Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


setembro 2018
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            
Pesquise no blog:
Arquivos:
setembro 2018
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

setembro 6, 2018

Paul Ramírez Jonas na Nara Roesler NY, EUA

A Galeria Nara Roesler | New York tem o prazer de apresentar Paul Ramírez Jonas: Give and Take, terceira individual do artista na Galeria e sua primeira na filial em Nova York. Nos últimos cinco anos, Ramírez Jonas tem se dedicado exclusivamente a novos projetos públicos participativos. Neste retorno ao formato expositivo, o artista apresentará desenhos intimistas e subjetivos, além de objetos de pequenas dimensões criados simultaneamente a seus projetos públicos.

[scroll down for English version]

Durante os últimos vinte e cinco anos, Ramírez Jonas criou desde instalações públicas em grande escala e esculturas monumentais até desenhos, performances e vídeos. Em sua prática, o artista busca questionar as definições de arte e público, incentivando a participação e a interação dos espectadores em diferentes espaços públicos. Seu projeto Key to the City, realizado em 2010 para a Creative Time, por exemplo, contou com 20.000 participantes, utilizando uma chave como veículo de investigação de contratos sociais relacionados à confiança, ao acesso e ao pertencimento.

Em Alternative Facts apresentada na Art Basel de 2018, foram criados 500 desenhos colaborativos com base em mentiras compartilhadas pelo público, que são transformadas em verdade ao serem autenticadas pelo artista. Múltiplos baseados em objetos cotidianos, como moedas, chaves ou palavras do público também são temas recorrentes, permitindo ao artista questionar conceitos de valor, circulação, rituais e comportamentos sociais.

A série de desenhos apresentadas em Give and Take é composta por registros de sistemas abstratos de equivalências e taxas de câmbio. Os diagramas correlacionam elementos diversos, de moedas a botões, bem como as digitais do próprio artista e as palavras “give” [dar] e “take” [tomar], criando expressões idiomáticas em forma de moeda. Além de registrar transações, essas obras lidam com a passagem do tempo, já que moedas nacionais vêm e vão em ciclos semelhantes aos lunares. Esses desenhos compartilham da linguagem formal dos projetos públicos de Ramírez Jonas: concentram-se nos pequenos gestos, marcas e objetos que utilizamos em nossas trocas, bem como nas formas que empregamos para determinar valores, guardar registros e armazenar relatos materiais e imateriais.

Nascido na Califórnia (1965) e criado em Honduras, Paul Ramírez Jonas vive, trabalha e leciona em Nova York. Em 2017, foi tema da mostra Half Truths, no New Museum em Nova York, e da retrospectiva Atlas, Plural, Monumental, no Contemporary Arts Museum em Houston. Ramírez Jonas já realizou exposições individuais em instituições como a Pinacoteca do Estado, São Paulo, Brasil (2011); Aldrich Contemporary Art Museum, Ridgefield, CT (2008); Blanton Museum of Art, Austin, Texas (2007–8); Ikon Gallery em Birmingham, Reino Unido e Cornerhouse, Manchester, Reino Unido (2004). Em 2010, seu projeto Key to the City foi apresentado pela Creative Time, em colaboração com a Cidade de Nova York. Em 2016, seu projeto Public Trust foi apresentado pela Now and There, em Boston. Ramírez Jonas participou da primeira Bienal de Joanesburgo (1995); da primeira Bienal de Seul (2000); da sexta Bienal de Xangai (2006); da 28ª Bienal de São Paulo (2008); da 53ª Bienal de Veneza (2009); e da sétima Bienal do Mercosul em Porto Alegre, Brasil (2015). Sua obra está representada em coleções permanentes no mundo todo, incluindo: Albright-Knox Art Gallery, Buffalo; Blanton Museum, Austin; Bronx Museum, Nova York; Guggenheim Museum, Nova York; Itaú Cultural, São Paulo; Malmö Konstmuseum, Malmö; New Museum, Nova York; e Pérez Art Museum, Miami.


Galeria Nara Roesler | New York is pleased to present Paul Ramírez Jonas: Give and Take, the artist’s third solo exhibition with the Gallery and first at its New York location. For the past five years Ramírez Jonas has exclusively focused on new public participatory projects. This return to the exhibition format will feature intimate and subjective drawings and small objects that have been made concurrently with the artist’s public projects.

Over the last twenty-five years Ramírez Jonas has created works that range from large-scale public installations and monumental sculptures to intimate drawings, performances and videos. Through his practice he seeks to challenge the definitions of art and the public and to engineer active audience participation and exchange in a variety of public spaces. His 2010 Creative Time project, Key to the City, for example, involved 20,000 participants and centered around a key as a vehicle for exploring social contracts pertaining to trust, access, and belonging. Meanwhile his presentation of “Alternative Facts” at Art Basel 2018, focused on co-creating 500 drawings based on individual lies told by the public and transformed into truths by the artist. Multiples based on everyday objects such as coins and keys or the public’s own words, also are a reoccurring motif allowing the artist to question notions of value, circulation and societal rituals or behaviors.

Ramírez Jonas’ latest series of drawings take the form of ledgers, charting abstract systems of equivalences and exchange rates. The artist links various elements in these diagrams; from pennies to buttons, his own finger prints, and the words “give” and “take” to complete coin-shaped idioms. In addition to their accounting of transactions, the works also address the passage of time, as currency waxes and wanes in lunar-like cycles. These drawings share a formal language with Ramírez Jonas’ public projects. They focus on the small gestures, marks and objects that we use for exchange; and the forms we use to determine value, to keep records and keep both material and immaterial accounts.

Born in California (1965) and raised in Honduras, Paul Ramírez Jonas currently lives, works, and teaches in New York. In 2017 the artist was the subject of Half Truths at the New Museum, New York, and Atlas, Plural, Monumental, a career survey exhibition at Contemporary Arts Museum Houston. He has had solo exhibitions at institutions including Pinacoteca do Estado, São Paulo, Brazil (2011); the Aldrich Contemporary Art Museum, Ridgefield, CT (2008); the Blanton Museum of Art, Austin, (2007–8); and Ikon Gallery Birmingham, UK and Cornerhouse, Manchester, UK (2004). In 2010, his project Key to the City was presented by Creative Time in cooperation with the City of New York. In 2016, his project Public Trust was presented by Now and There in Boston. He participated in the first Johannesburg Biennale (1995); the first Seoul Biennial (2000); the sixth Shanghai Biennial (2006); the twenty-eighth São Paulo Biennial (2008); the fifty-third Venice Biennial (2009); and the seventh Bienal do Mercosul, Porto Alegre, Brazil (2015). His work is represented in permanent collections worldwide, including the Albright-Knox Art Gallery, Buffalo; Blanton Museum, Austin; Bronx Museum, New York; Guggenheim Museum, New York; Itaú Cultural, São Paulo; Malmö Konstmuseum, Malmö; New Museum, New York; and the Pérez Art Museum, Miami.

Posted by Patricia Canetti at 1:07 PM