Página inicial

Cursos e Seminários

 


março 2014
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31          
Pesquise em
Cursos e Seminários:
Arquivos:
As últimas:
 

fevereiro 25, 2014

Oficina de Live Cinema com Marcus Bastos na Intermeios, São Paulo

Live Cinema — Introdução: linguagem e técnicas

A oficina apresenta a história e principais tendências das performances audiovisuais, assim como os equipamentos e programas que permitem criar imagens e sons em tempo real. Em aulas teórico-práticas, serão apresentados exemplos históricos e contemporâneos. O objetivo é discutir as possibilidades de linguagem e criar um repertório crítico. Também serão discutidas as diferenças e características básicas dos softwares mais usados na área. Ao final da oficina, o aluno vai apresentar um remix de um filme a sua escolha, como trabalho de conclusão. Neste dia, representantes do Intermeios e convidados estarão presentes, com objetivo de verificar a possibilidade de que os melhores trabalhos gerem uma noite de apresentações de Live Cinema no espaço cultural.

Professor: Marcus Bastos

17 de março e 12 de maio de 2014, segunda-feira, 19h30-23h

Intermeios Cultural
Rua Luis Murat 40, Pinheiros, São Paulo
11-2338-7473 / 8851
www.intermeioscultural.com.br
Segunda a Sexta, 10-18h

PROGRAMA

17 mar
introdução aos softwares, suas características e diferenças

24 mar
experiências históricas com sinestesia e visual music
resolume: criando uma composição com imagem e som

31 mar
experiências históricas com sinestesia e a visual music
resolume: criando uma composição com imagem e som

07 abr
expanded cinemas
resolume: técnicas de projeção no espaço

14 abr
light shows e formas de ocupação do palco
isadora: criando um pequeno mixer

28 abr
experiências contemporâneas com imagem e som
isadora: tornando o mixer mais sofisticado

05 mai
a cultura remix
preparação do projeto final

12 mai
apresentações do projeto final

SOBRE O PROFESSOR

Marcus Bastos é doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, onde também é professor. Editou, com Lucas Bambozzi e Rodrigo Minelli, Mediações, Tecnologia, Espaço Público – Um panorama crítico da arte em mídias móveis (Conrad, 2010). Foi curador de Ruído (Mostra Vídeo Instituto Itaú Cultural, 2005), Geografias Celulares (Instituto Fundación Telefonica, 2010) e VIVO arte.mov – Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis (2007-2012). Entre seus projetos recentes estão Cenas Paulistanas (composição audiovisual criada com Natália Aly e Rodrigo Gontijo, SESC-Ipiranga, 2013) e Canteiro de Operações (videoensaio no DVD homônimo de Nelson Brissac, José Resende e Heloísa Maringoni, 2012). Dirigiu documentários experimentais como Giuseppe, etc (2011), Radicais Livre/os (2006) e Interface Disforme (2006).

Posted by Patricia Canetti at 5:04 PM

fevereiro 17, 2014

Ponto de encontro: atividades na última semana de Le Parc Lumière na Daros, Rio de Janeiro

A Casa Daros apresenta uma série de atividades gratuitas na última semana da exposição “Le ParcLumière – Obras cinéticas de Julio Le Parc”. A programação, batizada de “Meeting . Point” (Ponto de encontro), tem como ideia central criar pontes entre proposições artísticas desenvolvidas durante os anos 1950 e 1960, levadas à potência máxima poética nas obras da exposição “Le ParcLumière”, e as criações contemporâneas nesse campo. As atividades abrangem oficinas, conversas e performances com artistas que vêm desenvolvendo trabalhos dentro das práticas criativas do “faça você mesmo” (“do it yourself”). “Le ParcLumière” também terá entrada gratuita durante esta semana.

Artistas: Arcángel Constantini, Azucena Losana, Deneir de Souza Martins, Jorge Crowe, Julio Lucio

19 a 23 de fevereiro de 2014

Casa Daros
Rua General Severiano 159, Rio de Janeiro

PROGRAMAÇÃO

A Casa Daros convidou artistas com expressiva trajetória internacional na área do “faça você mesmo”, como o mexicano Arcángel Constantini (1970), Azucena Losana (1977), mexicana radicada em Buenos Aires, Julio Lucio (1971), espanhol radicado no Rio, o argentino Jorge Crowe (1976), e ainda o brasileiro Deneir de Souza Martins (1954), reconhecido no país por suas oficinas de brinquedos. As oficinas serão gratuitas mas têm vagas limitadas, com inscrição prévia pelo email inscricao@casadaros.net. As demais atividades, também gratuitas, serão abertas ou com retirada de senhas uma hora antes na recepção.

19 de fevereiro de 2014, quarta-feira
• 11h às 13h (sala de cursos e oficinas) – Oficina WireWrap “entronchados”, com ArcangelConstantini
Capacidade: 12 vagas.Classificação: acima de 16 anos
Inscrições pelo email: inscricao@casadaros.net
• 14h às 17h (ateliê de criação) – Oficina de Projetores precários (TAPP, Taller de Proyectores Precários), com AzucenaLosana
Capacidade: 15 vagas.Classificação: acima de 16 anos
Inscrições pelo email: inscricao@casadaros.net
• 16h às 19h (sala de cursos e oficinas) – Oficina Arduino – com Julio Lucio
Capacidade:10 vagas.Classificação: acima de 16 anos
Inscrições pelo email: inscricao@casadaros.net

20 de fevereiro de 2014, quinta-feira
• 11h às 13h (sala de cursos e oficinas) – Continuação da Oficina WireWrap “entronchados”, com ArcangelConstantini
• 14h às 17h (ateliê de criação) – Continuação da Oficina de Projetores precários (TAPP, Taller de Proyectores Precários), com AzucenaLosana
• 16h às 19h (sala de cursos e oficinas) – Continuação da Oficina Arduino, com Julio Lucio

21 de fevereiro de 2014, sexta-feira
• 11h às 13h (sala de cursos e oficinas) – Continuação da Oficina WireWrap “entronchados”, com ArcangelConstantini
• 14h às 17h (ateliê de criação) – Continuação da Oficina de Projetores precários (TAPP, Taller de Proyectores Precários), com AzucenaLosana
• 16h às 18h (sala de cursos e oficinas) – Continuação da Oficina Arduino – com Julio Lucio
• 19h às 19h30 (pátio) – Performance "O que importa éo que as pessoas vêem e não o que alguém diz sobre isso", com os artistas Jorge Crowe e AzucenaLosana
Aberto ao público, mas se devido ao clima for transferido para lugar fechado, haverá limitação do número de pessoas.
• 19h45 às 20h05 (pátio) – Performance “Phonotube”, de ArcangelConstantini
Aberto ao público, mas se devido ao clima for transferido para lugar fechado, haverá limitação do número de pessoas.

22 de fevereiro de 2014, sábado
• 11h às 13h (sala de cursos e oficinas) – Continuação da Oficina WireWrap “entronchados”, com ArcangelConstantini
• 13h30 às 18h (sala de cursos e oficinas) – Oficina Objetos que vibram, com Deneir de Souza Martins
Capacidade: 15 vagas, para jovens acima de 12 anos (menores de idade devem estar acompanhados dos responsáveis).As senhas serão distribuídas uma hora antes na recepção.
• 15h às 17h (ateliê de criação) – Oficina Máquinas de Desenho, com Jorge Crowe
Capacidade: 30 vagas, para adultos e crianças a partir de 7 anos (menores de idade devem estar acompanhados pelos responsáveis). As senhas serão distribuídas uma hora antes na recepção.
• 18h30 (pátio) – Performance "O que importa éo que as pessoas vêem e não o que alguém diz sobre isso", com AzucenaLosana e Jorge Crowe – Apresentação do resultado da Oficina de Projetores Precários)
Duração: aproximadamente 30 minutos.Aberto ao público, com limitação do número de pessoas.

23 de fevereiro de 2014, domingo
• 13h30 às 18h (sala de cursos e workshops) – Oficina Drawdio, com Julio Lucio
Capacidade: 15 vagas. Classificação: acima de 12 anos (menores de idade, acompanhados pelos responsáveis). As senhas serão distribuídas uma hora antes na recepção.
• 15h às 17h (ateliê de criação) – Oficina Máquinas de desenho, com Jorge Crowe
Capacidade: 30 vagas. Classificação: para adultos e crianças a partir de 7 anos (menores de idade, acompanhados pelos responsáveis). As senhas serão distribuídas uma hora antes na recepção.

ARTISTAS

O artista multimídia Arcángel Constantini desenvolve um trabalho de caráter lúdico experimental, vinculado à tecnologia. Desde 1997 mantém projetos de arte em rede digital. Na Casa Daros, fará a oficina “WireWrap – entronchados”, em que usa a técnica obsoleta, usada nos anos 1960 na construção de computadores e circuitos eletrônicos. Ele fará ainda a performance “Phonotube”, instrumentos experimentais para áudio usados ao vivo, inspirados no trabalho do canadense Norman McLaren (1914-1987), e que usa o mesmo princípio tecnológico do “photophone”, patenteado por Graham Bell (1847-1922).

Azucena Losana trabalha com cinema expandido, fotografia, improvisação audiovisual e vídeo, e fará a “Oficina de projetores precários”. Tem trabalhos em dupla com diversos artistas, como Carolina Andreetti e Leonello Zambon, entre outros.

Artista com pós-graduação em eletrônica, Jorge Crowe fará as oficinas “Máquinas de Desenho”, com a fabricação de máquinas de desenho, a motor, usando tecnologia obsoleta como principal ferramenta. Ele fará ainda duas performances junto com Azucena Losana, "O que importa é o que as pessoas vêem e não o que alguém diz sobre isso", em que cuidará da música enquanto a artista se encarregará da imagem. A performance é inspirada na “simplicidade dos dispositivos criados por Le Parc e pela complexidade das atmosferas criadas por seu trabalho, libertando os espectadores de um ponto de vista único, limitado”, dizem os dois artistas. A apresentação será construída em torno de projetores analógicos cuja luz será modulada e refratada através de objetos translúcidos, em um diálogo com a peça sonora que se desenvolve ao longo do tempo. Os aparelhos foram operados ou feitos especialmente para promover esse diálogo.

Mestre em física e eletrônica, e engenheiro de software em Londres, o espanhol de Segóvia Julio Lucio largou a confortável vida que levava quando o Reino Unido aderiu à invasão do Afeganistão. Ele então buscou “um país sem guerra”, e veio “parar no Rio”, onde desenvolveu sua prática artística no Parque Lage, em 2002. Na Casa Daros, fará a “Oficina Arduino”, um aparelho simples para se aprender a usar um microcontrolador, peça encontrada em máquinas de uso cotidiano, tornando-se uma ferramenta acessível para que artistas, designers e pessoas em geral possam criar suas próprias máquinas interativas. A oficina introduzirá conhecimentos em eletrônica e será introduzido à programação básica para Arduino.Ele ministrará também a “Oficina Drawdio”, um projeto de música “faça você mesmo” criado pelo designer Jay Silver, que permite aos usuários desenharem um instrumento de sua escolha em um pedaço de papel para depois tocá-lo com os seus dedos.

OBJETOS QUE VIBRAM

Fluminense de Campos, Deneir trabalha com a reciclagem como linguagem artística. Com obras em coleções públicas e privadas, ele ficou também conhecido pela criação de brinquedos e engenhocas para diversos programas de televisão. Na Casa Daros, fará a “Oficina Objetos que vibram”, os “Vibrabots”, com a utilização de materiais descartados, tecnologia simples e obsoleta. Os objetos são simples e fáceis de confeccionar, e os resultados remetem a desenhos aleatórios e à pintura abstrata.

Posted by Patricia Canetti at 4:27 PM

Cursos do primeiro semestre de 2014 no MAM, São Paulo

O Museu de Arte Moderna de São Paulo anuncia nova grade de cursos para o primeiro semestre de 2014. Os cursos abrangem uma gama diversificada de temas nas áreas de história e crítica da arte, fotografia, direção de cinema e artes plásticas, ministrados por profissionais renomados. Os cursos atendem tanto ao público iniciante quanto especialistas.

Professores: Daniel Salum, Dudi Maia Rosa, Gal Oppido, Julia Buenaventura, Karina Bacci, Magnólia Costa, Marcelo Greco, Marcello Vitorino, Mario Saladini, Pedro França, Verônica Stigger

Inscrições abertas

Museu de Arte Moderna de São Paulo / MAM-SP
Av. Pedro Álvares Cabral s/nº, Portão 3, Parque do Ibirapuera, São Paulo
Mais informações: 5085-1312 ou por email

PROGRAMAÇÃO

Direção de arte para cinema - Mario Saladini
O curso pretende instrumentalizar o aluno para a direção de arte a fim de elaborar critérios necessários ao visual de um filme. Através de aulas teóricas, o curso interseccionará análises de filmes, roteiros, decupagem, funções e responsabilidades de um diretor de arte, bem como montagem de equipes e criação de projetos de direção de arte para cinema.
Quartas-feiras, das 20h às 22h
Público: adultos
Início: 19 de fevereiro
Duração: 16 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

Fotografia autoral 1 - A fotografia como forma de expressão - Marcelo Greco
O objetivo é contribuir para reflexão sobre o processo criativo, questionando temas a partir da discussão sobre condições culturais que influenciam e orientam para o desenvolvimento da percepção do próprio olhar. São apresentados trabalhos de diversos fotógrafos consagrados, situando a produção historicamente.
Quintas-feiras, das 17h30 às 19h30
Público: adultos com iniciação em fotografia ou linguagem visual
Início: 20 de fevereiro
Duração: 15 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

Fotografia autoral 2 - A fotografia como forma de expressão - Marcelo Greco
O aluno aprofunda a reflexão sobre o processo criativo criando imagens, editando e formatando para a produção de um material que pode ser exposto ou publicado em livro. Em cada aula, discutem-se erros e acertos na edição e finalização no trabalho de outros fotógrafos.
Quintas-feiras, das 20h às 22h
Público: alunos que já participaram do curso de Fotografia Autoral 1, ou com experiência prévia mediante entrevista agendada
Início: 20 de fevereiro
Duração: 15 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

Fotografia: curso básico - Marcello Vitorino
Uma introdução ao universo da fotografia, um estímulo para pensá-las e produzi-las. Estão previstas saídas fotográficas, portanto é necessário que os interessados possuam equipamento com possibilidade de ajustes manuais.
Sextas-feiras, das 19h30 às 21h30
Público: adulto
Início: 21 de fevereiro
Duração: 16 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

A emergência das vanguardas - Magnólia Costa
As vanguardas artísticas do século XX são apresentadas à luz de conceitos da filosofia e da sociologia. Além do campo das artes plásticas, são explorados os campos do design, da arquitetura e do cinema.
Quintas-feiras, das 15h às 17h
Público: adultos
Início: 6 de março
Duração: 9 aulas
Investimento: 3 parcelas de R$ 295,00

Fotografia e cidades: curso básico - Marcello Vitorino
Coloca o participante em contato com a cidade, utilizando a fotografia como ferramenta de visualidade e reflexão. Serão apresentados trabalhos de fotógrafos que transformaram a cidade, além de referências da literatura e poesia urbanas, estimulando os participantes a iniciarem os próprios ensaios. A proposta contempla iniciantes e iniciados em fotografia, com equipamentos básicos ou profissionais.
Sábados, das 10h às 12h
Público: adulto
Início: 8 de março
Duração: 14 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

Arte Contemporânea - Pedro França
Oferece um panorama dos debates da produção artística atual. O objetivo é entender como os artistas podem nos ajudar a pensar o mundo contemporâneo, a partir de operações plásticas, conceituais e políticas. Enfatiza-se a análise de textos, imagens e vídeos referentes às obras. A lista de artistas a serem estudados será apresentada na primeira aula.
Sábados, das 10h30 às 12h30
Público: adulto
Início: 8 de março
Duração: 16 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

Fotografia: luz marginal procura corpo vago - Gal Oppido
Critérios de reflexão sobre a imagem estática pautam exercícios de percepção da luz, desde a solar até as discretas luzes domésticas. A luz é entendida como formadora de conteúdos plásticos, a partir da incidência em corpos nus, objetos e paisagens cotidianas. Além das aulas no ateliê, há sessões em estúdio. É necessário possuir equipamento fotográfico com possibilidade de operação manual e tripé.
Segundas-feiras, das 20h30 às 23h
Público: adultos com iniciação em fotografia ou linguagem visual
Início: 10 de março
Duração: 14 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 315,00

Desenho - Dudi Maia Rosa
O desenho de observação é usado como instrumento para o desenvolvimento da percepção visual e como ponto de partida para a discussão de questões ligadas à arte contemporânea. Aulas com modelo vivo alimentam o debate sobre a produção dos participantes.
Terças-feiras, das 17h às 19h30
Público: adultos
Início: 11 de março
Duração: 14 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 315,00

Palavra e imagem - Verônica Stigger
Por meio do exame da obra de quatro artistas – Nuno Ramos, Sophie Calle, Elida Tessler e Pedro Moraleida –, o curso busca estabelecer uma compreensão do porquê a palavra, na contemporaneidade, apresenta-se tão fortemente como a imagem.
Terças-feiras, das 20h30 às 22h30
Público: adultos
Início: 11 de março
Duração: 6 aulas
Investimento: 2 parcelas de R$ 220,00

Fotografia: curso básico - Karina Bacci
Com aulas teóricas e práticas, o curso parte de referências à produção de diversos fotógrafos e relaciona conceitos da linguagem fotográfica a aspectos técnicos como enquadramento, luz, velocidade, abertura e profundidade de campo. É necessário possuir equipamento fotográfico com possibilidade de operação manual.
Quartas-feiras, das 18h às 20h
Público: adultos
Início: 12 de março
Duração: 16 aulas
Investimento: 04 parcelas de R$ 295,00

Fotografia: curso intermediário - Daniel Salum
Neste curso, o aluno aprofunda conceitos de iluminação por meio de aulas práticas e teóricas. Utilizando equipamentos de estúdio e flashes de câmera, o aluno aprimora a percepção e construção sobre as possibilidades da luz. Temas como retrato e still são utilizados para enfatizar o desenvolvimento técnico e a linguagem fotográfica pessoal. É necessário possuir equipamento fotográfico com possibilidade de operação manual.
Quartas-feiras, das 20h às 23h
Público: quem já fez o curso básico de fotografia ou tenha conhecimento prévio das operações manuais com a câmera
Início: 12 de março
Duração: 16 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 325,00

Circuito expográfico
Dividido em quatro módulos - expografia, montagem, iluminação e comunicação visual -, este curso reunirá distintos profissionais a cada tema, com abordagens que contemplam o passo a passo da produção de uma exposição de artes visuais. Os módulos são sequenciais e têm duração de três aulas cada.
Módulo I - Expografia e arquitetura, com Fernanda Barbara - dias 13, 20 e 27 de março
Módulo II- Comunicação visual, com Daniel Trench e Celso Longo - dias 3, 10 e 17 de abril
Módulo III - Montagem, com Mario Bibiano - dias 24 de abril e 08 e 15 de maio
Módulo IV - Luz, com Fernanda Carvalho - dias 22 e 29 de maio e 6 de junho
Quintas-feiras, 20h30 às 22h30
Público: adultos
Início: 13 de março
Duração: 12 aulas
Investimento: 4 parcelas de R$ 295,00

Arte na América Latina: Século XX - Julia Buenaventura
Visa a introduzir um panorama da arte latino-americana durante o século XX, tomando como referência quatro momentos específicos: desde o Muralismo Mexicano e a pergunta pela identidade até a internacionalização da arte própria da década de 90. Escapando de cair numa enumeração de datas e nomes, o curso se propõe a estabelecer cruzamentos e convergências entre as diversas produções dos países latino-americanos, elaborando uma história compartilhada.
Terças-feiras, das 20h30 às 22h30
Público: adultos
Início: 6 de maio
Duração: 4 aulas
Investimento: 1 parcela de R$ 295,00

Posted by Patricia Canetti at 2:54 PM

Debate Decreto-Confusão: O impacto do Estatuto dos Museus no colecionismo privado

Revista seLecT debate o Estatuto dos Museus no colecionismo privado

Debate Decreto-Confusão / MAM / 17/02/2014 (Parte 1) from Revista Select on Vimeo.



Evento gratuito com importantes nomes do setor acontece na segunda-feira (17), às 19h (coquetel) e 21h (debate), no MAM-SP.

Participantes: Angelo Oswaldo de Araújo Santos, Eliana Finkelstein, João Carlos de Figueiredo Ferraz, Roberto Dias da Silva; com mediação de Márion Strecker

A revista seLecT, publicação da Editora Três, promove na segunda-feira (17), em São Paulo (SP), mesa-redonda para discutir “O impacto do Estatuto dos Museus no colecionismo privado”. O decreto tem sido alvo de muitas críticas e será discutido por importantes nomes do setor como Angelo Oswaldo de Araújo Santos, presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram); João Carlos de Figueiredo Ferraz, colecionador e presidente do Instituto Figueiredo Ferraz; Eliana Finkelstein, galerista e presidente da Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT), e Roberto Dias da Silva, professor e membro da Comissão de Direito Constitucional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O Estatuto dos Museus regulamentado no final de 2013 se tornou polêmico ao estabelecer que qualquer obra de arte, privada ou pública, pode ser declarada de interesse público pelo Estado. A partir daí, passa a ser monitorada e não pode mais ser vendida, leiloada, emprestada ou sair do País sem prévia autorização do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Como funcionará a declaração de interesse público de obras de arte de propriedade privada, a atuação do Estado, parcerias público-privadas, incentivos fiscais, a violação da propriedade privada e da privacidade são alguns dos temas a serem debatidos durante o encontro. Também estarão no centro das atenções as dúvidas que a nova legislação suscitou entre compradores e vendedores.

O debate será mediado pela jornalista Márion Strecker, editora-convidada da revista seLecT. A mesa-redonda é gratuita e acontece a partir das 19h, no Auditório do Museu de Arte Moderna (MAM-SP).

Posted by Patricia Canetti at 10:49 AM

fevereiro 8, 2014

Vídeoresidência Território Expandido no Mamute, Porto Alegre

Vídeoresidência Território Expandido contempla diferentes ações num período de seis meses

Vídeoresidência Território Expandido propõe um espaço de inter-relações entre artistas e regiões do Brasil, no intuito de estimular a troca de conhecimento entre as diferentes produções. Além das residências, a iniciativa, que integra o Edital Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10ª Edição, propõe exposições, palestras e produção de DVD e catálogo.

Lançamento em 13 de fevereiro, quinta-feira, 19h

Estúdio Galeria Mamute
Rua Caldas Júnior 375, Centro Histórico, Porto Alegre

AS RESIDÊNCIAS

Durante 15 dias, em diferentes períodos, cada grupo de artistas–residentes dos estados de Alagoas, Minas Gerais e Rio de Janeiro convivem para compartilhar experiências e criar obras em vídeo com artistas gaúchos membros do Núcleo de Vídeo RS. Os grupos são: Walter Karwatzki (RS) e Alice Jardim (AL); Andreia Vigo (RS), Adriana Tabalipa (RJ) e Roderick Steel (RS | artista convidado); Nelton Pellenz (RS) e Joacélio Batista (MG).

Calendário dos artistas-residentes
1ª dupla: Walter Karwatzki (RS) e Alice Jardim (AL) - 1 a 15 de fevereiro
2ª dupla: Andreia Vigo (RS), Adriana Tabalipa (RJ) e Roderick Steel (RS | artista convidado) - 15 a 29 de março
3ª dupla: Nelton Pellenz (RS) e Joacélio Batista (MG) - 5 a 19 de abril

Sobre os residentes

AS PALESTRAS

Local: Santander Cultural

29 de março, sábado
Posição do artista diante da produção em Videoarte
Com Lucas Bambozzi
www.lucasbambozzi.net; www.artemov.net; www.labmovel.net

26 de abril, sábado
A produção em Videoarte
Com Orlando Maneschy
Artista, curador independente e crítico. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo e mestre com habilitação em Artes pelo mesmo programa. É professor da FAV/UFPA na graduação e pós-graduação. Em 2007 lançou o livro Seqüestros: imagem na arte contemporânea paraense. Dentro de suas ações há a criação e articulação do Mirante – Território Móvel, que é uma plataforma de ação ativa que viabiliza proposições de arte na cidade de Belém. EM 2008 recebeu Bolsa Funarte de Estímulo à Produção Crítica em Artes (Programa de Bolsas 2008). Foi consultor na região norte no projeto Arte no Brasil: textos críticos do século XX / Documents of 20th century Latin American and Latino Art: A Digital Archive and Publications Project, 2008. No final de 2009 lançou o livro JÁ! Emergências Contemporâneas, livro organizado em parceria com Ana Paula Lima com críticos e artistas brasileiros. Realizou, dentre outras, as seguintes curadorias: Perspectivas – Cinco Olhares Sobre a Amazônia, no Mês Internacional da Fotografia de São Paulo, realizado pelo NAFOTO, 1999, SP; O Corpo Sutil das Imagens – Fotografias de Gratuliano Bibas, Museu do Estado do Pará, 2002; Projeto Correspondência, Galeria ArtSpot, 2003, EUA e seu desdobramento na Galeria Gratulino Bibas, 2008, Belém, PA; Entorno de Operações Mentais, Galeria Fidanza, 2006, PA; Quase Pintura, MABE, 2006, PA; Circuito Distinto, MABE, 2006, PA; Seqüestros, Laboratório das Artes – Casa das 11 Janelas, 2007, PA; Contigüidades – dos anos 1970 aos anos 2000 (40 anos de história da arte em Belém), Museu Histórico do Estado do Pará, 2008; Projeto Arte Pará 2008, 2009 e 2010; Amazônia, a arte e Contra-Pensamento Selvagem, (esta última com Paulo Herkenhoff, Clarissa Diniz e Cayo Honorato), dentre outras.

24 de maio, sábado
Guarda e circulação de conteúdos
Com Solange Farkas
Curadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil. Criou o Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, que completou trinta anos em 2013, evento que tem sua curadoria-geral e que se tornou referência para a produção artística do Sul geopolítico do mundo (África, América Latina, Leste Europeu, Oriente Médio, parte da Ásia e Oceania), além de ter trazido nomes de peso da arte internacional, como Akram Zaatari, Bill Biola, Gary Hill, Peter Greenaway, Marina Abramovic, Olafur Eliasson e Walid Raad.

AS EXPOSIÇÕES

Local: Galeria Mamute

Abertura: 9 de abril, quarta-feira
Giro
Curadoria de André Parente
O “Giro” é o tema desta proposta de exposição por acumular alguns “significados” que são expressos pelas obras apresentadas. O giro tem haver aqui com uma suspensão da ação, algo que nos faz refletir sobre o que se repete sem cessar e que, ao se repetir, se diferencia: um ritornelo, um pensamento, uma meditação, uma sensação, uma imagem em “loop”. A exposição propõe um percurso aos visitantes por espaços gerados por imagens que não são apresentadas como meras projeções, mas como situações, ou seja, como uma atmosfera em que nossa presença parece o centro do que vemos.

Os artistas que compõem a mostra já expuseram seus trabalhos em grandes instituições e eventos, no Brasil e no exterior. Eles costumam utilizar suportes e técnicas diversas como vídeo, vídeo-instalações, fotografia, dispositivos tecnológicos “high” e “low tech”, performance, objetos, etc. Entretanto, nesta exposição, a maior parte dos trabalhos são híbridos, isto é: estão entre a fotografia e o cinema, o cinema e o vídeo, o vídeo e a instalação, o vídeo e a performance. Ou seja, entre a imagem fixa e a imagem e movimento, a imagem “single channel” e a imagem espacializada, a imagem e o objeto. O que os une é a temática e um certo pensamento do giro como de algo que nos leva ao movimento interior mais do que apenas ao movimento exterior.

Sobre o curador: André Parente é artista e teórico do cinema e das novas mídias. Em 1987 obtém o doutorado na Universidade de Paris 8 sob a orientação de Gilles Deleuze. Em 1991 funda, juntamente com Rogério Luz, o Núcleo de Tecnologia da Imagem (N-Imagem) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Entre 1977 e 2007, realiza inúmeros vídeos, filmes e instalações nos quais predominam a dimensão experimental e conceitual. Seus trabalhos foram apresentados no Brasil e no exterior (Alemanha, França, Espanha, Suécia, México, Canadá, Argentina, Colômbia, entre muitos outros). É autor de vários livros: Imagem-máquina. A era das tecnologias do virtual (1993), Sobre o cinema do simulacro (1998), O virtual e o hipertextual (1999), Narrativa e modernidade (2000), Tramas da rede (2004), Cinema et narrativité (L’Harmattan, 2005), Preparações e tarefas (2007), Cinema em trânsito (2012), Cinema/Deleuze (2013), Cinemáticos (2013), entre outros. Nos últimos anos obteve vários prêmios: Prêmio Transmídia do Itaú Cultural, Prêmio Petrobrás de Novas Mídias, Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, Prêmio Petrobrás de Memória das artes, Prêmio Oi Cultural, Prêmio da Caixa Cultural Brasília.

Abertura: 14 de maio, quarta-feira
Mostra com obras do Acervo de Videoarte no Brasil
Curadoria de Solange Farkas
Sobre a curadora: Solange Farkas é curadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil. Criou o Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, que completou trinta anos em 2013, evento que tem sua curadoria-geral e que se tornou referência para a produção artística do Sul geopolítico do mundo (África, América Latina, Leste Europeu, Oriente Médio, parte da Ásia e Oceania), além de ter trazido nomes de peso da arte internacional, como Akram Zaatari, Bill Biola, Gary Hill, Peter Greenaway, Marina Abramovic, Olafur Eliasson e Walid Raad.

Abertura: 14 de maio, quarta-feira
Videoresidência Território Expandido
Curadoria de Niura Borges
Lançamento do Catálogo/DVD
A Mostra contemplará a produção dos Vídeoresidentes que participarão do projeto nos meses de fevereiro, março e abril, resultando em três produções inéditas e coletivas.

Sobre a curadora: Niura Borges é Mestre em Artes Visuais – PPGAVI/UFRGS; Especialista em Poéticas Visuais: Gravura, Fotografia e Imagem Digital - Feevale, Novo Hamburgo, RS; Especialista em Psicopedagogia – CEP/UFRJ. É pesquisadora CNPq Processos híbridos na arte contemporânea - IA/UFRGS; Pesquisadora CNPq Pesquisas em Artes Visuais. FURG/RS. Em 2008, recebeu o Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, na categoria Mídias Tecnológicas. Atua nas áreas da Produção Cultural, Arte e tecnologia, videoarte, audiovisual documental, experimental e performance. Há 12 anos vem realizando produções no segmento audiovisual, pesquisando processos de criação e produção no campo artístico. Entre suas produções estão: direção e roteiro do documentário audiovisual A Obra Gravada de Pedro Weingartner; produção executiva, direção e roteiro dos documentários audiovisuais Código Pessoal da artista plástica Eliane Santos Rocha; Meus Mortos, Meus Vivos: diálogos com a Gravura e a Memória, da artista plástica Miriam Tolpolar; Entre-Águas: música silenciosa, da artista visual Márcia Rosa; direção e roteiro do documentário audiovisual Núcleo XX Anos, do Núcleo de Gravura do Rio Grande do Sul; direção coletiva, captação de imagens e edição para o documentário audiovisual IAIOO evento comemorativo dos 100 Anos do Instituto de Artes da UFRGS. Produção executiva e direção do documentário Coletânea Processos de Criação- Teresa Poester, que apresenta o processo e a obra, desta artista plástica gaúcha.(em execução). É proprietária do Estúdio Galeria Manute - espaço de criação, produção e circulação das artes, com foco na videoarte localizado na Caldas Junior, 375. Centro Histórico. Porto Alegre, RS. Diretora do Núcleo de Vídeo RS, centro de formação e difusão das artes do vídeo no Rio Grande do Sul.

SOBRE OS RESIDENTES

Adriana Tabalipa (vem do RJ) - Nasceu em Curitiba, em 1972. Adriana realiza exposições individuais desde 1994, em cidades como Buenos Aires, Rio de Janeiro, Distrito Federal, entre outros. Além disso, a artista já recebeu diversos prêmio por sua produção, como o 1º Prêmio no 25º Salão de Arte de Ribeirão Preto, em São Paulo, Menção Honrosa, na Universidarte IX, Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, e o Prêmio Rio de Artes Visuais, pela British Council Cultura Inglesa EAV Parque Lage, em Londres, Grã Bretanha.

Alice Jardim (vem de Alagoas) - Realizadora audiovisual, fotógrafa, designer, cineclubista e arquiteta urbanista graduada pela Universidade Federal de Alagoas (2007). Integra o cineclube e coletivo de experimentação audiovisual Tela Tudo, bem como o Grupo de Pesquisa Estudos da Paisagem (UFAL), onde coordena o núcleo audiovisual do Laboratório de Criação Taba-êtê, responsável pela realização de documentários e outros produtos audiovisuais acerca de patrimônio imaterial e paisagens urbanas. www.alicejardim.art.br

Andreia Vigo (Porto Alegre) - Nasceu em 1975 e vive em Porto Alegre. É curadora, artista visual, diretora de arte, produtora e diretora de cinema. Formada em Comunicação Social (Rádio e Televisão), pela Universidade Federal do Mato Grosso, tem mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de filmes e documentários, festivais e mostras de cinema, exposições de arte e eventos multimídia. Integrante do Núcleo de Vídeo RS.

Joacélio Batista (vem de Minas Gerais) - Nasceu em Ponte Nova, no estado de Minas Gerais. Participou de mostras coletivas como 8th Berlin International Directors Lounge - The festival for contermporary media and film, em Berlim, Alemanha; Oslo Screen Festival 2012, em Oslo, Noruega; Mostra do Filme Livre 2012, no Rio de Janeiro; Métodos Empíricos para a Extração (ou Contrução) de uma forma -Galeria Celma Albuquerque, em Belo Horizonte; R.A.T. Residencias Artísticas Por Intercambio, no México, entre outros.

Nelton Pellenz (Porto Alegre) - Nasceu em São Paulo das Missões, no Rio Grande do Sul. Graduou-se em Administração pela UFSM e pós-graduou-se pela UFRGS e pela ULBRA. Realizou as exposições individuais Conjunto Habitacional, pelo 2º Prêmio IEAVi, na Fotogaleria Virgílio Calegari e Fiat Lux, na Galeria Lunara, ambas em Porto Alegre, em 2013. Entre as principais exposições coletivas, estão: FONLAD # 09, Festival Internacional de Artes Digitais, em Coimbra, Portugal, VI Festival de Vídeo Arte de Barcelona, na Espanha entre outras. Integrante do Núcleo de Vídeo RS.

Roderick Steel (Porto Alegre) – Nasceu em Porto Alegre. Sua formação acadêmica passa pela Universidade de Winchester, Inglaterra. Graduação em Cinema pela Universidade de Boston, E.U.A, 1991 (Distinção 1990-1991) e, atualmente, o Mestrado (Meios e Processos Audiovisuais). Escola de Comunicações e Arte. ECA-USP (previsto para 2015). Seu trabalho não privilegia um suporte ou técnica, e os diálogos com mídia móvel, pintura, instalação, cinema e fotografia estão sempre em processo de per laboração. Abriu o Festival Cultura Inglesa em 2002, e participou de Mostras: no Paço das Artes em 2007 (São Paulo), na Bienal Ventosul em 2009 (Curitiba), foi vencedor do Arte.mov em 2010 (São Paulo), seleção oficial do 17º Videobrasil em 2011, e Kunstfilmtag (Alemanha), SESSIF (Coréia), Madatac (Espanha), e VideoMedeja (Sérbia) em 2012. Participou de festivais etnográficos na Dinamarca e Itália, e de cinema e arte contemporânea.

Walter Karwatzki (Porto Alegre) - Nasceu em Maceió, em 1959. Atualmente, vive e trabalha em Porto Alegre. Fotógrafo Autodidata. Mestre em Geografia pela UFRGS. Membro do Comitê de Curadoria do Museu de Arte Contemporânea do RS e Coordenador de Projetos Culturais do IFRS.Entre as mostras individuais destacam-se: Folia dos Papangus de Bezerros, em Porto Alegre, e Um Olhar Atrás das Cores, em Maceió. Recebeu os prêmios: VI Concurso Internacional de Fotografía de la Red Merco-ciudades, na Argentina, e III Prêmio Artes Visuais João Simões Lopes Neto, em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Integrante do Núcelo de Vídeo RS.

Posted by Patricia Canetti at 11:46 AM

Encontros com Fernanda Chieco e Mario Gioia, São Paulo

Grupo Gioia e Chieco
Encontros com Mario Gioia e Fernanda Chieco

Encontros e debates com artistas que desejam ampliar os desdobramentos da discussão de seus trabalhos, bem como expandir seu repertório. Acontecem debates sobre os trabalhos dos artistas e há uma prática de troca e reflexão sobre as questões de uma pesquisa artística.

Início em 11 de fevereiro de 2014 - terças-feiras, 20-23h

Ateliê da Fernanda Chieco
Rua Pamplona, Jardim Paulista, São Paulo
Inscrições por email, mediante análise de portfolio

Fernanda Chieco é artista, formada pela ECA/USP ((Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo), mestre em Artes Visuais pelo Goldsmiths College, University of London. Tem participado de diversas exposições no Brasil e no exterior e realizado projetos em residências artísticas na Coréia do Sul, Inglaterra, Irlanda e República Checa. Foi selecionada para o programa Artists Links do British Council e Arts Council of England, em 2008/2009 e atualmente é representada pelas galerias Laura Marsiaj, No Rio de Janeiro e Eduardo Fernandes, em São Paulo. Sua prática é principalmente voltada à produção de desenhos e também de objetos e instalações. Ministrou workshops de desenho no SESC Pinheiros e na ECA/USP e atualmente trabalha em seu atelier e acompanha projetos de estudantes e artistas.
Seus trabalhos e cv podem ser vistos no endereço eletrônico: www.fernandachieco.com

Mario Gioia é graduado pela ECA/USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), foi curador, em 2011, de Presenças (Zipper Galeria), inaugurando o projeto Zip Up, destinado a novos artistas (que teve como segunda mostra Já Vou, de Alessandra Duarte, com a mesma curadoria). E, 2010, fez Incompletudes (Galeria Virgílio), Mediações (Galeria Motor) e Espacialidades (Galeira Central), além de ter realizado acompanhamento crítico do Ateliê Fidalga no Paço das Artes. Em 2009, fez as curadorias de bra Menor (Ateliê 397) e Lugar Sim e Não (Galeria Eduardo Fernandes). Foi repórter e redator de artes e arquitetura no caderno Ilustrada, no jornal Folha de S. Paulo, de 2005 a 2009, e atualmente colabora para diversos veículos, como as revistas Bravo! e Trópico e o portal UOL, além da revista espanhola Dardo. É coautor de Roberto Micoli (Bei Editora) e faz parte do grupo de críticos do Paço das Artes.

Posted by Patricia Canetti at 10:35 AM

Seminário de Arte e Oficina de escrita de arte no CCBNB, Fortaleza

Seminário de Abertura do Ano Letivo do Mestrado de Artes da UFC

O Centro Cultural Banco do Nordeste e o Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA|UFC), convidam a todos para participar das atividades de abertura do ano de 2014, com workshops, seminário, residência artística e acompanhamento de artista.

Palestrantes: Antonio Fatorelli, Luiz Fuganti, Pedro Celedón (Chile)

11, 12 e 13 de fevereiro, 18h

Centro Cultural Banco do Nordeste - Auditório
Rua Conde D’Eu 590, Centro, Fortaleza

SEMINÁRIO DE ABERTURA - PROGRAMAÇÃO

Local: auditório CCBNB

11 de fevereiro, terça-feira, 19h
Conferência: Os devires da arte como deslocamento e produção do real
Com Luiz Fuganti

Quem e o quê se cria em nós e através de nós?
As forças da arte e os simulacros como meios de criação do real e de si mesmo, e como colocação em variação do princípio de realidade.
Quem resiste em nós? O conjunto reativo das forças de conservação dos estados de impotência e de poder ou o domínio das potências criativas que faz um uso ativo das forças invasivas do fora? Tratadas como inimigas ou aliadas, pelo fraco ou pelo forte como inimigo querido?
Corpo intensivo dos impulsos x corpo apropriado/organizado como suporte do eu moral.
Consciência e intencionalidade como simulacros de captura do desejo, da mente, do corpo e das zonas intensivas do vivo para torná-lo função de um Outro – de um poder que quer se conservar e crescer as custas do que há de mais autêntico em nós. O enfraquecimento e apoderamento do corpo sem órgãos e do pensamento criador pelos estados de consciência do prazer e da dor, das paixões tristes e da linguagem generalizante. Os orgãos capturados e o domínio do organismo. A cumplicidade nos desperdícios de si por medo das forças estrangeiras sem finalidade, de fora ou de dentro. O Sim da consciência como um Não as intensidades ou paixões invasoras internas. A intencionalidade no desejo, no corpo e no pensamento.
A arte como máquina de guerra: destruição alegre dos modos de captura, dos estados de morbidez, das muletas da mediação e seu mundo de representação. Combate à complacência no prazer e a piedade na dor pelo uso ativo dos estados corporais e incorporais, como meios e fontes de energia para uma produção de si. Crítica aos usos entorpecentes da arte: arte como produção do belo, do sublime e da metáfora, da consciência engajada, de cura/catarse, de instrução, de diversão, de memória dos vencidos etc. Criação e uso dos orgãos como meios vitais e não como suportes da moral e da máquina social de sequestro das vidas.
Arte e memória de futuro.

12 de fevereiro, quarta-feira, 19h
Conferência: Proyecto Convergencia(s)- Arte, espaço público e vida cotidiana
Com Pedro Celedón

Acreditamos que a arte que se inscreve atualmente nas ruas se confronta com uma realidade sistematizada, uma racionalidade mesquinha e um pragmatismo a-estético, no qual a sociedade materialista desenha espaços pseudo-públicos, controlando com facilidade seu uso, restringindo o deslocamento e propondo as relações para um permanente consumo.
Assim, as cidades vem perdendo seus espaços de caráter politico, social, relacional, humanos e adquirindo a pragmática de um grande cenário controlado pelo marketing, que com seu poder narrativo visa desintegrar a trama social com sua arma mais efetiva: o descompromisso.
Sem dúvida e apesar de suas intervenções gigantes, os espaços públicos com suas realidades espaciais, dimensões históricas e culturais, continuam oferecendo um potencial enorme para que os artistas se apropriem, contra as dinâmicas de desintegração dos valores sociais e recriem linguagens, técnicas, materiais e estratégias, gerando uma segunda pele para o espaço público, uma poética para a recomposição da densidade necessária dos nexos sociais.

13 de fevereiro, quinta-feira, 19h
Conferência: Reconfigurações da imagem
Com Antonio Fatorelli

A disseminação de novos formatos das imagens técnicas e as sobreposições entre as formas visuais serão aqui consideradas desde a perspectiva das hibridizações entre as imagens fixas e as imagens em movimento, em especial as novas modalidades de temporalização das imagens surgidas a partir do vídeo e das tecnologias digitais. Nesse território de negociações recíprocas entre as imagens estáticas e as imagens em movimento, emergem modalidades singulares de inscrição temporal, referidas às experiências da duração, da simultaneidade e da ubiquidade, irredutíveis às definições convencionais da fotografia instantânea e do cinema clássico narrativo.
Neste momento de transição, renovam-se os desafios para o criador de imagens e também para o crítico da cultura visual. O objetivo é apreender esses deslocamentos provocados pelas tecnologias digitais no âmbito do pensamento crítico e da prática artística.

OFICINAS - PROGRAMAÇÃO

22 de fevereiro, sábado, 9-22h
Acompanhamento de artista: Desterro – Os campos de concentração no Ceará
Com Ícaro Lira
Inscrições pelo email, até a lotação do ônibus.

Um percurso para o sertão para discutir a realidade da seca e dos Campos de Concentração para “flagelados” no Ceará. Em Quixeramobim, cidade natal de Antonio Conselheiro, visitaremos sua casa e conversaremos sobre Guerra, Memória e a literatura de Euclides da Cunha. Em Senador Pompeu, conheceremos as ruínas do antigo Campo da Barragem do Patu e refletiremos sobre os desdobramentos atuais de uma política de Estado de remoções, exclusão social e apagamento da história.

Mediação: Ícaro Lira, Artista Visual, editor e investigador. Prêmio Honra ao Mérito Arte e Patrimônio do IPHAN–MINC e o Prêmio de Residência Artistica da Fundação Joaquim Nabuco-CCBNB. Desenvolve pesquisa no Porto Iracema das Artes sobre os Campos de Concentração no Ceará. Participará da 3ª Bienal da Bahia com pesquisa Sobre Canudos e Antonio Conselheiro.

8 a 15 de fevereiro, 10-18h
Laboratório de criação – Territórios De[s]marcados

Com Jarbas Jácome, Milena Szafir, Cesar Baio, Walmeri Ribeiro
Inscrições para 10 vagas: Os interessados deverão encaminhar carta de intenção e link para portfólio online. Os documentos devem ser enviados por email, com o nome da atividade no assunto. As inscrições estarão abertas até o dia 4 de fevereiro. O resultado será publicado dia 6 de fevereiro.

Uma cidade é um território complexo demarcado por uma economia que visa organizar a diferença entre fluxos, temporalidades, modos de existência e sensibilidades distintas.
Se suas demarcações produzem abismos, estrangeirismos e exílios, cada atravessamento que ocorre de suas bordas é uma insurgência contra acordos tácitos e explícitos de poder. Mas pode também ser um ponto de contato capaz de instaurar diálogos capazes de trazer à tona sutilezas da vida cotidiana, relações insuspeitas e nuances nas estrias que separam o diferente.
O Laboratório de criação Territórios De[s]Marcados propõe a realização de ações artísticas que coloquem em xeque estas demarcações ao ressaltar as diversas realidades que se sobrepõem, evidenciando suas tensões, ambiguidades e infinitas possibilidades poéticas.

11 a 15 de Fevereiro, 10-13h e 16-18h
Taller de intervenção em espaço público
Com Pedro Celedón
Inscrições para 20 vagas: Os interessados deverão encaminhar uma carta de intenção e um breve currículo. Os documentos devem ser enviados por email, com o nome da atividade no assunto. As inscrições estarão abertas até o dia 1 de fevereiro. O resultado será publicado dia 3 de fevereiro.
** Este workshop iniciará online com leituras e atividades prévias.

A proposta do taller é a de criar uma intervenção artística na cidade de Fortaleza, rompendo com a sua cotidianidade. Instalando as noções de espaço, memória e habitante, propõe-se que as forças latentes desse lugar (a ser escolhido entre os participantes) se desdobrem, permitindo refletir sobre a densidade necessária dos nexos sociais. A ideia é gerar micro intervenções, a serem desenvolvidas em um fragmento da cidade, entendendo-o como um universo poli-sensorial, de texturas, de linhas compositivas, de percursos que realizam seus ocupantes etc, para que a partir destas intervenções possamos dialogar com uma memória viva do espectador.

19 a 21 de fevereiro, 14-18h e 10-19h (21/02)
Workshop – Escritos de arte, como arte, sobre arte, contra arte…
Com Galciani Neves
Inscrição e seleção para 15 vagas: Os candidatos devem enviar projetos cuja natureza poética ocorre em justaposições, diálogos, contaminações e trânsitos entre a palavra e a visualidade. Os projetos devem ser enviados por email, com o nome da atividade no assunto. As inscrições estarão abertas até o dia 8 de fevereiro. O resultado será publicado no dia 12 de fevereiro.

Esta oficina propõe uma reflexão acerca do exercício de escritura nas artes visuais. Em um primeiro momento, serão comentados e lidos textos/obras que borram os limites entre a palavra e o objeto artístico: narrativas e ficções; anotações provenientes de processos de criação; reflexões acerca do sistema da arte, seus personagens e dispositivos; como linguagem e procedimento artístico; como estratégia de interpenetração à história e à teoria da arte; como rejeição à autoridade da crítica de arte; como documentação de obras efêmeras; como instruções e planos para realização de trabalhos. Em um segundo momento, os participantes apresentarão seus projetos que serão discutidos com o intuito de apontar sentidos de experimentação da prática textual como prática artística.

PALESTRANTES

Antônio Fatorelli é doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-doutor pela Princeton University. É professor da ECO/UFRJ e pesquisador do Núcleo N-Imagem e do Laboratório de Fotografia, Imagem e Pensamento (ECO/UFRJ). Publicou recentemente os livros Fotografia contemporânea: entre o cinema, o vídeo e as novas mídias e O que se vê, o que é visto: uma experiência transcinemas. Coordena o projeto Midiateca da ECO/UFRJ, financiado pela Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro e é pós-doutorando do Programa de Pós-Graduação em Artes, ICA/UFC.

Luiz Fuganti –filósofo, autor do livro ‘Saúde, Desejo e Pensamento’ e de diversos artigos em livros e revistas. É também fundador da ONG Escola Nômade de Filosofia, instituição contemplada com os prêmios ‘Cultura Viva’ e ‘Cultura e Pensamento’. Idealizador de projetos culturais fomentados pelo Ministério da Cultura e pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, também estabelece parcerias com o Ministério da Saúde.

Pedro Celedón Bañados (Chile) – Doutor em História da Arte Contemporânea. Universidade Complutense de Madrid, Espanha. Tem desenvolvido a sua vida profissional na Espanha, França e Chile. Atualmente é professor na Escola de Artes Visuais da Pontifícia Universidade Católica do Chile, na Escola de Teatro da Universidade Finis Terrae e assessor permanente do grupo Teatrocinema. Possui publicações no Chile, Cuba, Bélgica, Espanha, França e México.

OFICINEIROS

Cesar Baio - mestre (2007) e doutor (2011) em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, com pesquisas na área de cinema, vídeo e arte e tecnologia. Nesse período foi bolsista Capes e CNPq. Entre 2009 e 2010, realizou estágio de pesquisa no Vilém Flusser Archive at the Berlin University of the Arts (UDK). Possui formação nas áreas de Eletrônica e Comunicação Social. Seu interesse está voltado para a imagem e os aparatos tecnológicos de mediação. Seu trabalho têm sido elaborado crítica e poeticamente por meio de textos publicados em livros, artigos, seminários e também de instalações audiovisuais, obras interativas, intervenções urbanas e vídeos. Entre 2011 e 2012 foi selecionado para o programa de residência do festival Transmediale: In/Compatible, em Berlim. Em 2012 foi um artista orientador para o programa Residência em Sete, do Centro Cultural Dragão do Mar, em Fortaleza. Entre seus projetos artísticos mais recentes estão Dance Everywhere (2012) e Horizontes Invisíveis (2010-2011) e Sophie (2010).

Galciani Neves – é curadora e mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) com uma pesquisa sobre os processos de criação de livros de artista. Foi editora do site da 29ª Bienal de São Paulo, fez relatos críticos da mostra e produziu conteúdo para a Fundação Bienal de São Paulo entre 2010 a 2013. Atualmente, é professora da FAAP e uma das críticas do Paço das Artes e realiza atividades de acompanhamento processual de artistas. Acaba de realizar uma pesquisa de doutorado que envolve crítica de arte e escritos de artista.

Ícaro Lira – Nasceu em Fortaleza, Ceará, Brasil, 1986.Artista Visual, Editor e Investigador, com pesquisa desenvolvidano âmbito do Documentário Experimental.Estudou Cinema e Vídeo e Montagem e Edição de Som, pelo Institutode Cinema Darcy Ribeiro-RJ e na Escola de Artes Visuais do ParqueLage-RJ, participou dos Programas Fundamentação e Aprofundamento.
Recentemente ganhou o Prêmio Honra ao Mérito Arte e Patrimônio do IPHAN–MINC e o Prêmio de Residência Artistica da Fundação Joaquim Nabuco e CCBNB.
Participou de diversas residências de Arte no Brasil e na América Latina como do Capacete Entretenimentos, Terra uma, Nuvem, La Ene(Argentina) e Atelier Subterrânea entre outras.
Atualmente desenvolve pesquisa no Laboratório de Artes Visuais do Porto Iracema das Artes, Centro Cultural Dragão do Mar, Fortaleza, Ceará com Investigação sobre os Campos de Concentração no Ceará. Em 2014 além de uma exposição individual no Paço das Artes-SP e uma Coletiva no Paço Imperial-RJ vai Participar da 3 Bienal daBahia com pesquisa Sobre Canudos e Antonio Conselheiro.
http://cargocollective.com/icarolira

Jarbas Jácome – Músico potiparapernambaiano, mestre em Ciência da Computação pelo Cin-UFPE, pesquisando computação gráfica, computação musical e sistemas interativos de tempo real para processamento audiovisual integrado. Recebeu o Prêmio Sérgio Motta de Arte e Tecnologia 2009 e o Prêmio Rumos Itaú Cultural Arte-Cibernética 2007. Desde 2003 desenvolve o software livre ViMus que utiliza em instalações interativas e apresentações audiovisuais tendo exibido em eventos nacionais e internacionais como FILE, Emoção Art.ficial, Arte.Mov, Festival Contato (São Carlos), Festival Continuum (Recife), FAD (Belo Horizonte), Festival Internacional de La Imagen (Manizales, Colômbia) e Extraordinary Sculptures (Taipei, Taiwan). Desde 2011, é professor assistente do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da UFRB, em Cachoeira, Bahia. Foi guitarrista da banda Negroove e do coletivo re:combo.

Milena Szafir - considerada uma das pioneiras no Brasil em “vj’ing/ live cinema” e realizadora da 1a webTV móvel (live streaming via celulares). Premiada em diversos festivais ao longo destas útimas décadas, coordenou o Prêmio Internacional de Audiovisual Interativo [EuroITV 2010-2013]. Em 2011 expôs seu vídeo-interativo (“YouToRemix”) também junto a Mostra Internacional 3M de Arte Digital e recebeu pelo conjunto de sua obra o Prêmio Sérgio Motta em Arte e Tecnologia. Mais em:http://www.manifesto21.tv

Pedro Celedón Bañados (Chile) – Doutor em História da Arte Contemporânea. Universidade Complutense de Madrid, Espanha. Tem desenvolvido a sua vida profissional na Espanha, França e Chile. Atualmente é professor na Escola de Artes Visuais da Pontifícia Universidade Católica do Chile, na Escola de Teatro da Universidade Finis Terrae e assessor permanente do grupo Teatrocinema. Possui publicações no Chile, Cuba, Bélgica, Espanha, França e México.

Walmeri Ribeiro - Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e mestre em Artes pela UNICAMP, é professora adjunta do curso de cinema e audiovisual da Universidade Federal do Ceará – ICA|UFC e coordenadora do Programa de Pós-graduação em Artes (ICA|UFC). Sua pesquisa atual debruça-se sobre às relações entre corpo, imagem e performance. Escreveu e publicou diversos artigos e capítulos de livros no Brasil e no exterior e está prestes a lançar o livro “Poéticas do ator no cinema brasileiro contemporâneo”(Intermeios, 2014). Entre suas produções artísticas mais recentes estão a performance e videoinstalação “Deserts” apresentada no Month of Performance Art|Berlin (Berlin, 2013). “Desdobramentos” apresentada nas Oficinas culturais do Estado de São Paulo (São Paulo, 2012); a instalação performática “Frágil” apresentada no SESC-SP e no Festival internacional de cultura digital (MAM-RJ); a instalação interativa “Sophie”, criada em parceria com Cesar Baio, exibida no Festival internacional de Campos do Jordão (São Paulo, 2010) e Festival de arte e tecnologia (Curitiba, 2011).

Posted by Patricia Canetti at 9:51 AM