Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


fevereiro 2019
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28    
Pesquise no blog:
Arquivos:
fevereiro 2019
janeiro 2019
dezembro 2018
novembro 2018
outubro 2018
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

janeiro 10, 2019

Celina Portella na Caixa Cultural, São Paulo

A Caixa Cultural São Paulo inaugura na terça-feira, dia 15 de janeiro de 2019, às 19 horas, a mostra individual Reunião – Celina Portella. A mostra com patrocínio integral da Caixa, tem curadoria de Daniela Labra e apresenta uma seleção de vídeos e fotografias dos últimos 10 anos da artista, evidenciando a forma original e inusitada como ela vem operando no ambíguo campo chamado multimídia.

Dentre o conjunto de obras que serão apresentadas, destacamos a videoinstalação “Derrube” (2009), em que Celina interage com seu duplo em escala real e o tríptico de vídeos “Deságua” (2014). A série “Quadros Cortados” (2015), com fotografias do corpo emolduradas em formatos irregulares, por sua vez, adentra o campo da escultura. Já nas fotografias da série “Dobras” (2017), cujo tema, entre outras coisas, aborda as articulações do corpo, a artista estabelece relações formais com o espaço expositivo, tomando partido da arquitetura da sala para sua instalação. Na série “Puxa” (2015–2016), Celina também extrapola o campo visual da moldura ou o limite visual determinado por ela, criando tensão entre as cordas representadas nas fotografias e aquelas que, de fato, ocupam o espaço real e se conectam materialmente ao espaço. Na foto-instalação “Fotonovela da opressão” (2018), Celina parte da experimentação e interação entre pintura e imagem para criar uma narrativa com seis fotografias em que sua retórica corporal parece reagir ao avanço da tinta sobre o vidro dos quadros.

Segundo Daniela Labra, Celina cria roteiros para o corpo nos espaços e tempos inventados por si mesma, procedimento relacionado ao âmbito da dança, meio por onde ainda transita. Para a curadora, as ideias da artista se materializam nas galerias de arte e museus numa pesquisa híbrida, sendo esta exposição uma grande oportunidade para adentrarmos em seu universo de diversas narrativas ficcionais feitas de imagem, movimento, objetualidade, gesto e performance.

“Embora as maiores referências da Celina venham de situações observadas na rua e da vivência coreográfica, sua pesquisa se aproxima à de artistas conceituais e performáticos como Bruce Nauman e Dan Graham, que experimentaram o esgarçamento e sobreposição do tempo e imagem na vídeoarte dos anos 1960-70”, escreve Daniela Labra em texto de apresentação da mostra.

SOBRE A ARTISTA

Celina permeia o universo das artes plásticas e da dança, estabelecendo diálogos entre arquitetura, cinema, performance e ultimamente escultura. Utilizando frequentemente o próprio corpo como objeto de experimentações, caracteriza sua pesquisa nos campos da representação do corpo e sua relação com o espaço. A artista combina práticas quase artesanais em vídeos e fotografias que desafiam características de cada suporte e a percepção por parte do observador.

Recebeu indicação aos prêmios ICCO/SP-Arte 2016; EFG Bank & Art-Nexus, na SP-Arte 2015 e Pipa 2013 e 2017. Foi premiada na XX Bienal Internacional de Artes Visuales de Santa Cruz, na Bolívia, em 2016, e no II Concurso de Videoarte da Fundaj, em Recife, 2008. Foi contemplada pela Bolsa do Programa de Estímulo à Criação SEC + Faperj, em 2016; pelo I Programa de Fomento a Cultura Carioca, 2013 e com a Bolsa de Apoio a Criação da SEC/RJ, 2012. Participou das residências artísticas Bag Factory Artists’ Studios em Joanesburgo, Centre Récollets em Paris, LABMIS em São Paulo, entre outras.

De participações em mostras coletivas, destacam-se a Frestas Trienal de Artes, no Sesc Sorocaba, 2017; III Mostra do Programa de Exposições CCSP, 2012 e Nova arte nova, no CCBB-RJ e SP, 2009. Como bailarina e cocriadora trabalhou com os coreógrafos Lia Rodrigues e João Saldanha.

Celina é carioca e vive atualmente em São Paulo. Estudou design na PUC-Rio e se formou em artes plásticas na Université Paris VIII.

Posted by Patricia Canetti at 4:20 PM