Página inicial

Como atiçar a brasa

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
As últimas:
 

agosto 14, 2012

Mundos do artista plástico Luiz Hermano são expostos no Recife, globo.com

Mundos do artista plástico Luiz Hermano são expostos no Recife

Matéria originalmente publicada na seção G1 do globo.com em 9 de agosto de 2012.

Instalações poderão ser vistas no Mamam, a partir de 23 de agosto. 'Tramando mundos' traz obras presentes nos 30 anos de carreira do artista.

Difícil ligar o trabalho do artista Luiz Hermano a uma escola ou movimento específico das artes plásticas. Com o olhar sempre atento às coisas do mundo, Hermano molda diversos materiais, de aquarelas ao alumínio, passando pelo plástico, e utilizando objetos que passariam despercebidos aos olhos congestionados pelo volume de informação visual que é transmitido atualmente. São estas obras que o cearense traz para o Recife, na mostra “Tramando mundos”, que está em cartaz na galeria Amparo 60, na Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem, Zona Sul da capital pernambucana. As visitações podem ser feitas às terças e sextas, das 10h às 13h e das 14h às 19h. Aos sábados, a galeria fica aberta das 10h às 14h.

Inicialmente pensada como uma espécie de comemoração dos 30 anos de carreira de Hermano, “Tramando mundos” já passou pela Universidade de Fortaleza (Unifor), e tem curadoria de Paula Braga. No Recife, ela será divida em dois espaços: os trabalhos mais recentes e comerciais se encontram na Amparo 60, enquanto as instalações serão expostas no Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (Mamam), a partir de 21 de agosto. Da mostra inicial, as aquarelas presentes na Unifor não devem vir ao Recife, por serem um trabalho mais antigo.

Sobre o processo de composição das obras selecionadas, que trazem o interesse cosmológico do artista, com reflexões sobre vários universos, Hermano diz que seu raciocínio criativo praticamente não para: “Trabalho direto, artista plástico tem que trabalhar muito, mais do que todo mundo! (risos). Estou sempre de olho nos materiais. Quando vejo algo que acho que pode dar um retorno, já fico interessado. E o conceito da obra nasce junto com a feitura, na hora em que ela está se formando”.

Reunidos os trabalhos, os mundos tramados pelo artista trazem traços de diferentes momentos de sua vida, desde a infância em Preaoca (CE) até as viagens que vem fazendo pelo mundo. Tailândia, India, China e Turquia foram alguns dos locais de passagem de Hermano, e suas culturas e religiosidades ficaram impressas nas esculturas: “Viajo muito, e essas viagens sempre trazem um retorno. Este ano, por exemplo, fui para a Turquia, e duas obras da mostra nasceram dessa viagem”, comenta o artista. Com este caráter universal, as esculturas e instalações de Luiz Hermano são grandiosas e delicadas, acendendo memórias e reflexões em quem as observa.

Luiz Hermano na Amparo 60, Recife

Posted by Marília Sales at 9:24 AM