Página inicial

Como atiçar a brasa

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
As últimas:
 

agosto 18, 2013

Hábitos de consumo: compra de obras online por Daniele Dal Col, Coletivo 2e1

Hábitos de consumo: compra de obras online

Artigo de Daniele Dal Col originalmente publicado no Coletivo 2e1 em 5 de julho de 2013.

Uma nova pesquisa divulgada em abril pela Hiscox [UK], em parceria com a ArtTactic, revelou tendência crescente para comprar arte online: 71% dos colecionadores questionados já haviam comprado uma obra sem vê-la, com base apenas em uma imagem.

O Online Art Trade Report examina como os hábitos de compra dos colecionadores de arte estão evoluindo em um mundo cada vez mais digitalizado. Ele explora a confiança dos colecionadores de arte em comprar obras de arte com base em uma imagem apenas, bem como as oportunidades que isso traz para galerias e negociantes, e seus resultados são baseados em entrevistas com centenas de compradores influentes, colecionadores e galerias operando no mercado de arte contemporânea. O relatório também analisa a idade, o sexo e as diferenças geográficas em que as pessoas estão comprando e como eles estão comprando em um mercado online.

Isso mostra que as galerias estão respondendo às oportunidades que as vendas online representam, com 89% dos entrevistados dizendo que vendem regularmente para clientes utilizando apenas uma imagem. O relatório também mostra que pinturas são mais frequentemente comprados desta forma, apesar do equívoco comum que as fotografias e impressões são mais adequadas à negociação de arte online.

Olhando para os resultados, tantos como a metade de colecionadores entrevistados com 65 anos ou mais disseram ter comprado arte diretamente on-line, e 82% disseram que tinham comprado obra a partir de uma imagem, apesar das galerias estimarem que apenas uma pequena proporção de sua base de clientes on-line era composta de pessoas com mais de 60 anos. Ela também revela que os homens ficam mais confortáveis ​​com compras online do que as mulheres, e também são mais propensos a usar leilões on-line.

As principais barreiras para colecionadores ao comprar arte online ainda estão relacionadas à questões de proveniência e autenticidade, bem como a reputação do vendedor. Enquanto a pesquisa indica que mais de três quartos das galerias pesquisadas ​​atualmente não oferecem aos clientes a oportunidade de concluir uma transação totalmente on-line, com pouca ou nenhuma interação com o revendedor, parece que as galerias tradicionais estão acordando para essas oportunidades – com pouco mais de metade das galerias pesquisadas planejando implementar uma estratégia de vendas on-line nos próximos 12 meses. Entre as galerias que já fazem venda através do seu site, 72% disseram que suas vendas foram apenas on-line para novos colecionadores, sinalizando uma oportunidade significativa para galerias “físicas” com uma reputação bem estabelecida de capitalizar sobre isso, fornecendo novas rotas para comprar – especialmente para obras de menor preço.

Esta pesquisa certamente desafia alguns dos mitos associados à vendas online e dá uma indicação clara do apetite que já existe para a compra de arte dessa maneira. O mercado de arte está em um momento e seu potencial para o comércio em novas formas – bem como através de métodos tradicionais – marca um importante passo. O mercado de arte tem o potencial de ser muito diferente ao longo dos próximos anos, e conclui informando que a reputação do vendedor continua a ser tão crítica no mercado on-line como no mercado tradicional “.

Acessar o arquivo e ver a pesquisa.

Posted by Patricia Canetti at 10:52 PM