Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


agosto 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
Pesquise no blog:
Arquivos:
agosto 2019
julho 2019
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

agosto 13, 2019

Tiago Carneiro da Cunha na Fortes D'Aloia & Gabriel - Galeria, São Paulo

A Fortes D’Aloia & Gabriel tem o prazer de apresentar Zona Crepúsculo, nova exposição individual de Tiago Carneiro da Cunha na Galeria. O artista exibe um conjunto inédito de pinturas em que explora a repetição de cenas crepusculares a partir da experimentação com uma gama diversa de recursos formais. O título da mostra inspira-se livremente na antológica série de TV norte-americana Twilight Zone, cuja trama de tom distópico tornou-se sucesso cult da década de 1950.

[scroll down for English version]

Nestas novas obras, o artista reitera sua obsessão pelo gesto ao investigar o uso de aparatos variados em seu processo de pintura, dentre eles espátulas, pincéis de diferentes formatos e dimensões, e sua própria mão. São composições que iniciam-se a partir de um ponto focal no centro da tela e a partir dele ganham corpo em um processo que abarca o improviso, o erro e o acaso. Assim, Carneiro da Cunha arquiteta cenários à beira-mar em que indivíduos interagem com o sol e a lua, estes também, como personagens, são dotados de qualidades e emoções humanas.

Se o crepúsculo é o momento em que o céu é tomado por um sem fim de luzes e matizes, o artista busca reproduzir este efeito gradiente manipulando a tinta em movimentos circulares dentro do espaço da tela. Tal manipulação o permite também equalizar diferentes graus de saturação e contraste nestas composições, emprestando nuances apocalípticas às cenas.

Lançando mão de um humor corrosivo – marca frequente de sua produção – o artista cria figuras híbridas que parecem ora padecer, ora sucumbir, diante de uma espécie de julgamento final feito pelos astros, agentes morais desta narrativa. O interesse pela linguagem do cartoon fica evidente em telas como Luar e Zumbi e Destroyer, em que o artista usa a caricatura como um poderoso instrumento de tradução visual de determinada situação fantástica ou absurda – situações estas que, nos dias atuais, já não nos parecem tão inverossímeis assim.

Em junho deste ano, a obra de Tiago Carneiro da Cunha foi a inspiração e o eixo central da elogiada exposição coletiva A Burrice dos Homens, com curadoria de Fernanda Brenner, na galeria Bergamin & Gomide, em São Paulo. No dia 5 de setembro, a Fortes D’Aloia & Gabriel promove uma conversa entre Carneiro da Cunha e a artista e Jac Leirner.

Tiago Carneiro da Cunha nasceu em São Paulo em 1973 e atualmente vive e trabalha no Rio de Janeiro. Artista de formação multidisciplinar, cursou a Pós-Graduação em Arte Contemporânea do Goldsmiths College, em Londres. Radicou-se no Rio de Janeiro em 2001 e desde então expõe regularmente seu trabalho em exposições individuais e coletivas, como Prospect 2013, Museum of Contemporary Art San Diego (San Diego, EUA, 2013); Sobrenatural, Estação Pinacoteca (São Paulo, 2013); A Iminência das Poéticas, 30ª Bienal de São Paulo (2012); Tiago Carneiro da Cunha & Klara Kristalova, SFMOMA (San Francisco, EUA, 2011); Bienal de Liverpool (2002); Bienal de Sydney (2002). Também atua como curador, tendo organizado as mostras: Law of the Jungle, Lehmann Maupin Gallery (Nova York, 2010); Drunkenmasters, Galeria Fortes Vilaça (São Paulo, 2004). Sua obra está presente em diversas coleções importantes ao redor do mundo, como: MAM (Rio de Janeiro), MAR (Rio de Janeiro), Saatchi Collection (Londres), SFMOMA (San Francisco), TBA21 (Áustria), entre outras.


Fortes D’Aloia & Gabriel is pleased to present Twilight Zone, Tiago Carneiro da Cunha’s latest solo exhibition at the Galeria. The artist shows a group of brand new paintings in which he explores the repetition of twilight scenes by experimenting with a wide range of formal means. The title of the exhibition is loosely inspired by the memorable TV series of same name, whose dystopian tinted plot became a cult hit in the 1950s.

In this body of work the artist reaffirms his obsession with the painterly gesture while engaging an assortment of resources, such as palette knives, multiple brushes, and his own hand. These compositions build up from a focal point at the center of the canvas and expand in a process that includes improvisation, confusion and chance. Carneiro da Cunha designs coastal sceneries where people interact with the sun and the moon. Like the characters, these planets are also endowed with human qualities and emotions.

If the twilight occurs when the sky is painted by a host of lights and hues, the artist seeks to replicate this gradient effect by manipulating the paint in round brushstrokes across the canvas. Such manipulation allows him to balance the various levels of saturation and contrast within the compositions, lending apocalyptical nuances to the scenes.

Employing a very dry humor – a trademark of his work – the artist creates hybrid figures that seem to suffer or collapse according to a sort of final judgment carried out by the stars, moral actors in this eloquent narrative. Carneiro da Cunha’s interest in cartoon language becomes evident in pieces such as Luar e Zumbi and Destroyer, in which he uses caricature as a powerful visual translation tool of a particular fantastic or absurd situation – episodes that these days no longer seem so far fetched.

Last June, Tiago Carneiro da Cunha served as the inspiration and pivotal point in the group show A Burrice dos Homens, curated by Fernanda Brenner, at Bergamin & Gomide, São Paulo. On September 5th, Fortes D’Aloia & Gabriel will host a conversation between Carneiro da Cunha and fellow artist Jac Leirner.

Tiago Carneiro da Cunha was born in São Paulo, in 1973, and since 2001 has lived and worked in Rio de Janeiro. He holds a MFA from Goldsmiths College, London. Over the years he has had noteworthy solo and group shows, such as: Prospect 2013, Museum of Contemporary Art San Diego (San Diego, USA, 2013); Sobrenatural, Estação Pinacoteca (São Paulo, 2013); A Iminência das Poéticas, 30th Bienal de São Paulo (2012); Tiago Carneiro da Cunha & Klara Kristalova, SFMOMA (San Francisco, USA, 2011); Liverpool Biennial (2002); Sydney Biennial (2002). He also works as a curator, having organized the exhibitions: Law of the Jungle, Lehmann Maupin Gallery (New York, 2010); Drunkenmasters, Galeria Fortes Vilaça (São Paulo, 2004). His work is included in the following collections: MAM (Rio de Janeiro), MAR (Rio de Janeiro), Saatchi Collection (London), SFMOMA (San Francisco), TBA21 (Austria), among others.

Posted by Patricia Canetti at 3:18 PM