Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


agosto 2018
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
Pesquise no blog:
Arquivos:
agosto 2018
julho 2018
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

agosto 24, 2018

Minerva Cuevas no Galpão VB, São Paulo

Artista mexicana trabalha na fronteira entre arte e ativismo para questionar rumos contemporâneos

Dona de uma produção que se vale do humor e da ironia para abordar temas políticos e ecológicos, a artista mexicana Minerva Cuevas (Cidade do México, 1975) é o centro da grande exposição que ocupará o Galpão VB entre os meses de setembro e dezembro de 2018.

Reunindo sete vídeos e uma projeção de slides, Dissidência é a primeira grande individual de Cuevas no Brasil. Se apropriando frequentemente da linguagem do marketing e da publicidade, muitos de seus trabalhos dialogam com ícones da cultura pop para repensar as relações sociais, o papel de grandes corporações na produção de alimentos e o uso de recursos naturais.

“O galpão será inteiramente ocupado por videoinstalações em diferentes formatos. Título de uma obra emblemática, Dissidênciaserve para demarcar oposição e contestação ativa” explica Gabriel Bogossian, curador ao lado de Solange Farkas.

Com apoio da galeria mexicana Kurimanzutto, a mostra aposta na junção da arte e do ativismo, em um momento marcado por alterações graves na legislação referentes ao uso de agrotóxicos, ao desmatamento da Amazônia, demarcação de terras indígenas no Brasil.

“Ao exibir uma das artistas mais inventivas e contundentes da produção política latino-americana, o Videobrasil reafirma seu compromisso com o debate geopolítico. A obra de Minerva é especialmente informativa sobre nosso contexto, dadas as semelhanças entre Brasil e México em vários dos aspectos abordados”, complementa Solange.

Dispostas no espaço, obras como A Draught of the Blue(2013) e Donald McRonald(2003) sugerem uma possibilidade latente de revolta implícita no cotidiano.

Dona de uma produção que se vale do humor e da ironia para abordar temas políticos e ecológicos, a artista mexicana Minerva Cuevas (Cidade do México, 1975) é o centro da grande exposição que ocupará o Galpão VB entre os meses de setembro e dezembro de 2018.

Reunindo sete vídeos e uma projeção de slides, Dissidênciaé a primeira grande individual de Cuevas no Brasil. Se apropriando frequentemente da linguagem do marketing e da publicidade, muitos de seus trabalhos dialogam com ícones da cultura pop para repensar as relações sociais, o papel de grandes corporações na produção de alimentos e o uso de recursos naturais.

“O galpão será inteiramente ocupado por videoinstalações em diferentes formatos. Título de uma obra emblemática, Dissidênciaserve para demarcar oposição e contestação ativa” explica Gabriel Bogossian, curador ao lado de Solange Farkas.

Com apoio da galeria mexicana Kurimanzutto, a mostra aposta na junção da arte e do ativismo, em um momento marcado por alterações graves na legislação referentes ao uso de agrotóxicos, ao desmatamento da Amazônia, demarcação de terras indígenas no Brasil.

“Ao exibir uma das artistas mais inventivas e contundentes da produção política latino-americana, o Videobrasil reafirma seu compromisso com o debate geopolítico. A obra de Minerva é especialmente informativa sobre nosso contexto, dadas as semelhanças entre Brasil e México em vários dos aspectos abordados”, complementa Solange.

Dispostas no espaço, obras como A Draught of the Blue(2013) e Donald McRonald(2003) sugerem uma possibilidade latente de revolta implícita no cotidiano.

Publicação

A publicação que acompanhará Dissidência é a primeira dedicada à obra de Minerva Cuevas no Brasil e contará com textos sobre as obras da exposição, uma entrevista com a artista e uma versão do ensaio sobre Donald McRonald, publicado por Cuevas em 2012, além de um ensaio introdutório da dupla de curadores, Gabriel Bogossian e Solange Farkas.

Posted by Patricia Canetti at 4:13 PM