Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


junho 2018
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Pesquise no blog:
Arquivos:
junho 2018
maio 2018
abril 2018
março 2018
fevereiro 2018
janeiro 2018
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

junho 23, 2018

Verbo 2018 na Vermelho e Galpão VB, São Paulo

A 14ª edição da Verbo - Mostra de Performance Arte, que acontecerá de 3 a 6 de julho na Galeria Vermelho e no dia 7 de julho no Galpão VB, conta com a participação de mais de 40 artistas brasileiros e estrangeiros. A seleção de projetos ficou a cargo da artista da dança, professora universitária e pesquisadora, doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, Ana Teixeira, e pelo diretor artístico da Verbo, Marcos Gallon. Durante a Verbo 2018 será lançada a plataforma de residências artísticas Verbo SLZ (São Luís), uma parceria entre a Verbo e o projeto CHÃO, em São Luiz (Maranhão).

VER PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Desde sua criação em 2005, a Verbo sempre procurou apresentar um panorama abrangente da Performance Arte programando ações de artistas brasileiros e estrangeiros com diferentes formações, idades e atuantes em campos distintos da arte atual. O objetivo sempre foi o de alargar o conceito de Performance Arte herdado do século 20, programando ações de artistas e de grupos atuantes no campo das artes visuais, dança, teatro, poesia e literatura, música, grafite e ativismo. Por conta disso, nunca foi determinado um recorte curatorial a priori.

Na Verbo de 2018, entretanto, essa dinâmica foi alterada. Decidiu-se estabelecer um terreno conceitual amplo com o objetivo de criar uma reflexão focada no atual momento de conflito ético e de mudança de paradigmas que caracteriza a vida no Brasil e no mundo. Nesse sentido, foram selecionadas palavras-chave a partir das quais os artistas interessados em participar dessa edição poderiam elaborar seus projetos. Foram aceitos também projetos criados a partir de 2016 que dialogassem com uma ou várias das palavras-chave: censura, corrupção endêmica, cultura, desobediência civil, ditadura, Estado de direito e Estado de exceção, ética, extremismo religioso, pós-feminismo, gênero, gentrificação, justiça, levante, LGBTQI, manipulação da notícia, patrulha intelectual, pobreza, polícia, populismo, pós-verdade, racismo e violência.

As questões acima dialogam por meio de diferentes construções, narrativas e poéticas com as ações, filmes, fotografias, textos e vídeos que compõem o programa da Verbo 2018.

Como mencionado acima, o programa da Verbo 2018 inclui o lançamento da plataforma de residências artísticas Verbo SLZ (São Luís), uma parceria entre a Verbo e o CHÃO, em São Luís, no Maranhão. Criado em 2015 por um grupo de artistas e curadores em um casarão histórico no centro de São Luís, o CHÃO ocupa também desde 2017 um galpão na Praia Grande, em São Luís. O CHÃO tem como objetivo criar um ambiente propício para a troca de conhecimentos de forma horizontal por meio de parcerias com artistas, instituições e projetos independentes. A parceria entre Verbo e CHÃO busca proporcionar um contato mais alongado entre a cena artística local e os artistas convidados para a residência, gerando, a partir dessa experiência de afecção, desdobramentos no formato de ações que integrarão o programa da Verbo 2019. O programa da Verbo SLZ será apresentado pela curadora e gestora cultural Samantha Moreira, pelo curador mexicano Rodrigo Campuzano e pelo diretor artístico da Verbo Marcos Gallon, em uma das mesas de discussão que integram a Verbo 2018.

A parceria estabelecida entre a Verbo e a Temporada de Dança Videobrasil, em 2017, continua em 2018 com a apresentação de dois programas de filmes de duas iniciativas francesas para a dança: Ciné-Corps (Paris-Rennes-Montréal), festival de filmes e vídeos sobre o corpo e suas possibilidades através da dança, e do Centre National de la Danse (CND), de Paris. O festival de filmes e vídeos Ciné-Corps participa com um programa de curtas-metragens contemporâneos. Já do Centre National de la Danse (CND), que integrou o programa da Verbo 2016 com a mostra “Screening and Live Actions: French Scene”, chega um programa histórico composto por filmes curtos das décadas de 1920 e 1930, de coreógrafos que exerceram grande influência e impacto sobre a produção francesa de dança ao longo da história.

LISTA DE ARTISTAS

Ana Pi (Brasil-França), Andrea Dip & Guilherme Peters (Brasil), Andrés Felipe Castaño (Argentina), Bianca Turner (Brasil), Charlene Bicalho (Brasil), Chico Fernandes (Brasil), Clara Ianni (Brasil), Cris Bierrenbach (Brasil), Depois do Fim da Arte (Brasil), Desvio Coletivo (Brasil), Dora Longo Bahia (Brasil), Egle Budvytyte & Bart Groenendaal (Holanda), Élcio Miazaki (Brasil), Elisabete Finger & Manuela Eichner (Brasil), Emanuel Tovar (México), Etcetera & Internacional Errorista (Argentina), Fernanda Brandão & Rafael Procópio (Brasil), Gabriela Noujaim (Brasil), Gabrielle Goliath (África do Sul), Gabinete Homo Extraterrestre (México), Gian Cruz & Claire Villacorta (Filipinas), Grupo MEXA, Dudu Quintanilha, Luisa Cavanagh e Rusi Millan Pastori (Brasil-Argentina), Grupo Trecho (Brasil), Guilherme Peters (Brasil), Josefina Gant, Juliana Fochtman e Nicole Ernst (Argentina), Julha Franz (Brasil), Lia Chaia (Brasil), Lyz Parayzo (Brasil), Marcelo Cidade (Brasil), Martín Soto Climent (México), Patrícia Araujo & Valentina D’Avenia (Brasil-Suíça), Paulx Castello (Brasil), Pedro Mira & Javier Velázquez Cabrero (México), Rubens C. Pássaro Jr. (Brasil), SPIT! (Sodomites, Perverts, Inverts Together!) (Colômbia-EUA) e Stephan Doitschinoff (Brasil).

Posted by Patricia Canetti at 1:19 PM