Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            
Pesquise no blog:
Arquivos:
junho 2019
maio 2019
abril 2019
março 2019
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

junho 25, 2019

arte_passagem: Flora Leite na Galeria das Artes, São Paulo

Mortinha é um trabalho elaborado especificamente para o projeto arte_passagem, que consiste na ocupação artística de uma vitrine na Galeria das Artes no centro de São Paulo. Na obra de Flora Leite, a vitrine é coberta quase completamente, restando-lhe apenas uma pequena abertura redonda que possibilita observar seu interior. No escuro, uma sereia é vista nadando em um copo de água.

Ali o objeto eleito nada num loop permanente, na água artificialmente colorida de azul, dentro de um copo de vidro. Não há nada específico em suas ações: com movimentos rápidos ou lentos, embora sempre silenciosos, em mares ou piscinas, a sereia atravessa corais e navios afundados, dos anos 1948 a 2019.

A pesquisa da artista frequentemente se utiliza da cultura de gosto médio, tentando entender a constituição de seus parâmetros. A sereia, um mito convertido ao longo dos milênios de monstro à fantasia - ora infantil, ora sexual - e até em profissão, habita um lugar genérico nas narrativas ficcionais da cultura popular. A operação do trabalho sugere, em tom tanto cômico quanto melancólico, que a sereia possa existir em escala doméstica – dentro de um copo de água.

Mortinha, com franqueza acerca de sua técnica (projeção e filme de montagem), parece provocar uma observação contemplativa, não sem deixar de pleitear algum maravilhamento, semelhante aos aquários, e até – porque não – cortinas d'água e luminosos de vitrines comerciais. O olhar detido é central para o trabalho. Por isso, na vitrine da Galeria das Artes, a artista lança mão de um peephole, colocando o espectador na posição de voyeur nessa passagem comercial. Nada mais adequado para observar uma criatura como a sereia, tão sedutora quanto inexistente, em pleno centro de São Paulo.

Flora Leite (1988) vive e trabalha em São Paulo. E ́ formada em Artes Visuais pela ECA-USP. Sua pesquisa tenta compreender os parâmetros pelos quais nossa relação cotidiana com os objetos foi construída: acatar a sujeira das coisas para testar ate ́ que ponto se pode conviver com elas, dizer alguma coisa delas, apesar delas. A artista já participou de exposições coletivas, individuais e outros projetos especiais em instituições como: Centro Cultural São Paulo, Instituto de Arte Contemporânea, Instituto Tomie Ohtake, Oficina Cultural Oswald de Andrade, Museu de História Natural de Lisboa, e Paço das Artes. Tem trabalhos nas coleções públicas do Centro Cultural São Paulo e do MARP. Já participou de programas de formação como PIESP, e foi residente no Ateliê Fonte, na RedBull Station, na Residência São João, e na Casa Tomada. Atualmente, faz mestrado em Poéticas Visuais (ECA-USP), onde pesquisa a relação entre site-specific, mimese e gosto na sua produção.

arte_passagem é a ocupação artística de uma vitrine na Galeria das Artes do centro de São Paulo, onde, periodicamente, um artista é convidado a intervir através de propostas que dialoguem com o entorno do centro da cidade, suas lojas e seus transeuntes. O projeto que teve inicio em junho de 2018, busca criar uma programação que expanda as maneiras tradicionais de se pensar arte na contemporaneidade, e propõe um desafio específico para os artistas ou grupo de artistas. Portanto, pensar sobre as condições da vitrine enquanto dispositivo de exibição, de qualquer tipo de produto, é uma das reflexões que os artistas inevitavelmente atravessam.

Posted by Patricia Canetti at 7:40 PM