + L_ar

Modus Operandi: Midiadub + Afasia

Natimorto redux 4x4: Oswaldo Santana

riomultipista: Felipe Lacerda, Marcos Kuska Cunha e Ricardo Imperatore

Taps of Love: Wilson Sukorski / José Wagner Garcia

INTERNACIONAIS_

Nobody: Nohista. (França)

Eile: Yroyto. (França)

Posted by Marília Sales at 5:44 PM

outubro 21, 2010

Festival Conexões Tecnológicas 2010 - finalistas e premiados

O Festival Conexões Tecnológicas, organizado pelo Instituto Sergio Motta, acaba de anunciar a lista de premiados e finalistas de sua terceira edição. O júri formado por professores, artistas e profissionais das áreas de Artes e Design premiou trabalhos desenvolvidos por estudantes de Arquitetura e Urbanismo, Design Gráfico e Ciência da Computação, dos estados do Ceará, Minas Gerais e Pernambuco e indicou outros sete finalistas (veja abaixo a relação dos dez trabalhos contemplados). No total, foram inscritos mais de 100 trabalhos de alunos de graduação e recém-graduados de todo o país, que tiveram seus trabalhos em artes e design fazendo uso de mídias digitais divulgados através do site e das redes sociais do Festival.

Premiados:

Egoscomo, 2009, de Artur Vasconcelos Cordeiro
Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Ceará (CE)

Espaço;Processo, 2010, de Felipe Turcheti e Vicente Pessôa
Design Gráfico, Universidade do Estado de Minas Gerais (MG)

Marvim Gainsbug, 2009, de Jeraman e Filipe Calegário
Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco (PE)

Finalistas:

O Inseto como Mapa, 2008, de Fabrício Assis Rodrigues
Desenho Industrial, Universidade Estadual Paulista (SP)

collecTable – uma interface natural para coleções de música, 2008, de Imedia
Desenho Industrial, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (RJ)

Corpo Digitalizado, 2008, de Juliana Cerqueira
Pintura, Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ)

Museu do Hoje: Fundação para os movimentos, 2008, de Lorena Melgaço Silva Marques
Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Minas Gerais (MG)

Bauhalien: o site experimental, 2009, de Papaiesso
Design Digital, Universidade Anhembi Morumbi (SP)

Lugares da Cidade – Mídia Locativa Digital, 2008, de Projeto Sticker Map
Comunicação e Multimeios, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (SP)

Verbum, 2010, Rodrigo Montadon Born
Artes Visuais, Universidade Estadual de Santa Catarina (SC)

Posted by Fábio Tremonte at 5:27 PM

outubro 20, 2010

Programa de Exposições 2011 - Inscrições e informações para o artista

Programa de Exposições 2011

Estão abertas as inscrições para o Programa de Exposições 2011 do Centro Cultural São Paulo - Curadoria de Artes Visuais - para a seleção de até 18 artistas brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil. O Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo desde sua criação, em 1990, privilegia o debate sobre a arte contemporânea ao propor um mapeamento da jovem produção, com objetivos de abrir espaço a artistas em início de trajetória profissional - para a sua inserção no circuito de artes visuais - e de possibilitar o acesso do público a obras representativas do panorama artístico recente.

Inscrições até 26 de novembro de 2010

Curadoria de Artes Visuais
Centro Cultural São Paulo
Programa Anual de Exposições 2010
Rua Vergueiro 1000, Paraíso, São Paulo - SP
11-3397-4002
www.centrocultural.sp.gov.br

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais

As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA INSCRITOS: nenhum

GANHO PARA SELECIONADOS:
- Todos os artistas selecionados serão contratados como pessoa física e receberão um cachê de R$ 2.700,00 (dois mil e setecentos reais)

- Os artistas selecionados serão divididos em grupos que realizarão exposições individuais simultâneas no decorrer do ano de 2011.

- Cada grupo de artistas participará de encontro organizado pela Curadoria de Artes Visuais, com o objetivo de debater e aprimorar os projetos expositivos. Esse encontro, que deverá acontecer de dois a três meses antes da abertura de cada Mostra, contará com o acompanhamento de curadores do CCSP, críticos do Programa de Exposições e/ou artistas convidados

CUSTOS OPERACIONAIS:
As inscrições serão feitas em duas etapas:
- Preenchimento do formulário disponível no site www.centrocultural.sp.gov.br.
- Impressão e envio pelo correio do formulário de inscrição, acompanhado de portifólio e anteprojeto da exposição ou do trabalho a ser apresentado no Centro Cultural São Paulo.

O portifólio deverá conter:
- Curriculum Vitae com identificação, formação artística e atividades culturais, com endereço, telefone e e-mail para contato.
- Documentação fotográfica impressa em cores de no mínimo 5 (cinco) e no máximo 15 (quinze) trabalhos recentes, sendo imprescindível que cada uma das fotos esteja identificada com o nome do artista, título da obra, data, dimensões, valor da obra e demais dados que julgar necessários. Para obras em vídeo ou web, serão aceitos DVDs.
- Documentação sobre a obra do artista, como catálogos, textos ou impressos em geral, também poderá integrar os portfólios, não sendo este item condição obrigatória.
- Os portifólios não deverão exceder o formato A4 (21,0 cm x 29,7 cm).

Edital

A Secretaria Municipal da Cultura FAZ SABER que, durante o período de 04 DE OUTUBRO a 26 DE NOVEMBRO de 2010, estarão abertas as inscrições para o Programa de Exposições 2011 do Centro Cultural São Paulo – Curadoria de Artes Visuais.

1. DO OBJETO

O presente edital visa selecionar até 18 artistas brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil. O Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo desde sua criação, em 1990, privilegia o debate sobre a arte contemporânea ao propor um mapeamento da jovem produção, com objetivos de abrir espaço a artistas em início de trajetória profissional – para a sua inserção no circuito de artes visuais – e de possibilitar o acesso do público a obras representativas do panorama artístico recente.

2. DAS INSCRIÇÕES

2.1. As inscrições serão feitas em duas etapas:
2.1.1. Preenchimento do formulário disponível no site www.centrocultural.sp.gov.br.
2.1.2. Impressão e envio pelo correio do formulário de inscrição, acompanhado de portifólio e anteprojeto da exposição ou do trabalho a ser apresentado no Centro Cultural São Paulo.

2.2. O portifólio deverá conter:
2.2.1. Curriculum Vitae com identificação, formação artística e atividades culturais, com endereço, telefone e e-mail para contato.
2.2.2. Documentação fotográfica impressa em cores de no mínimo 5 (cinco) e no máximo 15 (quinze) trabalhos recentes, sendo imprescindível que cada uma das fotos esteja identificada com o nome do artista, título da obra, data, dimensões, valor da obra e demais dados que julgar necessários. Para obras em vídeo ou web, serão aceitos DVDs.
2.2.3. Documentação sobre a obra do artista, como catálogos, textos ou impressos em geral, também poderá integrar os portfólios, não sendo este item condição obrigatória.
2.2.4. Os portifólios não deverão exceder o formato A4 (21,0 cm x 29,7 cm).

2.3. O anteprojeto deverá conter:
2.3.1. Descrição sucinta e objetiva (em 1 lauda, no máximo) da exposição ou trabalho a ser apresentado no CCSP, se possível acompanhada de imagens.

2.4. Não serão aceitas obras para efeito de inscrição.

2.5. O material especificado (formulário, portfólio e pré-projeto) deve estar contido em envelope lacrado (ou embalagem apropriada lacrada) com o nome do artista, devendo ser dirigido a:

Curadoria de Artes Visuais
Centro Cultural São Paulo
Programa Anual de Exposições 2010
Rua Vergueiro, 1000, Paraíso
CEP 01504-000 – São Paulo – SP

2.6. O material deverá ser enviado pelo correio, com ficha de inscrição preenchida, com data de postagem até 26 DE NOVEMBRO DE 2010, inclusive.

2.7. O Centro Cultural São Paulo não se responsabiliza por eventuais envelopes extraviados pelos Correios.

2.8. O Centro Cultural São Paulo rejeitará as inscrições que não estejam de acordo com os termos deste edital, cuja inscrição implica a automática e plena concordância das normas nele estabelecidas.

2.9. É vedada a participação no concurso de familiares e integrantes da comissão julgadora, bem como de funcionários da Prefeitura do Município de São Paulo.

2.10. Informações gerais sobre o programa de exposições poderão ser obtidas pelo telefone (11) 3397-4052 ou no site www.centrocultural.sp.gov.br.

3. DA SELEÇÃO E SEUS CRITÉRIOS

3.1. Os portifólios e pré-projetos de exposição serão examinados e selecionados por comissão designada e presidida pelo Diretor do CCSP – ou, na sua falta, pelo Diretor da Curadoria Artes Visuais –, composta por três profissionais da área de artes visuais, que serão oportunamente contratados para tal finalidade, e por um membro da Curadoria de Artes Visuais.

3.1.1. A seleção somente será realizada por meio de fotos, projetos, CDs, DVDs, não sendo aceitas obras originais ou maquetes para esta finalidade.

3.2. O critério de avaliação do júri tem em consideração os objetivos do Programa de Exposições do CCSP e a relevância da proposta do artista inscrito no panorama da produção artística contemporânea.

3.3. Todos os artistas selecionados serão contratados como pessoa física e receberão um cachê de R$ 2.700,00 (dois mil e setecentos reais), deduzidos os tributos previstos na legislação em vigor. Esse valor abrangerá todos os custos e despesas diretamente ou indiretamente envolvidas na exposição e será pago em 2 (duas) parcelas da seguinte maneira:
3.3.1. a primeira parcela, correspondente a 35% do valor do cachê, será paga 30 dias antes da abertura da exposição, mediante a apresentação do projeto e da aprovação do mesmo pela Curadoria de Artes Visuais do Centro Cultural São Paulo, que poderá solicitar modificações para atender às condições do espaço expositivo e aos propósitos do Programa.
3.3.2. a segunda parcela, correspondente a 65% do valor do cachê, será paga em até 30 dias após a a inauguração da respectiva exposição.

3.4. Os resultados da seleção serão divulgados na imprensa, no site do Centro Cultural São Paulo e no Diário Oficial da Cidade de São Paulo, a partir de 13 de janeiro de 2011.

3.5. A decisão da Comissão é soberana e irrecorrível.

3.6. Devolução de portifólio e pré-projeto pelo correio somente será realizada se o participante anexar envelope adequado, preenchido e selado com o correspondente valor do envio. Caso o valor da postagem seja insuficiente, o CCSP não se responsabilizará pela devolução. Não será aceito cheque postal ou dinheiro.

3.7. Os portfólios e pré-projetos de todos os inscritos não selecionados estarão à disposição dos artistas na Curadoria de Artes Visuais do Centro Cultural São Paulo a partir de 13 de janeiro de 2011 e deverão ser retirados, impreterivelmente, até 4 de abril de 2011, de segunda a sexta-feira, no horário das 14h às 17h, no endereço especificado no item 2.5. Após essa data, o material será reciclado.

3.8. O Programa de Exposições inclui também a apresentação de até 6 (seis) artistas consagrados pelo público e/ou crítica especializada a serem oportunamente escolhidos e contratados pela Curadoria de Artes Visuais do Centro Cultural São Paulo.

4. DO APRIMORAMENTO DOS PROJETOS EXPOSITIVOS E DAS EXPOSIÇÕES:

4.1. Os artistas selecionados serão divididos em grupos que realizarão exposições individuais simultâneas no decorrer do ano de 2011.
4.1.1. A organização dos grupos, a distribuição dos espaços de exposição e os períodos de permanência das exposições são atribuições da Curadoria de Artes Visuais e serão oportunamente divulgados.

4.2. Cada grupo de artistas participará de encontro organizado pela Curadoria de Artes Visuais, com o objetivo de debater e aprimorar os projetos expositivos. Esse encontro, que deverá acontecer de dois a três meses antes da abertura de cada Mostra, contará com o acompanhamento de curadores do CCSP, críticos do Programa de Exposições e/ou artistas convidados.

5. DA PREMIAÇÃO

Serão concedidos 4 (quatro) prêmios aquisitivos de R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais) cada, deduzidos os tributos previstos na legislação em vigor, a 4 (quatro) artistas dentre aqueles selecionados pelo Programa, além de 1 (um) prêmio em dinheiro no valor de R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais) a 1 (um) artista para realização de residência artística em uma das instituições indicadas pelo CCSP.

5.1. Do prêmio aquisitivo:
5.1.1. A seleção para a premiação será feita entre os trabalhos apresentados nas mostras individuais simultâneas. O Centro Cultural terá a prioridade na escolha dos trabalhos. Na impossibilidade da aquisição da obra será formada uma Comissão composta por representantes da Diretoria do CCSP, da Coleção de Arte da Cidade e da Curadoria de Artes Visuais do CCSP para tomada de decisão.
5.1.2. As obras adquiridas por meio desta premiação serão incorporadas ao acervo da Coleção de Arte da Cidade.
5.1.3. A seleção para o prêmio aquisitivo será realizada por comissão composta por representantes da Diretoria do CCSP, da Coleção de Arte da Cidade e da Curadoria de Artes Visuais do CCSP, além do júri de seleção e de um grupo de jovens críticos contratados para tal finalidade, que acompanharão a produção individual dos artistas selecionados ao longo do ano de 2011.
5.1.4. Esta votação será realizada após a inauguração da última mostra do ano.
5.1.5. O artista premiado deverá estar de acordo com o termo de aquisição e apresentar memorial poético (conceituação) e memorial técnico-descritivo da obra adquirida.
5.1.6. O Centro Cultural São Paulo terá direito de reprodução das imagens das obras adquiridas, desde que em publicações culturais.

5.2. Do prêmio para realização de residência artística:
5.2.1. A residência artística deverá ter duração mínima de 1 (um) mês e realizar-se em instituição pública ou privada nacional ou internacional notoriamente reconhecida a ser referendada pelo CCSP.
5.2.2. No prazo de 3 (três) meses a contar da data da publicação da ata de seleção, o artista premiado para a bolsa residência deverá apresentar a carta de aceite da instituição, bem como toda a documentação necessária para a sua viagem, incluindo vistos diplomáticos nos casos em que forem necessários, sob pena de perder o prêmio que será oferecido a um substituto indicado pela mesma Comissão Julgadora.
5.2.3. O artista premiado terá o prazo de 3 (três) meses após o término da residência para apresentar certificado de conclusão ou documento equivalente, expedido pela instituição que o abrigou, comprovando o seu aproveitamento. O artista deverá ainda apresentar, dentro desse mesmo prazo, um relato de sua experiência ilustrado com fotografias, vídeos ou desenhos, para os arquivos do CCSP e publicação no site.
5.2.4. A não apresentação de certificado ou documento de conclusão da residência implicará, obrigatoriamente, na imediata devolução integral do valor recebido à Municipalidade.

5.3. Será facultativa ao artista a aceitação do prêmio, podendo este recusá-lo caso considere o valor ou as condições impróprias para a aquisição de sua obra ou realização de residência.

6. DAS OBRIGAÇÕES DO SELECIONADO:

6.1. Responder, dentro do prazo que lhe for concedido, às solicitações da Curadoria de Artes Visuais.

6.2. Fornecer equipamentos e materiais especiais eventualmente previstos para a instalação ou exibição das obras e não disponíveis no Centro Cultural São Paulo.

6.3. Entregar e retirar as obras a serem expostas nas datas e prazos estabelecidos oportunamente pela Curadoria de Artes Visuais do Centro Cultural São Paulo.

6.4. Responsabilizar-se pelos encargos relativos à embalagem, ao transporte e ao seguro das obras a serem expostas.

6.5. Entregar fotos e material para divulgação e para a peça gráfica referente à exposição, segundo modelo a ser fornecido pela Curadoria de Artes Visuais.

6.6. Fornecer a documentação requerida pelo Centro Cultural São Paulo.

6.6.1. O artista selecionado, para receber o cachê e/ou o prêmio, não poderá estar em débito com a Municipalidade de São Paulo e deverá fornecer cópia simples dos seguintes documentos: RG ou RNE (dentro do prazo de validade) e CPF; Curriculum; e Certidão de Tributos Mobiliários atualizada, caso seja inscrito no Cadastro de Contribuinte Municipal (CCM da Prefeitura). No caso do artista estrangeiro ele poderá ser representado por pessoa física, esta não poderá estar em débito com a Municipalidade de São Paulo e deverá fornecer cópia simples dos seguintes documentos: RG ou RNE (dentro do prazo de validade) e CPF; Currículo; e Certidão de Tributos Mobiliários atualizada

6.6.1.1. A apresentação de RNE dentro do prazo de validade, no caso de artista estrangeiro, é imprescindível, configurando único documento hábil a comprovar a residência no Brasil.

6.6.2. O pagamento do prêmio será realizado obrigatoriamente mediante crédito em conta corrente mantida no Banco do Brasil S/A, na forma de depósito em conta corrente do Banco do Brasil, conforme o Decreto nº 51.197, de 22/01/2010. Somente os cachês também poderão ser pagos por meio de Ordem de Pagamento no guichê de caixa do Banco do Brasil, em qualquer uma de suas agências, bastando para isso identificar-se por intermédio da apresentação do original do RG e do CPF, nos termos da Portaria SF 02/2006.

6.6.3. Não cabe ao CCSP solucionar impedimentos relativos ao pagamento do cachê ou Prêmio no caso de inadimplência de documentação exigida pela Prefeitura.

6.7. Assinar termo de compromisso com a Curadoria de Artes Visuais quando solicitado.

7. DAS OBRIGAÇÕES DO CCSP:

7.1. Divulgar todas as mostras previstas no Programa de Exposições.

7.2. Produzir convites eletrônicos e fôlderes.

7.3. Montar e desmontar as exposições.

7.4. Prover as condições técnicas necessárias à produção das mostras a que se refere este Regulamento.

8. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS:

8.1. As responsabilidades civis, penais, comerciais e outras advindas de utilização de direitos autorais e/ou patrimoniais anteriores, contemporâneas ou posteriores à apresentação da proposta cabem exclusivamente ao artista selecionado.

8.2. A Secretaria Municipal de Cultura não se responsabilizará em hipótese alguma pelos atos, contratos ou compromissos assumidos de natureza comercial, financeira, trabalhista ou outra, realizado pelo selecionado para fins quaisquer de Contrato com a Prefeitura do Município de São Paulo (Secretaria Municipal de Cultura).

8.3. Fica assegurado ao Município de São Paulo o direito de, no interesse da Administração, anular ou revogar, a qualquer tempo, no todo ou em parte, o concurso, dando ciência aos participantes, na forma da legislação vigente.

8.4. Os artistas proponentes assumem todos os custos de preparação e apresentação de suas propostas e o Município de São Paulo não será, em nenhum caso, responsável por esses custos, independentemente da condução ou do resultado do concurso.

8.5. Os casos omissos serão resolvidos pela Direção do Centro Cultural São Paulo, em consulta a Curadoria de Artes Visuais.

Posted by Fábio Tremonte at 10:07 AM

outubro 13, 2010

17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil - 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil - Inscrições e informações para o artista

1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil

O 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil selecionará jovens artistas residentes em São Paulo para realizar obras em colaboração com outros nos espaços de trabalho da Casa Tomada. As obras serão produzidas no primeiro semestre de 2011 e integrarão uma exposição no Festival.

Inscrições até 29 de novembro de 2010

Associação Cultural Videobrasil
Av. Imperatriz Leopoldina 1150, Vila Leopoldina, São Paulo - SP
11-3645-0516 ou info@videobrasil.org.br
www.sescsp.org.br/sesc/videobrasil/site/home/home.asp

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais
As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA INSCRITOS: nenhum

GANHO PARA SELECIONADOS:
- Cada artista selecionado para o 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil receberá, para produzir sua obra, uma bolsa no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), que serão pagos em 4 (quatro) parcelas mensais.

- O trabalho será desenvolvido em ateliê na Casa Tomada, espaço paulistano de criação e convivência, e terá o acompanhamento de uma equipe ligada à Casa e à Associação Cultural Videobrasil.

- O Ateliê Aberto também prevê o desenvolvimento de uma publicação que registre o processo de pesquisa dos artistas e o resultado de suas atividades.

- As obras produzidas com o 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil serão expostas no 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil e passam a pertencer ao Acervo da Associação Cultural Videobrasil.

- Três profissionais do campo das artes acompanharão o desenvolvimento do trabalho dos artistas no ateliê da Casa Tomada. Cada um manterá com os artistas um número preestabelecido de encontros para discussão dos trabalhos.

- Além dos acompanhantes, os artistas receberão três outros visitantes durante o período do Ateliê (curadores, críticos, colecionadores, artistas atuantes e galeristas), para trocar impressões sobre o processo de criação e as obras.

- Uma dupla de pesquisadores, apontados pela Casa, acompanhará os trabalhos para desenvolver, a partir dos processos envolvidos no Ateliê Aberto, textos reflexivos para a publicação Convivências.

CUSTOS OPERACIONAIS:
- Além da Ficha de Inscrição assinada e preenchida, os interessados em participar do processo seletivo devem encaminhar:

- Proposta de trabalho (breve descrição do projeto, argumento, temas de pesquisa, referências e informações adicionais), com até 1200 caracteres; e material visual de apoio à proposta, se houver.
- Portfólio do artista em PDF, contendo imagens de até quinze obras, devidamente identificadas (nome, data), e/ou links para vídeos e sites que ofereçam complementos relevantes sobre o trabalho pregresso do candidato. O arquivo PDF deverá estar no formato A4 e ter no máximo dois megabytes.
- Artistas que têm uma produção de texto podem enviar até três exemplos, em português.
- Cópia da Carteira de Identidade ou RNE/passaporte e visto de permanência (estrangeiros).
- Cópia do CPF
- Cópia do comprovante de residência em São Paulo (documentos bancários, comerciais, públicos ou declarações da Administração Pública), emitido em 2010.
- Currículo, com duas páginas no máximo, em folha A4, indicando formação, exposições individuais, exposições coletivas, prêmios, publicações etc.
- Nome, endereço eletrônico e telefone para contato de pessoas que possam fornecer referências profissionais do candidato.

- Os selecionados assinarão com a Casa um Termo de Compromisso, dispondo-se a cumprir um mínimo de trinta horas semanais de uso da estrutura do espaço, a serem distribuídas dentro de seus horários de funcionamento. Os participantes também se dispõem a produzir registros de seu processo de trabalho.

REGULAMENTO

1º PRÊMIO ATELIÊ ABERTO VIDEOBRASIL

Objetivos

Destinado a incentivar as práticas artísticas contemporâneas e a estimular a produção emergente em artes visuais, o 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil vai selecionar quatro artistas residentes em São Paulo de até trinta anos de idade para trabalhar em colaboração na produção de obras que serão expostas no 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil.

O Prêmio se destina a artistas que completaram sua etapa de formação e buscam uma experiência intensiva de trabalho colaborativo. Os candidatos devem estar dispostos a compartilhar seu processo com outros artistas.

O trabalho será desenvolvido em ateliê na Casa Tomada, espaço paulistano de criação e convivência, e terá o acompanhamento de uma equipe ligada à Casa e à Associação Cultural Videobrasil.

O Ateliê Aberto também prevê o desenvolvimento de uma publicação que registre o processo de pesquisa dos artistas e o resultado de suas atividades.
Participantes

Somente poderão candidatar-se ao 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil artistas nascidos após 1980 e residentes em São Paulo. Não serão aceitas inscrições de grupos ou coletivos.

Não poderão participar do processo seletivo membros das comissões de seleção e de acompanhamento, assim como seus parentes diretos.

Obras

As obras produzidas com o 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil serão expostas no 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil e passam a pertencer ao Acervo da Associação Cultural Videobrasil.

Cronograma

Inscrições 30 de junho a 29 de novembro de 2010
Seleção 1º de dezembro de 2010 a 10 de março de 2011
Divulgação dos pré-selecionados 1º de fevereiro de 2011, no site da ACV
Entrevistas com os pré-selecionados 14 a 18 de fevereiro de 2011
Divulgação de resultados 15 de março de 2011, no site da ACV
Produção das obras 1º de abril a 30 de julho de 2011
Exposição setembro/outubro 2011

Pré-seleção
Análise da proposta e materiais enviados - dezembro de 2010 a janeiro de 2011
Divulgação dos pré-selecionados - 1º de fevereiro de 2011

Seleção final
Entrevistas com os pré-selecionados - 14 a 18 de fevereiro de 2011
Divulgação dos selecionados - 15 de março de 2011

Inscrições

As inscrições para o Prêmio são gratuitas e estão abertas até 29 de novembro de 2010.

Os candidatos devem enviar a Ficha de Inscrição impressa (ou o protocolo, no caso de inscrições on-line), mais os Documentos e Materiais descritos abaixo, para:

Associação Cultural Videobrasil
17° Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil
1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil
Av. Imperatriz Leopoldina, 1150
Vila Leopoldina
CEP 05305-002
São Paulo - SP - Brasil
Observações

- Só serão consideradas válidas as inscrições que chegarem ao endereço indicado até 29 de novembro de 2010, contendo todos os itens requisitados neste Regulamento.

- O ato de inscrição do artista no processo seletivo implica a aceitação de todas as condições estipuladas neste Regulamento.

Ficha de Inscrição

A Ficha de Inscrição pode ser preenchida e submetida on-line. Nesse caso, o envio gerará automaticamente um protocolo. O candidato deve imprimir o protocolo, assiná-lo e anexá-lo ao material a enviar.

Também é possível imprimir a Ficha de Inscrição e preenchê-la à mão. Basta completar todos os campos, assinar a Ficha e anexá-la ao material a enviar.

Documentos e Materiais

Além da Ficha de Inscrição assinada e preenchida, os interessados em participar do processo seletivo devem encaminhar:

- Proposta de trabalho (breve descrição do projeto, argumento, temas de pesquisa, referências e informações adicionais), com até 1200 caracteres; e material visual de apoio à proposta, se houver.

- Portfólio do artista em PDF, contendo imagens de até quinze obras, devidamente identificadas (nome, data), e/ou links para vídeos e sites que ofereçam complementos relevantes sobre o trabalho pregresso do candidato. O arquivo PDF deverá estar no formato A4 e ter no máximo dois megabytes.

- Artistas que têm uma produção de texto podem enviar até três exemplos, em português.

- Cópia da Carteira de Identidade ou RNE/passaporte e visto de permanência (estrangeiros).

- Cópia do CPF.

- Cópia do comprovante de residência em São Paulo (documentos bancários, comerciais, públicos ou declarações da Administração Pública), emitido em 2010.

- Currículo, com duas páginas no máximo, em folha A4, indicando formação, exposições individuais, exposições coletivas, prêmios, publicações etc.

- Nome, endereço eletrônico e telefone para contato de pessoas que possam fornecer referências profissionais do candidato.
Observações

- A proposta de trabalho, o portfólio em PDF e textos podem ser anexados à Ficha de Inscrição. Nesse caso, não é necessário enviar cópia impressa.

- Materiais com má qualidade de visualização e/ou identificados incorretamente não serão avaliados, implicando a desclassificação do participante.

- Os materiais enviados não serão devolvidos. Os portfólios dos selecionados serão incorporados ao Acervo da Associação Cultural Videobrasil.

Seleção

A seleção será baseada na análise das propostas e dossiês dos artistas, e em entrevistas. Ela acontece em duas etapas, conforme o seguinte cronograma:

Pré-seleção

Análise da proposta e materiais enviados - dezembro de 2010 a janeiro de 2011

Divulgação dos pré-selecionados - 1º de fevereiro de 2011

Seleção final

Entrevistas com os pré-selecionados - 14 a 18 de fevereiro de 2011

Divulgação dos selecionados - 15 de março de 2011

Critérios

Os candidatos serão selecionados a critério do Prêmio, por uma Comissão definida pelo Videobrasil e pela Casa Tomada. A Comissão é soberana, e sua decisão, final e irrevogável.

Os critérios de seleção incluem:

a. Pertinência da proposta a ser desenvolvida.
b. Originalidade e qualidade dos trabalhos desenvolvidos anteriormente pelo candidato.
c. Disposição do candidato para trabalhar em colaboração com os outros artistas selecionados, em regime de convivência intensiva.

Observações

- Além dos quatro artistas selecionados, serão escolhidos mais três inscritos suplentes que poderão vir a substituir artistas inicialmente selecionados, em caso de:

a. descumprimento das obrigações assumidas pelo mesmo no Termo de Compromisso;
b. desistência;
c. força maior.

Confirmação

Os artistas pré-selecionados e os vencedores do Prêmio serão anunciados no site da ACV, nas datas estabelecidas no item Cronograma. A partir da publicação, terão 5 (cinco) dias úteis para confirmar oficialmente sua participação.

Os artistas que não responderem nesse período serão excluídos do Prêmio.

Casa Tomada

Os artistas selecionados para o 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil terão como base de trabalho a Casa Tomada, espaço paulistano de produção artística, reflexão e convivência.

Os selecionados assinarão com a Casa um Termo de Compromisso, dispondo-se a cumprir um mínimo de trinta horas semanais de uso da estrutura do espaço, a serem distribuídas dentro de seus horários de funcionamento. Os participantes também se dispõem a produzir registros de seu processo de trabalho.

A Casa será responsável pelo acompanhamento do processo de ateliê, detalhado abaixo.

Estrutura

A Casa Tomada oferece aos selecionados:

- ateliê de oitenta metros quadrados;
- biblioteca de arte com cerca de mil títulos, entre livros, CDs e DVDs;
- laboratório fotográfico pb;
- vitrine para a rua, disponível como espaço expositivo durante o processo de ateliê;
- materiais básicos de desenho, pintura e colagem;
- computadores para pesquisa, trabalhos e acesso wireless à internet;
- espaço de convivência, incluindo salas de estar e cozinha coletiva.

Acompanhamento

- Três profissionais do campo das artes acompanharão o desenvolvimento do trabalho dos artistas no ateliê da Casa Tomada. Cada um manterá com os artistas um número preestabelecido de encontros para discussão dos trabalhos.

- Além dos acompanhantes, os artistas receberão três outros visitantes durante o período do Ateliê (curadores, críticos, colecionadores, artistas atuantes e galeristas), para trocar impressões sobre o processo de criação e as obras.

- Uma dupla de pesquisadores, apontados pela Casa, acompanhará os trabalhos para desenvolver, a partir dos processos envolvidos no Ateliê Aberto, textos reflexivos para a publicação Convivências.
Registros

- No início do projeto, cada participante receberá da Casa um caderno para utilizar durante os meses de Ateliê Aberto da forma que desejar. O resultado será integrado ao acervo de Cadernos de Artista da Casa Tomada.

- Cada participante terá um blog dentro do site da Casa Tomada para utilizar durante os meses de projeto. Os blogs serão administrados pela Casa.

- A Casa disponibilizará informações sobre os artistas (bio, foto, portfólio, URL) em seu site.

Encerramento

- Paralelamente à exposição no 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, serão realizados três eventos na Casa:

1. Exposição com registros residuais do processo de convivência (fotos, áudios, cadernos de artista, esboços, vestígios, material dos blogs etc.), realizada pelos artistas e pela equipe da Casa.

2. Lançamento da publicação Convivências, que incluirá imagens dos processos do Ateliê e, eventualmente, de trabalhos desenvolvidos pelos artistas, além de outros conteúdos que Casa Tomada e Videobrasil julgarem pertinentes.

3. Debate com artistas e acompanhantes.

Bolsa

Cada artista selecionado para o 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil receberá, para produzir sua obra, uma bolsa no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), que serão pagos em 4 (quatro) parcelas mensais.
Exposição

As obras produzidas durante o processo do Ateliê Aberto na Casa Tomada serão expostas na mostra Panoramas do Sul do 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil. A expografia será definida pela curadoria do Festival.

Contrato

Os artistas selecionados deverão firmar com a Associação Cultural Videobrasil um contrato de cessão de direitos autorais/conexos e autorização para utilização de imagem sobre a obra que será produzida, autorizando a utilização das imagens, sons e textos apresentados e coletados ao longo do desenvolvimento do projeto, em caráter irrevogável e irretratável, e por tempo indeterminado em todo o território nacional e fora dele.

As autorizações para uso das imagens são extensivas à Casa Tomada.

O contrato dará à Associação Cultural Videobrasil, ainda, a exclusividade dos direitos para elaboração, gravação e publicação de DVD, catálogo e outros produtos e materiais de divulgação do 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil.

Os artistas selecionados também autorizam o uso institucional da própria imagem em ações de divulgação do 1º Prêmio Ateliê Aberto Videobrasil, do Videobrasil e da Casa Tomada em todos os tipos de mídia.

INSCRIÇÃO

Ficha de Inscrição

Posted by Cecília Bedê at 4:15 PM

17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil - Mostra Competitiva Panoramas do Sul - Inscrições e informações para o artista

Mostra Competitiva Panoramas do Sul

A partir desta edição, a Mostra Competitiva Panoramas do Sul aceita obras de naturezas diversas: vídeos, instalações, performances, objetos impressos e outras experiências artísticas. As inscrições estão abertas até 10 de março de 2011. No Festival, que acontece em setembro de 2011, as obras selecionadas concorrem a um prêmio em dinheiro e a oito prêmios de residência artística, concedidos em parceria com instituições na América Latina, Europa e Ásia.

Inscrições até 10 de março de 2011

Associação Cultural Videobrasil
Av. Imperatriz Leopoldina 1150, Vila Leopoldina, São Paulo - SP
11-3645-0516 ou info@videobrasil.org.br
www.sescsp.org.br/sesc/videobrasil/site/home/home.asp

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais
As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA INSCRITOS: nenhum

GANHO PARA SELECIONADOS:
- Será oferecido um prêmio em dinheiro, no valor de R$ 45.000,00 (valor bruto), a uma obra participante da Mostra Competitiva Panoramas do Sul. A obra será definida a critério do júri do Festival, que poderá, ainda, conceder menções especiais.

- Serão concedidos 8 (oito) prêmios de residência artística a artistas participantes da Mostra Competitiva Panoramas do Sul, a critério de um júri definido pelo Programa Videobrasil de Residências. Os prêmios são:

Prêmio de Residência Artística - França (um prêmio)
Prêmios de Residência Artística WBK Vrije Academie - Amsterdã/Holanda (três prêmios)
Prêmio de Residência Artística - Sacatar - Itaparica/Brasil (um prêmio)
Prêmio de Residência Artística - pArtage - Flic-en-Flac/Ilhas Maurício (um prêmio)
Prêmio de Residência Artística Centro Cultural de Espanha/AECID - Kiosko - Santa Cruz de la Sierra/Bolívia (um prêmio)
Prêmio de Residência Artística FAAP - São Paulo/Brasil (um prêmio)

- Todas as obras que forem premiadas ou receberem menções na Mostra Competitiva serão incluídas no programa Itinerância Videobrasil, que viajará para locais de exibição no Brasil e no exterior. Outras obras selecionadas poderão ser incluídas no mesmo programa, a critério da curadoria.

CUSTOS OPERACIONAIS:
- A inscrição é gratuita. A obra deve ser enviada pelo correio para o local de inscrição, nos formatos indicados na Ficha de Inscrição, acompanhada de todos os itens listados em Documentos e Materiais. Trabalhos inscritos não serão devolvidos.

- Apenas serão considerados inscritos os trabalhos que chegarem ao local de inscrição até a data estabelecida e acompanhados dos seguintes materiais:

+ Ficha de Inscrição impressa, com todos os campos preenchidos e assinada; ou Protocolo assinado (se a Ficha for preenchida on-line).

+ CD com de três a cinco fotos da obra e uma foto do artista, em PB ou cor. As fotos devem estar em arquivo jpeg, ter 24 x 15 centímetros e resolução alta (300 dpi).

+ 1 cópia do Curriculum Vitae do(s) autor(es), contendo endereço, telefone e e-mail atualizados, em arquivo digital.

REGULAMENTO

REQUISITOS

Serão aceitos vídeos, instalações, performances, livros-objeto e outras experiências artísticas produzidas a partir de maio de 2009 por artistas visuais nascidos nos países da América Latina, Caribe, África, Ásia (exceto Japão), Europa do Leste, Oriente Médio e Oceania.
Número de obras

Cada participante poderá submeter até 3 (três) obras, mas a Mostra Competitiva selecionará, no máximo, uma obra por autor.

INSCRIÇÃO

A inscrição é gratuita. A obra deve ser enviada pelo correio para o local de inscrição, nos formatos indicados na Ficha de Inscrição, acompanhada de todos os itens listados em Documentos e Materiais. Trabalhos inscritos não serão devolvidos.

Ficha de Inscrição

A Ficha de Inscrição pode ser preenchida e submetida on-line. Nesse caso, o envio gerará automaticamente um protocolo. O candidato deve imprimir o protocolo, assiná-lo e anexá-lo ao material a enviar.

Também é possível imprimir a Ficha de Inscrição e preenchê-la à mão. Basta completar todos os campos, assinar a Ficha e anexá-la ao material a enviar.

Só serão consideradas inscritas as obras que chegarem ao local de inscrição acompanhadas da Ficha de Inscrição impressa (ou do protocolo, no caso de inscrições on-line), além dos demais materiais aqui estabelecidos.

Prazo

Somente serão aceitos trabalhos que chegarem ao local de inscrição até o dia 10 de março de 2011.

Formatos de inscrição

As obras devem ser submetidas das seguintes formas:

+ Vídeos
Enviar a obra em DVD.

+ Instalações
Enviar esquema de montagem e detalhamento técnico. Se a instalação envolver vídeo, este deve ser enviado em DVD.

+ Performance
Enviar projeto descritivo; se a obra já tiver sido apresentada, acrescentar registros e documentações anteriores.

+ Publicação/Objeto impresso
Enviar a obra.

+ Demais formatos
Enviar documentação que possibilite compreender a obra, aspectos de montagem etc. Se a obra já tiver sido exibida, enviar registros anteriores.
Documentos e Materiais

Apenas serão considerados inscritos os trabalhos que chegarem ao local de inscrição até a data estabelecida e acompanhados dos seguintes materiais:

+ Ficha de Inscrição impressa, com todos os campos preenchidos e assinada; ou Protocolo assinado (se a Ficha for preenchida on-line).

+ CD com de três a cinco fotos da obra e uma foto do artista, em PB ou cor. As fotos devem estar em arquivo jpeg, ter 24 x 15 centímetros e resolução alta (300 dpi).

+ 1 cópia do Curriculum Vitae do(s) autor(es), contendo endereço, telefone e e-mail atualizados, em arquivo digital.
Observações

- O arquivo com o CV do artista também pode ser anexado à Ficha de Inscrição; nesse caso, é desnecessário anexá-lo ao material a enviar.

Local

As obras, materiais e documentos devem ser enviados para:

Associação Cultural Videobrasil
17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil
MOSTRA COMPETITIVA PANORAMAS DO SUL
Av. Imperatriz Leopoldina, 1150
Vila Leopoldina
CEP 05305-002
São Paulo - SP - Brasil

Atenção: nos materiais enviados de fora do Brasil, escrever na embalagem, de forma visível: DVD PARA FESTIVAL DE CARÁTER CULTURAL, SEM FINS LUCRATIVOS. Para evitar problemas na alfândega, não declarar valor superior a R$ 5,00 (cinco reais) pelo pacote.

SELEÇÃO

Entre as obras inscritas, uma Comissão apontada pelo Festival selecionará aquelas que irão integrar a Mostra Competitiva Panoramas do Sul. Não há um número-limite preestabelecido de participantes para a competição.

Divulgação

Os resultados da seleção serão divulgados em junho de 2011, no site www.videobrasil.org.br.

Materiais extras

A todos os selecionados será solicitado, caso necessário, material adicional para divulgação.

Cessão de direitos

Os selecionados serão convidados a ceder à Associação Cultural Videobrasil os direitos de transmissão, difusão, arquivo, uso de trechos para fins promocionais e por serviços de mídia digital (internet, DVD) incidentes sobre seus trabalhos. As cópias das obras selecionadas ficarão em propriedade da Associação Cultural Videobrasil, como parte do acervo histórico do Festival, e poderão ser acessadas gratuitamente pelo público.

Prêmios

A Mostra Competitiva concederá os seguintes prêmios:
Prêmio em dinheiro

Será oferecido um prêmio em dinheiro, no valor de R$ 45.000,00 (valor bruto), a uma obra participante da Mostra Competitiva Panoramas do Sul. A obra será definida a critério do júri do Festival, que poderá, ainda, conceder menções especiais.

O júri é soberano, e sua decisão, final e irrevogável.

Prêmios de residência

Serão concedidos 8 (oito) prêmios de residência artística a artistas participantes da Mostra Competitiva Panoramas do Sul, a critério de um júri definido pelo Programa Videobrasil de Residências. Os prêmios são:

Prêmio de Residência Artística - França (um prêmio)
Prêmios de Residência Artística WBK Vrije Academie - Amsterdã/Holanda (três prêmios)
Prêmio de Residência Artística - Sacatar - Itaparica/Brasil (um prêmio)
Prêmio de Residência Artística - pArtage - Flic-en-Flac/Ilhas Maurício (um prêmio)
Prêmio de Residência Artística Centro Cultural de Espanha/AECID - Kiosko - Santa Cruz de la Sierra/Bolívia (um prêmio)
Prêmio de Residência Artística FAAP - São Paulo/Brasil (um prêmio)

Os prêmios são concedidos em parceria com as seguintes instituições: Prince Claus Fund (Holanda); Centro Cultural de Espanha em São Paulo, Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e Programa residencias_en_red [Iberoamérica]; Consulado Geral da França em São Paulo; Aliança Francesa; Fundação Armando Alvares Penteado; e WBK Vrije Academie (Holanda).

ITINERÂNCIA

Todas as obras que forem premiadas ou receberem menções na Mostra Competitiva serão incluídas no programa Itinerância Videobrasil, que viajará para locais de exibição no Brasil e no exterior. Outras obras selecionadas poderão ser incluídas no mesmo programa, a critério da curadoria.

INSCRIÇÃO
Ficha de inscrição

Posted by Cecília Bedê at 11:25 AM

outubro 11, 2010

Convocatória V::E::R 2011 Encontro de Arte Viva – Terra UNA - Inscrições e Informações

Associamos o termo Arte Viva a obras de arte que abrangem uma variação de disciplinas e discursos que envolvem, de uma maneira ou outra, o corpo, o espaço e o tempo. Falar de Arte Viva é falar de um terreno rugoso, impuro e mestiço, onde linguagens se cruzam e fronteiras se borram. Usar o termo Arte Viva não é tentar definir ou fixar uma prática, mas é uma estratégia para abrir uma paisagem, mapear novas geografias artísticas e imaginar novas maneiras de trabalhar.

O V::E::R 2011 – Encontro de Arte Viva -, pretende ser um espaço propulsor de troca e reflexão em arte contemporânea, além de promover o encontro criativo e questionador entre os profissionais envolvidos. Aproveitando o frutífero espaço da ecovila Terra UNA para abrigar o evento pretendemos congregar por 10 dias algumas dezenas de artistas para vivenciar as possibilidades destes entrecruzamentos que a expressão Arte Viva incita. Localizada na Serra da Mantiqueira desde 2006 Terra UNA vem se firmando como um ponto criativo para muitas linguagens que vão da biologia às artes visuais. O vasto espaço ao ar livre formado por matas, rios e cachoeiras, e os espaços de ateliê e vivências que a ecovila oferece poderão ser explorados por todos os participantes. Iremos também além das porteiras de Terra UNA levando oficinas e mostras de vídeo para a população local de Liberdade, cidade vizinha à ecovila. Com isso colocamos no mundo esta prática da Arte Viva de esgueirar-se entre as fronteiras, passando, costurando e unindo todo e qualquer terreno.

Comissão de Seleção
Articuladores: Alex Cassal, Beartiz Lemos, Domingos Guimaraens , Marcela Levi , Marcus Vinícius , Nadam Guerra

Inscrições até 7 de novembro de 2010

Ecovila Terra UNA
Liberdade - MG
interacoes@terrauna.org.br
Inscrições online: www.terrauna.org.br

Organizar um festival como o V::E::R fora de um grande centro urbano é oportunidade única de colocar artistas em um intenso convívio, que acaba sendo sempre diluído no ambiente da cidade. Esta transposição também propiciará um deslocamento destas potências criativas para matas quase virgens em arte contemporânea. A população do entorno entrará em contato com a atual produção artística e os próprios artistas entrarão em contato com um cenário totalmente distinto do habitual, o que é muito fecundo em todas as direções e sentidos.

A primeira edição do V::E::R aconteceu em 2005 no Parque Lage, na cidade do Rio de Janeiro (http://www.grupoum.art.br/ver/index.html)

Informações para o artista sobre o custo-benefício de editais
As informações abaixo, todas de caráter objetivo, copiadas do edital, servem para ajudar o artista iniciante a decidir sobre a sua participação no evento em questão. Leia sobre esta iniciativa do Canal no Salões&Prêmios.

GANHO PARA INSCRITOS: nenhum

GANHO PARA SELECIONADOS:
- Os artistas selecionado receberão estadia e alimentação pelos 10 dias do Encontro, e uma bolsa de R$ 1000,00 (Mil Reais).

- Dispomos de 10% da verba do projeto para as despesas dos participantes com transporte. Uma ajuda de custo será paga aos artistas selecionados conforme o estado onde residirem.

- O V::E::R 2011 - Encontro de Arte Viva prevê que os artistas participantes estejam presentes durante toda a duração do evento. Terra UNA disponibilizará aos selecionados acomodações em quartos coletivos e três refeições (ovolactovegetarianas) por dia.

- Terra UNA disponibilizará os espaços para os artistas realizarem seus trabalhos, sendo estes: o Ponto de Cultura e Sustentabilidade em Liberdade (sala de oficinas, sala de aula na escola estadual); as instalações da ecovila: ateliês, áreas de convivência coletiva, 43 hectares de território (sendo 18 destes de mata nativa), e seis quedas d´água; e o equipamentos: projetor de vídeo, tv, computador, aparato básico de som. O uso dos equipamentos de Terra UNA depende de agendamento prévio e está sujeito a confirmação de disponibilidade.

- Poderá ser realizada posteriormente uma exposição com registros e obras produzidas durante a residência. A curadoria da exposição será feita por profissionais designados por Terra UNA, que escolherão, junto com os artistas, o material que será exposto

CUSTOS OPERACIONAIS:
- Na inscrição o artista deverá enviar pelo formulário on-line resumo curricular (de 300 até 1000 caracteres), de uma a quatro imagens jpg (700 x 525 pxl) e a descrição da atividade a ser realizada, que deve se enquadrar em uma das categorias.

- Cada artista deverá providenciar seu próprio transporte até Terra UNA. A ecovila está localizada no município de Liberdade (MG): dista 17 km do centro desta, e 10 km de Bocaina de Minas. De carro, a ecovila está a cerca de 4 horas do Rio de Janeiro, 6 horas de São Paulo e 5 horas de Belo Horizonte.

- Providenciar materiais, ferramentas e/ou equipamentos necessários para a execução de seu projeto.

- Disponibilizar obras ou o registro de trabalhos para página na internet, blog, publicação impressa e/ou exposição quando houver

CONVOCATÓRIA

Das Inscrições

1.1. Podem inscrever-se artistas, pesquisadores e críticos de arte de qualquer nacionalidade.

1.2. As inscrições deverão ser enviadas via formulário on-line do site www.terrauna.org.br entre os dias 01/10/2010 a 7/11/2010

1.3. Serão aceitos projetos compreendidos no campo da “arte viva” (performance, instalação, site specific video ação, e meios afins) considerando ainda, quando houver, a transdisciplinariedade entre linguagens e áreas do conhecimento.

1.4. Na inscrição o artista deverá enviar pelo formulário on-line resumo curricular (de 300 até 1000 caracteres), de uma a quatro imagens jpg (700 x 525 pxl) e a descrição da atividade a ser realizada, que deve se enquadrar em uma das categorias:

A. instalados: obras vivas, sites specifics e instalações – trabalhos instalados na sede do evento durante o período do festival;
B. instantâneos: performances, espetáculos e ações artísticas - trabalhos a serem apresentados em local fechado, ao ar livre ou itinerantes na sede do evento;
C. fala: palestra ou proposta de debate para os participantes do evento;
D. oficina no Ponto de Cultura e Sustentabilidade para jovens da cidade de Liberdade;
E. vivência para os outros participantes do encontro.

Os textos deverão ter de 300 até 1000 caracteres por atividade. Também será possível enviar link para site próprio e/ou vídeo postado na internet.

1.5. Ao se inscrever o participante poderá encaminhar propostas em uma ou mais atividades (instalados, instantâneos, fala, oficina)

1.6. Os projetos deverão ser concebidos de forma a respeitar o ecossistema local, não poluindo o espaço e arredores. Projetos que geram objetos ou instalações de caráter permanente (que ultrapassam o tempo do evento) estão sujeitos à avaliação e aprovação por parte da Associação Terra UNA.

Da Seleção

2.1. A seleção será realizada por uma comissão formada por 7 articuladores artistas/críticos/curadores/etc.

2.2. Os membros da comissão de seleção são responsáveis por escolher as propostas de atividades de até 25 artistas e montar uma grade com todas as atividades.

2.3. O resultado final apurado será publicado na página www.terrauna.org.br. Os artistas selecionado receberão estadia e alimentação pelos 10 dias do Encontro, e uma bolsa de R$ 1000,00 (Mil Reais).

Do transporte

3.1. Cada artista deverá providenciar seu próprio transporte até Terra UNA. A ecovila está localizada no município de Liberdade (MG): dista 17 km do centro desta, e 10 km de Bocaina de Minas. De carro, a ecovila está a cerca de 4 horas do Rio de Janeiro, 6 horas de São Paulo e 5 horas de Belo Horizonte.

3.2. Dispomos de 10% da verba do projeto para as despesas dos participantes com transporte. Uma ajuda de custo será paga aos artistas selecionados conforme o estado onde residirem. Faremos a distribuição desse dinheiro no intuito de cobrir a totalidade ou a maior parcela possível das passagens de todos os artistas. Caso o total geral das despesas com dos quais dispomos, dividiremos esta verba proporcionalmente aos gastos com transporte dos participantes e o que faltar deverá ser coberto pelo próprio participante. A organização do Encontro responsabiliza-se por dar as indicações e prestar apoio para que todos os participantes cheguem em Terra UNA conforme o cronograma do projeto.

3.3. No caso do participante resida no exterior, a organização não se responsabiliza pela passagem aérea. Apenas pelo transporte do Rio de Janeiro ou de São Paulo até a Terra UNA.

Do Encontro

4.1. O V::E::R 2011 - Encontro de Arte Viva prevê que os artistas participantes estejam presentes durante toda a duração do evento. Terra UNA disponibilizará aos selecionados acomodações em quartos coletivos e três refeições (ovolactovegetarianas) por dia.

4.2. Os focos principais do Encontro são promover a troca criativa entre os participantes, a convivência coletiva e a participação nas atividades programadas (apresentações de trabalhos, conversas, oficinas e vivências).

4.3. Considerando que esta é um encontro com residência coletiva, os participantes deverão integrar-se em atividades cotidianas, como o preparo do alimento, manutenção e limpeza do local.

4.4. Ampliando a vivência coletiva no espaço da ecovila, os artistas poderão participar do dia-a-dia da mesma experimentando a vida comunitária podendo ajudar no manejo das hortas, pomar e sistemas agroflorestais, entra outras atividades.

4.5. Terra UNA disponibilizará os espaços para os artistas realizarem seus trabalhos, sendo estes: o Ponto de Cultura e Sustentabilidade em Liberdade (sala de oficinas, sala de aula na escola estadual); as instalações da ecovila: ateliês, áreas de convivência coletiva, 43 hectares de território (sendo 18 destes de mata nativa), e seis quedas d´água; e o equipamentos: projetor de vídeo, tv, computador, aparato básico de som. O uso dos equipamentos de Terra UNA depende de agendamento prévio e está sujeito a confirmação de disponibilidade. Qualquer equipamento, material ou ferramenta para execução dos projetos é de responsabilidade de cada participante. Na ecovila não dispomos de internet. A energia é 110 volts.

4.6. Não é permitido na área da Ecovila o consumo de carne e álcool. O fumo do tabaco é tolerado apenas ao ar livre e fora das áreas de convivência.

Das atividades abertas ao público interessado

5.1. A Ecovila Terra UNA abrirá suas porteiras ao público no último final de semana Encontro para a visita e exposição dos trabalhos artísticos realizados e convivência com os participantes

5.2. Poderá ser realizada posteriormente uma exposição com registros e obras produzidas durante a residência. A curadoria da exposição será feita por profissionais designados por Terra UNA, que escolherão, junto com os artistas, o material que será exposto.

Responsabilidades dos participantes

6.1. Deslocar-se para a Terra UNA utilizando meios de transporte próprios ou contratados no período acordado de acordo com o Cronograma do projeto.

6.2. Cumprir o prazo de desenvolvimento do projeto, chegando no dia estipulado e permanecendo durante todo o período da residência na Ecovila Terra UNA.

6.3. Providenciar materiais, ferramentas e/ou equipamentos necessários para a execução de seu projeto.

6.4. Disponibilizar obras ou o registro de trabalhos para página na internet, blog, publicação impressa e/ou exposição quando houver.

6.5. Ceder o uso de sua imagem e trabalhos produzidos assim como o uso de registros em foto, vídeos, áudio e textos para o uso educativo ou para divulgação das atividades de Terra UNA e do Ponto de Cultura e Sustentabilidade.

Responsabilidades de Terra UNA

7.1. Disponibilizar infra-estrutura de alojamento e área de trabalho, e fornecer alimentação durante o período do Encontro.

7.2. Pagar a bolsa a cada selecionado.

7.3. Avaliar e decidir sobre a realização e/ou permanência de projetos de caráter não-efêmero.

7.4 Pagar a ajuda de custo para o transporte (conforme item 3.2).

7.5. Decidir sobre casos omissos.

Cronograma V::E::R 2011:
Inscrições: 01/10/2010 a 30/10/2010
Resultado da seleção: 22/11/2010
V::E::R: 22/01/2011 a 30/01/2011

Sobre os articuladores

Informações: www.terrauna.org.br
interacoes@terrauna.org.br

Posted by Cecília Bedê at 12:57 PM