Página inicial

Como atiçar a brasa

 


novembro 2013
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise em
Como atiçar a brasa:

Arquivos:
As últimas:
 

julho 5, 2011

Cliques modernos por Adriana Martins, Diário do Nordeste

Cliques modernos

Matéria de Adriana Martins originalmente publicada no caderno 3 do jornal Diário do Nordeste em 5 de julho de 2011.

De passagem por Fortaleza, o artista visual Christian Caselli realiza a exposição "Foto-celular", de imagens feitas com câmeras de telefones

Há alguns anos, os telefones celulares deixaram de servir apenas para completar ligações. Hoje, eles só não fazem café - mas permitem navegar na internet, mandar mensagens, e-mails, ouvir música, gravar vídeos e fazer fotos. Essa última função, por exemplo, é a mais importante do aparelho do artista visual carioca Christian Caselli, idealizador do projeto "Foto-celular", cuja exposição abre em Fortaleza no próximo dia 8.

O objetivo da mostra é expor e discutir com o público a existência de uma possível nova linguagem fotográfica, proveniente do uso das telefonias móveis. A exposição contará com mais de 500 projeções de imagens, exibidas a cada 10 segundos. Uma parte delas será fotografada em Fortaleza, poucos dias antes da abertura. Será a primeira vez que Caselli clica cenas da capital cearense. Amanhã, ele ministrará ainda uma oficina gratuita sobre o projeto.

Segundo o artista, o evento mostra todo o ecletismo do formato celular, que pode registrar tanto fatos banais do cotidiano a flagrantes únicos, passando também por paisagens marcantes a experimentos gráficos.

"Tudo começou espontaneamente, foi interessante. Trabalho mais com audiovisual, na parte de cinema e vídeo. Uma vez fiz um vídeo chamado ´O paradoxo da espera do ônibus´. Ele fez um certo sucesso na internet, foi muito visto e comentado. Por isso, resolvi inscrevê-lo no Art.Mov, um festival de cultura que acontece em Belo Horizonte. Fiquei em segundo lugar e ganhei um telefone celular, com o qual faço as fotos até hoje", recorda Caselli.

"Como qualquer criança com seu brinquedo novo, quis testar suas possibilidades. Fui tirando fotos, tirando fotos e quando percebi estava ficando com um material legal. Foi quando me veio a ideia da exposição", explica o artista visual.

Para Caselli, uma das vantagens que a da telefonia móvel trouxe às artes visuais é a possibilidade de construir imagens a qualquer instante. "Tipo quando você se pergunta ´e se eu estivesse com uma câmera agora?´. Estamos sempre com celular, podemos tirar fotos a qualquer momento do dia. Isso rende vários baratos interessantes, desde flagrantes até ideias mais elaboradas. Já fiz a exposição ´Foto-celular´ no Rio, e estou no segundo ano com ela. Acho que aqui em Fortaleza também vai ser bacana", comemora.

Para além da questão da mobilidade e do imediatismo, Caselli ressalta outra contribuição importante das novas tecnologias da imagem. "O celular proporciona o surgimento de uma nova linguagem, e daí emerge uma discussão interessante. Se o aparelho não tem qualidade tão boa para fazer vídeos ou fotos, você tem aquele resultado meio pixelado, tremido. Isso não deixa de ser uma estética própria, e é bacana testar suas possibilidades", esclarece.

Olhar sensível

Vale destacar também a relativa democratização do acesso aos meios de produção promovida por essas novas tecnologias. Se antes a fotografia era um processo complexo, caro e demorado, hoje qualquer pessoa pode se tornar geradora de conteúdo - sem entrar no mérito da qualidade do mesmo.

É cada vez mais comum, por exemplo, o público contribuir para os veículos de comunicação com flagrantes de situações importantes registrados em fotos ou vídeos amadores. Mesmo a foto posada, comum em ambiente familiar ou de amigos, não deixa de ter valor. No futuro, constituirá o registro de uma época, uma moda, uma estética. Sem contar a possibilidade de explorar detalhes do cotidiano, entre cores, texturas, detalhes, paisagens e outros elementos.

"A oficina vai ser bem por aí. Quero passar aos alunos uma sensibilização, que permita observar melhor coisas do aia a dia. A gente presta pouca atenção ao nosso entorno, há muitas coisas maravilhosas e esteticamente interessantes", avisa o artista carioca.

Formando em Jornalismo, Christian Caselli é mais conhecido no audiovisual alternativo carioca por sua produção acelerada (cerca de 40 obras, entre clipes e curtas) de baixo orçamento, sempre fazendo direção, roteiro e edição de todos. Seus filmes podem ser facilmente encontrados no Youtube.com e no site Curta o Curta. É também curador e responsável pela parte videográfica da Mostra do Filme Livre, que teve sua décima edição no Centro Cultural Banco do Brasil (RJ e SP) em 2011, além de professor em oficinas de vídeo e fotografia.

MAIS INFORMAÇÕES

Exposição "Foto-celular". Abertura no dia 8 de julho, às 18 horas, no CCBNB (Rua Floriano Peixoto, 941, Centro). Em cartaz até 30 de julho (horários de visitação: terça-feira a sábado, de 10 horas às 20 horas; e aos domingos, de 12 horas às 18 horas). Oficina sobre o projeto: de amanhã até sexta-feira (8), de 14 horas às 18 horas. Inscrições até hoje na recepção do CCBNB. Gratuito.

Posted by Gilberto Vieira at 1:33 PM