Página inicial

Cursos e Seminários

 


abril 2018
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30          
Pesquise em
Cursos e Seminários:
Arquivos:
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
dezembro 2011
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
As últimas:
 

março 9, 2018

Curadoria de Arte Moderna e Contemporânea: aula inaugural na EAV Parque Lage, Rio de Janeiro

Parque Lage - IUPERJ oferecem a primeira pós-graduação para formação de curadores no Rio de Janeiro

Aula inaugural, aberta ao público, será no dia 14 de março (quarta-feira), com o artista Marcos Chaves e o curador Paulo Sergio Duarte

O IUPERJ e a Escola de Artes Visuais do Parque Lage apresentam o curso de pós-graduação “lato sensu” Curadoria de Arte Moderna e Contemporânea, com coordenação dos críticos de arte e curadores Paulo Sérgio Duarte e Jorge Sayão. A pós-graduação, a primeira e única do Rio de Janeiro, será realizada de março de 2018 a maio de 2019, às terças e quintas (18h45 às 22h). A aula inaugural “Marcos Chaves em diálogo com Paulo Sérgio Duarte”, com introdução de Jorge Sayão, será no dia 14 de março (quarta), às 19h, aberta ao público em geral.

O curso será dividido em três áreas - Planejamento e Produção de Exposições, História da Arte e Filosofia e Teoria da Arte - e conta com professores como a Doutora em História da Arte Elisa Byington, os Doutores em Filosofia Fernado Augusto da Rocha Rodrigues e Bernardo Oliveira, a produtora Luiza Mello, a designer Evely Grumach, o iluminador Rogério Emerson, além dos coordenadores, entre outros pesquisadores e profissionais da área de artes visuais.

O objetivo do curso é qualificar a atividade de curador de arte oferecendo uma formação técnica e metodologicamente consistente, com fundamentos teóricos e práticos, superando a formação, até então vigente no Brasil, de cunho exclusivamente prática, nos igualando ao modelo de formação curatorial dos grandes centros de arte do mundo, capacitando assim o futuro curador a resolver os problemas que dizem respeito às diversas etapas de uma exposição de arte.

Curadoria de Arte Moderna e Contemporânea
Pós-graduação latu senso
Escola de Artes Visuais do Parque Lage
Rua Jardim Botânico 414, Rio de Janeiro, RJ – tel 21-2334-4088
Inscrições abertas na secretaria (de segunda a quinta, das 9h às 20h|sexta, das 9h às 18h| sábado, das 9h às 12h)
Início do curso: 20/03/18. Término: 05/19
Terças e quintas-feiras, 18h45 às 22h
Custo: R$ 1.000,00/mês
Carga horária total: 360 horas/aula (incluído orientação de monografia)

Posted by Patricia Canetti at 3:11 PM

março 6, 2018

Forgetting – Brumaria Works #9 - Open call

Prazo para a submissão em inglês / English submission deadline: April 6, 11:59pm, GMT +1
Prazo para a submissão em espanhol / Spanish submission deadline: April 20, 11:59pm, GMT +1

Brumaria
2, Calle Santa Isabel 28, Madrid, 28012, Espanha

The purpose of Forgetting – Brumaria Works #9 is: (1) to address the many questions that unfold around the notion, action, effects and affect of forgetting in the context we live in; (2) to produce theoretical and practical materials for a knowledge of forgetting.

As a means of spurring and strengthening our research, we are inviting all sorts of contributors to collectively think about forgetting from all possible discoursive standpoints—ie. philosophical, political, anthropological, artistic, or psychological, to name but a few. Among all contributions received and through a selection made by the editorial and curatorial body behind this project, Brumaria will edit a series of printed publications that will compile the texts that better serve the purpose of producing a reader on/for a knowledge of forgetting.

Forgetting and memory are two fundamental dynamic vehicles in the current historical process. Since the present is situated between them, we are urged to approach it (and its devenir), albeit from within the fuss of ever-more polarized discoursive biases that support the ideological management of history either by a) selective oblivion or b) the moral imperative of memory—antithetical options that have had, and still have, an all-encompassing impact in every layer of the cultural fabric, from the anthropological to the creative ones.

Many authors have reflected on the presence and coherence of forgetting (from Friedrich Nietzsche to María Zambrano, through Paul Ricoeur, Jonas Mekas, Kazuo Ishiguro, Kasper König, Jorge Luis Borges, Alain Badiou, Primo Levi, or Hannah Arendt), yet we believe there still is a vast territory to delve into, inasmuch ‘forgetting’ is not necessarily approached by merely dialectical terms—as opposed to "memory"—, but trascended into a figure much needed to walk the present with relief from the burden and chains of the past, as a powerful exercise to face the now without projecting old familiar historical hindrances toward the future.

Parcipants are invited to contribute in any of the following two written forms:
–an academic paper
–any form of poetry, prose, or artistic textual expression

The reason for such abnormal inclusion is that, while the first kind prove their legitimacy—or outsource truth—by referring to knowledge produced in the past, the second kind are exempt from acknowledging the roots that feed them in order to gain status as expressions of their own time.

For further information on the project please visit brumaria.net/forgetting

Extension of contributions
–Papers must have a maximum extension of 8,000 words, excluding the number of words of a mandatory bibliography at the end (bibliographical system: Chicago).
–Other texts in the form of poetry, prose, or other artistic textual expressions must have a maximum extension of 8,000 following words or 20 pages of scattered text. In case the nature of a proposal requires a certain layout (ie. variable sizes or spacing), please include detailed instructions in a separate document.

Languages accepted
Contributions may be written in English or in Spanish (more than one contribution per author is allowed).

Deadline
Contributions will be forwarded to olvidar@brumaria.net.
Contributions in English must be submitted by April 6 at 23:59 (GMT+1).
Contributions in Spanish must be submitted by April 20 at 23:59 (GMT+1).
No submissions will be accepted after these dates.

On May 15, 2018 participants whose texts have been selected will be noticed about their inclusion in a provisional list from which the books will be edited.

File formats
Each contribution must be sent in an email with two Word files attached:
–The contribution. The name of this file will be composed as in this example: SURNAME_FORENAME-TITLE.doc
–A brief CV (<200 words). The name of this file will be composed as in this example: SURNAME_FORENAME-BIO.doc

Forgetting – Brumaria Works #9 has been granted with funds for artistic creation by the City Council of Madrid in 2018.

Posted by Patricia Canetti at 10:01 AM

março 5, 2018

Curso de Marcos Bonisson no Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro

Fotografia e Artes Plásticas: História e Interações

A fotografia tem sido um suporte utilizado dentro do universo mais amplo das artes visuais contemporâneas. Neste contexto, discutiremos neste curso suas possibilidades e limites, à luz das experiências extraídas da história da fotografia e sua interação com as artes plásticas.

Professor: Marcos Bonisson

Início em 21 de março de 2018

Ateliê da Imagem
Av. Pasteur 453, Urca, Rio de Janeiro, RJ
Inscrições online

Objetivo

O curso tem como objetivo apresentar em 8 aulas a intensa relação da fotografa e das artes plásticas, através dos últimos 150 anos. Em síntese, a fotografia tem sido um extraordinário suporte utilizado dentro do universo mais amplo das artes visuais contemporâneas. Nesse sentido, o curso abordará em contexto histórico as diferentes possibilidades de reflexão e práticas, à luz, das múltiplas vertentes experiências extraídas da história da fotografia e de sua interação com as artes plásticas, desde da invenção da Fotografia na primeira metade do século XIX, até o tempo atual.

Ementa completa

1. Antecedentes: A invenção e evolução da fotografia
Leitura de portfólios * A câmera obscura * A perspectiva unilocular * Arte x Fotografia * Daguerreótipos e câmeras Kodak * A fotografia Popular * Pictorialismo * Arte abstrata * O impulso modernista * Alfred Stieglitz e Straight Photography * O grupo F64 * O artista Fotógrafo : Man Ray e Moholy Nagy * A fotografia documental * A revolução do fotojornalismo * A fotografia moderna Brasileira - Geraldo de Barros e José Oiticica Filho * A revista o Cruzeiro.

2. Além do documento
Arte Pop e cultura pop * Arte conceitual * Fotografia de idéias * Marcel Duchamp e os Ready mades * Equivalents de Stieglitz * O pulo no nada de Yves Klein * A interação Fotografia-Artes Plásticas * Poéticas do processo e conceitos em formação * Construção e invenção * A representação revisitada * Meio e mensagem * Deslanchando idéias * O fragmento e o todo * O olho e o espírito * A importância do portfólio.

3. Ideias e Desdobramentos
Mundo Imagem * Os anos 70 * Spiral Jetty de Robert Smithson * O registro fotográfico: performance, intervenção e instalações * Vito Acconci - Gordon Matta Clark - Joseph Beuys * O cotidiano como mote * Taxonomia * Técnicas e processos fotográficos * Polaroids e Cibachromes * O documental Conceitual * Idéias x formalismo * Composição e decomposição * Estética pós moderna * Auto-retratos * Informação e conteúdo * Teoria e crítica : Roland Barthes - John Szarkowski - Susan Sontag * Câmara Clara e Modos de Olhar * Fotografia e texto * Visão e transgressão: Hélio Oiticica - Artur Barrio * O Projeto Lúcido.

4. Fotografia Contemporânea Brasileira e Internacional
Linguagens visuais * O trabalho autoral * A importância da edição * Estratégias visuais * Mercados emergentes * A fotografia como suporte * O acaso e a teoria das incertezas * Desapego às utopias * A linguagem pessoal e transferível * Caldeirão de Abordagens : Memória - Corpo - Singularidade - Interculturalismo * O Retrato * O Documento * A antropologia - Metonímias e Metáforas visuais * * Signos em Rotação * O invisível Revelado * O trabalho contínuo * Fotografia virtual * Aspectos interdisciplinares * Outras dimensões.

Pré-requisito
Nenhum

Equipamento e material necessário
Nenhum

Carga horária
20h

Horário
19:00 às 21:30
8 aulas de 2h30
quarta-feira

Valor:
4x R$ 180,00 ou à vista R$ 630,00*
*para outras opções consulte a secretaria

Inscrições online

No Dia Internacional da Mulher, 08 de março, o Ateliê da Imagem presenteia as mulheres com desconto de 20% para pagamento à vista.

Posted by Patricia Canetti at 1:13 PM

março 2, 2018

Cursos de outono 2018 na Casa seLecT, São Paulo

Professores: Artur Lescher, Daniela Bousso, Felipe Martinez, Jacqueline Moraes Teixeira, Lia Chaia, Lucia Santaella, Marcia Mansur, Marina Thomé, Ricardo van Steen

Início dos cursos a partir de 26 de março de 2018

Casa seLecT
Rua Itaquera 423, Pacaembu, São Paulo, SP
Inscrições pelo email casaselect423@gmail.com ou pelo whatsapp 11-96570 7279
A/C de Marcelo Rainho

CURSOS

Quem tem Medo do Corpo? A Representação do Corpo na Arte Contemporânea
Lia Chaia
O curso tem 4 encontros, nos quais serão discutidos aspectos relacionados ao corpo humano, a partir da sua representação nas artes visuais contemporâneas. Neste sentido, a partir de referências da anatômia humana, pretende-se entender os diferentes processos ultilizados pelos artistas em performances, desenhos, pinturas e em outras linguagens da arte. Dando enfâse ao trabalho de artistas mulheres.

Assim, as aulas propõem investigar o corpo num movimento que vai desde os orgãos internos, passando pelo esqueleto até atingir a pele. Na sequência, o corpo deverá ser pensado além de si, ocupando o espaço circundante e interagindo com outros corpos e os seus prolongamentos. Também serão propostos exercícios práticos para ativar o corpo e o espaço. O método tem por base a produção e idéias de artistas como, por exemplo, Louise Bourgeois, Ana Mendieta, Valie Export, Rebeca Horn, Leonilson, Tunga, Lygia Clark, Hélio Oiticica, Marina Abramovik, Letícia Parente, Robert Morris e Helena Almeida.

Lia Chaia é artista plástica, também vem desenvolvendo pesquisas na área da dança e na performance do palhaço. Sua obra trânsita por diferentes suportes, tendo como um tema recorrente o corpo humano, e suas relações com o urbano e a natureza. Participa de exposições nacionais e internacionais.

Inicio 28 de março
Horários terças, das 20h às 22h30
Carga horária 4 encontros 28/3, 4/4, 11/4, 18/4
Investimento 2 x R$ 200,00

A Condição Disruptiva da Arte Contemporânea
Lucia Santaella e Daniela Bousso (idealizadoras e professoras)
No seu edital de cultura para 2018, Oi Futuro levantou as seguintes perguntas e prenúncios de respostas:

“Já que as fronteiras entre linguagens artísticas estão cada vez mais alargadas, para que compartimentar? Para que insistir nas classificações tradicionais? Para que reforçar nomenclaturas? Não há mais tempo para os mesmos verbetes. Não há mais espaço para o ensimesmado”

Embora breves, as questões parecem bem sintonizadas com o estado da arte contemporânea ao final da segunda década do século 21. De fato, cada vez mais tudo se embaralha e se expande no campo das artes: espaços e tempos rodopiam. Materiais, métodos, suportes, mídias, estilos e tendências se misturam. Circuitos de exposições, de comercialização e de mercados perdem suas fronteiras nitidamente definidas. Como a crítica da arte se coloca diante disso? Com que teorias e categorias tratar essa condição embaraçosa porque excessivamente miscigenada? A nosso ver, o primeiro passo é dispensar velhas crenças, categorias e divisões. Aceitar que a arte hoje nos coloca em posição de reaprendizagem constante. Estamos no meio de um redemoinho que nos obriga a abrir os olhos com curiosidade no espírito e atenção no olhar.

Partindo desses pressupostos, o curso composto de 4 encontros, a serem desenvolvidos na parceria de Daniela Bousso e Lucia Santaella, propõe tratar de quatro fatores que podem lançar algumas luzes no complexo território da arte contemporânea.

Aula 1 Misturas inextricáveis entre arte contemporânea e arte digital (Lucia Santaella)
Aula 2 ‘Similaridades e diferenças entre o mercado das feiras e os suportes financeiros das grandes exposições internacionais (Daniela Bousso).
Aula 3 Teorias que melhor respondem à complexidade das condições disruptivas da arte contemporânea (Lucia Santaella).
Aula 4 Posições da crítica diante dos desafios da arte contemporânea (Daniela Bousso).

Inicio 3 de Abril
Horários 17h às 19h30 (terças e quinta-feiras)
Carga horária 4 encontros: 3/4, 5/4, 10/4 e 12/4
Investimento 2 x R$ 200,00

Workshop: Narrativas Transmídia e Patrimônio Cultural
Marina Thomé e Marcia Mansur (Estúdio Crua)
Na era das interfaces e da tecnologia digital, o modo como as pessoas acessam informações e produzem conteúdo vem sendo profundamente alterado. O objetivo do curso é
facilitar a concepção de experiências transmídia que sejam ao mesmo tempo informativas e criativas.

Em um contexto no qual museus e organizações sociais estão comprometidos em apresentar novas formas de interação e oferecer experiências significativas para incentivar a descoberta de suas coleções e sensibilizar seus públicos, este workshop lança luz sobre metodologias de desenho e planejamento de tais experiências.

O programa faz uma imersão em conceitos e cases que utilizam narrativas multiplataforma como suporte para conteúdo documental, discute etapas de produção e questiona como a interatividade transforma as possibilidades de promoção do patrimônio cultural, impacto social e engajamento.

O workshop inclui ateliê prático de formatação de projetos audiovisuais multiplataformas que utilizem novas mídias e debate a relação entre uso criativo de conteúdo documental (fotos, áudios, vídeos, animações) em narrativas interativas e transmídia.

Público alvo: Pesquisadores, Documentaristas, Museólogos, Artistas, Curadores,
Fotógrafos, Produtores Culturais, Antropólogos, Historiadores, Estudantes, Professores.


Marina Thomé
Fotógrafa, documentarista e artista multimídia. Mestre em Documentário Criativo (UAB – Barcelona), Pós-graduação em Arte & Tecnologia (UBA – SP) e especialista em fotojornalismo e storytelling (International Center of Photography, NYC). Produz e pesquisa conteúdo documental para plataformas multimídia, cinema e TV. Suas produções incluem o documentário “La Ciudad Tipográfica” (exibido em festivais europeus), “De viver de rios, de viver de ruas” (documentário filmado no Pará e SP, lançado com intervenção urbana em vídeo mapping), “Las sombras del Progreso” (primeiro documentário interativo da Espanha), “Totes les llavors Sembrades” (documentário coletivo lançado na Caixafórum – Barcelona) e GARY(curta metragem que teve sua estreia em 2017 no Festival Internacional de Curtas Metragens do Rio de Janeiro, e foi selecionado para festivais no Uruguai, Espanha e Polônia). Produz conteúdo fílmico para músicos como Alzira Espíndola e Banda Corte, com projeções audiovisuais em shows e vídeos web. Participou como artista convidada na Residência Brasis SP | Redbull Station e apresentou a exposição individual fotográfica “Sobre Rios – Às Margens de Laos”, que circulou no Estúdio Lâmina (SP) e nos Centros Culturais do Banco do Nordeste (CE e PB). Consultora de Comunicação e Conteúdo para a Cinemateca Brasileira desde 2016.

Marcia Mansur
Antropóloga, documentarista e produtora executiva. Artista residente do Núcleo de Estudos Contemporâneos do Museu da Imagem e do Som de São Paulo (NEC-MIS 2018), que atua na confluência entre arte e tecnologia. Doutoranda em Antropologia na Unicamp. Atuou como diretora, roteirista, editora e pesquisadora em curtas metragens documentais que foram exibidos em festivais como Contro-Sguardi International Festival of Anthropological Cinema (Itália) e premiados em festivais como: menção honrosa no II Festival do Filme Etnográfico do Recife, melhor documentário no Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão, os 10 mais escolha do público e Prêmio Aquisição Canal brasil no Festival Internacional de Curtas de São Paulo. Produziu as séries de documentários para TV Olaria Cultural (6 x 26’’), sobre mestres da cultura popular de Pernambuco e Releitura (12 x 26’), sobre o universo da literatura contemporânea de Recife. Especialista em Arts Administration com ênfase em museus e centros culturais, atuou também como produtora do co-lab na Uniondocs Center for Documentary Arts (Brooklyn – NY),e como gestora de projetos de formação na área de economia criativa do British Council e da agência governamental RioFilme.

Inicio 19 de março
Horários De segunda a quinta das 19h às 22h
Carga horária 12 horas (4 encontros: 19/3, 20/3, 21/3 e 22/3)
Investimento 2x R$ 240

Sexualidade e Gênero em Perspectiva: introdução a Michel Foucault e Judith Butler
Jacqueline Moraes Teixeira
Introduzir de maneira aprofundada alguns conceitos chave das teorias de Michel Foucault e de Judith Butler, com o intuito de compreender a importância das temáticas de gênero e sexualidade na constituição dos sujeitos modernos, permitindo pensar algumas formas de constituição de poder e de desigualdades que se estruturam como políticas sociais.

Este curso pretende esquadrinhar os modos como Michel Foucault e Judith Butler desenvolvem de forma peculiar e, em alguns pontos, complementar, um arcabouço teórico indispensável para a compreensão das relações na modernidade, ao pensarem a produção política de tecnologias para o saber-poder, a constituição dos sujeitos, o cuidado de si, os processos de subjetivação dos corpos, a dimensão pública das subjetividades, o Estado e os movimentos sociais. Se para Foucault, a compreensão das estruturas de poder na sociedade ocidental moderna estão profundamente atreladas a emergência da sexualidade como um dispositivo histórico, Judith Butler, por sua vez, evidencia a partir do conceito de gênero, a importância de se repensar os modelos binários das relações sociais que foram estruturadas pela ideia de sexo biológico. O conceito de gênero emerge assim como um instrumento para a produção de uma teoria da ação política. De modo geral, o curso pretende oferecer a partir deste referencial bibliográfico, instrumentos analíticos para a apreensão dos fenômenos políticos atuais.

Programa
Aula 1 Arqueologia dos saberes
Leituras: Foucault, Michel. Foucault, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no College de France em 2 de dezembro de 1970. São Paulo. Edições Loyola

Aula 2 O Governo dos outros e a anatomo-política do corpo
Leituras: Foucault, Michel. “As cabeças da política”, “A angustia de julgar”, “O bom uso do criminoso”. In: Segurança, Penalidade e Prisão. Coleção Ditos e Escritos VIII. Rio de Janeiro: Forense Universitária.
Leitura Complementar: FOUCAULT. Michel. Microfisica do Poder. Rio de Janeiro. Graal. 2005

Aula 3 Sexualidade, biopolíticas e governamentalidade
Leituras: FOUCAULT. Michel. Segurança, Território e População. São Paulo: Martins. Fontes.2008
Leitura Complementar: Davidson, Arnold. “Ética como ascese: Foucault, a história da ética e o pensamento antigo” in Gutting, Gary (Org.) Foucault.
São Paulo. Editora Ideias & Letras

Aula 4 Performatividade de gênero e reflexividade
Leituras: BUTLER. Judith. Problemas de Gênero. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003

Aula 5 Violência do Estado e éticas do reconhecimento
Leituras: BUTLER. Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Belo Horizonte. Autêntica. 2015.

Aula 6 Precariedade, performatividade pública e Teoria do Ajuntamento
Leituras: Butler. Judith. Vidas Precárias. Dossiê Diferenças e Desigualdades. Revista Contemporânea n.1, p- 13-33, jan-jun- 2011

Metodologia
Aulas expositivas sobre o conteúdo selecionado para o curso, seguido de discussões e dinâmicas que visem uma maior interação dos participantes entre si.

Recursos
Computador, Datashow e áudio: para exibição de imagens e de vídeos que serão usados como recursos didáticos

Inicio 26 de março
Horários segunda-feira, das 20h às 22h30
Carga horária 6 encontros: 26/3, 2/4, 9/4, 16/4, 30/4 e 7/5
Investimento 2 x R$ 240

Arte e Mercado
Felipe Martinez
Ao contrário do que normalmente se acredita, arte e mercado estão intimamente ligados. Para entender a arte contemporânea, é fundamental que se entenda a dinâmica do mercado de arte na modernidade. Mais do que somente uma maneira de vender a produção de um artista, o mercado é um forte componente na criação do gosto, e historicamente foi fundamental para própria ideia de liberdade criativa. Ao longo do curso, será visto como o atual sistema de produção de venda de obras de arte, marcado pelas importantes feiras de arte e pela proximidade com curadores e críticos, é um desdobramento da própria lógica da arte na modernidade. Por fim, o curso abordará como o mercado de arte é um importante indicativo da concentração de renda do século XXI.

Os seguintes tópicos conduzirão a discussão:

– Antecedentes históricos: i) Rembrandt – liberdade criativa e mercado; ii) Arte moderna e advento do capitalismo – os marchands e o impressionismo;

– Arte contemporânea e mercado: i) A fuga da mercadoria objeto; ii) Arte conceitual e o grupo Fluxus;

– O mercado de arte no final do século XX: i) A pop art e suas implicações para o mercado; ii) Jeff Koons; iii) Damien Hirst e os Young Britsh artists;

– O mercado no século XXI: i) As grandes feiras, os índices e a sofisticação do mercado. ii) Curadores e críticos e sua relação com o mercado;

– Reconfiguração do sistema financeiro internacional depois dos anos 70;

– Colecionadores e financeirzação da arte: o mercado de arte com termômetro da concentração de renda.

Felipe Martinez é economista e doutorando em História da Arte, pela UNICAMP. Colabora como professor nos principais museus de São Paulo, como o MAM e o MASP, onde também atua como pesquisador. Participou de publicações acadêmicas sobre os períodos impressionista e pós-impressionista, explorando a relação de tais períodos com o nascimento do mercado moderno de arte. Foi pesquisador visitante do Museu Van Gogh, em Amsterdã.

Inicio 5 de Abril
Horários Quinta-feira, das 20h às 22h
Carga horária 8 horas (4 encontros em 5/4, 12/4, 19/4, 26/4)
Investimento 2 x R$ 200,00

Poéticas da Escultura – Exercícios Práticos de Linguagem e de Materiais
Artur Lescher
O curso tem como finalidade desenvolver a consciência dos discursos visuais, priorizando as relações construtivas assim como a escolhas dos materiais, considerando suas propriedades físicas e suas possibilidades de significação. Através de exercícios específicos, discutiremos as questões relacionadas: Suporte informado; Construção tridimensional; Elaboração de um discurso visual; Expansão para o espaço. O participante deverá trazer materiais diversos (em grande quantidade) de todos os tipos, tais como: plásticos, madeiras, tecidos, roupas usadas, jornais velhos, arames, barbantes, metais e papéis, além de material básico para desenho.

Artur Lescher é escultor. Lecionou escultura na Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, de 1991 a 2016. Em sua produção escultórica, utiliza materiais diversos, como metal, pedra ou madeira, e cria obras que evocam o design e lembram objetos conhecidos, mas destituídos de sua função. Nas instalações o artista mantém diálogo com o espaço arquitetônico. Publicou pela Cosac Naify os livros Artur Lescher, em 2002, com textos de Aracy Amaral, Rafael Vogt e Artur Nestrovski, e Rios, em 2013, a partir de uma parceria com a APC.

Inicio 20 de março
Horários Terça-feira, das 16h às 18h30
Carga horária 4 encontros 20/3, 27/3, 3/4, 10/4, os encontros serão no atêlie do artista
Investimento 2 x R$ 200,00

Pensar em Camadas – Aquarela Módulo I Técnicas da Renascença
Ricardo van Steen
Curso com quatro módulos que propõe a aproximação ao tema através da experimentação das técnicas já desenvolvidas com aquarela ao longo dos tempos.

Módulo I – Exposição de 100 aquarelas feitas entre 2000 a.C. e 2000 d.C. Os alunos são apresentados às imagens sem indicação do período em que foram feitas e convidados a sugerir uma cronologia, que aos poucos é ajustada pelo professor. Em seguida, os alunos escolhem dentre as reproduções 4 tipos bem diferentes de uso da técnica e a partir daí seguem-se 4 sessões de pintura assistida. Ao final de cada sessão os alunos e o professor conversam sobre os resultados.

Módulo II – Novas imagens são escolhidas no acervo de reproduções e a pesquisa de linguagem avança, sempre misturando mão na massa com análise dos resultados. O aluno adquire confiança e bons motivos para assumir o uso desta ou aquela técnica aprendida.

Módulo III – Nesta etapa alunos desenvolvem a aquarela de observação em campo, em uma viagem para o Saco do Mamanguá, perto de Paraty.

Módulo IV – Já habituados a pensar em camadas, os alunos experimentam os recursos aprendidos na ferramenta digital Photoshop. Partindo da escolha de imagens em alta definição obtidas após uma pesquisa, parte-se do zero para criar uma fusão de imagens impactante.

Ricardo van Steen é artista multimídia e tem como principais meios de expressão: o cinema, a aquarela e a fotografia. Produz aquarelas e fotos desde 1970 e realizou exposições individuais nas galerias Paulo Figueiredo, Millan, Vermelho e atualmente é representado pela Zipper. Participou de diversas coletivas no Paço das Artes, na Bienal do Mercosul, no Memorial da América Latina e no Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo (Masp). É diretor de arte da revista seLecT de arte e cultura contemporâneas. Links para trabalhos: issuu.com/ricardovansteen

Inicio 4 encontros (4/4, 11/4, 18/4 e 25/4)
Horários quarta-feira, das 17h às 19h30
Carga horária Cada módulo tem 10 horas
Investimento 2 x R$ 200,00

Posted by Patricia Canetti at 11:04 AM

março 1, 2018

ANPAP lança Memórias e Inventações - Anais do 26º Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas

Caros pesquisadores autores Associados e autores não Associados, é com prazer que publicamos Memórias e Inventações, Anais do 26º Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas - Anais 2017, realizado na Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC-Campinas, em Campinas, SP, no período de 25 a 29 de setembro de 2017.

Convidamos a todos para visitar o link http://anpap.org.br/anais/2017/ e usufruir do seu conteúdo.

Atenciosamente

Diretoria da ANPAP 2017/2018

Posted by Patricia Canetti at 11:01 AM