Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


outubro 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        
Pesquise no blog:
Arquivos:
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

outubro 23, 2017

Henri Matisse – Jazz na Caixa Cultural, Rio de Janeiro

A exposição reúne 20 pranchas impressas em “pouchoir” pelo artista francês em 1947

A Caixa Cultural inaugura no dia 24 de outubro, às 19h, a exposição Henri Matisse – Jazz, com curadoria de Anna Paola Baptista. Serão apresentadas as 20 pranchas do álbum Jazz, obra síntese da segunda parte da carreira do pintor, desenhista e escultor Henri Matisse nos anos 1940. A partir deste periodo passou a dedicar-se exclusivamente a técnica dos papiers découpés (cut outs), os desenhos com tesoura, nos quais criava diretamente nos papéis coloridos com guache. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal. Na noite de inauguração acontecerá uma visita guiada com a curadora.

O albúm Jazz foi impresso a partir dos originais recortados, com supervisão do próprio Matisse. As imagens variam da abstração a figuras de grande vivacidade que abordam assuntos ligados ao circo, contos populares e viagens, com ritmo e improvisação identificáveis aos sons de uma orquestra de jazz. O processo de edição do álbum foi iniciado em 1942 e o artista levou cinco anos para conclui-lo. Jazz foi lançado simultaneamente em Paris e no Rio de Janeiro em 1947. O exemplar exibido é o de número 196 e integra ao acervo dos Museus Castro Maya.

De acordo com o crítico de arte Paulo Herkenhoff, o belíssimo conjunto de desenhos feitos com tesoura se destaca como “o mais belo livro de arte do século XX”. A técnica foi desenvolvida por Matisse no início da década de 1940, quando, obrigado a passar longos períodos na cama e na cadeira de rodas em recuperação de uma delicada cirurgia. O artista combinou desenho e pintura em colagens. Matisse já havia utilizado os chamados papiers collés para o estudo da obra La danse (1909), mas foi a cumplicidade do editor e crítico Tériade que o incentivou a realizar um álbum só com papéis recortados, trabalho que mais tarde foi considerado como uma de suas obras mais importantes.

Após temporadas de sucesso em Salvador, Brasília, Recife e Fortaleza, é a vez do Rio de Janeiro receber a aguardada exposição Henri Matisse – Jazz que seguirá em cartaz na cidade até 22 de dezembro de 2017.

Sobre Matisse

O pintor francês Henri Matisse nasceu em 1869 em Le Cateau-Cambrésis, no norte da França. Iniciou o curso de Direito em Paris em 1988, logo abandonado para estudar pintura e desenho na Academia Julián e na Escola de Belas Artes de Paris.

É considerado por críticos e historiadores um dos mais importantes e revolucionários artistas de seu tempo. Ao lado de Pablo Picasso tornou-se artista síntese da arte moderna no século 20, liberta da necessidade de imitar a realidade.

Influenciado por Paul Cézanne, Paul Gauguin e Vicent Van Gogh, foi líder do movimento chamado Fauvismo (1901-1908), termo inicialmente pejorativo que caracterizava os artistas como bestas selvagens (fauves) escandalizando o público com as cores intensas de suas obras.

No início da década de 1940 com seus movimentos reduzidos em decorrência de um câncer e impedido de pintar, Matisse inventou a técnica dos papiers découpés (cut outs), os desenhos com tesoura, nos quais criava diretamente nos papéis coloridos.

Dessa forma, Matisse reinventou sua arte e sua carreira produzindo centenas de obras extraordinárias. O álbum Jazz, de 1947, que será na Caixa Cultural Rio de Janeiro, é o ápice desta criação.

Posted by Patricia Canetti at 1:04 PM