home | Magazines | Publica√ß√Ķes participantes | Participa√ß√£o do canal | Os 3 temas | Patrocinadores
apresenta√ß√£o contribui√ß√Ķes lista de publica√ß√Ķes apresenta√ß√£o das publica√ß√Ķes

A Prior

http://www.aprior.org

A Prior Magazine (Ghent) √© composta de uma s√©rie de publica√ß√Ķes sobre a arte contempor√Ęnea, fundada em 1999 em Bruxelas. A equipe editorial da revista √© formada por jovens curadores e autores da Europa Central e do Leste. A Prior Magazine publica duas edi√ß√Ķes regulares por ano, em que a obra de um artista √© discutida em profundidade atrav√©s de contribui√ß√Ķes textuais e visuais. A Prior Magazine √© compilada de forma similar a uma exposi√ß√£o: uma oferta multifacetada incluindo diferentes pontos de vista, tendo algum cuidado, no entanto, de manter algum grau de afinidade entre eles.

Afterall

http://www.afterall.org

Afterall √© uma organiza√ß√£o editorial e de pesquisa baseada em Londres e Los Angeles. Afterall tem produzido desde 1998 uma publica√ß√£o cr√≠tica semianual sobre arte contempor√Ęnea, trazendo o trabalho de artistas contempor√Ęneos, relacionando-os a um contexto mais amplo da arte ou ent√£o a um tema pol√≠tico, cultural e social. Seu objetivo √© oferecer uma an√°lise profunda e por vezes surpreendente de arte significativa de nossa √©poca. A cada edi√ß√£o, uma s√©rie de ensaios sobre o trabalho de um artista, uma exposi√ß√£o ou um t√≥pico geral ou contextual procuram explorar os temas mais amplos sugeridos pelo trabalho em foco, e oferecer um quadro de refer√™ncia a partir do qual consider√°-lo.

AIDA

A publica√ß√£o mensal AIDA IN-BETWEEN (T√≥quio) come√ßou como um boletim chamado ‚ÄúFalando de Arte entre Arte e Museus‚ÄĚ. Se o grupo foi desfeito em 2000, AIDA sobreviveu por si s√≥ como uma publica√ß√£o geral de arte, focando as rela√ß√Ķes entre arte e sociedade, cobrindo tanto assuntos atuais como levantamentos hist√≥ricos, reexaminando a moderniza√ß√£o da arte no Jap√£o, dentro dos limites de seu pequeno volume. Atrav√©s de assinaturas, taxas de contribui√ß√£o e volunt√°rios de produ√ß√£o, AIDA tem mantido seu pequeno mas importante lugar no mundo da arte japonesa por mais de 130 volumes.

Akhbar al-Adab

http://www.akhbarelyom.org.eg/adab

O seman√°rio eg√≠pcio Akhbar Al-Adab (Cairo) foi fundado em 1993 e √© distribu√≠do por todo o mundo de l√≠ngua √°rabe. √Č parte da editora Akhbar Al Youm e lan√ßa foco sobre o jornalismo cultural, tendo como p√ļblico alvo uma ampla gama de leitores. O corpo editorial se orgulha especialmente de ser um f√≥rum onde tradu√ß√Ķes de textos de outras l√≠nguas d√£o apoio √† intera√ß√£o transcultural, promovendo media√ß√Ķes com outros escritos e literaturas de todo o mundo. Foco especial √© lan√ßado sobre a apresenta√ß√£o a seu amplo espectro de leitores de novos talentos da literatura, jornalismo e das artes. Akhbar Al Adab luta pela liberdade de express√£o incondicional e toma uma posi√ß√£o dura contra a censura, o extremismo e o fanatismo de qualquer forma ou tipo.

Amkenah

Amkenah (Lugares) √© uma publica√ß√£o autofinanciada publicada em Alexandria. Esta publica√ß√£o n√£o-peri√≥dica preocupa-se com a ‚Äúcultura do lugar‚ÄĚ, estudando a especificidade art√≠stica do lugar. Isso se refere n√£o s√≥ √† arte em sentido estrito, mas tamb√©m a o que acontece com a arte atrav√©s do costume e dos h√°bitos di√°rios, atrav√©s da for√ßa das circunst√Ęncias, que nos levam continuamente a reajustar nossa percep√ß√£o da natureza da arte.

ArchNet

http://www.archnet.org/lobby.tcl

ArchNet (Cambridge, EUA) √© uma rede sem fronteiras de institui√ß√Ķes que contribuem entre si e que aprendem umas com as outras. ArchNet procura ensinar a seus participantes como melhorar a qualidade do ambiente constru√≠do em suas comunidades; como compensar a falta de recursos em suas institui√ß√Ķes acad√™micas; como honrar o rico legado de suas culturas; e como celebrar as tradi√ß√Ķes humanistas do Isl√£. ArchNet √© uma comunidade on-line internacional de arquitetos, planejadores, designers urbanos, paisagistas, conservacionistas e acad√™micos, com foco sobre as culturas e civiliza√ß√Ķes mu√ßulmanas.

archplus

http://www.archplus.net

Fundada no esp√≠rito cr√≠tico dos movimentos de 1968, archplus (Berlim) √© uma publica√ß√£o quadrianual que lan√ßa foco sobre as fronteiras em dissolu√ß√£o entre a arquitetura (arch), cidade, cultura e m√≠dia (plus). Cada edi√ß√£o de archplus √© monotem√°tica, confrontando debates arquitet√īnicos e projetos articulados como discurso social e cultural, al√©m de pol√≠tica, economia, filosofia e arte, de modo a conceituar novas perspectivas para a arquitetura e o urbanismo. Como uma editora pequena e independente, archplus coopera com outras institui√ß√Ķes e participa de uma ampla gama de atividades, de modo a trabalhar com tema mais amplos.

Art iT

http://www.art-it.jp

ART iT (T√≥quio) √© uma revista orientada para o visual, inteiramente bil√≠ng√ľe e quadrianual, que apresenta as mais recentes tend√™ncias da cena art√≠stica do Jap√£o e da √Āsia-Pac√≠fico. Fundada em 2003, ART iT traz extensas entrevistas e di√°logos com artistas importantes, artigos de profundidade sobre assunto relacionados √† arte, e informa√ß√£o detalhada sobre as exposi√ß√Ķes de museus e galeria de destaque da regi√£o da √Āsia-Pac√≠fico. O lan√ßamento de ART iT Mara o nascimento de uma inova√ß√£o genu√≠na em termos de uma revista de arte do Jap√£o/√Äsia-Pac√≠fico.

Art World

http://www.duoyunxuan.com

Art World (Xangai) √© uma das mais energ√©ticas revistas de arte/cultura da China. Art World oferece uma plataforma inter-cultural para jovens artistas, designers, arquitetos e cineastas. A revista encoraja pr√°ticas in√©ditas e jovens, engajando-se em v√°rios eventos de cultura contempor√Ęnea na China.

art-ist

art-ist (Istambul) √© uma revista de arte bianual que foca o cen√°rio da arte contempor√Ęnea na Turquia, questionando no√ß√Ķes locais de cultura e de poder, considerando a rela√ß√£o entre arte e vida. A publica√ß√£o tamb√©m referencia a cultura visual da regi√£o vizinha √† Turquia atrav√©s de textos e resenhas sobre o trabalho de jovens artistas dos B√°lc√£s, Europa Oriental e do Sudeste Asi√°tico.Trabalhando dentro desses diferentes contextos, art-ist tenta comparar e traduzir culturas relacionadas, de modo a definir como a mem√≥ria diferencia-se de acordo com o lugar, a cultura, a situa√ß√£o pol√≠tica e social do artista, assim como a maneira pela qual os c√≥digos locais refletem-se em sua pr√°tica.

Arte y Crítica

http://www.arteycritica.cl

arte y cr√≠tica (Santiago do Chile) √© uma revista on-line dedicada √† cr√≠tica da arte visual. Seu interesse principal √© estabelecer um di√°logo acerca de objetos espec√≠ficos, sejam eles trabalhos de arte, exposi√ß√Ķes, publica√ß√Ķes ou outros formatos. A situa√ß√£o geogr√°fica de arte y critica define o perfil local da revista, ainda que essa localidade esteja aberta a diferentes contextos internacionais, em parte por causa do trabalho tempor√°rio e permanente de seus colaboradores no exterior.

√ėjeblikket

http://www.ojeblikket.net

Fundada em 1993, √ėjeblikket (Copenhagen) √© uma revista dedicada √† teoria e cr√≠tica da arte contempor√Ęnea. Cada edi√ß√£o apresenta um tema que √© abordado a partir de diferentes √Ęngulos ‚Äď o filos√≥fico, o pol√≠tico e o feminista. A revista inclui ensaios,entrevistas, e projetos de artistas a cada edi√ß√£o. Em 2005 √ėjeblikket lan√ßou uma se√ß√£o chamada ‚Äú√ėjeblik!‚ÄĚ, dedicada a resenhas de importantes exposi√ß√Ķes, projetos e publica√ß√Ķes. A revista √© publicada em dinamarqu√™s e distribu√≠da nos pa√≠ses n√≥rdicos.

Bidoun

http://www.bidoun.com

Bidoun (Nova York) √© uma revista de arte cultura devotada √†s intersec√ß√Ķes entre arte e pol√≠tica na regi√£o do Oriente M√©dio e de sua Di√°spora. Fundada em 2004, Bidoun traz projetos de artistas, ensaios e entrevistas originais, assim como artigos regulares sobre museus, curadores e artistas. A rede de editores e escritores que vai de Teer√£ a Nova Iorque comp√Ķe o grupo de vozes diversas que imprime √† Bidoun sua marca registrada de um vi√©s idiossincr√°tico e levemente subversivo acerca de assuntos t√£o diversos quanto Ali G e a biennalicity.

Birikim

http://www.birikimdergisi.com/birikim/default

Birikim (Istambul) é a mais influente publicação da esquerda intelectual da Turquia, também refletindo sobre a política em geral. A crise da política de esquerda no mundo e na Turquia, com debates referentes à redefinição da esquerda e seus novos horizontes, são os elementos constitutivos da atual pauta do Birikim. Birikim é uma publicação forte e bem-construída do pensamento universal da esquerda, além de um canal de produção de conhecimento: uma reflexão que se mantém localizada, resistindo tanto à importação descontextualizada de teorias quanto a provincialização.

Brumaria

http://www.brumaria.net

Brumaria: Pr√°ct√≠cas, art√≠st√≠cas, est√©t√≠cas y pol√≠ticas (Madri/Barcelona) √©, desde 2002, um projeto administrado por artistas devotado √† pesquisa e reflex√£o sobre pr√°ticas art√≠sticas, sociais e pol√≠ticas, com o objetivo de traduzir, organizar, editar e circular material te√≥rico-pr√°tico para conceber a experimenta√ß√£o contempor√Ęnea. Brumaria trabalha atrav√©s de tr√™s meios complementares: a publica√ß√£o impressa; ‚Äúdocumentos‚ÄĚ, uma s√©rie de textos on-line distribu√≠dos para a lista da Brumaria e tamb√©m acess√≠vel on-line; e atrav√©s de participa√ß√Ķes em eventos, exposi√ß√Ķes, projetos e pr√°ticas colaborativas.

Cabinet

http://www.cabinetmagazine.org

Cabinet (Nova York) √© uma revista de arte e cultura quadrianual sem fins lucrativos. Fundada em 2000, a revista inclui a cada n√ļmero ensaios, entrevistas, e projetos de artistas. De amplo escopo e multidisciplinar, a sensibilidade h√≠brida de Cabinet funde o apelo visual de um peri√≥dico de arte, a explora√ß√£o em profundidade de uma publica√ß√£o acad√™mica e a jocosidade de uma revista de humor. A ambi√ß√£o de Cabinet √© de fomentar uma cultura √©tica de curiosidade que evoque preocupa√ß√£o com o mundo, tanto tal como ele √© e tal como gostar√≠amos que ele fosse.

Camera Austria Internacional

Camera Austria (Graz) se dedica √† explora√ß√£o art√≠stica, te√≥rica, cient√≠fica e curatorial da fotografia no contexto da arte contempor√Ęnea, da m√≠dia e de desenvolvimentos sociais. Desde o come√ßo, era um importante pr√©-requisito para seu trabalho no campo da fotografia que C√Ęmera √Āustria n√£o fosse fundada como um projeto de publica√ß√£o, nem que fosse desenvolvida no contexto de uma institui√ß√£o que propagasse as artes, mas que fosse antes baseada na iniciativa de artistas. O programa de exposi√ß√£o come√ßou em 1975, expandiu-se em 1979 de modo a incluir simp√≥sios anuais, e levou √† publica√ß√£o, em 1980, da revista bil√≠ng√ľe quadrianual Camera Austria International (Alem√£o/Ingl√™s).

Chimurenga

http://www.chimurenga.co.za

Chimurenga (Cidade do Cabo), uma publica√ß√£o sem fins lucrativos que √© publicada desde mar√ßo de 2002. O peri√≥dico √© impresso tr√™s vezes por ano, on-line mensalmente e difundida tamb√©m atrav√©s de performances tem√°ticas chamadas ‚ÄúSess√Ķes Chimurengas‚ÄĚ. O projeto intelectual percorreu o caminho sinuoso a partir de um p√Ęntano miltoniano de moralidade lamacenta e de ‚Äúparadigmas perdidos‚ÄĚ at√©, sen√£o um Jardim do √Čden, pelo menos uma paisagem mais l√ļcida onde o intelecto, a integridade e a humanidade s√£o ferramentas v√°lidas de crescimento.

Chindwin

A revista mensal Chindwin come√ßou em 2002 como Staintet mas mudou seu nome em 2006. Pode ser descrita como uma revista alternativa de pensamento cr√≠tico ‚Äď cada edi√ß√£o cont√©m um conto, poesia e ensaios cr√≠ticos sobre arte, literatura e vida social.

Chto Delat?

http://www.chtodelat.org

Chto delat?/What is to be done? (S√£o Petersburgo) √© uma plataforma coletiva coordenada por um grupo de trabalho de mesmo nome. Ele abre um espa√ßo entre a teoria, arte e ativismo com o objetivo de politizar todas as tr√™s pr√°ticas. Inclui artistas, fil√≥sofos e escritores sediados em S√£o Petersburgo e Moscou. O grupo foi fundado em 2003 na a√ß√£o ‚ÄúA Refunda√ß√£o de S√£o Petersburgo‚ÄĚ. Desde ent√£o, Chto delat? tem publicado um jornal em russo e ingl√™s sobre temas centrais para a cultura engajada, com foco especial sobre a rela√ß√£o entre a repolitiza√ß√£o da cultura intelectual russa e seu contexto internacional mais amplo.

CLiCK

http://www.kunci.or.id

CLiCK (Yogyakarta) √© uma alian√ßa de tr√™s revistas das √°reas de estudos culturais e sociais de abordagem multidisciplinar. Surat YSC √© um boletim publicado pela Cemeti Art Foundation (recentemente tornou-se a Indonesian Visual Art Archive [IVAA]) que foca a arte contempor√Ęnea; Kunci √© um boletim de um centro de estudos Kunci; LeBur √© uma resenha de teatro publicada por Teater Garasi; e Cl√©a √© um peri√≥dico de estudos de cinema publicado por Rumah Sinema.

Concrete Reflection

Concrete Reflection: The Journal of Peninsular Topics [Peri√≥dico de T√≥picos Peninsulares] (Skopje) √© um peri√≥dico que pesquisa diferentes m√©todos interpretativos no campo da cultura e da arte, objetivando sua implementa√ß√£o nas culturas subalternas. Como um projeto, o peri√≥dico abre a cada n√ļmero uma discuss√£o sobre diferentes t√≥picos como uma base para a produ√ß√£o de decis√Ķes locais no que se refere √† quest√£o do local e do subalterno e √† maneira hermen√™utica da implementa√ß√£o na cena local do pensamento ocidental ou qualquer outro pensamento conveniente.

Criterios

http://www.criterios.es/

Criterios (Havana), que primeiro apareceu como uma se√ß√£o da La Gaceta de Cuba e um boletim, e depois como um peri√≥dico e uma cole√ß√£o editada, foi estabelecida em fevereiro de 1972. Desde ent√£o, traduzindo de 17 idiomas, ele disseminou ‚Äď tanto em suas pr√≥prias p√°ginas quanto aquelas de outras antologias e resenhas cubanas e estrangeiras‚Äď os textos te√≥ricos de mais de 200 pensadores e pesquisadores proeminentes de trinta na√ß√Ķes, incluindo pa√≠ses da Europa Ocidental e Oriental, Am√©rica do Norte, √Āfrica e o Oriente Pr√≥ximo e Extremo. Esses artigos criaram o mais diverso espectro de temas de literatura, artes visuais, teatro, m√ļsica, cinema e arte e cultura em geral.

Critical Inquiry

http://www.uchicago.edu/research/jnl-crit-inq

Fundado 30 anos atr√°s, O Critical inquiry (Chicago) √© devotado √† publica√ß√£o do melhor pensamento te√≥rico e cr√≠tico nas artes, ci√™ncias sociais, e especialmente nas humanidades. O amplo foco multidisciplinar da publica√ß√£o procura criar justaposi√ß√Ķes e liga√ß√Ķes de conceitos, oferecendo novas bases para o debate te√≥rico, que se estende a novos horizontes na se√ß√£o de resposta cr√≠tica do CI. Aqui o apaixonado e o pol√™mico se combinam com o acad√™mico e o te√≥rico para criar um discurso muito pessoal, e por vezes idiossincr√°tico com o intuito de perpetuar a controv√©rsia de modo a evitar que o acad√™mico e o art√≠stico cristalizem.

Ctrl+P Journal of Contemporary Art

http://www.trauma-interrupted.org.ctrlp

Ctrl+P Journal of Contemporary Art (Manila) √© uma das poucas publica√ß√Ķes de arte nas Filipinas de hoje. Ctrl+P foi fundada recentemente como uma resposta a essa falta de publica√ß√Ķes cr√≠ticas ‚Äď √© circulada via e-mail como um arquivo PDF para f√°cil circula√ß√£o e reprodu√ß√£o. Ctrl+P oferece um campo de teste para toda uma nova cultura/praxis que atenda muito especificamente a dificuldades da cr√≠tica de arte nas Filipinas. Ctrl+P deseja alcan√ßar um equil√≠brio entre tend√™ncias igualmente elitistas de escrita nos jarg√Ķes art√≠stico e did√°tico. Consciente da complexidade desta negocia√ß√£o, tamb√©m lan√ßa foco sobre os conflitos a√≠ envolvidos.

Curare

http://www.curare.org.mx

Curare (Cidade do M√©xico) √© uma plataforma editorial de uma organiza√ß√£o independente sem fins lucrativos fundada em 1991 por um grupo de cr√≠ticos e historiadores da arte. A publica√ß√£o lan√ßa foco sobre a an√°lise do contexto cultural e art√≠stico e sobre a pesquisa interpretativa referente √† arte Mexicana moderna e contempor√Ęnea, al√©m de t√≥picos internacionais relacionados. Ela oferece espa√ßo para a discuss√£o de escritores, historiadores, pesquisadores e artistas, solapando distin√ß√Ķes tradicionais entre o historiador da arte e o cr√≠tico da arte contempor√Ęnea, e procura facilitar o desenvolvimento de novos modos de escrever sobre arte, incluindo textos visuais que n√£o apenas ilustrem e complementem mas que, ocasionalmente, constituam um contraponto ao conte√ļdo textual da publica√ß√£o.

De witte Raaf

http://www.dewitteraaf.be

De Witte Raaf, √© uma revista baseada em Bruxelas sobre arte contempor√Ęnea e teoria visual. Dezessete mil c√≥pias da revista s√£o distribu√≠das gratuitamente na regi√£o que fala holand√™s (Pa√≠ses Baxios e Flandres/B√©lgica). A revista publica reflex√Ķes acerca de desenvolvimentos no campo das artes visuais, an√°lise de pr√°ticas institucionais na regi√£o (academias, museus e universidades) e ensaios te√≥ricos e filos√≥ficos sobre a est√©tica.

domus

http://www.domusweb.it

domus (Mil√£o) tem acompanhado, promovido e dando o tom da arquitetura, design, arte e comunica√ß√£o nos √ļltimos 75 anos. Domus foi publicada inicialmente em 1928, acompanhada do subt√≠tulo ‚ÄúArquitetura e Design de Interiores de Casa Modernas Tanto na Cidade Quanto no Campo‚ÄĚ. Hoje domus n√£o mais se reporta somente em termos de arquitetura e do desenho industrial. Desta edi√ß√£o em diante, os lugares usados e freq√ľentados pela humanidade hoje ser√£o tamb√©m observados atrav√©s de outros olhos ‚Äď como aqueles do cinema, da antropologia, dos quadrinhos e da filosofia ‚Äď em, um esfor√ßo de desvelar seus segredos e mist√©rios, totalmente bil√≠ng√ľe italiano/ingl√™s.

Dushu

Estabelecido em 1979, Dushu (Leitura) √© considerada a principal publica√ß√£o intelectual da China. Atrav√©s de resenhas de livros, Dushu (Beijing) resume importantes contribui√ß√Ķes intelectuais chinesas e tenta aplicar as observa√ß√Ķes intelectuais √† realidade Chinesa. O programa de discuss√£o tem√°tica organizada pela revista sempre toca t√≥picos sens√≠veis da sociedade chinesa sob influ√™ncia global.

Empyre

http://www.subtle.net/empyre

A lista online -empyre- (Sidney) modera uma discuss√£o internacional sobre cultura, arte e m√≠dia. Seu foco recai especialmente sobre perspectivas cr√≠ticas de temas, pr√°ticas e eventos contempor√Ęneos trans-disciplinares de m√≠dia em rede. Como uma comunidade independente e n√£o-hier√°rquica, -empyre- come√ßou em 2002, e √© moderada por uma equipe editorial internacional que escolhe convidados e t√≥picos, e que tamb√©m modera discuss√Ķes de modo a manter integridade tem√°tica.

Esfera P√ļblica

http://www.esferapublica.org

Esfera P√ļblica (Bogot√°) √© um espa√ßo de debate na internet cujo objetivo √© favorecer uma reflex√£o cr√≠tica sobre pr√°ticas art√≠sticas e formas de circula√ß√£o dentro e fora dos circuitos convencionais. Nascida em 1995 com o nome de Red Alterna, depois rebatizada como Momento Cr√≠tico, ela teve seu nome mudado para Esfera Publica no ano 2000. Desde ent√£o tem operado como um espa√ßo para a troca, encontro, debate, arquivo, documenta√ß√£o e difus√£o das reflex√Ķes de artistas sobre espa√ßos de exposi√ß√£o institucionais e n√£o-oficiais.

Eurozine

http://www.eurozine.com

Eurozine (Viena) √© uma institui√ß√£o sem fins lucrativos e uma rede de publica√ß√Ķes culturais europ√©ias, ligando mais de 50 publica√ß√Ķes parceiras e revistas associadas e institui√ß√Ķes de quase todos os pa√≠ses europeus. Eurozine √© tamb√©m uma net-revista que publica artigos excepcionais de suas publica√ß√Ķes parceiras, com tradu√ß√Ķes adicionais para uma das l√≠nguas principais europ√©ias. Ao apresentar os melhores artigos de suas parceira e seus pa√≠ses, assim como tetos originais sobre os temas mais urgentes de nossos tempos, Eurozine abre um espa√ßo novo para o debate transnacional.

exindex

http://www.exindex.hu

exindex (Budapeste) √© uma revista de arte contempor√Ęnea com base na internet, em ingl√™s e h√ļngaro. Ao lado de not√≠cias, eventos atuais e temas da cena contempor√Ęnea de Budapest, suas colunas s√£o dedicadas √† an√°lise profunda, teoria instant√Ęnea e cr√≠tica expl√≠cita. exindex pode ser acessada apenas on-line: baseada em caracter√≠sticas t√≠picas da tecnologia de rede, a revista √© publicada com atualiza√ß√Ķes cont√≠nuas, aplica√ß√Ķes de refer√™ncia cruzada, completada por um arquivo em expans√£o alojado em uma base de dados.

focas

FOCAS, Forum On Contemporary Art & Society, √© uma iniciativa de di√°logo e publica√ß√£o sem fins lucrativos que engaja temas da arte contempor√Ęnea, pol√≠tica e mudan√ßa social ‚Äď principalmente mas n√£o exclusivamente ‚Äď da Sudoeste Asi√°tico. FOCAS √© dedicada √† troca cr√≠tica interdisciplinar entre acad√™micos, ativistas e praticantes.

Frakcija

http://www.cdu.hr/frakcija/index.htm

frakcija (Zagreb), √© uma revistas das artes perform√°ticas, estabelecida dez anos atr√°s por um grupo de dramaturgos, cr√≠ticos e artistas sediados em Zagreb. Em 2001 frackija lan√ßou sua edi√ß√£o internacional, publicada quatro vezes por ano, com cada edi√ß√£o dedicada a um assunto em particular. frakcija procura abarcar as multifacetadas √°reas e perspectivas da teoria e da reflex√£o, assim como projetos de pr√°tica propriamente ditos. frakcija √© um projeto amplo de pesquisa cultural, pol√≠tica,art√≠stica envolvida em uma cria√ß√£o inovadora das artes perform√°ticas e comunica√ß√£o entre as novas fac√ß√Ķes te√≥ricas da cena internacional.

Frontiers

http://www.taya.chinajournal.net.cn

Frontiers se situa em Haikou, que √© a capital de Hainan, a prov√≠ncia mais ao sul da China. O lugar pode ser entendido como uma esp√©cie de met√°fora que indica sua atitude de cultura alternativa dentro do contexto Chin√™s. Estabelecida em 1996, Frontiers enfatiza a literatura e as humanidades, expondo grandes quantidades de material subjetivo de diferentes perspectivas a partir dos campos da sociologia, literatura, arte e hist√≥ria alternativa (que √© narrada por individuais), com o objetivo de tentar re-identificar as novas responsabilidades sociais e culturais do povo chin√™s, que sofre transforma√ß√Ķes sociais e culturais.

Glänta

http://www.glanta.org

Gl√§nta (Goteburgo) foi fundada em1993. √Č uma publica√ß√£o cultural quadrianual que mistura ensaios pol√≠ticos e filos√icos, fic√ß√£o, poesia e projetos de arte; √†s vezes dentro de um quadro de refer√™ncia tem√°ticas, √†s vezes n√£o. Sua ambi√ß√£o √© agir contra as expectativas. A atitude √© cr√≠tica, ainda assim tendo em mente que a etiqueta ‚Äúcr√≠tico‚ÄĚ facilmente se torna moralizante e falsa. Portanto, sempre tentam apresentar uma mistura de escritores estabelecidos, freq√ľentemente acad√™micos, e escritores, autores e artistas jovens ou n√£o-estabelecidos, com experi√™ncias e vis√Ķes que n√£o se refletem nas grandes revistas ou jornais. Gl√§nta √© uma publica√ß√£o parceira da Eurozine.

Grey Room

http://mitpress.mit.edu/grey

Grey Room (Nova York) foi fundada em 2000 como uma publica√ß√£o quadrianual de arquitetura, m√≠dia, arte e pol√≠tica. Atrav√©s de seus 17 anos de publica√ß√£o, ela tem tentado forjar um discurso transdisciplinar √ļnico que investiga separadamente cada uma das √°reas de interesse e em suas m√ļtuas intera√ß√Ķes. Um de seus objetivos da publica√ß√£o tem sido consistentemente incorporar e trazer √° tona novas perspectivas de te√≥ricos pol√≠ticos, filos√≥ficos e de m√≠dia contempor√Ęneos, assim como as reflex√Ķes hist√≥ricas e reconsidera√ß√Ķes mais importantes e apropriadas da era moderna e contempor√Ęnea em seu sentido mais amplo.

IDEA

http://www.ideamagazine.ro

O objetivo da demarche intelectual trazido por IDEA (Cluj), que inclui o avan√ßo da educa√ß√£o est√©tica e o impacto da arte nos c√≠rculos p√ļblicos, se encontra representado na maneira condensada no pr√≥prio operador l√≥gico e gr√°fico ‚Äú+‚ÄĚ de seu t√≠tulo, que sinaliza as m√ļltiplas maneiras em que hoje os espa√ßos art√≠stico e social s√£o articulados. Estruturados em um quadro organizacional flex√≠vel de suas se√ß√Ķes e publicado em tr√™s edi√ß√Ķes anuais, a revista apresenta e discute eventos e institui√ß√Ķes relevantes √† cena art√≠stica romena e internacional, assim como projetos art√≠sticos individuais ou de grupos de artistas romenos.

INTO-GAL

Os interesses do INTO-GAL‚Äôs (Melbourne) incluem a antici√™ncia, antropologia e ecologia/arquitetura. A √™nfase √© colocada sobre a colabora√ß√£o, documentos prim√°rios, entrevistas, teoria e question√°rios. Sofrendo muta√ß√Ķes atrav√©s de disson√Ęncias dentre seus contribuidores, trata-se de um desvio, um experimento com o formato revista. Tendem a fazer da ‚Äôlocalidade‚Äô um contexto geogr√°fico. Adjacentes √†s batalhas do turismo, encontram-se as intui√ß√Ķes que n√£o mais guiam o ser industrializado. Esse projeto, baseado na reconfigura√ß√£o de um sensorium de outra forma alienado, deriva afastando-se das estruturas dominantes ao criar manuais de instru√ß√Ķes desiantes. INTO-GAL √© um invent√°rio para desembara√ßar e rearranjar o espa√ßo ps√≠quico.

journal BOL

http://www.insaartspace.or.kr

journal BOL (Seul) √© um jornal quadrianual sobre pol√≠tica mundial, cr√≠tica cultural, cultura visual e a pr√°tica da arte. Fundada no inverno de 2005, a publica√ß√£o procura identificar e examinar os contextos da arte contempor√Ęnea a partir de uma perspectiva ampla, respondendo ao temporal (hist√≥rico) e o espacial (cultural/geogr√°fico). Para cada nova edi√ß√£o, journal BOL apresenta o tema principal e os sub-temas ou t√≥picos que abrem as caixas pretas de nossa sociedade, arte e cultura.

Kakiseni.com

http://www.kakiseni.com

kakiseni.com (Petaling Jaya) foi estabelecido em julho de 2001 e √© a √ļnica revista on-line malaia dedicada exclusivamente √†s artes. Kakiseni publica quatro novos artigos por semana, em Bahasa Melayu e em ingl√™s. Os artigos incluem resenhas, perfis, entrevistas e an√°lises de artistas, eventos art√≠sticos e quest√Ķes s√≥cio-culturais. O s√≠tio na Web hoje √© a fonte definitiva de arte sobre a m√ļsica, dan√ßa, teatro, e eventos de artes visuais atuais na Mal√°sia, e cada vez mais oferece informa√ß√£o sobre a cena art√≠stica de Singapura, assim como cobertura das atividades de artistas malaios que exp√Ķem e atuam internacionalmente.

kalam

http://www.utankayu.org/en/

Publicado duas vezes ao ano desde 1994, kalam (Jakarta) √© um meio para escritores e intelectuais para que publiquem trabalhos mais longos, profundos e cortantes. kalam √© n√£o penas um meio transdisciplinar, mas tamb√©m um laborat√≥rio para a experimenta√ß√£o com a l√≠ngua Indon√©sia, assim como um marcador dos padr√Ķes intelectuais indon√©sios. kalam investiga criticamente as tend√™ncias intelectualmente significativas, com por exemplo o p√≥s-marxismo e o p√≥s-colonialismo. kalam tamb√©m facilita o conhecimento do mundo intelectual internacional, e tem organizado semin√°rios envolvendo conhecedores internacionais para apoiar a pesquisa e servir como fonte de escrita.

kunst.ee

http://www.kl.ee/kunstee

kunst.ee √© uma publica√ß√£o estoniana quadrianual de arte e cultura visual, publicada em Tallinn. O t√≠tulo √© conceitual, continuando o legado da revista Kunst, nascida em 1959. Desde 2000, quando kunst.ee foi fundada, o escrit√≥rio editorial da revista consiste de um √ļnico cr√≠tico. A estrutura flex√≠vel da revista permite flexibilidade no conte√ļdo. A se√ß√£o principal acompanha discuss√Ķes e exposi√ß√Ķes do momento, enquanto sua se√ß√£o especial √© editada por editor(res) convidado(s) especializados no t√≥pico selecionado. Finalmente, o especial de desenho gr√°fico √© um projeto-miss√£o financiado de maneira alternativa e editado e desenhado por uma equipe de profissionais.

Le Monde diplomatique

http://www.monde-diplomatique.de

Le Monde diplomatique (Berlim) √© o maior jornal mensal de pol√≠tica internacional. Apresenta edi√ß√Ķes em japon√™s, russo, s√©rvio, h√ļngaro, farsi etc., nenhum deles constituindo uma vers√£o pura e completa do franc√™s. A edi√ß√£o alem√£, produzida em Berlim com o jornal di√°rio taz: die tageszeitung, publica at√© tr√™s artigos pr√≥prios, apresenta a cada edi√ß√£o um artista visual e uma hist√≥ria em quadrinhos especialmente desenhada. Le Monde diplomatique √© uma m√≠dia √ļnica: √© aberto, conectado internacionalmente e, por fim, mas n√£o menos importante, liberal de esquerda. Ele observa criticamente as conseq√ľ√™ncias do neoliberalismo; apresenta e explica os contextos dos conflitos econ√īmicos, sociais, militares e ecol√≥gicos; e desperta o interesse na realidade da vida das pessoas.

LTTR

http://www.lttr.org

LTTR (Nova York) √© um coletivo feminista de g√™nero/queer com um projeto flex√≠vel orientado pela pr√°tica, fundado em 2001. LTTR produz uma publica√ß√£o anual independente de arte, s√©ries de performances, eventos, proje√ß√Ķes e colabora√ß√Ķes. LTTR √© dedicada a trazer √† tona o trabalho de comunidades radicais cujos objetivos s√£o a transforma√ß√£o sustent√°vel, prazer queer e a produtividade cr√≠tica feminista.

malmoe

http://www.malmoe.org

malmoe √© uma publica√ß√£o de l√≠ngua alem√£ sediada em Viena, fundada em 2002. malmoe tenta conectar problemas di√°rios como o trabalho, o consumo e outros com discursos emancipat√≥rios, especialmente em campos de import√Ęncia estrat√©gica atuais: o urbano, o prec√°rio, o cosmopolita, o pop, a compet√™ncia em novas m√≠dia etc. O neoliberalismo tenta absorver esses campos para que estes venham a se identificar com seus objetivos e transform√°-los em um modelo de organiza√ß√£o para a sociedade. malmoe tenta entrar nessa luta por hegemonia.

Masharef

Masharef (Haifa), uma publicação literária, lança foco sobre a publicação de poesia, ensaios e textos teóricos da literatura e cultura. Dessa maneira, a cultura da língua é endossada e continuada, assim como nova formas de seu uso são estimuladas e motivadas. Masharef desempenha um importante papel como publicação para a troca de idéias. O trabalho editorial enfatiza o potencial transformador e imaginativo da linguagem, onde cada texto mostra como as diferentes maneiras de pensar são exploradas na poesia e literatura. Desta maneira, o conhecimento artístico é revelado no uso da linguagem, demonstrando como a materialização de uma idéia interage com seu meio.

Maska

http://www.maska.si

maska (Liubliana) √© uma publica√ß√£o de escritos cr√≠ticos e te√≥ricos na √°rea mais ampla das artes perform√°ticas contempor√Ęneas, desde teatro, dan√ßa contempor√Ęnea e nova √≥pera at√© arte de performance, multim√≠dia e arte de novas m√≠dias. Fundada em 1920, a publica√ß√£o √© agora lan√ßada pela organiza√ß√£o sem fins lucrativos Maska, e tem sido lan√ßada regularmente desde 1985. Maska √© publicada em tr√™s edi√ß√Ķes duplas por ano, em esloveno e em ingl√™s. Cada edi√ß√£o √© dedicada a um t√≥pico espec√≠fico e inclui entrevistas com artistas e te√≥ricos, resenhas de performances e de livro, assim como artigo sobre pol√≠tica cultural.

Metronome

http://www.metronomepress.com

Metronome (Paris) √© um √≥rg√£o que √© tanto um trabalho de arte coletivo quanto uma metodologia de pesquisa. Foi concebido em 1996 e tem pesquisado e sido publicado por mais de dez anos em algumas cidades. Agindo como uma alternativa cr√≠tica √† publica√ß√£o art√≠stica convencional, Metronome opera como um pr√≥logo ou tangente criativa em dire√ß√£o a uma exposi√ß√£o, gerando novo trabalho e disparando curtos-circuitos entre as cenas art√≠sticas de diferentes lugares. N√£o h√° uma equipe editorial ou estrutura temporal regulares. Como resultado, Metronome √© subjetivo e privado, e portanto mais freq√ľentemente comparado a um trabalho de arte do que uma publica√ß√£o.

Metropolis M

http://www.metropolism.org

Metropolis M (Utrecht) √© uma revista bimensal e sem fins lucrativos fundada em 1979. √Č um comentador tolerante e igualmente potente de novos desenvolvimentos em arte e cultura, que tenta colocar em perspectiva atrav√©s de discuss√Ķes cr√≠ticas. Metropolis M prefere posicionar seu discurso entre as poderosas tradi√ß√Ķes cr√≠ticas alem√£s e anglo-sax√£s e as inclina√ß√Ķes filos√≥ficas do sul ‚Äď B√©lgica e Fran√ßa. No cruzamento dos discursos art√≠sticos, culturais e cr√≠ticos, Metropolis M pode apresentar belos panoramas ‚Äď que por vezes s√£o profundos, esclarecedores, e por outras, simplesmente uma alegre bagun√ßa.

Moscow Art Magazine

http://xz.gif.ru/

Moscow Art Magazine (MAM) foi fundada em 1993 em Moscou. Trata-se de uma revista russa √ļnica que foca exclusivamente a pr√°tica e teoria contempor√Ęneas. MAM publica textos de artistas, cr√≠ticos, fil√≥sofos, soci√≥logos, cientistas da cultura etc., internacionais e russos. Cada edi√ß√£o tem um t√≥pico unificador de toda a revista. O objetivo principal √© construir um discurso cr√≠tico no mundo da arte da era p√≥s-sovi√©tica. MAM √© uma refer√™ncia para aqueles que desejam participar no debate atual, na R√ļssia, nos pa√≠ses de l√≠ngua russa e os numerosos intelectuais da Di√°spora Russa.

Multitudes

Multitudes (Paris) √© uma publica√ß√£o quadrianual cultual e art√≠stica. Estabelecida em mar√ßo de 2000, √© a espinha dorsal de um coletivo editorial transnacional que gerencia um list-serve eletr√īnico (Multitudes-Infos), disponibiliza os n√ļmero atrasados um ano ap√≥s publica√ß√£o, e edita duas s√©ries de livros atrav√©s da √Čditions Amsterdam (Multitudes-Interventions and Multitudes-Id√©es). Seu objetivo √© experimentar com novas condi√ß√Ķes de enuncia√ß√£o pol√≠tica e ag√™ncia ao esbo√ßar a problem√°tica que atravessa os campos da pol√≠tica econ√īmica, a filosofia, pr√°tica art√≠stica e as cultura emergentes da ciber-liberdade.

n.paradoxa

http://www.ktpress.co.uk

n.paradoxa (Londres) √© uma publica√ß√£o feminista que explora as rela√ß√Ķes entre a teoria feminista e o trabalho de mulheres artistas contempor√Ęneas (artes visuais). n.paradoxa oferece an√°lise em profundidade e cr√≠tica de pr√°ticas art√≠sticas ou de projetos de mulheres, questionando os par√Ęmetros de conhecimento sobre artistas particulares, assim como os estere√≥tipos e percep√ß√Ķes negativas da foda (‚Äúthe f-word‚ÄĚ). n.paradoxa foi lan√ßada como um impresso bianual em janeiro de 1998, e √© uma fonte de nova informa√ß√£o, construindo e desafiando os legados do feminismo e da cr√≠tica de arte feminista.

Naqd

http://www.revue-naqd.net

A publica√ß√£o argelina de cr√≠tica social, Naqd (Argel), √© a primeira e √ļnica publica√ß√£o independente do Maghreb que contribui para o desenvolvimento e circula√ß√£o de reflex√£o cr√≠tica contempor√Ęnea. Seus artigos discutem e focam temas chave que t√™m afligido suas sociedades, a Arg√©lia, o Maghreb e o resto do mundo de l√≠ngua √°rabe, por mais de 15 anos. Naqd foi fundada em 1991 por um grupo de acad√™micos e intelectuais como um projeto cr√≠tico independente. Seu objetivo principal √© iluminar problemas correntes ao instigar um discurso politicamente independente, cr√≠tico e racionalista.

Natural Selection

http://www.naturalselection.org.nz

Natural Selection (Auckland) √© uma resenha on-line da Austral√°sia distribu√≠da como um PDF que as pessoas podem imprimir e montar como um projeto de trabalhos manuais. O peri√≥dico encoraja seus escritores a interpretar a pauta ‚Äúresenha de arte australasiana‚ÄĚ t√£o livremente quanto queiram ‚Äď desde cr√≠tica, artigos discursivos, di√°logos, especula√ß√Ķes, fantasias, mapas interessantes ‚Äď e n√£o ter medo de ser gr√°fico, nepotista, po√©tico, ficcional, te√≥rico, incerto, √©pico, l√≠rico, microsc√≥pico, fora de vista ou atrasado.

neural

http://www.neural.it/

Neural √© uma revista de cultura digital sediada em Bari, na It√°lia, publicada tr√™s vezes ao ano. Fundada em1993, ela traz artigos, entrevistas, ensaios e resenhas relacionados a produtos de m√≠dia. As 52 p√°ginas da revista s√£o divididas em tr√™s se√ß√Ķes principais: Hacktivismo, M√ļsica Eletr√īnica e Arte em Novas M√≠dias, e cada edi√ß√£o apresenta um motivo que tudo conecta. Neural foi desenvolvida para servir uma ampla comunidade atrav√©s de uma abordagem a mais idealista: conectar informa√ß√£o e conceitos para deixar que as pessoas encontrem inspira√ß√£o, de modo que desenvolvam seus pr√≥prios projetos, confrontando com outros, em uma esp√©cie de n√≥dulo informacional, livre para todos.

Off The Edge

Off The Edge (Petaling Jaya) come√ßou como um suplemento de estilo de vida da revista The Edge, a principal publica√ß√£o mensal de neg√≥cios da Mal√°sia. Ela adquiriu vida pr√≥pria como uma revista independente 9 edi√ß√Ķes depois de setembro de 2005. Off the Edge tenta interrogar as artes, a cultura e ‚Äúestilo de vida‚ÄĚ atrav√©s de entrevistas e artigos de escritores, artistas, designers, l√≠deres corporativos locais e estrangeiros e, ainda, de pol√≠ticos ‚Äď a escolha mais radical de ‚Äúestilo de vida‚ÄĚ √©, afinal, ser capaz de escolher a maneira como gostar√≠amos de levar nossas vidas, e o pol√≠ticos exercem enorme influ√™ncia sobre isso.

Pages

http://www.pagesmagazine.net

Pages (Roterd√£/Teer√£) iniciou suas atividades em fevereiro de 2004 publicando um peri√≥dico bil√≠ng√ľe (Farsi/Ingl√™s) que busca uma troca entre autores e artistas iranianos e internacionais, trazendo vis√Ķes cr√≠ticas sobre a arte, cultura, urbanismo e quest√Ķes sociais. Ao desenvolver projetos colaborativos com praticantes de diferentes √°reas culturais, suas atividades transcendem o formato de revista em dire√ß√£o a outros formatos, incluindo trabalhos de instala√ß√£o, ensaios de v√≠deo, oficina e apresenta√ß√Ķes. Page se interessa por aquelas produ√ß√Ķes culturais que comunicam as condi√ß√Ķes espec√≠ficas e circunst√Ęncias em que elas s√£o produzidas, aquelas condi√ß√Ķes s√≥cio-pol√≠ticas contra as quais uma produ√ß√£o art√≠stica √© inevitavelmente lida como discurso.

Pananaw

Pananaw: Philippine Journal of Visual Arts [Peri√≥dico Filipino das Artes Visuais] (Para√Īaque) evoluiu de uma iniciativa completamente operada por artistas para uma que re√ļne as energias de indiv√≠duos que trabalham em v√°rios dom√≠nios do campo cultural. A publica√ß√£o √© profundamente comprometida com o discurso interdisciplinar cr√≠tico. Concebido como uma s√©rie de revistas em forma de livro, Pananaw procura oferecer aos p√ļblicos nacional e internacional acesso a reprodu√ß√Ķes de qualidade de arte filipina contempor√Ęnea, e reconhecer, promover e disseminar o melhor das artes visuais das regi√Ķes Filipinas de Midanao, Visayas e Luzon.

Parachute

PARACHUTE (Montr√©al), uma revista publicada em ingl√™s e franc√™s, e tamb√©m site de interroga√ß√£o e an√°lise da arte contempor√Ęnea no mundo. Ela procura fomentar a emerg√™ncia de cr√≠tica e arte inovadoras que faz forte uso de ferramentas conceituais e hist√≥ricas para a an√°lise de novas formas de arte emergentes de nosso tempo. PARACHUTE tem procurado desenvolver, desde sua cria√ß√£o em 1975, novas metodologias cr√≠ticas e alargar os horizontes culturais e geogr√°ficos.

Performance Research

http://www.performance-research.net

Performance Research (Totnes, Devon) √© publicada quadrianualmente. Trata-se e um peri√≥dico especialista que procura promover a troca din√Ęmica entre a pesquisa e pr√°tica no campo em expans√£o da performance. Interdisciplinar em sua vis√£o e internacional em seu √Ęmbito, sua √™nfase recai sobre as artes da performance contempor√Ęnea dentro de culturas cambiantes. Performance Research √© uma conversa√ß√£o de dez anos sobre as formas, discursos, materiais, assuntos e eventos que informam a performance como discurso critico, tema de pesquisa e empresa criativa.

Piktogram

http://www.piktogram.pl

Piktogram (Vars√≥via) √© um peri√≥dico internacional quadrianual. Em termos de conte√ļdo, diversas linhas de tens√£o norteiam a busca de Piktogram, desde sua mais distintiva caracter√≠stica - tentar revitalizar as tend√™ncias esquecidas da arte neo-vanguardista polonesa e relacion√°-las √†s estrat√©gias art√≠sticas contempor√Ęneas contempladas na revista ‚Äď at√© outros interesses que alcan√ßam fen√īmenos fora do campo da arte. Al√©m de sua atividade editorial, Piktogram √© uma associa√ß√£o que produz exposi√ß√Ķes, buscando alternativas ao modelo de galeria e institucional de organizar exposi√ß√Ķes.

Pulgar

Pulgar (Caracas) se define como uma publica√ß√£o ocasional. Fundada em 1999 como um lugar dedicado √† cria√ß√£o visual contempor√Ęnea, Pulgar (Polegar) originalmente procurava conceber um espa√ßo expositivo dentro do formato livre e port√°til do impresso para consumo imediato. Cada curador convidado a participar do projeto estabelecia sua hip√≥tese de trabalho a partir do espa√ßo plat√īnico das id√©ias, e n√£o levando em conta o formato de Pulgar ou suas capacidades t√©cnicas de impress√£o e publica√ß√£o. Assim, os artistas n√£o se preocupam com a interpreta√ß√£o de um conceito, mas em vez disso com a concep√ß√£o de trabalho cujos limites n√£o s√£o demarcados pelas barreiras usuais dos processos de publica√ß√£o.

Punto de Vista

http://www.bazaramericano.com/

Punto de Vista (Buenos Aires) foifundado em 1978 e √© publicado quatro vezes ano. Durante a ditadura militar era um instrumento quase clandestino de um grupo de intelectuais que resistiam ao autoritarismo. Desde ent√£o se tornou um peri√≥dico alternativo e independente cujos t√≥picos principais s√£o a pol√≠tica, ideologias, hist√≥ria intelectual, urbana e cultural, literatura, fotografia, m√ļsica e artes visuais. Punto de Vista √© considerada altamente representativa da esquerda democr√°tica na Am√©rica Latina e muito de seus ensaios t√™m sido traduzidos no Brasil e reimpressos em pa√≠ses latino-americanos.

Radical Philosophy

http://www.radicalphilosophy.com

Radical Philosophy (Londres) foi fundada em 1972 em resposta ao amplo descontentamento com a esterilidade da filosofia acad√™mica do Reino Unido da √©poca, objetivando oferecer um f√≥rum para o trabalho te√≥rico ent√£o emergente no esteio dos movimentos radicais da d√©cada de 1960, na filosofia e outro campos. Desde ent√£o, Radical Philosophy continuou a explorar esse legado te√≥rico e pol√≠tico (resumido em seu subt√≠tulo: ‚Äúum peri√≥dico de filosofia socialista e feminista‚ÄĚ), oferecendo perspectivas cr√≠ticas e um f√≥rum de debates e discuss√£o de novas pautas intelectuais.

Ramona

http://www.ramona.org.ar

ramona (Buenos Aires) √© uma revista mensal de artes visuais que apresenta um particular conceito iconoclasta em preto e branco: ‚Äúuma revista de arte de leitura apenas‚ÄĚ. ramona √© uma arena para o debate e reflex√£o, um espa√ßo para a m√ļtua consci√™ncia √†s margens das hierarquias pr√©-existentes. Um lugar de opini√Ķes destemidas onde tudo pode ser dito, j√° que n√£o h√° comit√™ de sele√ß√£o ou ‚Äúdiretor‚ÄĚ, e onde tudo √© impresso, mais cedo ou mais tarde. Essa pol√≠tica editorial aberta ganha vida atrav√©s de uma rede de trezentos autores colaboradores, principalmente artistas, que criam uma polifonia espont√Ęnea com suas contribui√ß√Ķes.

Remont Art Magazine

http://www.remont.co.yu/magazin

Remont Art Magazine (Belgrado) iniciou sua vida no outono de 2000 e representa a outra importante atividade da Associa√ß√£o Art√≠stica Independente Remont, al√©m de sua galeria. Not√≠cias de todas as manifesta√ß√Ķes art√≠sticas significativas, resenhas de exposi√ß√Ķes e an√°lise especializadas traduzem a atitude dos artistas das gera√ß√Ķes jovens e intermedi√°rias. Adicionalmente, reprodu√ß√Ķes de seus trabalhos fazem da revista bil√≠ng√ľe uma fonte relevante de informa√ß√£o no que concerne as tend√™ncias correntes no cen√°rio das artes dom√©stica e internacional.

Revista de Critica Cultural

http://www.criticacultural.org

Revista de Crítica Cultural foi fundada no Chile em 1950. Desde seus inícios, a Revista de Crítica Cultural se apresentou como uma resenha transdisciplinar (literatura, ciências sociais, filosofia, teoria, arte, política, feminismo etc.) que procura ativar o debate de idéias entre as disciplinas acadêmicas e a arena da crítica intelectual, dentro e fora da universidade. A Revista de Crítica Cultural é publicada duas vezes ao ano, e é a resenha independente mais continuada e relevante da cena cultural chilena.

Rizoma

http://www.rizoma.net/

rizoma.net (S√£o Paulo) √© uma revista em portugu√™s dedicada ao ativismo contempor√Ęneo e √†s artes, assim como a outros temas como a globaliza√ß√£o, atualidades, cultura eletr√īnica e m√ļsica da Am√©rica Latina e Brasil. rizoma.net oferece um amplo arquivo para reflex√£o e a√ß√£o, disponibilizando diversos artigos, resenhas, entrevistas, tradu√ß√Ķes, textos liter√°rios, poesia e relatos de movimentos ativista e underground, antigos e novos. Ligado dede seu in√≠cio √† cena da m√≠dia t√°tica e dos coletivos, rizome.net oferece um filtro contra-informacional onde a pol√≠tica e as artes s√£o pensadas sem preconceito.

sab0t

http://possibleworlds.org/sab0t/

Sab0t (Cidade do M√©xico) √© um panfleto em formato tabl√≥ide que foca a arte, o ativismo, narrativas experimentais, a m√≠dia e a cultura net, editada coletivamente usando software de c√≥digo aberto. Sab0t √© um formato do projeto possible worlds, e economicamente auto-sustentado, al√©m de ser um servidor aut√īnomo acolhendo e oferecendo espa√ßo. possible worlds abarca uma comunidade virtual, uma televis√£o on-line, um arquivo de m√≠dia, uma midiateca um net-label, assim como uma s√©rie de confer√™ncias internacionais refletindo sobre a produ√ß√£o cultural e a pol√≠tica em rede.

Sabei Phyu

Sabei Phyu (in birman√™s: "Jasmim Branco") come√ßou em 1985 como uma revista feminina e mudou para uma revista de ci√™ncia social e literatura. Sediada em Yangon, a revista ganhou reconhecimento por oferecer literatura de qualidade ao p√ļblico leitor em geral.

Sarai / Raqs Media Collective

http://www.sarai.net

O Sarai Reader √© uma publica√ß√£o anual produzida por Sarai/CSDS (Delhi), dispon√≠vel para download gratuito no site do Sarai. A s√©rie Sarai Reader busca reunir textos e ensaios originais, reflexivos, cr√≠ticos, bem pesquisados e provocativos de te√≥ricos, praticantes e ativistas, agrupados sob um tema central que expressa os interesses do Sarai acerca de quest√Ķes relacionados √† m√≠dia, informa√ß√£o e sociedade no mundo contempor√Ęneo.

sentAp!

sentAp! √Č uma sigla para seni tanpa prejudis (arte sem preconceito),e √© uma revista de artes visuais contempor√Ęneas sediada em Ipoh, Perak. sentAp! come√ßou em 2005 por iniciativa de um grupo de artistas e curadores. O peri√≥dico quadrianual procura ensaios, artigos, not√≠cias, resenhas e outros materiais que explorem as muitas facetas da cultura visual na regi√£o, especificamente a Mal√°sia. sentAp! busca criar uma plataforma positiva para as diversas e multifacetadas entidades das artes visuais, construindo pontes entre artistas, tanto locais quanto estrangeiros.

Shahrzad

Shahrzad √© um coletivo de design pol√≠tico sediado em Zurique que alterna seus participantes. O coletivo agora trabalha principalmente com interven√ß√Ķes dento da tradi√ß√£o da Land Art, freq√ľentemente incluindo carca√ßas de animais encharcadas de √°gua de rosas. Recentemente o coletivo publicou ‚ÄúTokonoma‚ÄĚ, ‚ÄúMais sobre a mis√©ria das mulheres‚ÄĚ e ‚ÄúAqui chamo de minha casa, sim (Eu quero te agradecer)‚ÄĚ, em colabora√ß√£o com Faouzi Rouissi.

Site

http://www.sitemagazine.net

O conceito Site (Estocolmo) indica uma esp√©cie de indetermina√ß√£o que caracteriza mais do que tudo o momento contempor√Ęneo ‚Äď uma indetermina√ß√£o que concerne as rela√ß√Ķes entre as artes e suas respectivas fronteiras; concerne as rela√ß√Ķes entre a arte, a filosofia e a pol√≠tica. A revista Site, fundada em 2001, divide-se em tr√™s se√ß√Ķes: resenhas, ensaios e artigos; um projeto de arte, normalmente nas p√°ginas centrais, onde um artista recebe um convite aberto para o uso do espa√ßo da revista conforme seu desejo; e finalmente uma se√ß√£o tem√°tica, a se√ß√£o Site, que pode entendida tanto conceitual quanto geograficamente.

Siyahi

http://www.siyahi.net/

Siyah√ģ (Istambul) √© uma revista cultural pol√≠tica apoiada principalmente no pensamento anarquista e p√≥s-estruturalista. Iniciada em 2004 e distribu√≠da na Turquia, Siyah√ģ inclui entrevistas com v√°rios escritores e pessoas da pol√≠tica, artigos que refletem a teoria contempor√Ęnea, discuss√Ķes cr√≠ticas acerca da arte, dossi√™ especiais sobre conceitos-chave e eventos etc. Uma perspectiva p√≥s-anarquista conforma todas as quest√Ķes levantadas por Siyah√ģ. Hoje em dia trabalham com pol√≠tica identit√°ria, educa√ß√£o libert√°ria e poesia concreta.

Springerin Hefte f√ľr Gegenwartskunst

http://www.springerin.at/

springerin √© uma revista quadrianual sediada em Viena. Fundada em 1995, √© dedicada √† teoria e √† cr√≠tica da arte e da cultura contempor√Ęneas. springerin se dirige a um p√ļblico que percebe os fen√īmenos culturais como determinados pol√≠tica e socialmente. A revista informa sobre as tend√™ncias atuais no campo da cultura ao criticamente circunscrever suas condi√ß√Ķes e sentidos mais amplos. Uma se√ß√£o especial a cada edi√ß√£o examina os desenvolvimentos e pot√™ncias de novas tecnologias no que diz respeito a suas fun√ß√Ķes sociais. A se√ß√£o principal √© dedicada √†s posi√ß√Ķes, motivos, conflitos e debates acerca de um t√≥pico particular controverso da cultura contempor√Ęnea. Uma terceira se√ß√£o informa criticamente sobre exposi√ß√Ķes importantes, eventos e publica√ß√Ķes.

studio

studio (Tel Aviv) √© uma revista sem fins lucrativos estabelecida em 1987. Ao longo dos √ļltimos dez anos, studio tem se posicionado na linha de frente da cr√≠tica e da teoria de arte contempor√Ęneas, trazendo seu foco cr√≠tico sobre as artes contempor√Ęneas e seus campos adjacentes. studio procura acompanhar a atividade art√≠stica e cultural de modo a permitir a experimenta√ß√£o dentro da pr√≥pria revista. Operando como um ponto focal no dom√≠nio da arte israelense, studio adota uma atitude envolvida e de v√°rias camadas no discurso entre a pol√≠tica e a produ√ß√£o das artes visuais. studio procura agir de maneira a se opor √† redu√ß√£o do pensamento pol√≠tico √† sua incorpora√ß√£o √† artes visuais.

talawas

http://www.talawas.org

talawas (Han√≥i) √© uma plataforma on-line que re√ļne aspectos sociais, pol√≠ticos e culturais do Vietn√£ contempor√Ęneo, assim como traz quest√Ķes mundiais ao contexto vietnamita. A revista foi fundada em 2001 devido √† falta de uma m√≠dia vietnamita capaz de realizar discurso intelectual cr√≠tico dentro da est√©ril, acr√≠tica e pesadamente censurada paisagem da m√≠dia vietnamita, que por outro lado √© parcial e fundamentalista fora do pa√≠s. A revista trouxe v√°rios t√≥picos que v√£o desde a literatura at√© as artes visuais, do feminismo ao legado da guerra. A revista tornou-se o √ļnico lugar onde se pode revisitar os cap√≠tulos da hist√≥ria moderna e levantar quest√Ķes sobre t√≥picos que s√£o tabu para o Vietn√£ oficial.

Thai Bookazine

Thai Bookazine (Tail√Ęndia). A alian√ßa epis√≥dica chamada de Alian√ßa de M√≠dia Ferozmente Independente (FIMA) foi criada para projeto documenta bookazin. Essa alian√ßa consiste de seis m√≠dias independentes: quatro publica√ß√Ķes on-line (Budpage, a revista on-line que pensa sobre o ensino do budismo hoje; Midnight University, fonte de educa√ß√£o superior aberta a todos; Open,a revista alternativa de not√≠cias atuais e quest√Ķes sociais; e o web-jornal on-line e web-painel extremamente aberto Prachatai, que oferece uma cobertura noticiosa alternativa que n√£o √© oferecida pelos meios de comunica√ß√£o de massa) e duas publica√ß√Ķes impressas (o cortante peri√≥dico quadrianual Fah Diew Kan, e a revista estudantil Question Mark, que provoca os estudantes a questionar). Atrav√©s dessas seis publica√ß√Ķes, a tarefa da alian√ßa √© criar um espa√ßo p√ļblico aberto a todas as classes, ra√ßas e g√™neros para que exercitem seu direito fundamental de receber informa√ß√£o e educa√ß√£o, e expressar-se sem nenhuma interfer√™ncia.

Third Text

http://www.tandf.co.uk/journals/titles/0952882

Third Text (Londres) √© um peri√≥dico acad√™mico dedicado a oferecer perspectivas cr√≠ticas sobre a arte visual e a cultura. O peri√≥dico examina a base te√≥rica e hist√≥rica atrav√©s da qual o Ocidente legitima sua posi√ß√£o como o √°rbitro √ļltimo do que √© significativo dentro desse campo. Estabelecida em 1987, Third Text oferece um f√≥rum de discuss√£o e (re)exame da teoria e pr√°tica da arte, hist√≥ria da arte e cr√≠tica, al√©m do trabalho de artistas at√© ent√£o marginalizados por diferen√ßas raciais, de g√™nero, religiosas e culturais.

TkH - Teorija koja Hoda (Walking Theory)

http://www.tkh-generator.net/spip.php?rubrique6

TkH: Journal for Performing Arts Theory [Peri√≥dico de Teoria das Artes Perform√°ticas] lida com quest√Ķes das artes perform√°ticas e suas teorias.Fundada em 2001 em Belgrado, Teorija koja Hoda (Teoria Ambulante) √© publicada duas vezes por ano em s√©rvio e ingl√™s. O peri√≥dico se transformou em um importante instrumento e num painel demonstrativo da pesquisa te√≥rica e de arte dentro do escopo da teoria da arte em senso estrito, dos discursos h√≠bridos e da escrita poligen√©rica. A teoria em senso estrito estabelece uma teoria cr√≠tica conseq√ľente e anal√≠tica das artes perform√°ticas e da cultura contempor√Ęnea. Discursos h√≠bridos incluem diferentes explica√ß√Ķes e interpreta√ß√Ķes conceituais - mas tamb√©m existenciais - da teoria e da arte.

Trópico

http://p.php.uol.com.br/tropico

Tr√≥pico (S√£o Paulo) √© uma revista na internet sobre pol√≠tica e cultura. Inaugurada em outubro de 2001, tr√≥pico consolidou ao longo dos √ļltimos 5 anos um raro espa√ßo de debates inter-regionais, interdisciplinares e inter-m√≠dia, contando com uma gama de colaboradores que incluem intelectuais, cr√≠ticos e jornalistas, tanto emergentes quanto estabelecidos. Essa revista oferece um espa√ßo atualizado para uma variedade de sess√Ķes sobre livros, filmes, televis√£o, arte e m√≠dia digital.

Urban China

http://www.urbanchina.com.cn

Urban China √© a primeira revista real de urbanismo na China, e um texto multidimensional combinando quest√Ķes profundas e narra√ß√£o simples, discurso oficial formal e v√≠vidas interpreta√ß√Ķes populares. Apresentando um quando integrado, Urban China descreve ricamente o contexto urbano atrav√©s de diferentes tipos de texto, incluindo not√≠cias, hist√≥rias, coment√°rio, leis, di√°logos, gloss√°rios, plantas, cartuns e diagramas. A revista faz as quest√Ķes profundas mais leg√≠veis atrav√©s de diagramas instrutivos, de um discurso do tipo hist√≥ria de detetive, de publicidade comercial e elementos de fofoca pop. E atrav√©s de an√°lise e interpreta√ß√£o profissionais, ela transfere a voz do povo ao governo, e traduz pol√≠ticas aos cidad√£os, de modo a servir como uma plataforma de m√≠dia mobilizando recursos e focando eventos, como uma plataforma construtiva entre o governo e o povo. Hoje em dia, Urban China conta com est√ļdios em Beijing, Shangai e Guangzhou, al√©m de consultores, colaboradores de projetos, incluindo arquitetos, curadores e escrit√≥rios de renome internacional.

Vacarme

http://www.vacarme.eu.org/

Vacarme (Paris) √© um peri√≥dico quadrianual fundado em 1999. Vacarme se situa num ponto entre o comprometimento pol√≠tico, a a√ß√£o associativa, a pesquisa cient√≠fica e a experimenta√ß√£o art√≠stica. Vacarme nasceu da vontade de levar adiante a experi√™ncia militante adquirida na ACT-UP, GISTI, Migreurop e outras associa√ß√Ķes, combinando-a com o conhecimento adquirido de nosso pr√≥prio trabalho como pesquisadores, professores, escritores e artistas. A revista procura criar um espa√ßo comum a partir dos territ√≥rios, resenhas e pr√°ticas que normalmente desconhecem o trabalho uma das outras. Vacarme publica trabalho de campo, opini√Ķes, textos te√≥ricos, literatura original e trabalho criativo de imagem e som. Ela caminha entre a resenha especializada e os jornais militantes.

Valdez

Valdez (Bogot√°) √© uma revista de duas posi√ß√Ķes pol√≠ticas fundamentais: permanecer livre em ambos os sentidos da palavra (‚ÄúValdez √© livre porque n√£o faz dinheiro, e n√£o o contr√°rio‚ÄĚ) e recusar todas as ofertas de se tornar algo diferente do que √© (uma esp√©cie de bartlebismo de revista). Valdez come√ßou como um di√°logo entre amigos na Col√īmbia e tem sido cuidadosa em n√£o perder seu sentido circunscrito, anacr√īnico ‚Äď de maneira similar aos Amish da Pensilv√Ęnia, que analisam os efeitos sociais de qualquer aparato tecnol√≥gico.

Vector

http://www.periferic.org/vector/revista_en.htm

Vector (IaŇüi) √© uma publica√ß√£o de arte e cultura em contexto, que analisa principalmente a situa√ß√£o art√≠stica e cultural dos pa√≠ses do Sudeste Europeu, que sofrem um processo de transi√ß√£o, e tamb√©m da regi√£o do Oriente M√©dio, subjugada sob a press√£o de conflitos. Agindo como uma plataforma-projeto, Vector busca redistribuir informa√ß√£o relevante, de modo a assegurar a troca cultural e facilitar a possibilidade de realizar uma expertise cultural regional.

velocidadcrítica

velocidadcr√≠tica (Santa Caterina, Nuevo Le√≥n) √© uma pequena publica√ß√£o mensal de Monterrey. A revista tem uma clara pol√≠tica editorial, j√° que √© altamente auto-reflexiva sobre o que significa ‚Äúpublicar‚ÄĚ hoje em dia: id√©ias constituem capital cultural que deveriam ter distribui√ß√£o t√£o igualit√°ria e livre quanto sua contrapartida econ√īmica. velocidadcritica √© um ve√≠culo dentro do campo da arte que encoraja um debate anti-hier√°rquico e descentralizado baseado no poder cr√≠tico dos p√ļblicos. Grande import√Ęncia √© dada √† an√°lise de novas estrat√©gias e pr√°ticas art√≠sticas de modo a subsistir em um contexto globalizado altamente enviesado em dire√ß√£o ao mercado.

Yishu

http://www.yishujournal.com

Yishu: Journal of Contemporary Chinese Art [Peri√≥dico de Arte Contempor√Ęnea Chinesa] (Vancuver/Tapei) √© uma publica√ß√£o de l√≠ngua inglesa devotada √† cobertura da cultura e arte contempor√Ęneas chinesas. Cada edi√ß√£o quadrianual traz ensaios sobre quest√Ķes t√≥picas, artigos sobre artistas, entrevistas e coment√°rios cr√≠ticos sobre confer√™ncias internacionais, exposi√ß√Ķes e livros no campo da arte contempor√Ęnea chinesa. Yishu funciona como uma voz significativa atrav√©s da qual acad√™micos, artistas, cr√≠ticos e curadores podem disseminar suas id√©ias e opini√Ķes. Ela tamb√©m prov√™ √†queles interessados na arte contempor√Ęnea chinesa conhecimento sobre as quest√Ķes que tanto fomentam o desenvolvimento da arte chinesa quanto questionam-na. Yishu √© publicada em mar√ßo, junho, setembro e dezembro de cada ano.

Zehar

http://www.zehar.net

Zehar (Donostia/San Sebasti√°n) √© uma revista de cultura e arte contempor√Ęneas fundada em1989. O objetivo da revista √© manter um esp√≠rito reflexivo cr√≠tico, inspirado na convic√ß√£o da necessidade de consolidar bases est√°veis que enrique√ßam um contexto e ambiente plurais. Cada edi√ß√£o √© dedicada a um tema e um editor √© convidado para trabalh√°-la, de modo a encorajar uma variedade de id√©ias. A vers√£o impressa tem duas edi√ß√Ķes, basco/espanhol e ingl√™s/espanhol, mas a edi√ß√£o digital √© tril√≠ngue. Desde outubro 1995 (edi√ß√£o 29), a revista tem trabalhado com a id√©ia de arquivo como espa√ßo documental: um arquivo de entrevistas, textos, fotografias etc. que permitem reinterpreta√ß√£o e releitura; um arquivo que questiona a mem√≥ria ao mesmo tempo que reativa-a; um arquivo que transforma n√£o s√≥ o presente mas tamb√©m o futuro.